GGN Covid Mundo: com 33% a mais de casos per capita no Brasil, Bolsonaro ironiza a Argentina

A Argentina passou o Brasil em casos per capita apenas a partir de 27 de agosto. Durante toda a pandemia, as infecções foram maiores no Brasil.

O ridículo Bolsonaro

Primeiro, vamos analisar o ridículo do presidente do Brasil Jair Bolsonaro, de celebrar a piora dos dados na Argentina. Não surpreende o instinto perverso de Bolsonaro. Em toda vida, ele sempre celebrou a morte. Trata-se de um desequilíbrio moral que transmitiu a toda  família.

Mas vamos conferir os dados.

A Argentina passou o Brasil em casos per capita apenas a partir de 27 de agosto. Durante toda a pandemia, as infecções foram maiores no Brasil.

No acumulado per capita, no entanto, o Brasil tem 33% a mais de casos que a Argentina. Hoje, o acumulado per capita brasileiro era de 2.312,5 contra 1.741,1 da Argentina.

O caso Argentina

Mesmo assim, a situação do vizinho é preocupante.

Aqui, a curva de óbitos e o enorme salto dos últimos dias elevando as médias semanal, quinzenal e mensal a novos patamares.

A tabela geral do dia

Na relação dos maiores aumentos de casos em 14 dias, a Argentina passou a integrar o clube que inclui os países europeus afetados pela segunda onda, e a Índia.

Em relação aos óbitos, assumiu a dianteira absoluta do aumento percentual.

A segunda onda na Europa

Aqui, um dado interessante, na comparação entre as curvas de casos e de óbitos da segunda onda europeia.

Repare que a curva dos óbitos é menos drástica, mostrando um aprendizado dos países em tratar a doença.

O mapa mundi dos óbitos

No mapa dos casos e óbitos per capita, o Brasil continua sendo uma mancha no mapa mundi.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora