Governo Bolsonaro continua a travar demarcação de terras indígenas

Além de não homologar territórios das tribos, 70% dos processos em andamento estão parados entre a Funai e o Ministério da Justiça

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O governo de Jair Bolsonaro não demarcou nenhum território indígena durante seus dois anos de mandato, e também travou internamente o andamento de grande parte dos procedimentos que analisam tais pedidos.

A revelação foi feita pelo jornal O Globo, a partir de dados do Instituto Socioambiental (ISA) junto a cartórios e consultas de decretos, portarias ministeriais e publicações da Fundação Nacional do Índio (Funai). Ao todo, 237 territórios indígenas estão com processos de demarcação requisitados, mas 70% estão parados entre a Funai e o Ministério da Justiça, sem avanços na parte de estudos de campo ou análises de documentos.

O único movimento feito no sentido da demarcação foi a criação de cinco grupos técnicos pela Funai, uma vez que o órgão foi obrigado a iniciar os estudos por determinação judicial.

Os ataques de Jair Bolsonaro contra a demarcação de territórios já começou na campanha eleitoral, em 2018 – e, durante seu governo, afirmou que nenhuma demarcação seria feita no que dependesse dele.

 

 

Leia Também
Povo Guató tenta retomar a rotina no pós-queimadas, mas o trauma e os estragos ainda são muito recentes
Como a luta do povo Xokleng chegou ao STF e vai decidir o futuro das terras indígenas
“Marco temporal”: indígenas questionam interesse por trás de mais um adiamento no STF
O direito originário dos povos indígenas, por Luiz Eloy Terena
Governo tira aportes de outras pastas e Funai deve financiar barreiras sanitárias indígenas

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora