Janot e o vazamento da capa de Veja na véspera das eleições, por Luis Nassif

Pelo livro fica-se sabendo que Janot sabia o que a torcida do Flamengo inteiro sabia, que o vazamento foi providenciado pela Lava Jato, exclusivamente pelo impacto político.

No livro “Nada Menos Que Tudo”, o ex-Procurador Geral da República Rodrigo Janot admite que a capa da Veja na véspera das eleições de 2014, com a suposta delação de Alberto Yousseff, dizendo que “Lula e Dilma sabiam de tudo”, expôs o viés político da Lava Jato.

É curioso! No jantar de posse de Dilma Rousseff, compartilhei uma mesa com Janot. Na ocasião, depois de algumas pinicadas recíprocas, provoquei-o em relação a dois temas.

Um deles, o vazamento com a tal delação de Yousseff, que quase decide as eleições. Ele disse que nada podia fazer porque fora feito por advogados do réu. Insisti: se vazamentos são ilegais, você não vai fazer nada?

Pelo livro fica-se sabendo que Janot sabia o que a torcida do Flamengo inteiro sabia, que o vazamento foi providenciado pela Lava Jato, exclusivamente pelo impacto político. Como Janot admite no livro, “eram destituída de qualquer valor jurídico”, por Yousseff sequer compartilhava da intimidade do Palácio do Planalto e não tinha provas do que dizia.

No momento oportuno, Janot calou-se, como deve ter se calado em vários episódios nos quais, de acordo com sua versão, teria explodido, reagido, gritado.

O segundo fato foi um inquérito sobre Aécio Neves que mofa desde 2010 na gaveta do PGR, referente à Operação Norbert, que identificou contas de Aécio no exterior, em nome de offshores abertas em paraísos fiscais.

É por aí que não se aceitam as explicações dele, sobre as razões de não ter incluído Aécio na primeira lista de Janot. Na ocasião, uma fonte com contato direto com o filho de Teori Zavaski, relatou sua surpresa de Janot ter indiciado Lindbergh e poupado Aécio, segundo que os indícios contra Aécio eram muito mais evidentes – versavam sobre as mesadas de Furnas.

Leia também:  José Serra diz que denúncia da Lava Jato já prescreveu

A alegação de Janot foi que duas testemunhas do caso já tinham morrido. Ora, não consta que, com sua morte, sumiu a contabilidade ou os registros bancários da empresa. Além disso, se a PGR já possuía um inquérito com indicações das contas de Aécio na Suiça, o quadro ficava muito mais completo do que meras delações ao vento.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

13 comentários

  1. Do texto, sobre a não inclusao de aecio numa denuncia na qual Lindbergh, ainda que com muito menos evidencia, foi incluso: “A alegação de Janot foi que duas testemunhas do caso já tinham morrido.”
    Confirma que “tem que ser um que a gente mata depois”
    Escória…

    23
    1
  2. Ora, sempre se esquecem do único fator que resolveria a equação……os lojistas….

    Qual é o grau do dito cujo safo???

    Alguém acredita que num mundinho fortemente dominado pela tchurma esse cargo não tenha nenhuma influência tanto na nomeação quanto na atuação do laureado???

    10
  3. Em todo lugar se encontra esse tipo de gente.
    Fazem o jogo dos ricos porque pensam que são ricos.
    Iguais a certos cães de guarda que acham que são humanos
    Cambada de puxa-sacos que vive de salário para sabotar a pátria e sacanear os mais pobres.
    Estão condenados a só conseguir dormir chumbados com tarja preta.
    Em vida, haverão de arder no fogo dos infernos!

    18
    1
  4. Quem sabe quem é esse canalha, é o ex-Ministro Eugênio Aragão. Como se diz aqui no Nordeste; não vale o que gato enterra!

    12
  5. Tanta falcatrua e não adiantou. Nós, pernambucanos, fomos às ruas e batalhamos por cada um dos votos que deu a diferença para a vitória de Dilma. Eles não tiveram outra coisa a fazer senão o golpe. Com Veja, com Supremo, com tudo, menos com nossos votos.
    A história ainda fez mais uma justiça. Lula sempre foi chamado de cachaceiro, e no final o cachaceiro é Janot.

    9
    1
  6. A valentia do escroque safado seguia os interesses da globo e da FIESP, num país sério esse ex-PGR vigarista deveria estar numa penitenciária de segurança máxima.

  7. Nobre jornalista, até quando vamos aguentar num Brasil onde os comandantes não comandam para o povo, mas comandam em pról de interesses pessoais a mando de terceiros? Quando e que preso vai ser obrigado a trabalhar p o sustento seu e sua família? Falta comando nesse país.

  8. E a Carmém Lucia ou Rosa Weber que mandou a Dilma parar de falar em GOLPE ! Isso tendo todo apoio do Supremo. Essas coisas so estão vindo à tona porque o PSDB ou algum outro partido de direita mais ou menos civilizado não ganhou as eleições. Tem muita coisa para se passar a limpo no Brasil ainda. Lula livre sim!

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome