Jornalista de Portugal barrado em aeroporto atacou o STF e disse que Brasil vive ditadura

Ativista da direita lusitana entrevistou Bolsonaro para o Youtube e subiu no palanque de ato na Paulista; saiba quem é Sergio Tavares

Print da entrevista de Sergio Tavares com Jair Bolsonaro Reprodução: Twitter Sergio Tavares

O português Sérgio Tavares publicou neste domingo (25) um vídeo em suas redes sociais alegando que foi indevidamente impedido de entrar no Brasil. Na noite anterior, ele publicou que estaria vindo ao país para mostrar à Europa a “revolta do povo brasileiro contra a ditadura em que o país mergulhou”, referindo-se ao ato de Jair Bolsonaro na Avenida Paulista. 

De acordo com a Polícia Federal, a alegação de que ele foi indevidamente retido é falsa. A PF diz que o procedimento realizado no aeroporto de Guarulhos é padrão, e ocorreu para verificar se Tavares está no país a turismo ou a trabalho. O ativista lusitano, que é um propagador das teses da ultradireita conservadora, veio ao Brasil para gravar imagens do ato, mas não apresentou visto de trabalho. 

O caso repercutiu entre os bolsonaristas, e Tavares foi convidado a subir do trio elétrico, ao lado de Jair Bolsonaro e autoridades, na Paulista. “Eu vou garantir que a Europa e o mundo vai saber a verdade sobre o Brasil. O mundo vai saber que vocês precisam de liberdade, que não pode ter censura, não pode haver distinção, não podem obrigar bebês a serem vacinados. Eu prometo: essa mensagem e imagem vai correr a Europa toda. Liberdade [sic]”, disse o youtuber.

As alegações

Tavares ainda usou as redes para afirmar que foi interrogado pela Polícia Federal sobre suas falas contra a democracia brasileira. 

Em nota, a PF confirmou que também o questionou sobre os comentários que fez sobre a democracia no Brasil. Tavares divulou que o país vive numa “ditadura do Judiciário” e outras afirmações na mesma linha, em vários posts na internet. 

Liberado

Após três horas do primeiro vídeo, Tavares confirmou que foi liberado de interrogatório, no qual disse ter permanecido em silêncio por orientação de seu advogado de defesa. 

Segundo Tavares, Eduardo Borgo foi o advogado que prestou apoio jurídico. Borgo, além de advogado, é vereador de Bauru pelo PL e comentarista da Rádio Jovem Pan News de Bauru.

Ataques ao STF e sistema eleitoral

Sergio Tavares publicou em 23 de Julho de 2023, no seu perfil no X, antigo Twitter, um recorte de uma entrevista com Allan dos Santos, que tem um pedido de prisão desde 2021 a pedido do Ministro Alexandre de Moraes, e é considerado foragido pela Justiça Brasileira. No trecho, Allan dos Santos profere diversos xingamentos a Moraes.

Quem é Sergio Tavares? 

Segundo sua própria descrição, Sérgio é ativista, professor e ex-correspondente da Rádio Renascença. O veículo é de propriedade da Igreja Católica de Portugal (Patriarcado de Lisboa). A única menção a seu nome é como correspondente da Renascença no Timor-leste em 2007.

Não foi encontrado outro registro de atividade jornalística em nome de Tavares fora as entrevistas com negacionistas e líderes de extrema-direita em seu canal do Youtube.

Há três semanas, Sergio Tavares entrevistou Jair Bolsonaro para seu canal no Youtube. Na transmissão ao vivo, Bolsonaro disse que em 2018 “a esquerda, vendo o meu crescimento, tentou me assassinar”, em referência ao episódio da facada de Adélio Bispo. 

Na descrição da live, Tavares propagou mais um ataque à democracia brasileira e ao Supremo. “Sem a censura do STF na EUROPA, Bolsonaro fala sem filtros e conta tudo sobre a ditadura que o Brasil vive”.

Registro de jornalista

Apesar de cidadãos portugueses não precisarem de visto para entrar no Brasil como turistas, eles podem permanecer no país por um período de até 90 dias, o mesmo vale para jornalistas da União Eruopeia. Porém, as autoridades de imigração têm o direito de solicitar documentação ou informações adicionais conforme julgarem necessário.

No twitter, o jornalista Leandro Demori publicou a apuração se Tavares teria registro como jornalista profissional, nenhum dado em seu nome foi encontrado.

A nota da assessoria de imprensa da Polícia Federal

Em relação ao vídeo que circula em redes sociais de um cidadão português alegando que foi indevidamente impedido de entrar no Brasil, a Polícia Federal informa que tal alegação é falsa.
A PF está conduzindo o procedimento padrão para avaliar a situação do indivíduo, verificando se ele está no país a turismo ou a trabalho e por quanto tempo pretende permanecer no país, seguindo o protocolo regular de admissão de estrangeiros. Tal indivíduo teria publicado em suas redes sociais que viria ao país para fazer a cobertura fotográfica de um evento. Todavia, para isso, é necessário um visto de trabalho, o que ele não apresentou.
Além disso, o estrangeiro foi indagado sobre comentários que fez sobre a democracia no Brasil, afirmando que o país vive uma “ditadura do Judiciário”, além de outras afirmações na mesma linha, postadas em suas redes sociais.
Vale ressaltar que as mesmas medidas são adotadas por padrão na grande maioria dos aeroportos internacionais.

Icaro Brum

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. É bem isso aí – não dá para ficar chamando blogueiro de jornalista.. Jornalista tem formação, tem seu registro profissional, tem registro próprio e específico para atuar fora de seu país de origem.. Blogueiro é blogueiro..

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador