Mandetta e as circunstâncias: como se comportou no impeachment

Antes disso, Mandetta era apenas um deputado obscuro pré-bolsominion, que levantava cartazes obscenos e defendia o fim do +Médicos. Agora, cumpre papel essencial, com uma dignidade exemplar. Viva Della Rovere.

Um homem é ele e suas circunstâncias. Dependendo das circunstâncias, é crápula; dependendo das circunstâncias, torna-se herói.

Nunca saiu da minha memória o general Della Rovere, de Roberto Rosselini, com Victorio De Sica, batizado no Brasil como “De crápula a herói”.

Os germanfilos da Itália matam o general, comandante da resistência. E, para desmoralizar suas ideias, preparam um sósia, um ator de segunda, incumbido de se apresentar ao povo como se fosse Della Rovere e abjurar seus princípios.

Na hora acertada, o ator encarna o personagem, e faz um discurso épico, como se fosse o Della Rovere autêntico.

Desde então, sempre tive enorme curiosidade por esses personagens que se movem de acordo com as circunstâncias, em geral para pior. A longa carreira jornalística me permitiu acompanhar de perto as mutações circunstanciais de políticos – como José Serra -, magistrados – como Luis Robert Barroso -, jornalistas – nem menciono, pela quantidade -, em geral reeditando um Della Rovere pelo avesso.

Mas às vezes, o filme se torna realidade. É o caso de Gilmar Mendes, que propunha a extinção do PT e que, depois do impeachment consumado, tornou-se uma âncora da legalidade. Ou do Ministro Luiz Mandetta, depois da pandemia consolidada.

Antes disso, Mandetta era apenas um deputado obscuro pré-bolsominion, que levantava cartazes obscenos e defendia o fim do +Médicos. Agora, cumpre papel essencial, com uma dignidade exemplar. Viva Della Rovere.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

O Sr. Mandetta está tendo uma chave de redimir parte dos imensos prejuízos e problemas que causou a todos. Como todos que trabalharam para derrubar nosso edifício institucional, com o golpe de 2016, ele tem sim muita culpa. Não sei se o seu atual comportamento é fruto de uma crise de consciência, ou de oportunismo político ou se um despertar para a realidade, afinal se fracassar nesta crise é o fim de sua carreira. Mas agora isso não importa, temos de dar a ele todo nosso apoio. Deixemos para depois os julgamentos, quando a crise for controlada.

Orides
Leia também:  Manchetes dos jornais da Europa

31 comentários

  1. Devemos ter cuidado com falsos herois. A verdade é que ele passa o pano qpuando aceita a
    restrição parcial de movimento. O que ele está fazendo é retardar um pouco a tragédia e dar motivos para os canalha dizerem que a quarentena é bobagem. Faz o jogo do Bolsonaro e da familicia, e do resto da quadrilha.
    Por outro lado a direita “achou” um substituto safado e tão fascista quanto seu patrão, herois são candidatos ideais

    35
    3
  2. O Sr. Mandetta está tendo uma chave de redimir parte dos imensos prejuízos e problemas que causou a todos. Como todos que trabalharam para derrubar nosso edifício institucional, com o golpe de 2016, ele tem sim muita culpa.
    Não sei se o seu atual comportamento é fruto de uma crise de consciência, ou de oportunismo político ou se um despertar para a realidade, afinal se fracassar nesta crise é o fim de sua carreira.
    Mas agora isso não importa, temos de dar a ele todo nosso apoio. Deixemos para depois os julgamentos, quando a crise for controlada.

    9
    7
  3. Ilustre e crível Nassif, perdoe-me dizer: você está sendo complacente com um crápula… Na maioria das vezes os indivíduos não mudam em função das circunstâncias… Mudam -, segundo as conveniências de seus interesses econômicos e políticos – enquanto “ator” no jogo de poder numa sociedade de classes com interesses antagônicos, ocultados pela espetacularização midiática.
    O filósofo espanhol Ortega Y Gasset – um conservador/conversador – lúcido e atento escreveu em seu livro Meditações do Quixote: “eu sou eu e as minhas circunstância”. Sintética e clarividente exposição ôntica do ser em movimento. Quanto ao ministro em tela, vê-se mais seu oportunismo em surfar no vazio da estupidez cognitiva de um presidente (e desgoverno), ungido pelo TV que de tudo faz espetáculo de modo a “prender” a audiência à sua narrativa. Com efeito, o ministro enquanto “sujeito coletivo” é a subsunção que direita ansiava para ter credibilidade com alguma razoabilidade… Daí ser “bancado” no ministério pelos presidentes das casas congressuais. Eles são do mesmo partido.
    De concreto: temos no horizonte temporal o espectro da epidemia, que não se sabe o tamanho da tragédia (esta, para os gregos era entendida como “o homem diante do inevitável…”) que acometerá o país, pois nos faltam: a) quantidades de profissionais de saúde aptos, b) faltam equipamentos e, c) faltam medicamentos.
    Para além de tudo isso, está curso o feroz jogo (sujo) político da direita em consolidar e legitimar-se perante a maioria atônita e silenciosa da população brasileira. Os parcos “pensadores” da direita que conhecem a história, tem claro por si, que as situações de medos e assombros são o solo fértil para a dominação das massas.

    37
    2
    • Muito bem. Foi ao cerne da questão: “Os parcos “pensadores” da direita que conhecem a história, tem claro por si, que as situações de medos e assombros são o solo fértil para a dominação das massas.” Esta é a síntese do jogo político atual, em que a Covid, para a direita é um “achado” de sorte.

      13
      2
    • Muito oportuno seu comentário Cesar Rocha. Surge uma outra estrela em meio a uma catástrofe anunciada. O estrelismo da direita sempre presente. Não há de se crer que o trabalho do ministro é em prol do povo brasileiro e sim de uma futura ascendência política. Tanto que incomoda o “presidente”, o ‘êxito” de suas ações meio a pandemia. Enfim, vamos esperar o que sucederá, certos de que o povo sempre ficará com a pior parte de todo esse desgoverno.

      15
      1
      • Olá Tânia Sá, perfeita tua observação “o estrelismo da direita sempre presente”, pois a mesma, no poder, não tem efetiva legitimidade ante à maioria silenciosa da população. Falta-lhes “quadros políticos” para o trabalho orgânico de cooptação das massas (povão). A direita faz “barulhos” pelas mídias sociais e no coração das classes médias em pânico e subservientes à ordem estabelecida. Sabido disse a mídia empresarial está sempre à procura de uma “estrela de direita” que possa conquistar “corações e mentes”, sem entretanto, entregar os anéis, visto que os dedos do poder estão preservados.

        12
        1
  4. Sinceramente? Ninguém presta nesse governo, ninguém presta no congresso……. tem que parar de reabilitar crápulas apenas por que estão fazendo o que são OBRIGADOS a fazer pelo cargo que ocasionalmente ocupam……estou me reabilitando do maldito vírus e desejo, com todas as forças que me restam, que um belo punhado de canalhas dessa desgraça toda, peguem o vírus e sufoquem, sufoquem, mas sobrevivam, só pra sentir o gostinho do sofrimento que impõem ao povo…… principalmente o tchutchuka e sua turma de abutres carniceiros…..

    12
    1
  5. O que ele tem feito, além de dar entrevistas no fim da tarde? Segundo a fonte https://www.worldometers.info/coronavirus/#countries o Brasil é um dos últimos em quantidade de testes no mundo. O que a gente vê na prática é o governo, o qual ele faz parte, criar crises diuturnamente com a China, em um esforço para que um “embargo Chinês” de provisões seja viabilizado e a crise brasileira se aprofunde. Algo me diz que essa aura de responsável só vai durar enquanto a crise não bater forte e enquanto for possível subestimar os números. Quanto a ver as figuras públicas como seres mutantes acho interessante também, tem o caso do Aloysio Nunes que era motorista e guarda-costas do Marighella…

    12
    1
  6. Discordo, Nassif

    Mandetta, raposa política, oportunista, tenta surfar na onda anti bolsonarista.

    Separei 7 matérias relativas, a saber

    COMEÇO por uma matéria publicada na Veja em 02/10/2019, a saber:

    LUIZ HENRIQUE MANDETTA: A FAMÍLIA EM PRIMEIRO LUGAR
    A definição de limites entre o interesse público e os interesses privados pode gerar uma grande dor de cabeça ao ministro da Saúde

    Por Daniel Pereira – Atualizado em 27 set 2019

    A lista de pais orgulhosos é extensa e inclui também o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que não economiza elogios à sua filha Marina Alves Mandetta, advogada em plena ascensão profissional.

    Formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2015, Marina era sócia do Eichin Amaral Advogados até o fim do ano passado.

    Cuidava, entre outras coisas, de processos judiciais da Unimed Rio, empresa que ela mesma levou para a carteira do escritório.

    Foi assim até novembro de 2018, quando os Mandetta — o pai e a filha — decidiram abraçar projetos mais ambiciosos.

    No dia 20 daquele mês, Bolsonaro anunciou Luiz Henrique Mandetta como futuro ministro da Saúde.

    Um dia depois, Marina formalizou sua saída do Eichin Advogados, decisão que, conforme o seu relato, havia sido tomada em outubro.

    Já no dia 13 de dezembro, Marina abriu seu próprio empreendimento, batizado de Mandetta Advogados.

    A Unimed Rio acompanhou Marina na mudança, porque, segundo a advogada, a política de seu antigo escritório previa que quem saísse da sociedade levaria os contratos que tivesse conquistado. A aposta da filha do ministro de montar a própria banca logo rendeu frutos.

    Neste ano, já com Mandetta despachando no ministério, Marina conseguiu mais dois clientes no setor de saúde: a Unimed Seguros e a Central Nacional Unimed, que teriam optado por seus serviços ao reconhecer a excelência do trabalho prestado à Unimed Rio.

    Radicada no Rio, Marina também passou a transitar com desenvoltura em Brasília e São Paulo, muitas vezes acompanhada do pai. Foi o que ocorreu em agosto último, durante um congresso da Associação Brasileira de Planos de Saúde, entidade que reúne cerca de 150 empresas do setor e representa suas demandas junto ao governo.

    Convidado para dar uma palestra no evento, Mandetta levou Marina a tiracolo.

    Em sua fala de quase quarenta minutos, o ministro mencionou a presença da filha aos representantes das operadoras de planos de saúde que estavam na plateia:

    – “O século XXI, gente, vai ser absolutamente fantástico. Nós vamos viver melhor. Nós vamos viver mais tempo. Eu vou poder curtir o Gabriel, aqui da minha filha, da Marina, que está aqui, muito mais tempo do que a minha mãe e o meu pai curtiram os seus netos”.

    Encerrada a exposição do ministro, Marina distribuiu cartões aos participantes do congresso, ressaltando que já possuía experiência no setor. Aproveitou, assim, a janela de oportunidade aberta pelo pai.

    – “Não vejo nenhum tipo de conflito de interesse. Passei o meu contato a quem me pediu. As pessoas têm curiosidade e querem o contato da filha do ministro”, afirmou a advogada.
    – “Nós só atuamos no contencioso judicial. Não fazemos nada no âmbito administrativo justamente porque a ANS é subordinada ao Ministério da Saúde”, acrescentou.

    A ANS é a Agência Nacional de Saúde Suplementar e tem a missão de regulamentar a atuação dos planos de saúde.

    – “Não houve nenhuma referência à profissão de minha filha ou a sua empresa”, declarou o ministro, negando que tenha dado uma mãozinha a Marina diante de potenciais clientes.

    – “Ela apenas atendia a um evento do qual seus clientes participavam, algo de rotina e público”, disse.

    Segundo Marina e a organização do congresso, ela participou do encontro como convidada do ministro, e não como representante de empresa.

    VEJA pediu ao advogado Mauro de Azevedo Menezes, mestre em direito público pela Universidade Federal de Pernambuco e presidente da Comissão de Ética Pública entre 2016 e 2018, que analisasse o caso. Sem saber o nome dos personagens envolvidos, ele disse que o enredo encenado pelos Mandetta no congresso das operadoras de planos de saúde configura conflito de interesse e é “gravíssimo”, uma vez que a lei proíbe a autoridade de usar o cargo em benefício próprio ou de familiares.

    Menezes ressaltou que a situação também pode ser configurada como improbidade administrativa e ter repercussões inclusive na seara penal.

    – “Eu acho que está se banalizando no Brasil, infelizmente, a violação da fronteira entre público e privado em altas esferas, e isso é uma crise na nossa República.”

    A história recente é repleta de casos de empresas com interesses no governo que tentam comprar favores de autoridades repassando recursos a seus familiares.

    Foi o que fez a Odebrecht com parentes do ex-presidente Lula, de acordo com relatos de delatores da empreiteira. Até aqui, não há nenhum indício de que esse seja o objetivo das operadoras de planos de saúde ao contratar o escritório da filha do ministro.

    Os laços do grupo empresarial com a família Mandetta são antigos.

    O ministro já foi presidente da Unimed Campo Grande (MS).

    Em 2016, avisou à filha que a Unimed Rio abriria uma concorrência para contratar advogados.

    Marina participou dela e levou o cliente.

    Velhos conhecidos, Mandetta e os diretores da Unimed se reuniram em junho passado em Brasília.

    O ministro ouviu um pedido para que o governo libere parte de uma reserva financeira de emergência que as operadoras de planos de saúde são obrigadas a manter. Só a Unimed tem 8 bilhões de reais parados nessa reserva.

    A empresa e suas concorrentes também querem desregulamentar o setor, até para facilitar os polêmicos reajustes por faixa etária.

    No congresso de que participou com a filha a tiracolo, Mandetta se mostrou favorável a essas demandas.

    À reportagem, o ministro afirma que não há relação entre a sua posse e a ascensão profissional da filha.

    Ecoando Bolsonaro e Mourão, alega que Marina conquistou dois novos clientes na área da saúde exclusivamente pela competência dela.

    Não restam dúvidas. Neste governo, a família vem em primeiro lugar.

    Colaborou Nonato Viegas

    Publicado em VEJA de 2 de outubro de 2019, edição nº 2654

    https://veja.abril.com.br/politica/luiz-henrique-mandetta-a-familia-em-primeiro-lugar/

    *** Parte II

    MANDETTA QUEM É

    – MANDETTA foi eleito Deputado Federal (DEM do MS) em 2010, foi reeleito em 2015.

    – Não se candidatou nas eleições de 2018, talvez para não ser barrado pela Justiça Eleitoral

    – Ele é médico e sua famíla é de políticos no Mato Grosso do Sul

    – Seu pai foi vice-prefeito de Campo Grande.

    – Seus primos um é Nelsinho Trad, ex-Prefeito de Campo Grande e agora Senador [*]; outro é Fábio Trad hoje Deputado Federal; outros ainda Marquinhos Trad atual prefeito de Campo Grande; e por último Paulo Siufi Neto o ex-presidente da Câmara Municipal de Campo Grande.

    [*] Em13 de março de 2020, seu primo Senador Nelsinho Tradf foi diagnosticado com Covid-19 após viagem para aos EUA integrando a comitiva de Bolsonaro

    – Mandetta Secretário da Saúde quando seu primo Nelsinho Trad foi Prefeito de Campo Grande

    – Durante seu mandato como Secretário, ele, junto com o prefeito (seu primo Nelsinho Trad) e outros membros do governo municipal, sofreram acusações de fraude em licitação, tráfico de influência e caixa dois na implementação de um sistema de prontuário eletrônico na Secretaria da Saúde

    – Como Deputado Federal, Mandetta:

    -> Votou a favor do impeachment de Dilma

    -> Votou a favor da PEC do TETO dos GASTOS (a que travou, por 20 anos, todos os investimentos futuros, inclusive da saúde, educação, cultura e ciências…

    -> Votou a favor da REFORMA TRABALHISTA (que flexibiliza, retira direitos dos trabalhadores, fragiliza economicamente os sindicatos e a Previdência Social

    *
    >>>ACUSAÇÕES:

    -> 1 MPF DENUNCIA EX-PREFEITO E OUTROS 25 POR FRAUDE NO GISA EM MS

    http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/noticia/2015/02/mpf-denuncia-ex-prefeito-e-outros-25-por-fraude-no-gisa-em-ms.html

    O Ministério Público Federal (MPF em Mato Grosso do Sul) ajuizou duas (2) ações de improbidade administrativa na Justiça Federal de Campo Grande por fraudes na implantação do sistema Gisa (Gestão de Informações em Saúde) pela prefeitura da capital sul-mato-grossense.

    De acordo com o MPF, foram denunciados o ex-prefeito Nelson Trad Filho (PMDB), o ex-secretário de Saúde Pública, Luiz Henrique Mandetta (DEM) e outras 24 pessoas.

    -> 2 INVESTIGADO SOB SUSTEITA DE FRAUDE MANDETTA SERÁ MINISTRO DA SAÚDE

    https://veja.abril.com.br/politica/investigado-sob-suspeita-de-fraude-mandetta-sera-ministro-da-saude/amp/

    -> 3 NOTAS MOSTRAM VOOS DE MINISTRO DA SAÚDE DE BOLSONARO PAGOS POR EMPRESA INVESTIGADA (Telemídia)

    Futuro ministro da Saúde de Bolsonaro reconhece ter feito viagens sem pagar, mas que pedido foi para o dono de táxi-aéreo ( e cf se apurou, os vôos foram pagos pela Telemídia empresa favorecida por Mandetta)

    A empresa de informática Telemídia é suspeita de favorecimento durante a gestão de Mandetta na Secretaria de Saúde de Campo Grande (MS).

    De acordo com a publicação, segundo as investigações, que correm na Justiça Federal de Mato Grosso do Sul, já no final de sua gestão na secretaria, em 2009, Mandetta fez uma licitação de R$ 9,9 milhões para implementar um sistema de informática.

    O então secretário teria atuado, de acordo com investigadores, para garantir que a empresa Telemídia ganhasse o contrato, mesmo não tendo sido a primeira colocada na concorrência.

    Os documentos obtidos pelo GLOBO mostram que, meses depois de ter sido supostamente beneficiada por Mandetta no contrato milionário, a Telemídia pagou R$ 21 mil por uma série de voos da Amapil Táxi Aéreo realizados entre junho e julho de 2010 pelo já ex-secretário e então pré-candidato a deputado federal.

    Os recibos emitidos pela Amapil citam o empresário Rui Aquino, um dos sócios da Telemídia na ocasião, como contratante do fretamento.

    Para os investigadores, as viagens seriam uma espécie de contrapartida pela atuação de Mandetta na Secretaria de Saúde, completa o Jornal O Globo

    -> 4 Em 2020, o MINISTÉRIO DA SAÚDE comprou, em Regime Emergencial, aventais hospitalares para o Sistema Único de Saúde (SUS) da empresa Prosanis Indústria e Comércio por R$ 700 mil.

    A empresa é de Aurélio Nogueira Costa, dono da Cirumed Comércio Ltda.

    A Cirumed foi uma as maiores doadoras de campanha de Mandetta para deputado estadual pelo Mato Grosso do Sul.

    Em 2010, a empresa doou R$ 50 mil para a campanha de Mandetta, através de dois cheques.

    Em 2014, a empresa foi a segunda maior doadora da campanha de Mandetta, com um repasse de cerca de R$ 94 mil, por depósito em espécie.

    (…)

    https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/ministerio-da-saude-contrata-empresa-ligada-ao-financiamento-da-campanha-de-mandetta/

    >>>> NA CRISE DO COVID-19:

    Como Ministro da Saúde, Mandetta critica a quarentena:

    http://cbn.globoradio.globo.com/media/audio/294351/por-enquanto-nao-existem-mudancas-em-relacao-ao-pr.htm

    https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,mandetta-muda-discurso-diz-que-fica-no-cargo-e-critica-quarentena,70003247923

    https://www.agazeta.com.br/brasil/mandetta-muda-discurso-diz-que-fica-no-cargo-e-critica-quarentena-0320

    – O Ministério da Saúde tem em sua estrutura funcional permanente, médicos sanitaristas, infectolgistas, técnicos especializados e um corpo de funcionários altamente qualificado

    – Mesmo com essa estrutura técnica Mandetta – raposa política – tergiversa

    *** Parte III
    MANDETTA e seu ASSESSOR ESPECIAL

    JOSÉ CARLOS ELELUIA -Eng. Eletrônico – Assessor Especial do Ministro da Saúde

    1)
    https://www.metro1.com.br/noticias/politica/74228,ex-deputado-aleluia-e-nomeado-assessor-especial-do-ministro-da-saude
    – Ele já havia sido nomeado conselheiro da Itaipu Binacional, com mandato até 16 de maio de 2020

    2)
    https://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/04/1874729-aleluia-do-dem-recebeu-caixa-2-e-propina-da-odebrecht-dizem-delatores.shtml

    – O ministro Edson Fachin autorizou a abertura de uma investigação sobre o deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), com base nas delações de ex-executivos da Odebrecht.
    – Segundo o despacho do relator da Lava Jato, dois colaboradores da empreiteira relevaram pagamentos a duas campanhas do político.
    – Eles citam que em 2010 foram R$ 300 mil em caixa 2, enquanto em 2014 foram R$ 280 mil em doação oficial, mas com contrapartida.
    – Para a PGR (Procuradoria-Geral da República), há indícios de propina no repasse.
    -“O parlamentar teria recebido doação oficial tendo, como contrapartida, assumido posições favoráveis aos interesses do Grupo Odebrecht”, diz trecho da decisão.

    3) https://www.viomundo.com.br/voce-escreve/charles-carmo-aleluia-e-os-escandalos-de-corrupcao.html

    – Envolvidos com o escândalo dos Anões do Orçamento, Aleluia jurou inocência. Acabou inocentado.

    – Mas o fato de o relator da CPI, deputado Roberto Magalhães (PFL-PE), tê-los inocentado gerou suspeitas na época.

    – Falava-se em uma troca. Magalhães teria aceitado livrar o correligionário Aleluia se em troca seu partido aceitasse liberar o conterrâneo Sérgio Guerra, que à época era filiado ao PSB.”

    *** Parte IV

    https://www.cartacapital.com.br/saude/ex-ministros-da-saude-se-unem-contra-bolsonaro-e-recorrem-a-oms/

    26/03/2020

    Sete ex-integrantes da pasta assinam o manifesto que repudia as ações do presidente no combate ao coronavírus

    Em resposta à fala de Bolsonaro, que minimizou os efeitos do coronavírus e se posicionou contra a quarentena, sete ex-ministros da Saúde divulgaram um manifesto contra a atitude do presidente, classificada como “irresponsável” e “desrespeitosa”.

    “Preocupado em atender interesses estritamente econômicos, [Bolsonaro] propõe uma dicotomia entre o enfrentamento da crise na saúde e na economia. Os países que têm conseguido os melhores resultados são aqueles que fizeram o isolamento social, garantiram o atendimento à saúde da população e tomaram medidas para manter a renda e ativar a economia. Não há, portanto, dicotomia entre manter a atividade econômica e salvar vidas”, diz a carta, divulgada nesta quinta-feira 26.

    Os ex-chefes da pasta também criticaram o isolamento vertical, que foi proposto por Bolsonaro e é restrito apenas à população idosa e com comorbidades. “Tal postura, além de desmobilizar a população que vem fazendo sua parte, seguindo as orientações da OMS, do próprio Ministério da Saúde, dos governadores, prefeitos, imprensa e líderes do parlamento, fere também, de maneira irreconciliável, ao pacto federativo e a autonomia de seus entes”, argumentam.

    Na carta, o grupo afirma que vai recorrer à Organização Mundial da Saúde (OMS) e à Organização das Nações Unidas (ONU) para tentar barrar as atitudes do presidente. “Temos compromisso de nos engajarmos no esforço da sociedade brasileira na proteção de nossa população, independentemente de sua condição econômica e social e de sua faixa etária. Nosso dever é preservar a vida de nossos cidadãos”, concluem.

    O manifesto foi assinado por Marcelo Castro, Arthur Chioro, Alexandre Padilha (ministros do governo Dilma), José Gomes Temporão, José Agnor da Silva, José Saraiva Felipe e Humberto Costa (ministros do governo Lula). Leia a NOTA integral na matéria

    *** Parte V
    MANDETTA – ATUALIZAÇÃO (l)

    – Todos os países do mundo proibiram exportações de produtos de saúde, por se tratar de material estratégico para a segurança dos seus cidadãos
    – A Itália adquiriu máscaras e ventiladores operacionais no Brasil
    – Esses produtos foram retidos e impedidos de serem embracados, devido a medida provisória nesse sentido – solicitada pela própria indústria brasileira
    – Aí, o Deputado Brasileiro no Parlamento Italiano, Luiz Roberto Lorenzatto, entrou em contato com o Deputado Eduardo Bolsonaro, com o Chanceler Ernesto Araujo, com Onyx Lorenzoni e com o próprio Mandetta (citados nominalmente no vídeo do Dep. Lorenzato), e a partida foi liberada em um momento que se sabe haver ampla falta de produtos para a defesa da saúde dos brasileiros

    ASSISTA o VÍDEO datado de 21/03/2020

    https://www.youtube.com/watch?v=gtqzqjaoIyI

    *** Parte VI
    ATUALIZAÇÃO (II)

    Países disputam a obtenção de material estratégico para o combate ao Coronavírus, assim, p.ex, temos

    da RFI – Rádio França Internacional

    1) – Oferta de pagamento em dinheiro vivo e de três a quatro vezes mais caro que o preço original. É desta forma que máscaras encomendadas pela França são adquiridas por americanos na pista de aeroportos chineses, momentos antes de embarcar a seu destino.
    http://www.rfi.fr/br/américas/20200402-covid-19-eua-pagam-mais-caro-e-ficam-com-remessa-de-máscaras-chinesas-destinadas-à-frança

    2) – Autoridades francesas afirmaram nesta semana que os Estados Unidos estão comprando carregamentos de máscaras já vendidos à Europa nos aeroportos chineses por um valor de três a quatro vezes superior ao negociado.
    – No entanto, dentro da própria União Europeia, países estão confiscando entre si o material médico que, em tempos de coronavírus, está valendo mais que ouro.
    http://www.rfi.fr/br/europa/20200403-covid-19-após-denúncia-da-frança-contra-eua-surgem-revelações-sobre-confiscos-de-máscaras-entre-pa%C3%ADses-europeus
    *
    da BBC
    3) – Os EUA foram acusados de redirecionar para si mesmos um conjunto de 200 mil máscaras que tinha como destino original a Alemanha, em um ato descrito como “pirataria moderna”
    https://www.bbc.com/portuguese/internacional-52166245
    *
    4) – Mônica Bergano – Folha de São Paulo
    https://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/2020/04/sao-paulo-tem-so-a-metade-de-ventiladores-que-precisa-para-crise-do-coronavirus.shtml

    5) – Sem ventiladores mecânicos, pacientes podem ter falência de órgãos.
    https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2020/04/02/33percent-das-cidades-brasileiras-tem-no-maximo-10-respiradores-mecanicos-entenda-por-que-aparelho-e-essencial-no-combate-ao-coronavirus.ghtml

    *** Parte VII

    https://theintercept.com/2020/04/02/coronavirus-mandetta-testes/

    CORONAVÍRUS: MANDETTA PROMETEU 15 MILHÕES DE TESTES, MAS SÓ ENTREGOU 0,5% ATÉ AGORA
    (…)
    Testes rápidos para tapar buraco
    Enquanto isso, o governo tenta mostrar que não está parado anunciando a distribuição de 500 mil testes rápidos, que produzem resultados em 15 minutos, mas são muito menos confiáveis. Eles foram doados ao governo federal pela mineradora Vale, que vê na crise do coronavírus uma oportunidade de se recuperar do desgaste de imagem sofrido após os crimes ambientais que mataram quase 300 pessoas em Mariana e Brumadinho, em Minas Gerais. É o primeiro lote de um total de 5 milhões de testes rápidos que a empresa prometeu doar. Além deles, a Fiocruz deverá fornecer mais 3 milhões.
    Mas os testes rápidos não resolvem o problema. Como já dissemos, a confiabilidade deles é baixa – eles detectam uma proteína produzida pelo organismo para reagir ao coronavírus, que só aparece sete dias após a infecção. Estima-se que resultados negativos para coronavírus podem ser falsos em três de cada quatro testes. Por isso, não se prestam a um diagnóstico preciso, e a orientação do governo é usá-los apenas para monitorar agentes de saúde e de segurança.
    Mandetta repete, em entrevistas diárias, que a principal estratégia do governo contra a covid-19 será fazer testes em massa nas 48 cidades com mais de 500 mil habitantes – usando os testes PCR. Se de fato for colocado em prática, irá funcionar no sistema drive thru: as pessoas irão de carro aos postos de coleta. Dali, o material extraído da mucosa do nariz será levado ao laboratório. O paciente receberá o resultado, em 24 horas, por meio de um aplicativo, que ainda está sendo “cristalizado”, segundo o ministro.
    Mas, para isso, faltam os testes. O Intercept perguntou ao ministério, desde o dia 31, quantos já foram comprados – ou, caso as compras não tenham ocorrido, qual a data prevista para elas. O órgão limitou-se a dizer que “as aquisições não foram finalizadas”, sem esclarecer a data de conclusão e os fornecedores dos testes.
    O maior contrato para compra de insumos para testes foi feito com a empresa investigada pela Polícia Federal.

    Já houve atraso no cronograma anunciado no dia 24: o governo esperava que a Fiocruz entregasse 2 milhões de testes PCR e 3 milhões de testes rápidos até 30 de março. O calendário, porém, foi revisto “devido à escassez mundial de insumos” para a fabricação dos exames. Agora, a previsão é de que a Fiocruz entregue 1,5 milhão de testes por mês a partir de abril, sem especificar uma data. Até lá, o sistema de saúde brasileiro pode já ter entrado em colapso.
    O Ministério da Saúde também fez compras emergenciais de insumos no Brasil – como reagentes químicos, instrumentos para cultura viral e equipamentos de laboratório – para que instituições como a Fiocruz montem os kits para realização dos testes. Essas compras somam R$ 4,8 milhões e estão listadas no site do ministério.
    É provável que esses insumos venham a ser usados para a montagem de parte dos 3 milhões de testes que a Fiocruz irá entregar. Mas, como os contratos não permitem estimar quantos testes serão produzidos com o material comprado e o Ministério da Saúde se recusa a informar, isso é incerto.
    Como se a situação não pudesse ser pior, o maior desses contratos – no valor de R$ 3,2 milhões e destinado à compra de materiais para detectar o vírus em laboratório – foi firmado com -> uma empresa chamada Reagen, investigada em uma operação da Polícia Federal no Paraná. [1] Ela responde a uma acusação de improbidade administrativa por um esquema de desvio de bolsas de pesquisa na UFPR, a Universidade Federal do Paraná.
    O dono da empresa, Jorge Luiz Bina, foi condenado em primeira -> a quatro anos e seis meses de prisão. O empresário defendeu-se afirmando que a esposa, também incriminada, disse à justiça que ele “não possuía envolvimento no esquema”. [2]
    -> O Intercept já mostrou também que Mandetta pagou 67% a mais por máscaras de um empresário bolsonarista. [3]
    O teste molecular, ou PCR, é o padrão ouro – ou seja, o mais confiável conhecido – para detectar o coronavírus. Associado a um bom diagnóstico clínico, ele tem alta confiabilidade

    NOTAS:
    [1] UFPR- APURAÇÃO LIGA SERVIDORA QUE FRAUDOU BOLSAS DE ESTUDOS E ANOVO DESVIO
    https://educacao.uol.com.br/noticias/2018/03/20/apuracao-liga-servidora-que-fraudou-bolsas-de-estudo-a-novo-desvio-na-ufpr.htm

    [2] MINISTÉRIO DA SAÚDE CONTRATA EMPRESA DE CONDENADO POR LAVAGEM DE DINHEIRO
    – Dono da empresa foi condenado por caso que envolveu desvio de R$ 7 milhões, e a companhia é envolvida em investigação de 2009 relativa a um processo licitatório no Paraná
    https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2020/03/19/interna_politica,835186/ministerio-da-saude-contrata-empresa-condenado-por-lavagem-de-dinheiro.shtml
    19/03/2020

    [3] CORONAVÍRUS: SEM LICITAÇÃO, MANDETTA PAGA 67% MAIS CARO PARA COMPRAR MÁSCARAS DE EMPRESA DE BOLSONARISTA
    https://theintercept.com/2020/03/22/mandetta-mascaras-bolsonarista-coronavirus/

    ***
    Mandetta, raposa política, agora surfa na onda do coronavírus e de ataques ao Bolsonaro…

    18
  7. MAS QUALQUER QUE SEJA O BANDIDO MOSTRADO, “””NUNCA CHEGARA PRÓXIMO DO QUE É O SERGIO MORO”””, que “””USOU O SEU CARGO JUIZ,AUTORIDADE CONFIADA PELO BRASIL, PRA COMETER CRIMES E DECIDIR QUEM IRIA SE PUNIDO OU NÃO INDEPENDENTE DE PROVAS””. E o Sérgio Moro se SENTIU TÃO CONFORTÁVEL, TÃO CONFIANTE NESSA SUA POSIÇÃO DE HEROI CRIADO PELA GLOBO E SOBERANO DO PODER JUDICIÁRIO, que “”ACHOU QUE PODERIA ROUBAR 2 BILHÕES DA PETROBRÁS, CRIANDO UMA EMPRESA PARTICULAR CHAMADA FUNDAÇÃO LAVA-JATO””; e ainda “””SER APLAUDIDO PELOS BRASILEIROS MAIS IGNORANTES”””; confiando NA IMPUNIDADE QUE ELE DIZ COMBATER. Por isso é que esse assunto “”””FUNDAÇÃO LAVA-JATO, QUE TANTO ATORMENTA O MORO, NUNCA DEVE DEIXAR DE SER TOCADO PELA MIDIA””””.

  8. – O Auxílio Emergencial de R$ 600 está sendo boicotado por Bolsonaro e Paulo Guedes e não foi liberado até agora

    – E o Ministério da Saúde prepara-se para ABRANDAR o Isolamento social logo depois da Páscoa

    – Enquanto os governadores (João Dória e outros) estendem o prazo do mesmo isolamento por mais duas semanas

    – A confusão acontece no exato momento em que o próprio Ministério da Saúde anunciou que marca ingresso do Brasil no período mais agudo da pandemia

    https://www.brasil247.com/coronavirus/pais-fica-perplexo-com-boicote-do-governo-federal-ao-isolamento

  9. Para refletir sobre a atuação do mais novo “herói”….

    Mandetta critica orientação da OMS e diz que Brasil testará apenas pacientes com sintomas
    https://www.terra.com.br/noticias/brasil/mandetta-critica-orientacao-da-oms-e-diz-que-brasil-testara-apenas-pacientes-com-sintomas,f7ad421308c557bb5f0bc75bb96e65a1ce3zzexs.html

    CORONAVÍRUS: MANDETTA PROMETEU 15 MILHÕES DE TESTES, MAS SÓ ENTREGOU 0,5% ATÉ AGORA
    https://theintercept.com/2020/04/02/coronavirus-mandetta-testes/

    Covid-19: Ministério da Saúde não sabe quantos testes foram feitos no país
    https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2020/04/03/covid-19-ministerio-da-saude-nao-sabe-quantos-testes-foram-feitos-no-pais.htm

    Subnotificação dificulta combate à covid-19 no Brasil
    https://www.dw.com/pt-br/subnotifica%C3%A7%C3%A3o-dificulta-combate-%C3%A0-covid-19-no-brasil/a-52919120

    RESULTADO DE TESTE DE COVID-19, SÓ UM MÊS DEPOIS DO ENTERRO
    https://piaui.folha.uol.com.br/resultado-de-teste-de-covid-19-so-um-mes-depois-do-enterro/

  10. Vejo mais como um cidadão inteligente aproveitando a ocasião. Enquanto ele continuar no DEM, nada indica uma mudança de postura, por menor que seja. Afinal, no governo Bolsonaro, que tem um quarte de olho é rei.

  11. Não sei se seria o momento, até mesmo pq não haverá repórter a questionar, mas uma pergunta, fora do script sobre sua posição no impeachment da Dilma, seria bem vinda.

  12. Responde por irregularidades, quando secretário de saúde de Campo Grande.
    Parlamentar medíocre do baixo clero.
    Golpista, votou pelo Golpe -16.
    Pau mandado dos planos de saúde.
    Coveiro do SUS.
    Expulsou os médicos cubanos.
    Destruiu o programa Mais Médicos.
    Capitaniou a redução de verbas públicas para a saúde, justamente para beneficiar a saúde privada.
    Candidato a Salvador da Nação. E muitos embarcam nesta onda. Podem acreditar. Já existem os defensores do Mandetta – 2022. E não são poucos.

  13. É passar pano essa de “homem + circunstância”, pode até ser aplicável em alguma situação leve, mas absurda conforme as consequências.
    Um exemplo bem parecido que tivemos foi aquele Brito, repórter da Globo no início dos anos 80:
    – A Globo ligou a mangueira lacrimogênea com o Tancredo no hospital, e designou o repórter para cobrir.
    – Logo, foi chamado pelos próximos ao Tancredo moribundo para ser seu “porta-voz” – um talento incrível para ficar falando que “o Doutor Tancredo hoje fez xixi” de mentirinha diversas vezes ao dia, para êxtase dos brazuquinhas emotivo-lacrimogêneos amantes da Globo.
    – A partir de tal mediocridade, foi deputado-RS de grande votação, e depois chamado por Itamar para ministro da Previdência Social.
    – Continuando a marcha da mediocridade, foi eleito pela camada idiota dos gaúchos governador.
    – Governador, foi um entreguista de olho em privatizar as estatizações do grande Leonel Brizola.
    = Pois,
    O tal Mandetta será o próximo governador de algum mato grosso aí.

  14. Fiquei rindo muito esperando a justificativa do Nassif sobre os elogios ao mandeta.
    Mas essa hermenêutica das “circunstâncias” é pra lá de relativismo.
    Dessa forma se pode, diga-se a exemplo dos pós-modernos, relativizar tudo, tudinho, inclusive a própria morte!!!
    Melhor seria justificar por uma “equação política” e, avisando antes que seja tarde, daqui a pouco terás que justificar a reabilitação do moroso ou o corvo de maringá.
    Olha, olha.

  15. A resiliência, a paciência e a capacidade do Mandetta de ignorar os coices do Bolsonaro são diretamente proporcionais ao tamanho do orçamento do Ministério da Saúde, com a possibilidade de fazer compras emergenciais, vultosas e sem licitação.

  16. É passar pano essa de “homem + circunstância”, pode até ser aplicável em alguma situação leve, mas absurda conforme as consequências.
    Um exemplo bem parecido que tivemos foi aquele Brito, repórter da Globo no início dos anos 80:
    – A Globo ligou a mangueira lacrimogênea com o Tancredo no hospital, e designou o repór
    ter para cobrir.
    – Logo, foi chamado pelos próximos ao Tancredo moribundo para ser seu “porta-voz” – um talento incrível para ficar falando que “o Doutor Tancredo hoje fez xixi” de mentirinha diversas vezes ao dia, para êxtase dos brazuquinhas emotivo-lacrimogêneos amantes da Globo.
    – A partir de tal mediocridade, foi deputado-RS de grande votação, e depois chamado por Itamar para ministro da Previdência Social.
    – Continuando a marcha da mediocridade, foi eleito pela camada idiota dos gaúchos governador.
    – Governador, foi um entreguista de olho em privatizar as estatizações do grande Leonel Brizola.
    = Pois,
    O tal Mandetta será o próximo governador de algum mato grosso aí.

  17. Só está se sobressaindo porque realmente o seu chefe além de genocida é um estúpido e ignorante. Não tem capacidade. Este é um INEPTO e INAPTO. Se sobressair a ele não é nenhuma atividade sobrenatural. Mas não dá para esquecer seu passado de golpista e bolsominion. Se mudou é louvável, mas sempre vai ter aquela mancha que nos faz duvidar.

  18. https://veja.abril.com.br/blog/marcos-emilio-gomes/mandetta-x-prevent-senior-o-que-ha-por-tras-dessa-historia/

    MANDETTA x PREVENT SENIOR – o que há por trás dessa história? | VEJA

    O ministro Luiz Henrique Mandetta, candidato a herói da guerra contra o Covid-19 e da resistência à insanidade presidencial, faz bobagem sem tamanho quando leva argumentos do lobby das operadoras de saúde para o coração da emergência sanitária.
    O ministro gastou bom tempo de sua coletiva no dia 31 de março para discursar contra a operadora de saúde Prevent Senior, que tem um hospital no qual morreu a maioria das vítimas do coronavírus na cidade de São Paulo.
    Num momento em que questões de desigualdade estão mobilizando até os mais iguais, a atitude equivale a tomar partido, sem informações concretas, dos que mais lucram e menos dão retorno ou satisfações na área da saúde.
    Com seu histórico de ex-conselheiro e ex-presidente de outra empresa do mesmo ramo que a Prevent Senior e de ex-deputado em cuja campanha foi noticiado aporte financeiro de operadora de planos de saúde, Mandetta deixou no ar a suspeita de que atende a interesses que não vêm ao caso no grave momento de crise vivido pelo país. Seria muito positivo se esclarecesse seu discurso….

    (Para não ser extensa a postagem segue a matéria no site)

  19. Queres conhecer bem as pessoas, então dá-lhe um pouco de poder ou investigue o seu passado. Quando comecei a criticar o comportamento desinteressado de Mandetta em cuidar mais da proteção dos idosos, que estão comendo o pão que o diabo amassou na procura aos postos de vacinação, não imaginava que era portador de uma ficha suja tão medonha e tão manchada, quanto mostra alguns comentários apontados nesta matéria. Imagino que a grande mídia infla o seu ego, alimenta as suas ambições e turbina a sua resistência contra a demissão, apenas até o limite da queda de Bolsonaro, e depois dos generais. Fatalmente ele se tornará mais um Temer e mais um Bolsonaro, ou seja, uma peça descartada da máquina de favores imediatista que tem como condutor a elite golpista. Afinal, eu imagino que para justificar sua mega vaidade e a tradicional super ganância, a elite golpista faz questão de escolher os seus próprios eleitos e Mandetta, com certeza, jamais ganhará tal confiança.

  20. QUANDO foi que José Serra fez algo de bom? Acompanho politica faz muito tempo e não me lembro de nada…

    PHA dizia que ele era economista “sem nunca ter sido” (diplomado)
    Quando prefeito, assinou papel em cartório dizendo que nao ia sair para ser candidato a governador, e saiu. Palavra escrita nao vale nada entao.
    Quando governador, deixou para ser candidato a presidente
    Candidato a Presidente, gravou video com favela cenografica para nao apertar mao de pobre
    Nas crises do governo dele, se escondia
    Como Ministro de Temer e no congresso, atuou em favor do desmonte da Petrobras e entrega do pré-sal as petroleiras estrangeiras
    Pai feirante, Serra sempre foi político. COMO sua filha, Veronica Serra, se tornou acionista controladora do site Mercado Livre e parceira de negocios de outra Veronica, a Dantas, filha do “economista brilhante” (segundo FHC) Daniel Valente Dantas, o intocável da Satiagraha?
    Seu relacionamento com Paulo Preto continua na gaveta do MP e/ou prescrevendo no judiciário…

    Esqueci algum?

  21. POR MUITO MENOS Adib Jatene pegou o chapéu e foi para casa
    A diferença entre ele e Mandettta – em duas palavras: princípios e convicção !!!

    – “Teve relação direta. Eu disse ao presidente Fernando Henrique que precisava de recursos. Ele pediu para falar com o Pedro Malan [ministro da Fazenda]. O Malan me disse que, em dois ou três anos, daria o dinheiro que eu precisava. Não podia esperar tanto tempo. Propus a volta do imposto sobre o cheque, que se chamava IPMF e havia sido extinto em 94. O presidente disse: ‘Você não vai conseguir aprovar isso.’ Respondi: Posso tentar? Ele autorizou. Pedi o compromisso dele de que o orçamento da Saúde não seria reduzido. A CPMF entraria como o adicional. E ele: ‘Isso eu posso te garantir’. Depois da aprovação, a Fazenda reduziu o meu orçamento. Voltei ao presidente. Disse: no Congresso, me diziam que isso ia acontecer. Eu respondia que não, porque tinha a sua palavra. Se o senhor não consegue manter a sua palavra, entendo a sua dificuldade. Mas me faça um favor. Ponha outro no meu lugar. Foi assim que eu saí, em novembro de 1996.”[

    Wikipédia

  22. https://www.brasil247.com/blog/mandetta-pilota-a-maquina-do-sus-montada-pelo-pt-e-quer-sair-como-heroi

    MANDETTA PILOTA A MÁQUINA DO SUS, MONTADA PELO PT, E QUER SAIR COMO HERÓI

    A jornalista Denise Assis pontua: Luiz Henrique Mandetta passou boa parte de sua carreira política tentando destruir o SUS; agora, “está tocando a bola direitinho, auxiliado por um sistema que encontrou pronto, mas longe de ser o super-herói que a mídia quer fazer crer”

    Por Denise Assis *, para o Jornalistas pela Democracia –
    05/04/2020

    Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. A saber.

    No sábado, dia seguinte à publicação da pesquisa que colocava Jair com 33% de aprovação, distante dos 76% do seu ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o ministro sumiu da bancada da coletiva diária que tem concedido à imprensa para divulgar números e resoluções sobre a pandemia de Covid-19, que jogou o planeta em desassossego.

    A explicação dada pelo secretário-executivo João Gabbardo dos Reis, indicado pelo ministro para o cargo que hoje ocupa, foi a de que Mandetta estaria “cansado”. Normal, para quem tem estado na linha de frente do combate ao coronavírus. Estranho, para os que têm como função olhar a política sempre descerrando a cortina dos fatos, para ver além, o que acontece nos bastidores.

    Numa entrevista à rádio Jovem Pan, Bolsonaro não negou que tem considerado o comportamento do seu ministro “pouco humilde” e que andou se “bicando” com ele. O nome disto é inveja. Vamos combinar. Mas o que é preciso combinar também é que toda esta exposição diária na mídia a expor conhecimentos técnicos para a população, ajuda, e muito, a colocar o ministro numa condição confortável de “salvador da pátria”. Ressalte-se que causa surpresa o fato de Jair ainda ter 33% de apoio, mesmo depois de tentar um assassinato em massa da população, indo contra as orientações da OMS, para que todos permanecessem em suas casas. Mas Mandetta também não é os 76% de aprovação que detém nas pesquisas.

    A esta altura, precisamos esclarecer alguns pontos, sob pena do ministro da Saúde sair do outro lado desta crise – sabe-se lá, quando –, com um perfil de herói a custa de uma máquina que ele fez de tudo para desmontar. Ou melhor, convém vasculhar a sua vida antes dos holofotes do cargo.

    Luiz Henrique Mandetta nasceu em Campo Grande (MS), tem 54 anos e é médico ortopedista formado pela Universidade Gama Filho. (Aqui, vale lembrar que a universidade de onde saiu Mandetta, foi descredenciada pelo MEC em 13/01/2014, por motivos baixa qualidade acadêmica, grave comprometimento da situação econômico-financeira, além da crescente precarização da oferta da educação superior).

    A escolha profissional se deu por influência do pai, ex-secretário de Saúde de Campo Grande.

    O ministro tem especialização em Ortopedia pelo serviço de Ortopedia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), e subespecialização em Ortopedia Infantil pelo Scottish Rite Hospital for Children, em Atlanta (EUA). Atuou como médico militar tenente, no Hospital Geral do Exército e trabalhou ainda na Santa Casa de Campo Grande de 1993 a 1995.

    Ingressou na política em 2005, quando foi nomeado secretário de saúde de Campo Grande, secretaria que comandou de 2005 a 2010. Filiado ao MDB, ele migrou para o DEM para concorrer a deputado federal em 2010. Foi eleito com 78,7 mil votos e reeleito, quatro anos depois, com 57,3 mil votos.

    Foi investigado em 2015 por crimes relacionados à aquisição e instalação do Gerenciamento de Informações Integradas da Saúde (Gisa). O sistema de informática foi comprado quando o parlamentar era secretário municipal de Saúde em Campo Grande e aguarda decisão da Justiça Federal.

    Por matéria publicada no site G1 em 20/11/2018, fica-se sabendo que “a investigação foi proposta pela Procuradoria Geral da República, em Brasília, supervisionada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e realizada pela Polícia Federal (PF). O Gisa custou aos cofres públicos quase R$ 10 milhões entre recursos federais e municipais. Uma auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU) apontou um prejuízo de cerca de R$ 6 milhões em pagamentos indevidos por serviços não executados,” consta da reportagem.

    Depois de cumprir dois mandatos como deputado federal (DEM-MS), o atual ministro decidiu não concorrer de novo ao cargo.

    PARA QUÊ?

    Já havia feito “história, esticando um cartaz no dia da votação do impeachment da presidenta Dilma Rousseff, com os dizeres: “Tchau querida”.

    É BOM DESTACAR que foram os planos de saúde os financiadores de suas campanhas.

    Sem mandato, foi indicado por quadros próximos ao presidente, para o cargo de ministro da Saúde.

    E, como primeira providência, mandou de volta para Cuba 10 mil profissionais do vitorioso programa criado pelos governos petistas: o “Mais Médicos”. O mesmo que agora lamenta não estar operando.

    Outra de suas “medidas”, foi desinstalar de cargos vários médicos que articulavam a máquina do Sistema Único de Saúde (SUS), com competência, mas com data de entronização coincidente com as posses de Lula e Dilma.

    Ato contínuo, passou a prometer a privatização do sistema de Saúde, esta monumental rede que atende aos desassistidos do país inteiro. Seria o seu retorno aos patrocinadores?

    Hoje, só fala para a mídia a bordo de um colete do SUS e colhe sucesso no combate à pandemia, graças à eficiente máquina montada durante os governos petistas que ele tanto criticou.

    Luiz Henrique Mandetta está tocando a bola direitinho, auxiliado por um sistema que encontrou pronto, mas longe de ser o super-herói que a mídia quer fazer crer.

    * Denise Assis
    Jornalista há quatro décadas, passou pelos principais veículos, tais como: O Globo; Jornal do Brasil; Veja; Isto É e o Dia. Ex-assessora-pesquisadora da Comissão Nacional da Verdade e CEV-Rio, autora de “Propaganda e cinema a serviço do golpe – 1962/1964” e “Imaculada”, membro do Jornalistas pela Democracia

  23. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome