Médicos escolhidos por Barbosa dão diagnóstico dúbio sobre Genoíno

Segundo o laudo médico, encomendado por Joaquim Barbosa a professores da UNB (Universidade de Brasilia), o tratamento de José Genoíno demanda “medicação hipertensiva de forma regular, acompanhamento ambulatorial periódico, dieta, tratamento medicamentoso somado a dieta hipossódica, restrição de influência de fatores psicológicos estressantes”.

E termina com a extravagante conclusão de que tudo isso poderá ser fornecida em um presídio: “Não sendo imprescindível, para tanto, a permanência domiciliar fixa do paciente, salvaguardadas a oferta e administração de medicação”.

Tem mais, ignora o histórico do paciente, as crises pelas quais passou recentemente, os laudos do mais importante centro médico brasileiro, o Hospital Sírio Libanes, e toma a situação do momento como decisiva para a recomendação: “o conceito de doença cardiovascular grave não se aplica ao presente caso em seu contexto clínico-cirúrgico de momento atual, que se apresenta sob impressão de expectativa favorável”.

Ou seja, se ele está bem neste momento é sinal de que estará bem sempre. Para esses médicos, morar no Presídio da Papuda não tem nenhum componente estressante. É apenas imaginar estar em uma colônia de férias.

É impressionante a seleção de coadjuvantes convocada por Joaquim Barbosa.

Seria interessante os leitores trazerem os nomes desses beneméritos.

Coloquei outro post, do R7 entrevistando a médica que trabalha há mais de dez anos na Papuda. Ela classifica o estado de Genoíno como o “caso mais grave” que já passou por lá.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

93 comentários

  1. Os médicos do Barbosa.

    Luiz Fernando Junqueira Júnior, professor de cardiologia da Universidade de Brasília e presidente da junta; Cantídio Lima Vieira, cardiologista e especialista em perícia médica; Fernando Antibas Atik, especialista em cirurgia cardiovascular; Alexandre Visconti Brick, professor de cirurgia cardiovascular, e Hilda Maria Benevides da Silva de Arruda, médica cardiologista do hospital universitário.

  2. Médicos escolhidos por Barbosa…

    t

    Tenho a estranha sensação de que não haverá elogios ao “Mais Médicos” no facebook dessa junta médica. Mas, falando sério, daria para pedir uma junta psiquiátrica para o Joaquinzinho?

  3. Como sempre o jogo de

    Como sempre o jogo de “palavras”. Mas, do que nunca a manifestação do advogado do Genoíno é explicíto. Depois de 3 (três)  em tratamento adequado na unidade hospitalar determinada, é claro que suas condições seriam bem melhores do que as condições de entrada do atendimento. Nada indica que não poderá haver uma reversão nesse quadro de melhora progressiva. Então, é óbvio, que seu atendimento deverá ser o mais adequado possivel, para a sua sobrevivência. A junta médica simplesmente atestou o presente momento e não emitiu outros paraceres, como aqui diz “DÚBIO”, restando-nos apenas o entendimento do Ministro JB, que a essa altura deseja ardemente a morte do “sentenciado”…….ai as pressões aumentarão e ele com a cara mais “branca”  do mundo renuncia ao cargo.

     

  4. É a vingança dos Drs. CRM

    É a vingança dos Drs. CRM contra o Mais Médicos.

    Só faltavam colocar um PS: que a Papuda contrate um médico de Cuba para atender o paciente em questão.

  5. Depois de cinco laudos

    Depois de cinco laudos atestando a gravidade do paciente, é  este que vale para JB-onipotente (jurista meia boca e médico).

    O ódio é tamanho, que obcessão desmedida de matar Genoino já não é mais camuflada. 

  6. A Junta Médica

    A Junta Médica

    O laudo médico de José Genoino é assinado pelos componentes da seguinte junta médica: Luiz Fernando Junqueira (Professor doutor titular de Cardiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília), Alexandre Visconti Brick (Professor doutor assistente de Cirurgia Cardiovascular da mesma Faculdade), Cantídio Lima Vieira, médico cardiologista clínico e perito), Fernando Antibas Atik (médico doutor, supervisor de Cirurgia Cardiovascular do Instituto de Cardiologia do Distrito Federal da Fundação Universitária de Cardiologia) e Hilda Maria Benevides da Silva de Arruda, médica).

    http://www.jb.com.br/pais/noticias/2013/11/26/laudo-da-junta-medica-mostra-que-caso-de-genoino-nao-e-grave/

  7. Genoino morre. PT sai às

    Genoino morre. PT sai às ruas. Os anti-petistas também. A “grande” Imprensa incita a população. Baderna. Caos no país. Cenário perfeito para qualquer tipo de armação. Acho q essa é a idéia …

  8. Em primeiro lugar, como a

    Em primeiro lugar, como a imprensa teve acesso a este laudo antes do Barbosa ou foi ele que vasou? Em segundo: O laudo recomenda :”“medicação hipertensiva de forma regular, acompanhamento ambulatorial periódico, dieta, tratamento medicamentoso somado a dieta hipossódica, restrição de influência de fatores psicológicos estressantes”. Bem, medicação hipertensiva em qq. lugar se pode tomar; acompanhamento amburatorial periódico, desde que o presidio tenha um ambulatório capacitado para tal;  agora: dieta especial e restrição de fatores estressantes não sei como vão fazer isto. Estar preso, por si só, já é um fator extremamente estressante. QT. a dieta sem sal eu duvido que a prisão tenha como fazer uma comida especial para UM preso. Parece que a coisa vai pelo caminho de prenderem novamente e a saúde do Genoino vai piorar  de novo. 

  9. A classe médica brasileira,

    A classe médica brasileira, ou pelo menos a parte mais influente dela, já disse a que veio, haja visto as manifestações contra o Mais Médicos. Alguiém aqui acreditou mesmo que o laudo seria favorável ao verdadeiro estado do Genoíno? Esse laudo só seria favorável se feito pelos médicos cubanos! 

  10. Pois é Sr. Marco Santo , esta

    Pois é Sr. Marco Santo , esta ficando complicado pois certamente o PT não vai aceitar este laúdo médico ,   mesmo que o mesmo tenha sido feito por pessoas capacitadas e especialistas no assunto , mas como não agradou devera ser causa de mais polêmica .

    O negócio é partir para o segundo laúdo , porque não dos médicos dos Sirío e Libanes que a bem da verdade é um hospital padrão FIFA , ao qual o povão não tem acesso por motivos obvios , mas enfim ….

    • E pensar que o petistas são

      E pensar que o petistas são defensores do serviço público de saúde. Criticando uma instiuição pública em favor de um hospital de bacana.

      Que ele seja periciado então por um médico cubano.

      • Parece que vc não gosta de

        Parece que vc não gosta de médico cubano, certamente utiliza-se dos serviços 5 estrelas dos grandes hospitais particulares……..não é?

    • Caro Armando, vamos lá. Vc é

      Caro Armando, vamos lá. Vc é acometido de uma crise cardiaca, é atendido prontamente numa unidade de emergência, medicado por 3 dias. Surge uma “JUNTA” que promove a sua pericia, consta que seu estado clinico está presente (original do quadro clinico) e declara que está em condições e em franca recuperação. O que me diz?……Os médicos simplesmente atestaram que, depois de 3 dias e o paciente medicado respondeu aos medicamentos e evoluiu na sua recuperação. Me diz o que? Hoje o paciente se encontre bem, mas amanhã poderá não estar. Imaginemos que o paciente na sua cela, privado de atendimento imediato venha a ter um mau subito, um pico de hipertensão, pergunto-lhe quando ele será atendido?  na manhã seguinte? ou vier a falecer, de quem é a responsabilidade?  do Estado?  o do médico que não o atendeu a tempo. Então, meu caro Armando, não é fácil. Agora se quer matar o encancerado deixe  do jeito que está. 

      • Caro Marco Santo , desta

        Caro Marco Santo , desta matéria conheço um pouco , pois convivo com uma cardiopatia a exatamente 13 anos , segui o regime traçado pelo médico e tomando o remedinho na hora certa , aqui estou eu ja nos meus setenta com coprpino de 30 , antes na epóca da cervejinha e do terresminho , estava com uma bariga de fazer inveja a grávida de 9 mêses.

        Então meu prezado é so ele se cuidar e não ficar nesta de muita emoção , querendo ser o mártir do mensalão que ele vai longe nesta vida.

        Saudações do botelho.

         

      • Caro Atento , fique atento ai

        Caro Atento , fique atento ai rapáz , preste atenção no conteudo do comentário e não no portugues , seja menos elitista , nem todos aqui tem sua sabedoria , muitos como eu tem mal o fundamental o que não me proibe de participar .

        Senhor corretor ortográfico , talvez o Nassif lhe dê emprego de corretor de paúta  e não vá mais desqualificar os comentários por erro de português.

        Sem ódio nem rancor , saudações do Botelho

  11. Contraditório

    Realmente, o Laudo é deveras contraditório. Só espero que JB, antes de decidir, abra vista dos autos ao advogado de Genuíno para que este possa escancarar essa contradição e solicitar complementação ou maiores esclarecimentos. Para tanto, basta copiar as poucas, porém brilhantes observações escritas acima  pelo Nassif.  

  12. Um dos médicos tem seu nome envolvido em escândalo (Isto É)

    http://www.istoe.com.br/reportagens/256069_MARAJAS+DE+JALECO

    http://www.istoe.com.br/reportagens/256069_MARAJAS+DE+JALECO

    Marajás de jaleco
    Além dos vencimentos de até R$ 40 mil, médicos do Senado recebem verba do Congresso para atender servidores em suas clínicas particulares

     

    Marajás de jaleco
    Além dos vencimentos de até R$ 40 mil, médicos do Senado recebem verba do Congresso para atender servidores em suas clínicas particularesJosie Jeronimo

     

    CARO E POUCO EFICIENTE
    O hospital do Senado, que ocupa uma área de 2.500 metros quadrados, não
    atende nem 5 mil pessoas por mês e custa ao contribuinte R$ 5 milhões por ano

    Há três anos, em meio ao escândalo dos atos secretos, o presidente do Senado, José Sarney, contratou uma auditoria da Fundação Getulio Vargas (FGV) para melhorar a gestão. Em seu relatório, os auditores propuseram várias medidas saneadoras. Entre elas, a extinção do Departamento Médico do Senado, considerado pouco eficiente ante a estrutura semelhante à de um hospital de pequeno porte. O relatório da FGV foi para a gaveta e, em vez de ser extinto, o serviço cresceu. Este ano, mais dez médicos passaram a integrar o corpo de 103 funcionários concursados. Esses profissionais, que trabalham quatro horas por dia, em plantões montados de acordo com o tempo livre de cada um, embolsam mensalmente uma média de R$ 20,9 mil. Em alguns casos, o salário pode chegar a R$ 40 mil, somado a gratificações pouco justificáveis. Não bastasse toda a mordomia, ISTOÉ descobriu que vários desses médicos, além dos vencimentos oficiais, também recebem como terceirizados do próprio Senado.

    A terceirização funciona da seguinte maneira: uma insuspeita entidade de classe denominada Associação dos Médicos de Hospitais Privados do Distrito Federal recebe do Senado e repassa os valores para as clínicas onde trabalham os médicos do próprio Senado. Em 2011, a entidade fechou contrato com a Casa parlamentar no valor de R$ 55 milhões para “intermediação no pagamento dos honorários relativos à prestação de serviços complementares à saúde, aos beneficiários do plano de assistência do Senado”. O contrato foi feito sem licitação.

    A Associação funciona numa sala de um centro hospitalar próximo das clínicas onde os médicos trabalham após o expediente no Senado. Muitos de seus clientes na rede privada são servidores que eles atendem no Senado e encaminham para uma segunda consulta e determinado tratamento. ISTOÉ visitou as clínicas e acompanhou o entra e sai de pacientes. Ao menos dez dos 48 médicos em exercício no Senado têm centros de saúde registrados no próprio nome. Desses, seis estão na lista dos “conveniados” da Associação de Médicos Privados do Distrito Federal. Um deles é Átila Cesetti, servidor do Senado e dono da clínica ProCardíaco. O médico está na lista dos prestadores de serviço da Associação. Ele cumpre sua enxuta carga horária no hospital do Senado e atende em sua clínica da Asa Sul. Em outubro, além do salário de R$ 42 mil com gratificações, Cesetti também embolsou os lucros da clínica.

    LUCRO DOBRADO
    A clínica ProCardíaco, que recebe como conveniada do Senado, tem como dono o
    servidor Átila Cesetti. Médico do próprio Senado, Cesetti ganha salário de R$ 42 mil mensais

    Os valores que a Associação dos Médicos de Hospitais Privados paga a ele e a outros colegas não são públicos, embora o dinheiro que abasteça sua conta venha do Senado. Para receber os honorários, as clínicas encaminham à entidade “cheques-consulta” que descrevem a especialidade e o valor do atendimento, mas o Senado não tem acesso a esses valores e só presta conta dos recursos globais que repassa à associação. Os beneficiados na transação da subcontratação também permanecem ocultos. No mesmo centro clínico da Asa Sul também funciona a empresa médica do servidor César Luiz Gonzalez. Assim como Átila, Gonzalez recebeu R$ 42 mil em vencimentos do Senado, em outubro, e turbinou o salário com honorários recebidos por meio do convênio de sua clínica, a Cardiocare, com a Associação.

    Duas unidades médicas dos funcionários operam no Sudoeste, outro bairro nobre de Brasília. Uma delas pertence ao médico Cantídio Lima Vieira. Ele tem participação em mais quatro clínicas. Duas delas, a Policlínica Planalto e a Cordis são prestadoras de serviço da mesma associação de médicos contratada pelo Senado. Em outubro, o servidor-empresário recebeu R$ 20,9 mil de salário mais R$ 4,8 mil em gratificações, fora a remuneração das clínicas. Há ainda aqueles que mantêm contrato direto como prestadores de serviço da associação, sem vínculo com empresa, como o médico Paulo Nery Teixeira Rosa.

    Uma característica comum aos integrantes do serviço médico do Senado, chamados de “marajás” nos corredores da Casa, é a antiguidade no serviço público. A maioria tem mais 15 anos de Casa, com exceção de Gustavo Korst Fagundes, que entrou no concurso deste ano e engorda seu contra-cheque de R$ 16,7 mil com a atividade médica complementar da associação. ISTOÉ procurou o servidor no serviço de atendimento da Casa e foi informado pelas atendentes do hospital do Senado que o urologista dá consulta das 9h às 12h, diariamente. Fagundes é sócio da clínica Serviço Brasiliense de Urologia. Em março de 2011, a Casa assinou contrato no valor de R$ 80 mil com a clínica de Fagundes. O valor também é pago por meio dos chamados cheques-consulta, emitidos de acordo com a demanda de beneficiários do plano de saúde do Senado.

    O BENEFICIÁRIO
    O médico Cantídio Lima Vieira é sócio de
    duas clínicas que prestam serviço ao Senado

    Em nota, o Senado confirma que “possui alguns servidores, na área médica de especialização, que exercem atividade laboral em clínicas conveniadas com o SIS”, sem sobreposição da jornada de trabalho. Diz ainda a nota “que os profissionais de saúde do Serviço Médico do Senado estão impedidos de atender pacientes, pelo SIS, em clínicas particulares”.

    Quem visita o Departamento Médico do Senado encontra um local sem filas. Segundo a auditoria da FGV de 2009, a média de atendimentos não chega a cinco mil por mês. Uma UPA, que possui metade do corpo de funcionários, atende 25 mil pacientes no mesmo período. O hospital do Senado ocupa uma área de 2.500 metros quadrados e sua estrutura custa ao contribuinte R$ 5 milhões por ano. Pelo estudo, o grosso da demanda dos mais de 25 mil beneficiários do plano de saúde da Casa acaba sendo suprido pela rede hospitalar privada, paga com o fundo do Sistema Integrado de Saúde do órgão legislativo. O maior sintoma da ineficiência do serviço médico é o volume de gastos com reembolso de despesas dos parlamentares com hospitais particulares. Os senadores não utilizam os serviços do hospital da Casa e apresentam R$ 60 milhões em notas de ressarcimento por ano. O orçamento para despesas médicas dos parlamentares, servidores, aposentados e dependentes chega a R$ 105 milhões anuais.

     

     

    O BENEFICIÁRIO
    O médico Cantídio Lima Vieira é sócio de
    duas clínicas que prestam serviço ao Senado

     

     

      • Dossiê não, respondem ou

        Dossiê não, respondem ou esclarecem os fatos com provas e documentos. Então, se quizer, pode viajar na “maionesse”………..O “pessoal daqui”  tem capacidade mental para argumentar e debater e não são praticos em lançar “ouvi dizer”, “lorotas”  “bla…bla”….

      • ô da “Chetta” inchada!!

        Aqui não passa “bolinha de papel”  nem “dinheiro público da Visanet”  sem que alguém grite bem alto que: – O Rei está nú !!

  13. Esse laudo está atrasado

    Pelo  que se sabe ele já estava pronto desde domingo e saiu justamente hoje ? Hoje seria  a  deliberação da aposentadoria do Genuino na Camara dos Deputados

    Tem truta das grandes.

    Que se publique a integra desse laudo, eu ainda não estou acreditando nesse resultado tem mais recomendações não é só isso não minha gente.

    Se o laudo fosse desfavorável ao Genuino teria saido   no domingo mesmo. 

    O atraso é prova que tem mais coisa.

     

  14. Com o advento do programa

    Com o advento do programa Mais Médicos, o Brasil se surpreendeu ao descobrir o caráter de muito de seus médicos, mas enfim,  isso não é nenhuma novidade.

    Na ditadura médicos também atestavam a  “resistência” de torturados….

    Há médicos e médicos.

  15. Como medico tomo a liberdade

    Como medico tomo a liberdade de opinar sobre o laudo. Julgo que a opinião destes profissionais  pode sim ser correto

    Nassif, o grave é que não cabe ao medico opinar se este acompanhamento deva ser num presidio ou em seu domicilio, salvo se tivessem feito uma avaliação das condições do presidio, o que só cardiologistas não teriam habilitação. 

    Não estiveram lá no presidio, então se o paciente em questão piorar a culpa foi do stres.

    Estar num presidio é estressante ?????

     

    • Você está correto. Penso da

      Você está correto. Penso da mesma forma.

      O laudo médico foi confeccionado dentro do esperado, em termos de análise da situação clínica do preso.

      No entanto, creio que eles não responderam a questão crucial, que é a de saber se no presídio, as recomendações médicas serão atendidas de forma satisfatória, capaz de garantir a saúde do preso. A afirmação de que a prisão domiciliar não é imprescindível é absolutamente normal. Isso não quer dizer que o cumprimento da pena em regime semiaberto deva ser no presídio, claro. Somente será no presídio se o juízo da execução penal estiver convencido de que o presídio oferece as condições indicadas no laudo médico. Essa condição, implícita no laudo médico, é absolutamente normal, razoável, não há nada demais nisso.

      Neste ponto, penso que os médicos podem ou pderiam até opinar, desde que possuam ou possuíssem informações sobre as condições de cumprimento da pena, condições que devem ser conhecidas pelo juízo da execução penal.

      Portanto, mesmo que o laudo médico não tenha respondido diretamente a essa questão, qual seja, se o presídio oferece as condições prescritas pelos médicos, o juízo da execução penal, a partir das informações prestadas pelo sistema prisional, pode decidir pela prisão domiciliar se estiver convencido de que a prisão não oferece condições para que o preso tenha o atendimento médico prescrito.

      É uma questão racional, que tem que ser decidida dentro da lei.

      Não há motivos para histeria. É uma situação normal em termos processuais. Da decisão do juízo da execução penal que negue a prisão domiciliar cabe recurso, devidamente fundamentado por meio de provas juntadas aos autos que comprovem que o presídio não oferece as condições de atendimento prescritas pelo laudo médico.

      É assim que as coisas funcionam em direito. Gritaria, desejo e etc, nada disso funciona. Tem que argumentar, fundado em provas, e requerer o direito cabível.

      Existe um laudo médico, confeccionado por médicos peritos nomeados pela justiça. Cabe agora trabalhar em cima da situação dentro do devido processo legal.

       

      • Você é advogado bem informado

        Você é advogado bem informado que opina bem sobre Direito, mas, creio, é leigo em Medicina. E creio que também que, nesta condição de leigo, também estaria mais passional – e menos racional – se uma pessoa querida sua passasse por uma cirurgia de coração e depois passasse pelo que Genoíno está passando.

  16. Aonde vamos parar com este show de horror

    Este laudo foi feito assim: Barbosa formulou uns quesitos(esquistos com certeza) e a junta médica que, não se sabe ao certo até que ponto são imparciais, os respondeu. Pelas respostas, deduz-se que Barbosa fez, dentre outras, as seguintes perguntas aos médicos:

    1- Como o paciente deve ser medico? Resposta:

    “medicação hipertensiva de forma regular, acompanhamento ambulatorial periódico, dieta, tratamento medicamentoso somado a dieta hipossódica, restrição de influência de fatores psicológicos estressantes”.

    2- O paciente poderá ser medicado no presídio? 

    Resposta: Sim. O paciente poderá ser medicado no presídio.

    Meu comentário.

    A reposta é obvia e tem efeito de marketing e de humilhar Genoino. Dr. Barbosa, claro que vc pode ser medicado em qualquer lugar, inclusive no cemitério.

    3- A permanência em casa é imprescindível para que o paciente seja medicado?

    Resposta da Junta Médica dr. Henry Shibata: Não. Não é imprescindível. “Não sendo imprescindível, para tanto, a permanência domiciliar fixa do paciente, salvaguardadas a oferta e administração de medicação”.

    Como aponta Nassif,  Barbosa não fez qualquer pergunta a recente cirurgia pela qual passou Genoino e suas outra crises. Nassif está certo ao dizer que (…) Tem mais, ignora o histórico do paciente, as crises pelas quais passou recentemente, os laudos do mais importante centro médico brasileiro, o Hospital Sírio Libanes, e toma a situação do momento como decisiva para a recomendação: “o conceito de doença cardiovascular grave não se aplica ao presente caso em seu contexto clínico-cirúrgico de momento atual, que se apresenta sob impressão de expectativa favorável”.

     

    E não atribuo essa palhaçada tão somente aos médicos que, é claro, não poderiam ter respondido feito robôs respondendo às perguntas de um louco ensandecido, por isso concordo com esta observação de Nassif:   Para esses médicos, morar no Presídio da Papuda não tem nenhum componente estressante. É apenas imaginar estar em uma colônia de férias.

    É impressionante a seleção de coadjuvantes convocada por Joaquim Barbosa.

    Seria interessante os leitores trazerem os nomes desses beneméritos.

    Coloquei outro post, do R7 entrevistando a médica que trabalha há mais de dez anos na Papuda. Ela classifica o estado de Genoíno como o “caso mais grave” que já passou por lá.

  17. finalmente uma parte da

    finalmente uma parte da população acordou para como é a vida nas cadeias brasileiras!

    Se Genoino e Dirceu estão mal na situação em que estão, imaginem os milhares e milhares de brasileiros que vivem em condições ainda piores, em celar super lotadas, mulheres que usam pão como absorvente por faltar o mais básico do básico de respeito aos direitos humanos.

    Quero ver essa força e esse empenho dos petistas com todos os colegas de sistema carcerário do Dirceu e do Genoino, todos os demais presos que foram injustiçados por um sistema racista, preconceituoso e que aplica mandos e desmandos jurídicos sem a devida atenção da população. Isso sem falar é claro, no enorme contingente de pessoas que se encontram presas antes mesmo de serem julgadas. Imaginem o Dirceu indo preso em 2005… pois é, esse tipo de coisa acontece com gente que não é petista, acreditem se quiser!

    • Sabemos que essas coisas
      Sabemos que essas coisas acontecem com quem não é petistas, os pobres são vítimas cotidianas do nosso apartheide.
      Agora temos certeza, que isso não acontece com tucanos, demos e outras aves inimputáveis da nossa elite.

    • Um médico cubano, nem precisaria periciar

      Sabe por que ? Porque são seres humanos. E a história clínica deste réu é conhecida por todos, é pública. Um médico autêntico se preocupa em primeiro lugar com a saúde do paciente, e sabe que a recuperação no pós-operatório é fundamental para os bons resultados da operação. Não recomendaria coisas como “evitar situações estressantes” a uma pessoa que está imersa num cotidiano mais estressante possível. Não precisa sequer ser médico para saber os danos que os sofrimentos ocasionam à saúde. Luís Gushiken, sem dúvida, teve seus dias abreviados pelo stress.  

  18.  
    O GRANDE INQUISIDOR. A

     

    O GRANDE INQUISIDOR. A IDADE MÉDIA EM REELEITURA DO STF 2013 modelo 2014

    Tomás de Torquemada, o grande Inquisidor, digo, Joaquim Barbosa, o enorme Justiceiro, no afã de obter dos reis católicos, digo, obter a graça dos barões midiáticos, cuidou de promover a expulsão definitiva de todos os judeus, digo, prisão de todos os petistas do Brasil.

    O recado se tornou cristalino, melhor dizendo, transparente, quando promoveu em 1490, digo, no ano de 2013, um julgamento-espetáculo, onde as vítimas foram oito judeus, digo, 40 mensaleiros, acusados de praticar rituais satânicos de crucificação de crianças cristãs, digo, na verdade, foram acusados de desviar dinheiro público da Visanet para pagar mensalidade a sua base de apoio no Congresso Nacional, afim de reafirmar a manifesta afinidade destes, em apoio aos projetos do governo petista. Prova nenhuma, por desnecessárias, foram apresentadas. Suas excêlencias, por faro aguçado e notória onisciência, se prova houvesse, naturalmente, dispensadas seiriam.

    Pressionados pelo clima de crescente intolerância, em 31 de Março de 1492 Fernando e Isabel, publicaram seu Edito de Expulsão. Melhor dizendo: aqui, cabe um enxerto, ou, uma análise manchão (remendo), pois, como se sabe, neste período a governança estava com D. Fernando Henrique O Vaidoso (muitos confundem com Cardoso). O referido gajo, foi também conhecido no dizer de seu quase homônimo, Paulo Henrique Amorim, como o Farol de Alexandria, aquele que foi apagado na catástrofe da compra de votos pra reeleição do próprio dito cujo. U*m horror!!

    Pois muito bem. Como vinha cerzindo, dizia o homi: “Decidimos ordenar a todos os ditos judeus, leia-se petistas, homens e mulheres, que deixem nossos reinos e jamais retornem a eles.” Com estas palavras o reencarnado Tomás, não o da cabana, trato aqui do Tomás de Torquemada, aquele que ora ocupa o corpo e o espirito de sua excelência J.Barbosa, a recomendar, digo, ordenar, fossem todos encontrados e enviados às masmorras da Papuda.

    Muitos, fugiram para Portugal ou Norte da África, digo melhor, um apenas fugiu para a Itália. O restante, uns na papuda, como era desejo do baronato, outros, encontram-se em andamento. Muito em breve teremos notícias de mais um espetaculoso auto-de-fé, que será apresentado ao vivo, como é o costume, no horário nobre da TV.

    Orlando

  19. Doutor House

    Que não chamem o Doutor House pra diagnosticar o Genoíno.

    Na dúvida, House quase sempre manda sua equipe dar uma busca, legalmente não-autorizada, na casa do paciente…

    …Imaginem o que poderiam encontrar de comprometedor!

    E depois, vira e mexe, tem aquela desagradável punção lombar, seja lá pro que for…

    Por fim, acabam metendo Genoíno numa banheira cheia de gelo e aí mesmo é o coração do cara não aguenta.

    Pior será se House, não obstante o óbvio benefício do condenado em trocar a Papuda pelo conforto da casa da filha, concluir por um atípico e embaralhado caso de Síndrome de Münchhausen*. E aí, respaldado pelo infalível Greg, Barbosão, mau feito um picapau, bate o martelo: “Gaiola na Papuda.Tranca o homem.”

    * http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_M%C3%BCnchhausen

  20. Tem gente com AIDS em fase

    Tem gente com AIDS em fase terminal dentro dos presídios. Todo mundo sabe disso. Por que defender tantos privilégios para essa gente? Só por que são seus amigos? Como se não bastesse os 20 mangos do hotel… Mais grana por fora! Basta! Lei para todos!

  21. Paciente grave e cuja situação poderá se agravar ainda mais

    Até esse laudo capenga e na medida para atender ao carrasco Barbosa, é notório que Genoino necessitará de cuidados diários, isso ficou claro na resposta dos médicos

  22. De Eliana Tranchesi à José Genoino, a “isonomia” da justiça

    http://migre.me/gK4oE – ISONOMIA DA JUSTIÇA – Para a (muambeira de granfino) Eliana Tranchesi. dona da Dalú, a justiça, aceitou o laudo é de autoria do oncologista Sérgio Daniel Simon, do Departamento de Oncologia do Hospital Albert Einstein (SP). Para Genoino, só um laudo de hospital público, ou morre na cela. Muito igualitária a justiça brasileira.

  23. Laudo médico que não esclarece a situação como deveria

    Os médicos podem até entender da situação clínica de Genoino.

    Mas, ao que parece, não possuem informações sobre se, no presídio, Genoino terá condições de ser atendido da forma que eles prescrevem, de modo que a parte do laudo em que eles afirmam que a prisão domiciliar não é estritamente necessária não quer dizer, necessariamente, que o presídio é capaz de fornecer as condições de tratamento de que o preso Genoino necessita.

    Neste sentido, caberia questionar diretamente aos médicos se o presídio da Papuda é capaz de cumprir as exigências médicas por eles indicadas.

    A questão passa a ser essa.

    Creio que Barbosa pode decidir pela prisão domiciliar.

    O laudo médico disse apenas que isso não seria estritamente necessário, desde que Genoino se submeta às recomendações médicas no local onde tiver que cumprir a pena em regime semiaberto. Essa afirmação me parece razoável.

    O laudo está correto em suas premissas. Mas está incompleto, porque não esclareceu se no presídio, Genoino será atendido como eles recomendaram.

    Barbosa pode entender, em decisão fundamentada, que o presídio não é capaz de atender às recomendações dos médicos e, assim, mandar Genoino para casa.

    O contrário também pode acontecer, isto é, Barbosa pode entender, em decisão fundamentada, que Genoino pode cumprir pena no presídio pois existem as condições necessárias para atender às recomendações médicas.

    Dessa decisão, cabe recurso, nos termos da lei.

    A situação processual atualmente observada é normal, corriqueira, e não tem nada demais em termos de execução penal. O preso alega falta de condições de cumprir a pena no presídio designado, considerando o seu estado de saúde. Cabe aos advogados agirem na defesa dos direitos e interesses de seu cliente e demonstrarem que no presídio da Papuda, não existem as condições necessárias para a garantia da saúde de Genoino que foram recomendadas pelos médicos, questionando inclusive a necessidade da pena ser cumprida em Brasília.

    De outra banda, até agora não entendi direito a relutância, o vacilo da defesa de Genoino de entrar com o pedido de indulto individual (graça). Eu, como advogado, já tinha entrado há muito tempo.

      • Eis a questão rsrs

        Se a decisão for tomada pelo ministro Joaquim Barbosa, creio que cabe agravo para o plenário do STF.

        Se a decisão for tomada pelo juiz substituto, creio que cabe agravo para o órgão colegiado competente do TJ-DFT (o “T” é de Territórios).

        É o que diz a lei de execução penal:

        TÍTULO VIII

        Do Procedimento Judicial

        Art. 194. O procedimento correspondente às situações previstas nesta Lei será judicial, desenvolvendo-se perante o Juízo da execução.

        Art. 195. O procedimento judicial iniciar-se-á de ofício, a requerimento do Ministério Público, do interessado, de quem o represente, de seu cônjuge, parente ou descendente, mediante proposta do Conselho Penitenciário, ou, ainda, da autoridade administrativa.

        Art. 196. A portaria ou petição será autuada ouvindo-se, em 3 (três) dias, o condenado e o Ministério Público, quando não figurem como requerentes da medida.

        § 1º Sendo desnecessária a produção de prova, o Juiz decidirá de plano, em igual prazo.

        § 2º Entendendo indispensável a realização de prova pericial ou oral, o Juiz a ordenará, decidindo após a produção daquela ou na audiência designada.

        Art. 197. Das decisões proferidas pelo Juiz caberá recurso de agravo, sem efeito suspensivo.

        O pedido de prisão domiciliar já foi feito pelos advogados e Barbosa o deferiu provisoriamente, apenas para fins de tratamento médico.

        Ouvida a comissão dos médicos por ele nomeada, cabe agora a decisão sobre o pedido, contra a qual cabe recurso.

        Da decisão que negue a prisão domiciliar cabe recurso de agravo, sem efeito suspensivo, isto é, Genoino terá que cumprir a pena no presídio em regime semiaberto até a decisão do órgão colegiado competente, que pode ser o do STF ou do TJ-DFT, caso a decisão seja tomada por Barbosa ou pelo juiz substituto da execução penal, respectivamente.

  24. Cantei a bola de início e

    Cantei a bola de início e acho que todos aqui também já imaginavam que seria inacreditável se o laudo fosse diferente.

    O CFM deveria ter brigado com o JB por não ter aceitado os laudos anteriores, colocando os médicos sob suspeita. Mas, como estão com bronca do governo porque do Mais Médicos, não o fizeram.

    A UNB, com raras exceções, é opositora do governo federal e do Agnello, claro que o JB pediria laudo para profissionais desta instituição.

    Se vivos fossem, Joaca Torquemada escalaria Amílcar Lobo e Harry Shibata para fazerem parte da equipe.

  25. Não sou médico

    Não sou médico. Não sei avaliar a correção do conteúdo do laudo. Mas vamos ao que, de fato, foi dito lá:.

    “2) portador atual de hipertensão arterial sistêmica leve a moderada, controlada por meio de uso continuado de medicação anti-hipertensiva, o qual deve ser regularmente mantido indefinidamente. Tanto quanto possível, este tratamento medicamentoso deve ser coadjuvado por dieta hipossódica…[etc]”

    .

    Isso é o que os médicos afirmaram, de fato. Não esse trecho trazido pelo Nassif. 

    .

    Coadjuvado significa que seria bom se, mas que não é imprescindível. Imprenscindível é a medicação. E isso está no laudo.

    .

    Se estão certos ou não, só os médicos (de verdade, não os médicos com causa…) podem dizer.

    .

    Mas essa meta tua, Nassif, de demonizar o Barbosa, não pode passar por cima do que de fato foi documentado. Menos ainda quando o documento é público.

  26.  
    O Brasil, ao modo

     

    O Brasil, ao modo brasileiro de ser, se bobear, poderá entrar em uma rota parecida com o Iraque ou a Síria ou o Egito ou a outros países consagrados por guerras civis provocadas por mandatários que não querem largar as tetas da abastança. Grande parte da culpa por essas situações pode ser creditada a população, que durante anos assistiu aos desmandos de seus dirigentes e, ainda assim, se mantiveram omissas, acomodadas e acovardadas. Essa situação foi percebida pelos pilhadores de riquezas alheias e serviu de pretexto para invadirem devastarem e saquearem parte das riquezas que pertenciam aos povos dessas nações. Genoíno, Dirceu, Lula, Dilma, o PT e todos que lhes sejam simpáticos, correm riscos de serem caçados por parte da mídia e do judiciário, que constantemente e reincidentemente são denunciados por abuso de poder e comportamento indigno aos cargos que ocupam. Por outro lado, livram na maior cara de pau Regivaldos, Dantas, Cacciolas, Malufs, Pimentas, Abdelmassihs, Trensalões, Privatarias,operações montadas pela Polícia Federal e desmontadas pelos poderosos envolvidos, etc…  Os Reis da mídia e do judiciário estão nus e só algumas crianças têm coragem de denunciar essa desavergonhada nudez. Algumas dessas crianças (PHA, Nassif, Azenha, Brizola, Protógenes, Requião, Ferro, Barão, Rosário e muito poucas outras) gritam, lutam e denunciam com armas não letais, mas que, felizmente, conseguem produzir um alcance e um estrago muito importante para a causa da justiça, da democracia, do respeito e do aumento da motivação em acreditar na vitória final do bem contra os maus. Genoíno, Dirceu e outros com culpa no cartório, que tenham o direito de pagá-las com dignidade. Porém, para o bem de todos, que paguem apenas por suas culpas e não pelas outras tantas que tentam lhes enfiarem goela adentro.  

  27. Será que ninguém notou ainda?

    Será que ninguém notou ainda? Está claro como água cristalina. A morte do Genoíno é de suma importância para a concretização do plano americano para a derrubada do governo trabalhista brasileiro. Esses peões que estão executando as ordens, não passam disso: peões! A rainha está escondida na embaixada, importada que foi do Paraguai. Cenário: Genoíno morre, petistas revoltam-se, saem às ruas, atacam o Ministério da Justiça à caça de Joaquim, o Grande. Em seguida, incitados pelo PIG e sua vênus latrinada, direitistas e coxinhas em geral também saem às ruas, somam-se a eles black-blocs pagos pela nada anonymous CIA, ocorre o confronto e o caos está instalado. Quem atiçou foge para Miami, as forças moralizadoras da ordem e do progresso são chamadas, Dilma é deposta, encontram um novo Ranieri Mazilli (aliás nem precisa, já está aí) que declara vacância presidencial e o Brasil volta a ser capacho dos americanos. E viva a PETROBRAX! Provavelmente neste cenário, o novo presidente será ungido por um “brado retumbante”, mas tão retumbante, que não necessitará ser eleito. Tomará posse vindo do litoral carioca de Minas, mas a viagem será de avião, uma vez  que fala-se de um súbito pavor por helicópteros. E assim, para a felicidade geral da nação, teremos finalmente o tão almejado Change Brazil!

  28. Joaquim Barbosa vai
    Joaquim Barbosa vai conseguir, vai se destacar como um dos mais torpes, mesquinhos e sinistros personagens da nossa hitória, talvez ao lado de gente como Sérgio Paranhos Fleury, que não se contentava em torturar mas também em tripudiar sobre a vida das suas vítimas.

  29. Tá ficando escancarado demais…

    Depois desta jogada do JB, neo-capitão-do-mato da Casa Grande;

    Do, até agora, esquecido Mensalão Tucano de 1998;

    Do, deixa prá-lá  das denúncias do Trensalão da Alstom-Siemens em SP,

    Tô concluindo mesmo que: Tá tudo dominado !!!

  30. Oferecendo condições,
    Oferecendo condições, qualquer preso pode cumprir pena num presídio, até se estiver acamado numa UTI. Mas a questão não é essa, a questão é que Genuíno não deveria estar cumprindo pena alguma, porque não cometeu crime algum.

    • Luciene, você tem toda razão.

      Luciene, você tem toda razão. A coisa está tão escandalosamente fora de controle, que a gente acaba perdendo a lucidez e assumindo o discurso que tentam nos impingem. Mas é que a situação do Genoíno é bastante complicada mesmo e a luta, agora, é para tira-lo da prisão.

  31. Uma vergonha para o Brasil

    Será vergonhoso para todos nós brasileiros se este sujeito não se tornar impedido de exercer a presidência do STF e mesmo impedido de advogar para o resto da sua vida.

    ahhhh, Lula, ainda bem que você tem muito crédito comigo!  O que você nos arrumou…

     

    • De fato precisamos dar uma

      De fato precisamos dar uma resposta a ele. Que boca boa ele tem no Senado Federal? e ainda prestigio no STF. Muito bom ele, de samba no pé. Vamos ver esses contratos que ele tem com o SF. Que tal? 

  32. nassif e amigos do blog.

    nassif e amigos do blog. abram este link e vejam quem é vejam quem é cantidio lima oliveirahttp://sindmedico.com.br/site/index.php/comunicacao/noticias/135-destaque/1335-posse-e-festa

    “Obtivemos ganhos muito significativos nos últimos anos: hoje, por exemplo, temos o melhor piso salarial do país. Agora, temos à frente a mobilização para o embate político com o governo federal, uma resposta que devemos à presidente Dilma Roussef, que vamos dar no dia 5 de outubro de 2014”, afirma o presidente do SindMédico-DF.

     

    CONSELHO FISCAL

    2620

    CANTIDIO LIMA VIEIRA

     

  33. Estão brincando com as vidas de seres humanos

    Vejo em alguns posts um desejo mórbido para que Genóino e demais morram.

    Temo por sua vida e dos demais condenados e digo mais, já ví neste Pais assassinos, traficantes  e psicopatas serem tratados  com mais respeito do que eu tenho constatado neste caso.

    Este caso me parece que já saiu da esfera jurídica e entrou definitivamente na esfera psiquiatríca tal a sua morbidez e sadismo com que se apresenta. Daria um caso de estudo digno de Freud.

    No blog do Eduardo Gumarães tem um  importante post onde um Agente Penitenciário demonstra a sua preocupação quanto a possibilidade de linchamento destes  prisioneiros tal o grau de contaminação da população carcerária face ao noticiário propalado pelo pig de mordomias dos réus na prisão. Ver em http://www.blogdacidadania.com.br/2013/11/agente-penitenciario-diz-que-midia-pode-matar-condenados-pelo-mensalao/

    O pig parece não se contentar com a condenação conseguida e busca ir mais além, se possível com a pena de morte dos apenados. Se assim forem executados na prisão seria para quem os condenou o crime perfeito, pois existiriam todas as escusas de uma rebelião de presos e ninguém seria culpado. Quem sabe numa hipotética invasão da prisão, à la carandiru, para controlar o motim não haveriam umas trẽs balas misericordiosas, providenciais e perdidas em suas testas? Aí Amigo, o diabo estaria solto de vez.

    Fico pasmo com o PT, manietado, mudo e inerme,  que não leva esta situação e a denuncia nas cortes internacionais de direitos humanos e faz muito barulho. Será que estão esperando acontecer? Será que se esqueceram de como fazer a hora? E no mais e o Senado? e a Câmara ? Sumiram? Acovardaram-se de vez? Onde estão as vozes que sempre se altearam altivas contra as arbitrariedades neste País? Delegaram para nós nos blog progressistas, pessoas físicas que somos,  sem imunidade e sem foro privilegiado, para que assumíssemos as defesas que institucionais deveriam ser?

    Sinceramente, não vejo aonde querem levar este País neste jogo do tudo ou nada que facilmente poderá levar ao derramamento de sangue desnecessário neste querido País.

    Nesta hora eu pergunto a ex-petista Dra. Judith de Brito: a senhora está feliz com a oposição que criou através da imprensa em substituição aos partidos de oposição oficiais do País que não davam conta do recado? Tudo isto é necessário? Não seria mais fácil e democrático no voto de cada Cidadão?

    Sei lá, eu acho que foi criado um monstro de muitas cabeças de Cerberus e cada uma delas mordendo à esmo e arrebentando com o Brasil. Depois é a história de sempre: bater na porta do milico e tome porrada, censura, tortura, desaparecidos, exílios fabulosos em Paris, Londres…….e la nave vá.

    Parafraseando o notável compositor Carlos Lyra: Pobre País Rico.

     

     

  34. Pessoal, devemos abordar o

    Pessoal, devemos abordar o caso Genoíno sem paixões políticas, nem a favor nem contra. Devemos nos pautar pela isonomia, ou seja, como presos que se encontram em situação semelhante são tratados.  

    Existem em nossos presídios milhares de internos enfermos que necessitam regulamente de medicação e de dieta apropriada, as quais são fornecidas. Caso não fosse assim, teríamos apenas presidiários em perfeito gozo da saúde (o que não acntece) ou teríanos uma mortandade por motivo de doença, suficiente para causar estridência das entidades de direitos humanos (o que tb não acontece).

    Enfim, Genoíno deveria se preocupar,em encontrar um emprego, como fez Dirceu.

    • Oos novos ricos: Onde está mesmo a atração

      Agora os coxinhas todos preocupados com o sistema carcerário, a elite tupinquim, que até dias atrás defendia a pena de morte e a tortura de presoas, agora de repente se tornou “defensora dos pobres”, nem estou dizendo que vc é coxinha, é que tenho visto muitos comentários de coxinhas que não estavam nem ai para as masmorras, agora preocupadissimos com os direitos humanos nos presídios, me dá nojo diante de tanto cinismo e deboche de uma elite que, sabemos, é perversa ao extremo.

    • Qual a idade média dos presos do sistema penitenciário ?

      Eu também não sei números para dizer aqui. Mas, não creio que a idade média dos presos seja essa deles, 67/68 anos. Problemas cardiacos e de pressão alta muita gente tem, e são, de fato, controlados facilmente com remédios. Mas, ocorre que não é esse o problema de Genoino. Ele teve um desgaste numa importante artéria que estava se descamando, e teve que ser substituída por uma prótese em forma de cano. Sofreu uma operação muito delicada e tinha 10% de chance de sobrevivência: sobreviveu. É lamentável que após essa ajuda divina não possa se recuperar adequadamente de tão estressante tratamento. Você acha que tem muitos presidiários com igual problema, mas a médica do complexo prisional, que lá trabalha há 10 anos, afirma nunca ter visto um preso em estado tão grave. Aliás, a pena de Genoino não era em regime fechado, mas sim semi-aberto, aquela que o preso fica fora durante o dia e só comparece à noite para dormir. Ele não estaria usufrindo de favor algum se dispensado desse acolhimento, estaria pagando somente a pena que lhe foi imputada, e não a maior. Os outros presos também se enquadram neste caso ? Ou você está comparando este com cruéis assassinos, traficantes e bandidos, cujas penas são de mais de 30 anos, que entram jovens e envelhecem lá ?  

  35. Concordo plenamente com quem

    Concordo plenamente com quem sugere uma junta psiquiátrica para o JB. Ele está realmente incontrolável. Partiu para um tudo ou nada desabrido. Genoíno já tinha 2 laudos, rejeitados pelo todo poderoso.  O pessoal do Sírio e do IML vai ficar quieto? Qual a necessidade de um 3º laudo, colocando sobre pressão profissionais alheios ao caso? A única explicação é sadismo. JB quer, a todo custo, ver Genoíno na cadeia e ponto final. Seja feita sua vontade.   

    Nenhum presídio brasileiro tem condições de receber uma pessoa com essa doença, por mais bem organizada que seja a atenção à saúde no presídio, como parece ser o caso da Papuda. Qualquer pico na pressão pode ser fatal. E nenhum presídio tem atendimento 24 horas.

    Só o fato de ter que passar por 3 exames, quase seguidamente, já é extremamente desgastante, fora a incerteza da decisão a ser tomada apenas por uma pessoa sabidamente inconsequente, vingativa, raivosa e sem um pingo de bom senso.

    Para quem quiser se informar: “Cardiopatia grave é definida por critérios estabelecidos pelo Consenso de Cardiopatia Grave da Sociedade Brasileira de Cardiologia (1993), referendados pela Diretrizes sobre Cardiopatia Grave (2006). É doença crônica, de curso irreversível, controlada parcialmente por terapêutica clínica. Pacientes necessitam de cuidados médicos permanentes e uso contínuo de medicação cardiovascular”.

    (Eu defendia,  até algumas horas atrás, a manutenção de JB no cargo, para sofrer as consequências de seus atos, ser abandonado por seus patrocinadores e não sair com pose de “herói perseguido pelo PT”. Mas, sinceramente, diante de tanta maluquice e da falta de reação, inclusive e principalmente de seus pares, já estou mudando de ideia. O mal que ele pode ainda fazer ao país e ao povo não compensa).

    • Barbosa conseguiu laudo prá mandar Genoino de volta prá cadeia

      Vi agora no Brasil 247 que o Barbosa identificou o Genoino com o numero 1 como um de “seus presos” numa escala de importância. Entendi que isso se deve não ao fato de que Genoino tenha cometido qualquer crime, Barbosa sabe disso mas, como a atuação de Barbosa é partidarizada, essa numeração fica claro que o alvo é o PT, e Genoino era presidente do PT e por isso é tratado assim pelo todo poderoso:

      JB MUDA REGRA E ROTULA GENOINO 1, ZD 2, DELÚBIO 3

       

      Acaba de ser revelada uma nova heterodoxia do presidente do Supremo Tribunal nas prisões do chamado mensalão; um dia antes de efetuá-las, Joaquim Barbosa criou uma nova classe processual, denominada Execução Penal; essa norma instituiu que as prisões deveriam ser distribuídas ao relator (ele próprio) com tramitação eletrônica; essa mesma norma definiu os modelos das guias de recolhimento e do tratamento médico; depois disso, Barbosa numerou seus alvos: José Genoino foi o 01, José Dirceu o 02 e Delúbio Soares o 03; curiosamente, ele só prendeu réus com direitos a embargos infringentes e deixou outros, sem possibilidades de recurso, como Roberto Jefferson, Pedro Heny e Valdemar Costa Neto de fora; modelo absolutista avança no Judiciário

       

      26 DE NOVEMBRO DE 2013 ÀS 20:31

       

      247 – Acaba de ser descoberta uma nova heterodoxia de Joaquim Barbosa na execução das prisões do chamado mensalão. Um dia antes de efetuá-las, ele criou uma nova classe processual, chamada Execução Penal, que garantiu a ele próprio o comando das prisões, assim como os modelos  das guias de recolhimento, de execução e tratamento médico. Curiosamente, Barbosa só prendeu réus com direitos a embargos infringentes e deixou de fora nomes que não tinham mais chance de recurso, como Valdemar Costa Neto, Pedro Henry e Roberto Jefferson – o delator que confessou ter recebido R$ 4 milhões.

      A informação é da Agência Brasil. Leia abaixo:

      André Richter
      Repórter da Agência Brasil

      Brasília – O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, decidiu criar uma nova classe processual para executar as penas dos condenados na Ação Penal 470, o processo do mensalão. A norma não estava prevista no Regimento Interno do Supremo e foi instituída pela Resolução nº 514, assinada no dia 14 deste mês, um dia antes da decretação da prisão de 12 dos condenados no processo.

      De acordo com o texto da norma, divulgado no dia 19 no Diário da Justiça, a nova classe processual, denominada Execução Penal (EP), foi criada para dar cumprimento às penas condenatórias do processo do mensalão. A resolução prevê que o processo seja distribuído ao relator da ação penal e tenha tramitação eletrônica. A norma também definiu os modelos das guias de recolhimento, de execução e tratamento médico. Os documentos são necessários para efetivar a prisão.

      No último dia 20, com a publicação da norma, os processos começam a ser autuados.

      A execução do processo do deputado federal licenciado e ex-presidente do PT José Genoino (SP) foi identificada como número 1. A de José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, é a número 2, e o processo de Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, o 3. Os demais condenados foram identificados em seguida.

       

      • IDENTIFICAR POR Nº É PARA SUPRIMIR A IDENTIDADE E EXCLUIR DA HUM

        É uma ação nitida e tipicamente nazista. E essa não é isolada no conjunto do seu procedimento. Ele fez isso o tempo todo: abstrair dos réus a identidade. Mas até então, de maneira menos dirigida para esse objeto em si, mas com finalidade de culpá-los. Essa de agora foi uma ação mais concentrada na intenção de expropriá-los de algo imanente. Pior ainda que já estando totalmente subjulgados. Sem necessidade ou utilidade alguma, visto da perspectiva de mentes sãs.

        Nos julgamentos propriamente ditos faz-se o contrário, tenta-se resgatar a personalidade para entender o sentido da ação. Ele abstraiu a verdadeira identidade deles, que depunha em seu favor _ pois foram sujeitos históricos importantes, de vidas limpas e exemplares _ para preencher seus arquétipos esvaziados com os conteúdos da narrativa da qual se utilizou para enredá-los na trama: Ali Babá. Isso serviu para ocultar que aquelas ações e sentidos atribuidos aos arquétipos portadores de seus papéis sociais não eram coerentes com as vidas, identidades e biografias das pessoas dos réus vivos.

        Fez uma coisa monstruosa. Pior é que os outros juizes aceitaram tudo isso. Está óbvio que quer condená-los muito mais que à prisão, ou mesmo prisão perpétua, ou até pena de morte. Quer, além disso, decretar-lhes a inexistência, excluí-los da Humanidade. Para a mente perversa desse ser, é preciso acrescentar sempre mais e mais humilhações e execrações. Tudo que concebe nunca será suficiente para satisfazer seus instintos perversos ou pervertidos. Certamente, porque sua luta é para aboli-los da história e de nossos corações e mentes, como se eles nunca tivessem existido. Se contorce em sofrimentos ante seu desejo impossível. Como detruir um símbolo ?

         

  36. Junta de irresponsáveis versus médica que vê o paciente ao vivo

    O bom senso me obriga a acreditar muuuuito mais numa médica que atende e acompanha pessoal e fisicamente a situação e as condições físicas de um prisioneiro que ela está vendo ao vivo presencialmente inclusive cuspindo sangue e que tem conhecimento de situações semelhantes mas que ela nunca vira antes na história daquele presídio do que acreditar numa junta que analisou papéis, sei lá quais, e ditou seu veridicto a partir daqueles papéis, sem sequer ver o paciente citado naqueles sei lá quais papéis.

    Imagine sua saúde e sua vida ser veridictada por pessoas que, mesmo com diploma de médicos, embora detendo altos cargos de remuneração pública nunca sequer passaram pelo Revalida e nunca lhe viram pessoalmente, apenas olharam alguns papéis, sei lá quais.

    Se algo pior acontecer ao paciente, esses crápulas estarão isentos de qualquer responsabilidade e ainda cobertos pela proteção do CFM, pois dirão que emitiram parecer “em tese” baseados em papéis sei lá quais.

  37. A alcateia deve estar brava “

    A alcateia deve estar brava ” que merda este p..tinha que estar doente”, mas aos poucos sem perceber eles

    estão entregando o jogo todo: juiz com estreitas relações com o Arruda, médico   suspeitissimo ……..

     etc …Genoino  começa ficar “caro para o projeto. Repentinamente e oportunamente até quem é a favor da

    pena de morte se preocupa com direitos humanos e presos , aliás os réus em questão já foram condenados  a

     pena de morte  por duas vezes em um só processo, tá ficando dificil  para a rapaziada né JB?

  38. JB escolheu a dedo os

    JB escolheu a dedo os médicos. Devem ser proctologistas ou  JB contratou o medico legista  Harry Shibata para dar o laudo. O insano não tem limites em sua perversão. Capaz de, morrendo Genoino submetido a tortura psicologica,  forja um laudo concluindo que foi suicidado.

  39. A tranchesi foi condenada a

    A tranchesi foi condenada a 150 anos! de cadeia por uma juíza (*) que certamente inocentaria o genuíno, e vocês estão mais ridículos que o maduro, só falta a comandanta desfilar “pilotando” a metralhadora de um tanque de guerra.

  40. A Junta Médica poderia ter sofrido pressões políticas?

    Creio ser importante começar a verificar as possíveis ligações políticas dos integrantes da Junta Médica que fez o laudo do Genoíno. Comecei a fazer umas buscas e estou encontrando coisas interessantes.

    O médico Cantidio Lima Vieira, foi nomeado para compor a Junta médica Oficial do Senado Federal em 2001 pelo famoso AGACIEL DA SILVA MAIA. Lembram dele?

    Agaciel foi diretor Geral do Senado pelo menos até 2009, tinha um “buncker” secreto no Senado. Ele teve que responder a diversas sindicâncias no senado, numa delas em depoimento a polícia do senado:

    “sobre a nomeação clandestina da filha de um de seus principais auxiliares para o gabinete do senador Demóstenes Torres (DEM-GO)”. Interessante não?

    Mas não para por aí, Agaciel foi acusado pelo Senador Tião Viana do PT de:

    “num momento em que estava em dificuldade financeira, teria recebido de Agaciel Maia uma oferta de dinheiro como um empréstimo “a fundo perdido”. Quer dizer, não precisava pagar. Nessa conversa, Agaciel teria dito que já teria feito isso com vários senadores. Agaciel nega. Tião Vianna diz que só não demitiu Agaciel quando presidiu o Senado porque estava no cargo como interino. Ele afirma que relatou os fatos ao procurador-geral da República e tinha como primeiro compromisso, se tivesse sido eleito presidente do Senado na disputa com José Sarney, a demissão de Agaciel.”

    Bem, Tião Viana recusou a ajuda de Agaciel e até relatou o caso ao procurador geral da República, MAS O MESMO NÃO FEZ ATHUR VIRGÍLIO… Lembram?

    “O senador Arthur Virgílio confirmou ter recebido um empréstimo de Agaciel, no valor de R$ 10 mil, para desbloquear seu cartão de crédito durante uma viagem com a família a Paris”. Lembram dessa desculpa esfarrapada do Arthur Virgílio, como se ele não tivesse nenhum político amigo do próprio partido para pedir dinheiro…?

    Agora vejam, o médico Cantídio (que até hoje está no Senado) que fez parte da Junta Médica que examinou Genoíno, foi nomeado pelo famoso Agaciel que EMPRESTOU DINHEIRO PARA ARTHUR VIRGÍLIO e teria NOMEADO CLANDESTINAMENTE A FILHA DE UM DE SEUS ASSISTENTES PARA O GABINETE DO ENTÃO SENADOR DEMÓSTENES TORRES e ainda tinha uma richa com o Senador Tião Viana DO PT.

    Não bastasse isso, o médico Cantídio foi alvo de uma matéria da Revista ISTO É (novembro de 2012), intitulada “MARAJÁS DE JALECO”, onde segundo a matéria médicos do senado recebia dos cofres públicos do Senado para atender em suas clínicas particulares. Ou seja, recebiam gordos salários do senado, que mantém sua própria clínica e ainda recebia por tratamento de servidores em suas clínicas particulares.

    NÃO ESTOU DIZENDO QUE O MÉDICO CANTÍDIO não tenha sido profissional em seu laudo, mas dado o histórico, não creio ser a pessoa mais indicada para fazer parte da referida junta médica, pois poderia ser que sofresse pressões de políticos que deviam ou ainda devem favores para Agaciel…

    • Joaquim Barbosa foi colega de Agaciel Maia no Senado anos 70
      Joaquim Barbosa, o juiz sem amigos.  Agora que é presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa terá de vencer sua natureza solitária e aprender a fazer política.  FLÁVIA TAVARES – Site da revista Época A tarde da quinta-feira, dia 22 de novembro de 2012, seguia lenta em Brasília quando Joaquim Benedito Barbosa Gomes – negro, filho de uma faxineira e de um pedreiro, relator do julgamento mais difícil da história republicana do Brasil – carregou seu corpo, e tudo o que ele representa, para o púlpito do plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), de modo a tomar posse como 55o presidente da corte. “Prometo cumprir os deveres do cargo de presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça, em conformidade com as leis”, afirmou Joaquim, diante da mãe, dona Benedita, e dos demais – do poder, das celebridades, das câmeras. Foi o evento do ano em Brasília. A capital celebrou com entusiasmo a posse do primeiro presidente negro no STF. Estavam lá os atores Lázaro Ramos e Regina Casé, os músicos Djavan e Martinho da Vila, o piloto Nelson Piquet, o ex-jogador Romário… Estava lá a presidente Dilma Rousseff, mais em corpo do que em espírito, conforme se depreendeu de seu esforço em não sorrir – sob hipótese alguma – nas duas horas de cerimônia. Estavam lá cerca de 340 almas. Estavam lá, em meio aos cliques e beija-mãos, para o Joaquim que assumiu, o símbolo, o orgulho e, para alguns, o parente distante, o colega ocasional. Não estavam lá para o Joaquim do dia seguinte. Este, quer por opção, quer pelo gênio difícil, estava só – e continuará só. Joaquim comandará o Judiciário sem amigos. Ao menos sem os amigos de que precisará: os amigos políticos.A presidência do Supremo é, antes de tudo, um cargo político. Como presidente, Joaquim terá de se relacionar com os chefes do Executivo e do Legislativo, com juízes, com burocratas do Judiciário, com advogados, com jornalistas. Goste ou não – e Joaquim não gosta nada dessa tarefa. Nos últimos anos, já como ministro do STF, afastando constantemente os outros, Joaquim pareceu confundir a necessária postura independente do juiz com uma mais que ocasional resistência aos outros – resistência que se manifestou no modo colérico como reagiu quando contrariado pelos colegas ou nas aproximações de advogados e políticos. Agora, porém, Joaquim é um líder. E um líder político não lidera apenas pelo bom exemplo. Lidera pelas relações pessoais que cria e mantém, precisamente com quem pode ajudá-lo no exercício da liderança.Exercer essa missão política sem se conspurcar e, ainda assim, com eficiência, é difícil. Ainda mais porque, para chegar à posição de exercê-la, Joaquim, como qualquer outro, precisou ser também político. Naquela tarde de quinta-feira, em seu discurso de posse, ele disse: “É preciso reforçar a independência do juiz. Afastá-lo, desde o ingresso na carreira, das múltiplas e nocivas influências que podem paulatinamente minar-lhe a independência. Essas más influências podem se manifestar tanto a partir da própria hierarquia interna a que o jovem juiz se vê submetido quanto dos laços políticos de que ele pode às vezes tornar-se tributário na natural e humana busca por ascensão funcional e profissional”. E prosseguiu: “O juiz, bem como os membros de outras carreiras importantes do Estado, deve saber de antemão quais são suas reais perspectivas de progressão. E não buscar obtê-las por meio da aproximação ao poder político do momento”.Foi um sermão inóspito a Brasília, onde amizades, especialmente as políticas, estão embutidas no cimento que ergueu e sustenta a cidade. Joaquim não mantém, ou preferiu esquecer agora, algumas das relações mais profícuas que pôde usufruir. Quando trabalhava no Senado, na década de 1970, foi colega de Agaciel Maia, que viria a ser diretor-geral da Casa anos depois – e sairia no bojo do escândalo dos atos secretos, em que parentes de senadores eram contratados sob os panos. Quando funcionários do Senado, Joaquim e Agaciel eram datilógrafos e jogavam bola juntos. Quando voltou a Brasília para ser ministro do Supremo, Joaquim chegou a frequentar as peladas na casa de Agaciel. Hoje não aparece mais lá.Outra amizade que se desfez foi com o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay. Como ÉPOCA relatou na edição 751, de 8 de outubro, foi Kakay quem fez a ponte, a pedido de Joaquim, entre ele e José Dirceu, então todo-poderoso no Poder ao lado, o Executivo – a “aproximação com o poder político do momento”. Queria ajuda para confirmar sua indicação ao STF. Na conversa protocolar no andar de cima do restaurante Piantella, Dirceu respondeu que o currículo de Joaquim teria de falar por si. E que, justamente como Joaquim em seu discurso da quinta-feira, era contra esse sistema em que um ministro do Judiciário tinha de pedir apoio a um ministro do Executivo para ser indicado. Dirceu confessara antes ao amigo Kakay que seu desconforto era, inclusive, porque, em tese, ele próprio poderia vir a ser julgado pelo ministro que ajudasse a nomear. Dirceu ajudou Joaquim. E a recíproca não foi verdadeira.Nem mesmo entre os ministros do Supremo Joaquim tem amizades. Pelo contrário. Ali pululam desafetos. É com eles, entretanto, que Joaquim exercerá o poder que acaba de receber: nos debates em plenário, nas decisões técnicas e na diplomacia. Os desafetos foram conquistados ao sabor das altercações nos julgamentos. Com eles, vieram as mágoas – dos ministros, que recebiam a rispidez de Joaquim, e, fora do Supremo, de quem não tinha nem sequer a chance de conversar com ele, caso de advogados, juízes e funcionários. Em alguns casos, a mágoa virou temor, temor de que, dependendo de quem você seja, diálogo não será uma possibilidade com o presidente Joaquim Barbosa.São sentimentos que renderam episódios traumáticos para a corte. Um deles aconteceu em abril de 2009, quando Joaquim discutia com o ministro Gilmar Mendes, então presidente do STF, uma ação julgada três anos antes. Depois de Joaquim acusar Gilmar de não ser transparente na decisão e de uma réplica de Gilmar dizendo que Joaquim “faltava” às sessões, quando, na verdade, estava de licença médica por causa dos já crônicos problemas na coluna, Joaquim disse: “Vossa Excelência, quando se dirige a mim, não está falando com os seus capangas do Mato Grosso, ministro Gilmar”. A peleja rendeu três anos de distância entre os dois.Neste ano, Joaquim voltou a expor sua verve belicosa. Desta vez, com o então presidente do STF, Cezar Peluso. Em seus últimos dias na corte, Peluso falou do “temperamento difícil” de Joaquim ao lidar com advogados e colegas. “Ele é uma pessoa insegura. Tenho a impressão que ele tem medo de ser qualificado como arrogante, como alguém que foi para o Supremo não pelos méritos, que ele tem, mas pela cor”, disse Peluso. A resposta de Joaquim veio violenta. Brega, caipira e tirânico foram os adjetivos da réplica. Sobre sua insegurança e seu temperamento de faíscas, Joaquim afirmou: “Alguns brasileiros não negros se acham no direito de tomar certas liberdades com negros. Você já percebeu que eu não permito isso, né?”. Quando Marco Aurélio Mello, um de seus sparrings preferenciais, questionou se Joaquim teria condição de presidir a corte, por causa de seus destemperos, a reação veio por nota à imprensa. “Ao contrário de quem me ofende momentaneamente, jamais me vali ou tirei proveito de relações de natureza familiar”, diz o comunicado. Marco Aurélio é primo distante de Fernando Collor de Mello e foi por ele indicado ao STF.Em conversas privadas, Joaquim mostra pouco carinho pela corte. Na festa de despedida do ministro Sepúlveda Pertence do STF, em 2007, num restaurante exclusivo de Brasília, quando incitado por amigos a dizer como estavam as coisas no Tribunal, ele respondeu, com desdém, que aquilo não tem jeito. “Vou presidir o STF e saio no outro dia. Vou governar Minas Gerais”, disse. Quem estava lá não detectou ironia no tom de voz. Mas captou ambição. É nas conversas reservadas que Joaquim costuma revelar traços que nem as câmeras da TV Justiça captam. Num bate-papo com a imprensa depois de uma das sessões do mensalão, ele já estava de saída, de costas para os repórteres, quando um deles perguntou sobre seu tratamento de saúde na Alemanha. “Isso é espírito de corvo”, disse Joaquim. Balançou a capa preta e saiu.Na noite daquela quinta-feira, o poder celebrou Joaquim. Numa festa patrocinada pelas associações de juízes no Espaço Porto Vittoria, às margens do Lago Paranoá, 1.300 convidados brindaram, com espumante Casa Valduga, ao novo presidente do Supremo. Parecia festa de casamento. Havia música ao vivo, garçons servindo canapés e muita conversa (política) ao pé do ouvido. A farra era tão concorrida que os convivas se espremiam nos pequenos espaços entre as mesas. Entre eles, os ministros Marco Aurélio Mello, Ricardo Lewandowski (que assumiu como vice de Joaquim) e Luiz Fux, que só largou o copo de Red Label para tocar Tim Maia na guitarra. Joaquim curtiu todos os instantes, apesar das dores. De tanto assédio, teve de recorrer aos seguranças. Passou a noite exibindo sorrisos para as fotos e dando tapinhas nas costas dos fãs, de lá para cá, de cá para lá.A festa passou. Joaquim, em breve, assim que seus familiares voltarem a Minas e ao Rio de Janeiro, ficará sozinho em seu amplo apartamento na superquadra 312 Sul. Nas noites seguintes – e em todos os dias que se seguirão a partir de agora –, o presidente do Supremo estará só.

       

  41. Se tava bem para ir a Câmara

    Se tava bem para ir a Câmara dos deputados fazer política, tem saúde o suficiente para ficar sentado na cama atrás das grades.

    Só pediu aposentadoria após saber que ia em cana.

    Quando uma pessoa é submetida a uma cirurgia, o objetivo é que ela volte a ser um cidadão produtivo.

    Se foi condenado, (corretamente ou não) não há motivo parta os outros pagarem e ele não.

    Não há motivo para levar em conta o laudo do seu médico particular que esté recebendo salário para isso e desmerecer uma junta médica.

  42. Apenas para esclarescer

    A mulher citada pelo Nassif em outro post não é médica, é terapeuta ocupacional.

    Não pode estar há dez anos na Papuda, porque foi admitida em 2009 no governo do DF.

    Em janeiro de 2011, após a posse do novo governador foi catapultada a Gerência de qualquer coisa, cargo em comissão.

    Em março do mesmo ano, passou a fazer terapia ocupacional em uma clínica particular do DF que atende em convênio a servidores públicos. Trabalhadora mesmo, tem todo o serviço médico do complexo penal do DF para gerenciar e ainda arruma tempo para umas consultas em clínica particular.

    Fico com a opinião da junta de médicos da universidade.

    E surpreendentemente, a Larissa, tem o mesmo complexo sobrenome de Dona Guiomar, esposa de Gilmar Mendes, aquela que se aposentou e foi contratada a peso de ouro no STF.

    Como dizia um velho amigo, Brasília lembra uma corte européia do século XVI.

    • LARISSA FEITOSA DE ALBUQUERQUE LIMA RAMOS

      Gerência de Saúde do Sistema Prisional – GESSP

      Endereço: DISAT/SEPS 712/912 Sul Bloco D

      Telefone: 3214-3819

      Gerente: Larissa Feitosa de Albuquerque Lima Ramos

       Histórico

      A Saúde Prisional foi criada por meio da Portaria Interministerial nº 1.777 de 09 de setembro de 2003 pelos Ministérios da Saúde e da Justiça. Esta Portaria aprova o Plano Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário, destinado a prover a atenção integral à saúde da população prisional confinada em unidades masculinas e femininas, bem como nas psiquiátricas.

      Para iniciar as ações de saúde prisional, no ano de 2004, o Conselho Estadual de Saúde aprovou por meio da Resolução nº 01/2004 e publicou no Diário Oficial nº 60, de 29 de março de 2004, o Plano Operativo Estadual de Saúde do Sistema Prisional do DF.

      No dia 18 de agosto de 2004, o Distrito Federal foi um dos cinco primeiros Estados (Minas Gerais, Mato grosso, Pernambuco e Rio de Janeiro) qualificados pelo Ministério da Saúde a receber o Incentivo à Saúde Penitenciária.

       Objetivo Geral

      “Garantir o direito à saúde através de ações básicas de saúde individuais e coletivas, visando promover, prevenir, reduzir e/ou eliminar riscos e agravos à saúde da população que se encontra reclusa no Distrito Federal”.

      Estrutura

      Há 10 (dez) equipes multiprofissionais de saúde, composta por: médico, enfermeiro, auxiliar de enfermagem, cirurgião dentista, auxiliar de consultório dentário, psicólogo e assistente social.
      No DF, foram incluídos também o farmacêutico, o psiquiatra e o terapeuta ocupacional. Estão dispostas de acordo com o número populacional de cada unidade de saúde prisional:

      UNIDADE DE SAÚDE PRISIONAL

      POPULAÇÃO

      Nº DE EQUIPES

      Centro de Detenção Provisória

      1.934

      02

      Centro Internamento e Reeducação

      1.287

      02

      Penitenciária do Distrito Federal I

      2.003

      02

      Penitenciária do Distrito Federal II

      1.020

      02

      Centro de Progressão Penitenciária

      804

      01

      Penitenciária Feminina do DF

      457

      01

      TOTAL

      7.505

      10

       Atendimento

      As equipes de saúde atendem diariamente dentro dos presídios de 2ª a 6ª nos períodos da manhã e tarde. Nas unidades prisionais onde o número de presos é menor, só há atendimento pela manhã.

      Área de Atuação

      Promoção, prevenção e execução de ações básicas de saúde:
      a) saúde da mulher, 
      b) saúde do idoso, 
      c) saúde da criança, 
      d) controle da tuberculose, 
      e) controle da hanseníase, 
      f) controle da hipertensão e diabetes, 
      g) DST/AIDS, 
      h) saúde bucal, 
      i) saúde mental, com ênfase nas doenças prevalentes entre a população prisional e nos agravos psico-sociais decorrentes do confinamento.

       

      Imunização

       

      No Programa de medidas de proteção específica, há uma sala de vacina no Centro de Detenção Provisória, com uma enfermeira responsável que realiza vacinações em todos os estabelecimentos. As vacinas ofertadas são: Influenzza, tríplice viral, hepatite B, anti-tetância e febre amarela.

       

          

  43. Então, como bem diz a

    Então, como bem diz a postagem, o laudo ” ENCOMENDADO” por JB, diz que Genoíno está ótimo… O Bom de JB  é que ele vai para o lixo, arrastando com ele a credibilidade de todos os ” excelsos” sem causa que o Brasil aplaudiu durante décadas…

    Mas, voltando a Genoíno, ali na Papuda não dá para ficar de jeito nenhum; aliás, como já sabemos desde sempre, nem deveria, ter ido parar lá. Nem ele e nem, Dirceu e Delúbio. Reza a lenda que uns preferem ficar na Papuda por conta do risco de ir para SP e ficar “a disposição” do PCC, o que dispensa comentários.

    A Papuda é longe pra caramba ( eu não tinha a menor ideia e por isso fui lá ver ). O Acampamento que foi desmontado, na madrugada de ontem, ficava antes da fiscalização e os ” condenados” da AP470, ficam a 4km de onde estava o acampamento, ou seja, 4km, além de onde estão as “celebridades”  e menores. Não existe a menor possibilidade de semiaberto na Papuda; eu não sou presa e para chegar lá, precisei de carona de companheiros todos os dias para o acampamento que está a 4km de onde estão os nossos presos. E só saia de lá do mesmo jeito. Fui informada que o transporte para lá, só em dias de visita e aí, mais um problema… O pessoal dos condenados da AP 470 tinham um acampamento ( como se isso tivesse a ver com visitas ) e osoutros presos não podiam montar barracas na área de segurança e, portanto, estaria havendo uma ditinção entre presos. Oratende, a distinção entre os condenados se deu no julgamento. Presos políticos não são presos comuns por mais que se queira entender toda a prisão do sistema como prisão política, já que é a política que cria o “fora da lei”… Sofismos poslíticos que não me pegam.

    O julgamento dos réus da AP 470, não foi convencional, a prisão deles não foi convencional, ou seja, no que diz respeito a eles, nada seguiu o procedimento comum aos demais condenados e, PORTANTO, sua situação não é igual a dos demais presos. Os demais não foram submetidos a uma Corte de Exceção, sem direito a duplo grau de jurisdição, juiz natural,  provas, benefício da dúvida, etc… Julgamento de Exceção exige reação a altura. Mas tudo bem, as famílias dos demais presos não tem que dar conta disso e o acampamento foi desmontadaddar o e transferido para a frente do STF; vamos ver se JB e o plenário do STF sabem conviver com as consequências de seus atos ou vão mandar descer o cacete na resistência. Quero informar que todas as ações foram milimetricamente calculadas por nossos companheiros para não sair da legalidade, ou seja, o espaço escolhido, para o acampamento, descartou áreas que pudessem gerar quaisquer conflitos entre poderes ou órgãos de segurança.  Ninguém está buscando conflito ou confronto, apenas garantir direitos assegurados pela CF, até o ano passado.

    Que os que estão em BSB, vão até lá e VEJAM onde estão acampados os militantes da resistência para que depois, não troquem o que VIRAM pelo que OUVIRAM no JN.

    Nassif, vc vai estar em BSB, vá ao acampamento, fale com eles. Ninguém vai estar com a cara coberta e todos eles tem nomes,caras e famílias ( embora jovens ) e estão enfrentando o STF; estão na luta contra as togas esvoaçantes da República e não escondidos em máscaras contra tudo o que está aí, o que em última análise, não é porra nenhuma. Eu quero dizer a Anonymous e BB’s que os nossos militantes estão encarando a mais alta Corte de Justiça desse país, sem máscaras e são, infinitamente mais jovens dos que as lideranças que se essconderam atrás da molecada sem noção que andou quebrando a país a troco de algo que nem conehecem. Os meus moleques do acampamento, estão botando a cara deles para defender o país. Entendem a diferença líderes VELHOS dos BB’s e Anonymous? Meus jovens lutam por seus velhos, de cara limpa e conscientes; os seus escondem a cara para lutar POR VCS e não por eles. Não USEM os seus ” moleques”, não; façam o que eles mandam e voltem para casa sossegados, como eu voltei. Eu confio neles e vou fazer o que eles quiserem e/ou precisarem. Eu vi a cara de cada um deles e ouvi de cada um deles o que eles queria e precisavam. Não era segredo, do mesmo jeito que eu vi, todo mundo viu ou pode ver; suas caras e anseios estão no FB e Twitter para quem quiser ver.

     

    • Fique tranquila

      Não existe a menor possibilidade de semiaberto na Papuda; eu não sou presa e para chegar lá, precisei de carona de companheiros todos os dias

      Nem esquente com isso. Você não é presa mas também não é símbalo da resistência. Pode deixar que para os símbalos vai ter carro de luxo blindado diariamente na porta para levá-los ao hotel.

      Eu hein ? Esse pessoal parece que não tem senso de noção, como diria o Maguila.

  44. Então tá! Parece cachorro

    Então tá! Parece cachorro correndo atrás do próprio rabo. Suponhamos que o Genoíno volte para a Papuda e lá eles façam uma comida separada para ele, sem sal, sem gordura. Daí o que vai acontecer? A mídia bandida vai começar a atiçar a torcida tucana a gritar que ele está recebendo tratamento privilegiado, vão entrevistar a família dos outros presos que vão reclamar para o pessoal dos direitos humanos. Para que o Dirceu entre realmente no regime semi aberto tem que arrumar um emprego. Arrumou. Acabei de assistir no JG que o dono do hotel votou na Dilma e pasmem, o salário é de 20.000,00, foram comparar o salário com o de uma outra funcionária que ganha 1.800,00. Será que o Joaquim vai estabelecer um teto de ganho pro Dirceu? “Só pode se for salário mínimo”. Com toda imprensa bandida se metendo em tudo o que acontece na Papuda, vem o Jabor e diz que os petistas não são presos políticos, mas presos comuns. Pode?! Como diz aquela música: “Isso aqui tá brincadeira…”

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome