Ministro diz que Deltan “passou dos limites” com ataque na Lava Jato

"O objetivo deles era me tirar [da disputa por uma vaga na Suprema Corte]. Mas quem sou eu para ir para o STF? Um simples mortal. Nunca disputei, nunca pedi, nunca quis isso"

Foto: Sergio Amaral/STJ

Jornal GGN – O ministro Humberto Martins, do Superior Tribunal de Justiça, disse à jornalista Monica Bergamo, na manhã desta quinta (1/8), que os procuradores da Lava Jato passaram dos limites e que o ataque à sua imagem é uma tentativa de eliminá-lo da disputa por uma vaga no Supremo Tribunal Federal.

A edição da Folha de hoje, em parceria com o Intercept, mostra que Deltan agiu para tentar impedir que Humberto Martins fosse nomeado por Michel Temer para o STJ. O motivo, na visão do procurador, é que seu filho havia sido citado em delação de Leo Pinheiro da OAS, que teria afirmado que pagou R$ 1 milhão para o jovem advogado. O acordo de delação ainda não foi homologado.

“Mesmo eu julgando contra os interesses da OAS, os procuradores buscaram incluir meu nome [na delação], conforme divulgado! Tempos difíceis! Passaram de todos os limites!”, escreveu Martins à jornalista da Folha.

“O objetivo deles era me tirar [da disputa por uma vaga na Suprema Corte]. Mas quem sou eu para ir para o STF? Um simples mortal. Nunca disputei, nunca pedi, nunca quis isso”, acrescentou o magistrado.

“Estou triste, muito triste, muito triste”, repetiu. “Tenho 47 anos de serviço público. É duro constatar que eu não estava envolvido em nada e fui citado apenas porque queriam barrar uma indicação para o STF que eu nunca pedi.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

13 comentários

  1. Hummmm, agora que eles passaram dos limites? Quando no CNJ o senhor arquivo processo contra moro por suas arbitrariedades estava tudo certo, quando lhe atinge a coisa muda de figura ne? Intercerptar e divulgar conversas reservadas de uma presidente da republica divulgada em âmbito nacional não tem nada demais nè? Hipocrita! Estão provando do próprio veneno..

  2. Deltan e sua turma atravessaram as barreiras criminais como reclama agora o ministro Humberto Martins e em muitos outros episódios atingindo seguidamente o stf e tudo tem ficado até agora ” na boa “. Até quando assistiremos esta complacência de quem se espera garantia das instituições brasileiras e continuaremos observar a destruição do Brasil

  3. Moro manda dizer que as conversas de Dallagnol tambem nao tinham “nada de mais”. Era “tudo protocolar”.

    E teria dito mais, porem teve que correr pra mercearia pois os pirulitos de Dallagnol tinham acabado e ele estava ameacando chorar.

    The end.

  4. Tudo santo…. como se não houvesse conversas a respeito de tudo e de todos em família, amigos, colegas de serviço. O que tem que ser provado é um ato. Uns aqui podem dizer que precisam fazer algo para que o Bolsonaro não seja reeleito. Outros podem dizer que é preciso fazer quase de tudo para que o Lula não seja solto. Ou seja, conversas sem qualquer valor, como se de bar fosse.

  5. Há muito tempo que os Jatoeiros passaram dos limites. O problema é que pimenta no ânus dos outros é refresco no boga dos Jatoeiros.

    Alguém perguntou:

    “Se um hacker descobriu, ilicitamente, que um homem violentou sexualmente uma criança, as otoridades vão investigar o pedófilo ou o hacker?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome