Moro recupera apoio que perdeu na Vaza Jato e maioria quer impeachment de Bolsonaro

Com saída em meio à pandemia de coronavírus, Sergio Moro retoma patamar de popularidade que perdeu na série da Vaza Jato

Jornal GGN – Pesquisa do Atlas Político divulgada pelo El País nesta segunda (27) mostra que a saída de Sergio Moro do governo, por conta de interferências de Jair Bolsonaro na Polícia Federal, marcou a retomada do crescimento da popularidade do ex-juiz da Lava Jato, que havia caído no meio das acusações de parcialidade que surgiram na esteira da série Vaza Jato, do Intercept Brasil.

Antes Moro tinha 48% de aprovação, e agora deixa Bolsonaro com 57%. Em 15 de abril, antes de anunciar a demissão, sua aprovação era de 53%.

Já sobre o presidente, a maioria (54%) respondeu que ele merece um processo de impeachment. É a primeira vez que o Atlas Político afere maioria absoluta a favor da queda de Bolsonaro. A pesquisa tem 2 pontos percentuais de margem de erro.

A pesquisa também indica que 68% dos entrevistados discordam da demissão de Maurício Valeixo do comando da PF por Bolsonaro, e 72% concordam com as críticas feitas por Moro ao presidente.

O ex-juiz da Lava Jato acusou Bolsonaro de querer colocar nomes de sua confiança em cargos estratégicos da Polícia Federal, com o intuito de obter informação privilegiada sobre inquéritos em andamento.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Carlos Bolsonaro, sobre depoimento de Moro: “tentativa boçal”

5 comentários

  1. Sem poder de Estado (juiz ou ministro) popularidade não serve pra nada. Nem pro presente nem pro futuro. Moro é superestimado. Só faz o que faz quando protegido pelos cargos. E ter apoio Globo já não é garantia de muita coisa.

  2. Na terra da santa cruz, hospitais sem estrutura, lotados, doentes na loteria de quem vai sobreviver, cemitérios e sepultamentos sem a piedade do momento extremo etc., mas o fato relevante é que a popularidade de um sujeitinho delinquente, bibelô das classes abastardas é motivo de pesquisa de opinião.
    Num post pouco acima a imprensa é bondosamente chamada de necrófila, quanta piedade para mencionar a m#$%@.

    1
    1
  3. Resumindo: tem que excluir determinada temporalidade da biografia de Moro (para a Globo, estes 16 meses, mais alguns de namoro já no primeiro turno: não existiram). Fazer prevalecer outra: àquela das viagens bimensais ao EUA (para aprimorar a redação do laudo de “provas indeterminadas”). O rapaz é fraco e limitado, não consegue elaborar um raciocínio: observem as entrevistas. Não consegue dialogar e muito menos debater. Por isto é necessário deixar Lula fora do páreo ou forçar sua inexistência (como o JN já fez em poucos dias de “campanha” morista)

  4. Moro saiu maior ? Não sei não… Minha percepção é de que muitos conseguiram enxergar que Moro é um ambicioso sem escrúpulos. Além disso, Moro será bombardeado por petistas e bolsonaristas fanáticos. Vamos aguardar mais um pouco pra ver o q acontece

    • Concordo com você Marcos Videira, pois ele será bombardeado pelos dois lados, direita e esquerda. Ele já tem o Instituto Rosângela Moro para captar recursos, e se mantém como preferido da Rede Globo, é bom ficar de olho nesses barcos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome