Não é arapongagem, é “defesa do Estado”, diz Mourão sobre dossiê antifascista

"Isso não é arapongagem, dentro da visão que estão colocando. A gente tem que deixar de ter uma certa hipocrisia com determinados assuntos e ser objetivo", disse Mourão

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O vice-presidente Hamilton Mourão disse à imprensa nesta sexta (14) que o dossiê antifascista que o Ministério da Justiça produziu contra servidores federais e estaduais não é “arapongagem”, mas “defesa do Estado”.

“Isso é defesa do Estado. Quando houve caso do Decotelli [ministro da Educação que deixou o cargo após polêmicas no currículo], como é que, vamos dizer assim, que a Abin ia descobrir que o dossiê do Decotelli era fake? Teria que aprofundar a vida dele”, justificou Mourão.

“Isso não é arapongagem, dentro da visão que estão colocando. A gente tem que deixar de ter uma certa hipocrisia com determinados assuntos e ser objetivo”, completou Mourão.

O documento reúne dados de cerca de 600 pessoas contrárias ao governo Bolsonaro ou adeptas ao movimento antifascista. A espionagem foi parar na ONU e o Supremo Tribunal Federal deve julgar uma reclamação movida pela Rede no dia 19 de agosto.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora