OAB-SP cria ações com Secretária de Segurança para diminuir conflitos nas manifestações

“Os ‘observadores institucionais’ irão incentivar o diálogo, mediando conflitos e ajudando em eventuais acirramentos”, disse o presidente da OAB-SP

Foto: Zanone Fraissat – 21.mai.11/Folhapress

Jornal GGN – A Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo (OAB-SP), em conjunto com o Sindicato dos Advogados (SASP) e do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCrim), criaram uma série de propostas em conjunto com a Secretaria de Segurança Pública para diminuir com conflitos entre manifestantes e a polícia militar durante protestos. 

As medidas foram definidas durante reunião nesta sexta-feira, 5 de junho, entre as entidades, o secretário da segurança João Camilo de Campos e o ouvidor da Polícia Militar Elizeu Soares Lopes. 

 “Os ‘observadores institucionais’ irão incentivar o diálogo, mediando conflitos e ajudando em eventuais acirramentos”, disse o  presidente da OAB-SP, Caio Augusto Silva dos Santos.

Agora, a seção paulista da Ordem e o SASP serão mediadores entre o setor de segurança da cidade e os manifestantes durante atos públicos políticos, sociais e culturais.

Entre as ações, foi definido que terá “algum representante da OAB-SP na sala de monitoramento da PM durante as manifestações; a criação de uma Câmara de discussões, com reuniões periódicas, e a criação de protocolos que deverão ser seguidos durante os atos; os policiais estarão identificados e haverá mais drones sobrevoando a área, sendo permitido o uso de máscaras neste período de pandemia”.

Durante a manifestação, todos os representantes usarão coletes com identificação, facilitando o seu reconhecimento. A ideia é que a OAB-SP sirva de mediador de conflitos e zele pelos direitos do cidadão”, diz nota da entidade. 

“O direito à manifestação é livre, amplo e inerente a cada cidadão. Sabemos que esses protestos às vezes passam dos limites e precisam ter algum regramento”, afirmou o vice-presidente da OAB-SP, Ricardo Toledo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Do Banestado à Lava Jato: um dossiê sobre o passado de Sergio Moro

2 comentários

  1. Uma otima oportunidade para quem os governadores retomem o controle das PMS que Há muito tempo escolheram lado o lado das MILICIAS do FASCISMO.

  2. A Revoada das Galinhas Verdes foi um confronto entre fascistas e anti-capitalistas, ocorrido na Praça da Sé, no Centro de São Paulo, antes de meados do século passado. Os Fascistas se vestiam de verde, copiando os Fascistas Italianos, que se vestiam de preto. No confronto, os Galinhas Verdes levaram a pior e tiveram que fugir, enquanto se despiam de seus uniformes verdes, para não serem alvos da reação furiosa dos anti-capitalistas. Assim, o fascismo brasileiro foi abortado no seu nascedouro.
    Hoje a gente pode fazer a mesma coisa. Os Galinhas Verdes Bostonarianos, apesar de barulhentos, correspondem a no máximo 30% da população. Assim, enquanto cada um deles, para saírem vitoriosos num confronto com os Anti-Fascistas, tem que abater mais de dois Anti-Fascistas, cada Anti-Fascista, para triunfar sobre o Fascismo, tem apenas que eliminar menos da metade de um fascista.

    Sem chance para os Galinhas Verdes Tardios

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome