Oficial de justiça comunica Bolsonaro sobre processo de impeachment

Comunicado foi enviado após decisão do ministro Celso de Mello, que deu espaço para Bolsonaro se manifestar sobre o processo

Jornal GGN – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, decidiu informar nesta sexta-feira, 15 de maio, Jair Bolsonaro (sem partido) sobre ação de impeachment movida por um grupo de advogados na Corte. O ministro ainda deu espaço para Bolsonaro se manifestar sobre o processo. 

A ação dos advogados José Rossini Campos e Thiago Santos Aguiar pede que a Justiça obrigue a análise do Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sobre pedido de impeachment de Bolsonaro protocolado pelo grupo em março.

Sobre o pedido, Celso de Mello decidiu incluir Bolsonaro na discussão encaminhando comunicado por meio de um oficial de justiça.

“O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, manda que o Oficial de Justiça cite o excelentíssimo Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, com endereço no Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes, Brasília/DF, para, na condição de litisconsorte passivo necessário, integrar a relação processual e, querendo, contestar o pedido. DADO E PASSADO na Secretaria do Supremo Tribunal Federal, em 13 de maio de 2020”, diz parte do documento.

Celso de Mello também enviou ‘prévias informações’ sobre o processo à Rodrigo Maia. Mas, na semana passada, o parlamentar informou que pedidos impeachment de Bolsonaro não deve ser a pauta da casa “pelos próximos anos”. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Documentos revelam vaivém no gabinete de Jair Bolsonaro na Câmara

7 comentários

  1. Muito importante essa iniciativa do STF vamos ver se o presidente da Câmara dos Deputados toma vergonha e encaminha os processos de impeachment.

    • Maia é um porco covarde.
      Como ele ja disse, bozo pode fazer a cagada que quiser pois nos proximos anos nao se analisariam pedidos de impeachment.
      Vamos esclarecer os “proximos anos”: Será em Ago 2023, se o PT vencer a eleição de 2022. Aí arrumam pseudo motivos como “pedalada fiscal”.
      Canalhas! covardes!

  2. Maia me lembra o ET do filme naquela cena do armário dos bichos de pelúcia… querendo não ser visto …

    O STF mais uma vez fazendo o trabalho dos outros Poderes.
    Isto me preocupa.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome