PIB encerra terceiro trimestre com crescimento de 7,7%

Setores de Indústria e serviços ajudam economia brasileira a se recuperar; variação foi inflacionada pela fraca base de comparação

Jornal GGN – O Produto Interno Bruto (PIB) da economia brasileira encerrou o terceiro trimestre em alta de 7,7% em relação ao segundo trimestre, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Com o resultado, a economia do país se encontra no mesmo patamar de 2017, com uma perda acumulada de 5% de janeiro a setembro, em relação ao mesmo período de 2019. Embora o indicador tenha apresentado sua maior variação desde o início da série, em 1996, o resultado foi influenciado pela fraca base de comparação – no segundo trimestre, a queda foi de -9,6%.

“Crescemos sobre uma base muito baixa, quando estávamos no auge da pandemia, o segundo trimestre. Houve uma recuperação no terceiro, contra o segundo trimestre, mas se olharmos a taxa interanual, a queda é de 3,9% e no acumulado do ano ainda estamos caindo, tanto a Indústria quanto os Serviços. A Agropecuária é a única que está crescendo no ano, muito puxada pela soja, que é a nossa maior lavoura”, diz Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do IBGE.

Ao longo do período, a Indústria cresceu 14,8% e os Serviços aumentaram 6,3%, enquanto a Agropecuária ficou em -0,5%. Na comparação com igual período de 2019, o PIB, que é soma dos bens e serviços finais produzidos no país, teve retração de 3,9% e, em valores correntes, chegou a R$ 1,891 trilhões, sendo R$ 1,627 trilhão em Valor Adicionado a Preços Básicos e R$ 264,1 bilhões em Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora