Presidente da Embratur tem multa ambiental cancelada pela ICMBio

Gilson Machado foi multado em R$ 3,5 mil devido a construção de bangalôs em área de preservação ambiental; representante da entidade responsável pela promoção do turismo nacional teve mesmo benefício do presidente Jair Bolsonaro

Gilson Machado, presidente da Embratur (esq.) é próximo do presidente Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução

Jornal GGN – Mais uma autoridade se livrou de pagar multa por infração ambiental: Gilson Machado, presidente da Embratur, teve uma infração anulada nesta sexta-feira, e seguiu o exemplo do presidente Jair Bolsonaro, que teve uma multa que recebeu do Ibama por pesca ilegal cancelada.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, a decisão foi tomada pela coordenação do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) de Pernambuco. O ato extinguiu uma multa de R$ 3.500 aplicada pelo próprio Chico Mendes, em 2016, por causa de instalações de sete bangalôs de madeira e palha que Machado possuía dentro da área de preservação ambiental Costa dos Corais.

Em sua conclusão de janeiro, o ICMBio afirmou que restaram comprovados como “inverossímeis os vídeos e argumentos” apresentados por Gilson Machado. O coordenador do ICMBio em Pernambuco, Ronei Alcântara da Fonseca, chegou a declarar que a equipe de fiscalização “agiu corretamente” ao lavrar o auto de infração e ao remover todas as estruturas fixas instaladas no local.

Contudo, Alcântara mudou de ideia ao final de fevereiro ao dizer que, diante de “elementos fáticos” e da “inexpressividade da lesão provocada ao meio ambiente pela conduta”, decidiu cancelar o auto de infração, “tornando nulos seus efeitos”.

Machado é próximo de Bolsonaro e tem frequentado os vídeos ao vivo do presidente nas redes sociais, além de contar com o apoio direto do senador Flávio Bolsonaro (Sem partido-RJ) em suas incursões na área ambiental.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome