Refém de mecanismos econômicos liberais, Brasil esvazia estoques de alimentos

Nos últimos 10 anos os estoques públicos de alimentos tiveram queda de 96% na média anual.

Reprodução

Jornal GGN – Em meio a alta nos preços dos principais alimentos da cesta básica do brasileiro, os estoques públicos de grãos sofre esvaziamento. O arroz, por exemplo, registrou um das quedas mais bruscas de armazenagem nos últimos anos. Já o feijão sumiu dos estoques públicos há mais de três anos e soja não é armazenada desde 2013. As informações são do Uol. 

De acordo com os dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), atualizados no início de setembro, nos últimos 10 anos, os estoques públicos de alimentos tiveram queda de 96% na média anual. 

Segundo o Uol, economistas afirmaram que “a situação reflete uma política liberal dos últimos governos, que deixa os preços dos produtos à mercê da oferta e da procura do mercado e da oscilação no valor do dólar, sem interferência do Estado”.

No entanto, o governo afirma que o custo do armazenamento é alto e que os grãos não podem ser adquiridos pelo preço mínimo, um valor definido anualmente, como estabelece a legislação. 

Este e outros fatores podem explicar o aumento no valor do principal alimento da mesa da população brasileira, o arroz. Confira a análise do jornalista Luis Nassif (aqui). 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora