Sobe valor mercado de empresas brasileiras em 2016

Segundo dados da Economatica, divulgados em agosto, o valor de mercado de 276 empresas brasileiras de capital aberto verificadas este mês chegou a US$ 715,7 bilhões. O número corresponde a um crescimento de US$ 250,2 bilhões em 2016, ou seja, desde o início do ano até o dia 25 de agosto houve valorização de 53,76%. No fim do ano passado, o valor de mercado dessas empresas era de US$ 465,5 bilhões.

Entre as seis bolsas auferidas, o México apresentou menor crescimento este ano. O percentual ficou abaixo de 2%, apresentando aumento de apenas US$ 6,3 bilhões. Os seis mercados da América Latina conjugados possuem 666 empresas, e o crescimento total este ano é de 25,67%. No final de 2015, o valor de mercado das seis bolsas LATAM era de US$ 1,26 trilhões, e agora em agosto o valor ultrapassou US$ 1,50 trilhões.

Das 20 empresas com maior valorização de mercado no período, 15 são brasileiras. Além disso, do total também temos duas companhias mexicanas, duas peruanas e uma da Colômbia. As cinco companhias que encabeçam a lista são brasileiras: Petrobras, Bradesco, Ambev, Itau Unibanco e Vale. Nesse sentido, os setores que mais cresceram na América Latina até agosto de 2016 foram os bancos, seguidos pelo setor petrolífero, pelo de bebidas e pelo de mineração.

A pesquisa da Economatica também abrangeu 1200 das maiores empresas dos Estados Unidos. Sobre este total, no final do ano passado, as companhias norte-americanas apresentaram valor de mercado de US$ 21,89 trilhões. Agora em agosto, foi averiguado que os números cresceram 5,72%, chegando a US$ 23,14 trilhões.

Se for feita a comparação entre o aumento do valor de mercado das empresas dos EUA e da LATAM, a diferença fica ainda mais expressiva. O crescimento do valor de mercado das empresas dos USA em 2016 até o dia 25 de agosto é quase o valor de mercado de todas as 666 empresas de LATAM em dezembro do ano passado.

As seis bolsas LATAM somadas têm valor de mercado compatível com o valor de três grandes empresas norte-americanas: Apple, Google e Microsoft. Juntas, essas companhias valem US$ 1,59 trilhões, equiparando-se às 666 empresas latino-americanas.

Outros exemplos para comparação: o valor de mercado da Bovespa, a maior bolsa da América Latina, equivale à soma do valor de Apple e IBM. Isso significa que as gigantes norte-americanas totalizam US$ 731,2 bilhões e ultrapassam a soma de todas as 278 empresas da bolsa brasileira, de US$ 715,7 bilhões.

As 116 empresas do México, por sua vez, apresentam valor de mercado menor do que uma única companhia dos EUA: a Microsoft. A bolsa chilena, que hoje soma US$179,8 bilhões, fica atrás da Coca-cola no que se refere a valor de mercado. E o total das companhias da Colômbia tem valor de mercado de US$101,18 bilhões, menor que a Mastercard que possui valor de US$104,9.

Ademais, os investidores devem ficar atentos ao mercado latino-americano. Tanto o capital estrangeiro, quanto o nacional, poderá encontrar oportunidades de negócios e realizar lucros interessantes. Através da análise fundamentalista, é possível verificar o desempenho e as perspectivas de crescimento das empresas que apresentaram valorização expressiva e fazer operações de compra e venda dos ativos.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora