Supremo poderá abrir uma das grandes caixas pretas da Lava Jato, por Luis Nassif

Fachin sucumbiu à pressão de Curitiba para evitar que a defesa de Lula tenha acesso a provas produzidas no exterior contra a Odebrecht, que podem atestar fraude processual

Um episódio que passou despercebido revela, bem, o envolvimento do Ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, com a Lava Jato e sua parcialidade absurda.

Certo dia, um delegado de Curitiba mandou um ofício criticando a cópia do Drousys, o sistema de ERP [gestão empresarial] da Odebrechet que, segundo ele, tinha vindo adulterado da Suíça. Juntou o ofício na ação penal de Lula.

Ao perceber o engano, o então juiz Sérgio Moro alegou que o ofício não tinha interesse, e ordenou o translado para um determinado arquivo, do qual a defesa de Lula nunca tinha ouvido falar. Descobriu-se, com isso, que havia autos secretos não acessados pela defesa.

Foram, então, ao Supremo com uma reclamação alegando que o tal arquivo tinha informações valiosas para a defesa, pois colocando em dúvida o sistema. Em um instante de distração, monocraticamente Fachin considerou a reclamação pertinente e autorizou o acesso.

Quando recebeu o ofício do Supremo, a juíza Gabriela Hardt se recusou a cumprir a ordem. Intimou a Odebrecht e o Ministério Público Federal para se manifestar e enviou ofício a Fachin dizendo que não iria dar o acesso.

Era uma desobediência que afrontava a autoridade do Supremo. A reação de Fachin foi colocar panos quentes. Informou que mandaria fazer uma perícia. A defesa sustentou que não estavam pedindo perícia, mas acesso aos autos. Fachin proferiu quatro ou cinco decisões, tipo ‘não sei bem do que estão falando’, e não permitiu o acesso aos autos.

Embora sua primeira decisão tenha transitado em julgado, está em curso um agravo regimental para a Segunda Turma. Ontem, o Ministro Ricardo Leandowski pediu vista. Pedindo, o caso sai do plenário virtual e será julgamento presencialmente.

Leia também:  Inquérito sobre propina da JBS a Aécio sai da Justiça Federal para a Justiça Eleitoral

Dependendo da decisão da Segunda Turma, será aberta uma das maiores caixas pretas da Lava Jato.

As duas maiores caixas pretas continuarão indecifradas: o que ocorreu com Luiz Edson Fachin e Luis Roberto Barroso para uma virada tão radical em sua biografia.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

"o que ocorreu com Luiz Edson Fachin e Luis Roberto Barroso para uma virada tão radical em sua biografia." Não seria surpresa encontrar, nessa caixa-preta, covardia e vaidade. É uma estratégia recorrente, pode reparar: a pessoa, denunciando as mazelas da elite, ganha os holofotes da mídia. E aí, quando a elite percebe que a pessoa tomou gostinho pela fama, pela grana, pelo prestígio, coopta essa pessoa que, por sua vez, fica com o seguinte dilema: "Mantenho as denúncias e a mídia me abandona e retira de mim o bem viver que me deu OU sigo a "regra do jogo", interrompo com as denúncias - embora possa manter o repertório de frases de efeito e quem "impactam" a classe média as "pessoas de bem" -, falo das profundezas d'alma e ganho os tubos com palestas "motivacionais". Eventualmente ganho até um avantalzinho maçon, uma medalha qualquer?" Repara só: é só ameaçar o establishment que, antes de anulá-lo, ele tentará te comprar. E aí é só vender. É uma indústria padrão, um produto num pacote fechado. Karnal (entre outros) que o diga... "Na densa floresta feliz prolifera A linhagem da fera feroz Ciclones de estrelas Desenham-se Livres e fortes diante de nós E eu [só] com minha voz"... (Caetano, "Love, love, love")

Renato Lazzari

Na AP470, tb tinha um processo secreto. A defesa do Pizzolato, tentou, em vão ter acesso. O Judiciário nativo, mostrou a cara com Mensalão e Lava Jato. É bom que fique claro que o judiciário, sempre funcionou assim. A única diferença é que, da AP 470 pra cá, o STF é submetido ao MPF. A última instância do judiciário não é mais o STF. E, o TSE, perdeu completamente, a relevância, assim como CNJ.

Cristiana Castro

Será que Fachin realmente, em seu íntimo, tinha esse perfil socialista? O conheci no fim dos anos 80, bem de perto. Sugiro ao repórter que realize uma séria investigação, entrevistando com profundidade ex-alunos ex-alunos da PUC/PR sobretudo os bolsistas e os do crédito educativo, ex-componentes da extinta União Geral de Bairros de Curitiba, da CPT e das demais ONGs em que teve atuação.

FERNANDO ANTONIO MOURA FIALHO SILVA

17 comentários

  1. Muitos aqui já deixaram muito claro que a Lava Jato é uma Organização Criminosa.
    Se faltava tipificar o tipo de crime cometido por essa OrCrim, com o enfrentamento de Fachin pela Gabriela não falta mais; A Lava Jato é uma Organização Terrorista.

    35
    1
  2. “o que ocorreu com Luiz Edson Fachin e Luis Roberto Barroso para uma virada tão radical em sua biografia.”

    Não seria surpresa encontrar, nessa caixa-preta, covardia e vaidade. É uma estratégia recorrente, pode reparar: a pessoa, denunciando as mazelas da elite, ganha os holofotes da mídia. E aí, quando a elite percebe que a pessoa tomou gostinho pela fama, pela grana, pelo prestígio, coopta essa pessoa que, por sua vez, fica com o seguinte dilema: “Mantenho as denúncias e a mídia me abandona e retira de mim o bem viver que me deu OU sigo a “regra do jogo”, interrompo com as denúncias – embora possa manter o repertório de frases de efeito e quem “impactam” a classe média as “pessoas de bem” -, falo das profundezas d’alma e ganho os tubos com palestas “motivacionais”. Eventualmente ganho até um avantalzinho maçon, uma medalha qualquer?”

    Repara só: é só ameaçar o establishment que, antes de anulá-lo, ele tentará te comprar. E aí é só vender. É uma indústria padrão, um produto num pacote fechado. Karnal (entre outros) que o diga…

    “Na densa floresta feliz prolifera
    A linhagem da fera feroz
    Ciclones de estrelas
    Desenham-se Livres e fortes diante de nós
    E eu [só] com minha voz”…
    (Caetano, “Love, love, love”)

    17
    1
  3. A Lava Jato era um projeto de poder, eu digo era porque o projeto deu certo e seu comandante hoje ocupa o cargo de Ministro no governo que ajudou a eleger com suas inúmeras fraudes e ilegalidades. Porém temos que observar que o planejamento dessa complexa operação durou muitos anos e não poderia ter sido montado por um juiz medíocre e uma duzia de procuradores canalhas. Não, ela foi cuidadosamente montada pelo departamento de justiça americano em conluio com a CIA e a NSA. Estamos falando de profissionais mundiais de golpes e canalhices que esses ratinhos da Lava Jato não conseguem nem um contato inteligente. Não há termos de comparação, é como uma ameba querer sentar ao lado de Mozart e tocar piano a quatro mãos. Portanto esses senhores do mundo tiveram acesso a coisas bem comprometedoras da vida desses dois amebas do supremo e colocaram essas informações à disposição da Lava Jato para chantageá-los. Simples assim. As amebas estavam confortáveis em sua cultura de amebas e certas de que nada iria manchar as suas reputações. Porém as sucessivas revelações da Vaza Jato nos trazem uma pergunta daquelas que não calam nunca: os segredos da vida de Fachin e Barroso que serviram para chantageá-los dificilmente incinerariam a reputação de ambos tanto quanto suas atitudes para encobri-lo. Nesse caso os ministros desavergonhados trocaram seis por uma duzia.

    37
  4. Nassif: você acha indecifrável Barrentão e FacãoCego? vou lhe dar uma dica, que ouvi num carimbó, no Pará — “quem tem rabo de palha não se meta comigo, porque mato tem olho e parede tem ouvido”. Os VerdeSauvas foram claros e direto. Dizem que quem (…) tem medo. O dos caras parece ser grande. E nessa toada, pode esquecer esse troço de abrir caixa disso ou daquilo. Se dona Verduga disse que não, não vai ser um ou outro ministreco, cagando-se de medo, que irá contraria-la. O dos dois caras tá tão apertado que não passa nem pensamento.

    16
    1
  5. Ora o caso do Barroso foi o grampo. O do Fachin, tudo leva a crer que ele se sentiu “desprestigiado”, órfão do governo Dilma e do PT, PT, PT no ritual de beija mão que teve de fazer no Congresso para a sua nomeação. Mesquinho, está de vingança pessoal. Além, é claro dos laços de lealdade que construiu no processo todo desde o Paraná e das provas de desamor que todos que foram indicados por Lula e Dilma precisam dar para “provar independencia”…

    Neste ultimo ponto, só perdem pro Toffoli e pro Barbosa.

    13
    1
  6. Na AP470, tb tinha um processo secreto. A defesa do Pizzolato, tentou, em vão ter acesso. O Judiciário nativo, mostrou a cara com Mensalão e Lava Jato. É bom que fique claro que o judiciário, sempre funcionou assim. A única diferença é que, da AP 470 pra cá, o STF é submetido ao MPF. A última instância do judiciário não é mais o STF. E, o TSE, perdeu completamente, a relevância, assim como CNJ.

  7. Uma máfia que juntou-se com a milícia, o Supremo tribunal Federal e Conselho Nacional de Justiça conivente com a destruição da estrutura do estado de direito. Quem mais deveria preservar e defender a legislação e a constituição, passa-se por coniventes da sacanagem institucional, na justiça brasileira.

  8. Só resta lamentar por nossa fragil democracia, e pelo momento de trevas que jogou o povo em pleno desalento.

  9. Este senhor ministro, é o chorão, que fez tudo para alçar o cargo de ministro, todos que Lula indicou, se voltou contra ele, o povo brasileiro é acomodado, quando este país entrar em bancarrota, aí será tarde, é viva a República de bananas.

  10. Será que Fachin realmente, em seu íntimo, tinha esse perfil socialista? O conheci no fim dos anos 80, bem de perto. Sugiro ao repórter que realize uma séria investigação, entrevistando com profundidade ex-alunos ex-alunos da PUC/PR sobretudo os bolsistas e os do crédito educativo, ex-componentes da extinta União Geral de Bairros de Curitiba, da CPT e das demais ONGs em que teve atuação.

    3
    1
  11. Agiram em contrário ao que a lei ordena. Não é crime? E cometido por juizes.
    Não sei se é um projeto de poder, por que obedece a instruções de fora e portanto vassalo, mas claro que é um projeto de destruição do país para disto tirar lucro, dinheiro.

  12. sabe aqueles 2,5 bilhões ????

    então…. tenho plena convicção que um percentual gordo abasteceria as contas destes supremos

  13. Que a justiça absoluta prevaleça. Não a vingança , não o partidarismo , não a vaidade da toga. Lula é um bode expiatório e a ele imputaram todos os pecados do fracasso político e social do Brasil. O peso deve ser justamente distribuído.

  14. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome