Peça 1 – o xadrez da crise

O que se pretende demonstrar neste Xadrez é o seguinte:

1 – O ritmo de saída da crise econômica dependerá das medidas que estão sendo tomadas agora: o que será preservada da estrutura econômica atual; e qual a posição do Brasil no comércio mundial pós-crise.

2 – Quanto maior a demora em sair da crise, maior o desalento e maior a instabilidade política futura.

3 – Não há a menor possibilidade do governo Bolsonaro apresentar um plano minimamente viável de saída para a crise. Ele é uma ameaça nacional pelo que faz e pelo que deixa de fazer.

4 – Momentos de grande desalento, como os atuais, abrem espaço para duas formas de reação: ou o exercício da solidariedade ou o discurso de ódio, com alguma liderança oportunista acenando com inimigos fictícios para produzir coesão. Tudo dependerá da maneira como será organizado o primeiro tempo do jogo pós-Bolsonaro.

5 – O discurso do confronto, praticado pelos Bolsonaro, passa por profundo desgaste, pela incapacidade de produzir qualquer política propositiva, e pelos fracassos nas três frentes: econômica, social e política. Cada dia de vida do governo Bolsonaro é um buraco a mais no caminho da recuperação nacional. Bolsonaro está alijando o país do chamado concerto das Nações e produzindo um desmonte em todas as instituições nacionais.

6 – Por outro lado, tirar Bolsonaro sem apresentar uma alternativa viável, significará aprofundar o caos. E vive-se uma era de desmoralização generalizada de todas as instituições. Da fase anterior, ocorreu a desmoralização dos partidos políticos, pela leniência com o presidencialismo de coalisão e falta de limites para os financiamentos de campanha; do Supremo Tribunal Federal e da mídia, pelo endosso ao discurso de ódio, ao desrespeito à Constituição e pelo uso oportunista da bandeira anticorrupção.  O desmanche político provocado pela Lava Jato conseguiu piorar ainda mais a representação parlamentar. A crise dos dois partidos centrais – PT e PSDB – pulverizou ainda mais o quadro partidários. Na primeira etapa, foram preservadas as Forças Armadas, por não terem ainda sido testadas. Com Bolsonaro, o desgaste atingiu também os militares.

Pela primeira vez, na história, o Brasil corre o risco de desmanchar-se como Nação. Na prática significaria a desmontagem final de qualquer ordem institucional, a perda de comando sobre as forças policiais e militares, a perda de coordenação do Supremo sobre a primeira instância e das casas do Congresso sobre o baixo clero, a expulsão do chamado concerto das nações, o isolamento comercial.

Leia também:  Pais são obrigados a vacinar filhos se autoridades sanitárias recomendarem

Peça 2 – a inviabilidade do governo Bolsonaro

EconomiaOs números são eloquentes. São 12,7 milhões de desempregados, Mais que isso. Segundo a Pesquisa Pulso Empresa do IBGE, divulgada ontem, das 1,3 milhão de empresas que estavam fechadas na primeira quinzena de junho. 522,7 mil não mais reabrirão. Dessas, 518,4 mil são de pequeno porte, com até 49 empregados. Significa que, no pós-pandemia, haverá 522,7 mil empregadores a menos e 522,7 mil pequenos empresários jogados na zona cinzenta da falta de emprego. E, com o aumento do desemprego e a redução da renda, um mercado de consumo exangue.

Guedes não mostra nenhuma estratégia de reativação da economia. Falhou no apoio às empresas, na retomada do crédito, nas políticas de sustentação de emprego e renda. Continua preso a um fundamentalismo econômico suicida, que está inviabilizando a retomada dos investimentos em saneamento, ao pretender liquidar da noite para o dia as empresas estaduais de saneamento, deixando os municípios ao Deus-dará.

Sua lógica é simples.

1. Não dispõe de nenhuma capacidade operacional.

2. Não consegue montar uma estratégia sequer de retomada, seja por insuficiência de conhecimento, seja pela incapacidade de operacionalizar estratégias que exigem competência gerencial e conhecimento da realidade.

3. Vendo seu tempo se esgotar, desvia o foco para as tais reformas. Mercado e mídia reagem pavlovianamente, desviando a pressão nas medidas emergenciais para um discurso vago de reformas, que em nada amenizarão a derrocada atual da economia. Discute-se como a economia se salvará enquanto as bestas de Bizâncio querem discutir o que fazer depois da salvação.

Saúde – cada vez mais o início a retomada da economia se dará após o controle do Covid 19. A política de saúde é um desastre reconhecido. Bolsonaro desarticulou qualquer papel coordenador do governo federal frente à pandemia. Falhou na compra de medicamentos, na transferência de recursos, com a demissão de Luiz Eduardo Mandetta desmontou a tentativa do Ministério de Saúde de articular expectativas. Finalmente, colocou à frente do Ministério militares sem nenhuma conhecimento da matéria. Futuramente, será denunciado, julgado e condenado em tribunais internacionais por genocídio. Nos próximos meses, a exposição do fracasso brasileiro dificultará cada vez mais acordos comerciais ou sanitários.

Meio Ambiente – a militarização do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), a manutenção de Ricardo Salles à frente do Ministério do Meio Ambiente, e a tentativa do vice presidente Hamilton Mourão, em simular atendimento das demandas globais sobre a Amazônia, estão destruindo a política ambiental brasileira. Em um setor que exige sinergia, articulação com governos de estado, prefeituras, com ONGs, Mourão montou uma estrutura essencialmente militarizada. E defende intransigentemente a ideia de que a preservação da Amazônia se dará através da ocupação econômica da região. Só que não dispõe de um plano racional sequer. Com isso, a a questão econômica se restringe à flexibilização da fiscalização do garimpo, da pecuária e da exploração ilegal de madeiras, com um discurso que engana bolsominions, mas não a opinião pública internacional, com capacidade de checar as informações brasileiras através de outros serviços de satélite e do testemunho das ONGs que atuam na Amazonia.

Leia também:  Brasil leva até 10 anos para transferir tecnologia das vacinas

Comércio Exterior – o Brasil se tornou um pária global, até em setores em que tinha excelência, como saúde e meio ambiente. A atuação ideológica do Ministério das Relações Exteriores, os atentados ao meio ambiente, o desrespeito aos direitos humanos, gradativamente est isolando o país da União Europeia e promovendo atritos com a China, principal parceiro comercial. As relações com Donald Trump tiveram como consequência apenas submissão e concessões unilaterais do Brasil, sem nenhuma contrapartida. Agora, com a provável derrota de Trump, os Bolsonaro perdem até o acesso à presidência dos EUA.

Flexibilização precoce – O boicote de Bolsonaro às políticas de isolamento, os erros de diagnóstico e implementação do Ministério da Saúde, a profunda incompetência administrativa de Guedes, geraram pressões pesadas sobre os governadores. Muitos deles cederam e flexibilizaram o isolamento. Agora, vem a caminho uma segunda onda, com implicações sociais, sanitárias e econômicas piores do que a primeira onda.

Haverá a segunda rodada de isolamento em uma de uma economia destroçada.

Essa soma de vetores lança uma nuvem tóxica sobre o país. Haverá desalento pela frente, podendo resultar em dois caminhos opostos, a exemplo do que ocorreu nos anos 30:

* identificação irracional de algum salvador da pátria manipulando inimigos imaginários como alvos;

* exercício da solidariedade.

Peça 3 – os caminhos para o pacto

Ainda não caiu a ficha dos grupos de poder – mercado, grandes empresas, mídia, Supremo, partidos políticos – sobre a urgência de se articular a queda de Bolsonaro e a montagem de um pacto de salvação nacional.

Leia também:  Manchetes dos jornais dos EUA

Ainda há a visão oportunista de tratar Bolsonaro como acidente de percurso e se voltar ao estágio anterior do estado de exceção, de sufocar os contrários e impor a revogação da Constituição de 1988 através de maiorias eventuais no Congresso.

O caminho do pacto nacional é óbvio na formulação e difícil na ausência de interlocutores de todos os campos. Consitiria nos seguintes passos:

1. Definição dos pontos centrais do pacto, as ideias fundamentais, em torno das quais há consenso, e uma trégua nas demais, que abrem espaço para conflitos. Há consenso sobre as medidas emergenciais; e dissenso sobre o nível e profundidade das tais reformas liberalizantes.

2. Montagem de grupos de trabalho interpartidários, com representantes dos principais partidos do centro direita ao centro-esquerda, para discutir propostas justas e viáveis para os problemas da Previdência dos estados, da nova legislação trabalhista, da renda mínima etc.

3. O STF se assumir definitivamente como garantidor dos direitos Constitucionais e implementar de novo o chamado império das leis e do direito.

4. Partidos políticos de todos os espectros firmarem um pacto com o presidente da Câmara Rodrigo Maia visando preservar a neutralidade no internato.

5. Um duro trabalho de reconstrução das principais organizações públicas afetadas pela insanidade bolsonarista, repondo os quadros técnicos de cada área.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

45 comentários

  1. Sem recuperação dos direitos trabalhistas e suspensão das privatizações não tem pacto. Ao menos que envolva os andares de baixo. Pacto da Casa Grande e aderentes ávidos por serem bem aceitos por ela, sem considerar o que interessa, será apenas a mudança “das moscas, permanecendo a “sujeira” (para não dizer o nome verdadeiro). E Maia é totalmente Casa Grande. Suas atitudes e opiniões comprovam à exaustão.

    47
  2. Nassif, sua ilusão otimista me comove, sem ironia e sem deboche: “Pela primeira vez, na história, o Brasil corre o risco de desmanchar-se como Nação.” Quando o Brasil foi uma Nação? Com algum senso de unidade mínima e projeto coletivo mínima, em torno seja lá do que for ? Nossa “criação” foi com base em genocídio, exploração, imposição. Nossa “independência” foi feita de cima pra baixo, com vínculos gigantescos com a antiga colônia e sem emancipação política, cultural, sem promoção de qualquer nível de equanimidade. Nossa “república” foi inventada com base em coturno e baioneta, só pra remexer e renovar um pouco as elites dirigentes. Desde anos tivemos poucos anos de democracia formal, de democracia factual muito menos, de noção popular de democracia então, nem se fale. Até a redemocratização pós-64 foi um movimento que não ganhou lastro de longo prazo. A CF88 tem um projeto inovador, mas, que do mesmo modo, tem pouco vínculo com o que a maioria da população tem como compromisso. Não nós enganemos, nossa elite é predatória, mesquinha, colonial, provinciana, mas (e também por isso) nossas camadas médias e mais populares também vivem (e conscientemente ou não) mantém nossos estigmas: a violência, a pouca convivência com a diversidade, o racismo, o machismo, a intolerância, o inexistente senso de comunidade, de projeto social comum. Nossa Nação, a nossa República, a nossa Democracia ainda precisam ser inventadas, e não dá mais pra ser com 70% da população sendo contra ou desinteressada de tudo isso.

    66
    3
  3. Ah! O pacto! Para que o pacto venha a existir será preciso os patos. Seremos nós?
    A situação atual é decorrente de um golpe de estado perpetrado a partir das diretrizes dadas pelos falcões do norte.
    Interessa a eles qualquer correção de rumos?
    Quem quiser saber a resposta é só observar o Afeganistão, o Iraque e,principalmente, a Líbia.
    Mais do que nunca,em sua decadência, os falcões do norte apostam no dividir para governar.

    38
    1
    • E nada melhor do que uma guerrinha do Brasil com a Venezuela para que se confirme…
      visão e movimentos de defesa sugerem que a saída da crise será militar

      ocupa, domina e entrega grande parte para o Brasil

      mas antes deve acontecer algo por aqui……………………exatamente como aconteceu neste pontos de dominação que você apontou

      6
      2
      • Não vão guerrear com a venezuela, não sozinhos pois sabem do grande risco da derrota.
        Afinal, EUA ficam de ladinho, já que uma intervenção mais presencial arrumará problemas com a Russia. Então, agem como aquele moleque de rua que instiga a briga entre dois otarios com um simples “quem cuspir aqui ganhou a briga (ou xingou a mãe do outro)”.
        O outro caminho, juntar uma patotinha sul-americana contra a Venezuela, esbarra na eleição de Fernandez e na covardia da narco nação colombiana.
        Então, ou seria um embate direto brasilxvenezuela (resultante da burrice do bolsonarismo) ou, e ai reside o interesse dos EUA: um conflito total na America do Sul.
        Armas, suprimentos médicos, dividas astronomicas dos envolvidos e divisão do butim, primeiro entre as hienas que orquestraram o conflito e o que (se) sobrar fica para os abutres que sairem vitoriosos no conflito. É tudo o que tira os eua da recessão e garante por mais alguns anos a hipoteca da “cerquinha branca”, o hamburguer no jantar e o peru na tal “ação de graças”.

  4. Não temos lideres para conduzir esse processo de pacto. Estamos à deriva, vivendo a tragédia nacional dia após dia, sem nada no horizonte.
    É assim que estamos no Brasil: órfãos na tempestade.

    17
    3
  5. Aqui JAZ UM PAÍS chamado brasil.
    “Eles/as” preferem ser tutelados pela pátria libertadora. Não querem protagonismo e muito menos ter a preocupação/trabalho de resgatar-solucionar as mazelas de nossos conterrâneos.
    A “ficha” ainda não caiu. Esta “elite” é isso aí. Terreno árido, inóspito e estéril. É o “DNA, genética , espírito, intelecto” . Tudo isso junto forma o bolo desta elite. Nassif, compara a sociedade grega de 25 séculos atrás com a atual? Qual era a mais fértil intelectualmente falando? A nossa dá o que tem. É isso – surfa na onda do momento e olha somente o seu quadrado. Eu vou morrer e vai continuar assim. Bolsonaro é o reflexo do que é a essência do Brasil. Eu, você, e leitores de GGN somos isso? Não!! Por isso nos incomodamos e achamos que daquele segmento existe lógica, bom senso e visão. Pode alguns terem inteligência mas não querem ter o protagonismo de liderar e bancar. Este é um país que tem medo do futuro e prefere viver num mundo estático e imutável. LIMÍTROFE!
    Quais são as SEMELHANÇAS DA DÉCADA DE 60(1960-1969) com os anos de 2010 a 2020?

    10
    1
  6. Nassif é otimista.
    Essa turma já tem seu próprio pacto: pelo desmanche total do país.
    E o resto? Ora, o resto que se dane.

    18
    1
    • Pois é, também acho. O pacto já foi feito, lembremos e ressignifiquemos o diálogo derradeiro:

      – Rapaz, a solução mais fácil era botar o Michel [Temer]… É um acordo, botar o Michel, num grande acordo nacional.
      – Com o Supremo, com tudo.
      – Com tudo, aí parava tudo, anuncia Machado.
      – É delimitava onde está, pronto.

      Não só delimitaram, como enfiaram o país buraco abaixo. Esse é o grande pacto nacional, renovado secularmente, agora com Bolsonaro, com as ffaa, com a banca, record e sbt, etc, etc, etc…

      14
      1
  7. O Brasil tá numa encruzilhada braba.

    E como dizia meu velho e sábio avô: É numa encruzilhada que você mais corre o risco de ser atropelado.

  8. Como acreditar que este judiciário, altamente comprometido com grupos e voltados para interesses próprios, será capaz de realmente garantir a Constituição? O mesmo vale para o Congresso que vira as costas para a população que o representa.
    Todas as Instituições, que conceitualmente, deveriam ter se posicionado firmemente há muito tempo, nunca, em momento nenhum, cumpriram minimamente o que lhe cabe como papel.
    Definitivamente o Brasil precisa ser redescoberto.

    13
  9. Aqueles que se acham a elite do Brasil, acreditam que depois do caos, ressurgirão ainda mais poderosos e ricos.
    Não haverá o que pilhar

    * identificação irracional de algum salvador da pátria manipulando inimigos imaginários como alvos;

    Quem está se colocando nessa posição é o Ciro. vai dar com os burros n’agua

    12
  10. O X do problema é o seguinte: Bolsonaro não vai destruir país nenhum. Isso é ilusão, tergiversação, de incautos. O país JÁ estava destruído. Bolsonaro e essa canalhada que está aí com ele, essa gente de esgoto, foi eleita por gente tão ruim quanto. Ele e o rebotalho que o cerca é tão somente uma expressão fiel do país. E de que país? O país que por 30 anos, depois da Constituição de 1988, foi caminhando para o esgoto em que nos encontramos. Nesses 30 anos, houve a possibilidade de tomar outro rumo por 13 anos. Mas absolutamente nada foi feito para isso. O bobajada superficial, vê-se agora, não serviu para evitar o caminho da estupidez. Vou mencionar apenas um pequeno ponto: um país que tem globos e datenas dando as cartas na informação não pode esperar coisa que preste. Portanto, pode fazer quantos xadrezes quiser, mas não vai adiantar de nada. Simplesmente porque é uma abordagem totalmente equivocada, voluntarista, ingênua (até me surpreende que um jornalista tão arguto faça uma declaração dessas) e totalmente equivocada em seu diagnóstico. Repito: O PAÍS JÁ ESTAVA DESTRUÍDO ANTES DO BOLSONARO. ESSE VAGABUNDO É APENAS O ARREMATE DO QUE VINHA SENDO URDIDO DESDE, PELOS MENOS, 2003.

    5
    13
      • Não dou sugestões. Para começar a agir corretamente, efetivamente, com propósitos claros, deve ser feito o diagnóstico correto. O acima proposto e os outros que são vistos aqui são falaciosos. Mais do mesmo. A possibilidade de reversão foi sepultada com a Dilma. Já estava tudo destruído. Só petistas, socialdemocratas, não enxergavam e não enxergam o óbvio, a destruição estava a caminho e vai ser APENAS ARREMATADA, concluída pelo Vagabundo Fascista. Este é apenas a última gota d’água para o transbordamento. Ou vocês não se convencem disso? Se iludem com falsas oposições ao neoliberalismo? Pois então continuem se enganando.

        3
        2
    • Bom era 2002! País falido, sem reservas cambiais, FMI mandando, divida externa e pública explodindo, a fome no nordeste pornográfica, educação abandonada, universidades sucateadas (eu sou testemunha do abandono público das universidades), rodovias esburacadas, desemprego, salários na sarjeta e você super feliz! Era lindo o país que você vivia Alice! Não vou perder meu tempo expondo o que era o país em 2002. Só as capas da veja daquela época
      https://www.conversaafiada.com.br/pig/2010/10/21/nao-perca-as-melhores-capas-da-veja-coitado-do-fhc-e-o-ej

      3
      1
      • Bom era 2013. A Dilma enchendo as burras dos golpistas, jogando a repressão em cima das esquerdas. Bom era 2015, a Dilma levou o país a uma recessão brutal, com o auxílio da extrema direita capitaneada pelo Levy e o Cardozo não fazendo nada contra o Golpe. Isso é só um pedacinho.

        1
        4
        • Você escreveu a partir de 2003! Não foge do assunto! Diga qualquer tema da era FHC que ficou pior no governo LULA! E respondendo ao seu questionamento de 2013, sim! Prefiro 2013 aqualquer ano posterior a 2014, ano do desmantelamento do Brasil provocado pela Lava a Jato e o golpe contra a Dilma! E mostro por qualquer dado social, econômico e empregos.
          A recessão brutal iniciou-se com a Farsa que destruiu o pais
          https://www.brasil247.com/economia/lava-jato-trouxe-prejuizo-de-r-142-6-bilhoes-para-a-economia-brasileira-em-apenas-um-ano-aponta-economista-assista
          https://www.youtube.com/watch?time_continue=2&v=yozhY5E9N3k&feature=emb_logo
          http://www.defesaclassetrabalhadora.com.br/wp-content/uploads/2020/07/EBOOK-PDF-RELACOES-INDECENTES.pdf

          1
          1
          • Há também o envolvimento direto do ministro Thomaz Bastos com as contas CC5 do Banestado. Foi ministro entre 2003 e 2007. E o Prouni, que encheu as burras de donos de Uniesquinas e formou os bolsonaristas dos anos seguintes? Se você está se referindo aos sopões do Bolsa Família, isso já vinha desde o FHC? Ou está se referindo aos favelões do MCMV, que enriqueceu o atual dono da CNN? Ou o apoio incondicional dos governos petistas aos “pastores” pilantras que ajudaram no Golpe? E a GLO e a lei antiterror da Dilma? E a mudança na lei de partilha de exploração do petróleo, homologada pela Dilma? O governo Lula apenas aproveitou a maré alta da economia mundial e repartiu migalhas com os pobres. Ao mesmo tempo, fomentou o zé povinho que se achava classe média consumista e acabou criando golpistas… E por aí vai.

            1
            2
          • É por isto que é contra o Lula e o PT? Fala sério! Por todos benefícios trazidos ao país pelo governo Lula e PT vem com eventos que não significam nada em relação ao todo? Já viu um governo 100% certo? Me mostre! Mas 100% errado, está aí na nossa cara todo dia. Acha que foi migalhas todos os programas sociais educacionais, moradias, empregos e salários em um ambiente putréfo juridico midiático? Foi uma conquista que graças ao Lula conseguimos. FHC teve todos os meios para fazer um bom governo, mas o que fez? A inflação tinha caido no mundo inteiro, não foi plano real quem conquistou, mas preferiu nenhuma política pública sim sucatear e saquear o país como estamos vendo agora. E se o povo brasileiro é como é, não é culpa do PT. Por isto digo, tudo que o povo está pagando é justo pelo que fez a Lula. Merece!

          • Você nunca se perguntou como e por que há tanta gente estúpida para votar e apoias o Bozo depois de 13 anos de PT? Faltou algo. Ou não? Como um partido fica tanto tampo no poder e não faz absolutamente nada para esclarecer, instruir, ganhar para o seu lado as grandes massas? O que estava fazendo nesse tempo todo? Em acordos? Com quem? O que estavam fazendo esse tempo todo???!!! Inaugurando templos de salomão com o Edir Macedo?

            1
            1
    • Puxa, Marcos A.,
      queria te dar os parabéns pela resposta que você deu as 12:03 para o Ulisses.
      Vou até repetir um pedacinho aqui:

      “O governo Lula apenas aproveitou a maré alta da economia mundial e repartiu migalhas com os pobres. Ao mesmo tempo, fomentou o zé povinho que se achava classe média consumista e acabou criando golpistas… E por aí vai.”

      Você foi fundo e esclareceu a nós brasileiros como o mundo é mentiroso, principalmente quando dizem que houve uma crise em 2008 que quebrou a economia mundial.
      Até o Lula, na ocasião, disse que era uma “marolinha” e fez a “repartição das migalhas”
      Quer dizer então que não houve mesmo, nenhuma crise econômica e essa tal de “bolha” de que tanto falam era pura invenção (?)
      Tá certo. Se o brasil é plural, por que a percepção do brasileiro não o seria?
      Parabéns pelo seu país bem governado pelo mito.

      1
      1
      • Exatamente, quem disse “marolinha” foi o Lula, que se aproveitara muito bem da maré alta até então. Mas, e aí? Enfiaram os pés pelas mãos, despenderam rios de dinheiro com eventos esportivos e enfiaram o país numa brutal recessão em 2014/2015. Você disse-o bem e confirmou o que eu havia dito. E tome mentira de “classe média”, “tv tela plana” etc. Endividamento na certa. País em recessão e povo endividado, ignorante, ludibriado, arrogante, sem escolarização de verdade, só mentiras de Prouni, um povo estupidificado, que caiu nas graças da direita mais boçal. Ou não? O povo é o mesmo!!! O eleitor do PT e o gado bolsonarista são, ao longo do tempo, os mesmos boçais. E agora, temos o gado de esquerda, que viceja por aqui.

        2
        1
        • Desculpe aí, favoritei por engano.
          Falar em gado de direita do bozo e gado do pt, você é o gado vicejante de qual posição: do centro, de baixo ou de cima?
          Porque é muito curioso seu discurso.
          Gostaríamos de participar ou pelo menos conhecer a sua visão “holística” sobre as vertentes políticas que nos têm governado.
          Das vezes, mais que críticas você possa apresentar soluções, quem sabe?
          Reafirmo os parabéns pela análise esclarecendo que foi no modo ironia.
          Abraços

          • Prezado, o bom é não ser gado de ninguém. Há que ser crítico, inclusive e prioritariamente, em relação aos que se supõem terem sido muito justos, solidários etc., quando estão longe, muito longe de sê-lo. Qual a prova? A prova é esta: como se permitiu, possibilitou, fomentou uma população tão estúpida como esta que por ora ocupa esse território tão destruído? E hoje tivemos mais uma prova: os índices de aprovação da Besta subiram e é forte candidato para 2022!!! E parece que o apoio cresceu entre os mais pobres!!! O que é isso? Onde essa gente se formou ao longo de 13 anos? Curso de masoquismo? De servidão? Massas estupidificadas depois de 13 anos de governo petista. Ou não? Houve pontos positivos? Claro. Mas… mas… mas… Façamos a crítica! Se não repetiremos os desastrosos erros. E com gado não é possível nenhuma crítica. Principalmente com o gado petista/lulista.

    • LI seu comentário e suas réplicas a comentários feitos por outros. Concordo com muito do que você escreveu.
      Mas, você acha mesmo que esta massa de imbecis começou a ser formada depois da constituição de 1988? Acredita que em 13 anos o PT ou qualquer outro conseguiria mudar esta realidade?
      Essa massa de imbecis vem de décadas. E não adianta dizer que estudou e é doutor. A grande maioria destes é tão idiota e estúpido quando o verme que nos governa.
      Talvez seja por isto que este governo trabalha 24 horas por dia para emburrecer o brasileiro ainda mais.
      Não importa o grau de instrução formal, o brasileiro é um analfabeto funcional e ignorante.
      Quando começou esta pandemia no Brasil comentei com minha esposa que o Bolsonaro era um sujeito de sorte pois esta pandemia salvaria seu mandato que já estava indo para o brejo devido a total incompetência dele e de TODO o seu ministério. Ali dentro só tem bandidos e negociantes, o país que se exploda.
      Mas a pandemia que se aproximava iria salvá-lo justamente porque o brasileiro é um BURRO, que não consegue associar a realidade que está presenciando ao que dizem para ele.
      Ainda tem bastante gente que acredita que as pessoas não estão morrendo de covid e que isto é uma trama da globo comunista para derrubar o “mito”?
      É como digo:TEMOS O (DES)GOVERNO QUE MERECEMOS.
      E TOMARA QUE PIORE.

      • Prezado, não tenho certeza se os governos petistas mudariam algo na mentalidade, esclarecimento da massa. Não saberia dizer nada sobre os efeitos. Mas, para que haja a possibilidade de efeitos, é necessário que haja uma AÇÃO. E esta ação de esclarecimento, conscientização, NÃO OCORREU. Não houve um enfrentamento mínimo que fosse. Foi só conciliação, acordo, conchavo, acerto, arranjo, arreglo. Só isso. O efeito poderia ser nulo, mas algo haveria de ser tentado. E não foi. E deu no que está dando: uma massa emburrecida, estupidificada, alienada, sem juízo, que continua apoiando um facínora e toda a escumalha delinquente que o cerca.

  11. O botafogo foi todo pimpão numa dessas trolhas que os abutres do rentismo faz para enganar os abobados do congresso e lhes dar a importancia que não tem, pois o manipula…..todo alegre celebrou as reformas, o teto de gastos, tudo o que está causando a desgraça do povo, inclusive li que estava bravinho por que o desgoverno abandonou as reformas….
    Reformas são desrespeito à CF, os eleitos tem que ajustar as leis do país, não o contrario, senão não passam de ditadores…..a reforma da CF era uma rtigo das disposições transitórias permitindo que a CF fosse ajustada depois de certo periodo, e não retalhada a bel prazer do grupo no poder, quem defende reformas é DITADOR, ASSASSINO ECONOMICO, e age contra os interesses do povo brasileiro….
    E querem que esse galerinha do mal faça pacto com o povo???
    O unico pacto que essa escumalha vai honrar é o de hoje, quando irão rodar mais que pião em louvor ao cramunhão……a noite será pequena……

    10
  12. Tá tudo muito, tá tudo muito bem.
    Ok, você venceu! Vamos de pacto.
    Só uma questão a resolver; Com Mourão, com tudo?
    Ao que me parece, a trolha que o Bozo não consegue nos enfiar, o Mourão vai conseguir, portanto o ponto principal do pacto deve e tem que ser: Cassassão da chapa. Ou é isso ou vai ficar pior do que tá.

    12
  13. “Ainda não caiu a ficha dos grupos de poder – mercado, grandes empresas, mídia, Supremo, partidos políticos”…
    A elite nacional não busca e nem aceita o Brasil desenvolvido. Eles querem a destruição do Brasil, sim.

    10
    1
    • Sinal de que a grana que a elite dominante tem guardada dá para suportar três destruições seguidas do Brasil…
      haja vista que estamos passando pela primeira, quase que total, e eles e elas na maior alegria e bebedeira com a volta dos pobres ao trabalho

  14. O STF contribuiu para essa anarquia institucional no país. Achou que não teria consequência Joaquim Barbosa julgando com base na teoria do domínio do fato? Teori aceitando o pedido de desculpas de Moro sobre a gravação criminosa de Dilma e deixando Cunha deitar e rolar num processo fajuto de impeachment? Gilmar Mendes impedindo a posse do Lula e permitindo a do Moreira Franco? Fachin e Carminha sincronizando o processo de Lula para não colocarem na pauta a prisão em segunda instância? Barroso e Rosa Weber dando uma banana para Comitê da ONU que reafirmava o direito do Lula de ser candidato? Fux impedindo entrevista do Lula? Hoje temos um miliciano no poder central do país.

    17
  15. Isto é urgente.
    Partidos, stf e líderes políticos esperam o que?
    Com a volta dos militares para os quartéis. Bom para todos e para eles também.

  16. Gosto muito de seus comentários e participações. Parabenizo pela luta pela democracia. Mas como fazer pacto com golpistas canalhas e irresponsáveis. Que tal o STF anular a sentença parcial e criminosa de Moro e TRF4? Que tal os procuradores da laja-jato serem punidos por traição e destruição do Brasil? Que tal a globo pedir desculpas a Lula e PT no jornal nacional? Que tal eleições gerais para presidente, senado e deputado federal separadas das eleições locais para governador, prefeito, deputados estaduais e vereadores? Com manutenção da proibição de coligações propircionais.

  17. Sem dúvida está correta a avaliação feita no artigo em tela. O projeto bolsonarista está a serviço da construção do caos genocida, e visa DESTRUIR o Brasil. Agora, a despeito das gralhas que tudo criticam e nada propõe, urge iniciar efetiva mobilização redentora.

  18. A lucidez e a objetividade de sempre, Nassif, numa tentativa que soa quase que “desesperada”, para uma solução institucional, em vez do caos absoluto, a fome, o aumento da criminalidade e da violência, o tal da “nação se desmanchando…”
    Na verdade, vejo dois problemas no seu raciocínio, nesse artigo: o primeiro, que ele é “lúcido e objetivo” apenas se pensamos em um público alvo (os tais segmentos detentores de poder…) dotado de caráter, capacidade intelectual, capacidade de antever o horror que se avizinha, pior do que o inferno que já vivemos, e, uma utopia difícil de ser contornada: essas pessoas teriam que PENSAR NO BRASIL ENQUANTO UMA NAÇÃO, e não o ambiente sócio-político onde cada um desses grupos só se preocupa com o naco de carne que arranca das riquezas produzidas no país…..
    Quando o texto questiona a ausência de “interlocutores capazes de…”, quase que de modo incidental, na verdade, é como se você não percebesse o QUANTO essa é A QUESTÃO!
    .
    E tudo isso, no fundo, tem a ver com o próprio título do artigo, repito, extremamente válido e necessário, utopia ou não, há de se apontar os caminhos racionais para essa mega crise. Mas o título, verdadeiro em termos pragmáticos HOJE, no sentido de ser Bolsonaro e seu governo O AGENTE MAIOR DE DESTRUIÇÃO DO PAÍS, é um título “injusto” em relação ao “processo como um todo” – Bolsonaro é consequência, fruto, responsabilidade DIRETA E TOTAL dessas mesmas forças sociais a que o artigo apela: mídia, militares, STF, grandes empresas, etc.,. etc., etc…..

    Ora, cabe a pergunta bem simplória: se não foram capazes de prever tudo de bestial que ocorre quando se esmaga a democracia e seus mecanismos – o voto, a permanência no poder de quem venceu… – quando se pisa, distorce e violenta as leis e a Constituição, em nome do objetivo mais sórdido e canalha, de apenas destruir um líder político, sua família junto, se possível, e seu partido político, COMO E PORQUE ESPERAR QUE ESSAS MESMAS PESSOAS, esses mesmos segmentos sociais, tenham as potencialidades intelectuais, políticas e éticas necessárias a um pacto nacional desse porte…? – Soa quase impossível!!!
    .
    A impressão que se forma aos poucos, nas mentes mais realistas, é de que Bolsonaro cairá “de podre”, mas apenas quando sua carne putrefata já estiver em decomposição, e o mal cheiro e a visão dessa carne apodrecida forem táo aviltantes até mesmo para os hipócritas que direta e indiretamente o puseram no poder, que eles, POR FALTA DE OPÇÃO E POR UM DESESPERO QUE SE TORNARÁ INTOLERÁVEL NO FUTURO, agirão, e não duvido que, nessa ação final, vistam capas de democratas, homens honrados que salvaram o Brasil do “abismo total”….. O que virá quando isso ocorrer?
    Duvido, absolutamente, que qualquer ser humano seja capaz de responder a isso de modo certeiro, ou mesmo objetivo.
    .
    Bolsonaro cairá quando se tornar um cadáver mal cheiroso no meio da sala e isso se tornar um fato notório e irreversível! Antes disso, seguiremos assistindo ao medíocre show de nossas autoridades, fingindo que somos um país, fingindo que sobrou qualquer resquício de civilidade em “Terras Brasilis”…..

    8
    1
  19. Nassif,
    Você sabe que Rodrigi Maia é totalmente adepto a proposta econômica em vigor; presidiu a Câmara na aprovação das leis do governo Temer, já sinalisou varias vzes ser afavor da privatização geral (garantiu a aprovação da atual lei de saneamento) e esta semana criticou o Fundeb.
    Ele vai participar da revogação de tudo isso? Qual a credibilidade para conduzir amudança de rumo?
    Ou eu não estou entendo e sua proposta seria reconstruir a partir das privatizações e das leis já postas?

  20. Esse tema é recorrente nesse blog: tirar Bolsonaro da Presidência da República.
    Eu entendo a esperança iluminista que move essa ideia, esse anseio generoso de cortar já o mal.
    Infelizmente Bolsonaro não sairá de lá.
    O que vamos fazer para a eleição de 2022??
    Como vamos impedir a reeleição dele?
    Essa é a verdadeira questão.

  21. Quem tirou o país de nós que o devolva.
    E não foi o USA, foi a globo, em primeiro lugar.
    A solução para o país “tá facinha”.
    A infeliz emissora que falou mal do governo e destruiu o país como destruiu a Escola de Base, com simples mas monstruosas calúnias, em uma semana recupera toda história e credibilidade do PT, do Lula, da Dilma e a verdade dos benefícios de seus governos.
    O povo vai acordar assustado, querendo linchar o bolsonaro, o temer e seus “acepipes”.
    O mais será consequência: levante popular, deposição, encolhimento do exército por vergonha, STF também tomando vergonha, coxinhas quietos e os políticos se unindo do lado certo.
    Nem mesmo as redes “abençoadas” serão capazes de desmentir a desgraça comparativa dos governos da esquerda com o que temos vivido após o golpe. Em menos de uma semana, com quadros comparativos e a narração da verdade o brasil começa a voltar a ser Brasil.
    Alguém quer?

  22. O pacto que mantém Bolsonaro (Paulo Guedes) no poder é infinitamente mais danoso ao país do que o ocorrido no golpe parlamentar contra Dilma. É preciso despertar a consciência daqueles que sustentam as atuais atrocidades.

  23. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome