O fascismo caminha em marcha acelerada.

Há possibilidade, dentro em breve, do Brasil se transformar no caso mais emblemático, por selvagem, das ditaduras de direita que passaram a proliferar pelo planeta. E não há sinal da resistência das instituições.

São nítidos os sinais de agravamento do clima político.

Peça 1 – O Partido 38 de Bolsonaro

A partir de sua formalização, haverá a articulação nacional e a ampliação das milícias armadas espalhadas pelos quatro cantos do país. A violência difusa se tornará articulada.

Reedita-se o fenômeno das SSs nazistas. No início, era uma organização paramilitar incumbida de proteger as lideranças nazistas, mas já tendo como método infundir terror nos adversários. No auge do nazismo, as SSs chegaram a ter um milhão de filiados e passaram a controlar a Gestapo, a polícia, os serviços de inteligência. Moviam-se pela bandeira única de exterminar as minorias, políticas ou étnicas.

Só um cego absoluto para não enxergar esse modelo, dos camisas negras do fascismo, na construção do Partido 38 de Bolsonaro.

Peça 2 – a distribuição de armas

Além das milícias propriamente ditas, há ampla aceitação de Bolsonaro entre os seguintes grupos armados:

  • Baixa patente das Polícias Militares em vários estados.
  • Clubes de tiro
  • Ruralistas
  • Desajustados de toda espécie, organizados em torno de grupos de  “cidadãos de bem”, espalhados por todo o país, com apoio das Igrejas evangélicas.

Desde o primeiro dia de governo, Bolsonaro tratou de ampliar o armamento para a população. Ou através de medidas econômicas, como a liberação da importação e do porte de armas. Ou através de manobras explícitas pró-contrabando, como foi o caso de sua ofensiva sobre a fiscalização no porto de Itaguaí, no Rio de Janeiro, entrada principal das armas no país.

Leia também:  A ideologia da economia política brasileira (ou de sua ausência), por Bruno Reikdal Lima

Peça 3 – Aparelhamento das instituições

Existe ampla simpatia por Bolsonaro nas principais instituições do país, Judiciário Estadual, Federal, Eleitoral, Ministérios Públicos, Justiça Eleitoral, Polícia Federal e associações empresariais em geral. O novo partido irá dar organicidade a essa atuação.

Atualmente, já está em curso um amplo lawfare contra críticos do governo, denúncias e ações a granel, tanto no âmbito do Judiciário quanto dos Conselhos profissionais da Justiça e do Ministério Público. Há juízes, procuradores, delegados da Polícia Federal, uma minoria legalista submetida a constrangimentos e ameaças de sanção.

Peça 4 – a blindagem de Bolsonaro

O caso Marielle é o exemplo mais escarrado da manipulação dos principais órgãos de controle do país – do Ministério Público e Polícia Federal à mídia. No caso da mídia, tenta-se um equilibrismo temerário, de acuar Bolsonaro sem ir às últimas consequências.

Em suma, com o Partido 38 Bolsonaro começa sua Marcha Sobre Brasilia – repetindo a Marcha Sobre Roma que consagrou Mussolini como o imperador da Itália. A última barreira é a investigação sobre a morte de Marielle Franco. E, no momento, o inquérito está sendo alvo de uma manipulação escandalosa e aceita como natural pela imprensa.

O depoimento do porteiro do Condomínio, que registrou a entrada de Élcio Queiroz na casa de Bolsonaro, foi manipulado publicamente. Antes mesmo de analisar o inquérito, o Ministro da Justiça Sérgio Moro ameaçou invocar a Lei de Segurança Nacional contra o porteiro. A revista Veja o expos de forma temerária. E a Polícia Federal o interrogou de forma intimidatória, para que revisse sua declaração inicial. Procuradores do Ministério Público Estadual trataram de desqualificar o depoimento, com uma falsa perícia no equipamento.

Leia também:  Clipping do dia

Finalmente, os jornais escondem o fato central de toda a investigação: na hora em que Élcio e Ronnie Lessa se reuniam no Condomínio, o vereador Carlos Bolsonaro estava lá, conforme ele próprio mostrou, no segundo vídeo que gravou sobre o sistema de registro das chamadas do condomínio.

Lá, em um vídeo que o país inteiro assistiu, ele mostra que às 17:58 horas estava de saída do condomínio e pediu um Uber que foi busca-lo. Se Élcio chegou às 17:10, é óbvio que ficaram ao mesmo tempo no condomínio por no mínimo 48 minutos.

Inexplicavelmente, no seu balanço sobre o caso Marielle, a Folha teima em ignorar uma informação pública.

Segundo a matéria:

Onde ele estava naquele dia?
Segundo o Diário da Câmara do Rio, Carlos participou de sessão no plenário e votou em um projeto por volta das 16h30. A sessão terminou às 17h30, mas não é possível precisar o horário de saída do vereador. Nesta faixa de horário, leva-se de 45 minutos a 1h40 para percorrer o caminho entre a Câmara e o condomínio de Bolsonaro na Barra da Tijuca. Assim, seria improvável que Carlos estivesse em casa quando Élcio chegou ao condomínio, por volta das 17h10. No mesmo dia, Carlos também fez um post nas redes sociais em que dava uma entrevista no seu gabinete para a Federação Israelita.

Se o vídeo apresentado por Carlos era, de fato, do dia 14 de março, dia da morte de Marielle, ele estava presente no condomínio no mesmo momento que os assassinos. Mais que isso, deixou uma sessão da Câmara exclusivamente para ir ao Condomínio e sair 48 minutos após a chegada de Élcio. Se ele comprovar que estava, de fato, na Câmara, significa que o arquivo do dia 14 de março foi manipulado. E aí as suspeitas voltam novamente para o pai Jair.

Leia também:  O bolsonarismo/morismo é um novo tipo de fascismo ou uma velha estratégia literária?, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Como é que se ignora uma evidência desse porte?

O que parece estar em jogo é uma aposta temerária do mercado: manter Bolsonaro sob fogo brando enquanto o Congresso aprova as tais reformas e se concretizam os grandes negócios de Paulo Guedes. É uma aposta contra o demônio.

Ontem, Bolsonaro enviou ao Congresso um decreto estendendo o excludente de ilicitude a todo militar ou policial que matar em serviço. Se a onda de protestos que varre a América Latina chegar ao Brasil, seria um morticínio da população civil.

Provavelmente o caso Marielle é a última oportunidade para se barrar essa escalada para o fascismo à brasileira. Se as instituições falharem na apuração de um crime óbvio como esse, não haverá força que resista a Bolsonaro.

O que mais incomoda é que, no maior furacão, no momento mais decisivo da história do Brasil, esses movimentos recentes, que tiraram o PT momentaneamente do jogo político, não revelaram uma liderança de peso sequer. E o futuro do democracia continua a depender de um sapo barbudo que se tornou referência mundial dos direitos humanos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

52 comentários

    • E o policial nem viu o roubo do pivete acontecer. Ele ouviu o “pega ladrão” e deu uma de valentão tentando segurar e matar o pivete de 16 anos que corria depois de ter roubado um celular. O policial reformado matou uma professora, da mesma idade sua, nem olhou para a vítima e saiu em direção ao seu carro para procurar hospital (o pivete lhe feriu o braço com uma faca). Sob Jair, todos se acham no direito de sacar a arma e matar…

      24
      5
    • TODO PAI DEVE DAR BONS EXEMPLOS.
      FAMÍLIA DE BEM, NÃO DEIXA FILHOS ESTAREM COM MÁ COMPANHIA, MILICIANOS, GANGES.
      FAMILIA DE BEM, TEM DE DAR EXEMPLOS A SOCIEDADE, FILHO QUE PROMOVE SITUAÇÕES DE SE CRIMINALIZAR DEVEM PAGAR POR SEUS ATOS.
      A MENOS, QUE A FAMÍLIA NÃO SEJA DE BEM, OU TENTA PINTAR UM QUADRO PARA SOCIEDADE FICTÍCIO.

      3
      12
  1. Acho que seria interessante cruzar os dados. Helena Chagas vê nesse movimento de criar um partido um tiro no pé.

    https://osdivergentes.com.br/helena-chagas/novo-partido-e-jogada-de-alto-risco-para-bolsonaro/

    Novo partido é jogada de alto risco para Bolsonaro
    Por Helena Chagas -novembro 20, 2019, 13:41

    Jair Bolsonaro — que, num gesto inédito para um presidente da República, deixou formalmente nesta terça o PSL — vai precisar de uma senhora ajuda do Tribunal Superior Eleitoral para viabilizar seu novo partido, a Aliança pelo Brasil, antes das eleições do ano que vem. É grande o risco de dar com os burros n’água, segundo opinião de dez entre dez políticos experientes.

    Dois precedentes importantes da história recente apontam em sentidos contrários. Marina Silva, por exemplo, fracassou na tentativa de formalizar a Rede Sustentabilidade e fim de concorrer nas eleições de 2014. Acabou vice na chapa de Eduardo Campos pelo PSB e, com sua morte, candidata a presidente. Mas demorou para viabilizar a Rede.

    Já Gilberto Kassab obteve, em 2011, as boas graças da Justiça Eleitoral e criou seu PSD em tempo recorde, participando das eleições de 2012. Foi uma proeza, e para sua realização certamente terá pesado o fato de Kassab, na época, ser aliado ao mesmo tempo da presidente da República, Dilma Rousseff, e do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

    Não se deve subestimar a capacidade de um presidente da República, com a máquina, a caneta e o Diário Oficial nas mãos, de criar um partido. Mas Jair Bolsonaro não é um presidente como outros, sobretudo no quesito articulação política.

    Coincidência ou não, na mesma terça-feira em que Bolsonaro assinou sua carta de desfiliação do PSL, o sub-procurador geral eleitoral, Humberto Jacques, enviou parecer ao TSE contrário à coleta das assinaturas necessárias por via digital. O parecer do procurador não é a decisão final do Tribunal, mas acendeu um sinal de alerta entre bolsonaristas, que pretendem usar a estratégia digital para reunir as 500 mil assinaturas até março.

    Do ponto de vista político, a decisão de Bolsonaro de criar mesmo um novo partido também tem alto risco. Enquanto a Aliança não tiver sua criação confirmada, não poderá abrigar deputados que vão sair com o presidente do PSL, pois eles correm o risco de perder seus mandatos. Até essa formalização, vão viver numa espécie de limbo político, com um pé no partido antigo e outro no novo.

    O que fará Eduardo Bolsonaro, hoje líder do PSL na Câmara? Provavelmente deixará a função. Ele e seus aliados arriscam-se a perder as indicações para os postos que ocupam hoje em comissões e relatorias, até por represália de Luciano Bivar, confirmado também nesta terça na presidência do PSL.

    O primeiro grande prejuízo político da nova empreitada partidária da família Bolsonaro poderá ser a perda das vagas que seus aliados ocupam hoje na CPMI das FakeNews, aquela criada para investigar o esquema digital montado pelo hoje presidente nas eleições de 2018.

    12
    2
    • A criação deste partido será muito fácil. Basta os tenentes perguntarem aos MILHARES de cabos e soldados em todos os quartéis pelo Brasil afora, na hora da parada diária dos quartéis (reunião em que quase todos os militares de um quartel se reúnem enfileirados em companhias e pelotões, para receberem instruções): “Quem NÃO for voluntário para a criação do novo partido do Exmo. Sr. Presidente da república ……, ou quem for CONTRA a criação do mesmo, favor dar um passo a frente. (Provavelmente nenhum soldado ousará dar este passo). Então o tenente falará: Já que TODOS são voluntários, favor dirijam-se a sala tal, para a assinatura da criação do partido, após a parada e blá blá blá.

  2. Quando li aqui os detalhes da criação do novo partido imaginei algumas considerações a fazer nos comentários que acabei desistindo por achar um exagero, mas que depois desse xadrez acho bastante pertinente firmar-los aqui.
    O que difere esta Organização Partidária das Organizações Clandestinas contra a ditadura militar?
    1 – O fato que aquelas eram clandestinas e lutavam contra uma ditadura independente do que tinha em mente implantar caso fossem vitoriosas.
    A Organização 38 é legal, criada pelo chefe da nação e tem como objetivo a luta contra a democracia e o Estado de Direito e aquele s que defendem esses valores e essa luta não será em tribunas, mas na quebrada, na noite escura, na tocaia.
    2 – Eles estão se lixando se o TSE não os reconhecerem como partido, penso mesmo que é isso que esperam para que possam agir numa espécie de semi legalidade, em que não possam ser alcançados e enquadrados pela lei.
    3 – Só resta definir tal agremiação como Organização Terrorista Institucionalizada. (OTI)

    17
    4
  3. “O que é o fascismo, visto em escala internacional? É a tentativa de resolver os problemas da produção e da troca através de rajadas de metralhadoras e de tiros de pistola. (…) Criou-se uma unidade e simultaneidade de crises nacionais, que fazem com que a crise geral seja extremamente aguda e incontornável. Mas existe em todos os países um estrato da população – a pequena e média burguesia – que considera ser possível resolver estes gigantescos problemas com metralhadoras e pistolas. É este estrato que alimenta o fascismo, que fornece seus efetivos.”
    GRAMSCI, “Itália e Espanha”. In: Escritos Políticos. Volume 2, 1921-1926. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, , p. 46-7.

    16
    3
  4. Pois é Nassif .. por enquanto tudo dando certo para eles… Nenhuma insurgência. Uma dose mastodôntica do “boa noite, cinderela” na nação. Imprensa fazendo o jogo. Classe artística tá quieta. Justiça (com ç) só “acompanhando”. Quem tá agindo com afinco é a “Justissa”. Igreja católica sendo defenestrada pelos crentes… Tá dando medo! Neste momento eles são a maioria. Só não vê quem não quer…

    21
    3
  5. Até hoje, em todas as análises que li, o peso dos evangélicos sempre foi mal dimensionado. Para quem mora na cidade de São Paulo, é só comparar quantas pessoas ao redor eram evangélicas à 15 anos atrás e quantos são agora.
    Tenho minhas dúvidas se há mais católicos do que evangélicos, pelo menos por aqui.
    Bolsonaro foi o herói ultra conservador que barrou a onda progressista e anti família, segundo a lógica deles. Eles estavam com esse sentimento represado e encontraram voz no Bolsonaro.
    Para esse público os fins justificam os meios, é compraram a ideia do anti comunismo.
    O centro, que iniciou o golpe, foi atropelado é engolido por Bolsonaro e a esquerda, infelizmente, não percebeu ainda que têm um discurso e planejamento de enfrentamento correto, já que nem identificar os anseios desse público conseguiram.
    É pelo andar da carruagem, viveremos tempos obscuros.

    17
    4
    • A esquerda insiste em enxergar virtude numa sociedade autoritária. Sim, os evangélicos se reconhecem no autoritarismo de Bolsonaro, não na sua defesa fajuta da família. Sabe qual o verbo que os evangélicos usam para expulsar alguém que pertença à sua membresia? Eliminar. Não estou falando de neopentecostais porque esses não tem membresia; estou falando dos batistas, presbiterianos e afins. É a turma de Dallangnol.

      3
      1
      • Pelo menos na Igreja Presbiteriana, não é verdade: o termo é demitir. Outro absurdo, mas diferente do que você disse.

  6. É preciso avançar na análise de como tal cenário pode se configurar. Criação de uma “onda fascista”, que leve ao fechamento do Congresso Nacional – que já é dominado por centro-direita e direita – e do STF? Com estes protagonistas do bolsonarismo mencionados pelo Nassif? Vejamos: a aliança pela bestialidade (definição de texto muito corajoso do comentarista esportivo Juca Kfouri) necessita somar, para o registro, quase meio milhão de adeptos. Quantos teriam que concretizar a “onda”? 10 mil? 50 mil? 100 mil? 250 mil? Independentemente do juízo de valor de amplos setores progressistas, Lula pode não ter mais a capacidade de liderar amplamente uma resistência a isso, caso o país aprofunde a catástrofe. A questão é que este conjunto de ações destruidoras precisaria ser desencadeado de maneira combinada com avanço pesado da economia, um processo que criasse claramente a impressão de que as medidas neoliberais estariam acelerando a criação de empregos. Do contrário, ainda parece prudente duvidar de um apoio suficiente de massas para um mergulho no autoritarismo. Entretanto, cabe, sim, o debate sobre esta terrível hipótese.

    11
    1
  7. Vamos aceitar como verdadeiras as afirmações de que as baixas patentes das PMs ,que parte do ministério público, da PF e da mídia porca deste país estejam realmente apoiando o caminho para o fascismo.
    Como essa gente chegou a esse ponto?
    Para mim isso é resultado de instituições que foram sempre capenga,talvez por causa de nossa cultura de não enfrentamento.
    O sujeito que está na presidência da República, houvesse minimamente qualquer instituição funcionando no país e ele sequer teria terminado seu “mandato” como deputado federal tamanha as afrontas a democracia que proferiu dentro e fora do parlamento.
    O Brasil corre sérios riscos com essa gente. Contudo,a maior base de sustentação ainda tem que ser a popular e,mesmo Hitler que era um líder inconteste na sua Alemanha, coisa que não ocorre no Brasil, perdeu rapidamente o apoio quando o povo começou a sofrer as agruras da guerra.
    De qualquer forma o quadro que se apresenta, embora grave, é muito mais um caso de vergonha do que de apoio.
    Todos os que apoiaram o golpe contra a presidenta Dilma ainda nutrem, 3 anos após ,a esperança daquilo que lhe foi prometido ainda que,os anéis já tenham ido e,em alguns casos, já começam a cortar-se os dedos.
    Tudo isso para eles é aceitável. Tudo menos a desonra de admitir que mais do que nunca que aquele pato que eles orgulhosamente ostentavam é o fiel retrato deles hoje.

    12
    2
  8. Parece que não tem jeito. O Brasil terá que beber desse cálice.
    Uma vez mais na História, uma “democracia” débil controlada por uma plutocracia podre – que projeta fantasmas comunistas debaixo das camas – e a omissão complacente de uma esquerda “republicana” parem um fascismo de insanos que usam os meios de comunicação para hipnotizar a população.
    Soma-se a isso o interesse do império decadente em garantir todo um continente como sua área de exploração colonial exclusiva.
    Para que essa onda nefasta passasse algumas coisas seriam necessárias: uma expressiva perda de poder por parte do império, decorrente de uma reorganização geopolítica global; uma mudança radical na forma que o povo brasileiro se vê, adquirindo consciência de que todos, sem exceções, somos igualmente parte do povo e, mais importante, que essa nova visão se traduza em ações reais.
    A questão é: quando (se) tais coisas ocorrerem, ainda haverá um Brasil?

    9
    1
  9. Atenção: estão falando no twitter… Encontrada pena de pavão dentro do Cobalt… A confirmar. Procurem se informar!

    2
    1
  10. Tornar inimputáveis os crimes de execução sumária praticados por policiais é o que senão a decretação da pena de morte sem que pra isso nem precise de sentença?
    A sentença ficará ao bel prazer do policial : não foi com a cara do cidadão ou parece ser de esquerda, manda o 38 e fica por isso mesmo.
    Num país que não perdeu o rumo, esse partido a APB, Aliança Pelos Bolsonaro, seria proibido por configurar apologia ao crime e a defesa do nazismo.
    E olha que a tal APB ainda não tem controle sobre o STF.
    Ou já tem?

    8
    2
  11. Estamos nas mãos dos fascistas. Não há reação, assistimos tudo com indignacao e, de minha parte, muito medo. Que cresce todo dia quando leio as notícias. Que futuro estamos deixando para nossas crianças? Sinto que um holocausto se aproxima e minha impotência é paralisante. O que fazer para resistir senhores?

    7
    2
  12. Nassif, boa noite! Venho acompanhando sua série de artigos a respeito do assassinato de Marielle, e tambem a sua teoria dos fatos para montar uma hipótese sobre o envolvimentos dos Bolsonaros. Um fato que me chamou a atenção foi o seguinte: depois daquela matéria do Jornal Nacional e do escândalo do Bolsonaro, alguns dias depois, o Ali Kamel publicou uma nota dizendo que eles receberam a “dica” sobre o depoimento do porteiro de alguém próximo a família Bolsonaro. No final, deu a entender que eles foram enganados. Mas porque Bolsonaro plantaria essa informação? Apenas para atacar a Globo? Valeria a pena se expor dessa forma apenas para realizar alguns ataques à emissora? Isto sempre me intrigou. Agora, no entanto, se Carlos Bolsonaro realmente estiver envolvido no assassinato, esta notícia plantada faz mais sentido. Pode ter sido uma estratégia de Bolsonaro de desviar o foco de seu filho para si próprio, uma vez que ele possui um Álibi forte (estar em Brasília no dia), possui todo o poder de ser o Presidente da República, e ainda de tabela poderia contra atacar desqualificando a rede Globo como sendo uma divulgadora de fake news.

    7
    1
  13. “Existe ampla simpatia por Bolsonaro nas principais instituições do país, Judiciário Estadual, Federal, Eleitoral, Ministérios Públicos, Justiça Eleitoral, Polícia Federal e associações empresariais em geral. O novo partido irá dar organicidade a essa atuação.”

    É mais que simçatia, Nassif; muito mais: é comunhao ideologica; sai contra DHs, Direitos Sociais, Trabalhistas, Meio Ambiente, sao fanaticos religiosos, repetem papo MBA coaching, etc…

    Até um dos campeões do antipetismo, o Reinaldo Azevedo, se perguntou nesta semana pelo tal “centro”. Sim, ele, que cresceu e apareceu no “jornalismo” da Veja associando a todo instante o PT, PT, PT a Stalin, Hugo Chavez, Fidel, Che…

    Ele e Gilmar Mendaz viram que a coisa passou do ponto depois do impedimento da Dilma. Pra eles, era pra parar por ali. Mas…quem segura?

    A globo pisou no acelerador. SBT e Band são meros pivetes pegando umas beiradas…

    Ou seja, não há qualquer, qualquer possibilidade de “acordo” que nao passe pela negociação da cabeça da globo em uma bandeja. E ela sabe disso. E o “mercado” também.

    4
    1
  14. Outra coisa bem básica: o amor a desigualdade sempre empurrou os chamados “liberais” para os braços do fascismo. Von der Mises é um, Roberto Campos (para aqueles que acreditam, que crêem que ele era “liberal”), também.

    Ou seja, NAO contem com eles.

    De que adianta Lara Resende falar, tarde da noite, que aperto monetario, austeridade sao maneiras, não?

    De que adianta, aa essa altura do campeonato, Arminio Fraga e Luciano Huck falarem que a desigualdade não é maneira, nao?

    Esse pessoal está acostumado a salão, a arranjo de cupula…Ou seja, estão DE BOBEIRA; agora que estao acordando…

    4
    1
  15. É aquela coisa: ” Todo mundo quer ir pro céu mas ninguém quer morrer”. A esquerda toda sabe que alguma coisa tem que ser feita, urgentemente,MAS, Todo mundo concorda desde que seja o outro a convocar ou seja lá o que for… Ah o ideal é o Lula convocar e liderar o povo nas ruas, aí, se der merda a gente desce o cacete e joga a culpa no petê. Mas, aí se o PT ( Lula) convoca, o PSOL, não vai. Se o Psol, convoca, o PT, pode ir mas não pode levar bandeiras, Se O PCdoB convoca, vai o PT ms não vai o Psol e o Pstu…. Se a CUT convoca, a turma associa ao PT e não vai encher a bola do PT, com o o MST, a mesma coisa. Se for o Ciro convocando o PT não vai…. Nessa loucura ELEITORAL pq é disso que se trata, embora o pessoal gosta de dizer que é o PT só que pensa em eleição, a verdade é que o PT ASSUME isso e Lula já disso vou polarizar,SIM. A questão é como sair disso pq o fascismo tá ganhando espaço não só pela colaboração criminosa de MPF, TSE STF mas, pela dificuldade da esquerda de formar uma frente ANTIFA,mesmo. Ñ coordenada por partidos ( ideia do Antonio Celso,FB). Aqui, outro problema pq a formação de uma frente, demandaria, defesa contra perseguições políticas e, o único partido que passa por isso é o PT e, não há uma vontade efetiva, dos demais de envolverem-se, nisso pq significaria ajudar o inimigo. Todo militante de esquerda quer ser professor de análise de conjuntura e mega estrategista. A verdade é, por imaturidade,política, estamos em plena ascensão do fascismo, nos olhando como inimigos e deixando o caminho livre pros fascistas. A boa notícia é que, ao que parece, a lucidez de Lula encontrou-se com a juventude e isenção de mágoas e rancores, além de força política inegável de Manuela e Boulos. Os dois tem tudo que o país precisa pra retomar o rumo.

    8
    3
    • Nestes dias nasceram da juventude italiana com a percepção do perigo fascista do Salvini e da sua Lega, as “Sardine” as sardinhas, enchendo as praças sem bandeiras sem partidos apenas o compromisso e a necessidade de combater o fascismo e sovranismo.
      Rapidamente e convocadas pelas mídias sociais jovens e nem tanto estão enchendo pacificamente com esta mensagem praças em toda a Bota.
      E a nossa juventude?

      2
      1
  16. Qualquer estudantezinho meia-boca de sociologia ou história sabe que a situação política tende a se polarizar à medida que a situação econômica se deteriora.
    Já um bom estudante de história sabe muito bem que, pelo exemplo do fascismo e do nazismo, quando a situação se polariza o empresariado, as instituições e a classe média correm todas pro mesmo lado… qual? Penso que é desnecessário dizer…
    O Brasil só repete, com um potencial igual (ou pior) de tragédia, o que aconteceu com Itália e Alemanha nos anos 20/30. Isso também vai ficando cada dia mais óbvio. Só observo algumas coisas:
    1. Que a nazificação do Brasil era perceptível para quem se deu conta que o neoliberalismo só seria implementado à força;
    2. Que o neoliberalismo traria como resultado uma instabilidade social violenta só, possivelmente, reprimida à força. Só olhar Equador, Chile, Bolívia…;
    3. Que as instituições haviam sido nazificadas. O judiciário nem precisava, pois já nasceu nazista;
    4. Não sei se Bolsonaro vai longe, por enquanto ele é o idiota útil de plantão que faz de tudo para implantar o estado repressor… Mas sua parca capacidade cognitiva não o recomenda como líder forte de uma ditadura…
    Pela experiência história a gente sabe como essas coisas começam…. E se sabe também que acabam muito mal…

    9
    2
  17. -> O que mais incomoda é que, no maior furacão da história, no momento mais decisivo da história do Brasil, esses movimentos recentes, que tiraram o PT momentaneamente do jogo político, não tenha revelado uma liderança de peso sequer.

    “Se eu avançar, sigam-me. Se me detenho, empurrem-me. Se eu os trair, matem-me. Se me matam, vinguem-me.”
    Jorge Eliécer Gaitán

    as raízes da violência na Colômbia remontam ao assassinato de Gaitán, candidato liberal favorito às eleições e assassinado em 1948.

    a multidão em fúria desencadeou o Bogotazo.

    o assassino de Gaitán foi linchado e seu cadáver arrastado pelas ruas até o palácio presidencial, que foi cercado e esteve a ponto de ser tomado.

    o levante foi contido por uma coluna de 5 tanques de guerra. embora inicialmente a favor dos manifestantes, a morte do coronel que a liderava inverteu o comando levando-os a disparar contra a multidão. cerca de 300 pessoas foram massacradas.

    seguiu-se (1946/1957) o período conhecido como La Violencia (estimam-se 300 mil mortos, 800 mil de feridos e 1 milhão de refugiados) estabelecendo desde então o padrão para a luta de classes na Colômbia.

    o assassinato de Gaitán é também a sentença de morte para a Revolução Democrática Burguesa na periferia latino-americana do Capitalismo.

    nos levantes do Equador e Chile, qual a relevância de Bachelet e Rafael Correa? qual a participação de Evo Morales na luta contra o golpe na Bolívia?

    e Lula no Brasil?

    deixem que os mortos enterrem seus mortos. as novas lideranças sempre são engendradas pelas novos lutas. não é o povo quem faz a Revolução, é a Revolução quem cria seu povo.
    .

    4
    3
  18. A elite alemã optou claramente pelo nazismo pelo medo que tinha do comunismo, o quadro de hoje no Brasil é o mesmo.

    O medo do PT que na verdade é o medo do povo faz a elite brasileira seja por omissão seja por adesão a se filiar ao fascismo, a manipulação evangélica chegou à classe média e o bolsonarismo também.

    Não tenho nenhuma dúvida de que o país caminha a passos largos para um governo ditatorial ou uma guerra civil.

    5
    2
  19. A desgraça se aproxima velozmente.
    E muito ainda consideram o estúpido como mito.
    Haja burrice para esta gente.
    O Brasil já era.
    Infelizmente não vou viver para ver o Brasil ser um país decente.
    A última oportunidade foi destruída pelo psdb, judiciário de forma geral, mpf e pf em conluio com a globo.
    Todos minúsculos mesmo.

    7
    2
  20. Nassif, em Minas temos uma gíria para o revólver de calibre 38: é o três oitão. É curioso e horroroso o nível de violência proposto por esse homem, chamado Jair. Nada escapa ao seu discurso-açao de ódio.

    3
    2
  21. Nassif, em Minas temos uma gíria para o revólver de calibre 38: é o três oitão. É curioso e horroroso o nível de violência proposto por esse homem, chamado Jair. Nada escapa ao seu discurso-açao de ódio.

    1
    1
  22. Nassif, em Minas temos uma gíria para o revólver de calibre 38: é o três oitão. É curioso e horroroso o nível de violência proposto por esse homem, chamado Jair. Nada escapa ao seu discurso-açao de ódio.

    1
    1
  23. É necessário que o brasileiro entre no lamaçal para aprender a dar valor aquilo que é correto. Nunca tivemos aqui grandes dificuldades nem mesmo durante a ditadura por isso é necessário esse aprendizado para que no futuro tenha parâmetros daquilo que não deve permitir. Teremos uma noite longa e tenebrosa pela frente.

  24. O risco de uma aventura autoritária é patente. Bolsonaro e seus asseclas sabem que não contarão, pelo menos a curto prazo, com uma melhora acentuada nos indicadores econômicos-sociais. Ao contrário: a situação tende a se agravar o que certamente potencializaria um contexto de sublevações tal qual ocorre hoje em diversos países da América Latina.
    De uma coisa temos ABSOLUTA certeza: o bolsonarismo, incluindo o ramo encravado nas forças de segurança(FFAA, polícias etc), se não alcançou (ainda) o mesmo nível de fanatismo que imperava na Alemanha da década de 30, poderá fazê-lo caso surjam as condições para tal.
    Exagero? Talvez sim. O diabo é que o “talvez não”, apesar da aparente implausibilidade, é um hipótese apavorante mesmo enquanto tal.
    As “barbas” do nossos vizinhos ardem. Vamos botar as nossas de molho.

    2
    1
  25. Se o Lula tivesse retirado a candidatura para presidente logo no começo (pois era mais do que evidente que seria preso) e tivesse deixado o Haddad ficar como vice do Ciro, nada disso estaria sendo discutido. A esquerda não aceita essa verdade, mas o Bolsinho é cria do Lula.

    1
    5
  26. “O velho mundo agoniza, um novo mundo tarda a nascer, e, nesse claro-escuro, irrompem os monstros” (Antonio Gramsci).

    1
    1
  27. Hitler só perdeu apoio da população enganada quando a Alemanha estava sob os escombros da guerra.Assim mesmo porque aviões de outros países jogavam panfleto abrindo o olho daquele povo fanatizado.

  28. O principal objetivo é fundo partidário controlado pela família.

    O resto se houver será lucro, os membros das melícias não serão convocados para está tarefa, em caso de reversão da situação bastaria buscar entre os filiados para iniciar as investigações.

    Provavelmente se buscará antes de mais nada, nas fileiras da igrejas evangélica, para atingir o número de filiados necessários.

    O recente decreto para isentar as forças polícias e militares, pode ser uma indicação de que há resistências por parte da forças armadas, diria mais. os Marinhos tem mais influência na cúpula das forças armadas do que a família do atual presidente.

    1
    2
  29. A criação de uma nova legenda é uma demonstração de fraqueza.

    Força seria assumir o controle do PSL, e expurgar os adversários, isto quer dizer que não conseguiu sequer mobilizar as instituições que controla para prender e processar os adversários dentro do PSL, o máximo que conseguiu fazer até agora, foi uma medida PROVISÓRIA que cancela o seguro obrigatório, que ainda pode ser derrubada no congresso.
    Além disso, deixou evidente os riscos que os demais empresários estão correndo em caso de uma ditadura sobre o comando desta família, o que pode aumentar a divisão entre os controladores do capital.

  30. quanto mais aumentar o medo, pior para as forças progressistas e democráticas….
    a direita fascista quer mesmo é o clima de medo e morte….
    criticam o pt por exagerar no respeito ao republianismo, mas percebe-se que a midia laternativa ou parte dela acaba virando caixa de ressonância do besteirol da direita…
    parte dessa midia alternativa lê a a grande mídia e a repercute…isso é dar milho pra bode, isto é, é alimentar a política permeada de besteiRaS da direita

  31. É preciso lembrar que a ascensão do nazismo ocorreu num ambiente de altíssimos níveis de desemprego, e da atividade econômica, produzidos pelo Tratado de Versalhes, e pela guerra comercial, desvalorizações cambiais constantes, etc….

    A população empobrecida, e a burguesia em dificuldades foram, então, “levadas” a apoiar o nazismo….etc…. pois houve uma explosão do nível de emprego, e da atividade econômica, da renda, etc…PIB….

    No caso de possível ascensão ao fascismo por parte de Bolsonaro e seu clã, embora, o desemprego seja bem alto, a crise não é tão severa como a dos anos 1920/30.

    Veremos o que nos espera……
    Uma coisa é certa: não esperemos luta por parte do bovino povo brasileiro, como a que observamos nos povos da América Hispânica.

  32. Manuel Castells falou recentemente sobre esses governos totalitarios dos quais provavelmente teremos a volta não apenas na América Latina, como dentro do eixo Europa-Estados Unidos. Se não determos Bolsonaro, desconstruido sua imagem e demonstrando o que ele realmente é e sua entourage, provavelmente teremos mais um simulacro de eleições.

  33. José Dirceu já disse: Bolsonaro tem apoio popular e vai ficar anos no poder. Só não enxerga quem não quer. A esquerda fica gritando “Mariele”, “bolsominion”, “eleição roubada”. Nada disso fez cócegas. Se a eleição fosse hoje Bolsonaro venceria em 1 turno. A esquerda fala em FM e o povo em AM. Rendam-se às obviedades. Ou Nelson Rodrigues estava certo quando dizia que só os profetas enxergam o óbvio?

  34. O pai do Bolsonaro era italiano e bem provavel que nutria simpatia e admiracao por “BM” , geralmente nao e regra, mais os filhos sempre tende seguir e admirar os valores defendidos e explicitados pelos entes mais proximos, mesmo que nao seja a melhor escolha.

  35. Atirar no que vê e acertar no que não vê!
    Vivemos não uma realidade politica, mas um amontoado de coisas que caminha para um monstro sem cabeça!
    Ainda que o judiciário e forças armadas reclamem protagonismo, ficarão a reboque destas consequências!
    No princípio havia uma clara configuração de pirâmide financeira!
    Foi pensada para dar lucros aos seus formuladores!
    A derrubada da Dilma, o linchamento público do PT, de LULA e das esquerdas era fundamental para que as coisas ocorressem de forma acelerada, o que se pretendia era ter um ambiente sem oposição, a semelhança da ditadura de chilena!
    O primeiro passo foi a PEC da morte que garante o lucro da pirâmide por no minimo 20 anos!
    Isso abriu uma série de oportunidades para que investimentos financeiros tornem-se mais rentáveis e tranquilos!
    É lugar comum você receber videos onde falam que você pode dobrar, triplicar ou mais vezes seu patrimônio!
    Essas novas facilidades, geram entusiasmo nos participantes e caminham na direção da exclusão das esquerdas sem levar em conta que gera miséria de populações imensas!
    Essa é classe que gera retorno nas mídias sociais e é responsável pelo poder de mídia no pais!
    É uma oportunidade real para a classe média e milhares de empresários na busca por lucros cada vez maiores apoiando por isso reformas trabalhistas e tributárias!
    Mas essa implementação, diferente de uma ditadura de imposição a partir de decretos não se deu, nem se dá, apesar da maioria parlamentar não se importar com povo e população pobre!
    O discurso é que estamos melhorando o ambiente de negócio e isso turva a percepção do aumento da pobreza!
    Essa implantação aos poucos, diferente de uma ditadura começou produzindo a descentralização do golpe das forças iniciais!
    A necessidade de negociar e a compreensão entre os negociadores da falta de valores democráticos,da percepção do vácuo de poder central, dá a esses atores que eram menores no golpe inicial, mais força e dá poder para seu crescimento pela ambição!
    Das forças principais iniciais que eram a parte “miserável da elite” e parte do judiciário, houve um crescente aumento da presença de poder de cunho militar.
    Como não há condições de oferecer participação nos lucros diretos do golpe a todos, para a manutenção da ideia original já a partir do governo Temer começou a distribuir benesses a setores da economia e a parte do funcionalismo!
    Se a economia não cresce e não gera riqueza, o lucro só pode vir da migração da riqueza de parcela da população para outra!
    É um bolsa família invertido!
    A moeda varia de acordo com grupo que se pretende incluir no golpe!
    O direito de matar sem culpa é uma moeda que se oferece ao grupo militar, mas pode evoluir e se tornar algo incontrolável!
    Os donos originais do golpe não sofrerão, pois acumularam o suficiente para não viver entre os mortais!
    Haverá um esgotamento do volume de recursos com o passar do tempo, que acabará pressionando a sociedade, quer seja pela percepção da violência e da falta de oportunidades dentro da pirâmide!
    E nessa parcela que ficar entre os sem acesso aos recursos do golpe, aumentarão os dispostos a praticar algum tipo de corrupção!
    E dentro das forças militares que se tornarão conscientes da falta de rigor e controle nos levará a um estado que permite o terror!
    Coisa que nem a parte da elite que deu o golpe, nem o judiciário, nem as forças armadas poderão controlar!
    O Brasil caminha para um abismo constitucional, com instituições apenas de fachada!

  36. Importante alerta de Nassif, mas não só para nós brasileiros . Comparando o Brasil de hoje com o de cada um dos participantes do Eixo da grande guerra o Brasil tem o no mínimo o dobro da população incrível disponibilidade de recursos naturais, ausência de vizinhos tão poderosos, e conhecimento de tecnologia nuclear . O poder de destruição do nazifascismo aqui é maior, assustador. A preocupação não pode ser só nossa.

  37. O fato político mais importante dos últimos dias, no Brasil, foi sem dúvida o magnífico discurso da maior liderança política do Brasil, o ex-presidente Lula, no congresso do PT. Estranho que o discurso não se tenha tornado sequer notícia por aqui. Talvez por ir totalmente de encontro, com indiscutivelmente deve ser, à ideia de um pacto inviável entre as vítimas (o povo brasileiro) e seus algozes de centro e de extrema direita, abdicando o povo dos direitos que já lhe foram usurpados por meio de um golpe continuado jurídico-midiático-parlamentar;

  38. Não tenho dúvidas o fascismo está chegando, e a oposição fica brincando de fazer política só através do parlamento. Será que somente o sapo barbudo tem peito de enfrentar algo terrível que se aproxima, ainda vem o Ciro Gomes, com todo o blá, blá sem a mínima consistência Pollitica. Brasileiros vamos acordar, o tempo urge.

  39. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome