O jogo de 2022 começa a ser jogado, e todos os lances giram em torno de Lula.

Até Fernando Henrique Cardoso, o homem que estimulou até o fim a prisão de Lula, selando com a marca da mesquinharia sua longa vida política, se ofereceu como interlocutor do chamado pacto democrático.

Não sei quem FHC representa hoje em dia. Não o PSDB, dominado por Joao Dória Jr., que não lhe dá a menor pelota, ou a centro direita mercadista que se organiza em torno de Luciano Huck, sem lhe prestar contas.

No fundo, o drama da centro-direita paulista, antes representada pelo PSDB, é a ausência de um interlocutor com senhoridade e a confiança de todas as partes envolvidas. E, seguramente, não é FHC. Em outros tempos, seria Mário Covas, que conquistou o eleitorado classe média de Paulo Maluf, e era confiável e capaz de grandes gestos.

Armínio Fraga é um nome que tem crescido, trazendo a visão estratégica do clube dos bilionários esclarecidos dos EUA, que aprenderam que não há segurança jurídica nem política, com desmanche social. O liberalismo selvagem é o caminho mais curto para o nacionalismo selvagem. Mas Armínio representa apenas um elo com o lado mais racional (e minoritário) do mercado).

Em todo caso, nos dois cantos – o da esquerda de Lula e o centro-direita em torno de Huck – há boa vontade para se iniciar conversas.

No momento, ambos os lados tentam acumular forças para as rodadas seguintes, Lula arregimentando multidões em seus comícios; Huck sendo empurrado pela mídia em cima da falsa equivalência recorrente: a de mostrar os dois lados, lulismo e bolsonarismo, como faces da mesma moeda da radicalização, para apresentar a saída virtuosa do centro. É o chamado terraplanismo sociológico, de uma mídia que ainda não aprendeu a se diferenciar dos discursos de WhatsApp.

De qualquer modo, faz parte das preliminares, assim como a retórica guerreira de Lula. Os próximos tempos exigirão muita racionalidade e desprendimento de lado a lado. E, aparentemente, há essa consciência dos dois lados.

O inimigo a ser vencido é a maior ameaça ao país em toda sua história. Trata-se de um país que abrigou toda sorte de golpes de Estado. Mas, em cada golpe, havia um vencedor estruturado, muitas vezes agindo de forma selvagem, mas com um projeto de país na cabeça. Não havia risco do desmanche nacional.

Agora, o que se tem é o poder empalmado por grupos que atuam no modo de operação do crime organizado, buscando brechas para implantar uma ditadura selvagem. E não de trata apenas de Bolsonaro. O vice-presidente Hamilton Mourão, assim como o general Augusto Heleno, partilham a mesma visão autoritária – e, provavelmente implementariam o estado de exceção com mais método e a mesma violência de Bolsonaro.

Leia também:  Presidência da CDHM pede providências sobre mortes em Paraisópolis

Tem-se, portanto, um duplo desafio.

O mais premente, a linha de resistência até 2022, garantindo peças mínimas de funcionamento da democracia. O segundo, montar uma aliança capaz de vencer as eleições e superar a grande noite da idiotia nacional.

Para tanto, há que se vencer idiossincrasias, superar mágoas, e parar com essa bobagem de exigir autocrítica. A mídia fará autocrítica por 15 anos de disseminação diária do ódio? O PSDB fará autocrítica por seu apoio ao golpe e ao desmonte das redes de proteção social? O PT fará autocrítica pelos doze anos seguindo a cartilha do tal tripé virtuoso, as concessões ao presidencialismo de coalizão e o isolamento autocrático da era Dilma? O Supremo fará autocrítica por ter permitido o desmanche da ordem constitucional?

Então parem com essa bobagem e tratem de zerar o jogo em torno de um objetivo maior. A melhor autocrítica é reforçar a nova postura, em defesa da democracia.

Trata-se de uma engenharia politica desafiadora, que passa pelos seguintes pontos.

  1. O PT não vai abrir mão de ser o protagonista maior das esquerdas no país. Anteriormente, o Partido Comunista incorreu nesse erro e foi amplamente superado pelo trabalhismo e pelo petismo. Qualquer pacto com o PT tem que aceitar o fato de ser o maior partido de oposição, sem vocação para o suicídio político.
  2. A centro-direita não vai aceitar um pacto que a coloque em uma disputa eleitoral a seco com Lula e Bolsonaro, por absoluta impossibilidade de vitória. Também não vai endossar pactos que a excluam de processos decisórios. Qualquer pacto tem que colocá-lo como sócio do poder. Seus trunfos não são eleitorais, mas a ampla ascendência sobre mídia e personagens relevantes da estrutura de poder.

O único modelo será o acordo compartilhado, como ocorreu com o Pacto de Moncloa, na Espanha, um acordo de ganha-ganha, em que nenhum dos lados busque o protagonismo absoluto.

.Há um enorme incentivo ao bom senso: será a derradeira oportunidade para impedir que a terra de Santa Cruz se transforme no inferno do bolsonarismo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Belo xadrez. Vamos por partes. Armínio Fraga. Li seu artigo publicado aqui no GGN. Na aparência, a preocupação é com o social. Na essência, com a solvência do Estado para garantir a posição relativa dos rentistas. Em outras palavras, se todos ganharem, que nós continuemos a ganhar mais. Senão, no longo prazo, todos seremos iguais, ora. Enfim, somos bonzinhos, mas não somos bestas. Dirá Armínio e sua turma. Então, para cair na conversa do Armínio, tem que ser besta. A conversa com Armínio e a turma da bufunfa é a seguinte: - Vocês vão ganhar relativamente menos para não perder tudo. Certo?! Se for assim, tem jogo. Ok? Senão, pagaremos pra ver. Eles então perguntarão: - Ah, mas até quando ganharemos menos? - Isso nós vamos ver. No andar da carruagem as melancias se ajeitam. Enfim, a gente vai conversando, desde que vocês que sempre ganharam mais, comecem ganhando relativamente menos. Essa é a conversa com a turma da bufunfa. Eles devem aceitar porque têm muito a perder. Segundo ponto. A crítica da autocrítica está perfeita. Quanto ao PT, está muito acertada, especialmente em relação ao tripé e o isolamento autocrático. O Brasil pode ser grande, e tem lugar para todos. Ouviram: Forças Armadas, mercado financeiro e empresariado. Pensem grande, como o Lula. O caminho é a social democracia. Leia-se: desenvolvimento soberano com inclusão social. A alternativa é a raiva do "homem comum", e um país autoritário, pobre e dependente.

Rafael

NASSIF (1) é preciso reconhecer que a polaridade Lulopetismo versus Bolsonarismo foi uma criação da estratégia eleitoral elaborada por Lula. Acreditava que Bolsonaro seria mais fácil de derrotar no segundo turno, por tudo de ruim que Bolsonaro representa. O resultado fala por si. (2) Lula exige o protagonismo e afirmou que: (a) o PT é o único partido no Brasil e os demais são siglas; (b) o PT não nasceu para ser partido de apoio; (c) vai polarizar em 2022 (revanche de 2018). (3) é preciso reconhecer que o PT não tem mais força para impor sua hegemonia no campo da centro-esquerda. Basta observar o que ocorreu no Congresso após as eleições. No ano que vem as eleições serão decisivas para avaliar o grau do antipetismo. Neste momento, uma aliança Lula-Huck seria uma escandalosa farsa. Ou não ?

Marcos Videira

-> É o medo que nos faz acreditar que temos que ceder a direita. a posição política, assim como a visão de mundo e projetos desta decorrentes, são determinados pela posição de classe - e não de um suposto e vazio "lugar de fala". Haddad é um professor universitário, lecionando também no Insper. ao contrário do PT, nascido das bases de um poderoso movimento popular, o PSOL surge de políticos profissionais dissidentes para abrigar uma candidatura de outra então política profissional: Heloísa Helena. mesmo Lula, apesar de sua origem, está vinculado à burocracia sindical desde 1972, quando ocupou seu primeiro cargo como Diretor no Sindicato em São Bernardo. a ruptura e superação do determinismo da posição de classe só é possível através da participação num movimento coletivo de transformação social, pela explicitação das contradições intrínsecas ao cotidiano de todos nós, colocando-nos diante de opções: ser ou não ser? Mais vale se desfazer dos escrúpulos e conservar o reino; ou não abrir mão dos princípios e junto com o reino perder a própria vida? abraços .

"Para tanto, há que se vencer idiossincrasias, superar mágoas, e parar com essa bobagem de exigir autocrítica." Acho essa frase a maior contradição do texto todo. Para mim está claro que o PT não faz autocrítica porque não quer superar mágoas, além de outras idiossincrasias como, por exemplo, colocar seu objetivo de ser o grande representante das esquerdas como um objetivo maior e inegociável. E em assim sendo, é impossível superar mágoas e idiossincrasias com atitudes assim. Dessa forma, assim como não existirá autocrítica, não existirá pacto nenhum. E segue o barco, com Bolsonaro no poder ou algum outro grupo radical de extrema-direita. Muitos vão dizer que a autocrítica não deve ser unilateral, que o outro lado também deveria fazer, etc e tal. Concordo, mas ou bem você se convence da necessidade de fazer algo e toma atitudes condizentes com a sua consciência ou então você não faz nada porque não está convencido. E se vocẽ não está convencido, o passo seguinte é criar desculpas para se autojustificar perante os outros, uma das coisas mais deprimentes que existem. O PT não fará a autocrítica achando que com isso dará uma chave de braço na esquerda brasileira e a manterá sob seu domínio. Para mim, este será seu grande erro. E um dia eles acordarão e verão que perderam o eleitorado de esquerda justamente porque perderam a época de fazerem a autocrítica.

40 comentários

  1. Rodrigo Maia como presidente, Ciro vice… Lula e FH atrás dos dois em fotos e mais fotos. Huck e Haddad como ministros.

    Mais ou menos isso?? Desenvolva com cenários, porque o Lula não parece disponível para descer um único degrau…

    11
    6
  2. Não se trata de autocrítica. As comparações são infelizes.
    A mídia porca, o partido dos bicudos emplumados e o STF foram,todos eles,golpistas.
    Golpista não tem que fazer autocrítica nenhuma. Golpista deveria ser julgado por um tribunal popular.
    A história brasileira demonstra claramente que essa gente entende perdão como submissão.
    Isso não pode continuar a ocorrer.
    A única autocrítica que deve ser cobrada é a dos zumbis. Esses sim precisam acordar,pedir perdão e ver onde erraram que permitiram se deixar manobrar da forma que foram e que são.

    32
    2
  3. Belo xadrez. Vamos por partes.

    Armínio Fraga. Li seu artigo publicado aqui no GGN. Na aparência, a preocupação é com o social. Na essência, com a solvência do Estado para garantir a posição relativa dos rentistas. Em outras palavras, se todos ganharem, que nós continuemos a ganhar mais. Senão, no longo prazo, todos seremos iguais, ora. Enfim, somos bonzinhos, mas não somos bestas. Dirá Armínio e sua turma.
    Então, para cair na conversa do Armínio, tem que ser besta.

    A conversa com Armínio e a turma da bufunfa é a seguinte:
    – Vocês vão ganhar relativamente menos para não perder tudo. Certo?!
    Se for assim, tem jogo. Ok? Senão, pagaremos pra ver.

    Eles então perguntarão:
    – Ah, mas até quando ganharemos menos?
    – Isso nós vamos ver. No andar da carruagem as melancias se ajeitam.
    Enfim, a gente vai conversando, desde que vocês que sempre ganharam mais, comecem ganhando relativamente menos.
    Essa é a conversa com a turma da bufunfa. Eles devem aceitar porque têm muito a perder.

    Segundo ponto. A crítica da autocrítica está perfeita. Quanto ao PT, está muito acertada, especialmente em relação ao tripé e o isolamento autocrático.

    O Brasil pode ser grande, e tem lugar para todos. Ouviram: Forças Armadas, mercado financeiro e empresariado. Pensem grande, como o Lula.

    O caminho é a social democracia. Leia-se: desenvolvimento soberano com inclusão social.

    A alternativa é a raiva do “homem comum”, e um país autoritário, pobre e dependente.

    19
    4
  4. Como disse, estão tentando trazer Lula para o centro….. são os larápios do rentismo cuidando dos seus interesses, vão entregar meio anel para não perder uma falange… enquanto isso o pobre continuará sem emprego, sem esperança e agora, sem aposentadoria, mas o importante é manter essa pantomima de país em pé…… afinal, agitações são ruins para os negócios, não é?
    Já prepararam o botina pra assumir no lugar do botocudo, o elevaram aos píncaros…..grau máximo dos máximos….não duvido que se embarcarem nessa prendem todo o PT e dessa vez, jogam a chave fora …..passei dos 50 e a estória furada e trágica desse país se repete indefinidamente….. nunca tem povo nas teses da turma……

    33
    2
  5. NASSIF
    (1) é preciso reconhecer que a polaridade Lulopetismo versus Bolsonarismo foi uma criação da estratégia eleitoral elaborada por Lula. Acreditava que Bolsonaro seria mais fácil de derrotar no segundo turno, por tudo de ruim que Bolsonaro representa. O resultado fala por si.
    (2) Lula exige o protagonismo e afirmou que: (a) o PT é o único partido no Brasil e os demais são siglas; (b) o PT não nasceu para ser partido de apoio; (c) vai polarizar em 2022 (revanche de 2018).
    (3) é preciso reconhecer que o PT não tem mais força para impor sua hegemonia no campo da centro-esquerda. Basta observar o que ocorreu no Congresso após as eleições. No ano que vem as eleições serão decisivas para avaliar o grau do antipetismo.
    Neste momento, uma aliança Lula-Huck seria uma escandalosa farsa. Ou não ?

    10
    14
  6. Centro-direita no Brasil? Podendo influenciar um comportamento menos selvagem da mídia? Representada por Luciano HucK, ou seja, aliança com a Globo? O que o Nassif bebeu?

    27
    2
  7. Zé Ninguém, enfim, deve sair de seu conforto e conversar com o Sr. José de Tal, ambos desconfiados de que seu equílibrio antagônico é estruturante, é o país, possível e mal acabado, que garante tanto a conquista quanto o ganho. A soma zerada é a garantia de ambos. A incidência fascista capturou a brecha histórica e explicita sua vulnerabilidade, que a impede de conviver além de seus traumas adquiridos com as curvas civilizatórias que desbastaram a barbaridade. O resumo civilização x barbárie nunca foi tão explícito e as consciências estão em transe. O ditado pantaneiro reza: PRA QUEM TÁ AFOGANDO JACARÉ É TRONCO! Entroncamento, digo eu.

    2
    2
  8. Desculpe, Nassif, mas o buraco é bem mais embaixo do que terem apoiado o golpe e terem incitado a cachorrada fascista: até agora não deram uma palavra pelos Direitos Humanos; nada sobre a boçalidade nas áreas da Educação e Meio Ambiente; nada também sobre a estupidez nas relações internacionais…

    E não venham dizer que isso é só um “preço a pagar” pela implantação da agenda neoliberal. Não. A direita (que alguns TEIMAM em chamar de “centro”) não tem só uma aliança “tática” com a extrema direita e o boçalnarismo, é uma aliança estratégica, estrutural; a sua base eleitoral SEMPRE incluiu estes setores radicais. Ainda que os governos neoliberais anteriores ao atual não tenham cometido algumas das sandices deste aglomerado de estupidos, a CAMPANHA, o discurso politico propagado desde a primeira eleição presidencial e por toda a cobertura midiática ao longo da transição democrática e da falecida Nova Republica são os mesmos.

    O maior “erro” que a esquerda e o PT, PT, PT podem cometer é fracassar em colar na testa desses golpistas a associação deles com o fascismo na sua versão tosca.

    Podem até conversar, tentar algum acordo, defender uma pauta minima de proteção das Instituições…Mas, sabendo que terão de descumprir logo adiante. Afinal, é gente que já mostrou não ser de confiança. Melaram o jogo democrático mais uma vez e vão tornar a fazê-lo sempre. Os preconceitos politicos, ideológicos, sociais, de classe, etc, são profundos demais.

    31
    3
  9. Fudeu! Pra que lutamos tanto? Pra ficar, de novo, nas mãos da direita fascista? Não entendo essa análise de vcs, analistas políticos. Pq vcs culpam o PT por tudo de ruim de acontece no País. Pq Lula, que foi privado de sua liberdade injustamente por 580 dias, tem que resolver a merda em que os autores do golpe colocaram o País?

    20
    2
  10. Lula passou 580 dias presos para não aprender nada? Não é possível confiar nessa gente. Afinal, já se esqueceram que a centro-direita foi responsável pelo golpe?
    Só posso aceitar uma manobra infantil dessas se houver um objetivo oculto. qual seja: usar a centro direita e traí-la.
    A época das ilusões acabou. Essa gente só pode ser corrigida com a guilhotina…

    14
    2
  11. Que 2022 o que nassif, as eleicoes precisam ser anuladas pois foram roubadas. Os golpistas incluindo Sergio Moro e sua trupe na farsa a jato precisam ser presos, ou continuarao sabotando o pais. Somente novas eleicoes gerais sem mentiras pelo whatsapp darao legitimidade ao governo.

    12
    2
  12. Arf
    Só dá para dizer isso.
    Ouvir (ler) algo sobre direita civilizafa é de doer os olhos.
    Só é escalável porque se trata de um esperança ingênua e sincera do Nassif.

    Tudo o que Nassif disse se resume a um ponto: medo.

    É o medo que nos faz acreditar que temos que ceder a direita.

    Aí cedemos e lá na frente ela mela o jogo…ao primeiro sinal de que haverá uma leve alteração na estrutura desigual.

    Por isso LULA ficou 580 dias preso.

    E inelegível…pois ia ganhar preso.

    E incomunicável…pois ia fazer o presidente.

    E agora, depois de preso e silenciado, os apelos para conciliação.

    Zeus…foi a conciliação(impossível)que nos trouxr até aqui…!!!!!.

    14
    2
    • -> É o medo que nos faz acreditar que temos que ceder a direita.

      a posição política, assim como a visão de mundo e projetos desta decorrentes, são determinados pela posição de classe – e não de um suposto e vazio “lugar de fala”.

      Haddad é um professor universitário, lecionando também no Insper.

      ao contrário do PT, nascido das bases de um poderoso movimento popular, o PSOL surge de políticos profissionais dissidentes para abrigar uma candidatura de outra então política profissional: Heloísa Helena.

      mesmo Lula, apesar de sua origem, está vinculado à burocracia sindical desde 1972, quando ocupou seu primeiro cargo como Diretor no Sindicato em São Bernardo.

      a ruptura e superação do determinismo da posição de classe só é possível através da participação num movimento coletivo de transformação social, pela explicitação das contradições intrínsecas ao cotidiano de todos nós, colocando-nos diante de opções: ser ou não ser?

      Mais vale se desfazer dos escrúpulos e conservar o reino; ou não abrir mão dos princípios e junto com o reino perder a própria vida?

      abraços
      .

      5
      1
  13. -> O único modelo será o acordo compartilhado, como ocorreu com o Pacto de Moncloa, na Espanha, um acordo de ganha-ganha,

    pequeno histórico dos Pactos com a classe dominante na América Latina:

    Bolívia, 1952:

    uma insurreição popular liderada pelos mineiros não apenas derrubou o governo, como levou à dissolução do Exército e da polícia.

    embora tão “vitorioso quanto impotente”, o movimento dos trabalhadores cede a um pacto, levando ao governo o MNR (Movimento Nacionalista Revolucionário) – que acabou por se demonstrar um nacionalismo insuficiente e muito pouco de revolucionário.

    já em 1956 é adotado um programa de arrocho pautado pelo FMI.

    de capitulação em capitulação o regime agoniza, até ser substituído em 1964 por uma Ditadura militar.
    o golpe foi liderado por um oficial das Forças Aéreas, que não existiam em 1952, tendo sido constituídas pelos governos do MNR, sob orientação dos EUA.

    Chile, 1973:

    em junho de 1973, Allende logra debelar uma tentativa de golpe, o “tanquetazo”, graças a resoluta e heróica postura do General Carlos Prats, então Comandante em Chefe do Exército do Chile.

    entretanto, em agosto de 1973, Prats cede a pressão dos golpistas e renuncia, recomendando como seu substituto Pinochet. Allende aceita e nomeia seu carrasco.

    na manhã de 11/09/1973, ao se ver cercado no Palácio de La Moneda sob bombardeio cerrado, Allende ainda bradava pelo socorro de Pinochet: “onde está Pinochet?”.

    Pinochet estava no comando do golpe. Prats é assassinado no exílio, em 1974.

    Bolívia, 2009:

    em 2009, após uma feroz campanha oposicionista da Direita, finalmente é referendada a Nova Constituição Boliviana, com Evo sendo reeleito com 64% dos votos e o MAS conquistando maioria de 2/3 no Senado e na Câmara, levando a Direita parlamentar (Podemos) a se dissolver.

    ainda assim, mesmo nesta correlação de forças amplamente favorável, com o “empate catastrófico” de 2003 tendo evoluído para uma vitória de goleada, Evo e o MAS fizeram uma fatal inflexão à Direita, paulatinamente estreitando seus laços com o poder hacendal-patrimonialista.

    agora Evo está exilado no México.
    .

    10
    1
  14. -> Mas, em cada golpe, havia um vencedor estruturado, muitas vezes agindo de forma selvagem, mas com um projeto de país na cabeça. Não havia risco do desmanche nacional.

    o projeto de país é exatamente este: o desmanche do país, relegando-nos à condição de neo-colônia semi-escravocrata.

    este é projeto de Brasil do centro do núcleo da classe dominante: banqueiros e rentistas, exportadores de commodities, grande comércio importador e os sócios majoritários dos mega interesses globalizados.

    a História do Brasil e da América Latina, a nossa História, é a de uma Revolução negada: tanto a Revolução Democrática Burguesa quanto a Revolução Popular Socialista.

    qual o ponto inicial de qualquer discussão sobre um projeto de Brasil?

    não haverá nenhum Brasil sem desatar o nó do mercado financeiro com a exportação de commodities.

    não haverá nenhum economia voltada para o bem estar da população com cerca de R$ 1 trilhão girando improdutivamente no overnight, remunerado a uma à uma das maiores taxas de juros reais do mundo, sem gerar empregos e sem nada produzir.

    não haverá autonomia alimentar, e muito menos equilíbrio ecológico, com a manutenção de um modelo de agronegócio deficitário sob qualquer análise – nem sequer gera de fato as “divisas para o Brasil” que tanto alardeia.

    quem se propõe a começar a desatar este nó?
    .

    13
    2
  15. Esse pacto de boa fé foi feito com a anistia aos criminosos, deu no que deu a política Lula paz e amor. Anistia é a mãe do próximo golpe. Agora é lutar para tirar os milicianos civis e fardados do poder. Anistia não.

    9
    2
  16. Desta vez tenho que discordar radicalmente do Nassif. FHC, Ciro, Hulk … Esse trio é baba ovo do miliciano Sergio Moro e os três só não estão sendo perseguidos pela Lava-Jato e presos por corrupção, sonegação de impostos, lavagem de dinheiro etc porque pagam o óbulo do puxassaquismo ao líder da extrema direita brasileira, que é ninguem menos do que o provinciano Sergio Moro. Faltaram duas coisa relevantes na análise de Nassif: o povo e um “Zé Alencar” para ombrear com Lula na retomada do País das mãos dos milicianos.

    8
    1
  17. Não há pacto enquanto as “instituições” brasileiras continuarem sendo controladas por criminosos. Como exemplo como irá ter uma eleição limpa se o TSE é completamente dominado por criminosos da gangue do Bolsonaro? Como ter decisões justas e imparciais se a justiça é completamente dominada por criminosos da mesma gangue do tenente? (Bolsonaro jamais fez por merecer a patente de capitão)

    9
    1
  18. Lula de esquerda, onde? Há muitos anos que ele ê de centro, com preocupações sociais. Centro esquerda se preferir.
    Armínio está apenas se envernizando com o lustro do financismo esclarecido. Não daria minhas costas pra ele.

    7
    3
  19. O pacto de Lula é com o povo,todos estão querendo se encostar em Lula e o PT para RESSUSCITAREM,daí o surgimento e menções ao psdb , aqueles q agora se aproximam são os que queriam ENTERRAR LULA VIVO,Lulão precisa mudar o centro de poder político para o nordeste,os paulistas estão com um medo danado de ficar no ostracismo,O SERTÃO DEVE VIRAR MAR E O MAR DEVE VIRAR SERTÃO,Bolso quer isso tb e já está trabalhando há tempos neste sentido,estão procurando uma brecha para culpar Lula/PT de algo e por isso estão PROCURANDO ACORDOS/CONVERSAS,vcs precisam ser antisistema pois são e foram os q mais sofreram/sofrem com td isso,não sejam escada de ninguém a não ser ESCADA DO POVO e aliás aproveitem para UNIR TODA A AL contra o imperialismo pois os EUA irão perder a batalha na Bolívia,será o Vietnã deles deste povinho de m…(segundo eles)a oportunidade tá aí e para bom entendedor meia palavra basta,VIVA O BRASIL !!
    Ass: José Marcelo – Analista especializado em qq assunto formado pela Faculdade da Vida !!!

    4
    1
  20. Pelo que entendi do que disse Lula, temos mais é que aceitar a tal polarização. Não porque Lula e PT possam ser comparados ao dito “bolsonarismo”, mas justamente por serem de fato os polos radicalmente opostos, neste momento.

    A melhor forma de explicar isto é colocar as coisas em termos de compromisso social. Num extremo está a ditadura e no outro a Democracia. As coisas terem sido deslocadas ao ponto de a Democracia ter ficado numa posição mais à esquerda é reflexo da virulência do ataque fascista de que se utilizaram os dominantes para cinicamente manifestarem seu inconformismo. Os que se colocam no meio destes extremos não escondem suas concessões ao autoritarismo da direita e sua disposição de mitigar a democracia. Os extremados mais à esquerda de Lula tem que assumir que ainda pensam que sua ditadura deva ser melhor do que a dos extremistas no outro lado.

    A autocrítica possível é tentar se colocar honestamente neste novo tabuleiro, com posições relativas muito diferentes do que nos acostumamos no passado. Cada um que não apoie integralmente cada polo tem que dizer claramente quão mais próximo está da ditadura ou da democracia.

    4
    1
  21. “Para tanto, há que se vencer idiossincrasias, superar mágoas, e parar com essa bobagem de exigir autocrítica.”

    Acho essa frase a maior contradição do texto todo. Para mim está claro que o PT não faz autocrítica porque não quer superar mágoas, além de outras idiossincrasias como, por exemplo, colocar seu objetivo de ser o grande representante das esquerdas como um objetivo maior e inegociável. E em assim sendo, é impossível superar mágoas e idiossincrasias com atitudes assim. Dessa forma, assim como não existirá autocrítica, não existirá pacto nenhum. E segue o barco, com Bolsonaro no poder ou algum outro grupo radical de extrema-direita.
    Muitos vão dizer que a autocrítica não deve ser unilateral, que o outro lado também deveria fazer, etc e tal. Concordo, mas ou bem você se convence da necessidade de fazer algo e toma atitudes condizentes com a sua consciência ou então você não faz nada porque não está convencido. E se vocẽ não está convencido, o passo seguinte é criar desculpas para se autojustificar perante os outros, uma das coisas mais deprimentes que existem. O PT não fará a autocrítica achando que com isso dará uma chave de braço na esquerda brasileira e a manterá sob seu domínio. Para mim, este será seu grande erro. E um dia eles acordarão e verão que perderam o eleitorado de esquerda justamente porque perderam a época de fazerem a autocrítica.

    1
    6
  22. Por mais que pareça absurdo , um dos adverários desta conduta é a Gleisi. Nada a apresentar ao Brasil, fora o bláblabla vazio ou reclamatório

    1
    6
  23. Pacto em nome da democracia com a direita para manter tudo como sempre foi. Não é este o espírito do tempo. Não é hora de dar um passo atrás, o Brasil quer avançar para uma República com igualdade. Neste ponto estou com Zizek, não podemos voltar ao marco inicial do liberalismo de esquerda que resultou em Trump e Bolsonaro.
    Autocrítica não? Tudo bem mas pelo menos o PT deveria explicitar seu projeto para o país, incluindo o que fazer com este estado monarquico que aprofunda desigualdades e com qual governabilidade irá governar e qual sua visão de ética da política. Outra coisa, não dá para colocar no mesmo saco FHC, Globo e PT. Aliás, o que é o PT?

    5
    1
  24. Muito lúcida análise do Nassif. Racional e não moralista. De fato precisamos isolar Bolsonaro e o bolsonarismo destrutivo e fascista que se cristaliza em parte da população. O problema é: do lado da esquerda tem o Lula. E do lado da centro-direita, não vejo ninguém com estatura de estadista para essa missão.

    3
    1
  25. Pelo amor de Deus!!!! Qual parte especificamente da tragédia brasileira contemporânea em curso não foi ainda bem compreendida? A agenda de reformas ultraliberal e antinacional foi delimitada claramente no documento “Ponte para o futuro”, divulgada pelo PMDB em um grande ACORDO NACIONAL que juntou… a CENTRO-DIREITA E DIREITA. A extrema-direita miliciana tem agenda própria e é indiferente a esta agenda de FHC-GLOBO-CNI-USA-BRICS (SIM, RÚSSIA E CHINA)-LEMANN-XP-DEM-ETC.

    4
    1
  26. ANALU colocou o dedo na ferida.Há equívocos na análise de Nassif,ao meu entendimento,senão vejamos.O foco de Lullla são as ruas,ele já partiu para reconquista-las como prioridade 1.Todos sabem e por isto o temem,que Lullla é um animal politico,com um microfone em punho as possibilidades de exito são inquestionáveis.Se verificarmos o que aconteceu em Recife no último domingo,ele começou bem.O chão a ser pisado no primeiro momento é o Nordeste onde ele já deita,falta voltar faze-lo rolar.Não terá maiores dificuldades.Fechado o Nordeste e cacifado,vai quebrar certas resistências em outras partes do País,a começar por Minas Gerais onde ele entra como faca na manteiga.No Rio de Janeiro,apesar das circunstâncias atuais adversas,ele tem razoável penetração.São Paulo mais conhecido como Tucanistão,o PT tem seu bocado cativo.Feito isso,ele vai partir para negociar,visto que,uma coisa é conversar,outra negociar pelo menos no vocabulário lulllista.Lullla aposta como todos de bom senso,a hecatombe do governo Bolsonaro(até o energúmeno do FHC já percebeu,e o incrível Huck branco não liberou seu jatinho a toa)e,consequentemente no racha da direita e da extrema-direita,fato este já do conhecimento até do mundo mineral.Lullla trabalhará,agirá,postar-se-á como candidato até a vigéssima quinta hora.Bem,o que virá depois,talvez um Xadrez de Nassifão,para os chapas dele,poderá revelar.

    3
    1
  27. Não concordo pq acredito que o ódio disseminado, ao longo dos anos, a postura do MP/Judiciário em travar o PT enquanto a mídia espalhava ódio anti-petista e oportunistas, se valiam disso, e a soltura de Lula, num momento de conflagração da AL ( um dia antes do golpe no EVO c/ apoio de Boz e igrejas brasileiras) é um cronograma óbvio demais pra ser deixado de lado. Esticaram a corda ao máximo c/ lideranças, de fato, fora do jogo, para, soltar Lula, no momento em que a revolta tivesse atingido o ponto máximo para que ele catalizasse isso e liderasse arrastando, tb, o Brasil para o caos latino. Daí em diante é começar a vender a narrativa da culpa é do Lula, a culpa é do petê… Tá cheio de gente aí se dizendo a “pica das galáxias”, que faz e acontece e, quemprojetos sensacionais para tudo ou outros que dizem que são os guerreiros revolucionários que o petê quer aliançar e não enfrentar e, qur por isso, como são muito revolucionários e querem confronto e não diálogo, que justiça, republicanismo e bla bla bla…. Tão TODOS aí PERGUNTO pq aindanão convocaram seus exércitos revolucionários, a culpa é do Lula, da Dilma, do Zé Dirceu, do petê? Bandoo de bravateiros frouxos escondidos atrás da coragem de Lula e da bandeira do PT. Tô esperando vcs convocarem a reação já que a resistência não é do seus perfis revolucionários. Tô esperando…. O que tá faltando????? Pessoal adora dizer que Lula não dá espaço para outras lideranças. Ora, liderança, lidera, não pede licença. Que a tal “liderança”, dê a cara a tapa e entre, de vez, em cena e perceba como as coisas funcionam. Pq é isso aí, mesmo. Quem quiser pacificar ou unir o país terá que negociar, aliançar, acordar, etc… e Quem quiser confrontar pq é de luta e, não de diálogo, vai ter que começar a montar seus exércitos. O tempo do papinho fácil, acabou. Pros mercenários nativos que faturaram com a traição, esse clima já deu, tb. Eles querem acabar com o caos pra curtir o butim, em paz. Tô esperando OUTRAS lideranças, tomarem a iniciativa, agora. Kd o Ciro que é tão bom, em tudo, lava passa, cozinha, costura, chuleia, caseia, etc… e os extrema esquerda contratudistas, tão vorazes pra derrubar Dilma…. Kd?

    3
    1
  28. o cara resolve os problemas do país, cria um projeto inédito através dos progressistas,mostra que é o maior estadista da história e ainda é atacado como se fosse o responsável por tudo de ruim que acontece no país…puta sacanagem, puta ironia, puta infâmia,porra.
    a ideia é criar uma hegemonia da centro-esquerda, não sacaram? ninguém tá aderindo à direita.
    é apenas conversa, de preferencia democrática…
    pegam uma ideia e já sentem medo de que se realize.
    o medo mata qualquer esperança….

  29. Nassif, não há acordo com assassinos da democracia!
    A democracia do Brasil sofreu estupro coletivo articulado pela “centro-direita” (ou como quiser chamá-la) com apoio do PIG e judiciário que derrubaram Dilma sem crime de responsabilidade e prenderam Lula sem provas e sem crime.
    Se os golpistas prenderam Lula para impedi-lo de ser candidato em 2018 – conforme Vaza Jato – nós (povo) EXIGIMOS a ANULAÇÃO da fraude eleitoral 2018 e a SUSPEIÇÃO DE MORO porque não admitiremos que os golpistas nos empurrem um Lenín Moreno.
    O único acordo possível é com a VONTADE SOBERANA DO POVO – democracia!
    E nós (povo) queremos LULA PRESIDENTE JÁ!

  30. Chamaram todos à direita de fascistas , todos à esquerda de corruptos , agora o caldo entornou.
    2020 será cada um por si e Deus contra todos como na anedota.
    Nem num 2° turno terá consenso , querendo união compre um quilo de açúcar …

  31. Fazer um acordo com a centro-direita para depois ser golpeada por ela??!!!

    Não existe conciliação possível entre esquerda e direita em um país com tamanha desigualdade social!

    Isto é uma utopia!

    A esquerda tem que entender que o Brasil precisa de uma ruptura histórica!

    Já tentamos conciliar e mostrar que somos bonzinhos demais!

    Getúlio vargas teve que dar a própria vida para evitar um golpe militar em 1954..não adiantou muito porque 10 anos depois o golpe aconteceu…

    João Goulart não resistiu em 1964 para evitar , segundo ele , “um banho de sangue”, mas não adiantou
    muito porque a esquerda e quem era contra o regime terminou morrendo do mesmo jeito.

    Para acabar com ditadura aceitamos a lei da anistia, evitando assim a punição dos militares, achando que fazendo isso pelo menos teríamos democracia e nunca mais haveria um ditadura no Brasil…Hoje temos um presidente que diz que não houve ditadura no Brasil e uma elite pedindo a volta dos militares!(Será que valeu apena aceitar a lei da anistia ?!!)

    Na eleição de 1989, a presidência de Lula foi tirada através da edição de uma debate feita pela Rede Globo e elegemos Fernando collor e deu no que deu …,mas nos da esquerda deixamos isso lá …afinal somos bonzinhos e sabemos aceitar as derrotas…

    Em 2002 quando Lula ganhou, poderia ter fechado a rede globo, mas como somos conciliadores salvamos a globo e deu no que deu, mensalão e o golpe de 2016…

    Dilma em 2016, no discurso da ONU, poderia ter denunciado o golpe mundialmente, mas preferiu ser cautelosa, porque claro, somos educados e não queremos dar uma de esquerda radical… deu no que deu!

    Bem, este são alguns exemplos, de que esta coisa de ser prudente, conciliador e bonzinho não tá funcionando….

  32. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome