Francisco Celso Calmon
Francisco Celso Calmon, analista de TI, administrador, advogado, autor dos livros Sequestro Moral - E o PT com isso?; Combates Pela Democracia; coautor em Resistência ao Golpe de 2016 e em Uma Sentença Anunciada – o Processo Lula.
[email protected]

Nas veias fascistas corre ódio, por Francisco Celso Calmon

A conjuntura internacional indica que a guerra global será inevitável, se depender dos EUA e da Inglaterra.

Nas veias fascistas corre ódio

por Francisco Celso Calmon

Esperar deles empatia e compromisso com o Brasil e o povo, é ingenuidade ou infiltração tipo “cabo” Anselmo.

A GLO é uma tentação para militares golpistas. Para a sustentação da democracia, o art. 142 da Constituição deve ser excluído. Parlamentar que não concordar é porque é favorável ao golpismo.

A polarização é entre a democracia e o fascismo.

O golpe não foi ao Lula, foi à democracia. É esta a contradição principal da conjuntura, não só nacional, internacional também.

Lula ampliou ainda mais o arco da conciliação, inaugurou a política antiácida, sem remédio antivômito, Meirelles, Malan, Alkimin, Múcio, Marta…, qual será a próxima indigestão? Abriu também a temporada de quem é mais conciliador e amplo. Alguns estão que nem pinto no lixo, se juntando à direita e até passando pano para traidores. Onde isso vai dar?

Com os anteriores não foi bom para o povo, com Alkimin está indo bem, vamos ver o que o futuro nos aguarda, sem perdermos a perspectiva crítica.

À luz da Constituição a democracia é intocável. A Carta Magna é produto da antítese à ditadura que vigeu por 21 anos. É um contrato que significou a síntese da contradição entre a ditadura e o nascer de uma democracia constitucional, ocorre que ela foi e vem sendo vitimada.

Se é um governo de concertação tendo como eixo e compromisso a restauração do Estado democrático de direito, então, é necessário um programo mínimo, um pacto expresso, transparente ao povo.

Se os comandantes militares têm tropas, o presidente, além de ser o comandante de todos, tem a maioria do povo do seu lado. Se o mercado e a mídia têm o poder do terrorismo financeiro e midiático, as forças democráticas devem contrapor com a mídia alternativa e a inteligência.  

A conjuntura internacional indica que a guerra global será inevitável, se depender dos EUA e da Inglaterra.

O capitalismo do bem-estar social, pressupõe um Estado robusto, não autoritário, para dar norte a uma economia com crescimento voltada para a distribuição de renda. O capitalismo selvagem, fascista, necessita de uma ditadura feroz para concentrar ainda mais a riqueza e a maximização do lucro, independente das consequências sociais e conflitos armados.

É necessário com urgência avisar ao Lira que o Bolsonaro foi derrotado, não pode, em respeito ao sufrágio eleitoral, pautar proposta do Bolsoanro, como a reforma administrativa. No embalo, avisar a Globo que os métodos antigos não colam mais. População vacinada. A cada fakenews, contrapomos com a verdade, a cada injúria, calúnia e difamação responderemos com ações judiciais.  

Além das articulações congressuais do campo democrático, faz-se necessário o funcionalismo público e outras categorias em geral irem às ruas manifestar a defesa de suas pautas, já.

Este é um ano estratégico: o resultado das eleições municipais vai sinalizar o mosaico basal do eleitorado e o poder de organização das forças em contenda no chão da terra onde vive o povo.

Francisco Celso Calmon, analista de TI, administrador, advogado, autor dos livros Sequestro Moral – E o PT com isso?, Combates Pela Democracia; coautor em Resistência ao Golpe de 2016 e em Uma Sentença Anunciada – o Processo Lula. Coordenador do canal Pororoca e um dos organizadores da RBMVJ.

O texto não representa necessariamente a opinião do Jornal GGN. Concorda ou tem ponto de vista diferente? Mande seu artigo para [email protected]. O artigo será publicado se atender aos critérios do Jornal GGN.

Francisco Celso Calmon

Francisco Celso Calmon, analista de TI, administrador, advogado, autor dos livros Sequestro Moral - E o PT com isso?; Combates Pela Democracia; coautor em Resistência ao Golpe de 2016 e em Uma Sentença Anunciada – o Processo Lula.

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador