O lado Fake da força, por Fábio de Oliveira Ribeiro

O lado escuro da força é aquele em que predomina o medo, o egoismo, a frustração e a agressão. A própria força, entretanto, não tem uma cor. E ela obviamente não tem distinções raciais.

Reprodução Câmara dos Deputados

O lado Fake da força

por Fábio de Oliveira Ribeiro

“Os africanos são amaldiçoados.” 2013

“Veio para o lado branco da força.” 2021

Estas são duas frases lapidares de Marco Feliciano, influente deputado evangélico que se tornou uma das expressões mais grotescas do bolsonarismo.

A primeira frase, que parece inspirada nas bobagens escritas na Bíblia, é uma negação da ciência. Apesar de algumas diferenças, todos pertencemos à mesma espécie (Homo Sapiens).

A África é o berço do Homo Sapiens. Essa ancestralidade é comprovada pelo registro fóssil, amplamente admitida pelos cientistas e comprovada por estudos genéticos https://www.ufmg.br/revistaufmg/downloads/21/05_pag88a113_fabriciosantos_agrandearvore.pdf. Brancos, negros, amarelos, peles vermelhas ou mulatos, todos nós somos, de alguma maneira, africanos.

Distinções raciais são irrelevantes, uma pseudociência nascida da necessidade que os europeus tinham de justificar o colonialismo e a exploração dos povos africanos e asiáticos. O racismo científico inglês, francês e belga do final do século XIX deu origem ao nazismo alemão no início do século XX. Apesar de se considerarem racialmente superiores, os nazistas foram derrotados pelos eslavos, povos que eles mesmos julgavam inferiores.

A segunda frase é uma evidente deformação da ideologia de Star Wars, saga cinematográfica cuja característica marcante é a ideia de que todos os seres animados e inanimados são cercados e penetrados por uma energia https://pt.wikipedia.org/wiki/Star_Wars. Essa energia é chamada de “força” e ela pode ser benéfica ou maléfica.

Na saga Star Wars, os Jedis são guerreiros que aprenderam a usar o aspecto benéfico da força para preservar a tolerância e o respeito mutuo entre todos os seres da galáxia. Mestre Yoda não é humano, nem branco. O mestre Windu é negro.

O lado escuro da força é aquele em que predomina o medo, o egoismo, a frustração e a agressão. A própria força, entretanto, não tem uma cor. E ela obviamente não faz distinções raciais. O imperador e seu serviçal Darth Vader são homens brancos que conjuram o aspecto maléfico da força.

A representação iconográfica da saga Star Wars não nos permite dizer que existe um “lado branco” da força. Todavia, se isso fosse possível seriamos obrigados a considerar as escolhas feitas por George Lucas. Os stormtroopers que compõe o exército imperial e que são comandados por Darth Vader usam armaduras brancas. O “lado branco”, portanto, está a serviço do aspecto maléfico da força.

Feliciano parece acreditar que é um Jedi a serviço do aspecto benéfico da força. Todavia, ao negar a ciência, distorcer o conteúdo ideológico de Star Wars, reforçar preconceitos raciais e apoiar um governo que maltrata a população brasileira e desdenha a letalidade da pandemia aquele deputado bolsonarista escolheu o lado ignorante da força. A força em que ele se apoia é totalmente Fake.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora