O PT não aprende, por Aldo Fornazieri

O partido propor o impeachment é colocar-se na linha de tiro. É dar argumentos à extrema-direita, abrindo o flanco para que seja acusado de golpista.

Brasília(DF), 4/1/2018 - Presidente Jair Bolsonaro na passagem de comando da aeronáutica. Local: base aérea. Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

O PT não aprende

por Aldo Fornazieri

Pelas informações que vieram a público, o líder do PT no Senado, senador Rogério Carvalho, teria afirmado que o partido vai entrar com um pedido de impeachment contra Bolsonaro. O ex-líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta, gravou um vídeo conclamando “impeachment já”. Tudo indica que o PT pouco ou nada aprendeu com suas derrotas e que não está disposto a aprender.

O PT tem ainda um enorme passivo junto a setores expressivos da sociedade por conta dos erros do governo Dilma e das acusações de corrupção. O partido propor o impeachment é colocar-se na linha de tiro. É dar argumentos à extrema-direita, abrindo o flanco para que seja acusado de golpista. Provavelmente, ficaria isolado e pendurado na brocha. Parece que o partido perdeu a capacidade de ler corretamente a conjuntura e de extrair da leitura linhas de ação tática corretas.

O PT confunde a vontade de Bolsonaro com a realidade. Bolsonaro gostaria de governar por meio de uma ditadura? Sim! Bolsonaro tem condições de implantar uma ditadura como afirmam José Dirceu, vários outros representantes de partidos e analistas de esquerda? Não! Bolsonaro não tem força política e nem militar para implantar uma ditadura. Não tem força no Congresso, não tem o apoio do alto comando das Forças Armadas, não tem apoio da maioria esmagadora dos governadores, não tem apoio suficiente no empresarial e não tem força na sociedade civil para tal intento. Também não há ambiente internacional para que tal aventura obtenha apoio e sucesso

Leia também:  Medidas econômicas por coronavírus levam a golpe de Estado, por Pedro Serrano

Bolsonaro agride a democracia cotidianamente, sem dúvida. Ele precisa ser contido nisto. Como? 1) Através de uma frente democrática informal em defesa da democracia e do Estado de Direito, com o leque de forças que vai do cento à esquerda; 2) Convocar atos de rua em defesa da democracia e de pautas concretas de interesse popular; 3) Convocar o general Heleno no Congresso para que preste conta de suas declarações golpistas; 4) Consolidar uma articulação de governadores em defesa da democracia e dos interesses dos estados.

E a questão do impeachment? A abertura do processo de impeachment pode ser proposta por juristas que expressem um arco de alianças plurais. Esta proposta, neste momento, teria o objetivo tático de funcionar como uma linha de barragem às agressões que Bolsonaro promove contra a democracia. Teria o objetivo tático de funcionar como uma ameaça, da qual se poderia lançar mão se Bolsonaro avançar o sinal.

Mas é preciso considerar que nenhum Congresso será capaz de dar encaminhamento a um processo de impeachment a seco, sem mobilização popular. E, pelo que se vê até agora, as forças democráticas e progressistas não têm capacidade convocatória. A rigor, com uma exceção aqui, outra acolá, as mobilizações convocadas pelas esquerdas  vêm fracassando.

Então, do que se trata, neste momento, é de defender a democracia reconstruindo capacidade mobilizadora e organizadora através das pautas concretas dos interesses sociais e populares. Problemas não faltam. Demandas e reivindicações também não. Não será o radicalismo de salão que irá reconstruir essa capacidade que as esquerdas e os setores populares e progressista perderam.

Leia também:  Partidos de oposição entram com ação no STF contra MP de Bolsonaro

Aldo Fornazieri – Professor da Escola de Sociologia e Política.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

16 comentários

  1. Perfeito, simplesmente isso, bozo joga a isca e os idiotas mordem com tanta força que não é preciso fisgar. Estamos fudidos com essa esquerda que brocheia a resistência com freses no Twitter e mais nada. No congresso idem passando panos o tempo todo. Bando de frouxos.

    6
    1
  2. Não me consta que os pronunciamentos dos dois companheiros sejam a expressão do Partido do Trabalhadores, menos Aldo, menos.
    O Partido possui canais oficiais para se pronunciar.
    Nem a manifestação pessoal de sua presidente pode ser tomada como expressão oficial do PT, embora tenha mais autoridade.
    No mais, sua proposta é muito razoável, mas não precisa meter o PT onde ele ainda não entrou, isso é forçação de barra.

    17
    1
    • Esse Aldo está muito equivocado ou maldoso mesmo, certamente sua leitura de mundo é semelhante à de uma pessoa confusa que só faz confundir mais ainda a seus leitores. O Partido dos Trabalhadores está em outra dimensão, é esse Aldo não a alcança de nenhuma forma, talvez e muito provavelmente por isso ele esteja do lado errado da historia

      9
      2
  3. Não existe vácuo na política

    Live/entrevista com Ciro Gomes, 48 minutos de contundência precisa, oportuna e necessária que o momento exige.

    3
    4
    • Contundência até perto do fim, quando voltou à lenga-lenga de acusar o PT de ter gerado bolsonaro e ter destruído a economia e outras baboseiras. Falta também ele explicar: se ele sabia, e diz que todo mundo sabia, que bolsonaro era corrupto e embolsava salários de funcionários fantasmas, por que nunca denunciou?

      10
    • Grande Ciro…
      sabe tudo das forças, sempre soube

      até que o dia 15 pode servir para medir o quanto o bolsonarismo está impregnando a sociedade com o que não presta……………………

      e pensar que a esquerda deixou de lado um político tão antenado e muito bem visto

      2
      9
      • Eu acho que desde os debates que aconteceram por ocasião dos 40 anos de fundação do PT esya na hora de ser Materializada esta frente ampla pela defesa da democracia ela precisa sair do discurso.

    • Grande Ciro…
      sabe tudo das forças, sempre soube

      até que o dia 15 pode servir para medir o quanto o bolsonarismo está impregnando a sociedade com o que não presta……………………

      e pensar que a esquerda deixou de lado um político tão antenado e muito bem visto

  4. Cicero já alertava: “O hábito de tudo tolerar pode ser a causa de muitos erros e de muitos perigos.” Dilma tolerou os abusos e deu no que deu; uma democracia violada.
    Agora, então, querem me fazer acreditar que não existem motivos para iniciar um processo de impeachment contra um chefe do executivo que, como alertou um ministro decano do STF: “a iniciativa (convocar protesto contra congresso), se confirmada, revela a face sombria de um presidente da República que desconhece o valor da ordem constitucional”
    Algum partido precisa iniciar a resistência contra este atentado.
    Quanto a jogar iscas, ainda não está definido quem é o peixe e quem é o pescador.

  5. A questão é absolutamente simples: Enquanto Guedes e Maia, que é quem governam, conduzirem a agenda liberal a contento, o presidente idiota pode falar a merda que quiser, todos os dias que não acontecerá NADA contra ele. A elite está conseguindo o que nunca imaginava conseguir. Fácil como jamais sonhou. Por que se preocuparia com as porcarias que o idiota decorativo la do Planalto fala? POR QUE? Se o poder da turma do Guedes e do Maia perdurar por 20 anos, ficaremos assim por 20 anos. Do jeito que está, nem a Globo e Estadão juntos (se quisessem), conseguiria impeachment algum. Então vamos parar de sonhar.

  6. Aldo Fornazieri não aprende que esse jornalismo isentão, que culpa o PT por tudo, que não pode ver uma brecha, que utiliza para esculhambar o PT, nos trouxe o fascismo. O PT não pediu o impeachment de ninguém, Lula disse diversas vezes que é contra, mas Aldo está sempre à postos para uma “crítica”.
    Na verdade, acho que ele aprendeu sim. Todo mediocre precisa de uma escada para se destacar, a de Aldo é o PT e tem dado certo há algum tempo. Espero que o PT também aprenda logo, que esse tipo de gente não constrói nada, fica em cima da própria soberba apontando o dedo, fazendo julgamentos, mas é incapaz de construir qualquer coisa.

  7. Deixa eu ver se entendi:
    De acordo com o manual do aldo para (re)conquista e exercício do poder, precisamos, nas palavras dele: “(…) do que se trata, neste momento, é de defender a democracia reconstruindo capacidade mobilizadora e organizadora através das pautas concretas dos interesses sociais e populares. Problemas não faltam. Demandas e reivindicações também não. Não será o radicalismo de salão que irá reconstruir essa capacidade que as esquerdas e os setores populares e progressista perderam.(…)”

    hahahaha.

    Uai, o pedido de impeachment, mesmo com alcance limitado, não pode funcionar como uma cabeça de ponte, ou como ingrediente catalizador?

    Não, a bola de cristal de aldo nos diz que não. E não é não!

    hahahahahah.

    Uma hora o PT perdeu o senso de radicalismo, outra hora perdeu a chance de um acordo (perde-perde) com ciro, o narciso da Montmatre de Sobral, outra hora fez alianças demais, outra de menos…

    Enfim, se o PT cagar ouro, aldo vai querer que o cheiro seja de Channel nº 5.

    Mais engraçado ainda, para não dizer trágico mesmo, é aldo dizer que ele, com seu mandato outorgado pelas urnas, sua intensa mobilização e militância, sua vasta experiência em gestão (da pauta real, como ele mesmo reivindica), enfim, com dramática capacidade que acumulou ao longo de várias lutas, nas quais se saiu bem sucedido (eleições, greves, etc), com tudo isso ele questione o PT e seus deputados e militantes, que ao contrário dele, nada fizeram que igualasse aos feitos de aldo.

    Lula é um idiota, que mesmo preso conseguiu manter um capital de votos de 45 milhões transferidos a um quadro desconhecido, e derrotado nas eleições de prefeito.
    Preso e incomunicável ajudou o partido a manter uma representação parlamentar digna, apesar de todo o ódio e manipulação da mídia.

    PT e seus erros.

    Agora é só olhar as circunstâncias entre a viagem de Lula e de ciro a Paris.

    Eita dor de cotovelo.

    Certo fez Lula que não perdeu tempo e ficou só no SENAI. Olha o “conhecimento” que a USP “cUSPiu”.

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome