Petrobras anuncia forte aumento nos preços da gasolina, gás e diesel

Distribuidoras passarão a receber a gasolina 18,7% mais cara, enquanto o gás (GLP) sofrerá aumento de 16% e o diesel 24,9%. Apesar da medida, empresa nega ter repassado alta dos preços mundiais causada pelo conflito na Ucrânia

Referência na distribuição e na comercialização de combustíveis, BR Distribuidora foi privatizada pelo governo Bolsonaro em julho deste ano / Foto: Agência Brasil/Arquivo

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (10/3) alguns reajustes nos preços de alguns produtos vendidos às distribuidoras, mais especificamente a gasolina, o diesel e o gás de cozinha.

No caso da gasolina, o preço médio de venda às distribuidoras passará de R$ 3,25 para R$ 3,86 por litro, o que configura um aumento de 18,7%.

No caso do diesel, o preço médio da Petrobras passa a ser de R$ 4,51 o litro, quase um real mais caro que valor anterior, de R$ 3,61. O reajuste nesse caso será de 24,9%, o maior contemplado pela nova medida.

Finalmente, o GLP (gás liquefeito de petróleo, que é uma das formas do gás de cozinha vendido no Brasil) passará a ser vendido às distribuidoras por R$ 4,48 o quilo. O valor anterior era de R$ 3,86, o que implica em um aumento de 16%. Com isso, o botijão de 13 kg deveria chegar às distribuidoras com um preço médio de R$ 58,21.

Em comunicado, a Petrobras assegura que “esse movimento vai no mesmo sentido de outros fornecedores de combustíveis no Brasil que já promoveram ajustes nos seus preços de venda”, e nega que a decisão tenha sido uma forma de repassar ao consumidor a variação do preço mundial dos produtos causada pela invasão russa ao território da Ucrânia.

“Após serem observados preços em patamares consistentemente elevados, tornou-se necessário que a Petrobras promova ajustes nos seus preços de venda às distribuidoras para que o mercado brasileiro continue sendo suprido, sem riscos de desabastecimento, pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros produtores, além da Petrobras”, informa o comunicado.

Redação

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Lembrando que por 28centavos, se não me engano, houve aquela greve de caminhoneiros q parou o país e serviu para acelerar o golpe ao governo Dilma.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador