Culpar 2013 pelo crescimento do fascismo é raso e simplista

Por Elisa Quadros

Em Ponte Jornalismo

Mais uma vez, meu nome é Elisa Quadros e sou uma mulher de esquerda que luta! Começo este texto deixando claro que defendo a liberdade de imprensa, livre manifestação e liberdade de expressão.

Mas também gostaria de entender o porquê de tamanha falta de ética e irresponsabilidade de uma parte do jornalismo e jornalistas brasileiros.

Impressionante como conseguem criar mentiras e difamações que se tornam “verdades”. E o pior de tudo, não se importam com as consequências para as pessoas e coletivos que estão no enredo da história.

Para eles deve ser só mais um bode expiatório, um efeito colateral para alcançar algum “objetivo maior”. Eles se esquecem, no entanto, que essas pessoas existem e resistem.

Na minha opinião o mais baixo desse modus operandi é que eles sabem que essas histórias não são verdadeiras.

O tão polêmico vídeo em que eu defendi a liberdade desse sujeito fascista [Eduardo Fauzi Richard Cerquize, que presidiu a Frente Integralista Brasileira do RJ e ainda integra a Associação Cívica e Cultural Arcy Lopes Estrella – Accale, grupo de extrema direita ligado ao movimento neointegralista brasileiro] que cometeu o atentado terrorista contra a produtora do Porta dos Fundos – do qual sou muito fã – foi gravado em novembro de 2013, logo após a prisão em massa que levou mais de 200 manifestantes detidos; 78 militantes e ativistas foram mandados para a prisão de Bangu. [O atentado ao Porta dos Fundos aconteceu na véspera de Natal, quando coquetéis molotov foram lançados na sede do canal]

Em todo o Brasil, ativistas e militantes estavam sendo perseguidos, presos e processados arbitrariamente pelos governos federal (sob comando do PT na época), estaduais e municipais.

“Ninguém fica para trás” era a palavra de ordem.

Foi assim, neste contexto, que Luiz, meu companheiro de vida e outro militante, tiveram a ideia da greve de fome. Detalhe importante: eu estava como apoiadora.

Essa greve de fome foi feita pela liberdade do Rafael Braga e Jair Baiano. O primeiro, um vendedor ambulante pego aleatoriamente pela polícia, na manifestação do dia 20 de julho; o segundo, um militante negro de esquerda: ambos negros e injustamente acusados de crimes que não cometeram para servirem de “caso exemplar”.

O nome de Eduardo Fauzi surgiu dias depois em um vídeo no qual ele bate na cara do secretário de Obras da gestão do então prefeito Eduardo Paes, grande responsável pela remoção de diversas ocupações de moradia urbana, todas feitas em nome da Copa do Mundo e das Olimpíadas.

Leia também:  Precarização do trabalho precário, por Marcelo Uchôa

As remoções, inclusive, foram uma das pautas mais presentes nas jornadas de 2013 e 2014 e foram representadas nas ruas pelos próprios moradores dessas ocupações, como Aldeia Maracanã, Horto, Vila Autódromo, Metrô Mangueira, entre outras.

Nunca tive nenhum envolvimento com esse cara. Nunca o vi e nem falei com ele em toda a minha vida. Depois desse vídeo, em 2013, só voltei a ouvir esse nome em 2018 quando a UniRio foi atacada [conforme mostrou reportagem da Ponte, o Comando de Insurgência Popular Nacionalista, que em dezembro de 2018 atacou a universidade e queimou bandeiras antifascistas, também reivindicou o atentado contra o Porta dos Fundos].

Se foi um erro ou inocência nossa não termos pesquisado sobre ele? Provavelmente. Mas aquele momento, apesar da paranoia dos P2 [agentes de segurança pública infiltrados] usados pelo Estado, era totalmente diferente. Ainda era uma vergonha se colocar como fascista e o grupo do qual esse sujeito faz parte hoje em dia, e que assina o ato terrorista, só veio a existir em 2017.

Portanto, citamos esse “ser” pela liberdade dele em 2013, por ser um cidadão qualquer que foi preso desproporcionalmente naquele contexto.

Sobre o atentado covarde ao Porta dos Fundos, presto minha total solidariedade a toda equipe e dizer que repudio veementemente qualquer tipo de ataque, violência ou censura feitos contra esse grupo de artistas. Acho absurdo que esse indivíduo fascista, asqueroso e que assumiu ter feito o atentado terrorista continue impune.

Jornalismo: atividade profissional que visa coletar, investigar, analisar e transmitir periodicamente ao grande público, ou a segmentos dele, informações da atualidade, utilizando veículos de comunicação para difundi-las.

Leia também:  Do Banestado à Lava Jato: um dossiê sobre o passado de Sergio Moro

Eu fui procurada por algum jornalista? Não.

No vídeo está claro a data? Sim.

Eu sei muito bem o que sou e qual a minha luta. Sou mulher, mãe, feminista, ativista, anarquista e antifascista.

Então, qual o objetivo disso tudo? Quem ganha com essa difamação contra mim e essa obsessão em criminalizar 2013? Quem ganha com isso? A esquerda é que não é.

2013 não se resume àqueles dois meses de junho e julho e tampouco acabou ali. Também não era meia duzia de pessoas da classe média branca. Os levantes de 2012/2013 aconteceram no mundo todo por um sentimento de revolta que questiona os pilares do poder, questiona a forma de se fazer política, questiona a quem os representantes representam e servem, porque ao povo está mais do que provado que não é.

Foi um movimento espontâneo e hegemônico. Sem ninguém por trás, sem líderes, sem pagamento de partidos ou sindicatos, sem CIA [Elisa faz referência à declaração do ex-presidente Lula para a TeleSur, em dezembro passado, em que o petista afirma que as manifestações de 2013 teriam “o braço dos Estados Unidos” e “foram feitas já fazendo parte do golpe contra o PT”].

Se tinham pessoas de direita nas manifestações? Sim, porque não vamos esquecer que a Globo também disputou os levantes e muita gente de direita ouviu o seu chamado. Mas não foram as palavras de ordem dessa gente que ganharam voz.

“Não vai ter Copa”
“Queremos hospitais e escolas padrão Fifa”
“Pelo fim da Polícia Militar”
“Cadê o Amarildo?”

Essas foram algumas entre muitas outras palavras de ordem que, com certeza, estão bem longe de pertencer a direita.

Mas apesar da força que a mídia ativista ganhou, disputar discurso com poderes tão poderosos não é tarefa fácil. Foi um trabalho árduo e bem arquitetado pela mídia hegemônica, pelo Judiciário, pela Polícia Militar e Civil, por seus governantes e suas coligações, que, cabe lembrar, eram, na época, pertencentes a um governo de esquerda, e que, sim, tiveram seus acertos mas também muitos erros.

Leia também:  Projeto deve destinar R$ 160 bi de recursos constitucionais para crise da Covid-19

Mas eu não quero entrar aqui no jogo das acusações, pois não é hora. Criminalizar as jornadas de junho é criminalizar tudo que os movimentos sociais conquistaram desde então e, sim, muita coisa mudou. O fascismo cresceu, mas o movimento de esquerda também cresceu e de forma horizontal. Sera que é por isso que incomoda tanto?

Colocar a culpa do crescimento do fascismo em 2013 é raso e simplista. Então podemos dizer que a culpa do Golpe militar é dos levantes da esquerda que estavam acontecendo na época? Que a culpa da corrupção é do PT? Como se a história da política brasileira fosse cheia de honestidade…

Continuar com essa obsessão é empoderar mais ainda a direita. É dividir a esquerda. Porque muitos de nós que tivemos o prazer de vivenciar 2013 continuamos nas ruas. Aliás, podemos dizer que os levantes 2012/2013 foram um bom empurrão para o crescimento do ativismo.

Se temos que discutir sobre os erros e acertos de 2013? Isso está mais do que na hora. Mas que seja de forma honesta. Sem medo de auto-crítica, porque um governo, um partido, um movimento ou qualquer um que não aceita críticas é autoritário.

Enquanto os líderes disputam poder, a gente tem que lutar pelo que realmente importa, porque nossa amazônia esta sendo incendiada, os povos indígena, negro e camponês estão sendo exterminados, a saúde pública destruída, escolas e universidades sucateadas, cada vez mais pessoas morando nas ruas, nossas crianças sendo assassinadas pela PM.

Pelas aldeias, quilombos, terreiros, pela luta feminista, LGBTQI+, por moradia, por mais políticas horizontais e autônomas.

E, principalmente, contra o discurso de ódio que está tomando conta desse mundo.

Eu nunca saí das ruas e nunca vou sair enquanto eu respirar.

Colaborou Luiz Rendeiro, 30 anos, programador e webdesign

(*) A mãe e ativista Elisa Quadros, 34 anos, é produtora e marceneira

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

62 comentários

    • As jornadas de 2013 foram tao golpistas quanto as primaveras mundo afora que, como sabemos, foram boas para os Eua e petroleiras patrocinadoras do golpe

      ….

      2
      2
      • “Golpista” é quem se junta aos caça níqueis pentecostais e acha que vai levar o povo imbecil na conversa.
        “Golpista” é que enche as burras dos empresários com isenções, subsídios, renúncias fiscais.
        “Golpista” é quem se junta ao PRB e ao PMDB.
        “Golpista” é quem assina GLO e “lei contra terrorismo”.
        “Golpista” é que entope as burras de “universidades” pilantras com Prouni.
        “Golpista” é que faz favela no fim do mundo com o nome de “Minha Casa, Minha Vida”.
        “Golpista” é que concorda com a mudança da lei da partilha do petróleo.
        “Golpista” é quem provoca um ajuste fiscal que leva o país ao desastre e abre as portas para o saque.
        Isso, sim, é ser Golpista. E não meia dúzia de manifestantes que apontam todos esses desastres.
        E covarde é que aceita tudo isso, não falou nada na época e, agora, fica de chororô.
        E safado é quem procura re-incriminar, nas bolhas de “esquerda”, quem já foi e continua sendo punido.

        2
        1
        • Marco A. ve se não foge do assunto, viu
          O tema aqui é outro
          Estamos falando de guerra hibrida, tema pesquisado por exemplo por Moniz Bandeira
          Deixa de ser ridiculo pfv

          1
          1
          • Ora, ora. A conversa aqui é sobre traição. E de traição o PT entende muitíssimo bem. Desde pelo menos 1989 vem traindo a extinta classe trabalhadora e o povo brasileiro. E isso sem “guerra híbrida”, “primavera colorida”, “whatsapp”, “facebook”, “cambridge analytica”, “teoria do choque”, “gene sharp”. Portanto, as traições petistas vêm de longe. Antes dos novos estratagemas que são usados para justificar os fracassos e o chororô. Aliás, o próprio Moniz suspeitava e muito das atitudes do PT. Se você de fato ler o que ele escreveu (o que duvido muito), vai entender o recado. Por outro, em 2013 o Lula achava que os protestos da verdadeira esquerda deveriam ser ouvidos. Atualmente mudou a conversa para pautar a “bolha de esquerda”. Agora, abre o bico aí sobre o que você sabe de 2013. Assistiu às palestras da Marilena Chauí no quartel do BOPE? Vai deixar os petistas chocados!

            2
            1
  1. Está certo. Agora vamos chamar todo mundo de voltas às ruas porque as coisas pioraram e muito. Às vezes, fico me perguntando, aonde estão os manifestantes de 2013? Tentamos defender nossa democracia, nossa soberania,nossa constituição e os nossos direitos com várias manifestações que se seguiram depois da deposição da presidenta Dilma, e avaliei que grande parte dos manifestantes de 2013 não estavam conosco na luta. Tirar o PT acabou com a indignação deles?

    39
    3
    • Ora, chame os petistas e lulistas. Onde estão? Não se esqueçam dos pcdobistas. E também dos perrebistas da Universal, dos peemedebistas da vice-presidência, dos fiespistas que mamaram as isenções e os subsídios fiscais sem um prego a mais na produção, os nababos do Banco Central que fizeram o que quiseram nos governos do PT… Enfim, a turma é grande. Onde estão? Agora tem gente “nova”, “arejada”: Rui Costa e Flavio Dino. Foram prejudicados? Às ruas, então!

      3
      1
  2. A estrada para o inferno está asfaltada de boas intenções. Não creio que MPL e ou Sininho tenham ligações com CIA etc. Mas o episódio Fauzi demonstra também que um movimento que era apenas reinvindicatório, com pautas específicas e com uma forte oposição a partidos e à politica podia ter inflitrações e foi como disse Felipe Miguel capturado e usurpado pois se encaixou como uma luva na mesma estratégia das primaveras coloridas promovidas ao redor do mundo pela mesma Cartilha Sharpe da CIA. Leiam Moniz Bandeira – e em particular o livro A segunda guerra fria.

    29
    3
    • Meu chapa, onde você leu ou ouviu isso do [Luís] Felipe Miguel? Você está completamente equivocado. Ele nunca escreveu isso.

      O que é Cartilha Sharpe da CIA??!! Isso é um loucura total. É a idiotice de “esquerda”!

      Moniz Bandeira não merece uma citação como esta. Deixe sua memória em paz!

      É um festival de absurdos de uma “soi disant” esquerda. E ainda reclamam dos néscios da direita!

      2
      5
        • Há uns 300 manuais de conspiração rodando por aí, mas você só sabe citar o que a bolha de “esquerda” lhe sugeriu, o do obscuro Sharpe. Se tivesse ido às ruas em 2013, não estaria falando bobagem. Osmilitantes de então estão por aí, orgulhosos, altivos, sonhadores, preparando-se para voltar, em uma nova tarefa que a História lhes impõe. Aos petistas et caterva, traidores do povo brasileiro, só cabem lamúrias, lágrimas de crocodilo.

          2
          2
          • Tolinho Marco A, eu fui e sou testemunha de que aquilo era uma “revolucao” autorizada pela policia e midia golpistas

        • Pela carteirada aí de cima, você foi co-autor com o Gene (não Eugene) Sharp do tal manual. Quem sabe até informante do Moniz Bandeira. Mas como ambos já se mandaram, não teremos confirmação. Então você deve saber por que os petistas arreglaram na hora de enfrentar a repressão. Abre o bico aí.

  3. Eu também defendo a liberdade de imprensa, mas com regulação.

    Nada obstante tenha censurado o especial de Natal promovido pelo Porta dos Fundos, o Desembargador Benedicto Abicair, do TJ-RJ, também é a favor da liberdade de expressão e da livre manifestação.

    Será que o supracitado Desembarcador não facilitou o vazamento do mandado de prisão contra o Fauzi?

    Ser a favor da liberdade de expressão e de outras cositas mas não faz de ninguém socialista. Se liga, Sininho

    12
  4. Veríssimo, como sempre, resume tudo com sua genialidade……vale para 2013, vale para o caso da Porta dos Fundos, vale para quase tudo: “O nosso lado está com a razão, mas o lado deles está armado”………

    17
    2
  5. O fato é que foi um tremendo erro histórico do PSOL e outros partidos de esquerda que faziam raivosa oposição ao PT na época; a direita, principalmente, a mídia deu corda ao movimento e depois tomou conta e pavimentou o caminho para o golpe de estado de 2016.

    Outra ingenuidade desse pessoal é achar que a CIA e outras organizações imperialistas não estavam nos bastidores trabalhando para derrubar o governo nacionalista do Brasil.

    Seria um ato de grandeza se a sininho e outros que se julgaam injustiçados pelas críticas pedissem desculpas ao povo brasileiro por, mesmo de forma indireta, ter colocado o fascismo no poder.

    28
    3
  6. Discordo de que não havia a CIA e os Estados Unidos por de tras. Eh obvio que eles estavam presentes através daqueles grupos de direita que tomaram conta das ruas. Não sei se no Rio a presença maior era da esqueda na ruas, mas em São Paulo e em muitos outros estados, as manifestações foram tomadas à partir de certo momento pela direita e ja na época pela ultra-direita, ai entra gente como o tal Fauzi, e que até impediam pessoas da esquerda de manifestarem-se. Sim, ainda temos que tirar a limpo como se produziram as manifestações de massa, algo pouco visto no Brasil (a atualidade prova que a esquerda sozinha não tem feito muita diferença quando manifesta), em junho/julho de 2013, quando o PT estava na presidência e justo um ano antes das eleições presidenciais. Acaso, em geopolitica, sabemos que não existe.

    27
    2
  7. Por quem os sininhos dobram?
    Agora, que não nos restam senões
    Pouco adianta ecoar badalos chorosos
    Pois que tarda a aurora da consciência ativa
    E olhar a torre em silêncio arrependido
    Só nos traz um odioso dilema:
    Quem é o dono da razão nesse tema?
    Ninguém ou todos, pouco importa
    O momento exige releitura
    Mas sabendo, parceiros, que o inimigo
    Sempre esteve ao lado, disfarçado
    E tanto lá como agora
    Se aproveita, ladino, do justo impulso
    De revoadas em busca de justiça
    Pra dobrar a aposta e com malícia
    Conduzir nosso esforço e energia
    Pra manter, impoluta, a mais valia

    6
    2
  8. 2020, 13 anos após, quais as motivações de uma ativista (que se autodefine como anarquista) repetir a mesma cantilena do MBL que 2013 “Foi um movimento espontâneo e hegemônico. Sem ninguém por trás, sem líderes, sem pagamento de partidos ou sindicatos, sem CIA” ?

    pode ser qqr motivação, menos honestidade.
    e de gente desonesta basta o bozo e o bolsogado, né

    20
    2
  9. É necessário entender na forma em que as coisas são escritas para ler com mais cuidado o conteúdo. Quando alguém começa na primeira frase de uma defesa política aos seus atos declarando “Mais uma vez, meu nome é Elisa Quadros e sou uma mulher de esquerda que luta!”
    Primeiro fato, qualquer militante de esquerda quando fica conhecido por seu codinome, por exemplo, Sininho, na grande maioria dos casos só abre mão deste codinome quando quer se afastar de uma visão de sua militância anterior, porém na mesma frase se declara “mulher de esquerda que luta”.
    Fica estranho para quem acompanha os movimentos de esquerda há muito tempo esta declaração de ser mulher, algo que ninguém põe em dúvida e segundo ser de esquerda.
    Como escutei muitas vezes lá pelos anos 70-80, praticamente todos os militantes de esquerda, jamais entregavam a sua militância de forma tão simples e colocar juntas três palavras, mulher, esquerda e “de luta”, me parece que há certamente algo de manipulação claramente expressa nisto, o “mulher” serve simplesmente para atrair o setor mais desorientado em termos de posicionamento político de esquerda, pois jamais vi Rosa de Luxemburgo escrever que ela era mulher, o de esquerda é algo vago e é um verdadeiro cobertor muito grande que cobre qualquer espectro e por fim, ainda mais inespecífico, o de luta, que se formos ver pode representar todas as mulheres pobres do Brasil e do mundo que lutam muito mais objetivamente para conseguir levar a sua vida.
    Não vou continuar no assunto, pois se para uma frase, quase escrevi um tratado, imaginem se for comentar todo o texto.

    25
    3
    • Uma sábia decisão não continuar o assunto. Já foi possível perceber a que nível se rebaixa um petista para defender o indefensável. Como um acadêmico pode descer tanto?!

      2
      6
    • Uma sábia decisão não continuar o assunto. Já foi possível perceber a que nível se rebaixa um petista para defender o indefensável. Como um acadêmico pode descer tanto?!

      1
      3
    • Admiro-me muito que se façam aqui comentários covardes e inoportunos contra pessoas que ainda sofrem a perseguição do sistema repressivo e judicial. Por que não procuram especular sobre o que fez o Lula depois que entrou no Opala preto do ministro Murilo Macedo depois da traição ao movimento dos trabalhadores do ABC na greve de 1979?

      3
      4
    • “Os Estados Unidos é um país com uma política criminosa que começou invadindo e tomando terras do México no século XIX e depois disto continuou, eles sonham e deliram com a morte dos outros, é um país e um povo treinado para fazer continência a bandeira e matar quem o governo manda.”

      Essa bobajada foi escrita por um acadêmico da UFRGS. É assim que um sujeito resume um povo, sem nenhum argumento mais apurado. Apenas na base do “eu acho”.

      Isso é um acadêmico?

      Por aqui, tirem suas conclusões quando escreve sobre os levantes de 2013. Só lhe resta, de fato, encobrir-se com o manto petista e atacar o que não conhece. Um covardão.

      1
      7
        • Pelo visto, você não sabe ler, o que é esperado de quem segue manadas. Apresento-me como “Marco A.”, e não “Marco T”. O que citei rapidamente do “acadêmico” Maestri se encontra nas melhores páginas da internet do ramo. Extraí uma bobajada qualquer, aleatoriamente, apenas para demonstrar que é um falastrão, escreve qualquer coisa para ganhar “likes” nas bolhas da “esquerda”. Não é necessário ir muito longe para constatar esse tipo de falacioso que excede por aí. Falacioso e covarde, diga-se de passagem, pois pretende incriminar mais uma vez quem já foi punido e vive em paz.

          1
          2
  10. A inocência maior de 2013 (se é que devemos chamar isso de “inocência” e não de manipulação) continua sendo praticada até hoje: O uso das “redes sociais” -em especial na época FB – como forma de comunicação e agendamento do movimento. E, mesmo que diversas sumidades continuem defendendo a possibilidade de uso deste produto comercial capitalista de grandes corporações empresariais, continuo achando – como sempre achei desde 2013 – uma perfeita burrice acreditar que o uso de tais produtos, extremamente manipulados e manipuladores, pode ser usado para fins progressistas e de esquerda. Mesmo que o movimento de 2013 tenha sido autêntico no primeiro momento em que qualquer um utilizou o FB (ou twitter, etc.) para defender ideias, movimentar, agendar movimentos, etc, este movimentos se entregaram (por burrice, ingenuidade ou mera vontade de aparecer) totalmente ao controle do império norte americano e aos seus interesses. E me impressiona que uma coisa tão óbvia assim ainda seja contestada, até por mentes estudiosas e brilhantes. O movimento de 2013 fracassou e foi cooptado por este erro básico de se iludir achando que um produto de empresas multimilionárias (não por acaso todas estadunidenses – coincidência??!) poderia ser usado para qualquer movimentação de esquerda, progressista ou libertária.
    E o pior: continuam insistindo em usar estes produtos medíocres e limitados para tal fim! Dizem algumas sumidades de sabedoria que a esquerda “não soube(ou não sabe) usar as redes sociais como se fosse possível domar o controle e manipulação de produtos comerciais feitas exatamente com este fim: controlas, manipular, espionar e idiotizar!
    Por isso queridos saudosos defensores de 2013 (Elisa Quadros entre eles) cometer um erro uma vez pode ser atribuído a ingenuidade, ignorância ou desinformação, mas insistir neste erro ou, ainda pior, defender a “pureza” de um movimento fracassado e já conspurcado desde o início é burrice ou mal carater mesmo!

    10
    2
    • E de onde você tirou que os movimentos de 2013 se baseavam em agendamento via facebook e tal? Só se foi da sua imaginação. Ou repetindo sociologia rastaquera de jornal. Pessoal que milita, movimentos sociais possuem seus espaços presenciais de decisao e articulaçao. Depois manifestações são divugadas pelos meios existentes em cada época histórica.

      Vai ver os sindicatos e movimentos urbanos ligados ao PT nao criam muitas vezes eventos no facebook para divulgar seus chamados também…

      3
      2
  11. Obrigado Elisa Quadros.
    Você, o MPL e todos os otários de 2013 que protestaram contra tudo que estava aí ajudaram muito o Brasil.

    7
    4
  12. O busílis da questão não é o fato da Elisa Quadros ou o PSOL não serem filofascistas. Pessoalmente, não li nenhuma crítica de algum esquerdista nesse sentido, o que seria um exagero absurdo. O ponto é que, como disse um outro comentarista ao lembrar o chiste de que o caminho do inferno está pavimentado de boas intenções, o fato é que o movimento iniciado sob o protagonismo de militantes como a ex-Sininho e o PSOL em 2013 resultaram em uma tremenda de uma cagada. É essa a autocrítica que se espera desse pessoal para que, com a hipótese de seu aprendizado, outros não caiam na mesma armadilha e a luta comum dos oprimidos e seu simpatizantes possa ser vitoriosa ao final. Aliás, reconheço desconhecer a luta posterior da Elisa Quadros em relação ao golpe de 2016. Seria, portanto, interessante conhecer seu relato sobre isso.

    8
    2
    • Antes da autocrítica proposta aos manifestantes de ESQUERDA de 2013, deve-se propor uma autocrítica ao PT et caterva pelas opções desastradas ao longo de 14 de poder, a saber: carrear rios de dinheiro às grandes empresas de comunicação, não propor ou implementar mudanças nas regras de comunicação de massa, unir-se subservientemente aos pentecostais, conceder oceanos de recursos fiscais a “industriais” falidos e golpistas, permitir vários REFIS, sustentar a mesma condução neoliberal desde a época de FHC, indicar tresloucados e golpistas para o Supremo, reconduzir um demente para a PGR, homologar a GLO e leis antiterrorismo, aceitar a mudança nas regras de partilha da produção de petróleo, mentir para a população nas eleições de 2014 e mergulhar o País em recessão em 2015, aliar-se a desqualificados da estirpe de Maluf para faturar eleitoralmente, amansar sindicatos antes combativos a fim de conduzir uma política econômica neoliberal sem oposição, destinar verbas públicas a picaretagens como o Prouni a fim de sustentar “faculdades de esquina” ou fábricas de “diploma” para a baixa classe média etc. etc. etc. A lista é quase infindável. São fatos sobre os quais pode haver cobranças. Quanto às hipóteses fantasiosas que se levantam contra os bravos e altivos manifestantes de ESQUERDA de 2013, isso há que se provar. Por enquanto, é apenas elemento diversionista criado pela bolha petista.

  13. É muito louco ver os comentários aqui neste artigo. Parece que a pessoas nao leram o que está escrito. Ou perderam qualquer capacidade de reflexão e razão. O neopetismo virou um bando de fanáticos…

    3
    4
    • Corretíssimo, Leo V. Gente que se diz e se acha muito boa, badalados professores inclusive, com argumentos pra lá de rastaqueras. Isso, inclusive, depõe contra o meio acadêmico. Mas a demência petista/lulista leva a isso. Tornam-se olavetes da esquerda. Morrerão e não admitirão que o PT “dormiu com o inimigo”, associou-se ao adversário, e, agora, chora a traição anunciada. E tentam, de-ses-pe-ra-da-men-te encontrar um culpado. Ou uma culpada. Lamentável! Mas esta é a sina das carpideiras, que têm como profissão o choro. É um choro profissional, de quem não acredita em nada do que diz ou escreve. E quanto mais escrevem, mais se rebaixam ao ridículo.

      2
      2
    • -> É muito louco ver os comentários aqui neste artigo. Parece que a pessoas nao leram o que está escrito. Ou perderam qualquer capacidade de reflexão e razão. O neopetismo virou um bando de fanáticos…

      – Lula dá uma declaração na qual mais uma vez caracteriza Junho de 2013 como o marco zero do Golpe de 2016;

      – os sites Lulistas desenterram a entrevista de Elisa Quadros;

      – nenhum deste sites procurou ouvir a opinião atual de Elisa Quadros;

      – quando a Ponte Jornalismo publica o artigo de Elisa Quadros aqueles mesmos sites permanecem em silêncio – com a exceção deste GGN;

      – mesmo neste GGN a reação dos leitores é de alinhamento incondicional com Lula;

      – este é o resultado de 13 longos anos (mas vem de longe, de muito antes) mais quase 4 anos após o golpe do Lulismo operar permanentemente pela supressão do contraditório e interdição da crítica – inclusive com os habituais assassinatos de reputação;

      – quanto ao GGN, tem o padrão majoritário de leitores que formou ao longo de seu trajetória, pois sempre foi cúmplice ativo de Lula e do Lulismo – com as honrosas exceções de praxe que apenas confirmam a deplorável regra.

      grande abraço
      .

      3
      5
      • Oi, Gente, como together combater não o capitalismo mas o Lulismo.
        Eu comentei aqui antes mas não me alinhe nem condiciona nem incondicionalmente com o Lula. Só disse que ser a favor da liberdade de expressão não faz de ninguém anarquista pois o desembargador do the RJ que impôs censura com base em suas próprias ponderações não vê como, numa democracia, se cercear a liberdade de expressão… de Franciscos mas não de Xicos

      • Corretíssimo, arkx!

        Espero muito que o GGN não embarque nessa canoa furada de condenar uma segunda vez os militantes de 2013. Desculpe-me o tom e a citação nominal de um outro sítio noticioso, mas o papel do DCM tem sido de uma sordidez inominável. É de cair o queixo o que tem feito o Joaquim de Carvalho. Começo até a rever minha posição sobre se houve de fato um golpe. Com a turma que esteve no Governo até 2015, só poderia dar nisso mesmo. Desse ponto de vista, não houve Golpe. Só podia dar no que deu.

        Quanto às carpideiras e viúvas petistas, nada mais a falar. É bater em cachorro morto. Mas fico pasmo que neste meio esteja envolvido um badalado acadêmico.

        2
        4
  14. Aqui mesmo no JornalGGN há uma matéria correlata. O fenômeno nela examinado se aplica também ao caso dos protestos de 2013. Não acho que a ‘Sininho’ seja uma agente da CIA, mas serviu, ingenuamente ou não, ao propósito de fundo (que era, basicamente, corroer a popularidade do governo popular liderado pela Presidente Dilma Roussef – caso contrário, a Organização Globo não teria embarcado – apenas para ficar no exemplo óbvio), pior, não entendeu isso até agora. Exemplo claro é o fato de que, dos 4 motes elencados pela ativista, 2 (a exata metade) eram iminentemente de direita e qualquer um com uma leitura um pouco mais atenta, mesmo à época, sabia disso. Imputar à esquerda o “não vai ter copa” e “queremos hospitais padrão FIFA” é, no mínimo, atestado de infantilidade.
    Foram, para dizer o menos, “inocentes úteis” em um jogo em que claramente não estão preparados para atuar, sequer figurar, e o resultado todos pudemos ver e agora, sentir.
    Ademais, como alguém mais inteligente que eu questionou em um dos comentários anteriores: “A indignação deles acabou?”

    5
    1
    • “Estado de infantilidade” é ser capacho da burguesia, entupir-lhe as burras de dinheiro, ganhar uma pernada da fera que alimentou e depois ficar se lamentando de que foi golpeado. Golpeado foi o povo brasileiro em depositar sua confiança por quatorze anos em um bando de covardes e idiotas. “Direita” é sustentar a publicidade da Globo, frequentar os templos do Edir Macedo, deixar a Banca ditar as regras das políticas monetária e fiscal, referendar a GLO etc. etc. etc. “Inocente útil” é permitir a farra do MPF e da PF e não fazer chongas e encher as burras das “faculdades” particulares com dinheiro do Prouni. E depois os golpistas são meia dúzia de militantes que põem o dedo na cara dessa escumalha e mostra os erros! Chorem, petistas! Chorem, lulistas! Chorem pela própria estupidez! Recomecem, tentem ir às ruas, de onde vocês correram covardemente!

      2
      4
  15. Passado 7 anos e essa senhora dita anarquista(grande adjetivo), não percebeu ainda o tamanho do buraco que cavou junto com a parcela mais ultrajante da sociedade brasileira?
    Faça me uma garapa Elisa Quadros, não é possível tamanha inocência assim.
    O revoltante é que a cegueira moral que paira sobre o país é cada vez mais densa, e mesmo os inocentes anarquistas ainda não conseguem perceber como este lúgubre cenário se iniciou.

  16. A verdade é que as manifestações de 2013 foram duramente atacadas pelas PMs dos governos estaduais. Depois que começou o “fora Dilma” até selfies os PMs tiravam com manifestantes.
    As manifestações na Av. Paulista eram marcadas para começar às 14:00 hs nos domingos, mas às 8:00 hs a avenida já estava interditada e disponibilizada aos manifestantes.
    A grande mídia pegou carona nas manifestações e direcionou a coisa para o “fora Dilma”. Lembro das primeiras manifestações com placas dizendo “Desculpe Dilma, mas é pelo Brasil”.

  17. 2013 no Brasil foi um dos ataque de guerra híbrida por parte dos Estados Unidos para o Brasil voltar a ser uma colônia de exploração.

    Esses anarquistas do Movimento Passe Livre e do Black Blocks juntos com trotskistas do PSOL, PSTU, PCO e companhia são a famosa “esquerda que a direita gosta”. Trotskistas na teoria são marxistas e materialistas de esquerda porém fazem criticas moralistas criticando a corrupção do PT sendo que o moralismo vai contra o materialismo filosófico. Esses anarquistas seguem o idealismo filosófico acreditam que destruir a fachada de loja e bancos vão trazer a revolução.
    Não sei se existe uma pesquisa mas acho que se existisse mostraria que a maioria deles são brancos privilegiados de classe média alta. Se depender apenas da minha evidência anedótica acho que essa é a verdade.

    Em 2013 eles foram aparelhados pela direita e a extrema direita com a ajuda da Globo. Eles organizaram 2 manifestações com o perfil fake do Movimento Passe Livre e depois a Globo passou a semana inteira fazendo propaganda da manifestação.
    Apesar do Brasil ter 6% de desemprego essas manifestações criaram um clima de insatisfação na população que diminuiu a popularidade do governo.
    Esse ataque de guerra híbrida sozinho não foi suficiente para derrubar o governo porém somando com outros ataques como queda do preço do petróleo, denúncias falsa da Lava Jato e noticias falsas nas rede sociais acabaram resultando em quase uma perda da eleição para presidente e elegendo um congresso conservador.
    O último ataque foi a prisão do Lula e eleição do Bolsonaro. Com tudo isso conseguiram o objetivo deles de transformar o Brasil em uma colônia.
    Não acho que os capitalistas do Brasil planejaram 2013, o golpe, e prisão de Lula e eleição do Bolsonaro. Eu acho que os capitalistas do Brasil não querem distribuir riqueza porém acho que eles possuem o interesse material em desenvolver a economia do Brasil. Isso faz com que destruir a indústria e entregar recursos estratégicos para outros países de propósito algo sem muito sentido.

    Sobre o fascismo no Brasil: O fascismo acontece em momentos de crise quando a classe dominante perde o controle do estado. Como que não conseguem convencer as pessoas com argumentos usam a violência para intimidar e perseguir politicamente os adversários.
    Qual a alternativa para o PT? Como eles não têm reposta a única solução é demonizar o PT irracionalmente e intimidar e perseguir politicamente.

    Eu não sei se eu estou certo mas O objetivo do Fascismo na Europa é para a Europa deixar de ser colônia e voltar a ser imperialista enquanto que o objetivo do Fascismo aqui no Brasil é para fazer o Brasil virar uma colônia dos Estados Unidos.

  18. Gostaria que a autora do texto mostrasse onde está a esquerda que vem se fortalecendo e se organizando, porque eu não consigo enxergar. O que vejo é a destruição da esquerda, a absoluta falta de organização do povo para lutar por seus direitos e um país perdido, entregue a milicianos e a pastores evangélicos corruptos. Negar que a catástrofe nacional tenha começado com as manifestações de 2013 é querer tampar o sol com a peneira.

  19. onde não há clareza política há muita manipulação….
    os iludidos e ingenuos de 2013 que se gabam tanto do tal sucesso das manifestações impostoramente vanguardistas cometeram um equívoco histórico incompreensível, principalmente para quem soube/sabia dos casos dos cabos anselmos e traidores congeneres da vida desde 1964….

  20. podem negar a participação nas besteiras por medo de serem considerados culpados ou coisa pior,mas lutar contra os fatos evidentes de um conluio interno e externo em 2013 é negar a realidade….

  21. Os manifestantes contra o aumento das passagens do transporte urbano não foram responsáveis pelo crescimento do fascismo: Mas foram capturados por eles. Cadê os “Black blocs”? Do jeito que surgiram, sumirão. Alguém sabe onde andam?

  22. 2013 serviu à direita.
    Todos os frutos de médio e longo prazo foram para a direita e extrema direita.
    Isso pra mim é claro.
    Não acredito, todavia, que a maioria esmagadora dos militantes de esquerda quisesse isso ou trabalhasse para isso, inclusive a Sininho.
    A questão em aberto é outra. Havia gente com discurso de esquerda e trabalhando, de forma oculta e intencional, para o capital e a extrema direita?
    Tinha “Cabo Anselmo” em 2013?

    • No Planalto tinha um “Cabo Anselmo”. Um, não; vários. Pra deixar o “golpe” correr frouxo como correu, é uma boa hipótese. E o choque fiscal em 2015, foi coisa do “Cabo Anselmo” também? E a GLO e a lei antiterrorismo, idem? E as isenções, renúncias e estímulos fiscais aos “empresários”, tiveram o dedo de qual “Cabo Anselmo”? E na recondução do Janot, “Anselmo” deu palpite? E as fantásticas escolhas dos ministros do STF, “Anselmo” deu pitaco? E o vai-e-vem econômico de 2012-13? Leilão de Libra? “Anselmo”? Mudança da lei da partilha, em 2015, com certeza foi coisa do “Anselmo”. Esse “Anselmo”! Mas aí, quando o populacho que paga a conta da traição petista passa a reclamar, os olhos persecutórios vão procurar os “Anselmos” das ruas. Uma vez perseguidos, caçados e condenados, passam agora por uma nova condenação nas “bolhas de esquerda”, nos “sites progressistas” do c. do mundo. É muito engraçado! Chorem, chorem bastante que passa. Os bravos manifestantes de Esquerda de 2013, esses permanecem altivos e sonhadores e com a disposição para uma nova tarefa de retomada da justiça e da igualdade. Sem conciliação.

      • Não, Marco A. Estes erros que você aponta em Brasília não são do Cabo Anselmo.
        O Cabo Anselmo original foi o que insuflou a revolta da Associação de Marinheiros, que foi o pretexto final pro golpe de 64. Alguns anos depois se soube que ele entregava companheiros pra repressão.
        Houve algo análogo em 2013? Gente que assumia um discurso de esquerda radical mas que na verdade ia se entender com FIESP, ex-torturadores, agentes do deep state americano ou outro interesse estrangeiro?
        Esses, se houve, seriam os Anselmos.
        Se “os bravos manifestantes de Esquerda se 2013” estão com todo o pique que você diz, mandem brasa. Não seria a “blogosfera petista” que impediria qualquer coisa, certo?

      • Não, Marco A. Estes erros que você aponta em Brasília não são do Cabo Anselmo.
        O Cabo Anselmo original foi o que insuflou a revolta da Associação de Marinheiros, que foi o pretexto final pro golpe de 64. Alguns anos depois se soube que ele entregava companheiros pra repressão.
        Houve algo análogo em 2013? Gente que assumia um discurso de esquerda radical mas que na verdade ia se entender com FIESP, ex-torturadores, agentes do deep state americano ou outro interesse estrangeiro?
        Esses, se houve, seriam os Anselmos.
        Se “os bravos manifestantes de Esquerda se 2013” estão com todo o pique que você diz, mandem brasa. Não seria a “blogosfera petista” que impediria qualquer coisa, certo?

        • Alto lá! A história do “golpe” ainda não foi contada. Como você sabe que não havia “Anselmos” no Planalto, e os há no PT? Você sabe? Diz pra gente, então. Tudo indica que sim. E como! Traíram-se entre si e, principalmente a nós. Inclusive aos otários que insistem ainda em apoiá-los. Que poder tinham os manifestantes de ESQUERDA para se entenderem com a FIESP? Conceder-lhes os infindos benefícios, renúncias, isenções fiscais, vários REFIS ao “industriais” da FIESP, como fizeram os governos petistas? Mas quem se juntou a apoiadores da ditadura foi o PT, ao dar ouvidos ao Delfim Netto e ao Gerdau, apoiar e ser apoiado pelo Maluf, não tentar modificar a estrutura das polícias militares, não modificar os currículos das academias militares etc. O resto é história de bicho-papão: “deep state”, CIA. Isso sempre houve e sempre haverá. Quem não tem peito pra encarar, vai pra casa fazer colete de sindicato petista pelego. E qual a prova que você tem de que houve traidores entre os manifestantes de ESQUERDA de 2013? Se sabe de algo, abra o bico. Quem está de chororô são os petistas e suas viúvas. Vocês, sim, é que têm o dever de tomar as ruas. Se a covardia permitir, claro. Chorem… chorem…

          • Marco A.,
            Conversei com um amigo que participou intensamente de 2013.
            Ele me disse que a presença crescente da direita e extrema direita ia sendo percebida mas não dava pra controlar. Entendi. O tipo de convocação não incluía controle ou exclusão.
            Mas perguntei se só ele e mais ninguém viu. E se viram, por que não fizeram nada?
            Subestimaram?
            Não perceberam a extensão da infiltração?
            Não houve energia pra priorizar o caso?
            Na euforia da vitória do preço da passagem acharam que podiam ganhar tudo?
            Ou acharam que a presença dos direitistas ajudava engrossando as fileiras?
            Vocês dizem.
            Note que este erro não é o que chamo de comportamento de “Cabo Anselmo”, que seria um agente duplo mesmo, desde o início. Pra você toda conciliação do lulopetismo é traição. Pra mim podem ser erros ou decisão em função dos limites do momento. No caso de 2013 levanto a questão da traição, acho algumas coisas suspeitas, mas o que vi de concreto até agora é que a maioria dos militantes de esquerda errou. Não em ser oposição de esquerda, mas ao não enxergar que virou instrumento da direita. Ninguém achou estranho quando os vídeos gringos “change brazil” e “no, I’m not going to the world cup” viralizaram no Facebook?
            E erraram também na dose das pauladas no lulopetismo.
            Com toda a conciliação do lulopetismo, vocês negam que o PT preservou o Pré-Sal até cair e sua queda atendeu interesses americanos neste caso? Que o lawfare da Lava-jato, ferramenta americana, (e só não é Anselmo porque nunca foi de esquerda), foi vital para a queda do PT e está sendo usado tb em outros países da América Latina? (Aliás pra quem acusa de udenismo, você sapecou um “locupletou” no seu texto que ficou engraçado).
            Sobre bicho papão: não esqueça que a operação militar americana “brother sam”, de apoio ao golpe de 64, já foi teoria conspiratória um dia…
            O lulopetismo errou e vocês também.
            Vocês realmente avaliavam que aquela coisa difusa que 2013 se tornou ia fomentar a revolução ou mudança significativa no status quo?
            Aliás, sua lógica está um pouco estranha. Num momento “os bravos manifestantes de esquerda de 2013” tem força pra promover a mudança com conciliação zero. No outro, quem tem que ocupar a rua é o lulopetismo.
            Vocês tem força ou não tem?

          • MG, o problema é esse: você NÃO estava lá, você NÃO viu, você NÃO sabe sobre 2013. E que dar palpite? E quem falou em “revolução”? Não diga bobagens. Se toda manifestação fosse considerada um caminho pra revolução… Não houve nada de instrumento: esquerda é esquerda, direita é direita. Ou melhor as direitas SÃO direitas. Havia a direita no poder, sob o manto de “esquerda”, e a que queria e tomou o poder. A primeira, no poder, e que, quando fora do poder, costumeiramente recorria à Justiça para resolver problemas políticos; a que deu mais poder ao aparato policial-judiciário e dele foi vítima; essa direita com capa de esquerda apoiou a repressão violenta e abriu caminho para a ascensão da atual direita no poder. Foi essa esquerda, a que você bajula, que cavou a sua própria sepultura. E por lá ficará. Podem argumentar com “lawfare”, “deep state”, “CIA” etc., mas nada disso teria efeito se não se deixasse correr frouxo por 14, repito qua-tor-ze, anos toda a canalhice, traição, conciliação, arreglo, composição, subserviência, mentira que foi perpetrada. Querer comparar meia dúzia de gatos pingados na rua com o lulopetismo, essa máquina de mentiras, é de uma estupidez e canalhice sem igual. Agora, só lhes resta lamentar e chorar. A esquerda das ruas, esta continua altiva e confiante na igualdade e na justiça, sem conciliação.

  23. Fiz caca, os outros que limpem. Negar que o golpe veio com o carimbo do departamento de “insurreições” dos EUA é muita ingenuidade. De 64 falavam a mesma coisa – comoção moralista nacional contra governo de esquerda – e dá-lhe marcha com Deus pela Liberdade e quejandos; hoje há farta documentação de como o império agiu aqui dentro. Lá, em 64, como cá, a partir de 2013, os resultados estão aí: sem nenhum tiro, mas com muitos rastros, colocamos o país a reboque dos interesses americanos. Nada mais emblemático do que as estátuas da Havan, sendo saudadas com continência por bem mais que uma dúzia de malucos já que representavam pensamento e aspirações daquele que deram ao capitão de pijama a faixa de presidente.

  24. De inocentes úteis a história está cheia. Mas a Sininho podia explicar de onde veio o dinheiro para organizar os protestos?

    1
    1
    • Qual dinheiro? Com os combativos e altivos manifestantes de ESQUERDA de 2013? Não diga bobagens! Isso é o moralismo udenista típico. É nisso que os petista acabaram dando: moralistas políticos. Aliás, Darcy Ribeiro já antevia esse comportamento. Faça o seguinte: solicite a alguns procuradores federais, na época tão bajulados pelo PT, que façam uma investigação e descubram de onde vinha a fábula para a organização. Apesar da reviravolta, deve haver alguns fiéis ao partido. Entretanto, onde a grana corria frouxa era nos fundos de pensão e nos sindicatos amansados pelo PT. E como são burros e covardes, nem com todo esses dinheiro e poder foram capazes de resistir. Despolitizaram a sociedade, se locupletaram, traíram o povo com uma recessão brutal, saíram escorraçados e agora não sabem por onde começar. A ponto de precisarem espalhar mentiras sobre os manifestantes de ESQUERDA de 2013. Se eram tantos, por que não foram às ruas dar combate? Frouxos é o que vocês são.

  25. Que acerto minha filha? Sininho! Foi a maior.derrota na sofrida pela esquerda e tudo por causa de $ 0,20 centavos.
    Não . Vocês não são culpados pelo crescimento do fascismo mais ajudaram a despertá-lo depois.de décadas adormecido mesmo porquê são incompetentes até pra isso.
    Pensaram que depois de tudo sobraria alguma coisa pra essa esque
    rda raivosa, viraram celebridades no Rio e em São Paulo e hóje vivem no esquecimento da Mídia que tanto os insulfáram em 2013.Á verdade é que foram usados como massa de manobras aceita que doi menos.

  26. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome