67,5% dos eleitores têm medo de sofrer agressões políticas

Ana Gabriela Sales
Repórter do GGN há 8 anos. Graduada em Jornalismo pela Universidade de Santo Amaro. Especializada em produção de conteúdo para as redes sociais.
[email protected]

Levantamento “Violência e Democracia: panorama brasileiro pré— eleições de 2022" aponta que pessoas tem preferido discrição quando o assunto é política

Arte: APública

Na esteira dos casos de violência política, a maioria dos eleitores tem evitado falar sobre seus posicionamentos políticos, aponta o levantamento “Violência e Democracia: panorama brasileiro pré— eleições de 2022”.

De acordo com a pesquisa, 67,5% das pessoas ouvidas, ou quase 7 em cada 10 pessoas, têm medo de ser agredidas fisicamente em razão dos seus posicionamentos políticos. Do total, 3,2% ainda relatam ter sofrido ameaças por motivos políticos no último mês.

Contra armas e golpe

O estudo também mostra que 66,4% dos entrevistados não acreditam que armar a população aumentará a segurança e 83,4% consideram que há racismo no Brasil.

Além disso, 88,1% dos entrevistados rejeitam ideias golpistas e 62,8% concordam que “é importante para a democracia que os tribunais sejam capazes de impedir o governo de agir além de sua autoridade”.

Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

O levantamento foi realizado pelo Instituto Datafolha, a pedido do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e da Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (Raps).

Entre os dias 3 e 13 de agosto, foram ouvidas 2.100 pessoas, a partir de 16 anos, em 130 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador