Líder religioso é condenado por estupro após abusar de mulheres como forma de “cura gay”

O bispo evangélico passava óleo no corpo e abusava de mulheres que se confessavam lésbicas. Vítima que denunciou caso tinha 13 anos

Jornal GGN – Reportagem de Fausto Macedo em parceria com o Universa, do UOL, informa que um bisco evangélico foi preso e condenado a 20 anos por estupro de menor. A vítima, de 13 anos, teria confessado que era lésbica ao líder religioso, que decidiu passar óleo no corpo da menina, inclusive em suas partes íntimas, como uma forma de “cura gay”.

De acordo com a sentença, esse era o “modus operandi” do bispo João Batista dos Santos e outras mulheres teriam passado pelo mesmo procedimento. O caso foi julgado em Brasília.

Segundo o Ministério Público, “antes dos abusos o bispo falava que amava a garota e que iria casar com ela. Depois de a menina comentar sobre ser lésbica, ele propôs passar um óleo para ungir seu corpo, argumentando ser uma forma de ‘cura gay’.”

“(…) após ganhar a confiança das vítimas, [o bispo] utilizava o óleo para tocar o corpo das mulheres, inclusive nas partes íntimas, sob um pretexto de ‘cura’.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Fora de Pauta

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome