O estadista Renan e as pegadinhas de Sérgio Machado

O grampo de Sérgio Machado em Renan Calheiros comprova algo que se pressentia nas suas (de Renan) declarações públicas: dentre todas as autoridades públicas, Renan é o que mais tem demonstrado respeito pela chamada liturgia do cargo e mais preocupações com o julgamento da história.

Apesar da óbvia intenção de Machado de provocar declarações comprometedoras, a conversa gravada passa em qualquer teste de republicanismo. O carnaval dos jornais se deu em relação à sua proposta de mudar a lei da delação premiada, para impedir que pessoas presas sejam pressionadas a delatar – uma opinião legítima.

No restante, mostra um líder político preocupado com a crise, buscando saídas constitucionais, conversando com todas as pontas, procurando amarrar a governabilidade. E sumamente indignado com a submissão de Michel Temer a Eduardo Cunha.

Em outros momentos, viu-se esse mesmo comportamento de Renan, quando, em meio às pressões para facilitar o impeachment, apregoou sua preocupação sobre como seria visto pela história.

Admito não conhecer os meandros da vida política brasiliense, nem a de Alagoas. Mas o episódio me remete a lembranças de outros ditos coronéis nordestinos, como José Sarney.

Em 1987, através de seu Ministro da Justiça Saulo Ramos, Sarney conseguiu negociar meu pescoço com a Folha. Portanto, não tenho nenhuma razão objetiva para poupá-lo.

Em 2009 os jornais moveram uma campanha implacável contra ele, assim que assumiu a presidência do Senado. A intenção óbvia era fragilizar a governabilidade. Fiz uma defesa enfática do presidente do Senado, não da pessoa física ou política de Sarney. Em todos os artigos em que defendia o presidente do Senado, dava dicas para quem quisesse criticar a pessoa física, dos amigos Edemar Cid Ferreira a Mathias Machline.

Um assessor de imprensa de Sarney, meu conhecido, sugeriu uma entrevista com ele, garantindo que era o melhor analista do momento político e do advento dos novos atores políticos, as ONGs, os blogs e as redes sociais.

Fui. Fiquei aguardando-o em uma sala. Sarney chegou, andando lentamente, com a voz fraca e me agradeceu a defesa dele, que eu tinha feito. E me disse:

– Senhor jornalista, o senhor é testemunha da seriedade com que trato os temas políticos de interesse do país.

Passou ao largo das críticas que lhe fazia nos mesmos posts em que defendia o presidente do Senado. Mas, de fato, desde sempre cumpriu um papel de fiador da estabilidade política, dentro dessa excrescência que é nosso presidencialismo de coalizão.

Falta um perfil melhor de Sarney, assim como de Renan. Algo à parte da apologia dos áulicos e do profundo preconceito com que são retratados pela imprensa do Sudeste.

Aliás, essa preocupação em entender a história é característica de alguns políticos do Nordeste – como Gustavo Krause, Aldo Rabello, entre outros – dificilmente encontrável em políticos do centro-sul.

Renan demonstra uma preocupação com o julgamento da história muito maior do que o pensamento arrogante de lideranças paulistas, como FHC, que julga que a história é ele.

O jabuti de Sérgio Machado

Foi hilária a pequena vingança de Sérgio Machado contra a Procuradoria Geral da República, com quem tratou do grampo. Na conversa gravada desanca sem dó o Procurador Rodrigo Janot – podendo alegar posteriormente que os ataques foram para disfarçar suas intenções, de estar gravando a mando dele. E nos dois grampos colocou um jabuti na árvore de Janot: Aécio Neves, apenas para dar trabalho mais tarde para tirar o jabuti da árvore.

Não se pode negar um senso de humor apurado a Sérgio Machado.

106 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Geraldo Galvão

- 2016-05-27 19:19:39

Renan

Tenho tanto respeito pela habilidade política do Renan, que não me surpreenderia se viesse a saber que essas gravações do Sérgio Machado foram arquitetadas por ele. A gravação do Romero Jucá foi demolidora: ele perdeu o ministério, e pode perder o mandato por falta de decoro. Já a do Renan foi (me parece) para levantar a bola para ele bater, ficou bonito na foto, bem com o Janot, e até o Nassif foi levado "no bico". 

Alexander

- 2016-05-27 18:53:54

Obama?

Obama?

André W.

- 2016-05-27 16:37:45

Você pode lidar com o Estado

Você pode lidar com o Estado Democrático como lida com uma mulher.

Contar mil "mentiras" e tentar  preservá-la, fazê-la feliz. Significa que mesmo canalha voce a ama e de certa forma a respeita.

Jogar na cara mil "verdades", afundá-la na humilhação, na baixa auto- estima, no ódio contido: isso é a imprensa nacional.

Praticar o estupro coletivo: Isso é o golpe.   

Pedro Augusto

- 2016-05-27 13:14:24

Fritos e Sapecados em

Fritos e Sapecados em Grampos

http://mundovelhomundonovo.blogspot.com.br/2016/05/fritos-e-sapecados-em-grampos.html

 

 

Armando Falo

- 2016-05-27 08:53:20

,Votem o impeachment do Janó
,Votem o impeachment do Janó no senado. Aleguem que ele tem aceitado delação forçada mediante a tortura da prisão e façam o impeachment nele. Simples assim, não derrubaram a presidente? Derrubem o PGR oras.

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2016-05-27 00:40:17

Anima Mundi

Anima mundi

Before the mind’s eye, whether in sleep or waking, came images that one was to discover presently in some book one had never read, and after looking in vain for explanation to the current theory of forgotten personal memory, I came to believe in a great memory passing on from generation to generation.… Our daily thought was certainly but the line of foam at the shallow edge of a vast luminous sea.

— W. B. Yeats, Mythologies, 346 (1917)

Yeats called this ‘great memory’ anima mundi; but these images are phenomena of the human world, the world of the human imagination, passing on from generation to generation of humans. When they are meaningful, they are iconic signs occurring in various contexts and occupying human meaning spaces. Who knows what they would mean to other imaginations, to otheranimals? Yet we can’t help believing that they arise from much deeper in the bottomless lake of consciousness than the ephemeral chatter of ‘our daily thought’ – perhaps even from the deeper-than-human.

 

jns

- 2016-05-26 22:51:46

Estadista?

 Renando demais...

Charge O Tempo 26/05/2016

Cesar Ferreira

- 2016-05-26 21:34:43

Derrubar o PMBD correndo o

Derrubar o PMBD correndo o risco de fazerem dois senadores voltar atrás no seu voto e botar tudo a perder?

Não seria melhor escudar o Temer até a Dilma ser definitivamente afastada e ai sim passar a carga contra ele?

Está muito estranha essa estratégia. Há algo acontecendo que não estamos sabendo.

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2016-05-26 18:04:51

THX 1138 e os filmes de exploração mineral por humanos

Interessante este filme THX1138, ainda bem que é THX e não THC se não já vinha a mente a figura do nefando rsrsrs..., não o conheço mas estava pensando quando escrevi naquele Western onde os humanos são abduzidos por alienígenas para minerar, vários outros filmes de ficção científica usam os humanos como escravos para conseguir o que lhes faltam, a metáfora da ficção científica é significativa na medida que os feitores que nos escravizam estão sendo substituidos por telecomandos e sensoreamento remoto processado por inteligências artificiais (robos), ou seja, está ocorrendo a substituição dos humanos locais por máquinas e comandos a distância. Quanto ao pós-capitalismo que menciona é um sistema de produção que irá funcionar em sociedades complexas, sensiveis à sua atuação a vários tipos de influências e apresentará nuances como agora, onde não existem sociedades absolutamente Liberais, ou absolutamente Mercantis, ou absolutamente Capitalistas, ou absolutamente Socialistas, ou, para finalizar o modelo que gosto e uso, absolutamente Democráticas, ou absolutamente Autoritárias (ditatoriais). 

O mundo roda neste lusco-fusco, com sombras e penumbras.

A Astrologia, o Tarot e a Geometria que uso para dar Norte, Rumo e Estrela para um sistema de governo não guarda muitas semelhanças com o uso feito por pai-de -santos, videntes e cartomantes, assim o batismo do Bolsonaro continua, pelo menos para mim uma curiosidade exótica insignificante para a política nacional.

Por outro lado, existem mais mistéiros, oh! Horácio, entre o Céu e a terra do que nossa vã filosofia consegue supor.

Marcelo33

- 2016-05-26 17:54:27

Se Janot eventualmente for derrotado...

"Ele está usando a autonomia do MP como nenhum antes dele. E provavelmente como nenhum que vier depois."

Se Janot eventualmente for derrotado (Por enquanto, ele vem ganhando a classe política por 7  x 1), acredito que a autonomia do MP acaba junto com ele. O PGR é um déspota, e o Brasil não pode ficar a mercÊ dele..

Julia1984

- 2016-05-26 17:15:21

Valeu pela dica

Valeu pela dica.

E por que não consigo classificar seus comentários? As estrelinhas ficam cinzas mesmo que eu clique sobre elas.

Tudo de bom.

Cesar Cardoso

- 2016-05-26 16:21:45

De golpes e viralatismos

os golpes dentro do golpe revelam um setor dominante rachado de um modo talvez inédito na história brasileira. se é correto que após um golpe sempre há uma disputa, desta vez isto ocorre numa economia em recessão, num contexto de grave crise econômica internacional e sem qualquer perspectiva de recuperação a curto prazo.

Aliás, o golpe reforça a crise econômica. Poderíamos começar a sair da depressão purgatória joaquimlevyana ainda em 2016, agora Henrique Meirelles reforça a previsão da Economist de que a economia só voltará a crescer em 2020. Meia década de depressão, não precisa de muito esforço para termos uma crise social.

em 1964, os políticos sonhavam com as eleições no ano seguinte, conforme garantido pelo ditador Castelo Branco em seu discurso de posse. depois todos foram degolados, até mesmo Lacerda. só que agora são também os empresários que estão com as cabeças nas bandejas. e isto é uma exigência do projeto subjacente à Lava Jato de total subordinação da economia brasileira aos mega interesses transnacionais. não há mais espaço para empresas brasileiras internacionalizadas, a não ser com participação majoritária de sócios internacionais.

Os pseudo-ideólogos da Lava Jato são explícitos no seu objetivo de "abrir" a economia; Sérgio Moro, por exemplo, disse mais ou menos explicitamente que a corrupção brasileira tem origem no "fechamento" da economia. É óbvio que, para isso, é necessário a subordinação da política, essa instável, e da democracia, esta caixinha de surpresas criada pelas massas não-iluminadas, aos ditames dos grupos de Estado, estes impolutos (risos) que aparecem e surgem pelas graças (risos) da meritocracia (gargalhadas). Fica fácil entender porque a coalizão PMDB/baixo clero tem medo da coalizão Lava Jato/PSDB e, ao mesmo tempo, uma necessidade premente de se livrar dos já incômodos parceiros de golpe. 

E olho nos militares. Se os militares, que são quem tem algo parecido com projeto de país, ficarem do lado do PMDB/baixo clero, o balanço pode pender decisivamente.

Sobre a resistência ao golpe: é por aí, arkx. Minha observação é que o grupo dos 'independentes' claramente assumiu a liderança da resistência, a partir da transformação de Dilma em mártir da democracia.

arkx

- 2016-05-26 16:15:53

ficção científica

-> “sugiro que se use Astrologia, Tarot e Geometria”

-> “coisa de filme de ficção científica com alienígenas.”

meu caro,

aqueles filmes de ficção nos quais uma minoria vive numa redoma tendo do bom e do melhor, sendo sustentados por uma massa de espoliados, tipo “Jogos Vorazes” e “Elysium”, se referem muito mais a uma sociedade do passado do que a uma projeção de futuro. reflitamos: o modelo desta ficção científica é o feudalismo e a aristocracia. e não um mundo pós globalizado e transnacional. a sociedade deste filmes sempre é pré-capitalista, enquanto o futuro, se há futuro por vir, só pode ser pós capitalismo. já que sob o capitalismo marchamos para um evento de extinção em massa, seja pela utilização de WMD ou pelas catástrofes provocadas pela crise ecológica.

quanto ao tarot e a astrologia, sempre os setores dominantes se valeram destes conhecimentos. no Brasil é tradicional a presença de políticos e empresários nos videntes e pais-de-santo. neste sentido, é sintomático o recente batismo de Bolsonaro nas águas do Jordão.

abraços

p.s.: um filme antigo de ficção mais adequado ao modelo de futuro pretendido pelos 1% é “THX 1138”. conhece?

.

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2016-05-26 15:28:21

Claro que houve golpe, dona Dilma teve 54 milhões de votos

O golpe têm seu mentor e beneficiário escondido, mas o povo e o Brasil sofrerão as consequências.

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2016-05-26 15:24:57

Politicos locais são desnecessários para os que nos dominam

Com os novos recursos telemáticos e computacionais o comando da política por locais já e desnecessário para garantir lucros e interesses das corporações transnacionais que nos exploram.

A quimera ( Serra + a filha + Dantas) são os agêntes que irão implantar este telecomando por aqui.

O golpe em curso testa esta capacidade de se oprimir povos e nações sem colaboração de internos, que são mal vistos.

Será um governo difuso, dissimulado e oculto que velará por seus interesses ao arrepío de toda e qualquer compaixão pelos locais, coisa de filme de ficção científica com alienígenas.

Vivemos em tempos interessantes.

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2016-05-26 15:14:50

A quimera = Serra + a filha + Dantas

Destruam a quimera e o golpe esboroa.

Ulisses s

- 2016-05-26 14:44:54

Para derrubar o PMDB

Eles são PSDB. E não imaginavam que com o golpe quem ia ficar com o botim seria o PMDB

arkx

- 2016-05-26 11:08:23

golpes dentro do golpe

precisa e brilhante análise do pic nic de abutres devorando a Democracia brasileira e bicando-se uns aos outros.

os golpes dentro do golpe revelam um setor dominante rachado de um modo talvez inédito na história brasileira. se é correto que após um golpe sempre há uma disputa, desta vez isto ocorre numa economia em recessão, num contexto de grave crise econômica internacional e sem qualquer perspectiva de recuperação a curto prazo.

além disto, com Marcelo Odebrecht condenado a quase 20 anos de prisão, temos pela primeira vez os diletos filhos da burguesia brasileira na cadeia. eles estão de fato se comendo.

em 1964, os políticos sonhavam com as eleições no ano seguinte, conforme garantido pelo ditador Castelo Branco em seu discurso de posse. depois todos foram degolados, até mesmo Lacerda. só que agora são também os empresários que estão com as cabeças nas bandejas. e isto é uma exigência do projeto subjacente à Lava Jato de total subordinação da economia brasileira aos mega interesses transnacionais. não há mais espaço para empresas brasileiras internacionalizadas, a não ser com participação majoritária de sócios internacionais.

observo ainda que também na resistência ao golpe podem ser caracterizados dois grandes grupos:

1 – governistas. foco na defesa do mandato de Dilma e de Lula. formado por governistas, PT, CUT, MST e os velhos movimentos sociais (centralizados e homogêneos). proposta: reedição do pacto social lulista de conciliação. modo de ação: negociação de cúpula respaldada por manifestações de rua;

2 – independentes. foco na defesa da Democracia. formado por MTST, independentes e os novos movimentos sociais (descentralizados e heterogêneos). proposta: ampliação e aprofundamento da Democracia. modo de ação: manifestações de rua com ascensão das lutas populares em todos os níveis, sem nenhum acordo que não atenda aos interesses do setor produtivo da economia.

grande abraço

.

arkx

- 2016-05-26 10:41:24

os 1%

aquele EUA paraíso da classe média já não existe. as desigualdades são imensas: a 80% da população cabem apenas 7% da riqueza. apesar disto, grande parte dos brasileiros ainda acreditam piamente nos EUA como um modelo bem sucedido de sociedade. inclusive os salvacionistas procuradores da Lava Jato reforçam esta visão. evidentemente,um instrumento de controle, contando com a cumplicidade de um setor domin ante brasileiro cujo único projeto de país é nos reduzir a um protetorado norte-americano. os EUA são hoje o lar dos bravos 1%: uma tirania neofascista que está redesenhando a institucionalidade mundial para recolonizar todo o planeta.

grande abraço.

p.s.: veja o comentário logo acima, no qual o jogo de poder dos golpes dentro do golpe foi precisamente exposto.

https://jornalggn.com.br/noticia/o-estadista-renan-e-as-pegadinhas-de-sergio-machado

joseph

- 2016-05-26 08:37:17

Esse comentário

deveria virar post. Traz a linha mestra sobre a qual é preciso raciocinar a respeito da situação.

Os áudios estabelecem que a coisa é mais simples do que se pensava - ou, para alguns (modestamente, é o meu caso), exatamente como se pensava.

Políticos vivem na lógica amigo-adversário. Entram em alianças uns com os outros para se beneficiar, isto é, aumentar o poder que não teriam sozinhos, e, no limite, sobreviver (aumentar o poder=tornar a sobrevivência mais provável/segura/garantida).

A política real é quase totalmente maquiavélica e hobbesiana. A sobrevivência, e o incremento de poder como garantia de sobrevivência, fornecem a lógica basal das ações. (Disse "quase" porque se percebe nas conversas traços de outros sentimentos, como fidelidade, lealdade, etc., em relação a um partido que já estava quase fora do jogo, o PT, com proteção a Lula, Dilma, etc.)

Pode-se, como faz o Nassif, pensar no que aconteceu do ponto de vista da economia - o ponto de vista econômico sobre as coisas humanas é um desenvolvimento direto do realismo da sobrevivência maquiavélico e hobbeseano -,  e dizer que o governo do PT, outrora tão lucrativo para todos os associados, passou num determinado momento a aparecer como ˜caro" demais.

A elevação do preço até o limite do suportável foi produzida, como sabemos, pela deterioração da macroeconomia associada à pressão moral da Lava-Jato.

As conversas revelam nada mais que as transações possíveis num cenário de iminente bancarrota do sistema atual de negócios políticos. As alternativas à disposição. A bancarrota da liderança perigava causar a bancarrota de todos os associados, o que evidentemente é uma possibildiade que ninguém pode se dar ao luxo de sequer considerar.

Assim, alternativas foram sendo apresentadas e analisadas pelos principais atores e a conclusão óbvia é que o barco só se salva com a desttuição do capitão - que não será simplesmente jogado ao mar, bem entendido, mas a princípio apenas isso mesmo, destituído.

É óbvio que o PGR é o ator principal dessa novela. Faz tempo que os mais lúcidos entre nós não têm nenhuma dúvida disso. Não acho que ele seja teleguiado pela oposição. Acho, aliás tenho praticamente certeza, de que foi ele que escolheu a oposição por afinidade ideológica e de formação.

A razão para o vazamento desses áudios não apresenta nenhum mistério, como o amigo do comentário que estou comentando bem descobriu: trata-se de inviabilizar os acordos políticos capazes de circunscrever o poder do Procurador, que nesse momento é nada menos que ABSOLUTO, e, consequentemente, manter o poder dos políticos que o Procurador elegeu como alvos.

Não é o que ele vem fazendo esse tempo todo? Não é ele quem vem sendo o autor das alternativas disponíveis para todos os atores relevantes?

Ou dedura o Lula ou vai morrer na cadeia (é o que ele fez com Delcídio, Odebrecht, OAS, etc); ou derruba a Dilma ou vai todo mundo junto (assim foi com o PP, com o PR, com o PMDB, etc); ou grava seus aliados ou vou trancafiar o seu filho (foi o q ele fez com Machado); ou apoia Temer ou vai parar no xiliindró; ou coloca Serra no Planejamento ou eu vou derrubar cada ministro que você colocar.

Janot é hoje o verdadeiro rei do Brasil. Vivemos hoje a república - ou a manarquia - dos meganhas. Um estado policial perfeito, muito mais perfeito que o desnecessariamente violento estado militar.

Duvido muito que ele tenha outro objetivo que não o de afirmar o próprio poder e, se possível, destruir toda a parte do espectro político capaz de ameaçar uma futura e provável hegemonia do campo que hoje forma a oposição.

Não porque a oposição o tenha no bolso (tampouco os americanos); mas porque ele acredita piamente que a oposição é o que temos de melhor.

Dilma, Lula, Cunha, Renan, Jucá são todos descartáveis, apenas obstáculos que precisam ser eliminados nessa progressão para um novo velho Brasil. As vezes podem ser também meios, quando convém.

Janot grampeou todo mundo. Ele tem o poder de investigar a vida de todo mundo. Ele sabe os podres de todo mundo (inclusive do STF!). Ele escolhe quem apertar e quem esquecer.  Quem perdoar e quem condenar. Ele está usando a autonomia do MP como nenhum antes dele. E provavelmente como nenhum que vier depois.

A situação é essa. É simples. Tudo o que estamos vendo é apenas o desenvolvimento passo a passo de um mesmo princípio. Não ficará pedra sobre pedra. Pode apostar. Mas o resultado não vai agradar a Dilma nem nenhum de nós.

Cesar Ferreira

- 2016-05-26 04:47:04

Acho que essa história está

Acho que essa história está mal contada... Sabemos que Moro/Janot/STF seguraram o grampo do Sérgio Machado para o processo do impeachment passar na câmara e senado. Mas por que vazaram antes do impeachment ser concluído?

Cesar Ferreira

- 2016-05-26 04:15:44

Até concordo que foi burrice

Até concordo que foi burrice o partidarismo explicito da comissão da verdade que começou com a retórica de ver os dois lados e depois escancarou que iria “julgar” somente os militares. Mas essa picuinha seria maior que o apoio do governo PT ao fortalecimento das Forças Armadas e sua modernização?...  Todo mundo sabe que se o país for entregue a essa corja neoliberal farão de tudo para desmantelar nossas forçar armadas e se puderem até instalariam bases americanas em nosso território. Por isso espero que essa foto seja apenas por respeito ao protocolo e nada mais.

Maria Silva

- 2016-05-26 04:09:41

Todos se acovardaram ...

Lula já tinha cantado essa pedra. Estão todos acovardados. Ninguem teve coragem de defender o mandato da Dilma e partir pra cima das corporações golpistas. Jogaram Lula aos leões e esperaram ser salvos com alguma manobra. Não enfrentaram os abusos da Lava Jato, da midia e dos coroneis do STF, aliás,  este ultimo, um esgoto a ceu aberto, um poço de mesquinaria e irresponsabilidade. Por fim, tem os erros do proprio governo Dilma, igualmente incapaz de articular uma reação. 

Maria Silva

- 2016-05-26 04:01:25

Dandara, coloca o link.

Preciso compartilhar essa analise.

Rodrigo Souza Gomes

- 2016-05-26 03:06:05

Pizza sabor Mato Grosso

Essas conversas são de alguma forma limitadas. Explicam o golpe em linhas gerais, mostrando o comprometimento do PSDB e do Judiciário nele. Mas não duvido que Machado também tenha suas gravações com o judiciário também. Ele é do Ceará, terra da esposa de um certo ministro do Supremo que seria um dos eixos da solução política para a Lava Jato e que passa suas férias por lá. E ironicamente é esse ministro que agora preside a turma da Lava Jato, pronto para ser o pizzaiolo. Mas não duvide que gravações apareçam com esse mesmo ministro especialista em soltar médico estuprador, banqueiro bandido e outros criminosos, enquanto arrota moral e decência.

Rodrigo Souza Gomes

- 2016-05-26 03:06:03

Pizza sabor Mato Grosso

Essas conversas são de alguma forma limitadas. Explicam o golpe em linhas gerais, mostrando o comprometimento do PSDB e do Judiciário nele. Mas não duvido que Machado também tenha suas gravações com o judiciário também. Ele é do Ceará, terra da esposa de um certo ministro do Supremo que seria um dos eixos da solução política para a Lava Jato e que passa suas férias por lá. E ironicamente é esse ministro que agora preside a turma da Lava Jato, pronto para ser o pizzaiolo. Mas não duvide que gravações apareçam com esse mesmo ministro especialista em soltar médico estuprador, banqueiro bandido e outros criminosos, enquanto arrota moral e decência.

Juliaaa

- 2016-05-26 02:40:37

Excelente comentário

"esclareça-se aqui o papel dos EUA não mais enquanto país, mas meramente como o detentor dos aparelhos de Estado colocados a serviço de uma hegemonia mundial".

Excelente comentário.

Os EUA estão se acabando como país desde o complô contra o Kennedy, aliás, desde 1929, aliás desde a farsa de 1776.

Hoje é um país, senão com economia de guerra, com uma economia bem adaptada à guerra, pronto para 'tocar o terror' em países que insistem em dar a seus cidadãos o 'padrão mínimo civilizatório'. Nem a Europa mais tem escapado, basta olhar a verdadeira origem da crise imigratória e seus objetivos (precarização social para imigrantes e europeus no longo prazo).

É um país à serviço das conferências de Bilderberg, Wall Street, Londres... e cada vez mais contra cidadãos de todo o mundo, inclusive contra os seus cidadãos se necessário, especialmente contra os que não são caucasianos.

Adma Andrade Viegas

- 2016-05-26 02:25:40

"Foram atacadas sem quartel

"Foram atacadas sem quartel com comissões da verdade, anistia a 27 mil, alguns perseguidos entre um whisky e outro em Ipanema e  levantando atrasados de R$2 milhões (Cony) ou mesadas generosas (Ziraldo), superiores ao soldo de um general, enxovalhadas diariamente ,"

 

Só porque eles deram um golpezinho em 1964, ficaram   20 anos no poder, praticaram  umas torturazinhas aqui, umas mortes acolá (coisa pouca, foi uma ditabranda).

Que injustiça. Assim não pode, assim não dá.

Cesar Cardoso

- 2016-05-26 02:16:37

O golpe, como todos os golpes, vai seguindo seu curso

Até o reino mineral, como diria Mino Carta, começa a ver que o segundo momento de todo o golpe - a luta entre os golpistas para ver quem efetivamente assume o poder conquistado pela força, das armas ou das manipulações parlamentares - começou antes da efetivação do golpe em si, e está acontecendo de maneira acelerada e, porque não, brutal.

Lembrando que falamos de dois grupos:

- a coalizão entre PMDB e baixo clero, que deseja voltar a uma normalidade mais apropriada ao presidencialismo de coalizão da Constituição de 1988 (divisão do Estado entre feudos partidários, um presidente que "escute" o Congresso, financiamento privado de campanha etc etc etc).

- a coalizão entre PSDB e os grupos de Estado (MPF, PGR, DPF), numa agenda que concilia o pragmatismo ultraneoliberal entreguista do PSDB e os sonhos messiânicos de democracia purificada e tutelada dos grupos de Estado.

(A divisão do butim estatal entre estes dois grupos golpistas revela bem estas diferenças: enquanto o PSDB ganha a área econômica de porteira quase fechada, com Moreira Franco fazendo o papel de leva-e-traz de Temer, toda a articulação política fica com gente disposta a voltar à normalidade do presidencialismo de coalizão e os ministérios foram entregues, de porteira fechada, aos partidos menores e aos baixos cleros.)

A chave é a PGR ter estas escutas desde MARÇO. Janot nunca usaria para salvar Dilma, Janot nunca quis salvar Dilma, Janot guardou estas escutas para serem usadas assim que se sentisse acuado pelo outro grupo, o que acabou acontecendo rapidamente, não apenas pela MP 726 (que acaba com a CGU, fechando um importante fluxo de informação por dentro do Estado), mas também pela impressão geral da fraqueza absoluta do presidente interino e do governo à sua volta.

A outra chave é Janot, ao liberar as escutas, ter obrigado o STF a sair da sua posição de árbitro dos grupos em disputa. O cálculo político do STF, ao que parece, era ser o árbitro da disputa entre os grupos, pendendo ora para um lado, ora para outro, conforme o que fica melhor para as conveniências corporativas. Não há mais condição de ser esse árbitro; o STF vai ter que se bandear para o lado do PMDB/baixo clero (sendo ativo na volta à normalidade do presidencialismo de coalizão, tendo que aposentar Sérgio Moro, apoiar tacitamente a derrubada de Janot e um enquadramento da DPF, provavelmente ao GSI do golpista Etcheverry já que não acredito que Alexandre de Moraes vá conseguir) ou para o lado do PSDB/grupos de Estado (derrubando todos que estiverem na frente e forçando uma mudança constitucional que transforme o Judiciário e o Ministério Público no Poder Moderador, provavelmente incluindo banimento de partidos etc).

E, de bônus, temos Folha e Globo, arrastadas para o centro da crise. Não se sabe de que lado vão jogar, aliás a Folha pode estar muito bem jogando dos dois lados, jogando um contra o outro, para cair nas graças do vencedor qualquer que seja - a Globo não, os filhos do Doutor Roberto não tem essa capacidade de análise política e análise de conjuntura.

Plínio J. V. Lins

- 2016-05-26 02:11:18

Renan, Aldo e a História

Nassif, vou pendurar meu comentário aqui embaixo do Sérgio Barroso porque 1) pegando carona não se muda de assunto; 2) conheço o Barroso de longa data; 3) ele é, aliás, testemunha de alguns dos fatos que pretendo contar aqui.

Primeiro, permita fazer um reparo a erro recorrente que você comete quando escreve o sobrenome do ex-ministro da Defesa: o Aldo é Rebelo, com "e" e um "l" só. Dito isso, vamos à História.

O que você escreveu é fato. É preciso que alguém escreva um perfil real, honesto de Renan Calheiros.

Penso que a má imagem que construíram sobre ele começou quando foi líder do governo Collor na Câmara. Mesmo porque até ali Renan era apenas um deputado progressista em segundo mandato e pouco conhecido.

Veio do movimento estudantil alagoano, que na época (segunda metade dos anos 70) tinha o PCdoB ainda clandestino como força mais destacada.

Foi eleito deputado estadual em 1978, com apoio dos comunistas e de todo o movimento estudantil. Conseguiu votos no interior na região dele, Murici, de onde veio, filho do "major" Olavo, plantador de cana de porte médio (cresceu, como outros, na época do Proálcool) e criador de gado de pequeno porte.

Renan tem um irmão mais novo, Renildo Calheiros, que foi deputado federal por Pernambuco e atualmente é prefeito de Olinda, reeleito pelo mesmo PCdoB em que militava quando presidente da UNE.

Renan foi um excelente e combativo deputado estadual do chamado MDB autêntico. No decorrer do mandato, ficou bem próximo do velho Teotônio Vilela, que já havia saído da Arena, depois PDS, para o PMDB. Em 1982, Renan foi eleito deputado federal novamente com o voto progressista, sobretudo na capital e em aliança, agora declarada, com os comunistas do PCdoB.

Fez um belo primeiro mandato na Câmara, alinhado com a ala mais progressista da bancada, e tinha bom trânsito entre os chamados "moderados". Em 1986 foi reeleito para a Câmara Federal com outra boa votação. Havia trazido Collor (o deputado federal mais votado do Estado em 1978) do PDS para o PMDB, e foi o fiador da candidatura dele ao governo do Estado em 1986, vitoriosa contra Guilherme Palmeira (PFL). Por isso, de certa forma Renan tornou-se, dentro das forças de oposição às oligarquias arenistas de Alagoas, uma espécie de padrinho político daquele que se tornaria o "caçador de marajás". Foi um lance político arriscado, que lhe traria consequências.

Na Câmara dos Deputados, Renan continuou com atuação progressista. Foi um "constituinte nota 10" do Diap.

Em 1988, candidatou-se a prefeito da Maceió pelo PSDB,  veja só, uma breve passagem pela legenda tucana. Perdeu por pouco para Guilherme Palmeira, ex-governador e senador.

Em 1989, Collor é eleito presidente. Renan passa a fazer parte da entourage presidencial. Por conhecê-lo de bem perto, posso invocar vários testemunhos que podem confirmar que ali começavam a despontar duas coisas que forjaram o que Renan é hoje: 1) o preconceito da elite sul-sudeste contra nordestinos no poder, reforçado no caso de Collor porque a Corte era brega e provinciana, como de resto muitas Cortes pelo Brasil afora. Renan detecta esse preconceito de longe; 2) um diferencial que tem passado despercebido no caso de Renan: o desapego dele à pompa. Renan nunca se deslumbrou com as seduções do poder, seja quando estava próximo do centro de poder, seja desde que o exerce pessoalmente. É fácil constatar isso.

Veio 1990, Renan, crente que teria o apoio do presidente Collor (afinal, era o líder do governo na Câmara), se candidata a governador de Alagoas pelo PRN, para onde havia migrado seguindo o presidente. Mas Collor o trai e apoia Geraldo Bulhões, do PSC, que vence no segundo turno – foi a eleição mais "comprada" da história política de Alagoas. Viram-se cenas inéditas em Alagoas, até dólares circulando como moeda corrente na Feira do Passarinho, a mais popular de Maceió.

A campanha de Renan, que no primeiro turno esteve bem de finanças, ficou a pão e água no segundo turno quando Collor optou por Bulhões e deixou Renan na mão. Ele teve que pedir ajuda até pra pagar táxi, alugar estúdio etc. Participei diretamente desse episódio, ajudando a escrever a campanha de TV do segundo turno. Não havia dinheiro para pagar ninguém.  

Deu o esperado: Renan perdeu, ficou sem mandato, rompido com o governo federal e o estadual. Duro, liso, teso, teve que se virar. Vida que segue. Em 1992, quando estoura o escândalo PC Farias, Renan deu a célebre entrevista à Veja logo em seguida à entrevista-bomba de Pedro Collor, confirmando tudo. Dali até o impeachment a História registra.

O que não registra é que, desempregado e sem mandato, Renan se virou até com locação de carros para sobreviver. 

Foi salvo por Itamar Franco, que o nomeou vice-presidente-executivo da Petroquisa. O cargo, na prática, significa o de CEO da estatal, já que o presidente-executivo era o presidente da Petrobras, que cuidava de petróleo e gás.

Pois foi nesse cargo que Renan conduziu todo o processo de privatização da petroquímica brasileira. E nunca houve uma única denúncia de putaria nesse processo, que envolveu operações financeiras de grande monta. Detalhe: Renan, pessoalmente, era contra a privatização. Fez, a contragosto, porque era política de governo. E fez direito.

Em 1994, já de volta ao PMDB, candidatou-se pela primeira vez ao Senado (havia duas vagas em disputa), fazendo dobradinha com Teotonio Vilela Filho, do PSDB, que já era senador desde 1986.

Sua ascensão política no Senado, logo nos primeiros anos de mandato, é outro fato interessante. Em 1995, por exemplo, tornou-se presidente da Fundação Ulysses Guimarães. 

Em 1998 foi nomeado ministro da Justiça de FHC. E aí, Nassif, você pode (ou alguém deveria) buscar informações sobre o que ele fez como ministro e começar a traçar o perfil político de Renan que realmente está faltando. Pela primeira vez o Ministério da Justiça aventurou-se a cumprir um papel que é seu, o de ministério da cidadania, cuidando da defesa do consumidor e fazendo o novo Código de Trânsito. Pode-se dizer: ah, mas Iris Rezende também foi ministro da Justiça de FHC. Boa pergunta, que podia ser feita ao ex-presidente. Renan saiu por vontade própria em 1999.

Vale a pena, para quem fizer o perfil de Renan, dar uma lida na carta que ele escreveu a FHC – e que tornou pública – ao se demitir do ministério, em 19 de julho de 1999, relatando as pressões que enfrentou ao não aceitar grossas malfeitorias do governo tucano de São Paulo, comandado por Mário Covas, e as proezas de Mário Covas Neto, o Zuzinha, filho do governador. Está tudo no Google. Inclusive a omissão pusilânime do presidente da República.

Depois disso, Renan foi eleito quatro vezes presidente do Senado. Isso deve significar alguma coisa. Só José Sarney conseguiu ser presidente do Senado quatro vezes. Mas Sarney está na política desde os anos 50, foi governador e presidente da República. Renan não foi nada disso.

E então houve o caso Mônica Veloso em 2007. Um passo em falso na vida conjugal, explorado brutalmente, sem dó e com admirável hipocrisia pela mídia pátria. Uma filha fora do casamento, problema pessoal tratado como escândalo, enquanto na mesma época a mesma mídia, comovida e pressurosa, abafava o caso extraconjugal FHC-Mirian Dutra e o filho na Espanha não-reconhecido, um escândalo verdadeiro, que envolvia troca de favores, inclusive financeiros, entre a Rede Globo e um senador, depois chanceler, depois ministro da Fazenda e depois presidente da República. Um caso escabroso, conhecido de todas as redações e censurado urbi et orbi, com o detalhe de que Renan reconheceu e registrou a filha logo depois do resultado do DNA, e FHC... bem, o resto se sabe.

De 2007 para cá, o perfil de Renan é conhecido. Só posso acrescentar, para ajudar os curiosos, que Renan mantém até hoje, quando está em Alagoas, o gosto de conversar com velhos parceiros de luta nas esquerdas, gosta de ouvir a opinião deles sobre as coisas. E algumas escolhas que faz levam a concluir que essas opinião lhe são caras. A amizade com Aldo Rebelo, por exemplo, é sincera, vem lá de trás, da universidade, e ambos são de cidades próximas, Renan de Murici e Aldo de Viçosa.

Renan gosta de ler biografias. Um sintoma importante de que se preocupa com a sua própria. Leu a de Getúlio, de Lira Neto, e volta a ela de vez em quando. Só não anda arrotando frases e aforismos dos outros, decorados para brilhar em rodas de ignorantes.

No mais, resta o estigma que lançaram sobre Renan.

Quando pessoas de raciocínio normal querem saber e provar que alguém é corrupto e roubou, a pista certa é "siga o dinheiro", follow the money, é a lição antiga, talvez a única.

Pois bem, acusam Renan com o dedo apontado sem tremer, sem hesitação.

Mas onde está o dinheiro? Ninguém segue, ninguém sabe ou ninguém viu? Se acharam tanta coisa de outros e outras, seja aqui mesmo no Brasil ou na Suíça, em Cayman, nas Ilhas Virgens e em Lichtenstein, será que esses farejadores de dinheiro já não teriam encontrado “a fortuna do Renan”, se ela de fato houvesse?

Andre Araujo

- 2016-05-26 01:12:54

Mas queriam o que? Foram

Mas queriam o que? Foram atacadas sem quartel com comissões da verdade, anistia a 27 mil, alguns perseguidos entre um whisky e outro em Ipanema e  levantando atrasados de R$2 milhões (Cony) ou mesadas generosas (Ziraldo), superiores ao soldo de um general, enxovalhadas diariamente , reservas do tamanho de um Pais para meia duzia de indios contra a FRONTAL oposição do Exercito (reserva Raposa do Sol e discurso do General Heleno mostrando a aberração dessa reserva), queriam simpatia na hora de crise?

arkx

- 2016-05-26 00:41:25

NSA? o que é isto?

“Renan, eu fui do PSDB 10 anos, Renan. Não sobra ninguém, Renan.”

Sérgio Machado, em conversa grampeada com Renan Calheiros

a Lava Jato é uma operação formulada de fora e comandada de fora. inscreve-se no âmbito do reposicionamento da geopolítica dos EUA, como o Estado gestor dos interesses das mega corporações transnacionais.

esclareça-se aqui o papel dos EUA não mais enquanto país, mas meramente como o detentor dos aparelhos de Estado colocados a serviço de uma hegemonia mundial, principalmente o poder militar e os meios de controle e vigilância. os EUA hoje são o modelo do pós estado global: a polícia do mundo, para garantir a segurança de um ambiente de negócios definido pelos acordos supra nacionais.

no Brasil, a Lava Jato tem como objetivo principal a completa incorporação do Brasil a este projeto, colocando amplamente os recursos do país a serviço da Tirania Financeira globalizada. destruição da economia nacional através do austericídio, espoliação brutal da renda do trabalho, apropriação selvagem dos recursos naturais. inclua-se também os recursos biológicos, levando-se em conta o país ser uma grande origem do tráfico de órgão.

em sua estratégia, a Lava Jato prevê a demolição da institucionalidade existente. dado o comprometimento geral do sistema de poder, as investigações reuniram um enorme volume de provas contra tudo e contra todos. com seus grampos e delações premiadas fizeram reféns todas as instituições.

hoje, quem comanda e controla a Lava Jato, comanda e controla o Brasil. todos os demais são apenas marionetes absolutamente descartáveis, mas convenientemente iludidas de algum protagonismo.

.

Batata

- 2016-05-25 23:22:35

Promoção do comentário

Dandara e Nassif,

acho que esse comentário devia ser promovido a artigo, para que possamos debatê-lo fora do confinamento desta lista de comentários, criando a possibilidade de um aprofundamento na compreensão de nossa fluida conjuntura.

Um bela análise, desdobrando a que você Nassif preambulou de maneira aguda.

Assis Ribeiro

- 2016-05-25 23:18:05

Renan também é golpista
Sarney - Nem Michel eles queriam, eles querem, a oposição. Aceitam o parlamentarismo. Nem Michel eles queriam. Depois de uma conversa do Renan muito longa com eles, eles admitiram, diante de certas condições. http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/234459/Sarney-sobre-o-PSDB-eles-sabem-que-não-vão-se-safar.htm

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2016-05-25 22:28:01

Aviso aos cismarentos

A política profissional não é exercída em um convento Carmelita.

Soluções para as enrascadas que o Brasil está metido até o pescoço passam necessariamente por acertos e acomodações.

Pensar diferentemente disto é querer o MAL do Brasil e não o seu BEM, pensar que com terra arrazada em Brasília, com todos os atuais representantes  e funcionários públicos afastados salva o País e a população é não entender nada de como se faz política no planeta.

Sem um pacto factivel que restaure a moralidade e a ética não será possível governar e sem governo resta o caos, a Lei do Cão.

Como melhor entabular este acordo para que o dinheiro do povo passe a ser RESPEITADO como merece é o busílis da perlenga. 

Minha opinião é conhecida, eu humildemente sugiro que se use Astrologia, Tarot e Geometria para se conseguir isto, arte e técnica, como tudo que funciona no mundo, além de estar testado há milenios na Terra.

O Renam não precisa ser santo para liderar, basta ter autoridade e compromisso com o Brasil e sua população, coisa que ele demonstra, tenho um amigo que o preza muito. jornalista velho de guerra, que raramente erra uma perfilação.

Acompanho o Nassif nesta aqui.

 

André Lameira

- 2016-05-25 21:51:25

E o pior é que, por conta da

E o pior é que, por conta da arquitetura eleitoral que nós temos no Brasil, a maioria dos deputados nem sequer foi eleita, mas sim beneficiada por figuras como o Tiririca.

Frank

- 2016-05-25 21:34:04

SÓ SEI QUE...

Só sei de algumas coisas:

- doravante, a língua mais importante, a língua oficial desta república, pelo menos em Brasília, não será o inglês, tampouco o português, será a língua dos sinais. Professores de linguagem de sinais, ramo promissor no Brasil em meio à crise.

- Romero Jucá deverá lançar em breve seu próprio dicionário, ensinando que as palavras não têm o sentido que têm, têm o sentido do Jucanês!

 

 

 

Serjão

- 2016-05-25 20:39:48

Pirraça

Os juízes fazendo pirraça porque a Dilma vetou o aumento desses oligarcas intocáveis que se consideram a nata. Vão tomar vergonha na cara. 

Sem globo não há Golpe. A globo é o Golpe. Ou globo, ou o BRASIL. Simples assim!

Rpv

- 2016-05-25 19:44:58

E por falar em grampos,

E por falar em grampos, delações, traições, etc. Acho engraçado que há grampo na Presidência, no Lula, etc, etc. 

Mas nunca há grampo em algum cacique do PSDB. 

Seria muito engraçado ver o Gilmar Mendes vociferando a favor da privacidade dos cidadãos, contra o estado policial, a grampolândia, etc.

Na verdade, nós brasileiros somos todos uns palhaços vivendo num grande circo.

Marcelo33

- 2016-05-25 19:40:49

Para Cunha, Temer, Jucá,

Para Cunha, Temer, Jucá, Aécio, Serra e FHC, evidente que sim. Só que na melhor das hipóteses, Janot e os procuradores sentiram o gosto do poder e gostaram. Não parecem dispostos a abrir mão de ter o governo e boa parte da classe política refém de seus caprichos. Pode até ser que o novo governo ganhe a queda de braço com o MPF, mas eles não vão abrir mão fácil do poder...

De qualquer forma, acho que Janot e o MPF são comandados diretamente do estrangeiro, sem intermediários. Se houver divergência de interesses entre PMDB/PSDB e estrangeiros (ex: interessar ao PMDB/PSDB acordos de leniência para reaquecer a economia, e ao estrangeiro que essas empresas quebrem, o interesse estrangeiro virá em primeiro lugar.)

marciaeloy

- 2016-05-25 19:30:17

O Estadista

Eu duvido que a Lava Jato parta para cima do PMDB e do PSDB. Sua missão está cumprida. pegar os líderes do PT desgastar a economia para enfraquecer o governo E se possível tentar prender Lula E Dilma. Já tentaram com o Lula , a repercussão internacional  não foi boa, com Dilma depois da revelação dos grampos do Jucá, não tem o que alegar contra ela.Logo, o fim dela está próximo.

Walter Serralheiro.'.

- 2016-05-25 19:29:12

O Congressos dos Delinquentes

O Congresso Nacional Brasileiro, possui 130 deputados e 24 senadores que respondem a inquéritos ou ações penais no Supremo Tribunal Federal (STF) por toda sorte de crimes, incluindo até homicídio.

Com foro privilegiado, estes bandidos, meliantes, fora da lei, para não nominá-los com jargões impublicáveis aqui, fazem acordos, associam-se ao crime, montam quadrilha, conspiram contra a Republica.

Cometem crime de lesa-pátria, calúnia difamação, improbidade, e mais um ról de outros delitos previstos em lei e permanecem, impúnes

Hoje temos um governo ilegítimo, fruto de um golpe, documentado pelas declarações expontâneas de seus articuladores em conversas telefônicas.

Estes golpistas declaram, nas assumidas conversas disponibilizadas nas redes sociais para quem quiser escutá-las, que estão em conluio com ministros dos STF e generais do exército brasileiro.

Estas duas instituições, a primeira como pretensa Defensora da Lei e a segunda com a daÓrdem Institucional, calam-se diantes destes fatos.

Permitem com isto, que as bravatas contidas nas declarações dos criminosos envolvidos possam ser considerasas verdadeiras.

Expôem o Exército Brasileiro e o Supremo Tribunal Federal como partícipes do golpe parlamentar ora em curso.
===
O Brasil é um país corrupto, independentemente do governo que o dirige. Seja o democraticamente eleito ou o usurpado pelos congressistas criminosos.

Uma reação popular, se convocada pelas redes sociais para por um basta e este descalabro, pode ser considerada pelas “autoridades”, manconumadas com o crime organizado deste congresso de delinquentes, uma incitação à violência.

Como o cidadão não tem foro priviliegiado, fica a mercê desta corja.

A desobediência civil, sem violência pode ser a saída.

Como última instância, eu estou propenso a renunciar a cidadania brasileira já que também sou cidadão europeu e ir embora deste país.

jose antonio santosj

- 2016-05-25 19:27:41

perfeita analise

Perfeita analise, nada mais tenho a acrescentar!

Morvan

- 2016-05-25 19:12:38

Minha Não-Decepção Com o Golpe

Gilson As (qua, 25/05/2016 - 11:57):

"De toda a trama desse golpe a que mais me decepcionou foi as FAs...".

Gilson As, eu não me decepcionei. Pelo contrário, penso que demorou para eles mostrarem sua sabujisse atávica. Um amigo que sempre me manda alguns torpedos midiáticos estava eufórico com a fala do Gen. Villas Boas. Disse-lhe, e reitero, que ele estava tratando o específico como regra. Militares são treinados para o golpe, faz tempo. E nem precisa cantarolar Vandré...

naldo

- 2016-05-25 18:48:48

Não tem santo nessa história

Não tem santo nessa história nem renan nem sarney nem ninguem todas rapozas velhas que muito fazem mal ao país e legaram um estado de miséria ao povo e pior me fazem esquecer de por as virgulas nos meus textos.

João de Paiva

- 2016-05-25 18:46:14

A águia vê mais longe

Caro Luís Nassif,

 

Tua percepção e visão aguçadas têm brindado os leitores com análises inteligentes e não convencionais não só da Política, como da Economia e mesmo da Sociologia. 

Eram 6h da manhã quando n'O Cafezinho eu li a segunda 'reportagem-bomba' da FSP. A impressão que tive foi muito semelhante à tua. A colegas eu disse que o grampo com Renan Calheiros não tinha quase nada de escandoloso, se comparado ao que foi feito com Romero Jucá. Jamais fui simpatizante ou compactuei com a atuação política de Renan Calheiros, que é acusado de muita coisa. Mas o que o senador diz sobre a inconstitucional (o PIG sabe disso, mas jamais denunciou ou comentou isso) lei da delação premiada é mais do que razoável.

Renan está comprometido e metido noutras acusações e denúncias. Mas se o alto comando nacional do golpe (o PGR e o STF ), além dos operacionais  MPF, PF e o PIG pretendiam obter o 'santo graal', para degolar Renan, o tiro parece ter sido de festim.

O PIG fará muito barulho e fumaça,  com a divulgação dese grampo. Mas o tiro de festim pode sair pela culatra e frustrar o alto comando. A ver.

Maria Luisa

- 2016-05-25 18:27:50

Que Pais é esse...

Resumindo: O MPF e a PGR têm toda a Republica nas mãos. Esta ai a encalacrada de Renan Calheiros bem visivel E mais: O "republicano" Janot deve ter nas mãos informações muito preciosas sobre ministros do STF. Talvez isto explique melhor uodo o que assistimos nos ultimos tempos.

E quanto a Lewandowski não evitar de conversar com Dilma sobre os rumos do Pais. Demonstra mais uma vez que o STF inteiro queria e precisava de sua queda.

Bobo

- 2016-05-25 18:07:38

Esta claro que Renan passou

Esta claro que Renan passou para o golpe por pressão da midia e do PGR Janot de apear ele do cargo de presidente do senado caso não seguisse os planos golpistas.

GalileoGalilei

- 2016-05-25 18:01:07

Globogolpismo - o neologismo que se mostra verdadeiro

Tendo aprendido com a direita a criar neologismos para desqualificar a esquerda, inventei o meu. O globogolpismo.

Ao contrário daqueles inventados pela direita, que não possuem consistência alguma, este se mostrar mais verdadeiro do que nunca. Além de possuir uma longa tradição: de pai para filhos desde a metade do século passado. No mínimo.

 

ricardoaraxa

- 2016-05-25 17:23:24

Falou tudo!!!

Falou tudo!!!

Edna Baker

- 2016-05-25 17:22:07

Concordo plenamente. Parabéns

Concordo plenamente. Parabéns pelo desabafo.

Eliane Ribeiro

- 2016-05-25 17:20:19

Quem entende de Direito,é

Quem entende de Direito,é impressão minha ou o grampo do Renan,anulou a delação do Delcidio,contra a Dilma?

Pelo que o Renan externou,ela não tentou fazer acordo nenhum,para paralisar a lava ajato.Alías,quem fez acordos para salvar ladrões foi o STF!

jose adailton v ribeiro

- 2016-05-25 16:40:31

Otavinho

"Renan diz que Frias reconheceu "exageros" na cobertura da Lava Jato "

Dandara

- 2016-05-25 16:33:21

Miguel do Rosário matou a charada

Novo áudio da Lava Jato atinge Renan Calheiros. Mas… cuidado!

25 de maio de 2016 Miguel do Rosário

 

 

A divulgação de outra conversa de Sergio Machado, dessa vez com Renan Calheiros, levanta ainda mais suspeitas, para este blogueiro, de que se trata de mais uma estratégia do golpe.

Seus aspectos contraditórios, a saber, enfraquecer o novo governo e desvelar os bastidores do próprio golpe, são um risco calculado, mas necessário para consolidar a hegemonia dos meganhas da Procuradoria Geral da República e da mídia, que são os verdadeiros chefes de toda essa onda de violência que atingiu nossa democracia.

A análise da nova conversa entre Machado e Renan prova que o foco de instabilidade vinha mesmo da Lava Jato. A maneira como a operação foi conduzida empurrou - num movimento cirurgicamente calculado - a classe política para o golpe.

O título da matéria na Folha denuncia o motivo pelo qual a PGR liberou esses áudios somente agora: é para evitar que, dentre outras coisas, o novo governo mude a lei de delação premiada, a qual, como funciona hoje, confere aos meganhas da lei um poder descomunal para manipular processos judiciais, chantagear testemunhas e réus, e, por fim, consolidar narrativas de acusação pré-determinadas.

Renan tem razão quando fala que a lei de delação premiada precisa ser mudada: não se pode usar a prisão como instrumento de tortura; apenas se deveria aceitar delação premiada (uma instituição que, aliás, é inconstitucional, mas isso é outra discussão) de quem já estivesse em liberdade.

Tanto o áudio liberado hoje como o anterior, na conversa com Jucá, revelam ainda que a imprensa tinha papel fundamental na criação da atmosfera opressiva que levou ao golpe. Os políticos perceberam o jogo: estavam sendo coagidos a derrubar o governo como única maneira de se salvarem, como aliás já está acontecendo.

No pós-golpe, Aécio Neves tem sido sistematicamente blindado pelo STF. Antes do golpe, Aécio seria um dos primeiros a serem "comidos".

E o STF agora entregou a Lava Jato nas hábeis mãos de Gilmar Mendes, o que naturalmente faz parte do "grande acordo nacional" para salvar os políticos: e Mendes já declarou que não viu nada demais nos áudios de Machado.

Sob controle de Gilmar Mendes, a Lava Jato não será abafada ou interrompida, como denuncia, com inacreditável ingenuidade, políticos governistas, mas sim devidamente instrumentalizada para atingir somente o PT, cortando a cabeça de Lula e eliminando os riscos da esquerda voltar ao poder em 2018.

Gilmar, chefe do golpe, emerge hoje como a figura mais poderosa do país: assumiu a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), onde já vem manobrando há tempos para criminalizar a campanha de Dilma Rousseff, e só a dela (não fala na campanha do PSDB); e agora tem o controle sobre a Lava Jato. Além do apoio irrestrito da Globo, claro.

O golpe é essencialmente midiático e judicial, e produziu um clima calculado de terror para forçar os políticos - sobretudo os corruptos, que são os mais apavorados, por razões óbvias - a assumirem uma ação desesperada, uma ação que viola a democracia, mas que era necessária para impor uma agenda neoliberal que, concluíram as elites predadoras, não seria possível estabelecer pelo voto.

Foi a mídia - representante maior dessas elites - que deu as cartas e operou tudo, em conluio com a PGR, porque o impeachment jamais foi pintado como ele verdadeiramente era, uma ação desesperada de políticos com medo da prisão, e sim como uma consequência natural, necessária, da vontade "popular", expressa em grandes manifestações contra a corrupção.

O impeachment foi realmente um golpe mesmo, porque nunca teve nada a ver com o crime de responsabilidade da presidenta.

Dilma emerge desse lamaçal mais pura do que nunca. Ela é, de fato, quase uma vestal em meio a punhado de raposas velhas da política.

Mas não podemos embarcar na filosofia coxinha que a mídia maquiavélica quer nos empurrar: o golpe veio da manipulação da Lava Jato, ou seja, uma operação orquestrada entre PGR e Globo, e até hoje continua assim.

Todos esses vazamentos, prisões, delações, operações espetaculares, seguiram uma agenda política cuidadosamente planejada para produzir o efeito político desejado.

Na conversa entre Renan e Machado, fala-se ainda numa conversa de Dilma com João Roberto Marinho. Mais uma vez, revela-se a desastrosa ingenuidade de Dilma Rousseff, que jamais percebeu a extensão e profundidade do mal que emana da Globo.

Numa entrevista com blogueiros, concedida pela presidenta dois dias depois do golpe do dia 17 de abril, eu perguntei a ela sobre a ameaça da mídia à democracia: ela começou respondendo bem, que a concentração era um mal, mas logo desviou-se do assunto, com evasivas sobre a impossibilidade de se votar uma lei de mídia com essa Câmara e dizendo que não podíamos "demonizar".

Ora, não se trata de demonizar ninguém. No mundo real não existem santos nem demônios, e sim interesses, leis e luta política. Não podendo fazer uma lei democrática, que protegesse os cidadãos da violência midiática, agora expressa em sua forma mais brutal, um golpe de Estado, que ao menos usasse democraticamente a sua posição como presidenta para esclarecer aos cidadãos, para fazer política, para usar o verbo, para denunciar as articulações golpistas da mídia!

É preciso acreditar no poder da palavra, Dilma! A palavra transforma!

Dilma nunca denunciou o papel golpista da mídia brasileira, e enquanto não o fizer, não conseguirá jamais fazer os cidadãos entenderem o que se passa em seu próprio país. A presidenta tinha que ter feito isso da tribuna da ONU, para denunciar ao mundo o golpe midiático-judicial que estamos sofrendo.

Setores crescentes da população entenderam isso, quase intuitivamente, tanto é que, em todas as manifestações, as faixas contra o golpe explicitam a participação da Globo nessa trama macabra.

Para vencer o golpe, Dilma precisa denunciar os bastidores da trama, mas sem esconder seus atores principais: a PGR, Gilmar Dantas e a Globo.

A Folha de São Paulo, um braço subgolpista da Globo, tem desenvoltura para assumir, de vez em quando, posições ambíguas, mas sua função, por isso mesmo, é essencial para o golpe, porque o golpe não pode parecer golpe, e para isso é preciso manter uma aparência de democracia na cobertura política dos eventos.

Há algumas contradições entre os agentes do golpe, criadas pela onda crescente de protestos e manifestações. A Globo, mais autoritária, consegue evitar fissuras em sua estrutura. A Folha, nem sempre.

Folha e Globo, de qualquer forma, articulam duplamente: de um lado, com meganhas do judiciário, de um lado (através de vazamentos que mostram ao governo Temer quem manda); de outro, com o próprio Temer, para que este reprima os blogs, de forma a manter a hegemonia e o monopólio da informação em mãos da mesma oligarquia que deu o golpe e produziu toda a crise que vivemos hoje.

 

Aliosio Sergio Barroso

- 2016-05-25 16:30:48

artigo de Nassif

Boa, Nassif. Como alagoano e conhecedor dois, desde o movimento estudantil, afirmo que sua intrepretação é a mais lúcida da "praça". A propósito, alguém das letras deveria, agora mesmo, tentar novelizar esse verdadeiro espetáculo de traições (e grampos) a enlamear a República. Chegamos a isso - um Congresso majoritariamente apodrecido - como contraponto vergonhoso aos 12 anos de um esboço de Projeto Nacional de Desenvolvimento, truncado e mal dirigido, é fato, e sob o tacão neoliberal que sequestra a capacidade do subdesenvolvimento operar a sua própria politica econômica.

Juliano Santos

- 2016-05-25 16:29:17

Isso ou ele esperto como

Isso ou ele esperto como nunca, desconfiou do grampo

jose adailton v ribeiro

- 2016-05-25 16:23:54

Escaler plim-plim

"RENAN - Eu marquei para segunda-feira uma conversa inicial com [inaudível] para marcar... Ela me disse que a conversa dela com João Roberto [Marinho] foi desastrosa. Ele disse para ela... Ela reclamou. Ele disse para ela que não tinha como influir. Ela disse que tinha como influir, porque ele influiu em situações semelhantes, o que é verdade. E ele disse que está acontecendo um efeito manada no Brasil contra o governo."

joel lima

- 2016-05-25 16:21:51

Um país em que Renan

Um país em que Renan Calheiros torna-se um estadista quando comparado aos outros que estão na ativa mostra que a nossa elite política [ e  não só a política ] é de um nível baixíssimo. É como constatar que o melhor jogador hoje de Andorra é o Zézinho[rs]. E aí você chora quando compara com o melhor jogador da Argentina hoje, o Messi [rs]. Bem, o que temo que isso é o máximo que temos [rs].

Sarney é um personagem incrível = um homem da elite política e intelectual [não estou entrando na qualidade de sua literatura], de bons modos, leitor dos clássicos da literatura - mas que tornou em 50 anos o Maranhão a nossa Coréia do Norte dos trópicos = pobre e com o maior monopólio de informação, afinal quase todos os meios de comunicação pertencem à família Sarney.  E falo isso porque meu pai nasceu lá e veio há quase meio século pra são paulo. E metade da família dele ficou lá.

j.marcelo

- 2016-05-25 15:59:59

Em Birminghan nos EUA a

Em Birminghan nos EUA a repressão violenta da polícia em cima dos manifestantes que eram

contra a segregação racial causou REPERCURSSÃO MUITO NEGATIVA MUNDIALMENTE e com isso

pressionou o governo dos EUA a aprovar MUDANÇAS,essa é a nossa OPORTUNIDADE de no Brasil

aproveitar os "olhos do mundo" e expor as MAZELAS DO JUDICIÁRIO q é muito tendencioso e

interfere em questões políticas PREJUDICANDO A DEMOCRACIA,como pode eles terem essas gravações

do Jucá desde Março e NADA FAZEREM ,é um ABSURDO!Povo na rua já e com LULA à frente(ele q não

pense que não irá ser preso e PEÇO A LULA PARA Ñ FAZER MAIS JOGO DUPLO NO BRASIL)pronto disse!!

veranis

- 2016-05-25 15:56:58

Como  fazer isto se a maioria

Como  fazer isto se a maioria das pessoas nem sabe o que está contecendo? Se o JN não explicar direitinho e convocar o povo tolo que se senta na frente da tv todas as noites, essa grande massa não se mexe. E é óbvio que eles não farão isto. A única chance  de reação será quando realmente não houver  empregos, uma inflação altíssima e o fim de alguns poucos privilégios conseguido nos últimos anos. Isto vai demorar, então por ora seremos só nós esbravejando e sendo ignorados por todo mundo.

veranis

- 2016-05-25 15:46:37

Na verdade esse é o grande

Na verdade esse é o grande valor e a grande desgraça de Dilma. Valor porque a decência e honradez de uma mulher valorosa como ela NÃO TEM PREÇO. Desgraça, porque não se encaixa no modelo de picaretagem, canalhice, que grassa neste país, de congresso a supremo, passando por todos os escalões de maladragem, inclusive os incorruptíveis milicos, e por isto deve ser despejada do poder, para que todos possam roubar e espoliar o país à vontade. Que desgraça meu Deus do céu!  No espiritismo se diz que o escândalo é necessário (para que a verdade possa vir à luz, comentário meu), mas ai de quem provocar o escândalo. Como nesta doutrina, os pagamentos podem levar séculos, gerações, talvez não vejamos nesta encarnação nenhuma mudança. Mas quem sabe num futuro qualquer. Infelizmente estou muito cansada e descrente para acreditar e esperar. Prefiro aquela parte de outra doutrina que diz "olho por olho, dente por dente". Aguardo ansiosa!

Gilson AS

- 2016-05-25 15:21:29

O Nassif de vez em quando

O Nassif de vez em quando gosta de sacanear com um tom irônico.

Estadista porque está preocupado com a história.

Hitler e Mussolini foram dois grandes estadistas, também preocupados com a história.

Não consigo enxergar virtude nenhuma no Renan, muito pelo contrário, é golpista de alta plumagem.

Quando o Maranhão cancelou o impeachment na câmara, o senador ficou irado, revoltado, falou um monte de besteira do presidente da câmara e continuou com o impeachment no senado.

Se fosse estadista esperaria nova decisão da câmara.

O Nassif para desopilar o clima pesado em que vivemos, gosta de fazer umas pegadinhas. Essa hora ele deve está rindo vendo os comentários raivosos contra o estadista Renan

altamiro souza

- 2016-05-25 15:16:31

coroné é coroné....

coroné

é

coroné....

Acusador Intolerante

- 2016-05-25 15:14:47

uma pergunta interessante

como os atuais parlamentares chegaram ao poder?? acho que o problema maior é o bando de ameba que vai pra urna e ñ sabe nem o que é um vereador...

Orlando Soares Varêda

- 2016-05-25 15:14:40

 Dandara, concordo com suas

 Dandara, concordo com suas palavras. Na verdade, os maiores responsáveis pela bandalheira que essa elite de merda mais uma vez tenta atirar o país. Os bandidos que elegemos com nossos votos, tem mandatos de poucos anos, e, os retiramos quando bem entender. Mas essa corja de concurceiros moralistas de merda e a velharia reacionária do stf , para nos defender desses, nada do ponto de vista legal, que possamos fazer pra nos livrar desses sujeitos que só pensam em aumentos de salários e de descaradas mordomias.

Observem com o último grampo, gravação telefônica, ou o diabo que seja, quando mais uma vez se atinge essa fístula. E, lá vem novo vazamento da purulência dessa cargaça, quase carniça, em que nosso homens brancos finos e bacaninhas de merda querem transformar o Brasil. Canalhas!

Orlando

[email protected]

- 2016-05-25 15:08:58

Construíndo...

Parabéns, exceção nesse tempo, é um golaço a compreensão, respeito e elegância, a resposta. 

José Carlos Lima...

- 2016-05-25 15:05:28

Inamdmissível que um

Inamdmissível que um Congresso dominado por traficantes, assassinos, ladrões e ladras governe este pais que é uma das maiores economias do planeta

bfcosta

- 2016-05-25 15:00:54

A quem o MPF presta contas,

A quem o MPF presta contas, essa é a grande pergunta ?

Gilson AS

- 2016-05-25 14:57:12

Minha maior decepção com o golpe

De toda a trama desse golpe a que mais me decepcionou foi as FAs.

Como podem se alinharem aos golpistas, e pior, se alinharam aos informantes dos americanos contra os interesses nacionais.

Enquanto tivermos um judiciário e uma FAs como essa, seremos apenas uma republiqueta com uma grande extensão de terra,  com uma população 202 milhões de habitantes desrespeitada no mundo todo.

Vergonha ! Vergonha ! Vergonha !

Pedro Augusto

- 2016-05-25 14:55:08

Na Escolinha do Professor

Na Escolinha do Professor Temer

 Virando a página com mesóclise e batida de mesa

http://mundovelhomundonovo.blogspot.com.br/2016/05/na-escolinha-do-professor-temer.html

 

 

 

Ana Torres

- 2016-05-25 14:49:23

É um retrocesso total. Mas

É um retrocesso total. Mas  talvez seja mesmo Dilma a razão da letargia. Porque enquanto ela estiver só afastada, como começar um movimento pela democracia, pelos 54  mi de votis excluindo Dilma ? Não dá, ela é a dona dos votos. No entanto, a msioria reconhece que com ela não dá. A crise está muito forte, o bolso está gritando, os desempregadis vêm uma chance.  Penso que depois das eleições municipais é que eles vão acelerar tudo, cortar tudo, privatizar, aumentar impostos. Sté lá o processo de Dilma está terminado. Aí pode ser que o pite teansborde.

Doney

- 2016-05-25 14:40:01

O corrupto bom e o mau

A diferença é que entre Renan e Cunha, o primeiro é corrupto "bonzinho", só quer roubar em paz, não quer aporrinhação. O segundo, além de roubar, quer conspirar, se intrometer, tocar fogo, impor uma agenda conservadora com graves consequências ao povo brasileiro...

Mas os dois são corruptos.

Ignorar que construtora pagava salário de amante do Renan, ou que ele se tornou um fazendeiro milionário... não dá...

Renato Lazzari

- 2016-05-25 14:27:58

De qualquer forma Renan

De qualquer forma Renan parece ser adepto, tanto quanto Sarney, de uma forma de fazer política muito antiga e que não leva nenhum país à prosperidade e à transparência. São formas exclusivas - e não inclusivas - de exercer o poder político. Haddad é a prova de que é possível, sim, uma outra forma de trabalhar.

Pedro Lemus

- 2016-05-25 14:21:40

Falou tudo

Quem manda nessa republiqueta bananeira é a imudice do MPF.

Eles decidem que pode e quem não pode governa. Quem deve ser investigado e quem não deve. Eles decidem quais politicas economicas, publicas e externa podem ser adotadas.

Se for privataria entreguista pode, se for nacional desenvolvimentismo não pode. Se for inclusão de renda e geração de emprego não pode, fome miséria e desemprego pode. Se for altivez e soberania na política externa não pode, se for submissão e colonização pode. 

Paizeco ridículo esse, dá vontade pegar meu moleque e embora desse m...

mcn

- 2016-05-25 14:19:26

Nenhum pio

Creio que não me expressei adequadamente.

Não há nenhuma menção nesta e na outra gravação que desmereça a Dilma. Nenhum crime que tenha cometido. Nenhuma falcatrua. Nenhuma roubalheira. Nenhuma conta na Suíça ou em Lichtenstein ou em Jersey. Nenhum achaque. Nenhum pedido de propina. Nenhum pacto por baixo dos panos.

No fundo, Renam elogia Dilma. Na outra fita, Jucá a critica por não ter cedido ao esquemão do Golpe.

Considerando ainda que essa bagaça passou pela edição da Folha, seria um golaço para a Democracia brasileira, se estivéssemos numa democracia.
 

Rogério Falco

- 2016-05-25 14:18:04

Renan é um camaleão, mas não bate na plutocracia

Na atual conjuntura impossível saber qual é a de Renan. Apesar de sua maior discrição no processo do impedimento da DIlma, a impressão que dá é que ele sempre espera até a última hora para escolher em que lado vai ficar. No fundo, na minha opinião, Renan só pensa em se safar.

Rchiavennato

- 2016-05-25 14:07:56

Concordo

em parte. Mas, você esqueceu da "terceirização" da ex-amante do Renan... Lembra? Terceiros pagavam a moça pensáo alimentícia (filha fora do casamento) em dinheiro vivo. E ele era, como hoje, presidente do Senado e do Congresso. Que respeito à liturgia do cargo....

Enfim, fica aqui meu pedido de reflexão: precisamos de renovação/reforma política, com políticos sérios do naipe de um Fernando Hadad, Reguffe, o meu saudoso Saturnino Braga (tá vivo!!!), Chico Alencar, Heloisa Helena.

 

 

Maluco Beleza

- 2016-05-25 14:05:43

Jucaí foi o BOI de PIRANHA...
Então pessoal, mas e se esse "vazamento" é apenas parte da Chantagem dos Verdadeiros CEOS da Quadrilha...os Gângsteres do PIG/STF gilmar Mérdis...pra controlar ainda mais os gângsteres "menores"??? Por quê o fato é que houve uma defesa surreal do Jucaí feita pelo gilmar Merdís praticamente inocentando e dando um Habeas corpus preventivo pro Jucaí...Talvez o BOI de PIRANHA que o Jucaí se referiu na gravação ser necessário (Acredito que ele tinha na mente fosse o Cúnha) no final das contas se tornou ele próprio o BOI de PIRANHA, com o mando e a " Bênção " do próprio Cúnha... Ou seja agora com esse Boi de Piranha e talvez mais um ou dois outros (Henrique Alves e...) eles estejam pensando que poderão seguir com as falsas e seletivas investigações, focando única e exclusivamente o PT e seus líderes, principalmente o Lula... Não sei não, mas cair no colo do Membro Permanente dos PIG's e ainda vazar sem cerimônia??? Me parece parte de uma estratégia...não acho que foi vazado por honestidade jornalística da foia... Tem tramóia nisso... Logicamente que se a esquerda conseguir extrair o máximo de "força" dessa junta Judicial/Executiva/Legislativa Golpista...será muito bem vindo... Mas é preciso refletir mais profundamente sobre o assunto e analisar outras possibilidades além da "sorte"/"destino" /"providência" etc...

MarFig

- 2016-05-25 14:02:27

E se a conversa foi

E se a conversa foi combinada?

Sérgio Rodrigues

- 2016-05-25 14:01:40

Ás ruas!...

Cadeia para os golpistas, todos!...

vera lucia venturini

- 2016-05-25 13:56:54

Liturgia do cargo é uma

Liturgia do cargo é uma coisa. Pagar conta é outra. E tem os políticos e juizes do Supremo que não respeitam a liturgia do cargo e muito menos pagam as contas e ainda se julgam e são apontados pela imprensa como supra sumo da honestidade. Inclusive a conta das amantes, como é o caso do FHC, que terceirizou a Miriam Dutra e o filho para a Globo. 

Dandara

- 2016-05-25 13:50:24

Eu acuso!

Eu acuso! novo

Eu acuso o conluio máfio-jurídico-midiático envolvendo: FORÇA-TAREFA DA OPERAÇÃO LAVA-JATO, PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA, REDE GLOBO, GILMAR MENDES E SEUS ASSECLAS DE TOGA, de destruir a democracia em meu país; arrasar a economia; demolir os horizontes de futuro de várias gerações; promover o caos; devolver os muito pobres à miséria, à fome, à doença e ao desespero; entregar o Brasil à sanha dos abutres internacionais; promover uma distopia na qual só máfias e narcotráfico poderão prosperar; retroagir os costumes -nacionais à Idade das Trevas!

Auto-investidos com mandato divino para “limpar o país da corrupção”, déspotas pretensamente esclarecidos, INQUISIDORES MALDITOS, patifes autoritários, torturadores “light”, VENDIDOS! VASSALOS DO IMPERIALISMO NORTE AMERICANO, devidamente lobotomizados em HARVARD E ADJACÊNCIAS; agentes infiltrados dos interesses estrangeiros, que racionalizam sua ignomínia com ideais de pureza e santidade. 

Quem pensam que são, TORQUEMADAS TUPINIQUINS, para ocupar o lugar de tutores morais do País?  Acuso-os de promoverem uma cruzada moralista policialesca travestida em processo jurídico legal com a finalidade de MANIPULAR O JOGO POLÍTICO IMPONDO SUAS PRÓPRIAS ESCOLHAS à Nação. Escolhas partidárias (investidas no Partido da Supremacia Branca do Sul-Sudeste, o PSDB); escolhas sociais (neo-escravismo, sujeição de trabalhadores, negros, mulheres, etc. a uma Ordem Hierárquica Segregadora e Excludente); escolhas morais (repressão a todo tipo de “desvio” da norma hetero-cristã-patriarcal-fascistóide). 

Acuso-os de PERVERSÃO, CINISMO, CANALHICE E IMPOSTURA.

A HISTÓRIA SERÁ IMPLACÁVEL AO JULGÁ-LOS. SUA INFÂMIA RECAIRÁ SOBRE PELO MENOS AS PRÓXIMAS TRÊS GERAÇÕES DE SUA DESCENDÊNCIA, como sói acontecer com FASCISTAS, TORTURADORES E ESCROQUES DE GROSSO CALIBRE.  

Espero que os jovens, os deserdados, os ainda capazes de lucidez, solidariedade e compaixão, os indignados com a ignomínia e com as trevas, tomem as ruas em multidões capazes de VARRER DO PAÍS O PROJETO MEDIEVALESCO QUE VOCÊS ESTÃO CONSEGUINDO IMPOR na base do chicote, da toga, da manipulação midiática, do ódio, da ignorância e da estupidez. MALDITOS! Que a terra lhes seja pesada!

 

bfcosta

- 2016-05-25 13:47:25

Se Renan realmente é esse

Se Renan realmente é esse fiador da estabilidade, por que diabos ele mudou de lado ? No início, ele era contra o impeachment, mas em determinado momento passou a defendê-lo. O mais claro episódio foi aquele em que Wladir Maranhão decretou a nulidade das sessões. Poderia ele ter esperado o desfecho interno da câmara e se resguardado mais.

emerson57

- 2016-05-25 13:41:57

houve golpe?

Do meu ponto de vista

está havendo golpe!

A midia pig, os deputados, senadores, os juizes e demais funcionários públicos, cada um por sua vez, vão passando essa idéia de fato consumado.

Não aprovavam orçamento de 95 bilhões, agora do dia para a noite passa o de 170 bilhões e ainda com o garfo enterrado no prato do trabalhador!

A globobo continua comandando o golpe! E kunha e gilmau, e renan, e fegacê, e çerra45, e meireles e mouro, e alguns batedores de penico recalcitrantes.

Se o povo demorar mais de duas semanas para acordar, voltaremos às capitanias hereditárias! 

Frederico Borges da Costa Barros

- 2016-05-25 13:39:58

Ou se faz

Ou se faz ou aceitamos a derrota, ou se consegue essa mobilização ou perdemos a guerra e será um retrocesso!!!! Não adiante fazer manifestação com 1mil 10mil 20mil isso não impressiona, não legitima o que vem sendo dito, é golpe. ë claro que não se coloca 1 milhão assim de uma hora para outra, isso tem de ser articulado,tem de ter participação do Lula, de artistas e tem de se deixar bem claro que não é pela Dilma mas pela democracia e pelos 54 milhões de votos que tem de ser respitados, só assim o SUPREMO, O CONGRESSO , O PGR  E ESSE BABACA DO MORO SERÃO ENQUADRADOS, OU IREMOS LOGO PARA UMA DITADURA ASSUMIDA E NÃO DISFARÇADA EM RITO CONSTITUCIONAL.

Eliane Ribeiro

- 2016-05-25 13:39:30

Bom,após a conversa de

Bom,após a conversa de Renan.podemos presumir que só uma revolução...salva este país.

Rchiavennato

- 2016-05-25 13:25:24

Pegou

pesado! Sarney e Renan preocupados com a liturgia de cargos! Todos em BSB sabem as escaramuças, falcatruas e trapaças que a dupla questão vem aprontando ao longo de muitos anos. Deus meu!

Só para ficar no terreno do dia a dia: é fácil manter discurso republicano quando, na maioria das vezes, esses senhores não pagam suas contas pessoais com seus salários e outros proventos de seu patrimönio direto.

Fica aqui a pergunta: há quantos anos Sarney e Renan não assinam cheques, sacam dinheiro com cartão magnético e fazem compras sem depender de seus assessores? Fica aqui de antemão meu pedido de desculpas em caso de os "anjos" em questão se provarem dignos...

Tina

- 2016-05-25 13:22:42

Nem um pio

Rapaz, quem disse que não teve um pio sobre Dilma?

Olha só o que disse o Fernando Brito, no Tijolaço:

Em determinado trecho, Renan explica porque Dilma não consegue dialogar com os integrantes do Supremo:

Não negociam porque todos estão putos com ela. Ela me disse e é verdade mesmo, nessa crise toda –estavam dizendo que ela estava abatida, ela não está abatida, ela tem uma bravura pessoal que é uma coisa inacreditável, ela está gripada, muito gripada– aí ela disse: ‘Renan, eu recebi aqui o Lewandowski, querendo conversar um pouco sobre uma saída para o Brasil, sobre as dificuldades, sobre a necessidade de conter o Supremo como guardião da Constituição. O Lewandowski só veio falar de aumento, isso é uma coisa inacreditável’.

Sim, é inacreditável.

 

Ana Torres

- 2016-05-25 13:21:21

Mas quem vai conseguir

Mas quem vai conseguir colocar 1 mi nas ruas ? Ninguem reage, está todo mundo quieto, paralisado. Lula, PT, movimentos sociais. Ainda tem muita coisa imprevisīvel para acontecer, mas Enquanto isso, quem vai faturando é Marina...

Marcelo33

- 2016-05-25 13:21:00

Acho que os grampos  de Renan

Acho que os grampos  de Renan e Jucá mostram muitas coisas...

Pode se questionar a Ética de ambos (Muito mais Jucá e praticamente nada de Renan), mas em essência, ambos estão certos !!! A Sangria precisa parar !!!

Eu sempre fui contra o impeachment, e não mudei minha opinião quanto a isso, mas é fato que nenhum governo vai se segurar enquanto a LAva-Jato estiver funcionando com força total, a não ser um governo que ela queira. 

Se Cunha é o Homem mais poderoso do Governo Temer, Janot é o homem mais poderoso do Brasil. 

Dilma, por meio do seu ministro da Justiça, Cardozo, fracassou em manter o funcionamento das instituições. A PGR está totalmente descontrolada, e ela tem lado, e com certeza, não é o dos que mais precisam (Como o Emerson 57 falou do Renan).

Esse Blog identificou corretamente Janot como o comandante do golpe, e como o principal papel dele era inviabilizar os acordos políticos que pusessem fim a aguda crise política. Enquanto os partidos lutam sua guerra fraticida, a PGR se fortalece mais e mais.

O congresso é golpista ? É. Mas foi praticamente chantageado a tirar Dilma. Temer é o homem para estancar a Sangria ??? Não creio, o seu governo é cheio de corruptos e nele todo mundo tem telhado de vidro.

Outra coisa, os procuradores demonstram uma ideologia em suas ações. Começo a me perguntar se o PSDB realmente tem O Supremo e a PGR nas mãos, ou se é a PGR que tem Supremo, PSDB, Senado e Câmara nas mãos. E quem tem a PGR nas mãos ?? Quem manda no Janot ?? Aqui, acho que é óbvio, é só ver o país onde Janot,os procuradores e Moro periodicamente vão prestar contas !!!

Realmente Renan parece saber que está sendo grampeado, assim como Lula e Dilma também pareciam. Aqui nesse blog se falou do GSI nas mãos de Etchegoyen, mas o fato é que a PF virou um orgão de arapongagem a serviço do MPF. O supremo foi grampeado, e não dá em nada. o Próprio Barroso parece não dar importância (Ou está claramente com medo demais para tomar alguma atitude). 

Se eu fosse um deputado federal de um partido relativamente neutro, o que seria determinante para eu eventualmente votar a favor do impeachment seria o grampo do Moro, não pelo conteúdo, mas pelo simples fato de a presidência da república ser grampeada e não dar em NADA muito sério para o Moro é prova cabal que a autoridade de Dilma ruiu totalmente.

Acho que o impeachment de Dilma ruiu com qualquer chance de um acerto político de modo a combater o "Alto Comando". Agora o PT não parece mais disposto a acordos, muito menos porque a  lava-jato parece partir para cima de PMDB, e possivelmente, do PSDB (Aqui não creio muito), o PT não quer que a operação seja barrada, quer que os outros partidos sejam tão danificados quanto ele foi.

O Golpe parece não mais concluído, como eu achava, mas sim, ainda em curso, na busca da PGR por botar alguém mais confiável que o PMDB. Acho que está se criando um clima político para que Gilmar casse a chapa esse ano ainda ou ano que vem. Ano que vem seria ideal, pois se evitariam eleições diretas, mas esse ano, talvez com o próprio GM no TSE, não seja necessário evitar as eleições.

Qual a saída ?? Eu a princípio não vejo nenhuma, mas acho que a melhor tentativa seria tentar derrubar Temer em 2016 ainda, e principalmente, tentar manter Lula solto. Acho que Lula é o único capaz de costurar um acordo que limite o poder da PGR. Marina e o eventual candidato do PSDB provavelmente aplicariam o programa econômico do Alto Comando e de quem manda nele.

 

Cleber Altivo

- 2016-05-25 13:19:43

O que vai ficando cada vez

O que vai ficando cada vez mais claro é que houve golpe.

romulus

- 2016-05-25 13:13:08

Renan fala tudo sem falar nada! Palmas!

Concordo,

Nao apenas isso. Renan mostrou ter a malandragem de um Estadista.

Nos temas mais "sensiveis", falou tudo sem falar nada.

Relatava apenas "falas que ouviu de outros".

Coloca tudo na boca de 3os.

No meu post de hj fiz o seguinte comentario a esse respeito:

Selfie com Bolsonaro: prova documental da falências dos valores

A nova “bomba do dia”: o fraquíssimo áudio vazado hoje do grampo em Renan Calheiros. Que Senador malandro, ladino, vivíssimo... fala tudo sem falar nada! Palmas para ele!

Luciana Mota

- 2016-05-25 13:13:05

É sombrio o futuro de um país

É sombrio o futuro de um país no qual Renam Calheiros é um estadista.

 

Luciana Mota

Eliane Ribeiro

- 2016-05-25 13:12:25

Qual é a tara  do

Qual é a tara  do machado,pela militancia petista?

mcn

- 2016-05-25 13:07:41

Concordo com a sua linha de

Concordo com a sua linha de raciocínio

Jaime Balbino

- 2016-05-25 13:01:14

Fiquei com a impressão que

Fiquei com a impressão que Renan é muito chantageado pela PGR e por inimigos políticos. Aquela representação do PGR anterior sobre o pagamento da amante não convence. As citações contra ele nas delações não trazem provas de propina e de contas na Suiça como ocorreu com Cunha e Jucá. 

Machado mostra nessa gravação que não tem como incriminar Renan caso seja preso. Se pudesse fazer isso seria mais incisivo no pedido de ajuda e não ficaria só jogando verde comentando seu próprio destino na Lava Jato. Isso não sensibilizou o senador como fez tremer Jucá (com quem Machado conversara antes usando as mesmas frases).

E naquela conversa com Jucá, ele e Machado falam em "nós" e "a gente" para sempre incluir Renan em seguida ("a gente e Renan também"), mostrando que o senador não faz parte do mesmo grupo. 

Esse grampo não só confirma o republicanismo de Renan como também mostra que ele é visado pela Justiça por causa do cargo que ocupa e não por ter efetivamente cometido algum crime. Se cometeu, nem Janot sabe ainda.

Jaime Balbino

- 2016-05-25 12:53:19

Não é que soubesse estar

Não é que soubesse estar sendo gravado, mas de não falar certas coisas para qualquer um. Cá entre nós, o que Sergio Machado poderia fazer por Renan? Nada!

E ao contrário de Jucá, para quem Machado praticamente o ameaçou de delatar caso não fosse ajudado, com Renan o mesmo Machado mostra na conversa não ter meios de envolvê-lo caso seja preso.

Reparem também que na conversa com Jucá, ele e Machado falam sempre em "a gente", "nós", para em seguida incluir o Renan (e quase sempre é Machado que o inclui no grupo de risco). A impressão que fica é que Renan não faz parte do mesmo grupo de Temer, Cunha, Jucar, Gedel, Henrique Alves, Sarney, Lobão, Moreira Franco, entre outros.

 

Frederico Borges da Costa Barros

- 2016-05-25 12:40:56

Rua

Ou bota mais de 1 milhão de pessoas nas ruas ou essa merda vai continuar pois já está mais que evidente a participação do STF, Camara(lideranças da oposição), e PGR no golpe não há outra saída que não seja essa, sabendo que com isso pode-se acabar por desgringolar em uma ditadura antecipada pois se em 2018 a direita não tiver um candidato forte eles viram a mesa.

Já estou avisando isso em outros posts.

Frederico Borges da Costa Barros

- 2016-05-25 12:40:10

Rua

Ou bota mais de 1 milhão de pessoas nas ruas ou essa merda vai continuar pois já está mais que evidente a participação do STF, Camara(lideranças da oposição), e PGR no golpe não há outra saída que não seja essa, sabendo que com isso pode-se acabar por desgringolar em uma ditadura antecipada pois se em 2018 a direita não tiver um candidato forte eles viram a mesa.

Já estou avisando isso em outros posts.

mcn

- 2016-05-25 12:28:49

A impressão que tive é que

A impressão que tive é que Renam sabia que estava sendo gravado.

E nenhum pio sobre Dilma.

Assis Ribeiro

- 2016-05-25 12:23:51

Renan é um grande líder e
Renan é um grande líder e dessa forma tem a sua bancada pessoal . Se ele tivesse se envolvido à fundo, o prosseguimentos do impeachment no senado não teria ocorrido. Lembrem-se de quando ele precisou "trabalhar" para impedir avançar o processo contra ele naquele turbulento caso envolvendo fazendas, gado e amante , o resultado foi outro. A sua equidistância de Cunha não é por questões republicanas e sim pela disputa de poder dentro do partido.

Inforo

- 2016-05-25 12:18:30

Agora que sabemos

Agora que sabemos que para ser presidente do brasil (tudo minusculo mesmo), pracisa saber lidar com bandidos, Marcola e/ou Fernandinho Beira Mar para candidatos as próximas eleições.

emerson57

- 2016-05-25 12:10:33

pode até ser

"Renan é o que mais tem demonstrado respeito pela chamada liturgia do cargo e mais preocupações com o julgamento da história."

pode até ser.

Mas,

Que ele tem lado, e esse lado não é o dos que mais precisam, não tenho dúvida.

Eudes Gouveia da Silva

- 2016-05-25 12:08:30

Renan sabia que estava sendo

Renan sabia que estava sendo gravado. Tando que nas duas gravações o texto sobre o Aécio é o mesmo. E não se complicoul  Sérgio Machado era cota de quem na Transpetro?

Eudes Gouveia da Silva

- 2016-05-25 12:08:27

Renan sabia que estava sendo

Renan sabia que estava sendo gravado. Tando que nas duas gravações o texto sobre o Aécio é o mesmo. E não se complicoul  Sérgio Machado era cota de quem na Transpetro?

Mané

- 2016-05-25 12:05:30

Outra pegadinha

Acho que outra pegadinha da conversa foi o recado que ele manda para os donos: "eu nunca falei com executivos". Ou seja, se me levarem ao cadafalso, levo vocês também.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador