O xadrez da política no dia D

Vamos ao novo xadrez da crise.

Peça 1 – a crise ficou grande demais para Dilma

É a única certeza nesse oceano de imprevisibilidades que caracteriza a crise atual. Dilma não tem fôlego político nem para lançar planos mais audaciosos nem para recompor sua base política. Mantido o quadro atual, se não cair por impeachment, cai pela crise.

Peça 2 – qualquer solução de conflito mergulha o país em uma crise imprevisível.

Essa premissa é central para todo o raciocínio posterior. Não significa que, automaticamente, conduzirá as discussões para a racionalidade. Mas será um fator relevante a estimular algumas lideranças mais responsáveis na busca do entendimento.

Grosso modo, há dois grupos trabalhando em saídas mais articuladas para a crise.

No Senado, o grupo formado por Renan Calheiros, José Serra e Romero Jucá, articulando alguma forma de semiparlamentarismo que mantenha Dilma Rousseff na presidência, mas sem governar. Vamos trata-lo de os Parlamentaristas para facilitar a leitura.

Ao largo, o grupo que cerca Lula, insistindo para que assuma um cargo de coordenação no Palácio, mesmo sem ser formal, mas que o transforme em um primeiro-ministro de fato. Chamemos de Lulistas.

Correndo por fora, o grupo do impeachment, com Aécio Neves na ponta. Seriam os Jacobinos.

Finalmente, o grupo do Ministério Público Federal diretamente liderado pelo Procurador Geral Rodrigo Janot. Vamos batizar de Alto Comando, para fugir da confusão corriqueira, de considerar que o comando e a estratégia da Lava Jato estão em Curitiba.

São esses personagens que jogam o jogo atual, cujo ápice serão as manifestações deste domingo.

As formas de jogo político

Para acompanhar o jogo é preciso entender melhor sua natureza.

Não se trata de uma conspiração palaciana, com um comando organizando todas as ações.

Movimentos de opinião pública são operações muito mais fluidas, mais amplas, nas quais se escolhe o momento adequado – o mal-estar econômico – e, se deflagra um conjunto de ações visando estimular as reações populares. A denúncia da corrupção é o mote mais eficaz.

Aberta a porteira, provoca-se o estouro da boiada e abre-se a caixa de Pandora. Há uma sucessão de eventos, alguns aleatórios, outros planejados. A arte da conspiração consiste em controlar os bois guias, os que vão na frente da boiada conduzindo-a. Mas o final sempre é imprevisível, daí a preocupação de Fernando Henrique Cardoso e de quadros do PSDB, recuando na radicalização.

O estouro da boiada foi possível com a parceria montada pelo Alto Comando com a mídia, a entrada dos novos grupos que se apossaram das manifestações (Movimento Brasil Livre, Revoltados Online, provavelmente bancados de fora), e um investigação capaz de gerar fatos jornalísticos diários.

Hoje em dia, quem controla os bois guias é o Alto Comando, através da usina de geração de fatos da Lava Jato, sincronizando com os movimentos da oposição.

Os protagonistas a serem acompanhados são, portanto, os Parlamentaristas, os Lulistas e o Alto Comando. Os Jacobinos de Aécio e a mídia são agentes acessórios – no caso da mídia, fundamental para o sucesso da operação, mas vindo a reboque, sem papel na formulação estratégica,

A dificuldade de definição de estratégias se deve à extrema habilidade de um jogador essencial, o Alto Comando, que conseguiu jogar xadrez escondendo o rei. É uma velha gíria do xadrez: como a vitória consiste no xeque-mate ao rei, se você esconde o seu no tabuleiro, não tem como levar xeque.

Quando os demais personagens entenderem adequadamente o papel do Alto Comando, os erros de estratégia serão minimizados.

Como se organiza o jogo

Se consumado o impeachment de Dilma Rousseff, será um case mundial, provavelmente a mais bem-sucedida estratégia de golpe político das últimas décadas.

Não é o caso de voltar ao tema da geopolítica norte-americana na quadra atual. Maiores dados vocês poderão ler aqui (http://migre.me/tdbtp). A estratégia de desmonte dos grandes grupos nacionais que poderiam se habilitar a algum protagonismo externo pode ser lida aqui (http://migre.me/tdbAZ).

Há duas vertentes para dobrar a espinha do país.

A primeira, que dá o start, é a política de depreciação continuada de tudo que possa despertar o orgulho nacional. Esse trabalho ficou nítido na Copa do Mundo, um exercício tão funesto de derrubar a autoestima que conseguiu espantar das ruas até o orgulho de vestir camisa da Seleção. E isso antes do 7 x 1 e pouco tempo depois do país ter atingido o momento mais alto do seu orgulho, respeitado mundialmente pelos avanços sociais registrados e pela forma como superou a crise de 2008.

A segunda vertente foi o papel do Alto Comando como estrategista central da Lava Jato.

Do lado jurídico, a maneira como a Lava Jato foi montada foi bem explicada pelo advogado Juarez Cirino dos Santos no site Jota (http://migre.me/td3XB).

4. Além de constrangimentos e humilhações aos adversários políticos, a Operação Lava Jato apresenta inúmeras vantagens (…):

– primeiro, os procedimentos investigatórios e os processos criminais são seletivos e sigilosos: seletivos, porque dirigidos contra líderes do PT ou pessoas/empresas relacionadas ao Governo do PT – por motivos ideológicos ou não; sigilosos, porque não permitem conhecer a natureza real ou hipotética dos fatos imputados, fazendo prevalecer a versão oficial desses fatos, verdadeiros ou não;

– segundo, os nomes dos investigados são revelados ao público externo, como autores ou partícipes (por ação ou omissão) das hipóteses criminais imputadas, mediante programados vazamentos de informações (sigilosas) aos meios de comunicação de massa, com efeitos sociais e eleitorais devastadores sobre os adversários políticos dos grupos conservadores;

– terceiro, o espetáculo de buscas e apreensões violentas e de condução coercitiva ilegal de investigados (o ex-Presidente Lula, por exemplo), ou as ilegais quebras de sigilo (telefônico, bancário e fiscal) seguidas de espalhafatosas prisões preventivas (Zé Dirceu ou João Vaccari Neto, por exemplo), geram convenientes presunções de veracidade e de legitimidade da ação repressiva oficial perante a opinião pública.

5. Nesse contexto, a contribuição objetiva da Operação Lava Jato– voluntária ou não, mas essencial para os fins político-eleitorais das classes hegemônicas organizadas no PSDB, no PPS, no DEM e outras siglas – ocorre na forma de contínua violação do devido processo legal, com o espetacular cancelamento dos princípios do contraditório, da ampla defesa, da proteção contra a autoincriminação, da presunção de inocência e outras conquistas históricas da civilização – apesar da reconhecida competência técnico-jurídica de seus protagonistas. A justiça criminal no âmbito da Operação Lava Jato produz a sensação perturbadora de que o processo penal brasileiro não é o que diz a lei processual, nem o que afirmam os Tribunais, menos ainda o que ensina a teoria jurídica, mas apenas e somente o que os dignos Procuradores da República e o ilustre Juiz Sérgio Moro imaginam que deve ser o processo penal. A insegurança jurídica e a falta de transparência dominante na justiça criminal da Operação Lava Jato levou o Ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal, a reproduzir antigo conceito de Rui Barbosa: “a pior ditadura é a ditadura do Poder Judiciário”.

6. Então, entra em ação o grande parceiro da Operação Lava Jato: os meios de comunicação de massa (TV, jornais e rádios),  com informações baseadas nas evidências processuais ou no material probatório obtido nas condições referidas, produzem um espetáculo midiático para consumo popular – e comícios diários de imagens virtuais audiovisuais, impressas e sonoras tomam conta do País, com efeitos psicossociais coletivos avassaladores. As versões, interpretações e hipóteses da justiça criminal da Operação Lava Jato, difundidas pela ação repressiva da Polícia Federal, pelas manifestações acusatórias dos Procuradores da República e pelas decisões punitivas do Juiz Sérgio Moro, produzem efeitos de lavagem cerebral e de condicionamento progressivo da opinião pública, submetida ao processo de inculcação diuturna de um discurso jurídico populista, com evidente significado político-partidário, mas apresentado sob aparência ilusória de uma impossível neutralidade política.

Quando os procuradores paulistas tentaram atropelar a agenda, coube ao Procurador Geral da República Rodrigo Janot articular pessoalmente a estratégia da Lava Jato em relação às trapalhadas cometidas (http://migre.me/tdeQT). E a toda imprensa vocalizar as críticas contra quem poderia comprometer o script inicial, cuidadosamente planejado para chegar a bom termo respeitando as aparências jurídicas.

Do lado político, o Alto Comando opera a partir de Brasília visando criar toda a blindagem jurídica necessária, não apenas junto ao STF, como ao próprio governo e nas redes sociais.

No Twitter, por exemplo, os principais lugares-tenentes de Janot, através de seus perfis pessoais, conduzem uma ampla campanha de esclarecimento e de defesa da Lava Jato. Antes da constatação de que foi um desastre, até as trapalhadas dos procuradores paulistas mereceram esboços de defesa, por parte dos procuradores de Janot.

No STF e no TSE Janot não convalidou nenhuma tentativa de golpe branco.  Consolidou a imagem de legalista junto ao STF e à presidente da República e, com isso, o espaço político para bancar a estratégia central, a Lava Jato. Nenhuma outra iniciativa roubou-lhe o protagonismo. Escondeu o rei e iludiu a rainha quanto aos propósitos republicanos da Lava Jato. 

A Lava Jato foi apenas o aríete, atrás do qual montou-se um trabalho sistemático de destruição de todos os símbolos de país.

Nas ruas, movimentos conduzidos pelo MBL e outros vocalizando críticas às políticas sociais.

Na Lava Jato, um trabalho sistemático de destruição das maiores empresas nacionais, não apenas com inquéritos, mas com escracho. Recorreram ao escracho, ao boicote a qualquer acordo de leniência, à perseguição diuturna, com operações seguidas de invasão de sede, exposição de mensagens – até pessoais. A ideia não é punir: é destruir.

O ápice tem sido a tentativa de destruição do símbolo Lula. Qualquer compêndio futuro sobre a infâmia na vida nacional contemplará o que foi feito, até acusações de furto de obras no Palácio.

O Ministério Público Federal é composto por procuradores preparados. Não será necessário muito tempo para que, caindo a ficha do que fizeram, venham à tona os bastidores da operação.

Como foi possível, no entanto, cooptar quase toda a corporação?

A campanha antinacional da Copa e, principalmente, a revelação da enorme rede de corrupção da Petrobras, facilitaram a venda da ideia da destruição da velha ordem, por uma nova ordem, liderada pelo trabalho redentor do Ministério Público.

A velha ordem passou a se resumir a empreiteiras corruptas, cooptando o sistema político e judiciário, e um governo populista que cooptou a população com políticas sociais paternalistas. E não a lenta reconstrução democrática, os avanços civilizatórios (dos quais o próprio MPF foi agente importante), os avanços tecnológicos nas áreas do pré-sal e da defesa, o feito histórico de tirar milhões de pessoas da miséria e reduzir graus históricos de desigualdade. A corrupção foi o álibi para apagar a história recente do país, até a luta pela redemocratização.

Principalmente pesou a visão redentorista de um novo poder se sobrepondo aos demais e salvando o país.

Para avaliar os resultados do jogo, é fundamental esse entendimento sobre a posição do Alto Comando

As próximas jogadas

Sabendo-se disso, fica mais claro o jogo, embora ainda seja difícil antecipar o resultado final.

Há duas saídas negociadas possíveis, nenhuma tendo Dilma como protagonista.

Saída 1 – O semiparlamentarismo com o PMDB, que tem várias nuances. No regime parlamentarista, cabe ao presidente indicar o primeiro ministro e o gabinete. E ao Congresso aceitar ou rejeitar. Pode-se tentar um parlamentarismo goela abaixo, mas seria regimentalmente complicado.

Saída 2 – semiparlamentarismo com Lula assumindo o papel de coordenador de governo, um primeiro-ministro de fato.

Impasse – qualquer decisão de força, sem consenso, tenderá ao fracasso. Sem um núcleo de poder, qualquer governo que assuma um país dividido ficará refém das forças que o elegeram. Será um ataque ao butim que inviabilizará qualquer tentativa de normalização econômica. Haverá agitação, repressão aos movimentos sociais, caça às bruxas.

Independentemente de pecadilhos ou grandes pecados, um pacto entre os Parlamentaristas e os Lulistas é o único sinal visível de um polo racional na política.

Com Lula à frente, poderiam ser viabilizados acordos, através de uma coordenação dele, como primeiro-ministro de fato, ou em uma transição com um primeiro-ministro negociado entre ambos as partes.

Aí entram as jogadas do xadrez.

Antevendo essa possibilidade, o Alto Comando deflagrou novas operações simultâneas: a ofensiva total contra Lula, o alarido em torno dos presentes recebidos por Lula no exercício do poder; mais uma denúncia contra Renan Calheiros; mais detalhes da delação do senador Delcídio do Amaral, cujo conteúdo era conhecido apenas do Alto Comando e do STF (Supremo Tribunal Federal).

Tem-se, então, duas forças conflitantes. De um lado o Alto Comando apostando tudo no confronto; de outro, forças moderadoras percebendo a possibilidade de uma guerra selvagem, se não se chegar a um entendimento.

A tentativa de acordo passa por ambientes confusos, mas depende fundamentalmente de Renan Calheiros e Lula.

Fator 1 – o STF e o fator Renan.

Os Ministros tendem a privilegiar a responsabilidade institucional. E na vitrine do Supremo, Janot tende a ter bom senso.

Nessa hipótese, Renan poderia ser poupado de atropelos imediatos, em nome da estabilidade política. Aparentemente o foro privilegiado o blindaria contra novas surpresas da Lava Jato. Mas não se descartam vazamentos de delações visando comprometer sua atuação.

Além da nova investida de Janot contra Renan, na próxima 4a feira a oposição tentará pressionar o Ministro Luís Roberto Barroso a rever seu voto em relação ao ritual do impeachment.

Desde que sua esposa foi alvo de ataques baixos, Barroso inibiu-se. As loucuras dos três procuradores paulistas estão diretamente ligadas ao seu recuo na questão da Terceira Instância. Como explicou o promotor Ricardo Blat, o pedido de prisão de Lula visou criar uma “inovação jurisprudencial” depois que os garantistas do Supremo abriram a guarda com a eliminação da terceira instância.

Espera-se que Barroso e demais garantistas se sintam mais fortalecidos. Mas ainda são uma incógnita.

Barroso terá um papel essencial. Se flexibiliza o impeachment, consolida a parceria PSDB-PMDB para derrubar a Dilma, pois nesse caso Michel Temer seria poupado. Se resiste, obriga a um pacto mais amplo e à busca de entendimento.

Fator 2 – O fator PSDB-PMDB.

O acordo semiparlamentarista prejudica Aécio e Alckmin para 2018  

No momento, os Parlamentaristas confiam no indiciamento de Aécio Neves para avançar nas tratativas.

Obviamente não levaram em conta o Alto Comando. Se o nome de Aécio não aparecer nas delações de executivos da Andrade Gutierrez, aliás, consolidará a opinião geral sobre a proteção recebida. Mas há a possibilidade de que a abundância de indícios obrigue Janot a mudar de posição.

Alckmin se aproximou de Sérgio Moro através de seu candidato João Doria Jr. Essa aproximação pode ser debitada na conta dos eventos aleatórios, fora do script original. A própria truculência do Secretário de Segurança de São Paulo, Alexandre Moraes, colocando a PM para reprimir uma assembleia do Sindicato dos Metalúrgicos, é significativa dessa reação a qualquer acordo.

Fator 3 – O fator Lula

Depois de sua fase classe média ascendente – aceitando favores descabidos de empreiteiras – Lula vacila entre encarar a luta ou entrar para a história, como um novo Mandela, preso pela direita. Ótimo! Salva sua biografia à custa do comprometimento de todas as bandeiras que representa.

Se Lula não assumir um protagonismo total no governo Dilma, sua queda será questão de semanas.

Fator 4 – O Alto Comando.

O Alto Comando é integrado por procuradores probos, bem intencionados e iludidos pela visão redentorista. Nâo se descarte a possibilidade de um chamamento ao mundo real, quando avaliarem friamente os desdobramentos da crise atual.

Por enquanto, o cenário mais provável será o do pacto PMDB-PSDB visando apoiar ao impeachment.

Caso fracassarem as saídas políticas, a primeira fase do golpe de1964 será café pequeno. Juízes e procuradores serão liberados para acabar com a raça de tudo que cheire a esquerda.

O país será envolvido em uma guerra fratricida, com um novo governo previamente enfraquecido pela falta de consenso e exposto a ataques ao butim de todos os “vencedores”, de grupos jornalísticos a líderes empresariais e a impolutos de ordem geral que ajudaram a consumar o golpe.

Neste domingo, joga-se o último lance da guerra do impeachment. Se o governo resistir por mais algum tempo e Lula entrar na linha de frente, é possível alguma esperança de normalização democrática.

330 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Marcelo Cabral de Almeida

- 2016-03-20 17:13:05

O que realmente interessa

Se seletivo ou não, se de boa fé ou não. Na boa? Realmente não me importa se o motivo da investigação é político ou ético, o resultado prático será um golpe, não político, mas numa organização criminosa e o consequente desaparelhamento do Estado.

Saulo Kiroga

- 2016-03-19 23:13:23

concordo. com recessao de 4%

concordo. com recessao de 4% em dois anos seguidos e inflacao de 2 digitos como é que Dilma iria aguentar. Coincidentemente, na serie historicaa temos os fatos que geraram a revolucao de 30, o fim do governo Militar e Collor.

 

Se ela ficar, serao 4 anos de depressao, pois ela nao tem a minima base de governabilidade ocorrida por erros que ELA MESMA CRIOU.

D_P

- 2016-03-16 16:42:28

É isso mesmo. Nâo se traba

É isso mesmo.

Nâo se traba mais de uma luta entre os políticos ou mesmo contra o impedimento.

Esse movimento ficou também evidente no caso Mercadante. É claramente uma consipiração do "alto comando" junto com Delcídio para atingir o Governo e um Ministro de Estado.

Eles esão com o Poder, Se querem derrubar alguem, soltam alguma gravação alguma vazamento.

Jà há noticias de inqueritos contra Dilma, Lula, Temer, Aécio, Renam e Cunha, Ou seja, todos na linha de sucessão, de agora até 2018, faltando apenas Alckmim e Serra, que poderão aparecer com algo relacionado ao Metro, etc...

É o que eu venho dizendo, ou os políticos se unem contra essa conspiração do "alto comando" ou o País será jogado a deriva ninguem sabe até quando.

Lula deveria se reunir com politicos da oposiçao, com Temer, talvez algum Min do STF e com membros das forças armadas e tentarem esboçar alguma estratégia.

 

 

Sérgio Marinho Marques Cavalcanti

- 2016-03-15 17:11:14

Comentário

Pelo andar da carruagem e pelo povo que foi as ruas, eu acho que se o partido PT tirar o rabo da cadeira e fizer uma campanha p/seus militantes e cabos eleitorais, a massa que irá para as ruas em muito superarão os coxinhas do dia 13. Qto. as manobras, é claro que tem uma ala do PMDB que estão manobrando igualmente com o PSDB para tirarem a Dilma e com isto impedem ela de trabalhar e tirar o Brasil desta crise e ferrarem o Lula antes de 2018 ou neste ano onde ele fará campanha em SP p/o Hadad e outros estados. Se é guerra onde os Justiceiro só veem um lado, concordo com que o lula aceite o cargo de Ministro p/ter o foro previlegiado, GUERRA É GUERRA, VALE TUDO.

 

JamesFA

- 2016-03-15 14:27:18

Valeu, Eduardo. Abraço.

Valeu, Eduardo. Abraço.

Luiz de Souza

- 2016-03-15 03:58:59

O jogo

Parece que o jogo da Conspiração mudou  bastante de ontem para hoje com os Jacobinos recebendo alguns revezes e o Rei do Governo, sob forte ataque antes,  ficando relativamente protegido.  A atuação dos milhões de peões  expôs  a face vulnerável de parlamentaristas e Jacobinos. Agora também já é conhecido o Alto Comando da conspiração, tendo a Dilma nomeado uma peça (o novo ministro Aragão) para contê-lo. A mídia também, apesar contar vitória com o grande comparecimento à manifestação de ontem, só conseguiu juntar peões brancos e caros, ou seja ricos.

Então os próximos passos serão:

-a partida de amanhã pela anulação da regulação da comissão do impeachment, feita pelo Luís Barroso ( agora querem forçá-lo a recuar por conta de uma noticia contra sua esposa). Como o alto comando está exposto pode ser que ele contenha seus discípulos de Curitiba, que só pensam em atacar, mas podem expor seu chefe a um xeque mate;

-A posse de Lula e do Min. Aragão, da Justiça, com o reforço das posições do governo e possibilidade de ataques aos demais adversários;

Mas antes disso temos os movimentos a favor do governo  dia 18.

A história diz que haverá conciliação, isto é, não se investiga o PSDB, haveria arrefecimento da Lava Jato o governo termina seu mandato,  e, o que determinará a não derrota das forças contra a Conspiração - se Lula terá sucesso como 1º ministro, seja parlamentarista ou semi-presidencialista.

Sob a ótica dos peões brancos, que puderam participar de uma passeata e estão em êxtase,  Lula será preso esta semana e Dilma cairá em um mês.

Quem viver verá.

 

 

Rodrigo Souza Gomes

- 2016-03-15 02:02:17

Estratégia e riscos!

Eu acho que é a melhor estratégia. Desconstruiria Moro como herói e deixaria o espaço livre da extrema-direita para Bolsonaro que Mas Lula na prisão vai estar muito vulnerável a qualquer tentativa de atentado ou coisa pior. Eles sabem que se um governo Temer for propor uma agenda dura para a classe C, D e E, o povo se indigna e se revolta facilmente. E qualquer bilhetinho de Lula na cadeia elege qualquer um em 2018.

O perigo é que tenhamos uma situação como Macri, na Argentina, em que a saída de um grupo indesejado mude a pauta da mídia hegemônica. E fale num "amanhecer no Brasil". Aí vai ser muito difícil emplacar uma candidatura de oposição a esses grupos. E pode surgir um segundo FHC (o ministro da fazenda de Temer que seria Serra, ou mais realisticamente Meireles), ou a tentação de uma reeleição de Temer que pode romper qualquer arranjo com o PSDB paulista.

E se o PT demonstrar alguma inviabilidade política, ordenar uma reorganização a partir dos estados. Pimentel está sendo vítima de uma chantagem para não abrir os podres da era Aécio-Anastasia e pode ser vítima de um golpe. Rui, Camilo, Wellington e outros como Dino e Coutinho podem liderar a formação de uma força que seja o PT sem ser o PT. Nessa situação poderíamos ter uma boa base para a virada em 2018.

Pedrosa

- 2016-03-15 01:08:07

QUERENDO ENTENDER O ALTO COMANDO

mais o Janot não foi ESCOLHIDO PELA DILMA?????

Jair Fonseca

- 2016-03-15 00:58:39

Terra em transe, a grande

Terra em transe, a grande metáfora do Brasil, de Glauber Rocha, sempre atual, sempre atualizada.

jose antonio santosj

- 2016-03-14 21:50:10

de tudo que li,

De tudo o que li aqui me parece que voce esteja mais perto da verdade.

 

Há alguma coisa estranha no ar  que não bate.

 

Os protagonistas politicos desse trama são historicamente mediocres, logo não podem ter arquitetado isso.

 

O "alto comando" vai deter o poder! como ! senão  porque o daria de mão baijada para outros!.

 

Não acredito que o poder politico ficaria com o com o judiciario pois  uma hora teria que haver eleiçoes e as velhas raposas retornariam por elas mesmo  ou atraves de paus mandados  filhos sobrinhos etc). 

 

Para distruir essa turma (as raposas)  não basta caça as bruxas, precisa algo mais forte. Um verdadeiro AI-5 

 

Sera que eles querem isso! Sera que tem força para isso.

 

Para mim já é altura de STF  dar um basta.

 

 

 

 

 

 

Eduardo Ramos

- 2016-03-14 20:12:16

Obrigado, Cesar L., um

Obrigado, Cesar L., um abraço!!!!!

Eduardo Ramos

- 2016-03-14 20:11:13

Obrigado, James FA

A palavra impotência ganha um significado concreto nesses tempos, né? A gente enxerga a manipulação claramente, e vemos pessoas que admiramos, que sabemos não serem cínicas, mas apenas de mente mais frágil, portanto, manipuláveis, receberem como esponjas tudo o que a mídia e o meio social lhes empurram.

Se desejar replicar o texto, fique à vontade.  Fico feliz que tenha encontrado ecos por aqui.

Abraço!!!!

 

Alexandre E. M. Meloni

- 2016-03-14 20:04:56

Parabéns Alayr.

Parabéns Alayr,

Seu texto foi direto na veia e concordo contigo. Todo mundo que ganha mais de R$20.000,00 nesse país frequenta as altas rodas e começa a pensar como eles, se já não pensavam antes.

Nas ruas está somente a elite, estacionando seus carrões ao lado da Paulista, totalmente manipulada pela PiG, pois é apenas a elite que ainda gasta dinheiro com essa imprensa corrupta e lixo, que indufla o instinto de hiena nesse pessoal.

Não existem santinhos e bem intencionados no Ministério Público, nem na polícia federal (querem se vingar da Dilma pelo fracasso da greve de 2013) e nem no judiciário, com aquele juizeco de Curitiba tentando aparecer de tudo quanto é forma, não sei por que enrustidamente se coloca perante aos cidadãos.

O sistema judiciário brasileiro dá nojo e as altas cortes se acovardam perante a mídia. Pior ainda é o sistema judiciário/MP paulistas. Dão nojo duplo, de tão tucanizados que estão. Já nem se preocupam mais em disfarçar a tendência partidária. Tendência não, convicção!

 

Doug_SP

- 2016-03-14 19:43:20

Cavalos de Tróia

Continuo com minha modesta opinião que quem está na verdade promovendo o golpe é o PMDB, o resto é manobra para ocultar a verdade. E só mudo de opinião se o golpe acontecer e os nobres politicos do PMDB não assumirem o governo. Quem está bancando esse terror são Temer, Renan, Cunha e seus pimpolhos. O resto é massa de manobra.

( Visitante ) Nickname-Humberto

- 2016-03-14 19:40:18

Contato: foi às 10:29, e não às 14:30 horas -são 16:35 horas

Vejam
(eu tinha copiado pro meu email do UOL,
e só agora fui nele dar uma olhada.
foi às 10:29, e não às 14:30 horas - ou não foi moderado ou foi vetado??
são 16:35 horas
 [  " O seu comentário está agora na fila de moderação e será publicado assim que for aprovado"  ]
309 comentários  A Classe Média transformou-se
dom, 13/03/2016 - 10:29
( Visitante ) Nickname-Humberto      https://humbertohpc.wordpress.com/
 A Próxima Jogada É Enxergarmos Que Deu Pra Lula e o PT
( Sem o brilhantismo do post-título, permitam-me por em negrito algumas palavras ). Que uma revista Veja, que um jornalão traga reportagens bombásticas dia sim, outro também; que análises políticas pipoquem por todos os lugares, é o papel delas manterem seus leitores e tentarem atrair outros.
Não vejo somente (somente) seletividade, perseguição, conspiração...  Vejo também combate à Corrupção  ( v. nota ¹ ).
A reação e Lula, PT, 2016, 2018  -  Pra que insistir na ilusão e não cair na real ?   -  Pra quê ?    ( PT, Lula, apenas cito-os por me parece rem a preferência da quase unanimidade ativa pelos Posts do Dia, de uma fidelidade comovente .
( nota ¹ ) Fala o post-título no Judiciário. Eu acho que as transformações neste país não ocorrerão sem abusados contra o establishment. Como se não houvesse perigo e violência maior do que alguns abusos à coletividade (e aí entra muitíssima gente ). Pelo conjunto da obra, estão-se dando passos: O contexto da Operação Lava-Jato e até que ponto ela pode ser considerada um divisor ( tanto em aspectos positivos, quanto em aspectos negativos ) é um dos muitos interessantes pontos levantados no enriquecedor debate com os 3 professores da USP, sábado, num canal de televisão.
Sou um cidadão eventualmente dando um pitaco por aqui.
............
 https://jornalggn.com.br/noticia/o-xadrez-da-politica-no-dia-d?page=4#comment-869476
...............
 

Bobo

- 2016-03-14 19:32:45

A saída mais rápida e fácil

A saída mais rápida e fácil para a desestruturação e possivel destruição da republica seria simplesmente o MPF e Judiciário fazerem seu trabalho e parar de proteger os corruptos da oposição, ou essa situação vai ficar insustentável.

Aprilo

- 2016-03-14 18:17:18

Assassino Econômico - John
Assassino Econômico - John Perkinshttps://www.youtube.com/watch?v=vO8vPa_H71g

Lucinei

- 2016-03-14 17:38:24

Antissociais

Todas essas agências estão infestadas de concurseiros que introjetaram a subideologia da meritocracia. Acreditam que sucesso ou fracasso são determinados exclusivamente por talento e esforço individual. Falar de condicionamentos sociais e de privilágios pra esses boçais é comunismo. Passaram em concurso e acreditam, portanto, que política social é coisa pra vagabundo; desobedecer a política externa dos EEUU é brega; ampliação de direitos é bolivarianismo; e etc., etc., etc, etc..

É por isso que a ridícula tese do "sinistro projeto de poder petralha" faz tanto sentido: ela ajuda a unificar tudo que consideram de mal.

Nassif é uma boa alma. Acredita ainda que nessa direita histérica por estar fora do poder central há quase 15 anos haja alguém "responsável"; e que estão muito preocupados com o dia seguinte ao golpe: o que importa é derrubar esse governo, depois é depois - ou, como dizia minha vó: "depois a galinha pôs!"

Saçcrifica-se o PT como boi de piranha; a fascistada volta para as ruas em júbilo; e a boiada passa....

Dizer que a mídia é secundária! Ela é o orgão central. Todos jogam em função dela. Até o "não-jogo" desse governo se dá em função do que "eles vão achar!"

( Visitante ) Nickname-Humberto

- 2016-03-14 17:30:11

A Próxima Jogada É Enxergarmos Que Deu Pra Lula e o PT

( Sem o brilhantismo do post-título, permitam-me por em negrito algumas palavras ). Que uma revista Veja, que um jornalão traga reportagens bombásticas dia sim, outro também; que análises políticas pipoquem por todos os lugares, é o papel delas manterem seus leitores e tentarem atrair outros.
Não vejo somente (somente) seletividade, perseguição, conspiração...  Vejo também combate à Corrupção  ( v. nota ¹ ).
A reação e Lula, PT, 2016, 2018  -  Pra que insistir na ilusão e não cair na real ?   -  Pra quê ?    ( PT, Lula, apenas cito-os por me parece rem a preferência da quase unanimidade ativa pelos Posts do Dia, de uma fidelidade comovente .
( nota ¹ ) Fala o post-título no Judiciário. Eu acho que as transformações neste país não ocorrerão sem abusados contra o establishment. Como se não houvesse perigo e violência maior do que alguns abusos à coletividade (e aí entra muitíssima gente ). Pelo conjunto da obra, estão-se dando passos: O contexto da Operação Lava-Jato e até que ponto ela pode ser considerada um divisor ( tanto em aspectos positivos, quanto em aspectos negativos ) é um dos muitos interessantes pontos levantados no enriquecedor debate com os 3 professores da USP, sábado, num canal de televisão.
Sou um cidadão eventualmente dando um pitaco por aqui.

Luiz Carlos de Oliveira e Silva

- 2016-03-14 16:48:54

Considerações pós-manifestação

CONSIDERAÇÕES PÓS-MANIFESTAÇÃO

14/03/2016

1. O grande ator político deste domingo foram os setores médios tradicionais.

2. A crise econômica forneceu a chance de eles expressarem o seu ódio contra a esquerda, por esta representar mobilidade social, disfarçado pelo discurso contra a corrupção. Delirantes, veem fantasma do comunismo em toda parte.

4. Mas não havia apenas os ressentidos da classe média. Havia também, ainda que em número bem menor, aqueles que o pragmatismo sem limites do lulopetismo desprezou, por serem eleitoralmente irrelevantes.

5. As manifestações de ontem desgastaram ainda mais o governo, sem fortalecer, em igual proporção, os partidos de direita.

6. Tal como aconteceu em 2013, com setores sociais totalmente distintos nas ruas, os partidos e os políticos tiveram que se esconder na manifestação. Alckmin e Aécio foram hostilizados em São Paulo.

7. A crise de representação é ampla, atingindo a direita e a esquerda. As eleições municipais próximas, sem a grana da plutocracia, no caixa 1, é, por isto, um quadro em aberto.

8. À direita, temos um udenismo sem UDN. O Carlos Lacerda de hoje, nem político profissional é. Ele é juiz, e atua numa vara de Curitiba.

9. À esquerda, falta-nos forças que queiram e possam animar a construção de uma ampla frente que congregue amplos setores e movimentos.

10. Ainda que sem representar diretamente as ruas, a direita no Congresso vai se mexer com mais desenvoltura ainda. E o poder de chantagem do PMDB se fortalece.

11. Uma volta por cima por parte do governo Dilma mostra-se cada vez menos provável.

12. Devido à permanência da crise econômica, ou Dilma chama Lula, e delega a ele a condução de uma solução negociada com a oposição de direita, ou Dilma cai.

13. Lula teria que convencer a direita não-aloprada que manter Dilma acuada ou precipitar a sua queda é ruim para todos, por lançar o país na paralisia ou no caos.

14. Somente Lula reúne ainda condições de fazer com que o jogo seja jogado dentro de certos parâmetros de racionalidade política. Ele sabe disso. A oposição de direita não-aloprada também.

15. Lula vai radicalizar o discurso para botar a sua tropa na rua e, assim, fortalecer o seu poder de negociação junto a oposição de direita.

16. Sem povo na rua, não há Lula negociador. Sem Lula negociador, pode advir a paralisia ou o caos.

17. A paralisia do governo não interessa aos negócios.

18. O caos tampouco. Impeachment não parece ser a solução da crise, e sim a sua permanência.

19. Talvez, à direita não-aloprada interesse manter um Lula vivo, forte, com condições de negociação de uma transição até 2018, coisa que só ele pode patrocinar.

20. Um Lula em condições de negociar um arranjo, um pacto de não-agressão até 2018: eis a única chance de Dilma permanecer no governo, com um mínimo de protagonismo.

 

JamesFA

- 2016-03-14 16:45:01

Esse brado já foi elevado a

Esse brado já foi elevado a post? Ainda não? O que a editoria do Jornal GGN está esperando, então?

Trata-se do desabafo mais perfeito dos sentimentos que movem muitos de nós frequentadores deste blog, estou certo disso. Desabafo que consegue traduzir toda a angústia que muitos de nós sentimos, que revela a sensação de impotência que nos envolve ao percebermos irmãos e amigos do bem cooptados por um discurso retrógrado e alienante.

Dá vontade de chorar...

Obrigado, Eduardo, por conseguir expressar tão vivamente o que me vai na minha alma e, acho, na de muitos dos que aqui se manifestam.

Se permitires, gostaria de replicar este teu comentário nas redes sociais.

will

- 2016-03-14 16:05:21

o grande lance desse post pra mim,

foi nomear os bois.

Identificar os adversários, e saber com quem estamos lidando.

A traição e falta de ética do alto comando é gritante.

Mas o Governo também tem seu alto comando....e é mais alto...

Antonio Ramos

- 2016-03-14 15:41:53

O dia seguinte

Olá, Todos!

Excelente análise do Nassif!

Vamos tentar analisar os passos do futuro. No meu modo de ver são três cenários:

Cenário 1. Dilma continua até o final do mandato. Hoje é um cenário pouco provável, dada a fraqueza do atual governo e o alarido provocado pela imprensa.

Cenário 2. Interrupção institucional. Seja através do impedimento, ou através do tal "parlamentarismo brasileiro".

Cenário 3. Ruptura total. O cenário mais imprevisível e também o mais improvável. Coloco-o porque na situação atual tudo é possível.

Análise:

O Cenário 1, no qual imagino que o Alckimin seja o grande interessado, a "Lava Jato" continua no seu caminho de devastação total, mirando inicialmente no PT, mas com respingos imprevisíveis sobre os demais partidos e empresas. Nos próximos dois anos a coisa ira piorar dia a dia, com o país pautado pelo "menino maluquinho de Curitiba" e seus procuradores. A prisão/inviabilização do Lula é o principal alvo, porém não se tem a menor ideia do que os aloprados irão fazer em seguida. Penso que não irão parar nunca. O que acontecerá é que serão parados, seja pela Sociedade Civil, pelo empresariado, ou mesmo pelo Judiciário, num rasgo de bom senso. Pará-los não será fácil, pois a aliança com a "velha mídia"  funcionará como obstáculo a qualquer forma de ajuste no trabalho do "menino maluquinho de Curitiba".

Neste cenário, com o governo extremamente fraco, não haverá nenhuma força organizada e não violenta para barrar a mídia. O resultado será uma queda de braço, com a "velha mídia" jogando gasolina na fogueira através dos conhecidos vazamentos seletivos. Quem liderar o movimento de bom senso e limitação da "Lava Jato" enfrentará imediatamente um "fogo de barragem" da mídia, que sem argumento partirá para aquilo que faz melhor: destruir reputações.

Embarcar em qualquer um destes cenários levará a economia do Brasil de volta a década de 80 do século passado. A "velha mídia" e os "maluquinhos de Curitiba" não estarão nem aí para a destruição total deste cenário. A "velha mídia", por estar quebrada, não tem mais nada a perder. Os "maluquinhos de Curitiba" movidos por um sentimento messiânico têm a convicção religiosa de que farão um país melhor, mesmo que se tenha que começar tudo do zero.

Cenário 2, significa um grande acordo das elites, que já começaram a perceber que vamos todos para o buraco se a crise não se mostrar finita. Seja pelo impedimento, ou seja por qualquer outra forma inventada, uma coisa é clara: a primeira tarefa a ser feita será a destruição completa dos "maluquinhos de Curitiba". Ninguém vai minimamente governar o país enquanto o pessoal de Curitiba continuar a jogar gasolina na fogueira. Para o processo é mais fácil e mais rápida do que se imagina. A "velha mídia" cala a boca rapidinho com pressão econômica. Basta o governo, a Anfavea e os bancos ameaçarem de suspender o dinheiro de publicidade e a "velha mídia" cala a boca imediatamente. Quem duvidar, veja o que foi feito em Minas Gerais no governo da PSDB.

Quebrada a perna da "velha mídia" os "maluquinhos de Curitiba" perdem muito da força, mas ainda tem a caneta na mão podendo decretar prisões arbitrárias e causar estragos. Dispensar um ou dois procuradores, fazendo com que percam os quase R$ 30.000,00 por mês que ganham, mais benefícios e aposentadoria integral, é o suficiente para acalmar o mais messiânico da turma.

Destruir os "maluquinhos de Curitiba" é fundamental para livrar os quase 200 denunciados no Congresso. É o caminho mais barato para voltar a ter uma base coesa.

Resumindo: os "maluquinhos de Curitiba" avançaram o sinal. Qualquer cenário que implemente, destruí-los totalmente é fundamental, é só uma questão de tempo. A categoria dos procuradores rapidamente terá que decidir se entregará somente os anéis ou se vão perder também os dedos e as mãos. Ninguém entra em uma aventura como esta dos "maluquinhos de Curitiba" sem ter claro que será vida ou morte. Ou ganham e levam tudo, ou morrem tentando. Eles já foram longe demais. Não digo isso em relação ao Lula e sua prisão ridícula, mas esta ação passou para todo e qualquer detentor de um mínima fatia de poder que a principal missão hoje é destruir os "maluquinhos de Curitiba", pois eles saíram do controle.

Antonio Ramos

 

Carlos Alberto Freitas Lima

- 2016-03-14 15:41:24

AS FADAS, PAPAIS NOÉIS E O CONTO DO VIGÁRIO.

Ontem foi simplesmente a demonstração de força de um lado, eu nunca vi moeda com um lado só. Nassif deve ter lido um livro de fábulas para alguma criança e sua mente embeveceu com as fabulas e mágicas, texto interessante mas de realidade muito distante, o resto do Brasil é muito maior que São Paulo, o ponto de vista dos paulistanos se confundem com a paralaxia da  avenida paulista...foi a mesma conta segundo o DATAFOLHA, mais 76 eram eleitores de Aécio, mais 75 eram classe alta, foi o mesmo do mesmo, o resto foi fabrica de imagem para a mídia patrona do GOLPE. Vamos ser mais realista né NASSIF. O Brasil acontece fora de São Paulo.

José Carlos Lima...

- 2016-03-14 15:09:46

Caro Nassif, você sabe o

Caro Nassif, você sabe o quanto o respeito, e posto esse link em que o Valter Pomar faz um contraponto ao seu texto, já há algum tempo leio o que o Valter Pomar escreve e não concordo com muita coisa que ele tem publicado, enfim..,.

http://valterpomar.blogspot.com.br/2016/03/nassif-as-pecas-que-faltam-no-seu-xadrez.html?m=1

Emerson Sousa

- 2016-03-14 15:09:20

Análise corretíssima

Nassif,

 

Como sempre, fazes a melhor análise do cenário político brasileiro.

Jandui Tupinambás

- 2016-03-14 14:01:47

O cenário mais provável não foi considerado

Nassif,

excelente análise mas pelo que conheço do Lula, ele não tomará decisões pensando apenas em sua imagem. Você está menospresando a veia estadista e estratégica dele.

Minha aposta é a seguinte:

Lula vai encarar Moro e aposta em uma reação dos brasileiros e de todo arco democrático mundial que irão pressionar a segunda instância. Seus advogados, por uma questão estratégica, não terão pressa em tirá-lo da prisão. A não confirmação da condenação em segunda instância pode-se se juntar a uma reção da economia em 2017 e novos cenários otimistas surgirão. 

O mundo é redondo...

 

 

( Visitante ) Nickname-Humberto

- 2016-03-14 13:59:22

Minha postagem da madrugada não foi publicada????

Minha postagem da madrugada não foi publicada ???? Publicamente, Nassif falou pra um participante, Ivan, que tinha cortado postagens de Nickname "por chatice", não por teor político, nem moral.

O que houve dessa vez pra cortarem???

Luís CPPrudente

- 2016-03-14 13:58:44

Sonho de um coxinha?

Estas argumentações: passar para o Temer  o poder e sair fora para não ser presa é tudo o que os coxinhas sonham.

 

Luís CPPrudente

- 2016-03-14 13:54:50

Renan Calheiros tem que saber o seu exato lugar.

Renan Calheiros tem muita coisa podre a esconder. Ele começa a se achar acima do Governo Dilma, alguém tem que avisar ele que sem a teta do Governo Federal o PMDB não consegue se aglutinar, talvez nem mesmo o próprio Renan.

Renan, volte para o seu devido lugar.

Realista

- 2016-03-14 13:29:04

Acho que os analistas estão

Acho que os analistas estão fazendo teses mirabolantes para um caso simples.

O problema maior é econômico: 4% de queda do PIB durante 2 anos seguidos não é recessão, é DEPRESSÃO.

Qualquer governo que estivesse no poder,  PT, PSDB, PX ou PZ sofreria o mesmo processo de rejeição.

A Dilma foi MUITO incompetente no comando do país. E por isto está sendo rejeitada.

Rejeitada  principalmente pelos pequenos empresários que são o motor de qualquer país e, de um modo geral, formam uma maioria silenciosa, pois são dedicados apenas ao seu trabalho e à sua família e não participam ativamente da política. Esses apenas vão para as ruas em tempos de "guerra" e 10% de queda do PIB é período de guerra para o bolso de qualquer pessoa economicamente ativa.

Esta é a minha opinião e acho que o resto é papo de "jornalista especializado".

Ruben Bauer Naveira

- 2016-03-14 13:02:39

ALGUÉM POR FAVOR DÊ UM RECADO A MICHEL TEMER!!

Alguém por favor faça chegar a Michel Temer que o Patrono da Glória Redentora (PGR), no comando do Messianismo Purificador dos Falhos-de-caráter (MPF) destrói os seus inimigos UM DE CADA VEZ, começando pelos mais fortes e só então passando para os mais fracos.

O primeiro e mais forte inimigo a ser destruído (por causa do apoio popular de que dispõe, o qual necessita ser minado e erodido até acabar neutralizado)  é o trinômio Lula-Dilma-PT.

Você, Michel Temer, é o instrumento, o joguete. Você está sendo poupado, e continuará a sê-lo, até o dia em que seja votado o impeachment de Dilma. Na primeira hora do dia seguinte, o inferno desabará sobre a sua cabeça. É um jogo de xadrez, e os movimentos futuros já foram TODOS antevistos. Você acredita que joga o seu próprio jogo, mas, sem perceber, você está jogando o jogo deles.

O "Alto-Comando", por enquanto, precisa de você (e da ambição desmedida de seus pares no PMDB e seus aliados de ocasião no PSDB) para o impeachment. Consumado o impeachment, você (e o PMDB, e o PSDB) tornam-se descartáveis.

E você e o seu PMDB são MUITO mais fracos (e fáceis de destruir) do que Lula, Dilma e o PT.

Agora, alguém por favor dê um recado a Gilmar Mendes:

Alguém faça chegar a Mendes que ele TAMBÉM só serve à conspiração enquanto joguete, instrumento a ser descartado mais à frente. Que, juntamente com a Constituição e a Democracia que você, Gilmar, tanto menospreza, irá pelo mesmo ralo o status quo, o establishment histórico, do qual você tem sido a estrela e o símbolo maior. Que a última esperança de evitar a hecatombe é um STF UNIDO. Que, depois que o caldo já tiver entornado, você vai se arrepender de não ter cerrado fileiras, enquanto ainda era tempo, com Luis Roberto Barroso e Ricardo Lewandowski.

Alguém por favor dê um recado a Geraldo Alckmin e Aécio Neves:

Alguém lhes esclareça que não passa pelos planos "deles" que um de vocês venha a ser Presidente da República. Foi sintomático o que aconteceu ontem na Paulista. Vocês JÁ estão sendo descredenciados. Aécio será descartado primeiro, mas Alckmin também tem telhado de vidro. A velha ordem foi condenada à morte POR INTEIRO (e, se por acaso eles fossem pinçar algum nome da velha ordem para, digamos, uma transição, um presidente-tampão, seria o Serra, que domina a arte de conspirar infinitamente melhor do que vocês dois juntos).

Acordaê galera, senão vai todo mundo, já, já, fazer companhia a Lula no banco dos réus.......
 

Nelson Tomazi

- 2016-03-14 12:54:10

livros de Richard Evans

Para ler o livro citado e os outros dois da trilogia é só acessar http://lelivros.website/ que estão lá à disposição . São essenciais para se entender como o nazismo nasceu e cresceu. Traz um pouco de luz à situação atual no Brasil

D_P

- 2016-03-14 12:42:55

Nassif, o Governo Dilma ja

Nassif, o Governo Dilma ja acabou. Nâo creio que haja volta.

Talvez a saída seria ela negociar com Temer e outros personagens um "acordão", aonde ela renunciaria e garantiria o asfixiamento da lava jato e do alto comando - que aliás, ela mesma que alimentou.

Não vejo outra saída. Se não for assim, será como voce disse, há riscos evidentes de Lula e até a própria Dilma serem presos e uma pseudo ditadura juridica tomar conta do País. Infelizmente é isso.

 

Emilio Font

- 2016-03-14 11:32:44

Impressionante a semelhança,

Impressionante a semelhança, aliás as semelhanças entre o período pré nazista e o atual são cada vez maiores. Há uma outra comparação entre a tese do "inimigo comum" criada pelos nazistas que atribuia ao judeus todos os males da Alemanha, no Brasil de hoje o PT seria esse inimigo comum a quem se atribui todos os males da nação. Isso sem falar nos "mandamentos" de Goebbels que deve ser a leitura de cabeceira da Globo.

Jossimar

- 2016-03-14 11:24:54

Dima, que tal cortar o verba

Dima,

que tal cortar o verba publicitária que a CAIXA destina ao flamengo.

Leonardo Verderio

- 2016-03-14 11:24:35

Entendendo o jogo de xadrez político

Nassif, se entendi a sua tese, o PGR joga um jogo que não está sendo captado por ninguém. Ele combate o PT e poupa a oposição (PMDB,PSDB) apenas para não ter que lutar com mais de um inimigo por vez. Destruído o PT, ele avançaria sobre estes partidos para acabar com o quadro político atual. Feito isto, limpado a arena política, um personagem fora do mundo político habitual (provavlemente um com marca de ser impoluto, Sérgio Moro serviria ou poderia ser um outro alinhado com o judiciário) controlaria o poder que possui votos. O congresso, com a figuras conhecidas destroçadas, seria preenchido por personagens sem relevância. O poder, em todas as suas esferas, estaria nas mãos do poder judiciário. Talvez seja esta a resposta a sua pergunta do porquê a corporação dos procuradores embarcou nesta aventura. A Lava-jato está tendo a colaboração da midia para acabar com o PT. Quando a operação avançar sobre a oposição qual seria o comportamento dessa mídia? Embora ela não tenha compromisso com ninguém e com nenhuma causa, ela ficaria receosa de avançar em terreno desconhecido. No final teríamos a ditadura do judiciário, com o discurso que agora o país estaria limbro das pragas da política tradicional.

Ze Guimarães

- 2016-03-14 09:15:15

Pelo bem do povo

Caro Asreonauta. Aqui não há muito o que discutir, pois temos ideologias diferentes. Para o Sr. a democracia está acima de tudo, inclusive acima do bem etar do povo. Para mim, se for para o bem do povo, vale a pena até mesmo mudar o regime no meio do jogo, se for vizando o bem do país. Chamo a isto flexibilidade e rapidez de resposta.

Aque nome o Sr. daria para todas as mentiras, falsidades e traições que Dilma fez durante a campanha política, e não cumpriu sequer uma palavra do que prometeu?

Já ,sei, o Sr. prefere defender uma mentirosa, só para manter a democracia, ainda que ela seja uma tucana disfarçada entregando o pre sal, do que quebrar as regras do jogo e aprovar um parlamentarismo. Eu entendo sua posição, embora não concorde.

NAIDE RIBEIRO JUNIOR

- 2016-03-14 08:45:48

O xadrez da política

Caro Luis Nassif,

 

Li a sua brilhante análise. Faltou apenas você mencionar o papel dos militares neste processo.

 

Abraço,

 

Naide

Goren, roberto

- 2016-03-14 06:07:34

O tal do estelionato

O tal do estelionato eleitoral acabou com a dilma.

 

quando o aecio discursava pros pobres entrava por um ouvido e saia pelo outro. Agora mtos se sentiram traidos. Dilma tinha duas opcoes pro ministerio: ciro e barbosa... Foi atras de alguem que recebeu todos os elogios do psdb... Isso eh um tapa na cara do eleitor. So nao me arrependi do voto, pq sei q se aecio assumisse ia fazer khdas  piores e colocaria toda a culpa no pt (herança maldita diria). Hj, acho q dilma deveria ter perdido essa eleiçao, seria um passo atras e o lula teria chance em 2018. Nao que eu queira o lula, pois acho que eh hora de uma mudança com ciro gomes. Mas ter o pt forte deve sempre ser uma alternativa. E isso fica cada vez mais dificil

Goren, roberto

- 2016-03-14 05:59:26

Procure por Bruno Tyson no

Procure por Bruno Tyson no facebook, ele poderá te explicar melhor tudo que vc quiser saber sobre esses que comandam o caos

Alexandre E. M. Meloni

- 2016-03-14 05:48:00

Leitura imprescindível. Leiam

Leitura imprescindível. Leiam pelo menos as 120 primeiras páginas!

Richard J. Evans lecionou nas Universidades de Columbia, Londres e está em Cambridge.

A página 53 dá uma mostra de como o mesmo jogo sujo e conservador da polícia, promotores e juízes contribuiu para a ascenção do Nazismo.

Até parece que Janot et caterva estudaram como o nazismo subiu ao poder. usam a mesma metodologia.

A Chegada do Terceiro Reich

 

Página 53:

Alexandre E. M. Meloni

- 2016-03-14 05:16:44

O STF se omitirá?

Leitura obrigatória nesse momento atual.

Estarão os ministros do STF à altura de evitar a mesma situação que levou ao nazismo na Alemanha, com a polícia forjando inquéritos e juízes e prootores julgando o pessoal de esquerda?

Richard Evans é PhD em Hitória e Lecionou/leciona nas Universidades de Columbia, Londres e Cambridge.

 

C:UsersUserPicturesA.Chegada.III.Reich-R.J.Evans_Capa.jpg

 

SergioMedeirosR

- 2016-03-14 04:50:19

A democracia, a guerra do shale oil e o Brasil

A democracia, a guerra do shale oil e o Brasil.

Para os que não sabem o que esta em jogo no Brasil, caso queiram saber, é simples "follow the money" (sigam o dinheiro).

A abertura da guerra contra o shale oil (petróleo), extraído nos EUA a preços estratosféricos de  80 dólares, ao qual se acrescem os igualmente estratosféricos danos ambientais, feita através da baixa do preço, resultou, num curto prazo, na inviabilidade economica de tal exploração.

Pergunta-se? Qual a saída para os investidores multimilionários deste ramo (que é estimada em trilhões de dólares).

Responta óbvia, o pré-sal brasileiro.

Assim, como recentemente  sinalizado pelo Senado brasileiro, as grandes empresas e investidores norte americanos, trocariam a exploração do shale oil – bem mais cara e com danos ambientais de grande monta – pela exploração do pré-sal, mais barata e com eventuais danos ambientais a serem suportados pelo país onde ocorre a extração (Brasil).

Por isso a urgência – depois de tanto tempo com o petróleo a preços baixos e a quase estagnação da exploração do shale oil nos EUA, não tem mais como eles aguentarem a pressão, eles precisam fazer a transição de forma célere, urgente.

Por isso, a sanha entreguista do Serra, e de toda a bancada do PSDB, DEM, PPS,e outros - e que se dane o Brasil, a Constituição e a democracia.

Agora vocês sabem quem esta patrocinando todo este movimento, ou vocês acham que a cobertura maciça da mídia (que custa bilhões) estes carros de som, sites, colunistas e toda esta estrutura é de graça.

Talvez vocês já saibam desde o momento em que mais de 300 bilhões do PIB brasileiro foi para  a cadeia (grandes empreiteiros e empresários outros).

É que, no mundo capitalista, para fazer isso, somente com a anuência e apoio de uma força econômica maior, ou seja, somente com o apoio desde imenso capital norte americano seria possível.

Por estes trilhões de dólares, derrubam-se democracias, patrocinam-se golpes de toda espécie militares, judiciais, midiáticos, o que for necessário.

Eis nosso adversário, se nós não soubermos quem efetivamente estamos combatendo, as estratégias e análises estarão fadadas ao fracasso, pois sempre haverá um fator não considerado e, nesse caso, fundamental...

Como sempre é só seguir o dinheiro (follow the money).

https://jornalggn.com.br/noticia/porque-o-preco-do-petroleo-esta-tao-baixo

https://jornalggn.com.br/noticia/o-obscuro-cartel-por-tras-da-midia-por-sergio-medeiros

http://tijolaco.com.br/blog/queda-do-preco-do-petroleo-reduz-investimento-do-shaledos-eua/

http://www.infomoney.com.br/mercados/noticia/3750770/precos-petroleo-queda-inviabilizariam-shale-dos-eua-antes-pre-sal

 

Beatriz Canedos

- 2016-03-14 04:31:52

Acho que já o escolheram...

...o Hitler: Bolsonaro!

Mariano S Silva

- 2016-03-14 04:25:52

Sérgio, com o episódio do

Sérgio, com o episódio do "shale oil" quem se f...eu foram pequenos e médios investidores que pegaram o dinheiro lançado de helicóptero a juros negativos e quebraram. O governo dos EUA não está nem um pouco preocupado com eles, caso contrário não teria incentivado esta loucura. O objetivo aqui foi estratégico: quebrar a Rússia que está se armando muito depressa. Só que se esqueceram de combinar com os próprios...

As grandes petroleiras ficaram de fora dessa festa. Esperaram as pequenas quebrarem,  compram suas reservas na bacia das almas e sentam em cima. É claro que se faltar petróleo para os consumidores ferozes americanos é só reativar as prospecções com uma "ajudinha" do governo, lógico!

Resumindo o que as grandes querem é simplesmente comer a nossa galinha já achada e morta e lucrar muitooo!

ana s.

- 2016-03-14 04:21:57

Aí, Edu!

Perfeito seu comentário! As soluções que Nassif vislumbra passam todas pelo alto. A passeata do dia 13 - da classe média, principalmente - até é colocada como fundamental, mas e os movimentos sociais? A gente não conta nada?

BALELA!

TODOS À RUA NO DIA 18!

VAMOS BARRAR O GOLPE (OU TORNÁ-LO MUITO, MUITO, MUITO MAIS DIFÍCIL PRA CANALHA FASCISTA E ENTREGUISTA)! 

ana s.

- 2016-03-14 04:12:39

Interessante, mas...

Por essa análise, que é interessante, todas as soluções passam exclusivamente pelo alto, tudo se resolve em Brasília (até Curitiba dançou na parada). Nassif até admite que a passeata deste domingo, em São Paulo, seria fundamental. Mas a mobilização dos movimentos sociais (e de petistas e simpatizantes) em sentido contrário não vale NADA? Acho uma concepção enviesada do ponto de vista sociológico.

TODOS À RUA NO DIA 18!

NÓS PODEMOS FAZER A DIFERENÇA SIM!

Goren, roberto

- 2016-03-14 03:59:50

Gilson

gostaria de acreditar nisso tb, mas a verdade eh que eh essa classe q derruba governo mesmo...

ja dizia uma professora minha que a classe media falta consciencia de classe. Ela sempre esteve ao lado dos ricos, talvez por se acharem ricos, talvez pq gastem mais do que ganham pra se sentirem ricos ou seja la qual for motivo. Mas eh fato que eles nao se identificam com o povao: bradam por hospitais e saude publica pros pobres, mas nao os suportam no aeroporto.

e eh mirando nessa classe que a elite conseguiu mobilizar grande numero de pessoas, poiis a elite eh meia duzia de gato pingado. Eh estranho ver isso, pois a classe media foi quem mais se deu mal no governo fhc.

hoje estive na faculdade (federal) q formei ainda no final do governo fhc. Foram 8 anos sem investimentos e com ameaça de privatizaçao. Hj vi a universidade toda reformada, com cadeiras novas, ar condicionado pago pela universidade (na minha epoca fizemos vaquinha). Enfim... Eles irao se arrepender

Alayr Pessôa Filha

- 2016-03-14 03:36:57

Procuradores impolutos?

Ainda me espanta sua insistência em pôr a mão no fogo por esse punhado de concurseiros abiciosos de status do MP. Honestamente, acho que vc precisa frequentar as faculdades de Direito, as Escolas de Magistratura e de MPs para ver quem são e o que são os engomados que lá se formam. Não pense que as mudanças promovidas no perfil acadêmico das universidades, nas gestões de Lula, foram suficientes para já ter formado uma nova geração de Promotores comprometidos com uma visão progressista do Direito. 

Não vejo nada nem ninguém confiável em um setor que se prefere no texto chamar de Alto Comando. E por que Alto Comando? Pq centraliza poder em um processo que não é um processo,  é uma farsa de politicagem. Como se pode no mesmo texto afirmar que há aí boas almas, bem intencionadas, "inocentes", todos manipulados por Janot, crendo que fazem o bem do país em um processo que qqr principaiante do Direito vê que é pura manipulação??? Ora, nos poupe. São venais como boa parte do Judiciário. Loucos por poder que reivindicam um retrocesso histórico em relação ao direito penal em todo o mundo: a volta a um sistema inquisitorial em detrimento do sistema acusatório; poder de investigação para o MP, sem que o investigado tenha sequer o direito de saber que está sendo investigado. Quem em sã consciência pode crer que esses sujeitos têm boas intenções e não apenas uma sede monstruosa e assustadora de poder? Em bom português: Estamos é lascados, isso sim. 

Doney

- 2016-03-14 03:20:20

Stress desnecessário

Não sei porque todo este stress, de acordo com o José Eduardo Cardozo o MPF e a PF são republicanos, não há com que se preocupar.

Bahia

- 2016-03-14 03:05:16

"O Fantástico termina aqui

"O Fantástico termina aqui nesse domingo histórico, onde milhões de pessoas foram às ruas contra a corrupção e o PT. Fique agora com o Big Brother Brasil"

Apresentador da Rede Globo.

 

katiusca

- 2016-03-14 03:04:07

O xadrez da politica no dia D

Não entendo de jogos....sei que não suportamos mais  dormir e acordar com um pesadelo nos rondando  e a qualquer momento tudo por que lutamos poderá evaporar-se numa fala empostada do Bonner ou Alexandre Garcia: a ex presidente Dilma ....aliás jornalistas já se referem a ela como ex . Talvez seja este o jogo , nos cansarmos até o desespero de jogarmos a toalha, sob qualquer pretexto.

Não deixaram a presidente em paz um dia sequer, presa a um partido ganancioso, que governa de fato, tem a presidencia das duas casas  nas mãos  e o seu futuro incerto com o impeachment , moeda de chantagens.

A oposição não deu trégua,se aliou a toda sorte de meliantes do parlamento para derrubá-la.

Não falem em paralamentarismo, pois não elegemos uma mulher idônea para submetermos a corruptos impunes, e falsos moralistas que desrespeitam a presidente eleita, inclusive pelo fato de ser mulher.

A Globo  se enfia nas casas do país  todos os dias azeitando o golpe, é de fato o próprio golpe a espera do desfecho. Dela se serve a Lavajato, as instancias juridicas como MP São Paulo, e toda sorte de manipulação, util ao ponto final, por cansaço ou imposição.

A globo é quem promove Moro, dá -lhe visibilidade e propaga ilegalidades, como o pedido de prisão preventiva de Lula com  ênfase nas interpretações de um libelo politico bizarro, dos promotores. Não leu na íntegra o direito de resposta do ofendido.

É  a ela que recorrem com antecedencia a PF para filmar prisioneiros ilegais , conduções coercitivas e tudo que sirva de audiencia para compor a realidade construida de que o pt é uma quadrilha organizada, Lula e sua familia são milionarios , donos de tríplex e sitios e que manifestações infladas de fascismos podem derrubar um governo que não agrada.

Para derrubá-lo no entanto, está faltando levar em conta a indignação de 52 milhões de brasileiros que o elegeram e que ainda irão as ruas dia 18 .

Importantissimo é não esquecer que no fundo mesmo toda esta lambança é para emplacar o projeto do psdb que tem no bojo interesses internacionais no nosso Présal,  alinhamento com EUA , interesse economico e geopolitico na américa latina e  em derrotar o BRICS.

Não concordo que o nosso líder maior , Lula, entre para o governo onde poderá desgastar-se e perderemos a nossa mais poderosa ficha . Enxovalhar Lula é o prazer sórdido da oposição, não vamos alimentar...Lula não precisa destas alegadas blindagens..

Se derrubarem Dilma, que não seja sem lutas suficientes nas ruas por todos que lhe elegeram inclusive eu. Cairá de pé dignamente. E que Lula seja preservado para o futuro. Porque só ele mesmo para recomeçar tudo do zero.

 

Paulo F. Souza

- 2016-03-14 02:35:37

Washington, DC

O dia hoje foi difícil. Tive que conversar com amigos globetes, mouretes e mpfetes. Nunca pensei que alguns fossem virar fãs de delegados de polícia. São os heróis do país: um juiz brincando de batman, o (os) promotor (res) e a polícia. Em que ponto chegamos. O que um ministro da justiça incompetente não consegue fazer?! Dizem, alguns mais à esquerda, que o ex-ministro é procurador que age em prol dos seus. Santo corporativismo, batman. E, fiquei pasmo, tem uma tal de paula rousseff que é procuradora do mpf. Chequei até no google e parece que é verdade. Acho que os procuradores irão assumir essa república de bananas. Dilma não é a mãe do pac, ela é a mãe do mpf.

Um parênteses, eu disse e provei a um amigo que a lava jato é a maior responsável pela crise. Ele quase chorou. O cara encheu a boca para dizer que a lava jato recuperou centena de milhão. Aí fomos brincar de fazer as contas em cima do PIB. Uma tragédia: a meninada da lava jato deu um prejuízo fenomenal. Vai ficar acima de 500 bilhões, ao longo de dois anos. E ainda perguntei: tu pagavas 500 bi para recuperar 100 milhões?

Ah, sobre o post. Um dos melhores do Nassif. Finalmente ele sacou que o tal janot dar suporte aos meninos da lava jato. Mas, ele não é o rei desse tabuleiro. Li aqui neste blog que o tal procurador estava na festa da fundação do ifhc, dando depoimentos em prol do instituto. Se ele estava lá, ele é do clube. Tem uma ala do psdb mais inteligente, liberal e entreguista por trás disso tudo. O líder dessa ala é serra. O mais entreguista dos senadores. Detalhe, tirando as palhaçadas da última eleição presidencial dele, eu gosto do sujeito. Um liberalismo entreguista, mas necessário. Antes que a ptezada me critique, o liberalismo é infinitamente melhor que o estado que Dilma-Cardozo nos imputaram: um estado judicial-policesco onde o Judiciário-MP-PF são o coração do Brasil.

Ainda sobre o post, é difícil prever esse momento sombrio e obtuso. Mas, me arrisco a dizer que o alto comando é um grupo: pgr, ministros do supremo, senadores. E eles venceram o jogo porque atacam de várias frentes como se fossem frentes independentes e, pasmem, com simulacro de imparcialidade em alguns caso.

Se Lula for esperto, vai logo na fonte: EUA. É melhor se render para Obama. Uma rendição condicional do que se render aqui aos abutres. De uma forma ou de outra, Washington venceu mais uma vez. O governo Dilma permitir que o pgr negocie com o terceiro escalão dos EUA foi o fim. Se é para entregar, entrega você, Lula, e nos livra desse estado judicial burocrático de uma vez. Taca estado mínimo para cima desses caras. Eles ficariam loucos em ter que ser apartados do dinheiro público.

Como estava dizendo, estamos precisando de um bom vendedor. Aquele que vende sem destruir a mercadoria e consegue um preço maior. Acredito que o metalúrgico seja o vendedor que precisamos.

Por fim, faltou um jogador: os milicos!? Tem uma velharia obtusa do clube militar, mas, talvez, tenha alguém inteligente para ver isso tudo. Será que eles assistirão imóveis os generais de gabinete (os bacharéis da lava jato) fazerem as lambanças mais infantis da história do Brasil?

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2016-03-14 02:19:21

A versão da The Economist sobre o AlphaGo

Showdown

Win or lose, a computer program’s contest against a professional Go player is another milestone in AI

Mar 12th 2016 | SEOUL | From the print editionTimekeeper 

UPDATE Mar 12th 2016: AlphaGo has won the third game against Lee Sedol, and has thus won the five-game match.

TWO : NIL to the computer. That was the score, as The Economistwent to press, in the latest round of the battle between artificial intelligence (AI) and the naturally evolved sort. The field of honour is a Go board in Seoul, South Korea—a country that cedes to no one, least of all its neighbour Japan, the title of most Go-crazy place on the planet. To the chagrin of many Japanese, who think of Go as theirs in the same way that the English think of cricket, the game’s best player is generally reckoned to be Lee Sedol, a South Korean. But not, perhaps, for much longer. Mr Lee is in the middle of a five-game series with AlphaGo, a computer program written by researchers at DeepMind, an AI software house in London that was bought by Google in 2014. And, though this is not an official championship series, as the scoreline shows, Mr Lee is losing.

In this sectionShowdownWithout fire?CrucibleCool beansReprintsRelated topicsTechnologyScience and technologyComputer technologyArtificial intelligenceGames

Go is an ancient game—invented, legend has it, by the mythical First Emperor of China, for the instruction of his son. It is played all over East Asia, where it occupies roughly the same position as chess does in the West. It is popular with computer scientists, too. For AI researchers in particular, the idea of cracking Go has become an obsession. Other games have fallen over the years—most notably when, in 1997, one of the best chess players in history, Garry Kasparov, lost to a machine called Deep Blue. Modern chess programs are better than any human. But compared with Go, teaching chess to computers is a doddle.

At first sight, this is odd. The rules of Go are simple and minimal. The players are Black and White, each provided with a bowl of stones of the appropriate colour. Black starts. Players take turns to place a stone on any unoccupied intersection of a 19x19 grid of vertical and horizontal lines. The aim is to use the stones to claim territory. In the version being played by Mr Lee and AlphaGo each stone, and each surrounded intersection, is a point towards the final score. Stones surrounded by enemy stones are captured and removed. If an infinite loop of capture and recapture, known as Ko, becomes possible, a player is not allowed to recapture immediately, but must first play elsewhere. Play carries on until neither player wishes to continue.

Go forth and multiply

This simplicity, though, is deceptive. In a truly simple game, like noughts and crosses, every possible outcome, all the way to the end of a game, can be calculated. This brute-force approach means a computer can always work out which move is the best in a given situation. The most complex game to be “solved” this way is draughts, in which around 1020 (a hundred billion billion) different matches are possible. In 2007, after 18 years of effort, researchers announced that they had come up with a provably optimum strategy.

But a draughts board is only 8x8. A Go board’s size means that the number of games that can be played on it is enormous: a rough-and-ready guess gives around 10170. Analogies fail when trying to describe such a number. It is nearly a hundred of orders of magnitude more than the number of atoms in the observable universe, which is somewhere in the region of 1080. Any one of Go’s hundreds of turns has about 250 possible legal moves, a number called the branching factor. Choosing any of those will throw up another 250 possible moves, and so on until the game ends. As Demis Hassabis, one of DeepMind’s founders, observes, all this means that Go is impervious to attack by mathematical brute force.

But there is more to the game’s difficulty than that. Though the small board and comparatively restrictive rules of chess mean there are only around 1047 different possible games, and its branching factor is only 35, that does, in practice, mean chess is also unsolvable in the way that draughts has been solved. Instead, chess programs filter their options as they go along, selecting promising-looking moves and reserving their number-crunching prowess for the simulation of the thousands of outcomes that flow from those chosen few. This is possible because chess has some built-in structure that helps a program understand whether or not a given position is a good one. A knight is generally worth more than a pawn, for instance; a queen is worth more than either. (The standard values are three, one and nine respectively.)

Working out who is winning in Go is much harder, says Dr Hassabis. A stone’s value comes only from its location relative to the other stones on the board, which changes with every move. At the same time, small tactical decisions can have, as every Go player knows, huge strategic consequences later on. There is plenty of structure—Go players talk of features such as ladders, walls and false eyes—but these emerge organically from the rules, rather than being prescribed by them.

Since good players routinely beat bad ones, there are plainly strategies for doing well. But even the best players struggle to describe exactly what they are doing, says Miles Brundage, an AI researcher at Arizona State University. “Professional Go players talk a lot about general principles, or even intuition,” he says, “whereas if you talk to professional chess players they can often do a much better job of explaining exactly why they made a specific move.” Intuition is all very well. But it is not much use when it comes to the hyper-literal job of programming a computer. Before AlphaGo came along, the best programs played at the level of a skilled amateur.

Go figure

AlphaGo uses some of the same technologies as those older programs. But its big idea is to combine them with new approaches that try to get the computer to develop its own intuition about how to play—to discover for itself the rules that human players understand but cannot explain. It does that using a technique called deep learning, which lets computers work out, by repeatedly applying complicated statistics, how to extract general rules from masses of noisy data.

Deep learning requires two things: plenty of processing grunt and plenty of data to learn from. DeepMind trained its machine on a sample of 30m Go positions culled from online servers where amateurs and professionals gather to play. And by having AlphaGo play against another, slightly tweaked version of itself, more training data can be generated quickly.

Those data are fed into two deep-learning algorithms. One, called the policy network, is trained to imitate human play. After watching millions of games, it has learned to extract features, principles and rules of thumb. Its job during a game is to look at the board’s state and generate a handful of promising-looking moves for the second algorithm to consider.

This algorithm, called the value network, evaluates how strong a move is. The machine plays out the suggestions of the policy network, making moves and countermoves for the thousands of possible daughter games those suggestions could give rise to. Because Go is so complex, playing all conceivable games through to the end is impossible. Instead, the value network looks at the likely state of the board several moves ahead and compares those states with examples it has seen before. The idea is to find the board state that looks, statistically speaking, most like the sorts of board states that have led to wins in the past. Together, the policy and value networks embody the Go-playing wisdom that human players accumulate over years of practice.

As Mr Brundage points out, brute force has not been banished entirely from DeepMind’s approach. Like many deep-learning systems, AlphaGo’s performance improves, at least up to a point, as more processing power is thrown at it. The version playing against Mr Lee uses 1,920 standard processor chips and 280 special ones developed originally to produce graphics for video games—a particularly demanding task. At least part of the reason AlphaGo is so far ahead of the competition, says Mr Brundage, is that it runs on this more potent hardware. He also points out that there are still one or two hand-crafted features lurking in the code. These give the machine direct hints about what to do, rather than letting it work things out for itself. Nevertheless, he says, AlphaGo’s self-taught approach is much closer to the way people play Go than Deep Blue’s is to the way they play chess.

One reason for the commercial and academic excitement around deep learning is that it has broad applications. The techniques employed in AlphaGo can be used to teach computers to recognise faces, translate between languages, show relevant advertisements to internet users or hunt for subatomic particles in data from atom-smashers. Deep learning is thus a booming business. It powers the increasingly effective image- and voice-recognition abilities of computers, and firms such as Google, Facebook and Baidu are throwing money at it.

Deep learning is also, in Dr Hassabis’s view, essential to the quest to build a general artificial intelligence—in other words, one that displays the same sort of broad, fluid intelligence as a human being. A previous DeepMind paper, published in 2015, described how a computer had taught itself to play 49 classic Atari videogames—from “Space Invaders” to “Breakout”—simply by watching the screen, with no helpful hints (or even basic instructions) from its human overlords. It ended up doing much better than any human player can. (In a nice coincidence,atari is also the name in Go for a stone or group of stones that is in peril of being captured.)

Games offer a convenient way to measure progress towards this general intelligence. Board games such as Go can be ranked in order of mathematical complexity. Video games span a range of difficulties, too. Space Invaders is a simple game, played on a low-resolution screen; for a computer to learn to play a modern video game would require it to interpret a picture much more subtle and complicated than some ugly-looking monsters descending a screen, and in pursuit of much less obvious goals than merely zapping them. One of DeepMind’s next objectives, Dr Hassabis says, is to build a machine that can learn to play any game of cards simply by watching videos of humans doing so.

Go tell the Spartans

For now, he reckons, general-purpose machine intelligence remains a long way off. The pattern-recognising abilities of deep-learning algorithms are impressive, but computers still lack many of the mental tools that humans take for granted. A big one is “transfer learning”, which is what AI researchers call reasoning by analogy. This is the ability to take lessons learned in one domain and apply them to another. And machines like AlphaGo have no goals, and no more awareness of their own existence than does a word processor or a piece of accounting software.

In the short term, though, Dr Hassabis is optimistic. At a kiwon, or Go parlour, in Seoul, the day before the match, the 30 or so players present were almost unanimous in believing that the machine would fall short. “Lee is a genius who is constantly creating new moves; what machine can replicate that?” asked one. At a pre-match press conference Mr Lee said he was confident he would win 5-0, or perhaps 4-1.

He was, plainly, wrong about that, although it is not over yet. “He’s a very good player,” said a diplomatic Dr Hassabis before the match. “But our internal tests say something different.” Even if Mr Lee does manage to pull off an improbable victory, though, humans are unlikely to stay on top for long. As AlphaGo’s algorithms are tweaked, and as it gathers more data from which to learn, it is only going to get better. Asked whether there was a ceiling to its abilities, Dr Hassabis said he did not know: “If there is, we haven’t found it yet.”

Correction: An earlier version of this story suggested that 10170 was the number of possible positions of stones on a Go board; in fact it is an estimate of the number of possible Go games. Sorry

 

Marcelo R S

- 2016-03-14 02:15:00

Nesta noite a globo foi

Nesta noite a globo foi fantástica na manipulação ao cobrir a micareta dos coxinhas, e de quebra deu umas estocadas em Renan e Cunha, uma forma de pressioná-los a abandonar o governo tipo assim: sabe com quem tá falando?

 

Gilson AS

- 2016-03-14 02:09:51

Se tem interferência do

Se tem interferência do exterior, por que a Dilma não conversa como os militares para ver até que ponto isso é verdade.

Porque se houver golpe, eles serão umas das classe mais atingidas, mais prejudicadas

Tem que investigar os objetivos reais do Moro e do Janot.

A não ser que os milicos também estejam no golpe.

Sinceramente, as vezes reluto para acreditar na fragilidade da Dilma, que o Nassif acha que ela tem.

Uma pessoa que sofreu tanto na vida, não é possível que  não tenha um plano B para saída da atual crise politica.

 

José Carlos Lima...

- 2016-03-14 02:07:57

Robério, você precisa

Robério, você precisa aprender noções básicas de interpretação de texto.  Lula está sendo tratado da mesma forma que a mídia, parte ativa em todas as guerras, tratou Saddam, isso é compreensível, uma vez que não há guerra sem mídia.

Como você tem dificuldade de interpretar texto, vou reptir:  Lula está tendo o mesmo tratamento que fora dispensado a Saddam, o que é natural numa guerra. Espero que você tenha entendido que estou criticando o sistema mídia-moro bélico, é isso o que venho sustentando sobre o tema, isso é fato, estamos vendo todo santo dia que é isso.

Quando o comentário ai, sobre o iraquiano que martelou a estátua de Saddam, estou a dizer que lá e cá há midiotas que cavam a própria sepultura e não sabem, fico feliz em saber que você não é um destes.

 

ATavares

- 2016-03-14 02:06:12

Nassif, difícil imaginar que

Nassif, difícil imaginar que aqueles que você chama de Parlamentaristas aceitem Lula como articulador político do governo Dilma, uma espécie de primeiro ministro, memso que informal.

A Aliança Renan-Serra-Jucá é muito mais ideológica do que muitos imaginam. 

Um exemplo claro do posicionamento dessa turma é o projeto aprovado no Senado, retirando da Petrobras a prerrogativa dos 30% no pré-sal. 

Significa que o grupo tem compromissos outros. Portanto, caso a opção seja Lula coordenador político, mesmo que informal, não contem com os chamados Parlamentaristas. Os objetivos destes são bem distintos dos de Lula. Interesses inconciliáveis.

Marcelo R S

- 2016-03-14 02:00:03

Robério, será que a zika

Robério, será que a zika globo roeu seus neurõnios.

Gilson AS

- 2016-03-14 01:56:02

Na época o caso foi bem

Na época o caso foi bem divulgado.

Gilson AS

- 2016-03-14 01:53:23

Se depender da passeata de

Se depender da passeata de hoje não terá golpe.

Passeata monocromática, previsível, o mais do mesmo, sem graça,sem vibração, sem cor.

Cadê o povão de fato ?

Brancos de todas as classes sociais, negros, nordestinos, pessoas humildes ...

Não acredito que apenas uma classe social tenha força para dá um golpe.

E mais, os principais ícones do coxinhas foram escorraçados, escrachados, expulsos,

Aécio, Alkim e Dória.

Não sei se pela passeata de hoje o golpe se concretize.

Abelardo Fernandez

- 2016-03-14 01:52:04

Nassif, Vamos ver se
Nassif, Vamos ver se entendi. O alto comando, formado pela PGR, MPF, Grande Midia e PF atuam para derrubar o governo Dilma e acabar com Lula e o PT. O objetivo é após esse golpe encaminhar o PSDB ao poder especificamente o Aecio, ficando o Alkmin na reserva, caso o Janot e o Moro não consigam proteger o playboy. Esse encaminhamento seria através de novas eleiçoes, o que significa que o jogo deveria ser concluído ainda este sementre. Por isso a agonia do Moro e do MP-SP em prender o Lula e da Midia com as delaçoes que atingem a campanha 2014 de Dilma. Só, que para isso acontecer a Dilma/Temer teriam que ser cassados no TSE, com a ajuda muito especial do Gilmar ( talvez o General do Alto Comando) e Lula impedido de se candidatar. A outra alternativa, ou seja o impeachment de Dilma, levaria Temer para o poder e neste caso as eleições se dariam apenas em 2018 com Aecio, a princípio, como franco favorito, ja que Lula estaria fora da jogada. Isso valeria também caso Dilma resolvesse renunciar, o que segundo ela não vai acontecer. Como todo esse imbróglio pode demorar e o Serra tá doido pelo trono, propõem um semiparlamentarismo para deixar Dilma como Rainha da Inglaterra e ele mandar de fato com apoio do PMDB. Neste caso, o PSDB assumiria mas não do jeito planejado pelo Alto Comando e Aécio. A outra opção seria Lula entrar como ministro de Dilma, conseguir domar o congresso, comandar o governo e levar Dilma até o final. E depois ainda se candidatar em 2018. Só não consigo encaixar o seguinte nisso tudo: 1) Lula como ministro poderia até impedir o impeachment, mas não a cassação no TSE. Se isso acontecer quem assumiria a presidencia da república seria o presidente da Câmara e aí Lula precisaria que este o mantivesse como Ministro para não perder o foro privilegiado e ainda torcer para ser absolvido nas investigações para poder concorrer as novas eleições. 2) Caso Lula fosse para o ministério, a ira da classe media e do alto comando triplicaria. Os protestos também continuariam com mais ódio ainda. Neste caso a unica chance de isso amenizar e acalmar o país era Lula em tempo record melhorar a economia e recuperar a imagem do Governo. Tarefa hiper complicada. 3) Se a juiza aceitar a prisão preventiva de Lula, então xeque-mate, vitória do Alto Comando e by, by Dilma. Porem, como o argumento dos promotores é tão fraco e sem embasamento legal, pode ser que a juiza, mesmo sendo hipoteticamente parte do Alto Comando, fique sem condição de aceitar o pedido. Ao dizer que ela precisará de mais tempo para analisar o processo, pode significar que ela está dando mais tempo para o Moro preparar um novo pedido de prisão de Lula com mais embasamento técnico. Se for isso Lula deve decidir o quanto antes sua escolha. O problema é que com certeza choveria de liminares para impedir sua posse e ainda colocaria Dilma sob risco de ser acusada de tentar obstruir a justiça. Por fim caso conseguisse tomar posse, o Alto Comando em fúria vingaria em cima de sua familia. 4) Por fim se Lula não aceita ser ministro, larga Dilma as feras que não restará outra alternativa a não ser renunciar ou aceitar o acordo do Renan/Serra. Se for mais ou menos isso que está acontecendo a situação ta feia e que Deus nos ajude!!! Abraços.

Guimarães Roberto

- 2016-03-14 01:51:23

Outra vez

Não sei se o PT é prepotente ao ponto de não ouvir conselhos. Aqui vai o meu, de novo. Nas eleições de 2018 seria importante que todos os seus candidatos pedissem aos eleitores para só votarem em candidatos do PT. É a única maneira de se fazer uma grande bancada no Senado, na Câmara dos Deputados, nas Assembléias Estaduais e nas Câmaras de Vereadores. É dessa maneira que se dá sustentação ao candidato eleito.  

May Waddington

- 2016-03-14 01:47:57

xadrez

Parece que nosso bom ex-padre intuiu a saída que vc aponta:

https://leonardoboff.wordpress.com/2016/03/12/apelo-ao-ex-presidente-lula-para-assumir-um-ministerio-no-governo-dilma/

Ana Bednarski

- 2016-03-14 01:47:35

Só pra constar o cunha veio do MP Suíço

E ele é o boi de piranha do Janot para pressionar o PMDB a aderir de vez ao golpe, isso é tão óbvio.

Gilson AS

- 2016-03-14 01:47:04

Só não entendi uma coisa. O

Só não entendi uma coisa.

O minitro Marco Aurelio disse, que mudança de regime de governo, presidencialista para semi parlamentarista, só valerá para as próximas eleições.

Segundo disse, não se pode mudar de regime de governo durante um mandato, que no caso é presidêncialista.

 

gerson pacini modesto

- 2016-03-14 01:45:48

e se Dilma fizer parte do Alto Comando

junto com seu ex-ministro da justiça mas ainda chefe ada AGU.?

WELINTON NAVEIRA E SILVA

- 2016-03-14 01:41:26

O pesado xadrez da atual política brasileira

Prezada presidenta Dilma Rousseff

Apesar de todos os absurdos praticados pela Justiça, Congresso, AGU, Judiciário e grande mídia "livre", continuo acreditando que a senhora deve ser uma grande estrategistas. Logo mais, o povão irá perceber que o aparente grande desastre prestes a acontecer, não acontecerá, por conta de sua magistral jogada de mestre no muito complicado e contaminado tabuleiro de xadrez da política brasileira. Tratando-se de grandes mestres do xadrez, vale entregar importantíssimas peças para o adversário, para logo mais adiante, dar cheque mate.

Agora, se eu estiver enganado, então, a senhora está errando feio, pois que a Nação Brasileira, a olhos vistos, continua sendo empurrada por facções da turma de preto em direção ao caos econômico e social, rumo a uma sangrenta guerra civil por conta das amplas privatizações bem as vistas, a ser comanda pelo experiente PSDB nesse trágico entreguismo.

 Desde junho de 2013, que os comandantes da turma de preto, inicialmente, putos por conta da Comissão da Verdade, resolveram derrubar a pungente economia Dilma/PT das alturas que estava, para a mixórdia que agora restou, em grande parte, graças ao formidável poder de fogo da grande mídia “livre” bombardeando o Brasil com notícias ruins, seguidamente, desde as gigantescas badernas iniciadas em 2013, quando a economia do Brasil estava bombando, com altos índices de aprovação popular, maiores dos que os melhores tempos de Lula/PT.

Por outro lado, custa muito acreditar que o PT ainda não tenha ativado uma poderosa bomba midiática capaz de fazer irreparáveis estragos nas ambições da turma de privatizações, junto com o PSDB,  livrando o Brasil de um devastadora guerra civil, que virá, por conta de amplas privatizações modelo FHC/PSDB, justo numa hora de grande crise mundial.

Para tanto, bastaria o PT botar no ar, por duas ou três semanas, em horário nobre, um programa bem montado e inteligente, para explicar ao desavisado povão as consequências de uma privatização, bem como os mecanismos existentes por detrás desses processos entreguistas. Inclusive, lembrar o povão, que por conta das privatizações FHC/PSDB, a nossa telefonia passou a ser uma das mais caras do mundo e de pior qualidade. A energia elétrica privatizada, também passou a ser uma das mais caras do mundo. Só não passou a ser uma das piores por questões técnica, que inviabilizam o parque consumidor, receber energia elétrica de baixa qualidade. Lembrar também, a baixa qualidade dos planos de saúde privados, salvo as raras exceções.

O povão precisa saber que as privatizações realizadas pelas elites, antes de tudo, visa o rápido enriquecimentos de uma turma, sem trabalho algum,  ao receber siderais riquezas do povo transferidas “legalmente” para as mãos de felizardos investidores, em poucos minutos, nos leilões de privatizações. Riquezas essas, acumulada em décadas de muito trabalho e sacrifícios do povo, desaparecem num piscar de olhos, entregues a preços de bananas para os gringos e outros. Deixando os  compradores muito felizes por terem comprados bilionários ativos a preços insignificantes. Parte dessa felicidade vai para muita gente grande responsável pelas privatizações. Por fora, por fora, essa turma recebe milhões pelos serviços prestados, depositados em paraísos fiscais, sem deixar rastro algum. Tornam-se ricos, de uma hora para outra. Gigante negociata.

A antiga riquíssima CVRD foi privatizada por menos de 3 bilhões, metade em moeda podre. Na avaliação de geólogos da época, por conta de suas imensas e diversificadas jazidas de variados minérios, inclusive estratégicos e raros, mais as grandes instalações industriais e prediais, ferrovias e valiosa frota naval, valeria mais de 1 trilhão. Claro que compradores não pagaram este valor por fora. Mas, devem ter depositado em paraísos fiscais, bilhões e bilhões para muitos integrantes da cúpula responsável pelas privatizações. Da noite para o dia, ficaram ricos e felizes, como os altos dirigentes da ex URSS nas privatizações Gobarchev, que só foi mostrado ao mundo pela grande mídia “livre”, pelo interesse do sistema capitalista em desmoralizar a antiga URSS. É assim mesmo que se faz privatizações. Muito ouro para as elites, a preços de nada. Isso, para não falar nos bilionários fundos de pensão dos empregados, tachos cheio de puro ouro, entregues juntos com suas empresas, a preços de bananas. Uma sideral impune "legal" roubalheira.

Numa hora em que o sistema capitalista mundial continua seriamente abalado, desde 2008, se acontecer as privatizações esperadas, com toda a certeza desse mundo, por conta dos milhares de falências e de desempregados que farão, por todo o Brasil, inevitavelmente trará a fome e as revoltas para as ruas das cidades, dando início a uma sangrenta guerra civil, num grande banho de sangue, com todas as atrocidades e horrores vistos no Iraque, Líbia e Síria. Inclusive, invasão de tropas dos EUA para defenderem seus interesses.

Basta que o povão tome o devido conhecimento da grande roubalheira que é as privatizações e da desgraça que lhes espera, aí então, muita coisa vai mudar, da noite para o dia, nas frentes das manifestações populares, que até agora, continuam distantes do grande riscos que estão correndo, brincando com fogo em paiol de pólvora. Um programa para TV, inteligente e muito bem montado deixaria tudo isso bem claro.

Presada presidente Dilma Rousseff, posso até imagianar a muito pesada carga sobre os seus ombros. Mas, com todo o respeito desse mundo, permita-lhe lembrar que a história não costuma perdoar os covardes, nem os estúpidos.

Atenciosamente

Welinton

WOLFF GADELHA

- 2016-03-14 01:36:07

O xadrez da política no dia D

A análise do Nassim é muito boa mas penso que após as manifestações deste domingo, 13, necessita de uma revisão.

AS VAIAS DE HOJE EM SÃO PAULO PARA AÉCIO E ALCKMIN SÃO SIGNIFICATIVAS. Para mim a insistência das denúcias pelas forças progressistas contra nomes conservadores FOI OUVIDA E ENTENDIDA por paete eleitorado conservador das manifestações de hoje. Em média, temos sempre 30% de antipetistas entre o eleitorado conservador. O restante, parte dele, me parece que tem lido as denúncias contra os políticos conservadores de oposição e os do PMDB.

A falta de referência de nomes da direita para esse eleitorado das manifestações de hoje pode levar a surgir, e eles aderirem, um novo salvador da Pátria? Tipo como foi o Collor? Acho que o momento político e social é diferente. A GLOBO não tem mais o monopólio da informação.

Para mim, se as forças progressistas e democráticas continuarem denunciando as podridões dos principais nomes da oposição, o JANOT e o MORO vão ficar forçados a escolher ao menos um dos grande nomes da oposição para passarem à sociedade a imagem de que são imparciais. As manifestações de hoje dos coxinhas vaiando Aécio e Alckmin, para mim, são reflexo das denúncias que os movimentos populares continuam fazendo contra os figurões do PSDM, PMDB, DEM, PP, Solidariedade Eles pegariam quem para bode expiatório da direita? Aécio? Ou sobraria apenas para uma figurinha pequena como o Paulinho da Força? Penso que JANOT e MORO escolherão apenas o EDUARDO CUNHA (PMDB) que já está com a corda no pescoço.

Mariano S Silva

- 2016-03-14 01:04:08

Infelizmente o cidadão em

Infelizmente o cidadão em pauta é banqueiro e diretor de finanças do meu Flamengo!

Mariano S Silva

- 2016-03-14 00:59:37

Como já disse de forma menos

Como já disse de forma menos clara antes: só tem um jeito dar uma bela porrada no tabuleiro. Emitir um decreto lei federal cassando a concessão pública da rede globo. Tropa armada invade as instalações das emissoras da rede. Sequestro dos bens materiais e indenização apropriada no futuro com títulos da dívida pública. Criação imediata de uma Rede Pública Nacional de Rádio e Televisão. Manutenção das outras concessões privadas (desde que não violem a Lei ao incitar a rutura da ordem pública).

E ai fodam-se a ABERT, AII e vozes lá fora. Duvido que investidores em potencial deixariam de lado o mercado brasileiro por causa disto.

altamiro souza

- 2016-03-14 00:57:08

como ficarão as coisa depois

como ficarão as coisa depois destas manifestlçoes?

do mais do mesmo?

ou há noidades?

MateusDomingues

- 2016-03-14 00:55:05

Parlamentarismo e semipresidencialismo, tudo isso é golpe
Parlamentarismo e semipresidencialismo, tudo isso é golpe. O verdadeiro golpe não é um eventual e praticamente impossível impedimento de Dilma Rousseff nem a imposição da renúnica da presidenta ao seu mandato. Tírata-se de algo tpico do PSDB, está no seu ADN: foram as mudanças constitucionais (na verdade, verdadeiros golpes) impulsionadas pelo PSDB em proveito próprio que marcam toda a história do partido. A mexeção constitucional de natureza golpística é consubstancial ao PSDB, fundado por lideranças pemedebistas que sairam do partido quando Quércia levou a melhor nas disputas internas partidárias (e também quando o governo Sarney dava sinais claros de um processo irreversível de afundamento). Daí nasceu o projeto do referendo parlementarista que o PSDB inseriu na Constituição graças à aliança com uma minifacção monarquista. Vencendo o presidencialismo no plebiscito de 1993, com Lula do PT liderando as pesquisas para a presidencial de 1994 (com a possibilidade de vitória de Lula no primeiro turno, ou a possibilidade de um eventual segundo turno entre Lula e Brizola do PDT), o PSDB apoiou a mudança que reduziu o mandato do presidente de cinco para quatro anos. Infelizmente, eleito em 1994, FHC e seus correligionários e aliados alteraram de novo a regra do jogo, votando, em meio às acusações comprovadas de corrupção de deputados, a emenda que autorizou a reeleição em 1998. Derrotados em 2002, 2006, 2010 e 2014, os tucanos e aliados evocaram periodicamente, quando estão em desvantagem eleitoral, o fim do instituto da reeleição. Agora, depois da jogada malandra de Serra com Jucá e Calheiros, abrindo a porteira para uma relativização das políticas nacionais conectadas com Petrobrás e pré-sal, o mesmo Serra, sorretairamente, em jogada anteciapada por FHC, aparece como o cabeça do golpe, ainda que a cabeças visíveis sejam as de Renan Calheiros e de Michel Temer. É verdade que em tese, o parlamentarismo seria, conceitual e especulativamente, mais próximo a um ideal democrático do que no presidencialismo. Mas, na realidade objetiva e historicamente material, muitas vezes o conceito se revelou mais complexo ou mesmo inviável, por vezes falso ou inconsistente, em sua efetivação.  Na verdade, excetuando-se o caso de conclusão dramática, o caso alemão da República de Weimar entre 1919 e 1933, há bons modelos, talvez paradigmáticos, de semipresidencialismo: a Finlândia (desde 1919), a Áustria (desde 1929), a Irlanda (desde 1937), a Islândia (desde 1945), a França (desde 1962) e Portugal (desde 1976). De imediato, uma constatação se impõe: todos esses países possuíam uma tradição ou instituições parlamentaristas bem assentadas e consolidas, quando resolveram introduzir a eleição direta para a Presidência da República. Naturalmente, se tratou de uma operação constitucional bastante mais simples do que a pretendida no Brasil por nossos parlamentaristas de ocasião. No caso brasileiro, o parlamentarismo (que efetivou-se nos moldes, na realidade, de um semipresidencialismo) foi, na República, a arma que as elites usaram para impedir João Goulart e a esquerda do PTB de governar tendo o próprio João Goulart como chefe de governo. Foi a solução conservadora. A mesma que se esboça agora: Dilma Rousseff, do PT, continua presidente (em 2018, o PT pode mesmo continuar com a presidência, se for o caso, em uma eventual vitória de Lula, ou outro candidato de um partido à esquerda ser o vitoriso, no caso de uma candidatura bem-sucedida de Ciro Gomes pelo PDT ou de uma improvável candidatura de outro nome do PT ou de Roberto Requião), mas o PT e a esquerda estão automaticamente fora do governo. No caso atual, o PT ficaria com a chefia do Estado e seria automaticamente destituído do governo; nem o PT nem os demais parlamentares à esquerda no Congresso conseguiriam formar um governo ou impedir uma composição de direita em uma provável aliança PMDB-PSDB. É golpe, mas toda classe política sai sorrindo. Se uma ida de Lula ao ministério é a maneira de acabar com a sanha golpista de Serra, FHC (que foi o primeiro a ventilar publicamente o assunto), Renan, Jucá e Sarney, Lula precisa ser ministro e superministro o quanto antes.  Já que se está usando metáfora enxadrísticas, creio que Dilma hesitou e hesita em jogar, atrasando consatantemente todos os seus lances, por se sentir sempre em zugzwang. No entanto, uma ida de Lula ao ministério implicaria promover seu último peão à rainha. Creio que é a única maneira de vencer, porque a estratégia de empate por rei afogado se mostrou equivocada. Há riscos, pois não há mais peões para jogar, mas nem Dilma nem PT tem mais rainha, e Lula pode ser a rainha do jogo, sendo fundamental em um possível xeque-mate na oposição. Um superministro chamado Lula colocaria a oposição e seus parceiros (mídia, establishment, etc.) em zugzwang.  

joel lima

- 2016-03-14 00:46:30

Chego à conclusão de que o

Chego à conclusão de que o único jeito de Dilma ter chance de concluir o mandato e Lula aceitar seu seu primeiro-ministro enrustido. Tendo poder, Lula vai ter como negociar com a malta de sempre - Renan, Jucá e afins - para evitar o pior e também será o coordenador da política econômica, pois só  o iniício de melhora econômica dará ao governo Dilma um pouco de sangue num corpo anêmico.  Acho que a maior dúvida de Lula é não saber se Dilma lhe dará carta branca pra negociar com essa corja. Pois no primeiro acordo que ele fizer e Dilma não cumprir, aí Dilma , Lula , PT e principalmente o país vão de bandeja pra mão de psdb e afins. 

Edna Baker

- 2016-03-14 00:45:01

PERFEITO! Parabéns! Eu

PERFEITO! Parabéns! Eu gostaria de ter tirado essa foto! Antógica!

Mariano S Silva

- 2016-03-14 00:43:35

Quer que cante a pedra? Se o

Quer que cante a pedra? Se o Império do Caos asumir o controle dobrando seus adversários com ameaças e intimidações: escravidão para toda a humanidade, reprodução seletiva para eliminar o excesso populacional que causa desconforto ao poder, doenças calibradas (será que o zica não é uma forma de conter a natalidade à força?) e miséria generalisada. Se houver resistência, e eu creio que vai haver: guerra nuclear de extermínio do excesso populacional que talvez atinja o limite preconizado nos monolitos rosacruzes nos EUA de 500 milhões de habitantes...

Eu voto pelo enfrentamento como alternativa à morte torturada nas galés.

Faço aqui uma pergunta séria e sem nenhuma brincadeira: Quem será que estaria por trás do Império do Caos. Não me parece uma atitude com um pingo de racionalidade querer submeter o mundo na marra indo contra tudo o que é humano. O racional seria aceitar uma democracia mundial e um governo escolhido por todos os povos do planeta  caminhando todos juntos ao desafio da nova era de grandes navegações

Edna Baker

- 2016-03-14 00:40:13

Adorei! Acho que é por aí. Se

Adorei! Acho que é por aí. Se o PMDB se afastar do PT é partir prá tudo ou nada. É capaz até de dar certo !

Marcos H

- 2016-03-14 00:31:28

Ahã...

Discursando no deserto. A imaginação é incrivelmente fértil...

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2016-03-14 00:14:17

Constituição da Nação Bitnation - alternativa sem tiranos

[video:https://www.youtube.com/watch?v=eYrsGpO2uCw]

[video:https://www.youtube.com/watch?v=6WG7D47tGb0&ebc=ANyPxKoAg9so5YmSi-xoECbV5AJOA-3XMftBVPPXyYRYVKiiHnrnV-0m819k5pTHRTFHJO6fVHTu0_EHW3Rsnm7_DDL7C-xg0g]

 

 

This poem was found on the BITNATION forum a few weeks after BITNATION was created. It was posted anonymously. A few minor revisions has been made from the original poem, which we’ve integrated as the moral framework for our constitution.

We are Ƀitnation.

We are the Birth of a New Virtual Nation.

We are a Future for Our World and Humanity.

We are Sentinels, Universal and Inalienable.

We are Creativity and Visionary.

We are Rights and Freedoms.

We are Tolerant and Accepting.

We are Polity and Entity.

We are Privacy and Security.

We are Openness and Transparency.

We are a Dream and a Reality.

We are Ƀitnation.

Article 1: We are Ƀitnation.

We’re the world’s first Decentralized Borderless Virtual Nation (DBVN), a Blockchain Jurisdiction.

We define a nation the following way:

1.1 A Community

A community of likeminded individuals (citizens), working towards a common goal, who’ve become aware of its political autonomy.

1.2 Governance Services

An entity providing opt-in core governance services (rule of law, security) to its citizens, and to non-citizen customers.

Article 2: We are the Birth of a New Virtual Nation.

We use a holocratic governance model, compromised by different entities with various degrees of autonomy: Core, Holons, Citizens, Laws, The Archipelago:

2.1 Core

The core is the lead of the holocracy, a small group of dedicated citizens, who are able to set the general framework, and make swift decisions. Generally the founders and/ or core developers.

A new core can be created at anytime, and the holons and citizens can choose to follow the new core.

The responsibility of core is to manage the key infrastructure, including funds, wallets, domain names, general political positioning, core development priorities, etc.

Core is the genesis holon of a chain of human operated holons in the DBVN, in the same way a genesis block in a cryptocurrency births the blockchain.

2.2 Holons

Holons are parts within the DBVN, with various degree of autonomy, at various times. Any citizen can start their own holon, for profit or non-for profit, without any central approval. Citizens suggests Holons, and others can choose to finance them or work on them. The holons benefits from the DBVN resources and infrastructure.

2.3 Citizens

Citizens opt in or out on a voluntary basis, and can be part of several nations, or none at all.

Citizens should contribute in some way, either through work, computing power or in other ways, to the nation.

Citizens should have read the constitution, and signed of on the principles.

Being a citizen means receiving dividend from the profit of the nation, and being part in building the nation. You do not have to be a citizen to use BITNATION’s services.

Each citizen is subject to the reputation system, which serves as an incentive for good behaviour.

We accept homo sapiens, as well as artificial intelligence (AI) agents as citizens.

2.4 Laws

We practice a Polylegal system, meaning people are free to choose the code of law of their preference, whether that’s Common Law, Sharia Law, Ciwil Law, Pashtunwali, or whatever it may be. People are also free to create new individual laws, or new codes of law.

Laws can be refereed to, or coded into agreements.

Laws are subject to reputation as well, and people reviewing law are equally subject to reputation of being good or bad at reviewing laws.

All laws compete on a free market, and people can choose which exact law is better suited for each individual agreement.

2.5 The Archipelago

The Archipelago is a loose federation of different virtual nations, allies, embassies, ambassadors who pledge to assist each other when possible, and desirable.

Article 3: We are a Future for Our World and Humanity.

We’ll prevent eternal bloodshed through empowering people to compete through offering better governance services, rather than through imposing a one-fit-all governance model through the use of force. We’re creating a precedent for a beutiful universe of millions of entities, one for each preference and desire.

Article 4: We are Sentinels, Universal and Inalienable.

The imaginary lines in the sand, called borders, belongs to a world of the past, a world of oppressive geographical apartheid. Where we live, there are no nation state borders, only universal freedom of movement.

Article 5: We are Creativity and Visionary.

In our world, problems are mere obstacles, interesting challenges to be solved through the ingenuity of humans and machines working together. We do not dwell on negativity, rather we work together to find mutually beneficial creative solutions, to be radically innovative.

Article 6: We are Rights and Freedoms.

We honour the Non-Agression Principe (NAP) moral framework. We stand unified against any and all forms of coercion, whether it’s through violence, or the implied threat of violence. We’re building a world based on voluntary agreements between consenting entities.

Article 7: We are Tolerant and Accepting.

We do not judge or select based on the colour of your skin, ethnicity, religion, country of origin, sexual preference, or degree of post-human. In our DBVN, everyone who wish to make the world a better place through furthering voluntary agreements, is welcome to be a part of our Nation.

Article 8: We are Polity and Entity.

We have become aware of our political autonomy. We’re no longer willing to be oppressed by the coercive nation-state oligopoly. We live in Cyberspace, and we work together, to achieve freedom and independence.

Article 9: We are Privacy and Security.

We will not sell the data of our citizens or customers to any entity, under any circumstances. We strive for client side technology, encryption, and pseudo anonymity.

Article 10: We are Openness and Transparency.

Everyone is welcome to join. Everything we do is public.

Article 11: We are a Dream and a Reality.

Itshappening.gif

Article 12: We are Ƀitnation.

We are sovereign. We’re together. We’re the future.

 

 

https://github.com/Bit-Nation/BITNATION-Constitution

J.marcelo

- 2016-03-14 00:05:30

Em tempos nazista(vejam fotos
Em tempos nazista(vejam fotos manifestantes de Curitiba) Já temos GOEBELLS(Globo) os judeus (PT) só falta o LÍDER DO ALTO COMANDO,já tentaram com Gilmar,Aécio,MORO só que não está dando certo,esconderam-lhes rápido só foi o "chicote estralar" QUEM SE CANDIDATA A HITLER AÍ??

José CB ( aguardando aprovação )

- 2016-03-13 23:55:42

Más sabe el diablo por viejo

Más sabe el diablo por viejo que por diablo !

Melhor exposição que vi até agora do atual momento do país.
Está se criando um vazio de poder, que será ocupado de alguma maneira.
E a menos pior das opções é o PMDB.
Quem está insistindo no vazio no poder, tem que pensar que a outra opção pode ser o Bolsonaro. 
E pode ser no voto. E com o endeusamento das urnas que estão fazendo, quero ver qual discurso vai sobrar.

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/03/160310_entrevista_almino_if

peregrino

- 2016-03-13 23:44:47

bem...............................vou dormir tranquilo

protestos aconteceram sem nenhum incidente..............................................................

escorregaram no cérebro, mas ninguém caiu ou se machucou, que bom

ótima semana pra todos

Gilberto Leite Mauro

- 2016-03-13 23:40:10

Como é que é? Barroso sofreu ameaça?

Nassif, vc me diz que a esposa do Ministro Roberto Barroso sofreu ameaças desta forma an passant?? Pelo amor de Deus! 

Isso tem que ser escancarado nos blogs sujos!! Ele é o min. mais progressista e corente que existe. 

Gilberto Leite Mauro

- 2016-03-13 23:40:06

Como é que é? Barroso sofreu ameaça?

Nassif, vc me diz que a esposa do Ministro Roberto Barroso sofreu ameaças desta forma an passant?? Pelo amor de Deus! 

Isso tem que ser escancarado nos blogs sujos!! Ele é o min. mais progressista e corente que existe. 

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2016-03-13 23:39:44

A história não se repete, mas rima.

Edmund Burke, the Imperatives of Empire

and the American Revolution: An Interpretation

 

His  Thoughts on the Present Discontents,  his  writing  and

speeches on the conciliation of America, form the main and

lasting  armory  of  Liberal  opinion  throughout  the  English-

speaking world. His Letters on a Regicide Peace and Reflections

on the French Revolution,  will  continue  to  furnish

Conservatives for all time with the most formidable array of

opposing weapons.

Winston Churchill, 1927.

 

When  any  community  is  subordinately  connected  with

another,  the  great  danger  of  the  connection  is  the  extreme

pride  and  self-complacency  of  the  superior,  which  in  all

matters of controversy will probably decide in its own favor.

It  is  a  powerful  corrective  to  such a  very  rational  cause  of

fear,  if  the  inferior  body  can  be  made  to  believe,  that  the

party inclination or political views of several in the principal

state,  will  induce  them  in  some  degree  to  counteract  this

blind and tyrannic partiality. There is no danger that anyone

acquiring  consideration  or  power  in  the  presiding  state

should carry this leaning to the inferior too far. The fault of

human nature is not of that sort. Power in whatever hands is

rarely guilty of too strict limitations on itself.

Edmund Burke, 1777.

 

Governments  are  instituted  among  men,  deriving  their  just

powers from the consent of the governed.

Thomas Jefferson 1776.

JoaoMineirim

- 2016-03-13 23:38:37

Uma questão importante é a

Uma questão importante é a diferença de agilidade entre o Moro e o STF.

O Moro mira a mangueira pra onde deseja e despesa pressão de água. Quem não possui foro privilegiado é arrasado. Quem tem foro, só recebe alguns respingos e os denunciados são encaminhados para o STF. Mas  lá, parece que as coisas acontecem com muita lentidão, como podemos notar no caso do Eduardo Cunha.

 

saulogeo

- 2016-03-13 23:24:34

Parabéns Wilton!

É, talvez, a única explicação para que milhares saiam às ruas para, bovinamente, protestarem somente contra o PT.

 

peregrino

- 2016-03-13 23:22:41

diga lá, para confirmar...

esqueça tudo o que está acontecendo, passe o tempo e tire a laja jato do tabuleiro

e agora responda: como estamos, ou estaríamos, em 2030

mas, por favor, aplique uma equação financeira

Mensagem do Alem

- 2016-03-13 23:18:23

Milharal em chamas

Sempre achei risível a moral da fábula do beija flor e do incêndio no milharal.

Só um completo demente consegue concordar com aquilo. Diante de forças naturais incontroláveis, que podem ceifar vidas e destruir propriedades a melhor coisa a se fazer é se afastar da catástrofe. Não adianta nada cuspir no incêndio.

É preciso ter presença de espírito para saber quando tudo que se conhece como normal e rotineiro deixa de sê-lo. É necessário reconhecer quando se deve procurar terras altas para fugir das enchentes. É preciso saber quando se deve desistir da lavoura porque a seca é dominante. Quando parar de rezar por um filho quando a mulher é estéril.

O PT tem em suas fileiras uma multidão preponderantemente ignorante, mas seus comandantes são homens estudados. Deveriam zelar mais por seus seguidores.

peregrino

- 2016-03-13 23:17:41

esse junior50 sim, sabe jogar no cérebro...

mas junior, trocar por outro seria mostrar que podemos ser derrotados a qualquer tempo e com qualquer situação e posição

é isso que eles querem que a gente mostre ou confirme

junior, eles estão jogando com o cérebro já em 2030

peregrino

- 2016-03-13 22:53:39

quando falta acompanhamento, falta tempo...

e tempo é tudo o que um jogador principal precisa para maximizar o impacto das boas jogadas e minimizar o das jogadas ruins........................................é assim que se joga no cérebro

problema todo é que não temos peças, temos interesses, temos bandeiras, estranhos no tabuleiro

e não me venham dizer a Dilma teve todo o tempo suficiente, porque vocês devem saber muito bem, melhor do que eu, que ela não teve

neste ponto, o melhor que se tem a fazer é retirar tudo do tabuleiro, incluindo estranhos, e entregar para o jogador principal para ele reiniciar o jogo

se não fizerem isso, não é um jogo que se reiniciará, será o Brasil, a Democracia

Jorge Fernandes

- 2016-03-13 22:53:14

aLTO COMANDO

Não vai entregar a rapadura para o PMDB, PSDB ou qualquer outro .

Vai manter exatamente como está.

O alto comando sabe que se entregar para qualquer um destes, no dia sequinte serão afastados e engolidos pelo novo Status Quo.

Vão manter como está e tentar a independencia financeira, etc etc.

 

junior50

- 2016-03-13 22:50:50

A infeliz realidade II ( Alto Comando )

    O que o texto classifica como "Alto Comando", não percebeu ainda que é apenas o condutor das ações operacionais, e como qualquer "Alto Comando", após sua utilidade, seu protagonismo imediato, é desmobilizado pelo Estado Maior Geral, o ente politico que determinou o conjunto das operações, que depois do "trabalho realizado", assume a continuidade politica/economica de estabilização, da apuração dos resultados, dar uma solução de continuidade a todo o processo.

     Quanto aos membros deste "Alto Comando", alguns caem "para cima" ( os principais ), outros, os acessórios colaborativos, retornam a sua original insignificancia, tiram-lhes o "palanque", a midia - como ocorreu com o próprio Promotor (MPSP ) Blat em 2004/2005.

     Politicos experientes, como FHC, Alckmim, Serra, Temer, não são burros, até Aécio, que não é nenhum genio, tem clareza que estas ações anti PT, anti Dilma, anti empresarios, anti "tudo que esta ai ", este protagonismo judiciario, descontrolado, que mesmo agora é do interesse de alguns grupos politicos;economicos, tanto internos como externos, deverá ser refreado, colocado em "seu lugar", voltar ao controle do executivo, e para tal mister, um futuro governo, de perfil salvacionista, terá no Congresso, meios para faze-lo, e rapidamente.

      Equacionando o MPF : Formados em Direito, em sua esmagadora maioria, são avessos (burros mesmo ), em relação a matematica básica, demonstrações graficas simples, mas nossos caros membros do MPF podem ser representados por uma "Curva de Gauss ", estão chegando a seu apice, ao "limite central" da distribuição normal - em sociologuês/economês, a região da equação que reflete seu maior poder - após este culminar estatistico,vão cair no "desvio padrão", com tendencia negativa, uma vez que forças externas ( no caso politicas ), modificarão o "sinal", declinando-o até o retorno da normalidade, tendendo a linearidade.

       Nem seria doido, de explicar melhor  a matemática da situação, com uma equação de varias variaveis , espacial, quase logaritmica, ficaria muito chato

BTib

- 2016-03-13 22:50:27

 rdmaestre, Concordo
 rdmaestre, Concordo plenamente, algo que ja venho dizendo ha tempos. O Brasil esta no tabuleiro internacional. O Nassif analisa como se fosse um embate meramente interno de forças politicas em tempos calmos, de luta politica normal. Assim como muitos veem como um simples golpe de Moro, globo ou PSDB. Isto é claramente trabalho sujo dos EUA instrumentalizando todos eles. É o pre-sal, é a amazônia, foi a politica externa dos ultimos tempos. 

 

Josias Pires

- 2016-03-13 22:48:50

Disputas de narrativas

A única voz que se ouve na mídia é a Globo News que passou o dia todo cobrindo as manifestações. Os seus analistas e repórteres tornam-se disseminadores de uma narrativa com recorte ideológico muito definido. Reescrevem a história recente do país ao sabor de preferências bem marcadas. O prejuízo principal vem do fato de que é oferecido ao país um discurso único, a maioria da população interessada fica sem alternativas à esse discurso único, seja na televisão aberta e na fechada.

 

junior50

- 2016-03-13 22:13:50

A infeliz realidade I

  Que os atuais ocupantes do "Planalto" ( PR, SecGov, Casa Civil ) perderam o rumo, ficou patente quando da indicação do novo MinJustiça , não é só Dilma que ficou irrelevante, mas até mesmo seus assessores diretos, incluiram-se nesta situação, já vinham enfraquecidos, só pioraram, infelizmente tornaram-se na melhor das hipoteses decorativos, na pior descartaveis.

    Creio que um "acordo" de governabilidade, tecido entre Lula e o "trio" ( Renan, Jucá e Serra ) demandaria um tempo que não existe mais, e apesar de viavel politicamente, seria muito atacado pelos classificados como "Alto Comando", assim como é inviavel a ascensão de Lula há algum cargo relevante, mesmo "shadow", pois os ataques a ele se avomulariam, e não é perfil de D. Dilma, e sua entourage palaciana, a tomada de descisões rapidas.

     Tambem ainda não é interessante a saida de Dilma, não esta madura ainda o suficiente para "cair", a irrelevancia a qual foi levado seu "governo", seu constante enfraquecimento, é muito util para varias forças economicas e politicas, aprofundar a crise está gerando muitas oportunidades, até mesmo que para se manter no Poder - que não tem, mas assina - D.Dilma sujeite-se a continuar a seguir uma agenda que não seja dela. Quanto mais Dilma durar , mais tempo e oportunidades, as forças a ela antagonicas, podem se organizar, pois Dilma no Planalto e Lula, sempre sob ataque constante, dirime quaisquer acusações sobre outras forças politicas/economicas.

      Quem precisa mais de tempo ?

     A oposição encontra-se desorganizada, Aécio tem recall, mas telhado de vidro, Alckmim prepara-se para 2018, Marina é um detalhe - sem apoio de midia e dinheiro, fenece - o atualmente operador politico mais relevante das oposições, citado no texto nassifiano, é Zé Serra, que está flutuando em todas influências, tanto no Senado como em relação ao PMDB, alem de seu claro apoio externo, no PSDB/PMDB Serra e Temer jogam juntos, e são bons no jogo.

      O  "golpe", não se trama em Brasilia, sequer com os curicas, o gado coxinha da Av. Paulista, mas - para quem conhece São Paulo - em casas, aliás residências, próximas a Pça. Panamericana, entre ela e a Marginal Pinheiros, imediações do Colégio Santa Cruz .

C.Paoliello

- 2016-03-13 22:06:06

O sistema é bruto

Acho que Nassif tem toda a razão em sua análise. O jogo é bruto demais para ser impedido por manifestações populares.

Mariano S Silva

- 2016-03-13 22:01:33

Eis minha visão do que está

Eis minha visão do que está ocorrendo:

- Não tenho dúvida alguma que o rei oculto é o Departamento de Estado do Império. É dali que partiu a formação dos personagens em pauta. O empresário brasileiro bem sucedido que resolve retornar ao país. O Quim Catapimba e as figurinhas carimbadas do PSDB. Do que vivem algumas dessas pessoas?

- Os militares estão calados e não pretendem se envolver desde que as coisas corram dentro da normalidade. O que é que eu denoto por "normalidade"? Normalidade é se negociações políticas honestas (porque falar em parlamentarismo depois que o povo brasileiro o repudiou é GOLPE) no Congresso ocorrerem de forma a resolver os impasses políticos. Não confundir a intervenção militar de 1964, quando havia a Cortina de Ferro, com o Fim da História em 2016 que os norteamericanos insistem em apregoar. O mundo vive situação muito diferente hoje e os militares sabem muito bem de onde provém as ameaças.

- Não coloco o Poder Judiciário diretamente no centro da crise. Acho que a maioria dos juízes é honesta,mas como todo ser humano comete ou cometeu pecados no passado, ou mesmo tem um parente com maiores pecados...Quem não se lembra de um ministro em que corriam boatos de que havia batido em sua mulher?

- O centro e principal agente do golpe no Brasil é a rede globo e seus comparsas menores midiáticos. É daí que partem as chantagens contra juízes e parlamentares e que inviabilizam o poder no país. Acho que uma boa porrada na mídia, com o auxílio da força (militar) deixaria muita gente aliviada...Não podemos nos ater a pequenos escrúpulos quando tanta coisa está em jogo. Preservar a libertinagem de imprensa a troco da destruição do país? Isto é burrice!!! Dane-se a SIP!!! Falem o que quizerem. Será que o governo dos EUA vai justificar ao mundo uma intervenção militar porque calamos a mídia canalha? Vão nos impor sanções econômicas? Em que teríamos violado os acordos internacionais?

- Vamos aguardar as manifestações pacíficas de 18/03/2016 em favor da democracia. O PMDB só está aguardando isto para se definir ou não pelo golpe. Se o povo for em massa às ruas esta é a melhor solução. Caso contrário teremos que correr os riscos mencionados acima.

- SE nada fizermos, se nos acovardarmos, tornar-nos-emos mais uma colônia do Império. Tudo o que nos resta de instrumentos para desenvolvermos nossa sociedade será destruido sem dó nem piedade. E será muito rápido, para não nos dar fôlego de reconstrução. De nada adiantará elegermos um governo progressista em 2018, os instrumentos de estado estarão perdidos e se tentarmos retomá-los estaremos então infringindo tratados internacionais que desgrassadamente assinamos e seremos cobrados por isso. Esta foi a razão pela qual Lula não tentou reaver empresas privadoadas no governo FHC. Imaginem a desgraça que vai desabar na cabeça de todos nós (particularmente na cabeça da classe média mais endinheirada que não possui helicóptero) quando a miséria invadir milhões de pessoas que provaram o gostinho de viver melhor. Os gringos não estarão nem um pouco preocupados pois suas fronteiras estão muito longe. Aí sim isto aqui vai se tornar o paraíso da corrupção humana: jogos de azar, drogas, prostituição, politicagem canalha, roubalheira generalisada, etc.

Meu Deus será que tem alguém que queira realmente isso para nossos descendentes. Eu prefiro morrer lutando.

Mário Mendonça

- 2016-03-13 22:00:33

Prezado Nassif Acho que Dilma

Prezado Nassif

Acho que Dilma daria uma bicuda no seu "trabuleiro"......rsrsrsrsrs

Foi bom o Sarau?

Posta pra "nois"....!!!....

Mário Mendonça

- 2016-03-13 21:55:45

Prezado Rogerio Se fosse a

Prezado Rogerio

Se fosse a Dilma, virava a mesa, convocava as Forças Armadas a se juntar a ela neste momento de balburdia institucional, antes que eles tomem esta atitude sem a ordem dela! Tenho certeza que estão odiando tudo que esta acontencendo no país. Ordenaria que fechassem o Congresso, STF, MPF e mandava prender todos os golpistas!

A NATO iria falar em golpe! China e Russia a apoiaria!

Será que também estou em delirio!

Abração

Edi Passos

- 2016-03-13 21:51:24

Não Edna,

conheço a maçonaria por dentro há mais de quinze anos e te digo que ela não tem força para isso. Embora apoie e participe de todas essas micaretas golpistas, a "Ordem" não passa, hoje, de um clube de velhotes frustrados, cujo poder não vai muito além de conseguir vagas de estágio para os "sobrinhos" em empresas e órgãos públicos, ou de se livrar de multas de trânsito através de algum "irmão" picareta detentor de cargo em órgãos de trânsito.

Pedro Rinck

- 2016-03-13 21:43:35

Caro Nassif, O que muda nesse

Caro Nassif,

O que muda nesse xadrez após a expulsão dos líderes tucanos da Paulista ?

Obrigado.

 

peregrino

- 2016-03-13 21:37:49

dessas jogadas, posição das peças e fatos...

só sei o seguinte:

movimentam-se e não resolvem ou alteram nada

por isso já passei a acreditar que para eles é mais importante a constante ameaça de derrota do que a derrota em si

ou vitória

isso é jogo entre os que sempre ganham para o povo perder

melhor jogada é chutar o tabuleiro e enfiar todas as peças no lá de cada um deles

Rchiavennato

- 2016-03-13 21:34:30

Concordo

A vaca, infelizmente, foi pro brejo... E não foi por falta de aviso.

 

Clóvis Adre

- 2016-03-13 21:31:55

Moeda fiduciária de curso internacional: o nome do jogo

Petrodólares = petróleo vendido somente em dólares.

O Brasil está se encaminhando para se tornar um dos 5 maiores produtores de petróleo.

O Brasil está entabulando acordos de swap's reais x yuans, como forma preliminar de comércio com a China em moedas nacionais.

Venda de petróleo se encaixa nesse quadro.

Logo, é Brasil CONTRA o petrodólar.

O que está em jogo é muito mais do que somente a apropriação em si das reservas do pré-sal.

Fundo cambial de contingências dos BRICS inutiliza a gazua das instituições financeiras internacionais.

Em outros termos: acabam-se as condicionalidades do FMI.

Alguém aí se recorda das declarações de Stiglitz acerca do assassinato de países?

Gazua pode ser usada como punhal...

E tem muito mais aí....

Luís Gustavo

- 2016-03-13 21:28:41

Parte do PIG?

Vc está insinuando que o GGN está migrando para o PIG?

Luís Gustavo

- 2016-03-13 21:26:17

Flamenguistas?

É impressão minha ou os coxinhas são flamenguistas?

Jossimar

- 2016-03-13 21:23:48

Digamos que os

Digamos que os parlamentaristas e os lulistas foram eleitos. São representantes do povo escolhidos pelo povo.

O Alto comando não foi eleito por ninguém. são apenas funcionários públicos concursados.

Na quadra atual, nem os parlamentaristas nem os lulistas podem acreditar que não serão alvos do alto comando.

Então, se eu fosse o general dos parlamentaristas, procuraria o general dos lulistas e faria um acordo.

E o alto comando, formado por funcionários públicos não eleitos seria mandado para o quinto dos infernos.

Faria como eles, acusaria sem provas com base nas evidências que todos os procuradores, delegados e juízes do MPF e lava jato de alta traição e crime de lesa pátria .A prova seriam os estragos feitos na economia e a tentativa de destruir nossas maiores empresas para entrega a interesses internacionais. Em regime de exceção como o que estamos vivendo não é necessário provar muita coisa, basta ter mais força. O mais forte sobrevive.

A Presidanta á a chefe das forças armadas. Para enfrentar o força armada dos golpistas da PF somente outra força armada.

Prenderia todos, cortaria o poder do MPF e abriria a porta para demissão de qualquer um que vazasse inquéritos, fizesse propaganda em qualquer tipo de mídia contra representantes eleitos seja de que partido for,e eles teriam que ter autorização do ministro da justiça para investigar o que quer que fosse.

Estes meganhas miseráveis estão destruindo o nosso país. Levaremos décadas para recuperar o estrago feito por eles na economia, no emprego, na política e até nas relações pessoais e familiares.

Jotage

- 2016-03-13 21:22:17

Inevitabilidade

Zé, me desculpe mas tua posição pode ser interpretada como a colocação da Marta: "Relaxa e goza".

Eu acho que estupro é estupro, mesmo que você consinta devido a inevitabilidade.

Edson Victor

- 2016-03-13 21:11:31

Há um 5o.grupo supra-grupal que lubrifica e move o jogo

Não dá pra considerar estes quatro grupos sem considerar a míRdia, que é peça sine qua non deste jogo, radicalizando tudo que há em pelo menos três dos grupos citados.

Este supra-grupo, controla: (1) o tabuleiro, mudando as cores de qualquer casa de preto para branco ou vice-versa continuamente, onde o adversário sempre estará mal, por melhor que jogue e qualquer que seja a jogada. (2) o relógio, dando todo tempo do mundo para seus aliados e frações de segundo para os adversários. (3) A luz, apagando-a quando conveniente para que as peça do jogo esteja arrumado sob sua conveniência e dos aliados. (4) os pés da mesa, pois se o adversário resistir a derrubar seu rei ou ameaçar cheque-mate, eles derrubam a mesa e dirão que o jogo era outro.

Ou seja, a plateía só ouve e vê um jogo roubado.

Qualquer que seja ele.

Jotage

- 2016-03-13 21:08:16

Redentoristas

"O Alto Comando é integrado por procuradores probos, bem intencionados e iludidos pela visão redentorista".

A ser verdade, eles estariam codenando gregos e troianos, mas só sobra para peles vermelhas, culpados ou inocentes.

Nassif, depois você publca aquela do papagaio.

Mariano S Silva

- 2016-03-13 21:04:49

Não deixa de ser uma ideia

Não deixa de ser uma ideia interessante...

Mariano S Silva

- 2016-03-13 20:57:02

Na minha opinião: duvido! Os

Na minha opinião: duvido! Os militares não são burros e a lembrança ainda está fresca do que eles passaram na mão dos tucanos.

Mariano S Silva

- 2016-03-13 20:53:06

É José Carlos resta saber se

É José Carlos resta saber se os militares que tem o poder efetivo de sair em defesa da Presidente eleita constitucionalmente, e acabar com este golpe jurídico-midiático, não irão reagir. Se o fizerem terão o povo atrás deles e a verdadeira limpeza será feita, inclusive com o enquadramento de todos os corruptos de verdade (a sociedade não está pedindo isso?).

Os governos trabalhistas, que antes seriam vistos como entreguistas comunistas, ressuscitaram, de fato, a indústria de defesa, que os governos militares haviam implantado e que essa corja entreguista de direita americanófila destruiu. Que importância teriam militares se entregarem o país aos gringos? Muito provavelmente, seus salários seriam reduzidos (a longo prazo para não dar na pinta) e sua função seria perseguir traficantes em favelas com seu equipamento obsoleto.

Observem que Macri está empenhado em comprar sucata, conforme informam sites de assuntos militares, para distrair os militares hermanos. Tomara que a classe militar pense bastante no seu futuro e no futuro desse grande país o qual estamos todos tentando construir.

Roberio Pontes

- 2016-03-13 20:47:11

Se são menores que o esperado

Se são menores que o esperado então a coisa está feia mesmo para Dilma, pois muita gente foi pra rua hoje. Se a turma espera ainda mais gente protestando, logo isso aqui vai fazer a Primavera Árabe parecer piquenique de final de semana no parque.

Otaviani

- 2016-03-13 20:46:35

O grande Dragão Branco
Vendo este texto do Nassif,me lembrei do filme do Van Damme,O Grande Dragão Branco,especificamente da cena em que ele manda escolher um tijolo em um pilha e da um golpe e estoura o tijolo atingido sem danificar os outros.O seu adversario vendo o"magistral" golpe(Bolo Yeung)comenta"tijolo não revida".Todos que defendem a democracia ja estamos derrotados.Fiquemos em casa dia 18 ,as peças se movimentam para o xeque mate,o adversario não existe,pois eles tambem movimentam as peças adversarias.Eu sou um tijolo,eu não revido.

atenir

- 2016-03-13 20:44:10

O Janot só está aí porque a

O Janot só está aí porque a dilma o colocou. Ela é a RESPONSÁVEL maior por tudo isso. Brincar de republicanismo infantil num pais cheio de raposas politicas é atestado de total falta de traquejo com a politica.

Ela abdicou de poderes constitucionais, como a livre nomeação do pgr. O pgr foi aliado de todos os governo que se ja teve na republica, exceto no governo do PT (uma burrice sem precedentes). A CF faz isso para manter um certa estabilidade politica ao jogo, pois um presidente é atacado diuturnamente pela oposição. Sem essas proteções ele não aguenta e cai. Pois foi justamente neste ponto crucial para o governo que ela mais falhou, nomeando verdadeiras hienas para a pgr. Sem falar nas nomeações bobas para o stf.

O resultado não poderia ser diferente...

Vão morfar todos na cadeia, inclusive a rainha boba.....fato inedito na historia do pais.

Roberio Pontes

- 2016-03-13 20:41:35

O sujeito compara Lula a uma

O sujeito compara Lula a uma figura odiosa como Saddam Hussein e ainda se diz apoiador do ex-presidente brasileiro. Imagine se o odiasse..

Alan Castro

- 2016-03-13 20:40:23

Golpe
Não menospreze as forças da esquerda.A esquerda não é somente o PT.Este tabuleiro que você montou pode "melado" jogando-se as peças no chão.É guerra Civil amigo.

Mariano S Silva

- 2016-03-13 20:27:35

Há décadas digo que só a

Há décadas digo que só a mídia tem esse poder de transformar em zumbis a população de um país e faze-la derrubar um governo que a proteje. Quem sabe um pouco de física quântica compara este fenômeno social de formação de massa com o laser (condensação bosônica). É muito curioso que fótons (no laser) tenham comportamento semelhante à pessoas no fenômeno de formação de massa. Eu creio que os "think tanks" norte-americanos já possuam modelos (não-publicados) do fenômeno para usá-lo no manejo das massas. Existem, realmente especulações sérias (Roger Penrose por ex.) de que uma parte da mente humana é de natureza quântica.

Parece um balde de água fria, neste momento tão dramático, falar de ciência. Entretanto, o objetivo aqui é fornecer dados que possam viabilizar qualquer tentativa de controlar esse processo maldito que parece ter se apoderado de nosso país.

Jaide

- 2016-03-13 19:49:54

Excelente. É isso mesmo.

Excelente.

É isso mesmo. Excluir do exame peças e questões fundamentais, torna complicada qq avaliação da nossa atual conjuntura. Tanto para compositor de samba-enredo de escola de samba, quanto para analistas políticos.

j.marcelo

- 2016-03-13 19:49:32

Já entendí Zé,Dilma e PT são

Já entendí Zé,Dilma e PT são o mal da nação

igual judeus à época nazista,precisam ser exterminados!

Goebells de tv e alguns do judiciário é que são santos e suas

práticas são JUSTIFICÁVEIS para o "O BEM DA NAÇÃO!"

 

Moacir

- 2016-03-13 19:35:36

O fim da historia

Se o Nassif tiver razão e o futuro do Brasil depender de um acordão entre o Lula e o Renan, é sinal de que a história acabou. 

Sera que só somos capazes de construir isso? Depender do PT e do PSDB, decidir qual destas forças vai entregar mais rápido o Brasil e esfolar mais o povo? 

Eu acho que não. E penso que, em momentos de crise aguda, o povo tem de ser chamado a se manifestar na urna sobre os caminhos a seguir. 

A história continua - para além de Lula, PT, PSDB, PMDB, Renan, Michel, Aecio e outros.

rdmaestri

- 2016-03-13 19:29:14

Eu espero ser chamado de delirante e adepto de teorias ...

Eu espero ser chamado de delirante e adepto de teorias malucas de conspiração.

Carlos P.

- 2016-03-13 19:28:10

Tudo ou nada

Olha, nesse jogo de xadrez com rei oculto do Nassif ja perdemos em todos os casos. Temos de ver diferente: como no jogo do poker, precisamos de um Sundance Kid (não de cartas, pois não as temos). Essa é a saída para o povo e a democracia, exatamernte porque Sundance anda com sua arma no coldre (só tem ela, por isso blefa ou atira logo, não titubeia, nunca fica dormindo como a Dilma, Lula e o resto do parco jornalismo decente................Não temos mais cartas, tampouco dinheiro, temos que atirar nos bandidos: Moro, STF, Janot e mídia bandida Globo/Marinhos. Não adianta atirar nos ''jacobinos''...embora Alckim mereça um berro de 12 (do truco..ah, ah, ah). Bem, 1a. ação concreta: mandar o PMDB catar coquinho, parar de dar mole com Judiciário e enfrenta-lo abrtamente mesmo que seja para PERDER TUDO JÁ. Dar um pito público na OAB para servir de exemplo. Escrachar o  MP e PGR com elegância. Mostrar a caixa preta do MP e do PGR, e por fim enfrentar o tb STF no tudo ou nada... fazer toda essa gente refém de um discurso honesto, franco e corajoso ese necessário ferem reféns de seus erros e exageros. E por ai vai.. dando tiros, rajadas de balas...

 .

chico da dilma

- 2016-03-13 19:09:39

Uma minoria nazicoxinha protestando contra uma maioria de excluí

dos.Miniatura

Marly

- 2016-03-13 19:09:23

Concordo!

Embora torcendo muito para que sejam delírios tudo que venho pensando há um bom tempo.

chico da dilma

- 2016-03-13 19:07:12

Uma minoria nazicoxinha protestando contra uma maioria de excluí

dos.Miniatura

Leandro A.

- 2016-03-13 19:05:31

Em suma, o  último ato é quem

Em suma, o  último ato é quem dará o golpe branco: "interna corporis" (com Lula posando de Dom Sebastião com os cardeais do PMDB) ou pelos tecnocratas-midiáticos-conservadores (os Donos do Poder de fato: Globo, Abril, PSDB, OAB, MPF, baixo clero, empresários). Pela conjuntura do texto, Dilma está politicamente morta.

Mas há uma variável importante: a economia. Os Donos do Poder perceberam que por mais que denúncias fossem propaladas diuturnamente em seus meios, a bonança era o teflon de Lula. O Rubicão para importar os danos da crise de 2008 para o Brasil foi implantar o cavalo de tróia no seio do governo: Joaquim Levi. Fruto de um oportunismo que identificou uma Prsidenta eleita sem segurança política, sob um bombardeio verbal de Aécio Neves, que de tanto destaque pós-eleição, parecia o real vencedor. Quando Dilma perde a mão da economia, perdeu sua imunidade midiática (aos efeitos da mídia). Pensou obter chancela dos mercados, mas comprou o bilhete azul.

Outro ponto: tanto os Donos do Poder como a esquerda (tipicamente universitária), tem medo de povo. Se o governo Dilma tivesse cnstruído canais de diálogo direto com o povão, não estaria tão dependente da coragem de blogueiros, que são a única fonte de contestação dos fatos armados pelo mainstrean. Não havia nem inaugurações! Não promoveu jantares, não visitou universidades, desprestigiou a UNE, a CNBB, o MST, a CUT, se afastou de Lula, enfim,tal postura fica clara quando Gilberto Carvalho se foi. Agora, não adianta chamar o povo para a guerrilha, pois construiu seu próprio Araguaia.

E por fim: a quem interessa o fim desse Governo? Aqui é que a Esfinge se esconde, e provavelemente vai engolir qualquer rei que  se coloque diante dela. 

 

Pedro Augusto Pinho

- 2016-03-13 19:01:03

Qual Brasil está nas ruas?
NEGROS, MULHERES, POBRES: MAIORIAS MINORITÁRIAS O IBGE apontava em sua pesquisa de 2010 que a população brasileira era composta em 51% por afrodescendentes e neste mesmo percentual por mulheres. Mostrava também que, dada a tendência da taxa de fecundidade, a percentagem de negros e mestiços deveria aumentar. Mas o mais grave está na pesquisa de 2014, sobre renda e contribuição tributária, que se vê no quadro abaixo: CLASSE DE RENDA % DA POPULAÇÃO % DA CONTRIBUIÇÃO TRIBUTÁRIA até 3 SM 79,02 53,79 de 3 a 5 SM 10,14 12,65 de 5 a 10 SM 7,60 16,63 de 10 a 20 SM 2,40 9,63 acima de 20 SM 0,84 7,30 SM = salário mínimo Esta sociedade, apesar dos programas de inserção social executados nos últimos 20 anos, com maior ênfase nos últimos 12 anos, ainda permanece injusta e excludente. Os grupos sociais quantitativamente mais representativos estão alijados ou minimamente representados nas esferas do Poder. A ”emancipação dos atuais escravos e seus filhos é apenas a tarefa imediata do abolicionismo. Além desta, há outra maior, a do futuro: a de apagar todos os efeitos de um regime que, há três séculos, é uma escola de desmoralização e inércia, de servilismo e irresponsabilidade para a casta dos senhores”. (Joaquim Nabuco, O Abolicionismo, 1883) São passados 133 anos e a elite de hoje, filha dos escravagistas e patrimonialistas das Capitanias Hereditárias, levanta-se em novas marchas com a Família e com seu Deus muito particular, distinto daquele do Papa Francisco, para, a pretexto da corrupção que foi ela quem mais praticou, impedir o avanço da maioria da população que esta deixando o “quarto dos fundos” para se sentar à sala. Só os ingênuos, desinformados pela imprensa oligopolista, ou aqueles que estão vendo enraivecidos seus filhos concorrerem com os que até pouco tempo os serviam, além dos sempre presentes interesses estrangeiros em nossa história, revoltam-se com o ingresso do Brasil na sociedade democrática e solidária, onde todos tem efetivamente os mesmos direitos e deveres. É quase certo que a aristocracia francesa não percebeu a migração que se dava na França da segunda metade do século XVIII em direção a Paris. Estas pessoas, destituídas, desprezadas, famintas formaram a multidão que derrubou a Bastilha. As elites brasileiras e seus capitães do mato no Congresso e Assembleias também não percebem o novo País se formando. Antes das cotas raciais tornarem-se efetivas, menos de 15% dos negros brasileiros ingressavam em cursos de nível superior. A última pesquisa já apontava serem 40% dos alunos. As periferias das grandes cidades desenvolvem uma cultura e valores próprios, sendo os equipamentos de informação virtual seu principal, senão único, instrumento de comunicação. Esta cultura se mostra na música, na literatura, nos esportes e modos e valores relacionais. Recente levantamento sobre o e-commerce (Censo do Micro e Pequeno Empreendedor Virtual pela plataforma Loja Integrada) mostrou que as lojas virtuais, fora dos grandes players que concentram 70% das compras, são propriedades de mulheres das classes C e D. Quase todas com instrução de 2º grau e 46% delas mantendo, ainda, um emprego. É este avanço brasileiro que vem despertando nas elites locais e no capital financeiro internacional a reação cada vez mais feroz e agressiva, sendo o caso Lava Jato um exemplo palmar. A inesperada reação de grande parte da população brasileira, inclusive de alguns membros da elite, a uma inexplicável coercitiva inquirição, em que nenhum dado novo foi perquirido, levanta a campanha de um perigo de guerra civil, incentivando mais uma vez a presença das Forças Armadas na política brasileira. Em vídeo apócrifo misturando cenas de Cuba ao tempo de Che Guevara, referências à Venezuela, contraditório na maior parte das vezes, usando citações de Brecht, em palestra, como incentivo à luta armada, esta minoria golpista procura atemorizar novamente a desinformada classe média, com algo oposto ao que lhe melhoraria a vida: exclusão social, estagnação econômica, maiores ganhos para o capital em detrimento do trabalho e desrespeito à soberania popular. E no mês de março, quando este mesmo discurso já foi usado para rasgar a Constituição e escancarar as portas do Brasil ao capital estrangeiro. Mas a aquele golpe seguiu-se um outro golpe, ainda que mantida a repressão, com o sentido mais nacionalista, possibilitando construir uma indústria nacional, destruída pelos governos neoliberais e pela midiática Lava Jato. Desta vez, no entanto, o sistema financeiro internacional, que domina quase todos países no mundo ocidental, não permitirá novamente um movimento em prol da soberania nacional. Neste domingo, 13 de março, ocorreram passeatas em diversas cidades. As redes de televisão e sociais deram maior divulgação as do Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e São Paulo. Observei em todas elas que a população majoritária do Brasil estava praticamente ausente. Aqui e ali um afrodescendente, e se o contava com os dedos da mão. Também as mulheres estavam em quantidade inferior a dos homens. Mas, olhando suas roupas, vendo-os chegar de táxi e pelos evidentes cuidados corporais, aquelas pessoas estavam possivelmente nas faixas de renda de menor contribuição tributária. Em resumo: a população brasileira, pelos seus segmentos mais numerosos, esteve ausente destas manifestações, mas, sem dúvida, estas tiveram custos expressivos. Pedro Augusto Pinho, avô, administrador aposentado

Assis Ribeiro

- 2016-03-13 18:54:58

No tabuleiro, de um lado as
No tabuleiro, de um lado as peças são a dama, o rei e os peões. do outro lado, apenas bispos, torres e cavalos. Kkkkkkkkkk

Maria Luisa

- 2016-03-13 18:53:07

Falta nesse tabuleiro o papel

Falta nesse tabuleiro o papel desempenhado por José Eduardo Cardozo. O fato de ter defendido e até minimizado o fator Lava Jato enquanto marchade aniquilação PT, contribuiu enormemente para o desastre que o governo Dilma incorreu.

Dilma Rousseff é outra incognita. Ao contrario de muitos que simplificam, chamando-a de estupida, creio que a rainha foi fortemente iludida durante muito tempo por alguns ou chantageada por outros.

Ah, mas não existe nada que poderia ser usado contra ela. Não existe nada diretamente ligado a ela e à corrupção, mas Dilma é uma pessoa altiva e não admite que a destituam de seu cargo por nada no mundo. A presidente ainda espera governar.

Quanto a uma aliança por um governo-parlamentarista... Acho pouco provavel que a aliança ocorra de fato pela vida pregressa desses que a desejam. Pelo menos uma aliança entre PMDB e PSDB entre tantas raposas e alguns garnisés, não iria longe. 

O mais provavel é que Lula va para a Casa Civil e ai, sim, tornaria um primeiro Ministro de Dilma, reorganizando a base politica. Mas sera que, à essa altura, Lula conseguiria espaço para governar ?

Não sei exatamente o porquê, mas isso é tudo que o PGR não deseja. Sera ele também proximo a Gilmar Mendes? 

Mendes é outra peça a não ser desprezada nesse jogo.

hsv18

- 2016-03-13 18:49:18

  Os passeios da turma

 

Os passeios da turma abastada e metida a ser abastada, não tem e nunc teve preocupação em combater corrupção, até porque muitos dessa gente está bem financeiramente justamente porque foi beneficiada pelo sistema corruptio secular de nosso país. 

Não dá pra levar a sério pessoas indignadas com a corrupção alheia, enquanto cultivam heróis do naipe dum Marinho preciato, dum Roberto Arruda, dum Carlinhos Cachoeira, do Demóstenes Torres, do Agripino Maia, dum Ricardo Teixeira, dum Del Nero, dum ex-governador Azeredo, dum Paulinho Pereira (força), dum Maluf e, principalmente, dum Eduardo correntista suíço Cunha. 

É muito moralismo pra tanta gente!

 

 

Fabio !

- 2016-03-13 18:46:08

?

As duas últimas semanas foram decisivas. 

Não importa mais o que vai acontecer ou qual vai ser o desfecho. O fato único é o seguinte : ACABOU. 

À parte a polarização em torno do PT e da figura de LULA , a única coisa triste que fica é a constatação : FRACASSAMOS NOVAMENTE. Pouco mais de vinte anos passados do impeachment do primeiro presidente eleito democraticamente pós regime militar , o processo torna a se repetir.   A constatação de que as forças ocultas e poderosas de meia dúzia de famílias que regem o país continuam firmemente dando as cartas . E isso é impeditivo para que se consolide nosso edifício democrático - assim entendido como um sistema em que não é possível para poucos atores isolados abocanhar todo o jogo político.

Nos últimos dez anos assistimos a todo tipo de aberração contra a ordem democrática ser cometida pela dobradinha IMPRENSA - JUDICIÁRIO : a operação Satiagraha , onde se moveram céu e terra para proteger Daniel Dantas - Gilmar Mendes ameaçou um juiz de primeira instância e o delegado PRotógenes Queiroz acabou expulso da PF ; as ligações do bicheiro Carlinhos Cachoeira com a revista VEJA ; as evidencias do livro PRIVATARIA TUCANA apresentadas contra Jose Serra , o flagrante contra o helicoptero da familia Perrela com meia tonelada de cocaína , os vazamentos do HSBC , o envolvimento da GLOBO nos escandalos da FIFA , as arbitrariedades nos julgamentos do mensalão ,  as arbitrariedades na operação LAva Jato . Coisa nenhuma apurada . 

O que fica para o momento é a espera da recomposição para um novo governo em 2018. E que seja alguem não cooptado por todo esse esquema e que tenha aprendido bem todas as lições desses últimos dez anos , para que não se embarece nele -  como ocorreu com Dilma - e não perca a oportunidade de desmontá-lo - como ocorreu com LULA . 

arkx

- 2016-03-13 18:39:22

o povo que falta

neste jogo de xadrez nota-se a ausência de um decisivo participante: o povo que falta.

os movimentos sociais e suas organizações políticas já não tem papel relevante. se na construção da Constituição de 1988 foram decisivos protagonistas, agora estão debilitados e sem o vigor para impedir o ataque à Democracia e aos direitos dos trabalhadores e das minorias.

no post, os grandes atores estão bem caracterizados e suas jogadas claramente descritas, elucidando como o xadrez político transcorre no campo macro.

descendo para as bases, descobre-se que falta um povo porque a este lhe faltam novas formas de organização viabilizando sua participação no plano macro. falta um povo porque na falida moldura institucional este povo já não cabe. e da construção de uma nova moldura este povo ainda não consegue ser um dos protagonistas.

mas nas bases constata-se também uma enorme vitalidade e movimentação por toda parte. o que foi reprimido em Junho de 2013 permanece à espreita, pronto a reocupar às ruas, resgatando-as para as lutas populares. tornando o povo que ainda falta o agente decisivo para a superação da crise.

.

Ana Bednarski

- 2016-03-13 18:32:20

Não quero te desanimar mas o Janot

está blindando ( ou melhor chantageando) todos exceto o PT. Lembre-se que el ganhou até na queda de braço com o Cunha que parece que vai ser o único PMDBISTA a sair chamuscado, pelo menos pelo andar da carruagem até o momento.

José Carlos Lima...

- 2016-03-13 18:30:47

Como pode alguém ousar afrontar o Império: que fique a lição

[video:https://www.youtube.com/watch?v=qRz-hWqSCCU]

O sistema bélico(MPF-PF-Moro)-midiático(Globo e assemelhados) está dando a Lula o mesmo papel que foi dispensado a Saddam Hussein quando da preparação para a invasão do Iraque, até uma fábrica de leite em pó foi transformada pela midia em fábrica de armas de destruição em massa. 

Cabia à midia, todo santo dia, nos fazer crer que Saddam era um tirano, vai que era mesmo, no entanto não era isso(a tirania), da mesma forma que, no caso brasileiro não é corrupção, o ponto. Se fosse a tirania o problema, EUA já teriam derrubado o governo da Arábia Saudita. Se fosse a corrupção, o do México não teria sossego, pois ao final dos mandatos sabem com boladas de bilhões de reais.  Lá como cá, o problema são as riquezas das quais os americanos e suas mega-corporações podem desfrutar. 

Com uma simples busca no Google dá prá ver o que era Odebrecht antes de depois da Lava Jato, ai dá para entender o motivo pelo qual a sua destruição era questão de honra para os intocáveis: como pode um pais como o Brasil ter a ousadia de faze o que fez no campo do desenvolvimento e da defesa. Se serve um desenho, o vídeo ai serve, é de 2012, dá para ver que os EUA estavam assustado com a ousadia do Brasil no campo da defesa. Conforme documentos vazados pelo wikileaks, os EUA desdenhava da capacidade do nosso pais executar os projetos, como por exemplo o do submarino nuclear. Só que, com o empenho do Comandante Othon, preso a partir de informação entregue a Rodigo Janot, quando este foi levar aos americanos informações sobre a Petrobrás, para que a estatal fosse processada naquele pais. 

Ah, se alguém puder salvar o vídeo antes que ele seja removido, que o façam, pois ele é muito valioso para entendermos o ponto zero do qual os EUA partiram para colocar em campo sua tropa de inteligência, com treinamento de quadros para levar adiante a Primavera Brasileira, praticamente invisível no incio, porque restrita às redes sociais, o mesmo método adotado na Siria onde, segundo Moniz Bandeira, a insurgência começou em 2011, também nas redes sociais, sendo que para isso até Sérgio Moro fez treinamento em solo americano. Se no Iraque a desculpa era invasão era a tirania de um ditador, por aqui é a corrupção e desta forma a Primavera está tendo, neste momento, mais um capítulo: movimentos como o MBL com mega estrutura arrastando um povo desinformado em direção ao seu próprio matadouro. Que assim seja.

Ah, o que acontecerá a Lula e ao país não se sabe, talvez conciliem como fizeram ao fim da ditadura, talvez não e, neste caso, derrubarão sua estátua e ocultarão seu rosto com a bandeira americana: como pode alguém ousar desafiar o Império. Que fique a lição...

Em tempo:
 

Olá coxinhas e inocentes úteis que neste exato momento participam de mais um levante da Primavera Árabe sic Brasilira: mirem-se em Kadom al-JabouriO homem que, eufórico, martelou a estátua de Saddam se arrepende amargamente diz que o país piorou e que, se antes tinha um ditador, atualmente existem cem...

 

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2014/06/1475894-minha-historia-iraquiano-que-atacou-estatua-de-saddam-diz-se-arrepender.shtml

 

Em tempo: aproveitei a deixa para pesquisar mais sobre a queda de Saddam, uma vez que Lula está sendo submetido a processo de demonização em que a mídia adotou o mesmo modus operandi usado na invasão ao Iraque.

 

 

Imagem de Saddam é derrubada

 

http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u54871.shtml

 

Multidão ajuda a destruir estátua de Saddam Hussein


http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2003/030409_estatuaaw.shtml

 

A guerra não foi isto, "a guerra é morte e imagens do inferno"

 

http://www.publico.pt/temas/jornal/a-guerra-nao-foi-isto-a-guerra-e-morte-e-imagens-do-inferno-26319972

 

http://www.publico.pt/temas/jornal/a-guerra-nao-foi-isto-a-guerra-e-morte-e-imagens-do-inferno-26319972

 

El Pais:Estados Unidos se acostumam às guerras sem vitória e sem fim

 

http://brasil.elpais.com/brasil/2015/01/01/internacional/1420094678_293384.html

 

Wikipédia: Saddam Hussein

 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Saddam_Hussein

 

Ana Bednarski

- 2016-03-13 18:29:16

Só concordo com as avaliações sobre o ALTO COMANDO

Acrescento que a união entre caciques PMDBistas e PSDBistas estão acontecendo poque é óvio a chantagem do ALTO COMANDO com a LAVA JATO.

O aviso prévio do PMDB de dar um mês de prazo é patético, afinal temos as olimpíadas e eleições municipais batendo na porta, como o PMDB vai ficar de fora do governo? Vai ter crise de abstinência de propina :( Assim sendo o golpe vai passar pelas mãos sempre SUJAS do PMDB.

O Parlamentarismo sugerido foi rejeitado duas vezes, pelo povo, e olha que na segunda vez houve bastante campanha da midia a favor. E me parece que há necessidade de referendo popular, acho que a sabedoria popular vai longe no Brasil imagina como fica o balcão de "negócios parlamentar" sob o PARLAMENTARISMO???? Não estamos civilizados para isso.

Acho que a análise do Nassif substimou o papel da midia , aliada ao ALTO COMANDO, acho que se fízermos um levantamento de quantos esposos, esposas, filhos, filhas, irmãs, irmãos, etc  tem relação de trabalho da Globo com o judiciário e vic versa, praticamente transforma a relação da globo e demais afiliadas (veja, folha,Band, SBT e até mesmo a Record) num incesto.

Essa parceria é anterior a 2013, ela começou a ir para a guerra na frase do Lula: "O judiciário é uma caixa preta" e na tentativa de democratizar as verbas publicitárias do governo.

Acho que a Dilma cometeu alguns erros, mas acho que a midia tanto a midiaZONA, como a alternativa fazem crítica com muito viés machista, todos parecem esquecer duas coisas : a CRISE ECONOMICA MUNDIAL E a paralisação provocada pelo congresso que faz oposição ao país, visto que, não há responsabilidade nenhuma do congresso com o nosso povo e nosso país. E pasme, isso acontece justamente porque sabem que se a justiça for imparcial (COISA QUE EU DUVIDE -O- DO) 60 por cento do congresso acabará envolvido em todas essa investigações  contra a corrupção, porque ai eu não me refiro apenas a Lava Jato.

Soluções, não tenho, mas uma coisa eu sei, sem o LULA participando da solução é provável um cenário de guerra civil.

chico da dilma

- 2016-03-13 18:19:44

A coxinhata.

Foi uma manifestação branca numa Nação negra

Fábio Peres

- 2016-03-13 18:18:30

O problema ...

Do ponto de vista estratégico, vale tudo o que você falou, Nassif. Entretanto, há um problema: o que você chama de "alto comando" não tem, exatamente, um líder.

Ninguém se ofereceu até agora para ser o verdadeiro comandante dessa tropa, que supostamente marcha em direção a um "país melhor" . A turma que está nas ruas, aliás, se move por um sentimento tão ingênuo quanto estúpido, que é achar que basta tirar todos os corruptos para que tudo passe a funcionar como um toque de mágica.

Na Argentina, esse movimento, o "que se vayan todos", acabou nos oito anos de Kirchner e Cristina. Na Venezuela, a sede de poder dos golpistas deu fôlego para que Chávez viesse como um todo-poderoso e impusesse uma Constituição que viabilizasse, de vez, a "República Bolivariana".

Seria fácil, portanto, chegar ao "impeachment"? Aí é que está: duvido muito.

No caso brasileiro, vejo que Dilma "está" fraca, mas não "é" fraca: resistirá até o fim de todo um processo de remoção, pois está convicta de que o melhor para o país é permanecer no poder. Ela é getulista, sabe o que aconteceu com Vargas e Jango, e não estará disposta a repetir os "erros" de seus antecessores, pelo bem do país.O semipresidencialismo poderia ser implementado com Temer no poder, mas não pela guerrilheira.

Além disso, ao mesmo tempo em que os "golpistas" saem às ruas, mostra-se a face mais ridícula e preconceituosa dos favoráveis ao "impeachment". Continuamente somos bombardeados pelas demonstrações de um fascismo denunciado mais pelas atitudes dos manifestantes do que por suas falas - e que fazem com que os esclarecidos, de qualquer tipo, saiam pela tangente, confessando-se decepcionados com a face mais autoritária do "povo brasileiro".

Será muito difícil, na prática, tirar Dilma Rousseff do poder. Uma batalha cruel, que ela poderá até vencer (não duvide).

agincourt

- 2016-03-13 18:06:42

lúdicas

Nassif retoma a surradíssima metáfora elitista do xadrez.

Né xadrez não. É puro RPG.

Xadrez tem regras fixas e é jogado por apenas dois – e num tabuleiro preto e branco, com peças brancas e pretas.

Nos RPGs as regras são bem pouco restritivas, o número de jogadores é variável e nem mesmo carece de tabuleiro.

Digamos que, neste momento, o dadinho de Dilma é um tetraedro (portanto, suas possibilidades vão de 1 a 4). Enquanto isso, contra a Velha Senhora, tem gente jogando com dadinho de 20 faces e até mesmo com dois dados de 10.

Não é impossível superar o lance, mas tá difícil pra *******.

Tina

- 2016-03-13 18:05:55

Pode apostar.

Não só dessa, de muitas outras. Em várias esferas do poder, em muitos países do mundo.

Luiz de Souza

- 2016-03-13 17:59:32

Xadrez

Nassif não expôs o vedadeiro Rei da partida, por desconhecimento ou, acredito, que por cautela . Todos sabemos que quem dá as ordens e traça as estratégias são os americanos. E é tão evidente que só falta grampear as comunicações do MP para confirmar, isto quando não tem a desfaçatez de irem pessoalmente. Em alguns países seriam fuzilados na hora.

Outra falta grave nas previsões é esquecer os peões das classes C e D além dos simpatizantes e ativistas de esquerda, que compõem os 54% dos votos obtidos por Dilma. Estes podem, sim, modificar o andamento do  jogo. Vamos ver as manifestações do dia 18/03, se teremos surpresas. Se o povão for para a rua não haverá como iniciar a caça às bruxas. O direito de resposta de Lula também pode modificar o quadro, tanto para melhor quanto para pior para o governo. Estão confiando muito na estratégia que as denúncias da Lava Jato contra Lula serão engolidas facilmente.

O jogo ainda está sendo jogado mas muita gente já está se protegendo.

José Muladeiro

- 2016-03-13 17:50:23

Parece que o Nassif se esquece de outra saída..

que seria Dilma entrar em acordo com o Senado e solicitar a autorização para destituir o PGR, chefe do Alto Comando.  O motivo da destituição śeria o fato de que Janot vem se comportando de uma forma não republicana e blindando alguns políticos em detrimento de outros e cometendo crime de responsabilidade ao não agir de uma forma séria contra os vazamentos, ao mesmo tempo que perdeu o controle sobre o órgão que dirige, permitindo que membros do MP ajam em desacordo com a lei.

Há muitos senadores e deputados interessados em ver toda esta situação de caça à bruxa se acalmar.   O senador Delcídio ficaria aliviado em não precisar fazer delação.

Dar um passo para atrás para mais tarde poder dar dois passos à frente.

José Carlos Lima...

- 2016-03-13 17:46:45

Olá coxinhas, mirem-se em Kadom al-Jabouri

Olá coxinhas e inocentes úteis que neste exato momento participam de mais um levante da Primavera Árabe sic Brasileira: mirem-se em Kadom al-Jabouri

O homem que, eufórico, martelou a estátua de Saddam se arrepende amargamente diz que o país piorou e que, se antes tinha um ditador, atualmente existem cem...

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2014/06/1475894-minha-historia-iraquiano-que-atacou-estatua-de-saddam-diz-se-arrepender.shtml

 

Edna Baker

- 2016-03-13 17:39:32

A tal Síndrome de Estocolmo.

A tal Síndrome de Estocolmo.

Ricardo F. de Paula

- 2016-03-13 17:35:14

Bem!!!! O dia D, pelo menos

Bem!!!! O dia D, pelo menos até agora,não foi nada diferente dos outros dias anteriores, que as ditas manifestações coxinhas, foram realizadas.

Manifestações extremamente pulverizadas,com o foco fosco.

Ninguem diferente,são os mesmos, mais do mesmo!!!!!

Essa manifestação vai derrubar quem........

Dando uma de esperto o PMDB preferiu esperar mais 30 dias para dar o veredicto,ou seja, vamos esperar o dia 18.

Acho que agora já chega!!!!

Tá na hora dos movimentos socias se manifestarem!!!!

A coxinha azedou!!!!

 

Vavá

- 2016-03-13 17:35:11

Concordo plenamente!

Concordo plenamente! Parece que só é brasileiro e tem que ter sua vontade respeitada, são os que vestem camisa da CBF. Peraí, dia 18 estaremos nas ruas para dar nosso recado, mas agora teremos que deixar claro que queremos que nosso voto seja respeitado. O Brasil tem 206 milhões de habitantes, e não são 1,5% que terão sua vontade prevalissida. Ou mostraremos nosso força, ou nos conformamos em sermos meros escravos da elite. Acho que foi um erro aqueles militantes irem para a porta do Lula, a Globo mostrou como se fosse uma manifestção fracassada, a cúpula tem que agir com inteligencia, afinal, o inimigo é poderoso! Não se ganha guerra sem sangue. Se a Dilma cair , as pontes das rodovias têm que cair também.

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2016-03-13 17:31:09

Go

Jogos complexos sempre foram usados para analogias políticas, neste artigo o Nassif usa o Xadrez como  referência, por sua complexidade e sua semelhança com alguns personagens reais da vida pública, modelagens complexas se valem sempre de analogias para facilitar o entendimento das situações diversificadas que participam da análise e desenvolvimento das ações.

Um jogo mais difícil, por apresentar muito mais alternativas que o Xadrez é o Go, jogado na Ásia, China e Coreia são os principais países onde se pratica, por ser mais difícil de ser modelado e jogado, até esta semana os humanos vinham mantendo uma primazia inconteste, mas a Google com seu programa de computador de Inteligência Artificial - AlphaGo -acaba de mudar isto, o programa venceu duas vêzes um dos principais jogadores do mundo e o terceiro game perdido, pode ter sido para salvar a honra do Lee, que ficou deprimido depois de duas derrotas seguidas.

As manifestações e desdobramentos da política brasileira, com seus atores e peculiaridades, me fez pensar em uma hipótese não ventilada pelas mídias e nem aqui no blog ainda, a de que o Brasil será o primeiro pais grande a ter um governo comandado por Inteligência Artificial, isto explicaria até o escritório da McKynsei no terceiro andar do Palácio do Planalto, pois o que o povo realmente quer são governos eficiêntes e baratos ou seja, boa governança com economia de recursos públicos. Sem falar que a banca veria o seu fluxo de riquezas extraídas daqui garantido.

As manifestações, sem líderes e idéias para se sobreporem ao que existe, deixando um vácuo no poder e a não apresentação de propostas alternativas pela oposição e mesmo a situação, leva a crer nesta hipótese, os meios para isto já existem e facilitaria muito um governo Tirânico mas justo, invisível aos olhos do povo, que garantiria o seu poder com o auxílo de robots com inteligência artificial.

As manifestações populares nas eleições americanas e a saída da Inglaterra da zona do Euro, indicam claramente a insatisfação dos governados com o sistema atual que escolhe os líderes, não difere em nada do que ocorre aqui no Brasil.

Antes que os afiadíssimos comentaristas aqui do blog do Nassif pensem que fiquei com o miolo mole e viajei na maioneze, segue o artigo da Wired que está acompanhando o match em Seoul entre o Lee e o AlphaGo da Google (em Inlglês).

The Sadness and Beauty of Watching Google’s AI Play Go

SEOUL, SOUTH KOREA — At first, Fan Hui thought the move was rather odd. But then he saw its beauty.

“It’s not a human move. I’ve never seen a human play this move,” he says. “So beautiful.” It’s a word he keeps repeating. Beautiful. Beautiful. Beautiful.

The move in question was the 37th in the second game of thehistoric Go match between Lee Sedol, one of the world’s top players, and AlphaGo, an artificially intelligent computing system built by researchers at Google. Inside the towering Four Seasons hotel in downtown Seoul, the game was approaching the end of its first hour when AlphaGo instructed its human assistant to place a black stone in a largely open area on the right-hand side of the 19-by-19 grid that defines this ancient game. And just about everyone was shocked.

“That’s a very strange move,” said one of the match’s English language commentators, who is himself a very talented Go player. Then the other chuckled and said: “I thought it was a mistake.” But perhaps no one was more surprised than Lee Sedol, who stood up and left the match room. “He had to go wash his face or something—just to recover,” said the first commentator.

Even after Lee Sedol returned to the table, he didn’t quite know what to do, spending nearly 15 minutes considering his next play. AlphaGo’s move didn’t seem to connect with what had come before. In essence, the machine was abandoning a group of stones on the lower half of the board to make a play in a different area. AlphaGo placed its black stone just beneath a single white stone played earlier by Lee Sedol, and though the move may have made sense in another situation, it was completely unexpected in that particular place at that particular time—a surprise all the more remarkable when you consider that people have been playing Go for more than 2,500 years. The commentators couldn’t even begin to evaluate the merits of the move.

Then, over the next three hours, AlphaGo went on to win the game, taking a two-games-to-none lead in this best-of-five contest. To date, machines have beaten the best humans at chess and checkers and Othello and Jeopardy!. But no machine has beaten the very best at Go, a game that is exponentially more complex than chess. Now, AlphaGo is one win away.

 

The Power and the Mystery

Fan Hui is in a better position to judge this move than anyone. He’s the three-time European Go champion and the first top player to challenge AlphaGo. The two played a five-game match in October, and he lost all five games. But Fan Hui wasn’t bitter. In the months since, he served as an adviser for the AlphaGo team as they retrained this artificially intelligent system to a significantly higher level. Like the commentators, he initially didn’t know what to make of the move. But after about ten seconds, he says, he saw how the move connected with what came before—how it dovetailed with the 18 other black stones AlphaGo had already played.

'Yesterday, I was surprised. But today I am speechless.'LEE SEDOL

The average human will never understand this move. But Fan Hui has the benefit of watching AlphaGo up close for the past several months—playing the machine time and again. And the proof of the move’s value lies in the eventual win for AlphaGo. Over two games, it has beaten the very best by playing in ways that no human would.

Like little else, this path to victory highlights the power and the mystery of the machine learning technologies that underpin Google’s creation—technologies that are already reinventing so many online services inside companies like Google and Facebook, and are poised to remake everything from scientific research to robotics. With these technologies, AlphaGo could learn the game by examining thousands of human Go moves, and then it could master the game by playing itself over and over and over again. The result is a system of unprecedented beauty.

But at the same time, AlphaGo’s triumph stirred a certain sadness in so many of the humans who watched yesterday’s match from the press rooms at the Four Seasons and, undoubtedly, in many of the millions of others who followed the contest on YouTube. After looking so powerful just a few days before, one of our own now seemed so weak.

Losing Control

Rather unexpectedly, I felt this sadness as the match ended and I walked towards the post-game press conference. I was soon stopped by a Chinese reporter named Fred Zhou, whose home country has so closely followed this match. According to Google, 60 million Chinese watched the first game on Wednesday afternoon. Zhou said he was so happy to talk with another technology reporter, lamenting how many journalists were treating the match like sport and hailing the power of Google’s machine learning. But then his tone changed. He said that although he was so very excited to see AlphaGo triumph after Game One on Wednesday, he now felt a certain despair. In the first game, Lee Sedol was caught off-guard. In the second, he was powerless.

Oh-hyoung Kwon, a Korean who helps run a startup incubator in Seoul, later told me that he experienced that same sadness—not because Lee Sedol was a fellow Korean but because he was a fellow human. Kwon even went so far as to say that he is now more aware of the potential for machines to break free from the control of humans, echoing words we’ve long heard from people like Elon Musk and Sam Altman. “There was an inflection point for all human beings,” he said of AlphaGo’s win. “It made us realize that AI is really near us—and realize the dangers of it too.”

Oh-hyoung Kwon, a Korean who helps run a startup incubator in Seoul, later told me that he experienced that same sadness—not because Lee Sedol was a fellow Korean but because he was a fellow human. Kwon even went so far as to say that he is now more aware of the potential for machines to break free from the control of humans, echoing words we’ve long heard from people like Elon Musk and Sam Altman. “There was an inflection point for all human beings,” he said of AlphaGo’s win. “It made us realize that AI is really near us—and realize the dangers of it too.”

Machine Changes Human

Fan Hui once sat in much the same place. As we talk after the match, he clearly feels an enormous empathy for Lee Sedol, complaining about the online critics who have lambasted the Korean’s play. “Be gentle with Lee Sedol,” he says. “Be gentle.” But as hard as it was for Fan Hui to lose back in October and have the loss reported across the globe—and as hard as it has been to watch Lee Sedol’s struggles—his primary emotion isn’t sadness.

As he played match after match with AlphaGo over the past five months, he watched the machine improve. But he also watched himself improve. The experience has, quite literally, changed the way he views the game. When he first played the Google machine, he was ranked 633rd in the world. Now, he is up into the 300s. In the months since October, AlphaGo has taught him, a human, to be a better player. He sees things he didn’t see before. And that makes him happy. “So beautiful,” he says. “So beautiful.”

 

 

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2016-03-13 17:21:53

Tirânia oculta = parlamentarismo "a la brasileira"

Sonho de verão dos que nos exploram, espoliam e massacram.

Dormem molhados toda noite pensando nisto.

Dilma, acorda!

José CB ( aguardando aprovação )

- 2016-03-13 17:16:51

Continua a pergunta

E qual papel desempenhou Dilma Roussef em tudo isso ???

Por que reconduziu o alto-comando à sua função "golpista" em 2015 ?

 

Edna Baker

- 2016-03-13 17:12:12

OBA!!!

OBA!!!

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2016-03-13 17:10:44

Tempestade perfeita da Dilma?!?!?! ....KKKKKKKKKK!!!!!!

Bebeu muita caipirinha no almoço, não foi?

H66

- 2016-03-13 16:59:35

Contra a Dilma.

Ninguem é mais contra a Dilma do que o nassif. Claro que ele vê o nazismo por ai mas a culpa é da Dima.

Este é o país esquisito de hoje!

Sou Dilma, sou ataque a miséira, sou pela democracia.

Edna Baker

- 2016-03-13 16:57:04

Dizem por aí que o Janot é

Dizem por aí que o Janot é maçom. Estaria a maçonaria por trás dessa conspiração?

Francisco Magalhães Vieira

- 2016-03-13 16:53:20

Nazicoxinhas.

:

Casadei

- 2016-03-13 16:50:36

Concordo

ACS, concordo, perfeito.

Ricardo Cavalcanti-Schiel

- 2016-03-13 16:47:51

Wishful thinking

O raciocínio pretendidamente enxadrístico do Nassif comete um erro que os enxadristas aprendem a não cometer.

Quando se treina xadrez, joga-se, antes de mais nada, consigo mesmo. Isso obriga aquele que treina a olhar pelo lado do adversário e fazer, no lugar dele, a melhor jogada que ele (adversário) poderia fazer. Xadrez sempre se joga esperando a melhor jogada do adversário. Seu erro é, na verdade, da ordem do inusitado. O que se trata é de armar a melhor disposição no tabuleiro para poder pensar numa vitória.

O problema é que o Nassif precondiciona o jogo, desejando que uma certa racionalidade (ou, antes, para usar um termo maquiavélico, a "virtude") se imponha.

Isso o leva a demonizar o que ele chama de Alto Comando, como se ele fosse um demiurgo que tem um horizonde prévio e claro. A contradição é tal, no raciocínio do Nassif, que ele chega a afirmar que, essencialmente, parte fundamental desse Alto Comando é probo e bem intecionado. Isso não bate com a suposição de um cérebro conspirador!

As ações do MP são largamente erráticas, movidas por uma lógica instrumental e processual (e não estratégica e finalista), com uma boa dose de inspiração moral conservadora.

No xadrez, as peças não têm vontade própria. Elas dependem das relações posicionais umas frente às outras. A relação precede logicamente o livre-arbítrio de uma eventual peça super-heroi (mesmo que seja uma dama) e de um "alto comando".

A única solução para o "jogo" do Nassif é, portanto, supor um demiurgo transcendente. E ele faz isso deslocando o fantasma dessa figura ora para lá ora para cá; ora é a institucionalidade, ora é a constitucionalidade, ora é a segurança econômica... Mas, e se não existir essa "virtude" transcendente????

Não há Alto Comando. O que há é um consórcio ocasional de alianças e perspectivas, e ele se move conforme... ora, como diria o Ulisses Gumarães... ele se move conforme as nuvens.

Armou-se uma tempestado política sobre o ceu do Brasil. A principal responsável por ela foi uma péssima aprendiz de feiticeiro chamada Dilma Roussef. Mas os vapores que propiciaram a formação dessas nuvens carregadas foram exalados desde a famosa Carta aos Brasileiros.

Outros vapores poderiam ter produzido outra classe de tempestade, uma tempestade transformadora? Sim, sem dúvida, mas na sua incongruência, na falta de um projeto efetivo de transformação, os vapores que foram exalados produziram uma tempestade meramente anômica. Agora não dá pra querer estocar vento, nem que a vaca tussa.

O resto... bom o resto é meteorologia. E é dessa "arte" que mais se deveria aproximar a análise política, e não de um xadrez com o tabuleiro torto.

Edna Baker

- 2016-03-13 16:41:49

PERFEITO!  Parabéns!

PERFEITO!  Parabéns!

gabi_lisboa

- 2016-03-13 16:39:28

Nassif, você está sendo otimista, o Brasil faz parte do mundo

Se você analisar um pouco as desestabilizações semelhantes ocorridas recentemente em outros países, as ditas primaveras, vai entender que o que está acontecendo aqui é um processo de destruição do brasil enquanto nação soberana. Esqueça os Renans, Cunhas, Lulas, o nome do fantoche que assumir pouco vai importar. O Brasil vai virar o caos, terra de ninguém, basta olhar para a Líbia, Siria, Ucrânia, Egito, etc, esses lugares eram países... Depois que o golpe for dado no Brasil e olhando o que aconteceu em outros lugares, o segundo passo golpista é acabar com qualquer possibilidade de reorganização nacional através de uma ditadura como no Egito ou do esfacelamento institucional e social como ocorreu na Líbia. Minha preocupação nesse momento é entender qual vai ser a extensão do aparato repressivo com as tais leis antiterrorismo, nosso novo AI5.

olinto

- 2016-03-13 16:38:38

Maquiavel

E a EBC propagandeando republicanamente as manifestações democráticas contra o governo? E o artigo do Edinho (SECOM!)? Sadomasoquismo pouco é bobagem.

Eduardo Pereira da Silva

- 2016-03-13 16:37:31

DIA "D" É O DIA 18 DE MARÇO DE 2016. DIA DA CONTRAOFENSIVA

 

Não gostei de chamar esse domingo de dia "D", pois os grupos neonazistas é que vão a rua neste domingo, são eles que vem atacando o estado democrático de direito ferozmente para impedir que forças legalistas se levante, tentam ridicularizar ou aterrorizar qualquer um que tente se levantar contra esse monstro. Fazem demonstração de forças e continuam um certo contínuo para tentar desabilitaar os ânimos, lançar a apatia e derrubar lideranças de uma contraofensiva.

Sobre a avalanche de críticas partindo da própria oposição a ação do MP paulista contra o Lula, já comentei que tudo não passou de desespero da oposição (inclua-se ai a Lava Jato que hoje é claramente um grupo de oposição) para que a comeptência no caso do Lula não se fixa-se em SP, retirando-lhe das mãos da "República Mouriha" que cuida de atacar a esquerda em primeira instância enquanto o outro grupo nas mãos de Janot, cuida de atacar as esquerdas com foro privilegiado, claro que como esbarra no STF, acaba tendo que ser mais cauteloso, mas a blindagem ao PSDB é escancarda. Tanto foi e é por conta da fixação de competência que "malandramente" Janot quando "elogiou" a peça paulista deixou claro que ela pecou na descrição do crime de lavagem de dinheiro pois teria que ter dito que o dinheiro saiu de propinas de dinheiro da União. Assim, o circo podia ser feito em SP, mas não colocava em risco a tese da Lava Jato de que o dinheiro era da União e por isso a competência tinha que ficaar com MPE, aliás essa é a tese que vão defender no Supremo contra o Agravo Regimental que o os advogados entraram contra a decisão da Rosa Weber e do jeito que os promotores de SP fizeram atrapalha a tese que o pessoal da Lava Jato vai defender no STF, porque como a questão do dinheiro não tem nenhuma demonstração factual para fixar a competência com base na Súmula 122 do STJ, a competência territorial para fixar, agora com a ação do MP paulista, em SP, ganha força, porque os imóveis são em SP e onde foi protocolado a primeira denúncia agora foi em SP, o que geraria, em tese a competência por prevenção para SP o que atrapalha toda a enge nharia montada pela Lava Jato, que não quer apenas derrubar a Dilma, precisa eliminar qualquer possibilidade de Lula concorrer m 2018.

Não concordo que a mídia seja apenas um papel de suporte para a Lava Jato, a mesma também é artíficie com outros grupos e a Lava Jato é que é apenas um braço desses grupos, muitos de fora, que também não vou esticar porque seria muito longo. Contuo, podem pegar os arquivos de 2013 e se verá que o MPL (movimento passe Livre) vivia fazendo protestos e apanhando constantemente da PM do PSDB de SP e a grande mídia quando os retratava era quase sempre como vândalos. Porém, num dado momento a imprensa foi cobrir mais um show de borrachadas da PM do PSDB no MPL e aconteceu que balas de borrachas feriram repórteres, chegando um deles a perder a vista, se não me engno. Só apartir desse momento o movimento cresceu, muito mais por conta do corporativismo do jornalismo que começou com ferrenhas críticas a truculência da PM do PSDB de Alckmin. E, nesse momento, a Globo, sempre ela, entrou para defender o tucano, acontecendo a célebre frase que enfureceu mais ainda os protestos, quando o Jabour falou na Globo "esse pessoal nao vale nem vinte centavos". A onda de protestos contra a Globo veio de todos os lados e o movimento ganhou força descomunal, então vendo que não podia conter o movimento a Globo, paulatinamente foi pautando as manifestações e vagarosamente, aquilo que tomou corpo por conta da violência da PM do PSDB, foi lançada pela mídia contra a Dilma. A maior obra de manipulação em massa que vi nas última décadas. E nesse contexto, foi que a própria Globo começou a chamar grupos de fora como o "Change Brasil" cujas frases apareciam até em jogos de futebol que a emissora transmitia e, começou a engenharia embrionária de dar musculatura para o MP e impedir a PEC que tirava do MP os poderes para investigar. Foram inúmeras e inúmeras inserções da Globo, sem falar da Veja e outros jornalões, dizendo que o movimento tinha que ter rumo, que quem é contra tudo é contra nada, é no primeiro momento o rumo inicial mais preemente foi a derrubada da PEC e o fortalecimento do MP que em troca entrou na engenharia e se alinhou completamente ao plano que a oportunidade abriu, e tudo foi direcionado contra o PT e empresas e polítios que se ligassem ao PT, com o festival que se iniciou depois com as delações seletivas e direcionadas.

Bem, podemos ver que "os sem voto" (MP, PF, GRUPOS DE MÍDIA E OUTROS EXTERNOS) conseguiram ter uma ,ascendência sobre a política muito maior que aqueles que foram eleitos. Um feito excepcional. Então é fácil atacar apenas a Dilma que cometeu erros sistemáticos sim, mas que foi sitiada desde 2013, como nenhum outro presidente jamais foi até então. Já foi um milagre, com tantos ataques que ela ganhasse as eleições. O que esse grupo não imaginava e se tornou ainda mais radical contra o governo dela. Então temos sim um governo sitiado, mas podemos ver que, se grupos sem voto podem ter ascendência sobre a politica e o país, pela manipulação e movimentação das massas, podemos concluir que, a reação também não precisa e talvez não possa mesmo vir do governo, como muitos querem, porque ele está sitiado. A reação tem que vir de movimentos populares contrários. O nazismo não morreu por dentro - ele foi derrotado por forças externas, que se levantaram, tardiamente, como agora, mas se levantaram, se uniram e derrubaram o reich. Ora, todos sabemos que esse é o Congresso mais reacionário que compôs nas últimas décadas e seus próceres mais importantes são blindados tanto pela Lava Jato como pela mídia, é muita coisa querer que a Dilma consiga governar com essa turma que foi eleita e que a Lava Jato empurra contra o governo dela praticamente mantendo preso ou ameaçando de prender qualquer empresário que se aproxime da esquerda ou qualquer força política que faça o mesmo. Mas para ter essa força a Lava Jato que é um instrumento precisa manter o controle das massas, daí que, a única alternativa atual não passa mais pelo Congresso, passa pelas ruas, pois é nas ruas que eles apostam para ganhar força para desfecar o Golpe e é das ruas que pode vir a contraofensiva para derrubar o Golpe.

Assim, se as esquerdas se unirem percebendo que não é apenas o futuro do PT, Dilma e Lula que está em jogo, mas de toda democracia e das esquerdas, esquecerem suas diferenças e se unirem, lideranças sociais, MST, MTST, CUT e demais sindicatos, agentes nos bairros periféricos, e formarem uma demonstração muito grande de força, podemos impedir o Golpe,porque ele não pode mais ser contido de dentro para fora porque o governo e o Congresso (mesmo os corruptos) estão sitiados (e os corruptos - já lhes foi sinalizado - serão perdoados se ajudarem a derrubar Dilma), pela pressão popular que a mídia exerce "beatificando" a Lava Jato, que é seu instrumento.

Então me perdoe, dia D é o dia 18 de março de 2016, onde pode começar a contra ofensiva popular contra esse monstro que a mídia e outros grupos, inclusive exerno criou. Agora, resta saber se as esquerdas vão deixar de ser antropófogas e se unir ou se vão se degladiar entre si e irem juntas para o abismo.Ricardo Boulos, por exemplo, tem que ter a humildade de reconhecer que, com todos os erros que ele possa imputar ao Lula, é ele Lula que é o polarizador das esquerdas atualmente e se unir com todas as forças nos movimentos do dia 18, porque isso é um institnto de sobreviência dele Boulos e dos movimentos que comanda, o mesmo vale para outros líderes de esquerda. Lula está com mais de 70 anos, esse pessoal pode passar por cima do ego e se juntarem no dia 18 usando Lula como catalizador, depois de vencido o golpe e o neonazismo que arvora, eles podem reinvidicar um protagonismo futuro, porque o futuro pertence aos mais jovens mesmo, mas ele só existira (para a esquerda) se ela se unir agora.

Se ocorrer união a esquerda pode levar uma multidão para as ruas porque tem mais capilaridade no povão e transformar Lula no Waterloo dos novos Napolões ou a Stalingrado de Hitler, depois a história dará espaço para novas lideranças para esquerda. O dia D está em nossas mãos e pode ser o dia 18 de março de 2016. Espero que a esquerda como um todo tome consciência de que não dá mais para assistir dividida em egos o monstro lhes devorar o futuro.

 

Edna Baker

- 2016-03-13 16:30:18

Em pleno acordo.

Em pleno acordo.

j.marcelo

- 2016-03-13 16:20:53

Ze Guimarães,reclame com a

Ze Guimarães,reclame com a Globo incentivadora do caos e do Juiz q acaba com grandes empresas e pessoas,tudo à

base do DIZ QUE ME DISSE,quem foi eleita e tá fazendo muita besteira foi a Dilma eu sei,e o PT também,

MAS RESPEITE-SE A DEMOCRACIA E NADA DE TAPETÃO!(ainda mais desse jeito tipo "fascista")

 

Ze Guimarães

- 2016-03-13 16:07:07

Mestres enxadrezistas

A oposição joga Xadrez como se Grandes Mestres fossem. Sem escrúpulos, com afinco, com o Maquiavel do lado deles e tudo o mais. Jogam com tamanha maestria que é de se supor que Generais os ajudam na organização de seus planos.

E o Lula, junto com a Dilma  como jogam xadrez? Com republicanismo... Com o Zé Cardozo, na área do Judiciário... com o controle remoto contra a midia... Dando "liberdade e independência" ao Ministério Público, e a Polícia federal... Escolhendo o Procurador Geral da República por lista tríplice...

Se fosse um filme, se chamaria "Os Três patetas, contra Darth Vader" Seria uma tragi comédia.

mcn

- 2016-03-13 16:05:46

O ataque do PGR ao ministro Barroso
É das páginas mais baixas e vis da história da República Vazou-se para blogueiros de esgoto que a esposa do Ministro estava ligada a algum tipo de problema com uma offshore. Pouco importa. O único fato relevante é que esse tipo de informação é literalmente impossível de se obter no Brasil. Mas não por um certo serviço de espionagem norte-americano, que atua em cooperação com o MP. Quando Procurador Geral achaca Ministro da Suprema Corte para atacar a Constituição e derrubar um governo legitimamente eleito, esse ato chama-se conspiração. É urgente destruir a força-tatefa pelo desmembramento dos processos. Não é Lula que está sob ataque das trevas, é a Constituição Cidadã, do qual Lula foi um de seus artífices, que está na mira.

Ze Guimarães

- 2016-03-13 16:01:44

Desemprego no dos outros...

Caro Sr. Januário. com todo o respeito, seu comentário foi de um egoísmo, e cinismo sem precedentes.

Quer dizer que só por que o Sr. ainda tem um emprego, ou uma fonte de  renda, os 9 milhões de desempregados, que aumentam a cada dia, quese lasquem? No seu "brilhante " raciocínio, seria melhor manter Dilma no poder, mesmo que a custa de quedas extremas de PIB, e ás custas da fome dos milhões de pais de famílias desempregados, do que resolver esta quebradeira generalizada de empresas...

A cada dia que saio pela cidade vejo mais e mais empresas com placa de vende-se, aluga-se, numa velocidade nunca vista antes, mas segundo o Sr., isto é de sómenos importância, e ainda acha que a Lava Jato vai perder o fôlego, sabe-se de onde lá tirou esta idéia...

Ainda que a Lava Jato termine, eles lançarão outras operações, pois o fogo de um Judiciário independente e "republicanista" é infinito.

O pensamento do Sr. se iguala a FHC. Ele também não dava a mínima aos desempregados, contanto que seu partido continuasse no poder.

Orgulho criminoso e egoísmo feroz, nunca pensei que veria petistas postando comentários de tal teor.

Finalmente os tucanos e petistas estão se igualando em modos de pensar.

Edu Pedrasse

- 2016-03-13 16:00:23

Nassif é uma Esfinge

Nassif é um excelente jornalista e analista.

Aprendo muito nesse Blog.

Mas.....por vezes....

Tende a uma visão médio-classista que me deixa intrigado.

Será por escolha? Ou será por DNA?

Me lembro da eleição de 2014...suas loas iniciais à Marina...e sua declaração "tardia" de apoio à Dilma....

Suas últimas análises "tabuleiro de xadrez"  tem sido enigmáticas...

Prestem atenção. O povo não está lá.

Porque não existe mesmo ou ele não vê?

Ou não quer?

 

Guiba

- 2016-03-13 15:53:21

Tudo isso está acontecendo em

Tudo isso está acontecendo em razão da inépcia da atual presidente. Elegeu-se em 2010 com uma fenomenal maioria e a fez derreter com sua inacreditável falta de habilidade política, sua soberba e sua teimosia.

Lula também é responsável por tê-la indicado. Já conhecia essas características quando foi sua ministra.

Astronauta

- 2016-03-13 15:53:18

Papel do MP

Alguém aqui já ouviu a fábula do escorpião e o sapo numa travessia de rio?

Para mim o Brasil é o sapo.

Luciana Mota

- 2016-03-13 15:52:39

O caso é que o país chegou ao

O caso é que o país chegou ao ponto de não retorno.

Não há mais saída honrosa, tão pouco dentro da legalidade.

E a análise retirou o peso do fator determinante para o estado que vivemos, a omissão patológica de Dilma, sua insensibilidade.

Não é só o caso que Dilma não governa, ela é incapaz de comunicar-se ou solidarizar-se com quem diuturnamente defende seu governo, por amor à Democracia.

É um escárnio com a militância que após o vazamento do depoimento de Delcídio tenha ocorrido uma semana depois da saída de Eduardo Cardozo do MJ e o mesmo ainda ocupe cargo no governo  e participe de reuniões palacianas.

Como disse não há mais saída honrosa, o país está cindido.

Não é só uma questão de classes, é também uma questão territorial, a soberba paulista não suporta mais o papel de coadjuvante, incapaz de determinar os rumos da nação.

Os paulistas não podem mais aguentar que o norte e o nordeste possam definir os resultados das eleições.

Bom era quando a boa gente paulistana se reunia para enviar comida para os miseráveis do nordeste, para os famintos da caatinga.

Essa é também a ordem que se visa restabelecer.

Só que é algo impossível.

Assim como é impossível qualquer saída dentro da normalidade jurídica e do estado de direito. A população já se manifestou quanto a implementação do parlamentarismo, foi contra.

Sua imposição agora é afronta a soberania popular.

O mesmo se dá havendo impeachment de Dilma e manutenção de Temer, tem-se afronta ao estado de direito.

A prisão de Lula, se ocorrer será o primeiro tiro de guerra.

E mesmo que o aparato policial silencie violentamente a população, em 2018, Lula elege até o porteiro de seu prédio para presidência.

Nas últimas eleições em Osasco, dois candidatos do PT foram impedidos, Lapas, um ilustre desconhecido (até então), ganhou as eleições no primeiro turno, o recado não poderia ter sido mais claro. 

O resto do país dará o troco na empáfia paulista.

Os tempos que se avizinham são sombrios, porém,  qualquer um que assuma o poder agora seja com essa excrecência de semi-parlamentarismo, seja pelo golpe, só governa até 2018.

Repito o resto do país irá calar a empáfia paulista.

Luciana Mota.

 

 

Jair Fonseca

- 2016-03-13 15:50:28

Osvaldo, não tenho procuração

Osvaldo, não tenho procuração pra defender o Nassif, e não se trata disso. Ele demorou mesmo pra perceber quem era de fato Aécio Neves, mas não se esqueça de que Aécio era o tucano mais próximo de setores do PT (Pimentel etc), porque interessava a ele se diferenciar dos rivais tucanos de SP visando candidatar-se à presidência. O próprio Lula, na sua fase mais conciliatória, afagava Aécio, que se mostrava todo tolerante e simpaticão. 

Samuel Dourado

- 2016-03-13 15:50:12

No xadrez do MP Lula é o rei a ser abatido, mas,...

No xadrez do MP Lula é o rei a ser abatido, mas,...

O fato é, que Lula é a única alternativa atual para a saída da crise sem rompimento isntitucional, sem golpe branco e, pelo resgate dos escrúpulos republicanos nas Instituições brasileiras, sem moralismo cínico/seletivo.

O MP de uma forma ou de outra, pagará o preço pela ousadia. É questão de tempo, como você disse Nassif, para cair a ficha dos números mais republicanos do MP.

Nem sempre a elite representa o ideal da Instituição, muitas vezes ela oportunisticamente e circunstancialmente ocupa o vazio institucional deixado pelo coxilo daqueles que prezam a democracia como um bem a ser defendido, preservado para as futuras gerações.

Ivan Pedro

- 2016-03-13 15:46:27

Segundo o Blog do Tarso !!!

As manifestações são menores que o esperado :

 

http://blogdotarso.com/2016/03/13/manifestacoes-sao-menores-do-que-o-esperado/?utm_medium=twitter&utm_source=twitterfeed

 

Alguém confirma ???

Wilton Cardoso Moreira

- 2016-03-13 15:45:37

A psique colonizada do Brasil

A análise desvendou o jogo todo, mas há algo que aparentemente não tem sentido. Como o Alto Comanto (os procuradores de Brasília) são homens probos e imbuídos de um sentimento limpeza ética do país insistem em poupar alguém como Aécio Neves, contra todas as evidências? O mesmo acontece com a quase totalidade das elites e da classe média e com boa parte do povão. Eles não conseguem odiar, essa é a palavra certa, Aécios, Alkmins e Serras, como odeiam Lula, Dilma e o PT.

A razão dos fatos não explica tal sentimento de ódio. Ela pode ser encontrada somente no inconsciente coletivo do país. Afinal, FHCs, Aécios, Alkmins e Serras fizeram e continuam fazendo as estripulias que bem entendem e jamais recebem, em troca, tamanha indignação. Lula por outro lado, não pode ser presentesado por empreiteiras, fazer acordo com as raposas políticas do PMDB, nem receber palestras em dólares. A esquerda fica decepcionada com Lula e os petistas por conta disso, mas os anti-petistas ficam com ódio contra essa "roubalheira petista" sem conseguir ver a mesma "roubalheira" dos políticos tradicionais. Nem Eduardo Cunha é alvo de tanto ódio...

O inconsciente do brasileiro, e creio que se trata da imensa maioria, "raciocina" assim:

"Há os que podem usar e abusar do poder à vontade. Estes são os filhos bracos bem nascidos das elites de sempre, os doutores e coronéis. Mas um peão analfabeto, esse não. Ele (e seus seguidores) deve saber o seus lugar. Não é que ele tenha que dar o exemplo quando for governar, sendo o governante mais ético da nação. Não, ele simplesmente não deve governar, não é o seu lugar, ainda mais representando (mesmo que apenas simbolicamente) a peãozada toda, ou seja, usando esta simbologia para exercer o poder. Se um peão quer governar, que embranqueça ou se elitize, nada de simbolizar um peão no posto de mando, e muito menos de se tentar qualquer política redistributiva de renda ou de autoestima para os peões, por menor que seja. Os peões têm que saber o seu lugar."

No fundo, todos nós brasileiros, peões, classe média, elite, sabemos disso. E saber "no fundo" significa que acreditamos nisso, que se trta de algo arraigado em nós. Os esquerdistas ou progressistas são pessoas que enfrentaram, em maior ou menor grau, o seu psiquismo original de brasileiro, de mente colonizada.

É por isto que muito ex-esquerdistas, depois de velhos,  se tornam reacionários: eles voltam às suas origens brasileiras. E as origens são pacificadores, elas colocam ordem na mente de quem está cansado de conflitos internos de consciência. Nosso Éden é a sociedade estratificada e desigual: pretos e pobres lá em baixo, os demais, do meio pra cima. Mesmo que a volta seja impossível, mesmo que a sociedade estratificada com que sonhamos sempre foi, na realidade, um inferno: o Brasil e as colônias espanholas desde sempre foram a terra da injustiça, da violência, da miséria e da humilhação dos pobres. Mas os fatos não interessam, o mito das orignes é que importa e ele nos chama: prendam aquele peão abusado, tronco nele e em quem se associou com ele. E calem a boca os que questionam as origens a sociedade em que cada um tem o seu lugar. 

Mas isto tudo se passa inconscientemente. Os que oddeiam Lula e PT não querem nem saber de tais explicações. Seria doloroso demais saber até mesmo que sentem ódio. Eles se veem como "indignados". São contra a grande robalheira do PT "nunca antes vista". Se enfrentassem seu inconsciente, se soubessem que no fundo desejam o "édem infernal" da sociedade injusta e humilhante, eles não teriam mais paz de consciência, seriam um conflito ambulante, como são os esquerdistas/progressistas. Os procuradores, policiais e juízes da Lava-Jato, as elites, os jornalistas da grande mídia, a maioria da classe média e parte do povão não olharão para dentro de si-mesmos. As origens basileiras os chamam com seu canto de sereia.

rdmaestri

- 2016-03-13 15:44:24

Este texto complementa o que escrevi acima.

Procurar as saídas como esta dependessem dos partidelhos de plantão, é um erro de interpretação que custa muito caro e não temos mais tempo de fazer.

rdmaestri

- 2016-03-13 15:39:09

Caro Nassif, o Brasil não é o centro do mundo.

Vou fazer uma ENORME CRÍTICA à tua "aula magna" como alguns estão chamando. Esqueces por completo a realidade nacional, se escreveste este artigo em abril de 1964 certamente ignoraria que uma frota norte-americana estava se aproximando das costas brasileiras brasileiras para apoiar, inclusive com um porta-aviões os golpistas da época.

Nos dias atuais não se manda logo frotas para começar golpes, mas se apoia de forma mais sutil, porém ativa, a desestabilizações de países.

Quando vi que querias mais informações sobre as revoluções coloridas, pensei que começarias a pensar um pouco além das fronteiras brasileiras sobre a situação do Brasil, e continuas a achar que o que acontece é simplesmente uma conspiração mediática-jurídica contra o governo do Brasil.

Fica claro dia a dia que as manifestações em 2013 foi a partida de algo maior, de uma hora para outra, como ocorreu em dezenas de países do mundo saíram as ruas milhões de manifestantes para derrubar governos ditatoriais, governos democráticos porém com suspeição de corrupção, numa onda que deixa bem claro que estas ações tinham por objetivo simplesmente rearranjar a situação internacional para enfraquecer os governos Russos e Chineses que vinham ganhando terreno no plano econômico e político mundial.

Isto noa dias atuais deixou de ser uma teoria da conspiração para ser uma realidade histórica, países que se baseavam em ditaduras que ao menos davam autos status de vida as suas populações, como o Iraque, Líbia e Síria foram francamente invadidos por tropas estrangeiras e nos casos do Iraque e Líbia transformados em países medievais devido a destruição de sua infra-estrutura.

Países como a Ucrânia o presidente eleito foi derrubado por pretensa corrupção, tendo inclusive o mesmo ardil de mostrar peças de arte que pereceriam ao país mostradas numa residência presidencial (não lembra alguma coisa que ocorre no país).

Qual o resultado disto tudo, Iraque, Líbia e agora a Síria são países destroçados que se qualquer governo que assumisse agora levaria vinte (20) a trinta (30) anos para dar as mesmas condições ao povo que ele tinha antes destas intervenções.

A Ucrânia está dominada atualmente por governos nazi-fascistas, e não está se dizendo uma figura de linguagem, os partidos que dominam a política atual da Ucrânia são descendentes diretos dos nazi-fascistas que atuaram na segunda guerra contra as tropas aliadas.

A situação dos outros países da chamada primavera árabe continua mais instável do que estava antes do ocidente derrubar os ditadores que apoiou por décadas, no Egito, por exemplo, quem ganhou as eleições foram organizações vinculadas ao nacionalismo árabe e a religião, como não estava previsto no script, voltou-se à uma ditadura militar e ficou "Tudo dantes no quartel de Abrantes".

Fechou-se o momento para as democracias populistas e reformistas na América do Sul, isto não está sendo determinado por Moro e muito menos pela grande Imprensa. É a hora de se retornar a governos liberais e que entreguem tudo que foi feito ou sonhado pelos tupiniquins. Se qualquer uma das hipóteses que formulas com imensa sapiência não ocorrer, quem estiver no poder cai. Assim como a Irmandade Muçulmana não pode governar o Egito, um governo com uma proposta nacional não vingará no país.

Sei que sabes o potencial que há no Brasil para que este país se desenvolva, o problema é que eles lá do norte, também sabem, logo a única saída que está prevista é que este desenvolvimento não ocorra e qualquer hipótese estabilizadora que devolva o país a um crescimento consistente e autóctone está eliminada.

Vais simplesmente ignorar o que escrevo, pois não se encaixa na grande lógica Nassifiana, porém leia e guarde o texto, e daqui a um ano deboche da minha cara ou reconheça que esta errado, espero que possas debochar e que o meu erro tenha origem num delírio de manhã de domingo.

MaGon

- 2016-03-13 15:35:37

Xadrez
No xadrez se ganha o jogo defendendo e atacando organizadamente. Não adianta "esconder o rei" e partir para um ataque em fúria. Os passos em sequência sao: organizar a defesa, ocupar o centro do tabuleiro e então organizar o ataque, geralmente iniciando por tomar as peças de menor valor. O impeachment é um ataque furioso que expõe os flancos dos atacantes mas também não se pode esquecer que por aqui geralmente ganha o jogo quem vira o tabuleiro. A técnica não tem muita utilidade entre nós.

Francisco Magalhães Vieira

- 2016-03-13 15:30:26

Vamos acabar com a globo.

Miniaturabessinha.jpg

Euler Conrado

- 2016-03-13 15:26:51

São tantas as variantes

São tantas as variantes apontadas por Nassif que podemos concluir que tudo pode acontecer. Inclusive continuar como está por mais um tempo. Os fatos e dados, que parecem óbvio para qualquer cidadão que não tenha sido lobotomizado pela mídia:

1) Dilma não governa, não sabe enfrentar uma crise, é honesta e competente, mas não tem habilidade política articular as forças que a apoiaram na campanha e ainda por cima contribui para agravar a crise - por exemplo, quando manteve o inútil ministro da jusitça; ou quando priorizou um plano econômico, aspas, baseado em ajustes que prejudicam os de baixo, apenas;

2) o grosso das instituições - justiça, ministério público - é composto por pessoas de formação conservadora, de direita, geralmente da classe média alta, ou da classe média baixa que ascendeu socialmente e assumiu a ideologia das classe dominantes. O PT tem sua culpa nisso, quando não politizou as conquistas sociais, e não fez qualquer esforço para quebrar o monopólio da mídia golpista, que é quem faz a cabeça da maioria desses babacas travestidos de salvadores da pátria, quando não passam de serviçais de interesses dos de cima, inclusive dos grupos de rapina estrangeiros;

3) Lula já se considerava aposentado com a eleição de Dilma, surfando nos altos índices de popularidade, mas foi arrastado pela correnteza da direita, golpista-fascista, para dentro do jogo, novamente. É um bom lutador, mas com poucos articuladores capazes para lhe assessorar. Zé Dirceu preso, Genoino fora do jogo e um movimento social que já não tem a mesma capacidade de mobilização de antes, inclusive em função das políticas neoliberais do segundo mandato de Dilma;

4) o grande desafio agora, para a esquerda, para o governo Dilma, para Lula, para os movimentos sociais, enfim, para o campo progressista e popular, é conseguir mobilizar milhões em defesa da democracia e das conquistas sociais e políticas ameaçadas e da promessa de novas conquistas. Só o povão pobre nas ruas pode virar este jogo. Mas, para isso, o governo teria que parecer um NOVO GOVERNO, sem cair nas mãos da direita. E de fato, isso só ocorreria se LULA assumisse pessoalmente este novo governo, com a presidente Dilma no papel formal de presidenta, mas com o poder de fato nas mãos de Lula e de um grupo - incluindo juristas, diplomatas e intelectuais de esquerda - com habilidade e autoridade moral para atacar as várias frentes da crise e do golpe. Quais são estas frentes?

a) no campo econômico: o governo teria que apresentar e executar DE IMEDIATO um plano de geração de empregos. Por exemplo: lançar mão de 20% das reservas internacionais (percentual equivalente a R$ 300 bilhões), para gerar, de imediato (já fiz as contas) 3 milhões de empregos por um período de dois anos, o que custaria algo como R$ 80 bilhões. Ainda sobrariam R$ 220 bilhões para o governo aplicar na Saúde pública, na Educação e numa política de democratização da mídia via Internet rápida para todos e em financiamento a juros baixos de pequenas, médias e grandes empresas. Haveria uma retomada imediata do consumo e do crescimento, gerando aumento de arrecadação e novos investimentos e distribuição de renda.

b) no campo político, o governo teria que formar uma base de apoio com PT, PCdoB, parcela do PMDB e partidos pequenos. Ofereçam-se cargos e verbas públicas para demandas dos deputados. Com esta nova base de apoio, formar de imediato uma CPI mista da lava-jato, quando o juiz Moro, os procuradores e delegados e os barões da mídia seriam convocados a explicar a origem dos vazamentos ilegais e seletivos; a quebra das garantias constitucionais; o tratamento seletivo e não isonômico - por exemplo, seria o momento dos procuradores, em sessões de interrogatórios de 20 a 30 horas, explicarem porque eles não investigaram FURNAS ou o triplex de PARATY. Teriam que explicar a colaboração deles com o aparato estatal norte-americano em prejuízo da Petrobras e das empresas nacionais; teriam que explicar ainda por que inviabilizaram setores estratégicos da economia brasileira, fazendo com que eles sejam responsabilizados criminalmente por atitudes lesa-pátria. Haveria quebra de sigilo bancário, fiscal e telefônico de MORO, dos MARINHOS, dos CIVITTAS, e dos procuradores e delegados da PF do estado paralelo de Curitiba.

Ao lado disso, LULA no comando do novo governo, formaria um comando estratégico na Polícia Federal para investigar estes atores e também as denúncias abafadas pela mídia (trensalão, merendão, Furnas, etc.), em regime de urgência. Guerra é guerra. Não poderia ficar de fora deste espetáculo mandados de prisão para a família Marinho, os Frias, os Civitas, entre outros. Todos eles acusados publicamente pelo governo de traição ao povo brasileiro e ao Brasil. Com robustas provas de como eles usam os meios de comunicação para detonar os interesses do povo brasileiro, como sonegam impostos e informação e com isso causam enormes prejuízos ao Brasil.

c) no campo social: reajustar de imediato o Bolsa Família e fortalecer as políticas sociais. Atender as demandas do MST,  do MTST, da UNE e centrais sindicais combativas, fortalecendo uma base social militante, capaz de mobilizar milhares de pessoas a qualquer momento em defesa do novo governo e das novas medidas. Desenvolver programas de rádio e TVs obrigatórios (boletins diários) para transmissão em vários horários, divulgando as conquistas e as novas medidas e denunciando o papel dos golpistas. Esta medida (da divulgação em rede em vários horários) seria inicialmente via Medida Provisória e em seguida aprovada no congresso com a pressão popular diante do novo clima criado.

Claro que tudo que afirmei parece uma viagem, mas, o golpismo atual nasceu de muitas preparações e viagens, inclusive diante da omissão dos diversos governos petistas em travar a luta política e ideológica contra a direita. Diante de um golpe, que é o que estamos vivendo, e que pode levar à total ruptura com as conquistas democráticas e sociais, o governo não pode agir com o amadorismo infantil do atual mandato da presidenta Dilma. A RAINHA deles está escondida não entre agentes das instituições, mas fora do Brasil. Para se contrapor às estratégias da direita já em estágio avançado, com suas operações lava-jato, trairagem de procuradores, omissão de ministros do STF e do governo Dilma, só mesmo uma mudança bem mais radical. Do contrário, é colher diariamente derrotas até o definhamento definitivo do atual governo e a formação de um novo governo de direita. E aí talvez tenhamos que esperar mais duas décadas para construir novas utopias.

Marco Antonio Ribeiro

- 2016-03-13 15:26:13

Algumas considerações

1. O artigo do Nassif não considera ações e reações nas ruas. É todo centrado nos gabinetes, nas articulações, nos conchavos. Os personagens pairam acima e além do dia-a-dia. Não aparecem nunca os interesses, as pressões internas e externas dos agentes econômicos. Ninguém ou nenhuma facção relaciona-se com um processo continental de reação  que cada dia vem se delineando. A importância do Brasil, e do Lula,  dentro desse quadro nem é mencionada.

2. Chamar Aécio Neves de jacobino é uma analogia totalmente equivocada, ele que estaria colocado na ala direita da Gironda, na reação. Os Marat, os padre Roux, os Danton (vide Zé Dirceu) já foram colocados fora de combate. O que a reação quer agora é cortar a cabeça da jararaca, ou Robespierre se preferirem. 

3. Ainda é muito cedo, e politicamente incorreto, dar como peça fora do tabuleiro uma presidente eleita democraticamente, embora visivelmente impreparata. Seria jogar no lixo anos e anos de prática democrática, de lutas. Pleitear uma sua perda de poder é buscar um golpe branco. Sempre golpe é.

Igor Tkaczenko

- 2016-03-13 15:24:05

Desapercebido?

Discordo pelo menos nesse ponto: a crise é grande demais para qualquer um que esteja distante do povo.

A crise é evidentemente moral e ética, e o povo quer construir novos padrões, o povo já sabe falar melhor e quer participar, melhor, já enxerga isso enquanto dever. Ter, inclusive, a compreensão que isso lhe é direito, ou seja, o direito de se sentir devido e de agir.

Quantos notaram a chamada da presidenta na entrevista a discutir governo, oposição e povo? Não chamou ela ao povo, juntos no diálogo com oposição a deliberar politicamente? A decidir? A escolher as questões?

Vi uma mulher firme, corajosíssima no que está fazendo. O faz de forma legal, portanto, indelével ao entendimento de justo, correto correspondência à vozes populares.

Lembro da presidenta convocando um plebiscito em 2013.

Os jovens a querem mais do que qualquer golpe.

Manubhz

- 2016-03-13 15:23:54

ASSINE URGENTE PETIÇÃO PARA

ASSINE URGENTE PETIÇÃO PARA SAÍDA DE MORO!!!

Vamos lá pessoal da esquerda unida do Brasil. #HoraDeFazerHistória

A hora é esta: vamos ser protagonistas da nossa própria história, ou seremos eternos lacaios dos EUA.

É isso que você quer para você e sua família?

Somos livres e soberanos, só precisamos construir isso por nossas mãos e consciência. No futuro as novas gerações, agradecerão.

ASSINE JÁ! Não temos mais tempo a perder, "o em cima do muro", não pode existir mais!

A casa está pegando fogo!

***

CNJ Conselho Nacional de Justiça: Destituição do cargo de Juiz Federal do Dr. Sérgio Moro

Por que isto é importante

Para salvaguardar a condição de imparcialidade do Poder Judiciário.

No último dia 04 o dr. Sérgio Moro não cometeu apenas um erro jurídico. Ele sabia que sua autorização de condução coercitiva contrariava procedimentos previstos em Lei. Portanto, deve ser afastado por imperícia, por imprudência ou por negligência.

A condução coercitiva de Lula foi um ato ilegal.

Lula merece os mesmos tratamentos dados a qualquer um dos ex-presidentes da república, como por exemplo, os mesmos tratos que foram cedidos a FHC quando teve de explicar os recursos enviados a paraísos fiscais.

Sérgio Moro e representantes da Justiça tem de se pronunciar nos autos e não através da imprensa, recebendo prêmios e empresas que se preocupam com seus shows midiáticos.

Sérgio Moro e representantes da Justiça não podem ter laços e vinculações com partidos políticos e empresas interessadas nos processos que estão a seus cargos.

Sérgio Moro não pode e não deve trazer mais prejuízos com as instabilidades jurídica, política e econômica que já produziu com seus atos autoritários e ilegais.

Sérgio Moro tem de ser destituído do cargo que ocupa.

Assine AQUI: https://secure.avaaz.org/po/pe...

Manubhz

- 2016-03-13 15:15:56

ASSINE URGENTE PETIÇÃO PARA

ASSINE URGENTE PETIÇÃO PARA SAÍDA DE MORO!!!

Vamos lá pessoal da esquerda unida do Brasil. #HoraDeFazerHistória

A hora é esta: vamos ser protagonistas da nossa própria história, ou seremos eternos lacaios dos EUA.

É isso que você quer para você e sua família?

Somos livres e soberanos, só precisamos construir isso por nossas mãos e consciência. No futuro as novas gerações, agradecerão.

ASSINE JÁ! Não temos mais tempo a perder, "o em cima do muro", não pode existir mais!

A casa está pegando fogo!

***

CNJ Conselho Nacional de Justiça: Destituição do cargo de Juiz Federal do Dr. Sérgio Moro

Por que isto é importante

Para salvaguardar a condição de imparcialidade do Poder Judiciário.

No último dia 04 o dr. Sérgio Moro não cometeu apenas um erro jurídico. Ele sabia que sua autorização de condução coercitiva contrariava procedimentos previstos em Lei. Portanto, deve ser afastado por imperícia, por imprudência ou por negligência.

A condução coercitiva de Lula foi um ato ilegal.

Lula merece os mesmos tratamentos dados a qualquer um dos ex-presidentes da república, como por exemplo, os mesmos tratos que foram cedidos a FHC quando teve de explicar os recursos enviados a paraísos fiscais.

Sérgio Moro e representantes da Justiça tem de se pronunciar nos autos e não através da imprensa, recebendo prêmios e empresas que se preocupam com seus shows midiáticos.

Sérgio Moro e representantes da Justiça não podem ter laços e vinculações com partidos políticos e empresas interessadas nos processos que estão a seus cargos.

Sérgio Moro não pode e não deve trazer mais prejuízos com as instabilidades jurídica, política e econômica que já produziu com seus atos autoritários e ilegais.

Sérgio Moro tem de ser destituído do cargo que ocupa.

Assine AQUI: https://secure.avaaz.org/po/pe...

arkx

- 2016-03-13 15:03:53

tudo começa em junho de 2013: o fim da picada

junte-se:  o maior movimento de massas já ocorrido no Brasil, num intervalo tão curto, com o maior vazamento de informações até hoje da inteligência dos EUA; a população nas ruas exigindo mais Democracia com informações expondo a espionagem dos EUA não apenas das grandes empresas estratégicas brasileiras como da própria Presidência da República; o papel internacional do Brasil adquirido com a política externa lulista (um mérito inegável) com a revelação através de um famoso jornalista radicado no Brasil  que os EUA operam abertamente para desestabilizar o BRICS;buma Presidente no auge de sua popularidade com uma insatisfação popular no pico de sua indignação.

e o que fizeram Governo, Lulistas, o PT e amplos setores da Esquerda? optaram por uma versão deste cenário, para eles amplamente favorável, nada mais ser que obra dos demiurgos da CIA, manipulando a História em seus laboratórios secretos, com objetivo de desestabilizá-los.

Junho de 2013 significa que “moldura institucional do país não cabe mais no organismo social brasileiro”.  e dos agentes políticos descritos no post, o único que compreendeu Junho de 2013 e soube dar conseqüência prática é, lamentavelmente, é o “Alto Comando”.

com o sistema de poder em colapso, apenas o “Alto Comando” está envolvido na construção de um novo modelo. os demais ( “Parlamentaristas”, “Lulistas”, “Jacobinos”) tentam apenas dar sobrevida a um sistema já falido. daí o fracasso de suas tentativas e o progressivo êxito do “alto Comando”.

também a nível mundial a moldura institucional expirou e está sendo redesenhada sob a égide da Tirania Financeira. por isto as análises fundadas em dicotomias da Guerra Fria, nas quais o golpe em curso seria “Made in USA”, se tornaram inúteis.

o “Alto Comando” obedece ao projeto mundial da Tirania Financeira, que prescinde não apenas das nações como da própria democracia. apesar de seu marketing ultra-liberal, os mercados trans nacionais não podem prescindir de uma Governança (um pós Estado) forte e global. neste processo países serão destruídos e populações se tornarão párias. marchamos para nos tornarmos refugiados no que fora nossa própria pátria.

os instrumentos de implementação já estão colocados: TTIP (Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento), TPSEP (Acordo de Parceria Econômica Estratégica Trans-Pacífico) e acordo com a Comissão Européia.

.

 

Josias Pires

- 2016-03-13 15:03:05

Soberania popular

O poder, em última análise, é do povo. Quando Lula foi eleito pela primeira vez esperei, em vão, que convocasse o povo para governar junto com Ele. Como sabemos, governou com outros sócios do poder. Até o Bolsa Família, conforme atesta Frei Beto, deveria ser gerido pelos usuários, mas por influência de José Dirceu, passou a ser gerido pelos prefeitos para melhor funcionar como moeda politico-eleitoral.  As conferências nacionais, que tanto Nassif elogiou por aqui, foram apenas formais, uma distração pseudo-democrática, sem consequencias reais nos rumos do governo. A velha política palaciana prevaleceu. O melhor do petismo foi, na verdade, as políticas sociais, foram estas que distinguiram o petismo dos demais governos. Merece também elogios, como faz Nassif, "os avanços tecnológicos nas áreas do pré-sal e da defesa, o feito histórico de tirar milhões de pessoas da miséria e reduzir graus históricos de desigualdade". 

O nó górdio é a política.

O descompasso entre o povo e o poder político, que deveria ser exercido em seu nome, se confirmou de maneira profundamente lamentável quando elegemos Dilma para executar um programa e ela adotou o programa dos derrotados. Depois de eleita, Dilma sumiu de cena por longuissimos dois meses. A presidenta pegou um rabo de foguete sem tamanho: crise econômica internacional e nacional tremendas, crise política dado o crescimento da direita no Congresso; crise moral ... A fragilidade de Dilma alimentou a vingança dos derrotados. A fragilidade moral do PT, seletivimamente atacada pelo aparato juridico-policial-midiático, facilitou imensamente o trabalho daqueles que tramam a queda do governo. 

 

chris

- 2016-03-13 14:58:16

Exatamente

A resposta tem que vir das ruas, verdadeira, contundente e sem violência para não justificar retaliações. Com toda a previsão necessária para anular os infiltrados que estarão lá.

chris

- 2016-03-13 14:58:15

Exatamente

A resposta tem que vir das ruas, verdadeira, contundente e sem violência para não justificar retaliações. Com toda a previsão necessária para anular os infiltrados que estarão lá.

rdmaestri

- 2016-03-13 14:56:52

Sartóri está fazendo um péssimo governo.

O governador do Rio Grande do Sul está fazendo um péssimo governo que está levando o estado a um caos econômico que sobrepõe aos problemas nacionais e criando situações incríveis que nunca foram vistas no nosso estado.

Apesar de toda este caos político e institucional com a desorganização da segurança pública, educação e saúde poucos falam sobra a derrubada do mesmo, a grande maioria que votou em Sartori tem a completa certeza que votaram mal, se o arrependimento valesse, como neste caso, certamente se voltaria ao passado e jamais se elegeria Sartori, entretanto ele foi eleito democraticamente e teremos que aguentar por quatro anos os seus desmandos e erros, não há outra saída.

Eu sempre chama a atenção aqueles que são adeptos dos sistemas parlamentaristas que não é só a presença de um presidente e de um primeiro ministro que definem este tipo de governo em que este é sujeito a ser destituído a qualquer momento. Muitos acham que para superar esta falha, com a introdução do parlamentarismo se superaria tudo, porém a passagem de um sistema presidencialista ao parlamentarismo não é algo simples.

Num sistema parlamentarista, a solução vista por muitos a maus governos, pressupõe a presença de partidos fortes e ideologizados em que a mudança de governo subtende a mudança de linha da governo.

Num sistema parlamentarista, a gestão estatal deve ser altamente profissionalizada,pois não se pode contar com um número imenso de CCs que seriam mudados a cada troca de governo.

Num sistema parlamentarista, na ausência de uma aliança de partidos para governar um país ou mesmo um estado, é necessário a figura de reeleições para os parlamentos.

Num sistema parlamentarismo o chefe de Governo é o primeiro ministro e o chefe do Estado é o Presidente da República (ou mesmo o Imperador), a chamada coabitação que pode facilmente ocorrer em países com sistema parlamentarista não é algo simples, mesmo a França, um país com sólidas instituições democráticas a coabitação depende mais das figuras Presidente da República e Primeiro Ministro, do que das leis que o regem.

Muitos tomam como exemplo de sistema parlamentarista a Inglaterra, onde há um Rei e uma Rainha que teoricamente não tem poder nenhum, e um primeiro ministro que tem todo o poder, entretanto não é de conhecimento de muitos que o Rei ou a Rainha da Inglaterra tem o poder de emitir leis que nem na alta corte da justiça podem ser questionadas. Este tipo de lei é pouco usada, porém há poucas décadas a própria Margareth II emitiu uma dessas leis favoráveis a expulsão de ilhéus de um local em que os Norte-Americanos queriam manter uma base, que foi uma amarga resposta ao povo destas ilhas e que a partir desta lei não se discute mais nada!

A própria gestão do Estado em sistemas parlamentaristas republicanos fica sobre o controle do Presidente, o primeiro ministro diz o que quer fazer em termos de condução do Estado, porém cabe ao presidente implementar as ações deste primeiros ministro através da máquina pública.

Não adianta mudar presidentes ou governadores por problemas de gestão, assim como a implantação de um parlamentarismo também não resolve problemas de crises econômicas, muito pelo contrário sistemas parlamentaristas tem muitas vezes a tendência de aguçar estas crises.

Se o povo gaúcho elegeu Sartori agora que o aguente, e pior, se o povo que NÃO elegeu Dilma quiser retirá-la por que acham que sua gestão não vai indo bem isto é simplesmente um GOLPE DOS DERROTADOS.

nilo walter

- 2016-03-13 14:56:25

  Janot   não é o chefão do

 

Janot   não é o chefão do Alto Comando. Lembrar que ele foi aos EUA  tratar assunto Petrobras e entregou documentos da nossa petroleira. A pedido do Janot o  STF poderá devolver ao vestal Moro proceso do militar Othon , questão nuclear.Segura Aécio, etc , sobre delaçõe Lava Jato . Para mim está amparado  em apoio interno/externo . Se desejam eleger Moro 2018 irão abrir baterias sobre o PSDB e este é o temor dos tucanos . FHC percebeu. O  traidor maior  chama se Janot e  asseclas em todas esferas jurídicas ( claro existem excessões ).

Li um texto não me lembro de qual jornalista, anterior ao do  Nassif, que navega quase que pelo mesmo mar do escrito CGN.

Claro que Nassif deve saber de mais coisas. Só aguarda momento  oportuno para publicar .

As Forças Armadas estão coniventes ?

JC Souza

- 2016-03-13 14:56:00

Janot é o rei do  alto

Janot é o rei do  alto comando que ficou escondido todo este tempo ??? duvido de todo este poder. É mais provavel que presidentes de grandes multinacionais estejam no alto comando , associados a grupos nacionais de centro direita e extrema direita , tendo a mídia como apendice.

chris

- 2016-03-13 14:54:46

Quem financia isso?

Não tem Abin nem nada que investigue? É tudo colaboração em nome da "causa" ??? Difícil de acreditar. Já ouvi gente fazendo comentários anti Dima em rádios populares que duvido que não estivesse sendo paga. Seria fácil desacreditar o movimento pró-golpe com um mínimo de "inteligência" para fazer a máscara cair.

soaresdearaujo88

- 2016-03-13 14:52:43

Fomos negligentes demais com

Fomos negligentes demais com Janot.

Em que hipótese procuradores dos EUA viriam ao Brasil para entregar ao ministério da justiça informações contra a Chevron?

Somente um traidor da pátria, um lacaio, o faria.

Nesse jogo de xadrez, identificamos o papel da Globo, do Moro, do Cardozo, mas realmente subestimamos a PGR.

No mais, com exceção da afirmação de que os procuradores da Lava Jato são "probos, bem intencionados", concordo com tudo.

Confio no instinto da jararaca, mas ela sozinha não conseguirá impedir essa onda fascista.

É preciso que os movimento sociais saiam às ruas.

j.marcelo

- 2016-03-13 14:46:22

Caro Wilton, a conivência do

Caro Wilton, a conivência do STF não é à toa!!

Moro tb sabe o que está fazendo,tem as "costas quente",ENTENDEU!!?

Empresas estratégicas estão sendo liquidadas!

Tudo apoiado pela Globo,aliás ví um artigo no Tijolaço q diz que este momento é muito parecido com

a época nazista,ao qual tb se atropelavam direitos individuais e distorciam interpretações da lei!!

Jairo Batista dos Santos

- 2016-03-13 14:45:19

Com a rede Globo à frente

Sem um ministro da justiça ficamos expostos à toda sorte. Janot é um dos  cabeças do golpe, mas sem a rede Globo não andaria até a esquina sozinho. A cabeça da Hidra é a rede Globo.

 

Cris K.

- 2016-03-13 14:43:13

Conciliação é a saída, mas temerária

Para poder governar, Lula empreendeu uma política de conciliação que resultou em avanços sociais, econômicos, como também na criação de condições à implementaçado de medidas  e perspectivas de desenvolvimento continuado. Mas nessa tentativa de harmonizar  interessses contraditórios, o avanço trazia em seus flancos o inimigo, aquilo que fortalecia,  mas também o enfraquecia com concessões e acordos. Apoios contingente, como demonstram os fatos,  tão logo se desfazem de acordo com as conveniências; apoios que perpetram a permanência, a qualquer preço, de  velhos e arrivistas modos de fazer política.  Partida  que torna inseguro  e provisório qualquer projeto de desenvolvimento, estabilidade e governabilidade através do tempo.

A tentativa de empreender uma nova coalisão é de altíssimo risco. Não só conhecemos a  índole dos 'apoiadores',  dos atos de traição que  são capazes,  como também encontram-se,  por hora, maculados e fragilizados pelas investidas do Ministério Público. Ao sabor das circunstâncias,  metem os pés nos dois barcos, adiam decisões, ameaçam e chantagiam.  Não há garantia de paz do front. As investidas da oposição, dos ditadores jurídicos e da grande mídia, dos senhores da Casa Grande, tem grande probabilidade de continuar,  prolongar o processo de esfaqueamento e agona do governo, arrastar Lula para o desgaste, incriminá-lo nas instâncias superiores, às vésperas de 2018, para que nada reste do grande estadista.

De qualquer forma, estamos diante de uma lição histórica para as forças de esquerda,  movimentos definidos  como a  favor das causas sociais. Doravante, devem refletir bem ante as concessões e acordos; sem capitular,  empreender a regulaçãmentação da mília, como ocorre nos em países desenvolvidos;  saber que a a descoberta do novo não ocorre pela repetição de experiências que não deram certo; que  à sua reconsrução são perigosos os  terrenos que se mostram incertos e movediços; e que fazer, enfim, o papel de Lady Diana, pode custar caro. Os trabalhadores não são bem vindas ao andar de cima; e apenas aparente e ocasionalmente os interesses de classe são conciliáveis.

bfcosta

- 2016-03-13 14:24:32

Mas existe essa possibilidade

Mas existe essa possibilidade ? Creio que ele ficará lá até 2017 pelo menos.

Lionel Rupaud

- 2016-03-13 14:21:13

Tendo a concordar com tudo o que LN escreveu,

até o "O Alto Comando é integrado por procuradores probos, bem intencionados e iludidos pela visão redentorista. Nâo se descarte a possibilidade de um chamamento ao mundo real, quando avaliarem friamente os desdobramentos da crise atual."

Aí não consegui parar de rir como uma hiena.

Mas LN sabe perfeitamente que ele escreveu um "wishfuk thinking".

A grande maioria dos procuradores são nazistas tupiniquins.

gaúcho

- 2016-03-13 14:14:47

Falta uma análise mais

Falta uma análise mais consistente para a conjuntura de um hipotético pós-golpe, na minha modesta opinião, aqueles que acreditam que o país está um caos ainda não viram nada, a direita não tem a força que acha que tem.

Um golpe para ser bem sucedido tem que vir de baixo pra cima e não é o caso, quando a resistência unir todas as suas forças prevejo dias nunca antes vistos no país.

Rchiavennato

- 2016-03-13 14:13:02

Ou

Lula volta ao papel (de fato) por ele muito bem encarnado até 1998, ou o PT acaba de fato e de direito. Ou seja, que Lula lamba as feridas, admita sua culpas (e assim jogando aqueles comprtamentos inadequados para o colo dos presidentes ainda vivos Sarney, Collor e FHC (benesses, presentes, mordomias etc.)). Por incrível que pareça, porque Lula não oferece amanhã comprar o sítio de Atibaia? Olha a jogada que colocaria todos em uma sinuca de bico? O que são R$ 2 milhões perto da defesa das conquistas do povo brasileiro e da biografia dele?

Severino Januário

- 2016-03-13 14:10:02

As redes sociais estão cheias

As redes sociais estão cheias de vídeos novinhos em folha demonizando as políticas sociais, principalmente o Bolsa Família. São grosseiros, mas talvez sejam muito eficiantes. É a preparação para o extermínio.

Astronauta

- 2016-03-13 14:06:21

Formalidade estúpida

Que nome o nobre articulista deu para a eleição presidencial.

Astronauta

- 2016-03-13 14:06:14

Formalidade estúpida

Que nome o nobre articulista deu para a eleição presidencial.

Rchiavennato

- 2016-03-13 14:03:35

Game

Over!

Astronauta

- 2016-03-13 14:02:59

Contradição

E a sua conclusão não é apocalíptica? Talvez ainda mais que o texto.

Marco St.

- 2016-03-13 13:56:28

Achei  tudo muito

Achei  tudo muito apocaliptico nesse texto.

Hoje não é dia D. Hoje é dia dos mesmos anti-petiistas,tucanos e  psicopatas sociais em geral serem convocados para desfilar nas ruas,  atrás de trios elétricos das trevas.

São as mesmas pessoas, os mesmos grupos.

A mídia vai turbinar sim os eventos de hoje. Como das outras vezes.

Só um detalhe: O Brasil nao é uma avenida em SP ou no Rio.

A imensa maioria está absolutamente silenciosa e não participa desses eventos de torcidas organizadas..

Fazer qualquer prognótstico agora é mero chute.

O meu chute, se me permitem,  é:

Se derrubarem Dilma o Brail torna-se ingovernável e será mais um pais que após a sua "primavera"  (*Junho de 2013) se desmanchará em guerra civil.

 

AMARILDO DE JESUS VALLE

- 2016-03-13 13:42:39

O NASSIF , TEM MUITO DELIRIO

O NASSIF , TEM MUITO DELIRIO NESSE TEXTO SEU TAMBÉM 

Severino Januário

- 2016-03-13 13:42:22

Pois consideeero que é muito

Pois consideeero que é muito melhor ficar no impasse e ficar como refém da Lava Jato, que já está esgotando seu fogo de aparência legal, do que sucumbir a alguma maldita chantagem "parlamentarista". 

Elizeu

- 2016-03-13 13:41:31

Disputa de narrativas

A correlação de forças legalistas x golpistas depende muito da disputa de narrativas, o "cidadão de bem", a maioria silenciosa, as pessoas que não militam em nenhum partido vão atras de quem grita mais alto, da narrativa predominante.

Já a militância de esquerda, apesar de procurar variar suas fontes de informação, acaba absorvendo, assumindo, vestindo a carapuça de parte da narrativa golpista, nessa linha hoje parece se endossar um consenso sem análise crítica e sem reflexão estratégica, a de que Dilma não tem mais condições de governar e que alguma coisa tem que acontecer, que dentro da normalidade institucional não dá pra ir até 2018, ora, não é isso que Dilma e Lula tentam passar para a população. O trágico é que muitos intelectuais e formadores de opinião da esquerda preferem dar mais credibilidade ao discurso golpista do que ao discurso das proprias lideranças da esquerda.  

Jorge Rebolla

- 2016-03-13 13:38:19

Não vai ter olimpíada...

Por se concentrar em uma única cidade, o Rio de Janeiro, não é preciso um grande número de manifestantes para inviabilizar o evento. 

Tem que ficar claro que os golpistas sofrerão o maior vexame da história da humanidade. Vamos lá:

É uma moeda de troca. Não é preciso 500.000 na Presidente Vargas. Basta 2% disto na Avenida Maracanã. Não podemos nos esquecer que a penúria dos sevidores estaduais do Rio já é grande e irá aumentar até o meio do ano, se uma ínfima porcetagem deles aderir ...

Com os olhos do mundo voltados para os jogos ficará difícil explicar a sua realização sob Estado de Sítio ou outro tipo de lei de exceção.

Estamos na era das redes sociais. Qual patrocinador irá querer ver o seu nome atrelado explicitamente à violência policial e ao arbítrio? 

Qual atleta ou turista terá disposição para viajar para um país com governo totalitário e violento, devido às imagens divulgadas através da rede?

Este é um ponto que deve ser deixado claro, com golpe nada de jogos olímpicos.

Se não resolve a crise política, pelo menos é uma questão que os pretendentes a governentes devem analisar. Se a imagem do atual governo é ruim, a deles externamente será a de Kim Jong Un. Caso desistam aparentemente por livre e espontãnea vontade sera uma confissão de fracasso.

IA2

- 2016-03-13 13:32:18

Politicamente, Dilma é o ser

Politicamente, Dilma é o ser mais ESTÚPIDO a ocupar a presidência do Brasil.

Marco Vitis

- 2016-03-13 13:30:49

Destruição do MP

Se aa aliança PMDB-PSDB tomar os poderes Executivo e Legislativo, a primeríssima ação será reduzir drasticamente o poder do Ministério Pública.

Os tais "probos procuradores" estão destruindo o atributo principal da instituição.

Severino Januário

- 2016-03-13 13:29:39

A Classe Média transformou-se

A Classe Média transformou-se num gigantesco clube, com uma diretoria severa. Conseguiram fazer isso massificando comportamentos padrões com milhões de pessoas, como se fossem um pequeno e fechado grupo. Ninguém que faz parte do clube quer ser penalizado ou estigmatizado. Portanto, se esforça para seguir todas as determinações da sua diretoria. Direitoria. Com o trabalho da mídia e posterior trabalho das redes sociais, todos os membros estão sendo acompanhados e vigiados. Os convites para as manifestações de hoje não são lembretes, são imposições obrigatórias. Os membros do clube têm que ir, como um católico praticante precisa ir à missa. Muitos dos membros desta classe gostariam de não ir às manifestações e a grande maioria tem suas dúvidas profundas. Mas a diretoria fez um magistral trabalho de imposição de sua autoridade. Os membros se sentem obrigados a comparecer, porque a cobrança vai ser grande. E quem não for, passará a ser olhado de banda por toda a corrente de amigos, parentes e vizinhos. E se vier uma nova ditadura e sobre eles pairar alguma suspeita de inadequação ideológica? Por incrível que possa parecer, este nível de paranóia já foi alcançado pela propaganda golpista. Passa isto, sim pela cabeça de muitas pessoas.

Guilherme M.

- 2016-03-13 13:28:47

"Não será necessário muito

"Não será necessário muito tempo para que, caindo a ficha do que fizeram, venham à tona os bastidores da operação." Será???

Marcos Antônio

- 2016-03-13 13:27:07

Reflexão I

Se esta postura for a do Ministério publico será um tiro no pé!

O UNICO PARTIDO QUE REALMENTE DEU AUTONOMIA AO ORGÃO FOI O PT!

Não esperem do PMDB e PSDB e DEM autonomia para investigar QUALQUER UM!

Vão DESAPARECER JUNTO COM O PT e retornar a sua insignificância: POLICIA FEDERAL, MINISTÉRIO PÚBLICO, JUDICIÁRIO E LEGISLATIVO - NESTA ORDEM, se há algum erro de avaliação é tão somente na ordem dos orgãos que perderão expressão!

O cunha e renam NÃO SERÃO ALCANÇADOS PELA JUSTIÇA - poderão apenas renunciar para tentar escapar de perder seus direitos politicos e voltar numa outra LEGISLATURA num ambiente FAVORÁVEL AO PMDB, ficou subentendido como julgará a justiça, NENHUMA NOVIDADE PARA ELES.

 O LULA será CAÇADO COMO O ZÉ DIRCEU - NENHUMA DÚVIDA!

O povo ainda verá a conclusão das obras da Dilma e PT como obras do "novo" governo, mas para conter o déficit e anistiar os amigos vai consumir recursos sociais do governo.

O RESTO DO MUNDO que não vive sob as leis do PIG vai olhar para o que surgir SABENDO TUDO!

Não serão e nem deixarão serem enganados como fazem com o povo brasileiro, que tem um viés que pode ser interpretado como direita, mas é tão somente -  a vontade de acreditar no que é certo de forma linear, a maioria do povo não pesquisa e nem compara - infelizmente o PIG SEMPRE CHEGA PRIMEIRO...

O Brasil voltará a sua INSIGNIFICÂNCIA INTERNACIONAL da era pré-LULA, já declinante com Dilma - NENHUM PAIS QUE REPEITA SEU POVO VIA RESPEITAR O BRASIL e SEREMOS ASSALTADOS EM NOSSOS RECURSOS - o pré-sal JÁ FOI " "FLEXIBILIZADO" no senado, o que significa que se a petrobrás não se interessar por uma área, uma outra empresa pode explorar, basta colocar um presidente da Petrobrás amigo da Chevron e bye, bye... O petrolão vai ser brinquedo de criança, com uma diferença, a negociação vai se dar em alto nível, não serão mais diretores de terceiro ou quarto escalão...

Voltaremos a ser o que sempre fomos....

Ou alguem acredita que o renan ou aécio podem tirar coelhos da cartola?

Fernando J.

- 2016-03-13 13:18:38

O tempo Dilma

Dilma levou 9 meses para nomear/escolher o Fachin para o Supremo. Uma questão dessa magnitude, de um ano e meio a dois para resolver. 

Ninguém

- 2016-03-13 13:16:46

Cadê a tag "Golpe"?

Impeachment é golpe. Qual é o problema de dar nome aos bois?

IA2

- 2016-03-13 13:15:41

Politicamente, Dilma é o ser

Politicamente, Dilma é o ser mais ESTÚPIDO a ocupar a presidência do Brasil.

J.marcelo

- 2016-03-13 13:15:22

Dilma não cai,pelo simples
Dilma não cai,pelo simples fato q se ela ainda governa é um milagre,incompreensível humanamente para nós! Até acho que por ela JÁ TERIA Q SAIR FAZ TEMPO,pois ela não dá uma dentro,se afasta da base e se junta a quem quer"lascar ela" Mas p o bem da democracia É O QUE TEM PRA HOJE!!

mauro silva1

- 2016-03-13 13:11:35

coitado ...

coitado do robespierre. não merecia isso.

chanceLer01

- 2016-03-13 13:09:05

"Jacobinos", o grupo golpista

"Jacobinos", o grupo golpista liderado pelo enfurnado Aécio Neves? Até parece essa analogia que é para tirar sarro do MP paulista.

André-Kees Schouten

- 2016-03-13 12:59:11

Vigilia na porta do MP

Parece, então, que o inimigo não é tanto a rede bobo, como insiste PHA, mas o Ministério Público. Não seria o caso de chamar uma vigilia na porta de suas sedes, federal e estadual, exigindo que eles cumpram seu papel republicano?

Quando anunciaram, na quinta, o pedido de prisão do Lula, fiquei esperando por este chamamento para irmos a porta do MP-SP. Não aconteceu...

Wilton Santos

- 2016-03-13 12:52:14

Cadê o supremo!
Se o supremo tivesse compromisso com a democracia não permitiria que a situação chegasse a esse ponto. A conivência com os desmandos autoritários da lava jato criou o terreno fértil para toda essa crise.

André Oliveira

- 2016-03-13 12:51:04

A mudança de voto de qq um
A mudança de voto de qq um dos ministros a respeito do rito do impeachment não é mais uma opção. O acórdão já foi publicada e se houve mudança de posição ta no acórdão.

mauro silva1

- 2016-03-13 12:50:51

onde estão as torres nesse xadrez?

alguém já viu, na vida, um soldado fardado empunhando um guarda-chuva?

em qualquer parte do mundo, alguém já viu isso?

concluindo que não, à segunda pergunta: por que não?

a multidão que acupar ruas hoje para "prender o lula" ou "derrubar a dilma" terá a volatilidade das previsões climáticas do dia: se não chover, muitos irão, será um sucesso estrepidoso junto à´mídia corporativa descaradamente partidarizada contra os interesses nacionais brasileiros; porém, se chover ... um fracasso retumbante.

portanto, não se pode concluir que um público, que não se sujeite à alguns espirros pela chuva tomada hoje, ainda que em prol de um futuro melhor que eles mesmos consideram fundamental, tenha apetite para derrubar uma presidente eleita por 54 milhões de votos com argumentos ridículos de que o jornal disse de que erla "saberia de tudo" ou "teria roubado".

essa gente tem medo da chuva!

que dirá das classes baixas, do povo que vigiam de soslaio quando esbarram nele nos saguões dos aeroportos ou centros comerciais quando encontrá-los pela frente nos embates decisivos.

faltou à análise do "xadrez político" proposto a segunda, ou terceira peça a considerar o rei, mais importante do tabuleiro: as torres ou, as forças armadas.

o que aconteceu em congonhas foi emblemático pois, depois disso, a equipe suspeitíssima da lava-jato mergulhou num silêncio sepulcral, quebrado pela vinda a público do suspeito togado a justificar a "condução coercitiva de um ex-presidente da república", nacionalista até o último foi de cabelo, com argumentos ridículos superados com patética exortação: "meu povo, não me abandone!".

as torres movimentaram-se e deram um recado claríssimo aos golpistas.

um pouco de história: o golpe de 64 contou com adesão desconfiada de setores importantes das forças armadas alinhadas com castelo branco naquele momento.

pouco depois, aconteceu aquilo chamado de "o golpe dentro do golpe" que nada mais foi que afastar na caserna esse grupo que sempre foi muito grande, pois formado, ainda que anticomunistas, nacionalistas.

esse grupo mostrou força na candidatura alternativa, á figueiredo, de euler bentes monteiro, que precipitou a auto-retirada dos generais do planalto, ainda que "sem admitir revanchismos".

lula tornou majoritário o pensamento desse grupo nas forças armadas, e o oficialato, a observar que as armas nunca foram tão prestigiadas como o são no governo do pt, que está muito longe de ser comunista; positivistas contianas como ainda o são todas as forças armadas importantes mundo afora, sinaliza aos aventureiros de plantão da lava-jato, da mídia, da plutocracia e aos três patetas que soldado não usa quarda-chuva.

Chris

- 2016-03-13 12:49:31

A resposta que você quer,

A resposta que você quer, todos queremos, inclusive o Nassif. A interpretação das reais intenções requer que movimentos sejam feitos , em primeiro lugar, e que sejam perceptíveis. Sem isso, uma análise se resumiria a pura especulação , e percebe-se que o Nassif não quer isso. Ele é um jornalista de fato.

Meire

- 2016-03-13 12:47:10

«Escreva ao Anjo da igreja de

«Escreva ao Anjo da igreja de LaodicéiaAssim diz o Amém, a Testemunha fiel e verdadeira, o Princípio da criação de Deus: Conheço sua condutavocê não é frio nem quenteQuemdera que fosse frio ou quente! Porque é morno, nem frio nem quenteestou para vomitar você da minha boca. Você diz: ‘Sou rico! E agora que sou riconão preciso de mais nada'. Pois então escute:Você é infelizmiserávelpobrecego e nu. E nem sabe dissoQuer um conselhoQuer mesmo ficar ricoEntão compre o meu ouroouro puroderretido no fogoQuer se vestir bemCompre minhasroupas brancas, para cobrir a vergonha da sua nudezEstá querendo enxergarPois eu tenho o colírio para seus olhosQuanto a mim, repreendo e educo todos aqueles que amoPortantoseja fervoroso emude de vida!  estou chegando e batendo à portaQuem ouvir minha voz e abrir a porta, eu entro em sua casa e janto com ele, e ele comigo. Ao vencedordarei um prêmiovai sentar-se comigo no meu trono, como também eu venci, e estou sentado com meu Pai no trono dele. Quem tem ouvidosouça o que o Espírito diz às igrejas.» ( Apocalipse – 3, 14-22)

14-22: A comunidade de Laodicéia é rica e auto-suficiente: confia em si mesma, e não quer depender de ninguém. Contudo, a verdadeira riqueza de uma comunidade é ouvir a palavra de Jesus e ficar unida a ele.

Obs: Se meus comentários demorarem ou de forma seletiva forem publicados (como não foi o das 6h e pouco), sinal de que, não se fazem necessários...De qualquer forma agradecerei, pelo tempo aqui passado !

Severino Januário

- 2016-03-13 12:43:50

  Ontem o Boechat pôs no ar

 

Ontem o Boechat pôs no ar seu programa com o José Simão. Simão fazia piadas e mais piadas espirituosas com Lula ("Lula, estão pegando no seu pé"; "Mas esse pé não é meu, é de um amigo meu"), e Boechat ria às bandeiras despregadas. Mas quando o Simão fez uma brincadeira com o Ministério Público (O promotor pediu a prisão do Lula por ocultação de mindinho), Boechat também riu, mas disse em seguida, "olha o respeito", "olha o respeito". Considerando que o Boechat, a despeito de ser o bom jornalista que é, é também um termômetro do que rola no meio da comunicação de massas, esta é uma demonstração de como estes procuradores - o ministério público em geral - consolidaram sobre si mesmos a imagem-símbolo de uma nova ordem, um novo poder que contrasta com a imagem da desgraça do velho poder "corrupto", que eles  mesmos pintaram com sua mídia. Esta imagem e seus benefícios sociais, geram o gosto do sucesso, o falso orgulho e o senso de corporativismo em outros procuradores e juízes que poderiam lutar contra o uso de suas classes pelo golpismo e o que fazem é convalidar as ações dos golpistas. Até promotores que se dizem marxistas já vi defendendo a Lava Jato. Se desde o princípio os democratas e a esquerda tivessem uma clara ideia do inimigo, de sua organização e objetivos, de suas estratégias e de seus planos, de suas relações de força e de suas alianças, possivelmente teriam tido condições de reduzir este câncer galopante à condição de um simples resfriado, como ele deveria de fato ser em relação ao tamanho e importância do país.

Mas continuo achado que a organização do Golpe inclui o Ministério Público da Lava Jato, mas é muito maior do que isso.

Continuo achando que a Organização Golpista se divide em núcleos independentes de enorme importância cada um: O núcleo jurídico (Moro, Gilmar etc.); O núcleo do Ministério Público (Janot e os lavatistas, e etc.); O núcleo midiático (com a Globo à frente); O núcleo financeiro (muito pouco conhecido); O núcleo de eventos promocionais e propaganda de rua; O núcleo de propaganda extra-mídia (guerra internáutica e formas de comunicação boca-a-boca por conversas e vozes altas em bares, salões de  cabelo, padarias, etc.); E o núcleo político, atuando principalmente com partidos de oposição. Sobre esta organização deve existir um comando, com representantes de cada núcleo atuando com um conselho, e com um comando central talvez de três pessoas. Este comando se encarrega de contatar os sócios estrangeiros da empreitada. este modelo não afasta a possibilidade de que haja um Alto Comando no núcleo do ministério público, e que sua função e responsabilidades sejam muito elevadas.

Damião bernardo

- 2016-03-13 12:42:41

Poder
Nassif, qual a função das forças armadas,.? Não e defender a democracia. Sabendo que é veneno contra veneno e o quarto comando que no caso e o que está mandando, poderia ser fechado imediatamente e ser investigado também. Se esse é o maior inimigo, feche lo momentaneamente seria o ideal. A globo é o grande inimigo nesse momento

Ze Guimarães

- 2016-03-13 12:41:57

Teimosia

todos já perceberam uma coisa, estão de comum acordo em um ponto:

Dilma não tem as mínimas e menores condições para governar o país atualmente, ela não sabe o mínimo para navegar em mares tempestuosos. Permitir que ela fique mais três anos lá serão mais três anos de queda abrupta do PIB, de desemprego galopante e desmonte de empresas sem que ela consiga ou queira fazer nada para impedir.

Mas os petistas sonháticos insistem em mantê-la no cargo, por questão de uma formalidade estúpiuda.

Reijeitaram o impeachment; tudo bem. 

Agora rejeitam o parlamentarismo. Querem o que, que o país continuae refém da Lava Jato por mais três anos? E depois a oposição é que é difícil de conversar...

E nem podem dizer que a Lava Jato é 100% obra da oposição, pois foi Lula quem deu asas ao Ministério Público, e Dilma quem mantém ministros da Justiça Republicanistas no cargo, para permitirem a Policia federal fazer o que bem entender.

Este tipo de teimosia, é que gera as guerras. A oposição pode ser difícil, mas o PT também tem a sua parcela de culpa.

Qualquer coisa seria bem vinda qualquer solução, e bem rápida. Mas Dilma parece não estar nem aí. E depois não sabe porque é odiada. Até o Lula virar primeiro ministro, seria válido. Mas o tempo passa e nada acontece.

Dilma, parece estar mais preocupada consigo mesma do que com o país, por isto não culpo os manifestantes, de hoje. Eles são manipulados pela mídia, mas esta é a única válvula de escape que os petistas lhes deixaram, aceitar um governo horrível, ou virar golpistas.

 

"Minha opinião Política:

Perguntaram certa vez a Ciro Gomes, que foi um dos criadores do Plano Real, se ele aceitaria Lula como vice para presidente. Ele disse que jamais aceitaria, porque esta luta entre PT e PSDB está destruindo o país. 

Nem PT nem PSDB, porque ambos lutam por interesses próprios e não pelos interesses do Brasil. O PT luta pelos operários ( teoricamente), e o PSDB luta pela elite, mas o país é um todo, precisamos de todas as classes sociais para construir uma nação. 

Meu voto é para Ciro Gomes, 2018"

 

Mario Mesquita

- 2016-03-13 12:35:39

Uma coisa há de se dizer...

Esse Nassif é fera mesmo. Mesmo que não se concorde em parte ou no todo.

 

Não vou bater na tecla do antipetismo ou pró-petismo.

 

Trocando em miúdos fica, pra mim, uma síntese:

 

Dilma fez muita besteira. Mexeu na economia de forma desastrosa e foi a maior responsável por essa crise.

 

Estivesse todo mundo trabalhando, ganhando seu dinheirinho e vivendo sua vida como estava vivendo, não iam levantar o tapepe para procurar eventuais pecados de A ou B. Se o cidadão comum tá vivendo sua vida normamlmente, comida na mesa, uma cervejinha no fim de semana, tá andando se fulano botou algum no bolso. Vida que segue.

 

Mas essa dona conseguiu fazer tanta besteira que deu munição aos que se opõe a ideologia socialista, ao relativo sucesso dos anos Lula, todos acreditavam que se não era perfeito, era um ponto de partida para algo cada vem melhor no futuro.

 

Agora, temos um presente péssimo e um futuro tenebroso à frente. Impossível não acontecer algo, mesmo com o brasileiro, que é avesso a confusão, que bota um milhão de pessoas na rua num bloco de carnaval, mas não bota cem mil numa manifestação política.

 

Tempos difíceis virão.

 

luiz valentim

- 2016-03-13 12:34:25

A bola está com o poder Judiciário e não no Legislativo

Explico: O poder judiciário tem que recuperar seu prestígio punindo os seus e ampliando , realizando investigaçõess sérias pra todo o espetro político envolvido com a corrupção cumprindo rigorosamente a lei  obedecendo o Estado democrático de direito

Aí os políticos golpistas ficarão mansos e o legislativo voltará a normalidade necessária para a Governabilidade.

Ze Guimarães

- 2016-03-13 12:32:14

Teimando

Minha opinião Política:

Perguntaram certa vez a Ciro Gomes, que foi um dos criadores do Plano Real, se ele aceitaria Lula como vice para presidente. Ele disse que jamais aceitaria, porque esta luta entre PT e PSDB está destruindo o país. Não vamos chegar a nenhum denominador comum, insistindo neste caminho.

Nem PT nem PSDB, porque ambos lutam por interesses próprios e não pelos interesses do Brasil. O PT luta pelos operários ( teoricamente), e o PSDB luta pela elite, mas o país é um todo, precisamos de todas as classes sociais para construir uma nação. 

Meu voto é para Ciro Gomes, 2018

 

 

André Oliveira

- 2016-03-13 12:31:34

Nassif, Vc já combinou com os
Nassif, Vc já combinou com os russos? Não importa a partir de que hipótese mas, derrubada a Dilma e preso Lula, daremos adeus a todos os programas sociais em alguns meses. Pouco depois será a vez de direitos sociais inscritos na constituição. Cairão um após o outro, o ensino superior gratuito em universidades públicas, aposentadoria, CLT, estabilidade de servidores públicos, exceto é claro dos magistrados e ministério público que serão os guardiões de uma nova forma de regime de força. Janot nao passa de um traidor da patria. É um bicho novo que esta rompendo a casca do velho ovo da serpente, por isso não há como buscarmos apoio na história de nossas ditaduras para prever cenários com o surgimento desse novo Leviatã. Vamos retroceder quase cem anos em alguns meses.

Fulvia

- 2016-03-13 12:25:50

Veja como atua o alto

Veja como atua o alto comando.

Depoimento do Delcidio

naldo

- 2016-03-13 12:22:09

Concordo, mas e a coragem?

Concordo, mas e a coragem?

interlocutor

- 2016-03-13 12:19:31

Exatamente. Se uma peça

Exatamente. Se uma peça fundamental da estratégia é a desconstrução e a demonização de toda a classe política, e da atividade política mesmo, e já que não há sinais de pendores golpistas no estamento militar, quem ocuparia o poder? Um aventureiro criado pelo próprio Alto Comando?

CB

- 2016-03-13 12:16:42

Já combinaram tudo isso com o

Já combinaram tudo isso com o povo que não sofreu lavagem cerebral , com os movimenstos sociais, artistas, intelectuais, etc?

jns

- 2016-03-13 12:13:54

A Estratégia

 

Neste cenário de terra arrasada, que imobilizou o Partido dos Trabalhadores, o plano para a retomada do poder, por forças contrárias ao governo atual, será consolidado no provável impedimento de Lula disputar, novamente, outra eleição.

Ivan de Union

- 2016-03-13 12:12:24

Somente TODAS as vezes que

Somente TODAS as vezes que tinha poder politico a ganhar.

Assis Ribeiro

- 2016-03-13 12:09:37

Se comenta das semelhanças entre os movimentos de 64 e os atuais
Vale lembrar que naquele período as tentativas de um "parlamentarismo" fracassaram, inclusive com Tancredo mais aceito do que Lula no espectro político O Brasil atual, dividido e intolerante, o "primeiro ministro" seria trocado a cada dois meses Poucos políticos tem o histórico de resistência e honestidade de Dilma. Se os bispos, torres e cavalos, neste jogo de xadrez, conseguem cercar Dilma, quanto mais qualquer A resistência, e no xadrez são peças importantíssimas, serão os peões Qualquer alternativa que não seja a permanência de Dilma será desastrosa A permanência dela será a demonstração de que o país, enfim, deseja encontrar a sua maturidade e independência

Moita

- 2016-03-13 12:09:22

o que quer o Alto Comando?
Não ficou claro para min nem o objetivo nem a motivação do tal alto comando. Querem o caos, os EUA no poder, vingança, são amigos do PSDB? Também não comcompreendo a mensão ao Serra. Quando esse cara serviu para a construção de qualquer coisa?

Edsonmarcon

- 2016-03-13 12:00:01

E se..
E se Dilma se livrar do Janot?

Carlos roberto de andrade

- 2016-03-13 11:53:50

E o TSE

A unica coisa que nao fecha e o TSE porque havendo confirmacao dos vazamentos a chapa seria cassada no TSE inviabilizando o PMDB no governo, nunca eles deixariam chegar neste ponto, com certeza eles tiram a Dilma antes e assumem o governo.

Creio que o impedimento ja e jogo jogado! 

Manoel da Silva

- 2016-03-13 11:46:21

Nassif, entendo as suas

Nassif, entendo as suas colocações. Mas posso propor um cenário alternativo? Imagine que nossas empreiteiras de class Internacional tivessem, sob comando do Governo Federal como o foi, ter realizado todas as melhorias de infraestrutura urbana nas 12 capitais e no prazo antes de Copa conforme comprometido? Lembre-se do componente de lutas de classes... A ineficiência do estado fez a classe média tradicional compensar isso há séculos com a exploração das classes mais baixas. Essa exploração por vários motivos foi minimizada, mas não foi dada nenhuma estrutura socialurbana alternativa. Pelo contrário , houve promessas não cumpridas e quebradeira.

DjalmaSP

- 2016-03-13 11:44:53

Sinceramente

De tudo que li me vem à mente uma tentativa de se colocar como autor de novelas ou filmecos americanos.

A única dúvida que salta aos olhos de tudo que temos hoje em dia é que a Dilma precisa vir a público esclarecer suas estratégias, incluindo a que contemplou a permanência indecente de Cardozo à frente do MJ.

A sua persist~encia em fazer agrados em que lhe atira cada vez mais pedras é uma incógnita ainda indecifrável, mesmo que teorias possam ser aventadas.

Esses pontos: estratégia (mesmo que não tenha nenhuma) e Cardozo são mistérios desse governo aonde uma pessoa extremamente competente conseguiu cavar, pá após pá, sua própria sepultura transparecendo que tudo flui em meio a uma normalidade inexpugnável.

Vladimir

- 2016-03-13 11:42:55

A única parte incontestável

A única parte incontestável do Post é que hoje é o dia D. D de DOMINGO. O resto é uma colcha de retalhos com fatos,fofocas ,desejos e análise desta ficção.

Infelizmente mais um post da série tudo pode acontecer.

Não tenho bola de cristal nem informações privilegiadas mas,se as manifestações de hoje se assemelharem as de março do ano passado,para mim será surpresa. A aparência nas ruas é de esgotamento. Não se vê o mesmo número de veículos com adesivos contra a presidenta,as camisetas,antes usadas no dia-a-dia parece que estão sumidas e,mesmo observando as conversas pelas ruas parecem não tratar deste assunto.Até a campanha desenvolvida por eles para que as pessoas colocassem a bandeira do Brasil nas janelas teve baixíssima adesão.

Assim,as manifestações podem até ser grandes mas,desta vez,terão um caráter envergonhado diferente do ocorrido em março de 2015.

A lamentar,temos que mídia porca deste país conseguiu impor sua pauta e mesmo os blogueiros que lutavam para fazer o contraponto a essa gente aceitam de barato que coisas como o tamanho das mannifestações serem determinantes,aceitam ilações falsp-moralistas contra o presidente Lula.

Existe algo muito maior em jogo. Nào trata-se aqui de defender ou acusar o governo,trata-se da defesa da DEMOCRACIA.

O julgamento do governo já foi feito e ele foi aprovado nas eleições de 2014. Nova avaliação está marcada para 2018.

Esta é a regra do jogo. Qualquer coisa de difernte disto é ruptura e esta ruptura tem nome: Golpe.

Que ninguém,de direita ou de esquerda,venha com estas adjetivações esdrúxulas querendo defender como responsáveis qualquer solução fora daquela definada nas eleições de 2014.

Dilma fica e Lula não assume nenhuma função do governo. Lula não pode e não vai jogar o patrimônio político que não é só dele, mas de todos que o apoiam,em uma arapuca montada pelos etrnos golpistas deste país.

Todo sacrifício pela democracia é pouco.

 

Assis Ribeiro

- 2016-03-13 11:36:36

É um risco defender alternativas fora dos princípios democrático
A lição de democracia de Flávio Dino "Rasgar princípios e regras, a pretexto de uma luta política momentânea, abre as portas para jogar-nos novamente no imprevisível. A pretendida solução de um impeachment sem base constitucional não seria um ponto final, mas o marco zero de um longo ciclo de vinganças, retaliações e violência política, que arrastaria a economia para uma depressão ainda maior. Seria um caso único no presidencialismo no Planeta: um Chefe do Poder Executivo ser afastado sem ter pessoalmente cometido qualquer crime no curso do mandato; e afastado sob a liderança de políticos que, eles sim, respondem a processos criminais. "

chico da dilma

- 2016-03-13 11:36:23

Por Paulo Nogueira.

A MARCHA DOS ALOPRADOS. POR PAULO NOGUEIRA

inShare  por 12 de março de 2016     

 

Batman, um aloprado sempre presente nos protestos

Batman, um aloprado sempre presente nos protestos

Viralizou no Twitter a hashtag #MarchaDosCorruptos. Não acho que seja esta a melhor expressão para designar os protestos de amanhã pelo impeachment.

Marcha dos Aloprados reflete melhor o espírito da coisa, em minha opinião.

É certo que corruptos consagrados como Aécio e FHC estão por trás das manifestações, insufladas por companhias de mídia que sonegam, mentem, conspiram contra a democracia e escondem casas paradisíacas em praias que tornaram criminosamente particulares, para ficar apenas em algumas de suas boas ações.

Mas o típico manifestante é o aloprado – aquele ser que encarna características do ludibriado, do analfabeto político e do midiota.

Ele acha que o que sai na imprensa é verdade. Não faz ideia de que por trás das pseudonotícias estão os Marinhos, ou os Civitas, ou os Frias – e seu exército de colunistas e editores pagos para reproduzir o gangsterismo jornalístico dos patrões. São os pequenos, minúsculos, venais Lacerdas destes nossos tempos.

Ontem e hoje, os aloprados são presa fácil para a palavra corrupção. É com ela que são enganados e conduzidos como rebanho descerebrado para protestos como os de amanhã.

“Corrupção”, mesmo que partida de corruptos despudorados como Eduardo Cunha, sempre funcionou.

Eduardo Cunha virou ídolo de aloprados graças a suas denúncias, aspas, de corrupção. Não fossem as autoridades suíças, que documentaram sua roubalheira, ele certamente seria um dos líderes dos protestos de amanhã e, talvez, presidente da República em 2018.

Getúlio foi levado ao suicídio pela campanha do Mar de Lama, tramada por réplicas dos conspiradores de hoje. Jango foi derrubado da mesma forma. E agora, com o mesmo expediente sinistro e idênticos propósitos, os filhotes dos golpistas querem matar uma jovem democracia que não chegou sequer aos 30 anos.

Para tanto, eles contam com os aloprados que vestirão a camisa da honrada CBF e clamarão pelo golpe em sua imbecilidade tonitruante.

Não fossem manipulados, eles entenderiam que uma coisa, absolutamente legítima, é protestar contra um governo. Macri, nem bem assumiu, já enfrenta manifestações enormes contra sua gestão.

Outra coisa, intolerável, é marchar por um golpe que significaria a destruição de 54 milhões de votos.

“Ah, o governo está paralisado”, estão argumentando cabeças do golpe como Aécio.

Ora, ora, ora.

Desde que saíram os resultados, Aécio não faz outra coisa que não impedir Dilma de governar. No apogeu de sua louca cavalgada, ele se juntou a Eduardo Cunha em nome do “combate à corrupção”.

Nada, numa democracia, é pior que o mau perdedor, e você pode comprovar isso com as atitudes de Aécio – e de tantos políticos da oposição. Inclui-se aí FHC, o homem que comprou a reeleição, pagou com dinheiro público à Globo para esconder a amante e agora posa de estadista virtuoso.

Mas o canalha maior é mesmo Aécio. Com seu cinismo, demagogia e sua falta de caráter demolidora, ele dividiu ainda mais um país já tão dividido. A história haverá de dar a ele o papel que merece. Lacerda é o Corvo, como o apelidou Samuel Wainer. Aécio será um Abutre, ou coisa parecida.

O aloprado dança nas mãos de corruptos que fingem combater a corrupção enquanto a praticam alucinadamente à sombra, protegidos pela mídia amiga e cúmplice.

É ele, o aloprado, que veremos em profusão nos protestos. Preste atenção nas imagens. Você, se tiver olhos bons, notará os cordões com os quais ele é manobrado por espertalhões.

Mas ele, em sua estupidez desumana, não sente e não enxerga nada.

 

Dorlei

- 2016-03-13 11:35:26

Janot tem lado

Nassif hoje confirma o que muitos desconfiavam. Janot está com o Aécio/Globo/PSDB e caterva desde o início. Mas faltou citar o ex-ministro Cardoso que  provavelmente faz parte da central do golpe.

JB Costa

- 2016-03-13 11:28:32

No jogo político, cujo

No jogo político, cujo arremate é a conquista do Poder, sentimentos, evocações de cunho ético e emocional apesar de válidos e até necessários, pesam ZERO para fazer contrapeso a sua natureza indelével: o pragmatismo. 

Ao analista, por condicionamento dessas circunstâncias, cabe retratar os FATOS crus sob pena de impregnar com o auto engano seus leitores. 

Dilma, nossa presidente, não corre riscos politico por ser mulher; nem exatamente por fazer um governo de medíocre a ruim. O perigo real é a conjugação de circunstâncias altamente desfavoráveis. 

A pior condição de um combatente, e Dilma, assim como nós, somos uns lutadores pelo respeito às normas da democracia, é se ver desprovido de opções ou capacidade de reação enquanto, ao contrário, o inimigo aumenta ainda mais as suas. 

 

João Alexandre

- 2016-03-13 11:10:59

Exatamente

Exatamente, tudo se resume a luta de classes. Essa luta não abrandará, pelo contrário, será cada vez mais acirrada, especialmente se Dilma cair e Lula for preso ou impedido de disputar em 2018. Em resumo, a coisa sairá do controle, cedo ou tarde.

Ivan de Union

- 2016-03-13 11:09:58

Eu nomeio o ACS como autor do

Eu nomeio o ACS como autor do melhor comentario do dia!

chico da dilma

- 2016-03-13 11:06:49

Esse jogo tá mais pra TRUCO do que para XADREZ,assim sendo lá va

i:E se o dono do BOTECO resolver acabar com essa BUTARIA toda,quebrar a mesa e a cara de toda a canalhada de uma vez por todas,depois em cima dos escobros e dos cadáveres contruir um BOTECO NOVO sem jogo de TRUCO.Resultado de imagem para confusão na mesa de trucoResultado de imagem para confusão na mesa de trucoResultado de imagem para confusão na mesa de trucoResultado de imagem para confusão na mesa de trucoResultado de imagem para confusão na mesa de trucoResultado de imagem para confusão na mesa de trucoResultado de imagem para confusão na mesa de trucoResultado de imagem para tropa de asnosResultado de imagem para hienas e zebrasResultado de imagem para hienas e zebras

Cesar L

- 2016-03-13 11:04:16

Parabéns

Parabéns Sr. Eduardo Ramos.

Para mim um dos comentários mais lúcidos que li neste blog.

Obrigado.

JB Costa

- 2016-03-13 11:03:57

 Ser contra a

 Ser contra a desestabilização de um governo legitimamente eleito, no pleno exercício das suas prerrogativas e responsabilidades, acredito ser o dever cívico de todo cidadão e cidadã, não só de militantes e simpatizantes políticos do PT ou da Esquerda. E até a presente data não foram apresentadas referências a qualquer dispositivo legal pertinente que possa amparar a interdição do mandato da presidente Dilma. Só muita espuma. Se aparecer doravante, isso é outra história.

Mas, como é costumeiro se dizer, trata-se de um processo jurídico, mas também político, no sentido de que as nuances e o contexto político podem, sim, ser decisivos para a sua deflagração. E esse termo é bem próprio no sentido de que o projeto de apear do Poder a eleita em 2014, seja por qual estratégia for, já na própria data de confirmação do pleito foi externado sem nenhum pudor pelos derrotados. A partir desse ponto a frente oposicionista(oposição política e midiática), devidamente fornida pela crise econômica, a escalada da Operação Lava Jato, as manobras e invectivas no TCU e TSE e principalmente a cumplicidade de Eduardo Cunha, nunca arrefeceu seu folêgo golpista. 

Até aí nada demais ou tudo previsível.

O que era inexorável , mas que sempre o governo pensou controlar ou tolher, era a defecção do PMDB, o verdadeiro fiel da balança na queda de braço na dimensão política. O desenrolar e evolução dos acontecimentos na seara política;  a sempre lealdade claudicante de Michel Temer; as recorrentes manifestações singulares de rebeldia na bancada; e a própria natureza desse partido, já poderiam ser apreendidos como uma certeza de que o PMDB nunca seria um aliado incondicional

Nesse sentido, quem por ventura algum dia viu no vice-presidente um aliado para o que der e vier é bom rever seus feelings políticos.Temer, agora com os músculos políticos tonificados pela recondução para um novo mandato, fará de Dilma uma refém; ditará os rumos dos acontecimentos. 

O que assusta a muitos, inclusive a esse escriba, é que a se concretizar essa cisão por parte do PMDB o processo de impeachment ganho um alento nunca antes experimentado. Isso não implica, é óbvio, que esse partido vá aderir sem mais ou menos a tese, mas que é previsível que vá nadar de braçadas nas ondas de insatisfações contra a presidente e seu governo. 

E Temer conspirando e antevendo as delícias de incluir no seu currículo um mandato como presidente da República. 

Esses são os fatos. E contra eles não há argumentos. Por melhor e mais sinceros que sejam. 
 

nilo filho

- 2016-03-13 10:54:55

Concordo como Nassif: a

Concordo como Nassif: a esperança de normalização democrática (e que completo, tanbém, normalidade social e administrativa do país) é Lula.

Parlamentarismo branco (não no papel, mas de fato) com Lula como Primeiro-Ministro, formando seu gabinete, seu Ministério, seu Governo, formulando, executando e defendendo suas políticas...

À Dilma caberia a figura cerimonial de um Presidente da República.

Não atino outra solução

 

Antonio Carlos Silva - Brasil

- 2016-03-13 10:53:00

Medidas emergênciais para acabar com o furdunço :

1ª) Dilma nomear o melhor ex PGR das últimas décadas, o Doutor Cláudio Fontelles para o Ministério da Justiça

2º) Dilma nomear um oficial militar LEGALISTA, e ex assessor do Almirante Othon Pinheiro (preso político por ordem do Pentágono) para Diretor Geral da Polícia Federal .

3º) Nomear um Almirante LEGALISTA para presidência da Petrobras 

4º) Nomear o ilibadíssimo baiano Jorge Hage para o Ministério das Comunicações 

5º) Nomear o ótimo Celso Amorim como Ministro das Relações Exteriores

6º) Nomear o Franklin Martins como secretario das comunicações Sociais da Presidência da República .

 

Com este timaço, os baderneiros fascistas sossegarão o facho, pois até militares comporão a cúpula do governo Dilma ..

naldo

- 2016-03-13 10:53:00

Qual politico resistiria a

Qual politico resistiria a esse cerco vergonhoso? Nenhum, nem Renan resistiu quando foi atacado dia e noite por causa da estoria da pensão, renunciou, o unico que não conseguiram cercar foi o velho sarney que ao fazer um discurso no qual todos pensaram que seria o de renuncia bradou com todas as letras que ficaria, ali acabou a crise contra ele; outra falacia é dizer que o mp/mpf é preparado, se fossem não estariam fazendo essa lambança, e aqui em sp, as instituições estão aparelhadas há decadas, a diferença é que se perdeu totalmente a vergonha, seja pelo momento, seja pela certeza que não haverá nenhuma cobrança pelas arbitrariedades cometidas, ao contrario, o que vimos foram as defesas de seus superiores; a saida para o PT é o confronto nas ruas, é demonstrar que não há 180 milhões de insatisfeitos como leio alguns coxinhas apregoarem, esse pessoal não tem procuração para falar por um país que eles não entendem e não conhecem, se deixarem crer que a ideia dominante é essa, sem contraponto, a Dilma cai e leva o Lula junto.

hugo1

- 2016-03-13 10:50:14

Tudo que está no texto está

Tudo que está no texto está correto.

O que intriga é a participação de Dilma/Cardozo nisso tudo.

Ela não é tão "autista" assim pra deixar tudo isso acontecer de baixo de seu nariz.

Eduardo Siqueira

- 2016-03-13 10:47:09

O Parquet transformou-se num Poder Paralelo
Conclui-se a partir daí que o Ministério Público brasileiro, comandado por Janot, tornou-se um perigosíssimo poder paralelo, que mesmo sem estar definido na Carta Maior como Poder da República, usa de forma sorrateira e ilícita suas prerrogativas para conspirar contra os demais poderes constituídos. Tanto o Executivo como Legislativo precisam colocar em suas agendas uma forma de coibir esta ação ilícita maquinada por uma facção que hoje tomou de assalto o MP.

Meire

- 2016-03-13 10:46:10

Parlamentarismo não faz parte

Parlamentarismo não faz parte da tradição política brasileira.É como terminar de arrombar a porta para entrar a ditadura. A história prova isso.

«Escreva ao Anjo da igreja de LaodicéiaAssim diz o Amém, a Testemunha fiel e verdadeira, o Princípio da criação de Deus: 15 Conheço sua condutavocê não é frio nem quenteQuemdera que fosse frio ou quente! 16 Porque é morno, nem frio nem quenteestou para vomitar você da minha boca. 17 Você diz: ‘Sou rico! E agora que sou riconão preciso de mais nada'. Pois então escute:Você é infelizmiserávelpobrecego e nu. E nem sabe disso. 18 Quer um conselhoQuer mesmo ficar ricoEntão compre o meu ouroouro puroderretido no fogoQuer se vestir bemCompre minhasroupas brancas, para cobrir a vergonha da sua nudezEstá querendo enxergarPois eu tenho o colírio para seus olhos. 19 Quanto a mim, repreendo e educo todos aqueles que amoPortantoseja fervoroso emude de vida! 20  estou chegando e batendo à portaQuem ouvir minha voz e abrir a porta, eu entro em sua casa e janto com ele, e ele comigo. 21 Ao vencedordarei um prêmiovai sentar-se comigo no meu trono, como também eu venci, e estou sentado com meu Pai no trono dele. 22 Quem tem ouvidosouça o que o Espírito diz às igrejas.» ( Apocalipse – 3, 14-22)

14-22: A comunidade de Laodicéia é rica e auto-suficiente: confia em si mesma, e não quer depender de ninguém. Contudo, a verdadeira riqueza de uma comunidade é ouvir a palavra de Jesus e ficar unida a ele.

Obs: Se meus comentários demoram ou de forma seletiva são publicados, sinal de que, não se fazem necessários...De qualquer forma agradecerei, pelo tempo aqui passado !

Pedro Rinck

- 2016-03-13 10:43:24

Nassif, Muito boa a análise.

Nassif,

Muito boa a análise. Porém, faltou o papel das Forças Armadas. Vejam que um simples Pelotão da Aeronáutica impediu a ida de Lula a Curitiba.

As Forças Armadas não estão mortas ...muito pelo contrário !

Mahabatara

- 2016-03-13 10:34:15

Mas nesta complexa e

Mas nesta complexa e brilhante análise só faltou uma variável, um ministro da justiça, como por exemplo o Jobim.

 

Eduardo Siqueira

- 2016-03-13 10:32:04

O grande culpado é o rei
Não há como negar que o Parquet é o grande Leviatã de nossa história atual, um quarto poder comandado por Janot que pretende derrubar e controlar todos os poderes da República. O mais irônico disto tudo é que os senadores que reconduziram Janot serão os próximos a serem aniquilados por ele.

Astronauta

- 2016-03-13 10:18:57

E o povo?

No golpe da Venezuela foi o povo que restabeleceu Chaves no poder.

Lula é um apaziguador, tende a fazer acordos.

Se essa indignação com a perseguição a sua família se traduzir em chamar o povo para as ruas, junto, é claro, com os movimentos sociais, isso varrerá as vivandeiras das ruas. Talvez ele não tenha noção de sua força, ou medo...

valdemar de oilveira

- 2016-03-13 09:48:24

e a classe operária do rural e urbana

De pé, ó vitimas da fome!
De pé, famélicos da terra!
Da idéia a chama já consome
A crosta bruta que a soterra.
Cortai o mal bem pelo fundo!
De pé, de pé, não mais senhores!
Se nada somos neste mundo,
Sejamos tudo, oh produtores!

Bem unido façamos,
Nesta luta final,
Uma terra sem amos
A Internacional

Senhores, patrões, chefes supremos,
Nada esperamos de nenhum!
Sejamos nós que conquistemos
A terra mãe livre e comum!
Para não ter protestos vãos,
Para sair desse antro estreito,
Façamos nós por nossas mãos
Tudo o que a nós diz respeito!

Bem unido façamos,
Nesta luta final,
Uma terra sem amos
A Internacional

Crime de rico a lei cobre,
O Estado esmaga o oprimido.
Não há direitos para o pobre,
Ao rico tudo é permitido.
À opressão não mais sujeitos!
Somos iguais todos os seres.
Não mais deveres sem direitos,
Não mais direitos sem deveres!

Bem unido façamos,
Nesta luta final,
Uma terra sem amos
A Internacional

Abomináveis na grandeza,
Os reis da mina e da fornalha
Edificaram a riqueza
Sobre o suor de quem trabalha!
Todo o produto de quem sua
A corja rica o recolheu.
Querendo que ela o restitua,
O povo só quer o que é seu!

Bem unido façamos,
Nesta luta final,
Uma terra sem amos
A Internacional

Nós fomos de fumo embriagados,
Paz entre nós, guerra aos senhores!
Façamos greve de soldados!
Somos irmãos, trabalhadores!
Se a raça vil, cheia de galas,
Nos quer à força canibais,
Logo verrá que as nossas balas
São para os nossos generais!

Bem unido façamos,
Nesta luta final,
Uma terra sem amos
A Internacional

Pois somos do povo os ativos
Trabalhador forte e fecundo.
Pertence a Terra aos produtivos;
Ó parasitas deixai o mundo
Ó parasitas que te nutres
Do nosso sangue a gotejar,
Se nos faltarem os abutres
Não deixa o sol de fulgurar!

Bem unido façamos,
Nesta luta final,
Uma terra sem amos
A Internacional

Eliseu Leão

- 2016-03-13 09:37:09

Duas coisas apenas

Que Dilma não caia e que Lula não faça o que diz o Nassif.

Venceremos.

valdemar de oilveira

- 2016-03-13 09:34:28

Milhares morrerão, mas quem

Milhares morrerão, mas quem irá sofrer mais será  a burguesia. Pois, já sofremos há mais de 500 anos.

alexis

- 2016-03-13 09:32:31

30 dias de noite...

30 dias vai tomar o PMDB antes de abandonar as tetas do Governo. Tempo suficiente para ver o que acontece com as manifestações, com o pedido de impeachment, as eventuais acusações do Janot contra políticos do PMDB e outras coisas. Ainda, neste ano de campanhas políticas, é importante ficar perto de onde estiver a fonte de financiamento, considerando que o dinheiro que alimenta tucanos é mais limpinho e cheirosinho, perante a justiça.

O PMDB participa do bônus e nunca do ônus de governar, e é formado por ratos que não abandonam o barco à toa, mas que pulam para outro barco aparentemente melhor, em pleno movimento.

Ana Torres

- 2016-03-13 08:55:21

Você esqueceu de perguntar a

Você esqueceu de perguntar a Dilma se ela está de acordo.

Meire

- 2016-03-13 08:43:27

Xadrez - Jogo Velho.

"...Com a implantação do governo ditatorial dos militares, as entidades femininas formadas naqueles tumultuados anos do início da década de 60 deixaram de ter uma utilidade objetiva. Afinal tinham sido criadas para a desestabilização do governo que fora derrubado. Qualquer ameaça da esquerda foi reprimida através de prisões e torturas. Os rosários já não eram necessários diante dos fuzis. Assim como surgiram, as entidades da conservadora elite das mulheres brasileiras foram extintas e esquecidas. Pouco ou nada é falado, quando acontece, apenas as mais beatas são citadas, causando-se a impressão de um fanatismo de mulheres velhas. Mero engano. Mulheres de todas as idades participaram dessas entidades, e de fanatismo nada tinham, eram movidas pelos interesses das classes sociais que se criaram e que delas sempre tiraram proveitos. Mulheres inteligentes e de acesso cultural elevado usaram do seu poder na defesa de uma elite secular. Algumas dessas mulheres futuramente perderiam os seus filhos para o romantismo de uma esquerda revolucionária que se voltaria contra a ditadura. Ironicamente os homens que ajudaram a chegar ao poder é que iriam matar ou desaparecer com alguns dos seus filhos. ..."

Alexandre S. Bueno

- 2016-03-13 08:32:06

Cenário pessimista

O cenário se dará na luta intestina entre os Parlamentaristas e o PMDB tentanto se safar e viabilizar Temer. Para mm Dilma já caiu e Lula tombará.

Minha leitura: Dilma cai, Lula é preso em seguida. Lembremos que o MP colocou sobre a  juíza uma espada na cabeça. A prisão pode vir a qualquer momento.

Por outro lado, assim que isso ocorrer as denúncias, vazamentos  e linchamentos midiáticos cessarão. Pouco a pouco os presos tipo Bumlai serão libertados e a imprensa pasará a exaltar as iniciativas do grupo vencedor Coisas do tipo "contas públicas melhoraram", "Presal aberto trará mais investimentos" e etc. Além disso, como a economia não para de cair, haverá um "choque de credibilidade" que passará a sensação à população que tudo está ótimo - ou pelo menos melhor. Essa será a consolidação do golpe.

Judiciário

Concordo com você que aloprará. 

Esquerda e movimentos sociais

Os movimentos sociais organizados reclamarão e serão reprimidos. Por outro lado, o efeito "melhora" do fim das denúnicias e a "nova governabilidade" os isolarão. Será como o in;icio da Era FHC, quando a Lei do Petróleo foi aprovada, a FUP entrou em greve e foi esmagada judicialmente e economicamente.

PT e Dilma

Para mim será extinto. Alguns membros encontrarão guarita na Rede outros irão para ostracismo

Enfim, o que vivemos hoje é o pior cenário traçado há 6 meses atrás. Não há razão para otimismo.

Jáder Barroso Neto

- 2016-03-13 08:28:58

O STF é feito de que?

Um novo Engavetador Geral da República comanda o golpe? Parece-e que é muito desastrado prá isso.  Quem mantém esse santo do pau oco do trono sentado sobre a LISTA DE FURNAS? O comando só pode estar no Supremo!

“Aécio amealhou R$ 5,5 milhões apenas para ele. Nas provas, também tem o dinheiro que foi para José Serra e para Alckmin”, segundo o deputado petista de Minas Rogério Correia.   In: https://jornalggn.com.br/noticia/se-janot-nao-investigar-aecio-mpf-pode-fechar-a-porta-diz-deputado-mineiro

CLPA NAVAL

- 2016-03-13 08:04:10

AS FAAs NÃO ACEITARÃO O GOLPE!

CLPA - CORRENTE LEGALISTA PÁTRIA AMADA - O PT é um partido de frouxos e com isso eles põem em risco a integridade nacional ao não desmascararem os verdadeiros traidores da pátria. Não iremos nos conformar com um golpe, que já sabemos, encomendado por forças externas. Sentirão a nossa ira os traidores da pátria instalados na mídia e seus sequazes no judiciário, MP e no Congresso Nacional. Haverá revide! Não daremos trégua e nem paz a esses entreguistas. Várias células já estão prontas. As FAAs são contra este golpe midiático-jurídico, pois sabemos o que está em curso é para impedir o destino grandioso do nosso querido Brasil perante ao mundo. SOLIDARIZAMOS COM O ALMIRANTE OTHON PINHEIRO. HOMEM HONRADO E NACIONALISTA. UM BRASILEIRO DO QUAL ORGULHAMOS. NÃO SOMOS A FAVOR DE NENHUM PARTIDO. SOMOS A FAVOR DA LEGALIDADE, ORDEM E PROGRESSO. VIVA A MARINHA! VIVA AS FORÇAS ARMADAS DO BRASIL!!

olinto

- 2016-03-13 07:39:29

Janot

Depois de duas tentativas em análises de conjuntura do Nassif, nessa terceira ficou (mais) claro o que faltava,  o papel de Janot nesse teatro de operações onde, o que temos, no fundo, é a velhíssima disputa do poder pelo poder. Nessa perspectiva conceitual mais ampla,  fica agora mais fácil acompanhar o desenrolar desse xadrez. E como todo jogo com enxadristas profissionais pode haver lances inesperados capazes de mudar o panorama da partida, aguardemos as atitudes individuais de certos jogadores, coisa impossivel de prever, posto que aí é o terreno dos atos individuais livres: e se Dilma opta por uma atitude final do tipo Allende? E se o Aécio, reconhecendo que não será convidado para o botim final,  passa de incendiário à bombeiro, e se... 

Eduardo Ramos

- 2016-03-13 07:26:19

....de vários assombros, de

....de vários assombros, de gente que amamos, de um tempo quase inacreditável, de tão absurdamente nonsense, do passado se repetindo de modo fascinante e trágico diante dos nossos olhos....

Os filhos, 50 anos depois, repetindo os mesmos erros dos pais em 64...... Não estivesse destruindo meu país, confesso que diria ser esse o fator psicossocial mais interessante disso tudo........ As manipulações foram mais ou menos as mesmas, os discursos idem, o bloqueio do raciocínio, o "medo do comunismo", a "corrupção desenfreada...", a criação de um "satanás para a sociedade ter nojo e ódio....", até a emissora, a mesma, a Globo...... só mudou o "agente do golpe". antes, os militares, hoje, os heróis serão Moro, Rodrigo Janot, os dois responsáveis pela prisão do "chefe da quadrilha", e o Congresso, que aplaudido pelo povo, tirará a "anta" do poder..... Chega a me fascinar a certeza da alegria das pessoas nas ruas (falo da elite e classe média essencialmente...), elas comemorarão de verdade, sentirão ALÍVIO, elas realmente acreditarão que o país "se livrou de um câncer, de um grupo imundo que tomou o poder para se perpetuar e roubar...." - o slogan desses brasileiros é muito bonito, diga-se (falo sem ironia alguma!) se nos colocamos no lugar deles, se apreendemos como se sentem: "devolvam o nosso país!", se não me engano.
Faz sentido, se entendemos que é assim que esses brasileiros se sentem, eles "perderam o país para os petralhas", e a Justiça, a verdade, o "bem", triunfante, "lhes trará o país de volta...."

Tenho duas irmãs, cultas, formadas, independentes, inteligentes, pessoas dignas, boas, melhores do que eu em quase tudo que entendo "bom" num ser humano, que estarão nas ruas amanhã.... E muitos amigos pessoais, nas mesmas circunstâncias! À maioria deles já pude falar que lamento, que creio firmemente, com a minha razão, que eles fazem parte do que chamo de "rebanho tosco"....

Minhas irmãs e meus amigos não vão exatamente pelos mesmos motivos, isso é confuso pra esses brasileiros.... Uns vão de fato, por odiarem o PT e Lula com todas as suas forças, é um nojo, uma repulsa, que me faz mal.... É uma coisa religiosa em suas almas (falo sério, o fenômeno é o mesmo...), fundamentalista, Lula é de fato, "O SATANÁS" do Brasil, o enganador, o pulha, o ladrão, o filho da puta..... Eles o enxergam assim...... E Dilma é sua cúmplice, seu "pau mandado", velhaca, incompetente....

Outros, coração mais brando, sequer enxergam Lula ou Dilma como ladrões! Benevolentes, chamam-nos apenas de "cúmplices omissos da roubalheira, seres pusilânimes por terem deixado o PT roubar, por isso, fora com eles....."

Como deve rir um cínico devasso do porte de um Aécio Neves, vendo-se acima do bem e do mal, a maioria desses brasileiros nem imaginando ou mesmo se importando, com todas as corrupções em que ele se envolveu desde sempre, fatos comprovados e devidamente engavetados.

Como deve rir um João Irineu Marinho, ciente que um pedaço enorme do butim será seu, via publicidade governamental, multiplicada ao infinito se Dilma cair.

Como deve rir um Sérgio Moro, detentor de um poder, hoje, maior que o do Supremo, podendo escolher quem é preso, quem é solto, o que vazar para a imprensa, o que não vazar, e chegar ao ponto de humilhar a Justiça inteira, ordenando sem pudor algum, que se vasculhem os presentes ganhos por Lula, "para ver se algo foi roubado do planalto...." - Ora, o que isso tem a ver com a lava jato? Porque o Supremo não pôs um freio nesse absurdo, nesse achincalhe imundo?

Então, esses queridos brasileiros, os ingênuos toscos e os barra pesada, os que odeiam, os que querem a destruição de Lula e do PT, ambos são a massa de manobrada passeata de logo mais!

Vestirão suas camisas verde e amarelo, levarão seus filhos, sentirão emoções puras, patrióticas, chorarão, pedirão o impeachment, exaltarão Moro e a nossa Justiça, "independente, digna......"

A sensação de impotência para tirá-los de seu fanatismo tosco, é absoluta!
Penso que nossa sociedade atingiu um nível de enfermidade, de petrificação da mente, por repetição mental sistemática desse conjunto de signos que essas pessoas acreditam, num estágio incurável! Nada no mundo me faz, hoje, discutir política com esses queridos, mesmo os que eu mais amo e admiro,

Pretendo, sinceramente, passar os próximos anos debruçado sobre os bons livros sobre esse tema, tão caro a Nietzsche: o homem enquanto rebanho social. A força dos meios de comunicação de massa para fazer de milhões e milhões de seres humanos, "esponjas vivas", despersonalizadas e tornadas, naquela área específica da vida, exatamente o que deseja o detentor do meio de comunicação. É fascinante, terrível, sim, mas absolutamente fascinante, acompanhar esse processo em meu tempo e espaço de vida! Quero conhecer a fundo todos os mecanismos desse processo.

Estou tranquilo, quase rendido ao inevitável! Seguir na luta é imperativo, venha o que vier depois das passeatas!

Hora de pensar, refletir, porque minha intuição me diz que é simplório responsabilizar apenas o ódio e a capacidade de lutar pelo poder, das oligarquias nossas. Um desejo profundo de entender onde Lula,Dilma, a esquerda, erraram, para que as coisas chegassem a esse ponto tão perverso de emparedamento atual.

Aos brasileiros que vão participar, meu desejo sincero de que não haja qualquer violência, qualquer desgraça.

Aos que andam perplexos com o desfecho que se aproxima e têm essa visão ampla, verdadeira da realidade e de tudo o que está em jogo, primeiro, minha gratidão, como é bom não me sentir sozinho! Meu abraço, fraterno, forte! Depois, meu desejo de que encontremos lucidez e força para as lutas que se seguirão em breve!

 

Heber Bispo

- 2016-03-13 07:24:11

Eu investigo o assunto

Eu investigo o assunto "Illuminati" há uns cinco anos.
É tudo verdade, para a nossa desgraça, e poucos são capazes de enxergar isso.

Heber Bispo

- 2016-03-13 07:21:29

A mente brilhante de Luis Nassif

Se Lula ou Dilma tivesse 30% da inteligência de Luis Nassif, não estaríamos no lixo hoje.
Muito interessante a descoberta, é Rodrigo Janot o verdadeiro articulador do golpe, indo aos EUA para pedir "benção" inclusive.
As vezes me pergunto se Dilma, ou ao menos um dos seus assessores já leram algum artigo do Nassif.
Se não estão lendo, são muito mais burros do que eu imagino.
Uma pena, e quem sempre paga o preço somos nós, os pobres.
 

B.V.D.

- 2016-03-13 06:49:31

STF, Renan e Cunha

Creio que em 2016 os ministros do STF afastarão o Cunha se ele continuar presidente, e julgam o Renan 1 pouço depois.

Torço pra que eles saiam do congresso antes da Dilma.

 

* P/ nos brasileiros, o melhor é que falhem as passeatas de hoje e que a gente vá p/ rua exigir a saída imediata destes 2 corruptos (e que loteam o governo federal) que presidem o legislativo e estão na linha sucessória.

Neroli Vieira Junior

- 2016-03-13 06:43:26

A quem interessa?

Nassif 

A quem interessa levar o país a esta situação? 

Obviamente o grupo do Alto Comando está a serviço de interesses externos ao país. Você acha que as Forças Armadas não tem consciência e informações sobre este pessoal? 

O dever constitucional das Forças Armadas eh manter a ordem interna e manter a soberania do país. Tanto a ordem quanto a soberania do país estao em jogo com atuacao do Alto Comando. Esse pessoal não pode deixar um grupelho de Procuradores, Delegados e Juízes comprometerem o futuro do pais. 

No inicio do primeiro Governo Lula houve a derrubada de um grupo que comandava a PF e estava a serviço do FBI no Brasil. Foi descoberto o envolvimento de Policiais Federais, Procuradores e pessoal do Judiciario - vide edicao 283 da Carta Capital -. A época houve grande repercussão disto inclusive no Congresso. Algumas daquelas figuras envolvidas continuam atuando nos quadros de funcionalismo público no país. 

O projeto de crescimento soberano do país está comprometido por conta da atuação deste pessoal - Alto Comando -. Cadê os serviços de inteligência das Forças Armadas que não consegue detectar a ligação deste pessoal com o interesse de Governos estrangeiros?

Vamos entregar o país nas mãos destes grupos que representam o interesse externo aqui dentro?

O cheque-mate neste pessoal seria descobrir e informar a sua fonte de financiamento, porque eles certamente recebem dinheiro de fora. Não estão "trabalhando de graca".

As Forcas Armadas deveriam descobrir e informar para a população as relações existentes deste pessoal com os órgãos estrangeiros.

Precisamos que o Bob Fernandes faça de novo uma serie de reportagens como aquelas que ele fez na Carta Capital que denunciou a atuacao do FBI e da CIA no Brasil. Isso colocaria em cheque a posição deste pessoal e daria novos rumos para os acontecimentos.

 

 

Vera L.

- 2016-03-13 06:29:41

Maria Antonieta, não. Dilma Roussef, guerrilheira da democracia

Um professor de Ciências políticas ensinou que a opinião pública não existe, ela  é antes apenas o reflexo de uma opinião hegemônica, que atualmente é sufocante, criminosa até o ponto de ter conseguido produzir uma espiral do silêncio da parte dos eleitores que ainda apoiam a Dilma.

Acredito que ela ainda esteja no governo devido ao senso de responsabilidade e por sentimentalismo. Aguentou a pior situação que um presidente poderia suportar, com o pior Congresso de todos os tempos, uma violenta crise econômica mundial e uma mídia ordinária ao nível da latrina.

Fica ai o meu protesto, apesar das críticas que tenho sobre as recentes atitudes dela, mais por uma questão de revolta, já que compreendo a profunda diferença entre a politica real das facções criminosas bem descritas aqui e a  boa fé que a Dilma depositou nas instituições.

Eduardo Ramos

- 2016-03-13 06:26:08

Também não vi qualquer defesa

Também não vi qualquer defesa do Ministério Público, ao contrário, o próprio nome dado a eles "Alto Comando" faz pensar que o Nassif credita o golpe em si, a articulação, como responsabilidade maior do Ministério Público, até mesmo em relação a Moro, o que aliás acho um erro, Moro está envolvido nisso desde o início até a medula, EM CONLUIO com o MP.  O que deve ter pego todos de surpresa - agradável para os golpistas.... - foi a inacreditável omissão dos ministros do Supremo.

Fernando J.

- 2016-03-13 06:17:29

Eis o nó

Fator 3 - O fator Lula

Depois de sua fase classe média ascendente – aceitando favores descabidos de empreiteiras – Lula vacila entre encarar a luta ou entrar para a história, como um novo Mandela, preso pela direita. Ótimo! Salva sua biografia à custa do comprometimento de todas as bandeiras que representa.

Lula precisa amanhecer no dia 14 dentro do Palácio do Planalto e comandar a primeira reunião do dia, ou seja, governar. O nome da pasta não importa. 

Cristiana Castro

- 2016-03-13 06:17:10

É isso aí, Dulcinéia. Dilma

É isso aí, Dulcinéia. Dilma não sai!

Marcos Carvalho

- 2016-03-13 06:09:47

11/08/2016 está chegando.

Não sei o que vai acontecer agora, mas se acontecer o pior, depois de 11/08/2016 será consertado.

Enquanto isto pode-se abrir uma CPI para a Lava Jato para apurar os vazamentos seletivos os grampos indevidos o Juiz Moro a gaveta do Janot, expulsar da PF o policial que usou a foto da Dilma para tiro ao alvo, etc.

Segundo Chico Xavier o desenvolvimento do Brasil se dará a passos largos, entendo que pra que isto aconteça é necessário acabar com o PiG definitivamente.

Pode ser que percamos uma batalha agora, mas venceremos a guerra muito em breve, isto já esta determinado.

 

Adma Andrade Viegas

- 2016-03-13 05:58:54

Eu não vejo defesa do

Eu não vejo defesa do Ministério Público por parte  do Nassif neste artigo. 

Ele pode ter sido condescendente antes, até mesmo com Janot, mas creio que agora a ficha caiu.

Francisco de Assis

- 2016-03-13 05:57:25

FHC PASSA O CHAPEÚ NO ALVORADA E RODRIGO JANOT O ABSOLVE NO ATO

Osvaldo, boa noite

Fiz, a respeito, o comentário abaixo, no artigo "Lula, um homem mimado, por Sérgio Saraiva", em https://jornalggn.com.br/blog/sergio-saraiva/lula-um-homem-mimado-por-sergio-saraiva

E assim permaneceu, apenas um comentário.

----------------------------------------------------------------------------------------------------

FHC PASSA O CHAPEÚ NO ALVORADA E RODRIGO JANOT O ABSOLVE NO ATO


FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, em 2002, na função de presidente da República e em pleno Palácio da Alvorada, recolheu R$ 15 000 000,00 (*) em doações de empreiteiros e banqueiros. Com o belo mimo - incomodo, é vero, para carregar em malas -, presente dos donos da Odebrecht, Bradesco, Gerdau e outros desinteressados mecenas, FHC poderia ter comprado 10 apartamentos Triplo X de frente para o mar do Guarujá ou um belo apartamento em Paris. Só Que Não. Em Paris, já tinha, sempre, o ap do amigo Jovelino, na Avenue Foch. E Triplos X em Guarujá, "francamente, poupe-me", diria. O melhor uso seria investi-lo no seu Instituto Privado, o iFHC, que poderia alavancar, doravante, tão ricas doações.

RODRIGO JANOT, procurador da República, a propósito dessa infame e asquerosa utilização do Palácio do Alvorada, acervo público do Estado Brasileiro, para um presidente da república recolher grana para um instituto privado, se pronunciou, conforme trecho de matéria da revista Época em 2002, assinada por Gerson Camarotti:

‘ Embora a convocação de empresários para doar dinheiro a uma ONG pessoal possa levantar dúvidas do ponto de vista ético, a iniciativa do presidente não caracteriza uma infração legal. “Fernando Henrique está tratando de seu futuro, e não de seu presente”, diz o procurador da República Rodrigo Janot. “O problema seria se o presidente tivesse chamado empresários ao Palácio da Alvorada para pedir doações em troca de favores e benefícios concedidos pelo atual governo.” ‘

Tem-se assim uma pista para saber porque o atual PGR RODRIGO JANOT impede, na Lava Jato, a investigação da corrupção na Petrobras no governo FHC (e, claro, também em Furnas etc). Como se nota da estapafúrdia declaração acima, Rodrigo Janot já santificara e absolvera FHC em 2002, há nada menos que 14 anos atrás. E sem nenhuma investigação. 

A falta de seriedade e de interesse do Procurador-Geral Rodrigo Janot para investigar o governo FHC vem de longe. Quantas coisas que assistimos hoje no MPF e na PGR já não estavam explicadas lá atrás, não é mesmo?

--------------------------------------------------------

(*) Em valor atual (2016), ou sete milhões em valores da época (2002)

BTib

- 2016-03-13 05:55:15

Se estivessemos numa situação

Se estivessemos numa situação política normal, a sua análise seria completa. Mas acho que voce se esqueceu da hipotese de conflito total. Uma ruptura institucional mais profunda. De golpe a toda a força, inssureição, por exemplo. E ai o papel dos militares numa situação dessas, como seria.  

HenriqueBeaga

- 2016-03-13 05:46:41

Discordo e concordo com algumas questões do texto
1° particularmente não creio que Dilma vá cair, o Nassif não explica como isso vai acontecer no texto 2° a intenção dessa crise é, antes de qualquer coisa, acabar com o PT e o próprio Lula, se essa gente quisesse acabar com o legado da Constituição de 88 e os avanços dos últimos anos bastaria deixar Dilma no cargo, ela mesma está fazendo isso 3° Sim, se o Lula for preso vai sair mais forte do que entrou, por isso a pressão em deixa-lo inelegível 4° a única saída pra essa crise é Dilma tendo coragem de enfrentar essa gente, ir pra TV e denunciar a chantagem, expulsar o PMDB do governo e voltar a base popular que a elegeu

Francisco de Assis

- 2016-03-13 05:43:53

Dulcinéa, boa noite

Dulcinéa, boa noite

Isto acontece para comentários longos, aqueles em que aparece o botão [[...] ver mais]. Nesses casos, para poder estrelar um comentário, clique no seu botão [LINK PERMANENTE] e, após o refresh automático da página, clique na estrela desejada. Daí em diante, você poderá estrelar todos os comentários longos na página em questão, sem precisar mais clicar no botão [Link permanente].

Abraço,

Osvaldo Ferreira

- 2016-03-13 05:39:46

Este espaço jornalístico não

Este espaço jornalístico não pode continuar sendo aquele da defesa do Ministério Público diante das safadezas partidárias que começam com o Janot lá em cima e descem até os Concerinos da vida.

Ou isso é espaço jornalístico sem defesa de facções ou se mistura no lodaçal da mídia partidária.

O responsável pela linha editorial deste espaço é que terá o que dizer a que veio nesta quadratura política.

 

Osvaldo Ferreira

- 2016-03-13 05:28:33

Onde não se discute política

Onde não se discute política com adolescentes, achando que eles são seres sem opinião...e onde você amarrou o seu burro...rsrsrsrsrs. Você prega arejamento e aje na contramão disso na educação. Jornalistas, uma das profissões mais odiadas do país....rsrsrsrs

altamiro souza

- 2016-03-13 05:26:30

dilma continua no jogo -

dilma continua no jogo - ninguém fala no miniistério da defesa....

se os militares sacarem que os golpistas enfraquecerão o país como nação na área da

defesa, duvido que eles não se mexam...

em64, aconteceu a mesma coisa...

os udenistas - os tucanos de hoje - pensavam que seriam os

donos da bola na sequencia e o regime urou 21 anos,..

..

JB Costa

- 2016-03-13 05:23:43

Na convenção do PMDB, hoje,

Na convenção do PMDB, hoje, ficou claro que este partido cairá fora do governo. Não poderia ser diferente dada a sua história na qual só pespontam demonstrações de oportunismo e instinto de sobrevivência. Se os ratos estão abandonando o navio é sinal que a tempestade é braba e que o resultado mais provável é o naufrágio.

O problema é que nessa metáfora a embarcação não é só o governo. O próprio país submergirá numa crise ainda mais profunda e o que virá depois ninguém sabe. Se o PMDB realmente debandar e muito provável que outros partidos da base o sigam o que implicará num fato político inédito nesses últimos vinte anos: o governo sem apoio majoritário no Congresso. Atei indicações para embaixadas poderão ser boicotadas. 

Infelizmente, sou pessimista. A estratégia da grande frente oposicionista até agora tem se revelado vencedora. A última foi exatamente neutralizar a única peça desse xadrez que poderia se contrapor a ela, no caso, Lula. E parece que conseguiram.

Resta agora avaliar até o final do dia as adesões às manifestações programadas para hoje. Se forem expressivas, as manobras para o impedimento se fortalecerão. Se decepcionarem, o que acho difícil, pouco ou em nada afetará para melhor a posição política do governo em função do esfacelamento da base parlamentar. 

Pobre Brasil!

 

 

 

 

JB Costa

- 2016-03-13 05:22:30

Tal como não existe um "bom

Tal como não existe um "bom câncer", uma "boa" morte, também uma ruptura institucional jamais poderá ser almejada ou avaliada a posteriori como "boa"; nem mesmo aceitável. Se houver, mesmo que sob o manto da legalidade, será uma experiência traumática dadas as possíveis reações de inconformismo por parte dos apoiadores do governo. E até mesmo de eleitores comuns, não militantes, pela frustração de verem seus votos anulados. 

O problema é que a hipótese do impedimento não se apresenta como consequência de um processo de crise política; nem tampouco nasce e evolui de forma "natural" como ocorreu com Collor. A variável impeachment no caso de Dilma foi inserida, enxertada, introjetada.na crise política e econômica. Seu mandato virou moeda de barganha no jogo político numa conjuntura de adversidades. 

Se gorar tal estratégia, a não ser que se altere a legislação nunca mais teremos estabilidade institucional. 

Osvaldo Ferreira

- 2016-03-13 05:01:21

Olá Nassif, não sou mestre na

Olá Nassif, não sou mestre na escola situada na avenida Higienópolis, mas acho que vale a pena publicar isso, claro, se você quiser, sem admoestações inaceitáveis!

 

 Instituto Lula

RESPOSTA DO EX-PRESIDENTE LULA AO JORNAL NACIONAL

“Eu, Luiz Inácio Lula da Silva, e minha mulher, Marisa Letícia, não somos e nunca fomos donos de nenhum apartamento tríplex no Guarujá nem em qualquer outro lugar do litoral brasileiro.

Meu patrimônio imobiliário hoje é exatamente o mesmo que eu tinha ao assumir a presidência da República, em janeiro de 2003:

O apartamento onde moro com Marisa, e onde já morávamos antes do governo,  e o rancho “Los Fubangos”, um pesqueiro na represa Billings. Ambos adquiridos a prestações. Também temos dois apartamentos de 70 metros quadrados que Marisa recebeu em permuta por um lote que ela herdou da mãe.

Tudo em São Bernardo do Campo. Tudo registrado em nosso nome no cartório e na declaração anual de bens.

Esta é a verdade dos fatos, em sua simplicidade: entrei e saí da Presidência da República com os mesmos imóveis que adquiri ao longo da vida, trabalhando desde criança, como sabem os brasileiros.

Não comprei nem ganhei apartamento, mansão, sítio, fazenda, casa de praia, no Brasil ou no exterior.

Jamais ocultei patrimônio nem registrei propriedade particular em nome de outras pessoas.

Nunca registrei nada em nome de empresas fictícias com sede em paraísos fiscais, artifício utilizado por algumas das mais ricas famílias deste País para fugir ao pagamento de impostos.

As informações sobre o patrimônio do Lula – verdadeiras, fidedignas, documentadas – sempre estiveram à disposição do Ministério Público e da imprensa, inclusive da Rede Globo.

Estas informações foram deliberadamente ocultadas do público na reportagem do Jornal Nacional que apresentou as acusações do Ministério Público de São Paulo.

Eu não fui procurado pela Globo para apresentar meu ponto de vista. Ninguém da minha assessoria foi procurado. O direito ao contraditório foi sonegado. Alguém se apropriou indevidamente do meu direito de defesa.

Não é a primeira vez que isso acontece e certamente não será a última.

Mas eu fiquei indignado ao ver minha mulher e meu filho sendo retratados na televisão como se fossem criminosos.

Mesmo na mais acirrada disputa política – e o jornalismo não está acima dessas disputas – nada justifica envolver a família, a mulher, os filhos, como ocorreu nesse caso.

Fiquei indignado porque, ao longo de 9 minutos, o apresentador William Bonner e o repórter José Roberto Burnier me acusaram 18 vezes de ter cometido 10 crimes diferentes; sem nenhuma prova, endossando as leviandades de três membros do Ministério Púbico de São Paulo.

Reproduziram ofensas, muitas ofensas, a partir de uma denúncia que sequer foi aceita pela juíza. E ainda por cima, denúncia de um promotor que já foi advertido pelo Conselho Nacional do Ministério Público, porque atuou fora da lei neste caso.

A Rede Globo me conhece o suficiente para fazer uma avaliação equilibrada das acusações lançadas por aquele promotor, antes de reproduzi-las integralmente pelas vozes de William Bonner e Roberto Burnier.

A Rede Globo recebeu, desde 31 de janeiro, todas as informações referentes ao tríplex, com documentos que comprovam que nem eu nem Marisa nem nosso filho Fabio somos donos daquilo. É uma longa e detalhada nota, chamada “Os documentos do Guarujá: desmontando a farsa”.

Cheguei a abrir mão do meu sigilo fiscal e anexei a esta nota parte de minha declaração de bens.

Quando divulgamos este documento esclarecedor, o Jornal Nacional fez uma série de matérias tentando desqualificar o que estava dito lá. Duvidaram de cada detalhe, procuraram contradições, chegaram a distorcer uma entrevista do meu advogado.

Quanta diferença…

Na reportagem sobre a denúncia do procurador, nada foi questionado. Tudo foi endossado e ratificado como se fosse absoluta verdade.

A Rede Globo sempre poderá dizer que estava apenas “retratando os fatos”, “prestando informações à sociedade”,  “cumprindo seu dever jornalístico”.

Só não vai conseguir explicar ao povo brasileiro a diferença gritante de tratamento: quando acusam o Lula, é tudo verdade; quando o Lula se defende, é tudo suspeito.

Em 40 anos de vida política, aprendi a lidar com o preconceito, com a inveja e até com o ódio político.

Mas não me conformo, como ex-presidente desse imenso país chamado Brasil, não posso me conformar de ser comparado a um traficante de drogas, como aconteceu no final da reportagem.

Essa comparação ofensiva, injuriosa, caluniosa, não está nos autos da denúncia do Ministério Público.

Não sei quem decidiu incluir isso na reportagem, mas posso avaliar seu caráter.

Se esta mensagem está sendo lida hoje na Rede Globo é por uma decisão da Justiça, com base na Lei do Direito de Resposta, aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pela presidenta Dilma Rousseff no final do ano passado.

Esta lei garante que a Liberdade de Imprensa seja realmente um direito de todos e não um privilégio daqueles que detém os meios de comunicação.

É ela que nos permite enfrentar a ocultação de informações, a sonegação do contraditório, a falsidade informativa, a lavagem da notícia.

Estes vícios foram sistematicamente praticados pelos grandes veículos de comunicação do Brasil durante a ditadura e fizeram tão mal ao País quanto a censura, que abolimos na Constituição de 1988.

A Rede Globo levou mais de 30 anos para pedir desculpas ao País por ter apoiado a ditadura, praticando um jornalismo de um lado só. Graças à lei do Direito de Resposta, não tenho de esperar tanto tempo para responder às ofensas dirigidas a mim e a minha família no Jornal Nacional.

Eu não estou usando este direito de resposta para me defender apenas, e a minha família. É para defender a democracia, o estado de direito e a própria liberdade de imprensa, que só é verdadeira quando admite o contraditório e respeita a verdade dos fatos.

Quando estes princípios são ignorados, em reportagens como aquela do Jornal Nacional, o maior prejudicado não é o Lula, é cada cidadão e a sociedade, é a democracia”.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

Dulcinéa

- 2016-03-13 04:58:33

        Queria muito saber

 

      Queria muito saber porque quando avalio excelente, cinco estrelas, para alguns comentários, elas não ficam amarelas.

Acabou de acontecer quando dei cinco estrelas para os comentários de Osvaldo Ferreira.

      Logo abaixo, avaliei do mesmo jeito comentário de outro frequentador e foi aceito.

      Só quero entender.   Já aconteceu diversas vezes comigo aqui no Blog.  

      Beijos para quem torce pela Dilma, contra toda a torcida contrária!  E também para quem, como eu, torce para o Lula e pelo Brasil.

Osvaldo Ferreira

- 2016-03-13 04:53:24

A sua avaliação do MP,

A sua avaliação do MP, baseada em vivência pessoal, não pode servir de parâmetro para avaliar Janot, que você sabe, não instaurou procedimento algum contra Aécio Neves. Nós do blog não sabemos a razão pela qual você defende o MP em particular e em geral, a despeito dos absurdos que estão fazendo. Você tem procuração para defender o MP?

 

Neste post apesar do Nassif ter apagado , ele me admoestou, como se pudesse, dizendo que eu deveria ter mais cuidado...mas ele apagou.

Osvaldo Ferreira

- 2016-03-13 04:49:12

"Correndo por fora, o grupo

"Correndo por fora, o grupo do impeachment, com Aécio Neves na ponta. Seriam os Jacobinos.

Luis Nassif nos deve um "mea culpa" quando há 3 ou quatros anos atrás nos dizia que Aécio Neves era o que havia de mais mais moderno e arejado no PSDB.

Li por aqui análises de Luis Nassif louvando a admistração de Aécio Neves e de repente, como se por mágica, ele virou o irresponsável e carbonário. 

Ou o jornalismo se incumbe de informar ou precisa explicar essas guinadas de 360 graus!

 

Finalmente, o grupo do Ministério Público Federal diretamente liderado pelo Procurador Geral Rodrigo Janot. Vamos batizar de Alto Comando, para fugir da confusão corriqueira, de considerar que o comando e a estratégia da Lava Jato estão em Curitiba."

Rodrigo Janot participou de rega bofe com FHC, ainda durante o seu governo, quando no Palácio da Alvorada serviu o que havia de melhor a empresários para contribuirem ao seu instituto e claro, declararem se fossem admoestados que suas contribuições eram para fins nacionais e culturais.

Rodrigo Janot deu declarações sobre este evento, de presidente dentro do seu mandato, utilizando instalações públicas para alavancar seu instituto.

Nunca soubemos disso por aqui.

Novamente isso demonstra que o MP aqui protegido não é flor que se cheire...

 

 

Dulcinéa

- 2016-03-13 04:48:44

       Nassif já começa o

 

     Nassif já começa o artigo dando Dilma fora do jogo.  Sede de ver Dilma derrubada.  O que que é, Nassif?  O que que há?

     Acredito que ainda ouviremos, ou tenhamos que aturar, durante muito tempo, este tal de Renan Calheiros.

     Da turma do Collor, quando pressentiu que a canoa vazava água, saltou cheio de acusações.  E continuou no jogo político.

Que peça seria do xadrez, já que, embora tenha vontade, nunca joguei o mesmo.

É um Sarney piorado.  E bem piorado.  Raposa.  Esperto demais.

      Dilma fora do jogo?  Sei...!

      Mulheres do mundo inteiro, uni-vos!

      Não é hora de considerar a influência norte-americana.  Não é norte-americana.  É estadunidense.  Pois, norte-americanos são canadenses, estadunidenses e mexicanos.  Esta expressão é expressão de dominação.

      É claro que é hora de olhar a influência ou sei lá o que estadunidense.

      Dilma fora do jogo.  A História dirá o que fizeram com Dilma.  Até o Lula, se quer saber.

      Passar bem, como dizia meu querido pai!

Wong

- 2016-03-13 04:46:58

"Cai como"? Nassif esqueceu-se do Povão...

Basta verificar quem são os "Ilibados" Personagens que Compõem os Times do Nassif.

Salvo Janot e Moro, amados pelo Povão (por Motivos que a Mídia pode Explicar), o resto é só Escória.

E, Lula será incluído neste Julgamento do Povão, pois a aceitação de um Ministério será visto como Fuga para os Braços do STF que é visto, Popularmente, como "Protetor dos Fortes e Privilegiados".

Outro Esquecido, os Empresários, como os Banqueiros, irão para onde der mais Grana.

É (quase) Impossível a Dilma dar uma de "Louca" e sair por aí perguntando ao Povão com que Direito TODOS (e, o Nassif Lulista Incluído) lhe cobram.

"Nunca antes neste País" TODOS os envolvidos têm seus Rabos Presos...

Nassif tem um Histórico de "Elogios" e "Lobby" por pretensos Salvadores da Pátria.

Foi assim, elogiando, no Passado, o Serra.

Foi assim, depois que "Tomou um Café da Manhã" com o Eduardo Campos, o do Jatinho.

Sempre elogiou (e, torceu) pelo Barbosa na Fazenda.

"Indicou" o Jacques Wagner, etc., etc...

Quando o Navio ameaça afundar, os Ratos...

O Artigo do Nassif é Mesquinho.

Chega a ter o "Menosprezo Maior".

O Supremo Desrespeito, ao Ignorar a Presidente Dilma.

Grosseria perdoável.

Afinal, a "Presidenta" nunca o convidou para um Café...

 

Miguel A. E. Corgosinho

- 2016-03-13 04:41:12

Não estou preocupado com a

Não estou preocupado com a opressão satânica e sua permissão de julgar.

Faltou a imprevisível diferênça entre o humano que confessa e o pecado, até que esta diferença toma a capacidade necessaria de.que tem autoridade e não dá explicações.

A terrível realidade que só compreendem quando estiver sobre si. 

 

Bobo

- 2016-03-13 04:39:18

Quem foram os 3 ou 4 do STF

Quem foram os 3 ou 4 do STF que foram beneficiados pela manobra da aposentadoria? Vão ficar pela oposição que agiu politicamente ou pela Dilma que não se mexeu nem vetou, o republicanismo pelo menos tem disso o fortalecimento das instituições, outro presidente não faria. A Ela Wiecko da PGR assinou a abertura de inquérito contra Beto Richa, estaríamos melhor com outro procurador geral, mas na sabatina do maroto niguem nem do PT ousou perguntar sobre Aécio Neves.

Ronaldo Braga

- 2016-03-13 04:32:59

Chega! Basta!
Nada de negociar! Chega de acordão! Chega de pizza! Nada de acordo com criminosos! Basta de anistia ampla, geral e irrestrita! Basta de cadáveres insepultos! Chega! Basta! NÃO À CAPITULAÇÃO! NÃO À NEGOCIAÇÃO COM GOLPISTAS! Geral, desperta desse transe global!

Osvaldo Ferreira

- 2016-03-13 04:32:25

"Essa premissa é central para

"Essa premissa é central para todo o raciocínio posterior. Não significa que, automaticamente, conduzirá as discussões para a racionalidade. Mas será um fator relevante a estimular algumas lideranças mais responsáveis na busca do entendimento.

Grosso modo, há dois grupos trabalhando em saídas mais articuladas para a crise.

No Senado, o grupo formado por Renan Calheiros, José Serra e Romero Jucá, articulando alguma forma de semiparlamentarismo que mantenha Dilma Rousseff na presidência, mas sem governar. Vamos trata-lo de os Parlamentaristas para facilitar a leitura."

 

Vamos tratá-los de vendidos e corruptos isso sim!

Dulcinéa

- 2016-03-13 04:31:06

      Ótimo, companheiro _

 

    Ótimo, companheiro _ permita-me chamá-lo assim _ nem sei se o é.  Sem ler os outros comentários, já me senti aliviada, pela indignação com alguns trechos do Nassif.  Continuo a leitura dos comentários.

marcio gaúcho

- 2016-03-13 04:29:59

RESPONDO PELO NASSIF

É a maçonaria mundial. Os americanos e ingleses à frente. Somos apenas massa de manobra, seres servis, mão-de-obra quase grátis. A nova ordem mundial é uma realidade. Extinção em massa da humanidade, através de doenças de laboratório, controle climático, revoluções e guerras,  que são formas de matar muita gente em pouco espaço de tempo. Querem um planeta aliviado de tantos seres humanos, destinado a formar uma nova civilização formada pelo suprassumo da intelectualidade e dos poderosos. É o tal de "governo único mundial" sendo implantado na marra e em médio prazo. Fodeu pra nós!

Osvaldo Ferreira

- 2016-03-13 04:29:08

Indignado!

Indignado! Poderia fazer um fudunço por aqui com o que vc disse. 

Não farei. Vamos ao foco.

Lamentável!

Marcos Antônio

- 2016-03-13 04:26:43

É chegada a hora do POVO

É chegada a hora do POVO DEFINIR SEU DESTINO.

Deixar isso para Renan's, cunha's, serra's É PERDER MUITO!

O POVO É QUEM VAI PERDER NO CENÁRIO DA OPOSIÇÃO!

Quem quer salvar os cacos serão os empresários e PASSAR A CONTA PARA CIMA DOS TRABALHADORES E DO POVO POBRE!

A FIESP fala em impeachement lembrando do collor saindo para pegar o helicóptero!

Greve GERAL E quando ARREBENTAR A ECONOMIA, AI O POVO VAI PODE NEGOCIAR...

Raimundo Boaventura

- 2016-03-13 04:25:14

Viajou... E o povo, onde
Viajou... E o povo, onde entra nessa equação. Com respeito ao nobre e inteligente Nassif, sua premissa se prende a um momento histórico do passado, levando-o com isso, a conclusões inverossímeis. A seguir esse roteiro teríamos uma guerrs civil, o que não intetessa aos golpistas de mãos limpas, muito menos às forças vivas da República. A minha aposta é que Dilma permanece e desmonta o golpismo, com a reversão da posição de mero expectador do STF, dando um basta na República morista e enquadrando o mineirinho Junot. Quanto à oposição, esta sempre foi e será os detentores dos meios de comunicações dominados por próceres da oposição.

Robert Fischer Mecking

- 2016-03-13 04:22:25

xadrez político

Muito boa a análise.

A se considerar que esse jogo está com as cartas marcadas e alguns dos participantes jogam sujo.

 

#LulaValeALuta  #LulaMinistroJá #DeixaDilmaTrabalhar #SãoPauloNãoNosRepresenta #MarchaDosAloprados  #MarchaDosCorruptos

Djalmao23

- 2016-03-13 04:13:36

Alto Comando = Rei oculto = Janot

Leia o texto novamente

Ralf Rickli

- 2016-03-13 04:11:05

Sinceramente, desta vez só

Sinceramente, desta vez só vejo fantasmagorias assombrando sua visão usualmente muito lúcida.

Não sinto realidade em nem 30% do que está projetado aí. Acho que estamos muito menos abalados do que se está pensando.

Jose Americo

- 2016-03-13 04:10:34

Muito bom...

Apenas alguns detalhes: 1o) quem não acompanha o blog, achará que se trata de mera teoria da conspiração; para mim, ficou mais do que claro e perfeitamente verossímil a narrativa;

2o) A tese sobre o Alto Comando bate, especialmente agora depois que reavivaram os comentários proferidos à época do convescote de FHC no planalto, para arrecadar verbas para seu instituto, aliado à inação contra Aécio e certos atores políticos;

3o) É difícil dizer se o STF terá responsabilidade institucional, se até Barroso baixou a guarda; sobram Marco Aurélio e, talvez, Celso de Melo, outra incógnita; Fachin já mostrou que não terá coragem de encarar a malta; Janot, talvez, não precise sequer mover uma palha perante o STF - bastará seguir o fluxo já traçado;

4o) O fator Lula é outra incógnita: há um sentimento de ódio tão grande contra ele que, por si só, pode deflagrar uma crise incálculável a sua nomeação para "primeiro-ministro"; No entanto, seria a única jogada política forte de Dilma; de certo modo, Lula "irmanou-se" aos "Parlamentaristas" com problemas na Justiça: o MP passou a ser um problema para todos eles e, talvez, a solução.

Não vejo outra conclusão para a solução dos impasses fora das escolhas de Dilma, embora, de qualquer modo, ela vá perder ainda mais poder político. Até quando ela vai ficar inerte?

paulosilva

- 2016-03-13 04:09:08

Não dá pra negociar com golpistas.
Devemos lembrar que no Brasil já houve negociação com golpistas que se contentaram com a solução do parlamentarismo, mas isso funcionou por algum tempo apenas. Depois mergulhamos de vez na solução final - deles.

Adolfo Silva Rego

- 2016-03-13 04:07:49

Denominar  Aécio Neves e seu

Denominar  Aécio Neves e seu gurpo de jacobinos é sacanagem! É ter muito desapreço pelos jacobinos!

Alberto Nasiasene

- 2016-03-13 04:07:30

Atores ocultos

Há atores não citados, como os governadores do Rio de Janeiro (onde ocorrerá as Olimpíadas), Minas Gerais e Bahia (além de Ceará) e suas influências nas bancadas parlamentares. Além do, é preciso não esquecer, povo brasileiro (em suas entidades representativas mais influentes) que está muito além de gente que possa lotar a avenida Paulista, porque 1% da população de São Paulo (na hipótese mais generosa) não podem ser confundidos com 200 milhões de habitantes de um gigante (e não há homogeneirade de opinião política nem na capital São Paulo, muito menos no país como um todo).

Osvaldo Ferreira

- 2016-03-13 04:07:04

Xadrez da política no

Xadrez da política no Brasil:

Basta ver quem estará na Paulista, o palco preferencial para saber...brancos de classe média, apoiados pela FIESP, pelo PSDB, DEM, PPS e pela REDE GLOBO.

Quem não estará lá, mas estará trabalhando pelas redes sociais: brancos minoritários intelectuais, negros, perifa do Brasil inteiro e com os blogs alternativos.

A tal crise no Brasil explicitou a divisão de classes sociais Nassif, e fugir disso é fugir do óbvio.

Na Paulista não terá ninguém que luta pelo direito à moradia, ninguém do movimento negro que luta contra as atrocidades da PM tucana, poucos idiotas que acham que ali se defende o direito da comunidade imensa LGTB.

Ali se falará de um consenso branco que não é o BRasil e ponto. 

 

 

 

Carlos Eduardo Lenz

- 2016-03-13 04:01:10

Parabéns por colocar os

Parabéns por colocar os pingos nos Is: o papel da PG do MP nisso tudo!

PS: Ainda acho que você está passando mais recados que a superfície do texto transparece, mas não adianta tentar entender sem as informações dos bastidores.

Alexandre Weber - Santos -SP

- 2016-03-13 04:00:54

Vou por uma terceira via, que citei no post dos EUA

O link do post é

https://jornalggn.com.br/noticia/o-papel-dos-eua-na-desestabilizacao-do-brasil#comment-867586

A saída para o povo e a Nação, na minha humilde opinião, é a que conduza a uma melhor governança do Brasil, com menor custo para a população.

Nenhuma das duas hipóteses do Nassif contempla isto.

São fadadas ao fracasso.

O mundo mudou e muitos ainda não acordaram para esta mudança e suas implicações, mas eu garanto, nenhuma que ofereça menos do que isto satisfará a população do planeta.

Caros, ou vamos para trevas tirânicas ou para o nirvana da boa governança, não há meio termo aqui.

Na mesma linha o Taleb:

"

Nassim Taleb Sums Up America's Election In 17 "Black Swan" Words

  Sometimes, less is more, infamous "Black Swan" philosopher Nassim Taleb's case, summing up the chaos that is enveloping America, and its forthcoming election was as simple as the following:"The *establishment* composed of journos, BS-Vending talking heads with well-formulated verbs, bureaucrato-cronies, lobbyists-in training, New Yorker-reading semi-intellectuals, image-conscious empty suits, Washington rent-seekers and other "well thinking" members of the vocal elites are not getting the point about what is happening and the sterility of their arguments."

To which he appended the following 17 perfectly succinct words:

  

"People are not voting for Trump (or Sanders). People are just voting, finally, to destroy the establishment."

 

 

Osvaldo Ferreira

- 2016-03-13 03:52:02

Suspeito que sua renitência

Suspeito que sua renitência em declarar o MP do Brasil um poder tresloucado tenha muito a ver com sua vivência pessoal e não avaliação da realidade. 

Osvaldo Ferreira

- 2016-03-13 03:47:52

Peça 1 – a crise ficou grande

Peça 1 – a crise ficou grande demais para Dilma

É a única certeza nesse oceano de imprevisibilidades que caracteriza a crise atual. Dilma não tem fôlego político nem para lançar planos mais audaciosos nem para recompor sua base política. Mantido o quadro atual, se não cair por impeachment, cai pela crise.

Cai como Nassif? Ou você diz como cai ou não pode advogar isso. Cai como Nassif? Explique aos seus leitores! Cai com base no quê? Peço que explique isso!

 

nilo walter

- 2016-03-13 03:47:35

      Brilhante texto . O

 

 

 

Brilhante texto .

O Alto Comando já é o vencedor.

Poder absoluto ao Judiciário .

Como ficam as forças armadas ?

luisnassif

- 2016-03-13 03:45:00

Deu um til no texto.

Deu um tilt no texto. Devidamente corrigido.

Haroldo Oséias de Almeida

- 2016-03-13 03:42:34

Parabéns pelo texto
Faz tempo que vi um texto tão coerente, coeso, sincero e com um alto senso de responsabilidade. Queria que todos os Brasileiros vissem esta reflexão e avaliassem qual o melhor caminho para o país. Obrigado pelo esclarecimento

luizmattos

- 2016-03-13 03:40:55

Parabéns, foi demais !!!

Só faltou explicar quem controla o Alto Comando. E quais os interesses externos nessa história. Parabéns,foi demais !!!

Djalmao23

- 2016-03-13 03:27:06

Nassif

Parabéns Mais uma Vez.

Minhas esperanças que você desvendaria o que atrás falei que tinha coisa grande. Você matou a charada!

Ainda mais, espero que tenha mais uma carta na manga. A chave para o desmascaramento do Alto Comando. Que não está só. Deve de estar com apoio de gente e fortes recursos fora do Brasil!

Volto a perguntar: Cadê a contra-espionagem de Estado Brasileiro?

Abraço e Boa Sorte.

Nosde

- 2016-03-13 03:14:36

ALGUÉM CONSEGUE TRADUZIR ESTE

ALGUÉM CONSEGUE TRADUZIR ESTE PARÁGRAFO?

"O país será envolvido em uma outra fratricida, com um novo previamente enfraquecido pela falta de consenso é exposto a ataques ao butim de todos os “vencedores”, de grupos jornalísticos a líderes empresariais e a impolutos de ordem geral que ajudaram a consumar o golpe".

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador