O xadrez da quitação das contas de campanha

A primeira semana serviu para o presidente interino acertar as contas menores, loteando o Ministério entre o baixo clero.

Ontem, além do anúncio da flexibilização da lei do pré-sal e das investidas sobre a Previdência Social, começou o acerto das grandes contas, começando pela desvinculação orçamentária para as despesas sociais, o grande avanço civilizatório da Constituição de 1988.

Trata-se de uma disputa histórica em torno do orçamento: os rentistas pretendendo se apossar do orçamento através da dívida pública; e a sociedade, através dos gastos voltados para a melhoria da vida da população.

Se quiser identificar a ideologia de um governo, analise onde se darão os cortes e limites de expansão dos gastos.

No caso do presidente interino, a receita é óbvia: limites para expansão de gastos sociais, mudança nas regras de vinculação de despesas para educação e saúde; e nenhum obstáculo ao nível de juros ou ao comprometimento do orçamento com encargos financeiros. As metas de redução da dívida bruta serão seguidas através dos cortes nas despesas primárias. Enquanto se mantém a excrescência herdada do governo Dilma, de uma taxa Selic de 14,25%, para uma inflação que caminha para 7% e um PIB em queda livre.

O arrocho nos gastos sociais

Vamos entender melhor as implicações dessa tentativa de desvinculação das receitas de saúde e educação.

A Constituição de 1988 vinculou à saúde 15% da receita fiscal. Grosso modo, a receita fiscal de um ano corresponde à receita do ano anterior corrigida pela inflação do período, mais um percentual mais ou menos equivalente ao crescimento do PIB.

Havia uma lógica que permitiria ao país gradativamente aumentar os gastos com saúde na medida em que o PIB crescesse. No início, haveria um sub-financiamento. Com o tempo, uma melhoria gradativa da economia, com o aumento do PIB permitindo o financiamento adequado para as novas demandas de um país em que a população envelhece e os avanços da cidadania expandem o atendimento à saúde.

A proposta do presidente interino Michel Temer é uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que pretende fixar o valor atual da receita de saúde e apenas corrigi-la pela inflação anual.

Significará congelar os gastos da saúde no pior patamar da última década.

Em 2015 e 2016 o PIB deverá cair por volta de 7% a 8% e as receitas fiscais por volta de 12%. Pela regra Temer, as despesas de saúde seriam congeladas nesse patamar mínimo. Significará uma queda de pelo menos 12% em termos reais, sobre o nível pré-crise.

Suponha que em 2014 as receitas fiscais estivessem em 100 e as de saúde em 15.

Em 2015 o PIB caiu 3,8% e as receitas fiscais caíram 5,8%. Com isso, os gastos com saúde caíram de 15 para 14,13 em termos reais. Em 2016, é provável que as receitas fiscais caiam mais 6%. Nesse caso, as despesas com saúde cairão para 13,28 em termos reais.

A PEC obrigará então que o valor seja congelado nesses 13,28 e, dali para frente, apenas atualizado anualmente.

Suponha que a partir de 2017 o PIB cresça sucessivamente, 1%, depois 2% e se estabilize em 3% ao ano – e que as receitas fiscais cresçam dois pontos percentuais acima do crescimento do PIB.

Em 2022, a relação gastos de saúde/receitas fiscais, em vez dos 15% previstos atualmente, cairá para 11,5%, congelando o valor real no patamar mais baixo das últimas décadas – como proporção da receita e do PIB.

Para um setor que padece historicamente com problemas de sub-financiamento, será um desastre completo, com o país abdicando da proposta civilizatória de universalização da saúde. É a maior ameaça ao SUS desde a sua criação. O mesmo ocorrerá com a educação pública.

Desdobramentos políticos

Dificilmente as classes de menor renda abrirão mão das conquistas sociais acumuladas na última década.

A cada dia que passa, cria-se uma nova polarização política, onde o componente de classe ressurge com bastante força. A imagem do governo de homens, brancos e idosos, contra as minorias e contra as políticas sociais cresceu de forma fulminante. Esse sentimento das classes C e D provavelmente será captado com bastante intensidade nas próximas pesquisas de opinião.

Significa que, por vias normais, o atual grupo de poder dificilmente passará pelo chamado teste das urnas em 2018.

Sem interrupções democráticas, os cenários políticos prováveis seriam os seguintes:

1      O mercado e o pensamento neoliberal aglutinando-se em torno de Marina Silva.

2       Os grupos de esquerda montando uma frente, tendo um PT renovado ainda como protagonista principal. Vencendo as eleições paulistanas, Fernando Haddad desponta como o nome novo. Caso contrário, é possível uma certa confluência em Ciro Gomes. Não se descartando, por óbvio, o nome de Lula.

3      No governo Temer, Serra ocupando um espaço maior, com os conflitos óbvios que provocará com os demais Ministros, além dos amuos dos seus adversários no próprio PSDB. Mas com o bálsamo da atuação de Gilmar Mendes no STF.

4      Com Serra, ou Geraldo Alckmin, dificilmente o PSDB terá uma candidatura competitiva; menos ainda o PMDB.

5      Na outra ponta, crescerão os protestos.

É esse cenário eleitoralmente pouco atraente que estimulará os propósitos golpistas de parte do governo.

Não são muitos os caminhos alternativos disponíveis. No campo da desconstrução da oposição, o Procurador Geral da República (PGR) prosseguirá em sua obra pertiinaz de descredenciar Lula e o PT para as eleições de 2018. Nas próximas semanas, as hordas vencedoras prosseguirão na estratégia de terra arrasada, procurando desmontar políticas públicas bem-sucedidas, ocupando todos os espaços de protagonismo político, procurar calar qualquer voz dissidente.

Para eles, a solução final, a única saída, passará pela desqualificação das eleições de 2018, ou restaurando o parlamentarismo, ou criando algum simulacro de governo de salvação nacional contra a subversão das ruas, tarefa que será facilitada pela consultoria do general Sérgio Etchegoyen, acampado no próprio Palácio no Gabinete de Segurança Institucional.

Luis Nassif

68 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. golpéaram e golpéiam com uma

    golpéaram e golpéiam com uma truculencia e infamia  

    jamais vistas ou sentidas antes….

    é hora de união, organização sábia da resistencia,

    acima de tudo organica e inteligente … 

     

  2. Não adianta se fazer as

    Não adianta se fazer as projeções para além de 2018, porque nesse ano teremos eleições.

    O congelamento vai exigir que o governo melhore os gastos com a saúde e com a educação buscando eficiencia, o que hoje não ocorre.

    Tenho certeza que dá para se fazer muito mais do que é feito hoje, com muito menos gastos, bastando eliminar os desperdícios, as roubalheiras, e buscando, acima de tudo, a eficiência.

    Os brasileiros já aprenderam que não basta se aumentar as verbas da saúde para se melhorar o serviço. Basta ver a situação do Brasil pré falência, quando a arrecadação subia ano a ano, e os serviços só pioravam.

    Temos 7 meses para elevar a arrecadação neste ano. A prioridade total, hoje, é sair da recessão.

     

    1. está acabando.

      “A prioridade total, hoje, é sair da recessão.”

      “Não adianta se fazer as projeções para além de 2018, porque nesse ano teremos eleições.”

      ………………

      Mais duas semanas desse desgoverno usurpador interino,

      não vai restar Brasil.

    2. A minha prioridade não é a

      A minha prioridade não é a sua. A minha é restabelecer a democracia. Voce está nessa de governo de união nacional? Me inclui fora dessa (eu e muita gente).

      PS: Quem disse que os serviços de saúde e educação pioraram? Não melhoraram o suficiente. Mas comparando com governos pré-PT a melhora é fato  

  3. E se o golpe “der pra trás?”

    Nassif, sei que parece inviável, mas na parte dos “desdobramentos políticos” não caberia a hipótese de Romário, Cristóvão Buarque darem para trás e votarem a favor de Dilma? Eles não me parecem exatamente com o mesmo perfil dos “golpistas clássicos”, a coisa da corrupção pessoal, interesses escusos para apoiarem a qualquer preço o impeachment da presidente.  Se no dia do julgamento eles e mais dois senadores mudarem de ideia (é essa a conta?), Dilma volta.  Como fica o país? Como ela poderia desfazer as lambanças atuais? Moro teria peito de prender Lula para inviabilizar Dilma novamente?  O país não incendiaria de vez, nessa hipótese, aí sim, deflagrando-se um estado de pré guerra civil?

    Abraço!!!

  4. e que consultoria…

    ando com uma sensação de tortura que nem te conto………………………………

    sobre subversão gerando percepções iguais em pessoas iguais do passado

    ou fazendo de Temer um só

  5. A Dilma deveria se mexer

    e de alguma forma se mostrar viável para reiniciar um governo. Aí sim, de salvação nacional. Poderia reunir algumas pessoas, essas sim notáveis, de espectro político amplo, em absoluto contraste com o governo atual. Desse grupo sairiam suas principais propostas, centradas em um compromisso de profunda reforma do sistema político e eleitoral. Os principais nomes do Ministério sairiam daí também. Dilma tem muito maior capacidade de atração agora do que há dois meses.

    1. concordei
      Esse programa de governo deve ser uma carta de intenções divulgada já, agora, para que o povo saiba o que será feito nos dois anos que faltam…….. dica23/05/2016 – 07:36

      Como se trata de nova eleição, desta vez realizada no senado e presidida pelo presidente do STF, 

      Dica para os democratas / progressistas:

      Quem vai escrever o programa do novo governo Dilma na hipótese dela sair vencedora? Em papel ou, preferencialmente, filme divulgado na internet?

      Esse programa de governo deve ser uma carta de intenções divulgada já, agora, para que o povo saiba o que será feito nos dois anos que faltam. E para que o povo tome partido e seja motivado a lutar pelo que for melhor para ele. Programa contrário à “pinguela para o passado” do golpe?

      Isso pode fazer a roda da sorte de Dilma / PT girar. Desde que se abandone a mídia tradicional, GOLPISTA!

      Dilma vai ter que escolher de qual lado fica. Vai escolher outro Levy? Vai fazer omelete na M. Braga? Vai dar exclusiva para a folha ou para o fantástico? Vai influir para despencar as taxas de juros ou vai obrigar os operários a pagar o pato? Vai garantir a retomada do pleno emprego distribuindo dinheiro na base da piràmide ou vai fazer desonerações e com elas a festa das matrizes das multinacionais? O que fará com os obcenos altissimos salários e vantagens de parte da administração e aposentadorias de marajás? Dará, ao menos, publicidade a esse roubo continuado? Fará a festa de quem produz dando meios para pobre consumir ou dinheiro só para quem já tem?

      Vai para a rua junto com os patriotas, democratas e a pobraiada? 

       

    2. Sei, mas por que ela não fez

      Sei, mas por que ela não fez isso antes ?

      Agora é tarde meu caro.

      O País não pode ficar refém das vontades, nem do tempo de uma pessoa.

       

  6. Carta de (más) intenções

    Hoje conversei com um correspondente do “The Economist” aqui no Brasil.   Ele disse que anuncios não passam de uma carta de intenções e que está surpreso que alguns analistas comprem o anuncio.  Eu disse a ele que não haverá nada de concreto antes das eleições municipais, e é wishfull thinking achar qualquer coisa assim.  É contra a natureza do PMDB perder eleições municipais.  

    Nassif já abordou as questões do teto de gastos publicos.  Teto esse que não se sabe como vai ser implementado, e que tem o potencial de gerar uma reindexação da economia.

    A outra medida é o fim dos subsídios.  Não são os subsídios em forma de incentivo fiscal da FIESP, mas sim os do plano safra e do minha casa minha vida. Aumento (ou mesmo reconstituição) da capacidade tributária do estado também não se deve esperar antes da eleição, e imagino que nem depois dela.  Isso com o próprio FMI dizendo que há espaço para uma reforma tributária que, mesmo que seja neutra em termos de arrecadação, leve ao um sistema tributário mais progressivo. 

    Eu gostaria de abordar são as outras medidas de curto prazo:

    1) Fim do Fundo Soberano.   O fundo soberano consiste basicamente em ações do BB.  Resultado é que ações do BB despencaram (e trouxeram para baixo o resultado da bolsa hoje), frustrando inclusive no resultado da futura venda de ações.   Meirelles diz que o saque seria feito preservando o preço do ativo (provavelmente por bloc-trade, imagino eu).  Mas e as expectativas?  Mercado já precificou agora.

    2) A “pedalada futura” que fere a letra da LRF. 

    A lei de responsabilidade fiscal prevê que um ente governamental não pode adiantar receitas de ente privado controlado por ele mesmo. Isso devido a prática corrente dos governos dos estados arrancarem caixa de empresas estatais baseados em receitas futuras na era da hiperinflação.  PMDB volta ao poder.

    Agora o governo anuncia que irá fazer isso com o BNDES.  Estou esperando o pedido de impeachment do Temer com base na pedalada futura.  Estou esperando o choro da professora Janaína Paschoal falando das criancinhas! 

    http://www.valor.com.br/brasil/4575857/lei-fiscal-impede-bndes-de-antecipar-divida-ao-tesouro-diz-economista

    Além do fato disso não mudar em nada a trajetória da dívida.  Daria um alívio momentado na posição contábil da divida bruta desse ano, mas a trajetória continua a mesma.  Ou seja, é um truque contábil, nada além disso.  Resolve apenas a capacidade do governos se financiar em curto prazo sem precisar emitir novos titulos.  Alias para acalmar o mercado que saiu vendendo ações empresas com o BNDES na carteira de acionistas, já foi dito que essa transação será com títulos que o BNDES tem do próprio tesouro. Óbvio que isso acontece pela expectativa de redução da SELIC futura com a já contratada queda da inflação.  Alias matéria do “Valor econômico” de ontem vem com a seguinte chamada: “Mercado ajusta inflação para cima e selic para baixo em 2016”.  Ganha um doce quem achar a contradição dessa frase na ótica da ortodoxia econômica.  Faz uma pedalada para fazer caixa agora, e cobre-se dívida com os juros mais camaradas do futuro.  É bom ter “credibilidade”, né?

    http://www.valor.com.br/brasil/4573857/mercado-ajusta-inflacao-para-cima-e-selic-para-baixo-em-2016

    Sobre a perspectiva do conflito social decorrente, imagino que a agenda seja a implementação do parlamentarismo com voto distrital (não misto) ou pelo distritão (pior de todos sistemas).  Basicamente garante a perpetuação desse modelo sem lidar com o incoveniente problema de que o povo brasileiro (em geral) gosta de Estado e quer serviços de estado, e desconfia do setor privado.

    1. Excelente comentário com cenários plausíveis

      Penso que a radiografia das ações por voce elencadas fazem completo sentido, o Nassif pinta a situação com tintas mais populares, mas a mecânica orçamentária é esta descrita por você.

      Na minha opinião podemos ter um cenário um pouco mais leve se conseguirmos incorporar a uma velocidade nunca antes vista neste país as tecnologias de robótica hoje já disponíveis, com isto consegue-se mais qualidade com  menos custo, ou seja, amplia-se o alcance dos investimentos públicos sem custos adicionais.

      O Brasil, sem uma reforma ministerial que lhe dê Rumo, Norte e Estrela continuará ingovernável. 14  ministérios e 72 secretarias executivas é a conta certa, com isto rompe-se o círculo vicioso do subdesenvolvimento, mas será preciso que os donos do Dólar deixem, por hora, parece fora de cogitação.

       

    2. E o jabuti do Pre-sal?? Patetico…

      Excelente analise.

      Nao se esqueçam do maior jabuti do pacote “fiscal” de ontem: o Pre-sal!

      Escrevi sobre isso:

      >> Atenção: agora o golpe é no Pré-sal! <<                

       ROMULUS                                                                                 TER, 24/05/2016 – 21:20ATUALIZADO EM 24/05/2016 – 21:24

       

      Já tratei da falácia da revisão da meta fiscal para 170 bilhões de reais nos últimos dias. O título daquele post, que reproduzo abaixo, é bastante ilustrativo:

      Um Estado para chamar de seu: a farsa da “herança maldita” e o álibi para gastar (consigo)

      De lá extraio a seguinte passagem-síntese:

      >> Percebem como ter um governo ilegítimo e fraco sairá caro para a sociedade? Percebem também quem pagará o famoso – e plagiado – pato nesse quadro?

      Pois é.

      Já percebi e os analistas estrangeiros também, como se depreende dos artigos indicados (…).LEIA MAIS »

       

    3. Esse anuncio de venda das

      Esse anuncio de venda das ações do BB é um absurdo do amadorismo, isso não se faz.

      Se quer vender ações em grande quantidade se executa e pronto. O fundo poderia vender as ações do BB, aplicar em outra coisa e depois desfazer o fundo e devolver o dinheiro ao tesouro.

      Anunciar que vai vender 1,5 bi de ações é algo bizonho.

       

  7. Nada o incomoda

    É de espantar e causar nojo, repugnância da cara do Jucá no Senado ao lado de Renan na mesado senado.

    Se na sua entrevista teve a cara de pau de querer construir outro sentido da sua gravação vazada pela Folha com um cinismo irrecuperável, o seu semblante nessa foto é de causar ódio, pior do que levar uma bofetada na cara.

    Retrata a sua tranquilidade, proteção dos bandidos que estão dando as cartas, principalmente Gilmar Mendes que não viu nada demais nas gravações.

    O desmonte do país está em curso e sobrará miséria ao povo brasileiro se nós não respondermos a altura.

    O país tem de buscar outras alternativas contra o ataque depudorados do EUA.

    Nós temos que buscar apoio dos Brics, especialmente Russia e China.

    A Inteligência Russa é a única que pode fazer frente aos EUA.

    A direita sempre se apoiou em Washington até porque os interesses são os mesmos.

    Para os progressitas já passou da hora de contra atacar com o apoio da Rússia.

    As palavras tem de ser ditas claramente, pois a direita não tem pudor.

    Se ficarmos nesse lenga lenga, vai ser um passeio.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/05/1774753-juca-senta-ao-lado-de-renan-e-gera-bate-boca.shtml

  8. PerfeitoPara impedir o
    Perfeito

    Para impedir o retorno de uma política inclusiva farão bem pior do que derrubar um governo democrático eleito.

    Com a ignorância, incompetência e falta de lideranças não há como se pensar em qualquer pacto.

    Os movimentos políticos recentes deixaram bastante claro a rigidez e divisão entre esquerda e direita, e a falta de qualquer interesse, como lhe é peculiar, da direita negociar.

    A hora do conflito chegou, não adianta negá-lo ou tentar escondê-lo.

    1. Pior dos mundos. Caos na

      Pior dos mundos. Caos na saude. Quero ver quando as epidemias pulularem. Neguim por mais bilionario que seja não escapará do caos. E não adianta ter jatinho. Não dará tempoo de fugir. Inês é morta. 

  9. Ou seja, uma gerontocracia
    Ou seja, uma gerontocracia plutocrática tomou conta do país, sem nenhuma veleidade democrática. Farão, sem pudor, tudo o que for necessário para se manter no poder. E o stf faz parte, como colegiado, desse consórcio -“bandido dirigido por um bandido” nas palavras do jornalista português-, de espoliadores do Brasil?
    Deve haver um Carrero Blanco nessa estória, perguntem aos espanhóis eles saberão responder, apontar a eminência parda dessa loucura retrógrada, com certeza não é o moribundo presidente.

  10. O próximo passo, pra mim, é o

    O próximo passo, pra mim, é o parlamentarismo de araque, que tirará de vez o peso do voto da maioria da população. É bem mais fácil pros nomes que não têm muito voto manipularem 513 deputados. Esse país nosso só é grande mesmo em tamanho. NO resto,é um anão. 

  11. Parlamentarismo nem com
    Parlamentarismo nem com Tancredo deu certo.

    Talvez, o semi-presidencialismo, em uma semi-democracia, em um semi-país….

  12. Onde estão os paneleiros que
    Onde estão os paneleiros que pediram saúde e educação padrão FIFA.

    Kkkkkkkkkkk

    A midia, dessa vez, não mandou nossos “boys” às ruas.

  13. guerra de mundos

    Serra pode não saber o que é NSA, mas a NSA, e o Mossad, sabem quem é Serra.  chegou a primeira parcela da quitação da conta do golpe: bases do EUA na Tríplice Fronteira e em Ushuaia.

    rufam os tambores da guerra. uma guerra de mundos.  adeus aos Humanos. bem vindos à intrusão de Gaia! https://jornalggn.com.br/comment/817359#comment-817359

    https://jornalggn.com.br/noticia/macri-abre-a-argentina-para-duas-bases-dos-estados-unidos-por-j-carlos-de-assis

    p.s.:

    “What has been aptly described as a presidential condominium — the new normal in Brazil – envelops conflicting agendas with no consensus in sight. So one should expect the nation to be mired, for a long time, in the logic of perpetual scandal.“ 

    Pepe Escobar

    http://sputniknews.com/columnists/20160524/1040180698/brazil-latam-banana-republic.html#ixzz49f3CTVZZ

    ,

    .

  14. A arte de tutelar governos

    Como caminhão sem motorista, guiado por satélite. Como robô que parece caminhar sozinho. Assim como os EUA enganam o mundo tudo e aos seus próprios cidadãos de que existe alguma democracia de verdade naquele jogo de cartas marcadas entre Republicanos e Democratas (Caprichoso vs. Garantido), tendo por trás o supremo poder econômico-financeiro.

    O VERDAEIRO XADREZ

    Governar é uma tarefa chata para os verdadeiros donos do mundo. Dá muito trabalho. Para eles, nos países colonizados, basta redirecionar a política externa (em termos diplomáticos e comerciais), dar autonomia ao Banco Central, criar rígidas regras de comportamento fiscal e pronto. O resto se faz alienando as elites “meritocráticas”, começando com Disney para as crianças e cativando adultos para morar em Miami.

    Ontem, nos debates no Congresso, um senador fez uma declaração infantil do tipo: “Brasil deveria fazer relações com Canadá e com os EUA, nunca com países como Bolívia!”, “o Serra está fazendo um bom trabalho!”, etc. Ele achou-se naquele instante, loiro e de olhos verdes.

    O verdadeiro poder não precisa de votos nem de candidato nenhum, mas apenas ditar as ”regras” do jogo e colocar o PIG e os pretorianos meritocráticos para tomar conta dele, burocratas bem pagos e com aposentadoria garantida. O “governo” (executivo) que sair do jogo é “impichado” e pronto.

    Governar, no dia a dia, é uma atividade cansativa e com muito cheiro de povo. Governar, para as elites, é deixar outros tomarem conta de hospitais, redes de esgoto e de escolas. O importante é dar as regras, ditar as normas e tutelar o caminho daquele boneco que finge que dirige uma nação, que cada vez é menos nossa.

    O trabalho de construir uma nação é muito mais importante que escolher pelo voto o “síndico” que tomará conta da sua administração por 4 anos. O verdadeiro jogo está em sensibilizar o povo e caminhar para uma assembleia constituinte, alterando regras de maior impacto e duração, como a reforma política e outras. O jogo é construir uma nação autônoma, com autodeterminação.

  15. O país passa por uma crise
    O país passa por uma crise existencial imensa, tal como no mundo.

    Nesse casos, partidos não determinam vitórias.

    A população age em catarse, como uma massa disforme e desorientada.

    Surge a necessidade de um salvador da pátria.

    Entenderam como Collor foi eleito presidente e como Bolsonaro saiu destas manifestações?

    Quem faz o mito aparecer de última hora como salvador da pátria ?

    Conhecem a história das “mãos limpas” da Itália e o surgimento de Berlusconi, rei das mídias, impoluto e salvador da pátria ?

    Deu, no que deu, né ?

    Muita atenção

    Os seus rabichos já o chamam de Bolsomito

  16. guerra de mundos (2)

    nos vemos separados do meio-ambiente, não nos consideramos uma biosfera conectada a todas as demais. por isto a quase totalidade dos estudos da mudança ambiental abordam apenas seus impactos externos: estiagem em alguns lugares com chuva torrencial em outros; frio glacial em alguns lugares e calor mortal em outros; furacões e tornados, terremotos e atividade vulcânica; aumento do nível do mar com desaparecimento de nascentes e rios morrendo.

    mas o maior impacto da mudança climática será interno. será no funcionamento de nossos corpos que sentiremos com maior intensidade as mudanças globais no clima. isto já está acontecendo e sendo diagnosticado como “doença”:

    pressão e dor na cabeça e na nuca; zumbidos e pressão no ouvido; nariz entupido e dores no septo e na testa; náuseas e diarréias; tonteiras e fadiga súbita; suores noturnos; todo tipo de distúrbio do sono: sono picado, acordar de madrugada, por volta das 3:00 h e perder completamente o sono, deitar cansado e pegar rápido no sono, mas pouco tempo depois despertar sem nenhuma vontade de dormir; uréia e glicose ligeiramente acima do limite; problemas renais e no ciático; dores nos ossos longos e chatos.

    um hemograma mais simples ou uma dosagem hormonal complexa se baseiam em faixas obtidas por estatística. o resultado fora destas faixas indica uma tendência a se desenvolver processos patológicos. entretanto, assim como a água ferve a 100º C apenas nas CNTP, as faixas estatísticas utilizadas nos exames não são válidas sob novas condições ambientais. assim, como distinguir uma tendência à patologia, sob os parâmetros anteriores, do que já pode ser um processo de adaptação as novas condições climáticas? quais seriam as faixas de “normalidade” para as novas condições climáticas?

    a mudança não será nos Parlamentos, nos Governos e nos Tribunais de Justiça; a mudança não será detectada pelas pesquisas de popularidade; não será na macroeconomia, tampouco nos partidos políticos tradicionais; a mudança não será divulgada pela mídia convencional; também os grupos de discussão na web nada terão a dizer sobre ela.

    a mudança já está acontecendo. e a estamos sentindo como sintomas em nossos corpos. a mudança será um novo jeito de viver. porque do jeito que temos vivido será impossível sobreviver.

    se a crise de 1929 só foi superada pela gigantesca destruição criativa provocada pela II Guerra. a crise de 2008 já não pode ser resolvida por uma reciclagem das forças produtivas através de conflitos bélicos globais. desembocaria na utilização de armas de destruição em massa. a porta de saída tradicional do capitalismo para as crises se fechou.

    tanto aqui como em toda parte o sistema está em colapso. o que é agravado por uma inédita e reveladora crise climática: o capitalismo cruzou um limite perigoso, ameaçando a sobrevivência da própria sociedade.

    a humanidade agora afeta cada aspecto da Terra em uma escala semelhante à das grandes forças da natureza. todos os ecossistemas do planeta carregam as marcas da presença humana. entramos em uma nova era geológica: o Antropoceno.

    todos nós que hoje habitamos o planeta Terra vivemos os horrores de uma guerra de mundos. a maioria de nós não sente e não vê, entorpecidos por esta guerra que se apodera de nossos corpos para recolonizar nossos corações e mentes. somos os habitantes da barbárie. vivemos o tempo do fim.

    de um lado estão o Homem, a Razão, a Ciência: os que se ergueram vitoriosos com as luzes do Renascimento apenas para mergulharem o planeta numa escala nunca antes experimentada de destruição e desigualdade. tudo e todos foram reduzidos ao valor de matéria-prima pela vã pretensão de manter indefinidamente girando os moinhos satânicos do capitalismo.

    do outro lado, na resistência contra a barbárie já instalada, há um povo. toda uma população que agora se levanta contra o aniquilamento generalizado: os seres da Terra. uma aliança entre humanos e não-humanos pautada não por leis, contratos ou instituições, mas pela urgente consciência da luta comum pela sobrevivência.

    a maior das catástrofes contemporâneas é esta insidiosa guerra de mundos em curso: os “Humanos” contra os seres da Terra. por isto lutamos: por um novo modo de viver.

    uma nova mudança em breve vai acontecer. um inexorável desaparecer, como, na orla do mar, o desvanescer de um rosto de areia: o ocaso do Humanismo e do Racionalismo. os sonhos da Razão geraram monstros: o Capitalismo, Antropoceno, o Antropozóico.

    do mesmo modo que o Heliocentrismo, o Antropocentrismo já não nos serve mais. nunca mais. o que se faz? precisamos todos rejuvenescer. o passado nunca mais. pé na estrada. like a rolling stone, she’s leaving home.

    com seu rosto voltado para o passado, o anjo da História é impelido para o futuro, ao qual ele vira as costas arrasando tudo em sua cega passagem, enquanto estarrecido contempla as ruínas que se amontoam em direção ao céu…

    adeus ao Homem. bem vindos à intrusão de Gaia.

    .

      1. crise ecológica

        meu caro, além do caos em que estamos afundando, a preocupação imediata é com os “sintomas” das mudanças climáticas. as pessoas estão se entupindo de remédios achando que é “doença”. e vão acabar ficando doentes mesmo, mas por causa do desequilíbrio ainda maior causado pela química das medicações. abraços.

         

        ,

  17. Não se pode estranhar o
    Não se pode estranhar o arrocho nos gastos sociais e nem na redução de direitos trabalhistas.

    Isso foi da plataforna da campanha de oposição à Dilma , reverberada por Aécio, Campos e Marina , e foi dito no plano de Temer ainda antes da votação da admissibilidade do processo contra a presidenta no senado .

    O que é de se estranhar é que tanta gente, como Paulinho da Força e Hélio Bicudo, se mostraram surpresos e descontentes com essas medidas iniciais de Temer.

    Essas pessoas são ignorantes, desprovidas de capacidade mental ou condicionadas pelo que a Globo determina?

  18. A própria Dilma

    A própria Dilma começou o desmonte das conquistas sociais do governo, não no nível exibido pelo PMDB, lógico, mas foi ela quem começou a levar o mercado financeiro mais a sério do que o investimento interno, seguindo o cronograma montado por Levy, funcionário do Banco Mundial, que é o verdadeiro culpado pela situação do país hoje.

    A Política monetária do Meireles segue a mesma regra do desinvestimento interno do Levy, com os cortes na saúde e educação deixam de receber municípios e empresas e a consequente falta de circulação desse dinheiro no país, pra ir por bolso de vocês sabem quem…

    http://www.feebpr.org.br/lucroban.htm

     

    A nossa esperança continua nas ruas, porque mesmo que os militares se estruturem a tempo, o número de brasileiros hoje é muito maior do que em 1964.

  19. Peraí

    “A primeira semana serviu para o presidente interino acertar as contas menores, loteando o Ministério entre o baixo clero”

    Não importa se é alto ou baixo clero. Lotear ministério é privilégio do Temer? Sinto muito ele está fazendo exatamente o que já foi feito. Ou alguém acredita que a Dilma não o fêz?. Ser refém do legislativo é o que determina estas atitudes. E se continuar esta balbúrdia de trocentos partidos, vai continuar acontecendo. 

    1. Peraí!

      Claro que Dilma, Lula, FHC, quem quer que seja distribui cargos de acordo com os acordos políticos. Mas, que eu saiba, este éo primeiro que troca cargos por apoio golpista. E olha o nível da tchurma e suas intenções. Esqueceste dos áudios vazados? Tá tudo explicado, é um conchavo pelo poder. Poder se safar e entregar o país aos rentistas e colonizadores. Tem uma boa diferença entre os dois casos. E certamente tu sabes disso. Não vem aqui te fazer de desentendido para tentar justificar estas barbaridades que estão acontecendo.

    2. numperonão

      A diferença entre a excrecência Temer e os outros é que estes primeiro foram eleitos depois buscaram (ou tentaram buscar) apoio parlamentar. 

    3. Evandro

      quem governa sem o PMDB ? A estratégia deles é exatamente esta, levar os “louros” e fugir na hora das dificuldades, jogando toda a culpa no partido que ocupe a presidência.

      Agora são eles que estão precisando de todos os demais partidos, ou pq será que o Kassab se mudou de malas e cuia ? O PSB,desde o tempo do Eduardo Campos e aqueles partidecos de aluguel, o PP que foi um dos que mais roubaram, sendo ele um dos mentores de toda a roubalheira, que querem imputar ao José Dirceu e Lula. E o digníssimo e inimputável PSDB ? com 2 ou mais ministérios, sendo um deles ocupado pelo pior político da atualidade o Cerra (PHA).

      Somente uma ditadura, poderia. Vc ainda não entendeu?

       

  20. Golpe “organizado”pela globo

    Golpe “organizado”pela globo contou com muitas ajudas estratégicas:

    “economistas” que não sabiam que ninguém do POVO (160 milhões)compra mais de DOIS FOGÕES, DUAS GELADREIRAS, TRES CARROS, UMA CASA, TRES COMPUTADORES, CINCO TELEFONES, DUAS MOBÍLIAS, etc.

    E a  Petrobras? Não é uma empresa Estatal com MAIORIA de acionistas(+70%) privados e/ou fora do erário do Governo(como as fundações p/ex) e PORTANTO a roubalheira (que é normal ha séculos-fui contador de empreiteira na ditadura) NÃO é de dinheiro PÚBLICO?

    Ninguém sabe que a roubalheira é feita POR FUNCIONÁRIOS E POR FORNECEDORES DA PETROBRAS, que os políticos levam um percentual(zinho) mixuruca? 

    Claro que muitos politicos achavam que ajudando o GOLPE seriam favorecidos e suas falcatruas “esquecidas”. Seguiram o exemplo dos bandidos confessos que participam das “delações premiadas” que estão tendo sua liberdade garantida pela “justiça”.

    Dinheiro PÚBLICO que eu saiba são os impostos que fazem parte da ARRECADAÇÃO normal da União Estados e Municípios. Roubalheira de dinheiro público,  por exemplo, é  SONEGAÇÃO de impostos        ( vide http://www.sonegometro.com) como aqueles que constam na relação da Operação Zelotes.

    Roubo de dinheiro PÚBLICO, por exemplo, é quando alguém (médico, enfermeiro, professor, etc.) é CONTRATADO pelos Governos e NÃO CUMPRE SEU HORÁRIO DE TRABALHO.

    Amém 

     

  21. Nassif, temos os dois

    Nassif, temos os dois principais problemas que são o imenso déficit e o protagonismo das corporações.

    Ambos os problemas foram causados pelo Governo Dilma.

    Bem ou mal, Temer começou tentando por a casa em ordem. Com um déficit primário dessa magnitude e com a inflação ainda alta, qual alternativa ele tinha ?

    Cortar juros com canetada, como a Dilma tentou fazer em 2011 ?

    Segurar tarifas como a Dilma fez ?

    Creio que não são alternativas.

    Inflelizmente o buraco é grande e ainda não sugiu outra alternativa factível para resolver o problema.

    Quem a tiver que apresente.

    1. “Quem a tiver que

      “Quem a tiver que apresente.”

       

      A resposta está na própria CF. Auditoria da dívida e atacar este enorme buraco negro que é o rentismo em cima do erário público. Ou então taxar as fortunas/rentismo, fazendo que uma parte do capital retorne para os cofres públicos.

       

      PS: é evidente o parasitismo instalado na sociedade, com alguns ganhando em cima de juros SEM TRABALHAR, e a grande maioria esmolando o que comer e um emprego para tornar este comer digno.

    2. Santa ingenuidade: “Temer começou tentando

       por a casa em ordem”. Não: o rato golpista começou dando um golpe de estado e abrindo uma porta para um inferno que nós não sabemos onde vai terminar, mas sabemos quem paga a conta: você e eu. Minha solução é revolução francesa, concorda?

  22. o xadrez do “não vamos aceitar o golpe como consolidado nunca”

    Nassif, ouça o Mujica: só perde a luta quem desiste. Cada vez que aceitamos o banditismo absurdo como fato consolidado, nós ficamos um pouco menor enquanto nação. Essa gente covarde, bandida e golpista não me representa e nunca vai me representar.

  23. Eu acuso!
    Eu acuso o conluio máfio-jurídico-midiático envolvendo: FORÇA-TAREFA DA OPERAÇÃO LAVA-JATO, PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA, REDE GLOBO, GILMAR MENDES E SEUS ASSECLAS DE TOGA, de destruir a democracia em meu país; arrasar a economia; demolir os horizontes de futuro de várias gerações; promover o caos; devolver os muito pobres à miséria, à fome, à doença e ao desespero; entregar o Brasil à sanha dos abutres internacionais; promover uma distopia na qual só máfias e narcotráfico poderão prosperar; retroagir os costumes -nacionais à Idade das Trevas! Auto-investidos com mandato divino para “limpar o país da corrupção”, déspotas pretensamente esclarecidos, INQUISIDORES MALDITOS, patifes autoritários, torturadores “light”, VENDIDOS! VASSALOS DO IMPERIALISMO NORTE AMERICANO, devidamente lobotomizados em HARVARD E ADJACÊNCIAS; agentes infiltrados dos interesses estrangeiros, que racionalizam sua ignomínia com ideais de pureza e santidade. Quem pensam que são, TORQUEMADAS TUPINIQUINS, para ocupar o lugar de tutores morais do País?  Acuso-os de promoverem uma cruzada moralista policialesca travestida em processo jurídico legal com a finalidade de MANIPULAR O JOGO POLÍTICO IMPONDO SUAS PRÓPRIAS ESCOLHAS à Nação. Escolhas partidárias (investidas no Partido da Supremacia Branca do Sul-Sudeste, o PSDB); escolhas sociais (neo-escravismo, sujeição de trabalhadores, negros, mulheres, etc. a uma Ordem Hierárquica Segregadora e Excludente); escolhas morais (repressão a todo tipo de “desvio” da norma hetero-cristã-patriarcal-fascistóide). Acuso-os de PERVERSÃO, CINISMO, CANALHICE E IMPOSTURA. Desejo, do fundo do meu coração, o pior para vocês. A HISTÓRIA SERÁ IMPLACÁVEL AO JULGÁ-LOS. SUA INFÂMIA RECAIRÁ SOBRE PELO MENOS AS PRÓXIMAS TRÊS GERAÇÕES DE SUA DESCENDÊNCIA, como sói acontecer com FASCISTAS, TORTURADORES E ESCROQUES DE GROSSO CALIBRE.  Espero que os jovens, os deserdados, os ainda capazes de lucidez, solidariedade e compaixão, os indignados com a ignomínia e com as trevas, tomem as ruas em multidões capazes de VARRER DO PAÍS O PROJETO MEDIEVALESCO QUE VOCÊS ESTÃO CONSEGUINDO IMPOR na base do chicote, da toga, da manipulação midiática, do ódio, da ignorância e da estupidez. MALDITOS! Que a terra lhes seja pesada!

  24. Ocupar e tomar o governo, pelo povo
    VAMOS PARAR COM VOMITAÇO E AGIR COM NOVAS ESTRATÉGIAS?? BRASIL?!! Nada de eleições, isso já era!  Agora não!   Precisamos mudar tudo primeiro, sem eles que estão no governo.  Tomar o governo para nossa dignidade é que nós o povo brasilerio devemos fazer. #OcupaTudo Parar tudo, chega de vomitaço e vamos agir Brasil?!  Vamos tomar o governo que é do povo, quem quiser faça as malas e vão para os EUA, lavar latrina de gringo em Miami e Wall Street The Wall Street Journal!   O Brasil é de quem luta por Democracia!    Greve geral! Parar  estradas! #OcupaTudo! Tomar o governo, colocar todos pra correr!   Múmias paleolíticas da política vão pra casa usar fraldões e dormir, é o que ela gostam… roncar como suinos gordos…O governo é nosso, do povo!   As leis foram todas rasgadas!   É guerra? Que seja!  Estamos nas redes, estamos nas ruas. #NãoAoGolpe:  Vamos continuar tolerando o intolerável?SEM MORDAÇA! BOCA NO TROMBONE! #EuEscolhoMeuFuturoÉ preciso incomodar. O governo golpista não pode ter um minuto de sossego!O sistema golpista não pode ter tranquilidade #GolpeAquiNãoPassará #ConstituinteJá  #VoltaQuerida#1964NuncaMais  #ForaTemerGolpista#GolpeAquiNãoPassará #ConstituinteJá  #VoltaQuerida #ForaTemerTopeiraEmbalsamada #ALutaContinua#StopCoupInBrazil #OcupaCâmara! #OcupaCongresso! #ForaSTF!!!#FimDoPolíticoProfissional #OGovernoSomosNósPovo#OcupaCâmara! #OcupaCongresso! #FimSTF!!!#OcupaTudoPorDemocracia   #OGovernoSomosNósPovo#Golpe1964 #Golpe2016 #Fim, DaTvGlobo #ForaTemerGolpista  #culturanãoteme #arteculturarevolução #culturacontraogolpe………………………………………………………….

  25. A solução tá fácil disso tudo

    A solução tá fácil disso tudo que acontece aqui no Brasil,é o POVO NA RUA!!

    Gandhi e Martin Luther King incentivavam isso e REALMENTE DEU CERTO,são fatos!

    Lula poderia ir pra rua ACAMPAR em frente à esses fóruns judiciários e quero ver se o

     POVO NÃO IRIA COM ELE,exigindo ISENÇÃO DO JUDICIÁRIO e investigação e punição a TODOS

    de qualquer forma ele vai ser preso mesmo,com o Gilmar agora na Lavajato e o Moro no seu encalço

    fora q a próxima presidenta do STF é uma premiada pela Globo,QUE CAIA ENTÃO COMO UM MÁRTIR,

    Gandhi e Martin Luther King tb foram presos inúmeras vezes,q Lula ñ tenha ORGULHO e vá pra rua!

    OBS:pessoal ggn favor fazer chegar a Lula ,SE POSSÍVEL esse meu post, OBRIGADO!!!!

    1. DITADURA DOS LADRÕES

      Esqueceu-se que Lula já foi preso também? Foi preso no DOPS em plena ditadura com as mesmas alegações falsas, a mesma perseguição política, a mesma cobertura mentirosa da imprensa, os mesmos juízes, promotores e policiiais filhos da puta, tudo igualzinho está sendo hoje em dia.

      Sua comparação do Lula com Gandhi e Martin Luther King é corretíssima, acrescentaria Nelson Mandela.

      Eu concordo com você que a solução é a participação popular, mas discordo que isso seja fácil.

      Prendendo Lula Janot estará reforçando a lenda. Já está muito na cara a perseguição política, a farsa e o arbítrio da DITADURA DOS LADRÕES.

      1. Valeu Ruy, mas dizer que a

        Valeu Ruy, mas dizer que a participação popular seria difícil É UM DESPERDÍCIO, tendo um homem como Lula

        em nosso País e não APROVEITAR SEU GRANDE POTENCIAL de mobilização é errado e entra naquela coisa

        de Republicanismo exacerbado de Dilma/PT,para ELE É FÁCIL,BASTA QUERER,não devemos por obstáculos e

        sim tirá-los,essa ao menos é a MINHA UTOPIA RUY !!

        OBS:minha conclusão é baseada no q ví na Paulista quando Lula falava e as pessoas ficavam VIDRADAS NELE

        como se estivessem hipnotizadas!! É possível fazer, só depende dele!!!

  26. Disneylândia ou Brasil ?

    Ao que parece, a turma que protestava por não poder ir à Disney e, uma vez lá, pensarem que os EUA é aquilo ali, acordarão para uma realidade que mais se torna um pesadelo. Mesmo assim, agregados iludidos da casa-grande que são, ainda assim tentarão se apegar às ilusões de aristrocracia, quando nem chegam a ser elites …

    Por outro lado, as classes C e D, e parte da classe B começarão a reagir sem parar. Dia 28/05 tem outra manifestação. As tensões somente crescerão, como já foi dito; dái, algumas considerações :

    1. Alguém acha que conseguirá manter estes programas de retrocesso sem reações ? E se conseguem, acham que conseguirão fazer isso indefinidamente ? 

    2. As corporações públicas, embora tenham poder, acreditam realmente que este poder não tem limites ? Estarão realmente dispostas a atirar na direção do povo ? Ou melhor, qual o grau de ódio que pretendem enfrentar e/ou suportar ?

    3. O governo Temer, que não pode ou não quer parar a Lava-Jato realmente pensa que terá seus integrantes preservados ? Não nos esqueçamos que a briga não ocorrerá tão e somente entre partidos, mas entre as corporações públicas de natureza golpista, mas também dentro delas.

    4.Creem realmente os atuais integrantes do poder que não haveria retaliação se ocorrerem eleições majoritárias em 2018? Não nos esqueçamos, apesar de toda a movimentação, a possibilidade de aprovação do parlamentarismo ainda é muito pequena.

    Quanto a isso, cito um trecho de um comentário meu: 

    O que existe de desesperador nesta equação é que, nem o Judiciário nem o PGR aceitam as novas transformações pelas quais passam os estados. Azar ! Pagarão por isso! A maior ilusão é a de acreditar que são protegidos pela membrana fina dos concursos, ou da nomeação presidencial (baseada ou não em listas tríplices.) Além disso, esta disposição fantasiosa e esquizofrênica, não conseguirá nem resolver nem colaborar na resolução dos conflitos que enfrentamos ou nos que virão por aí: impossível acreditar que, em um mundo de escassos recursos e concentração crescente de renda, poderão o judiciário ou PGR ficarem em situações insulares ou de autoridade. Conversa. Iludem-se os dois em achar que, gerentes da massa falida que se tornaram o Executivo e o Legislativo, poderão se livrar ou se esconder do problema como se não fossem atingidos. Reações políticas ou simplesmente de força bruta que atingirão estes dois poderes também atingirão os remanescentes, sob o risco de soluções inteiramente desvantajosas a estes: inamovibilidade, vitaliciedade e outros mecanismos de segurança e independência poderão ser abolidos, sem citar questões salariais e de aposentadoria.

    Estas perguntas merecem respostas cuidadosas !

  27. Para os golpistas a solução é anular eleições
    Parece, Nassif< que os golpista buscarão na anulação das eleições - via processo do PSDB no STE, como solução mais simples. Com o fortalecimento diário de Gilmar diante da covardia do STF e se a anulação ocorre no próximo ano serão obrigatórias eleições indiretas no Congresso. De qualquer forma para os brasileiros só resta a luta

  28. O problema da direita e de

    O problema da direita e de seu braço na PGR, o Janot a frente, é que acabar com o Lula e o PT não resolve o problema. Estes inclusive estão vindo a reboque de uma esquerda que transcendeu ao petismo. Quem convoca os maiores protestos é a Frente Brasil Popular e o Povo sem medo, em que o PT participa, mas não comanda.

    Além disso, acabar com o PT e o Lula não é tarefa fácil. A militância do partido tem se renovado e crescido. E podem transfomar o Lula em mártir. Prendê-lo com justificativas ridículas e deixar o Aécio solta é um esculacho. O mundo inteiro vai ver isso, seu Janot.

    Agora, concordo que vão buscar a saída pelo parlamentarismo. Desistiram de eleição popular, isso ficou claro. Só que parlamentarismo com esse congresso?! É a instituição mais impopular do país! Nem o coxinha engole essa. É botar gasolina no fogo. Haja general Ethegoyen, ou coisa que o valha 

  29. Política econômica não funciona!

    Olá, Nassif!

    Desde 1994 até hoje, em todos estes anos a SELIC jamais ficou abaixo de 10% ao ano em média. Neste mesmo período, mais de 20 anos, a inflação jamais ficou  abaixo de 4,0 ou 4,5% ao ano. Vinte anos é tempo suficiente para uma constação: a política econômica, usando juros como ferramente de controle da inflação não funciona. O pior: nem aqui e nem no resto do mundo! É só observar o que ocorre nos EUA, União Européia e Japão nos últimos anos. O Japão até propõe juros negativos e a economia não reage. Se a política econômica funcionasse os juros negativos do Japão já teriam desencadeado um surto de crescimento e muita inflação. Não produziu nem uma coisa nem outra.

    Proponho uma discussão sobre a ineficiência da política econômica. Não posso acreditar que 20 anos de experiência não sejam suficientes para a “velha economia” se convencer que a coisa não funciona. A urgência da discussão é devida ao fato de que SELIC a 14% ao ano leva, inevitavelmente, a dívida pública dobrar a cada 5 anos. É uma exponencial da qual não é possível escapar. Quando do lançamento do Plano Real a dívida pública era de aproximadamente 400 bilhões. Em 20 anos dobrou duas vezes e está em um ponto muito próximo de ser inadiministrável.

    Abra a discussão Nassif. Na sua opinião a política econômica e o uso dos juros para administração das expectativas funciona?

    Antonio Carlos Gonçalves

    1. Alguém precisa te convencer

      Alguém precisa te convencer que a SELIC é artigo de alto luxo para elite. Nunca vai cair de moda.

  30. A solução do Governo Temer

    A solução do Governo Temer saiu melhor do qua a que o Nassif defende,

    Ao invés de criar mais impostos o governo vai cortar despesas.

    Li em algum lugar que se gasta no Governo Federal mais de 4 bilhões por ano de pensão às filhas solteiras de certas categorias como militares, judiciário, etc.

    Porque não se cria uma Comissão da Verdade e se analiza um a um essas pensões? Lí que até a Maite Proença recebe mais de 15 mil por mês. E nem se venha falar de direito adquirido porque não se trata de retirar direito, mas sim reconhecer elas como casadas ou união estável e desenquadrá-las desse benefício que tanto onera os cofres públicos.

    1. Delírios

      E quem, no gabinete golpista, vai fazer esse tipo de corte? O Papai Noel ou o Coelhinho da Páscoa?

      Os cortes serão na Saúde, educação e programas socias.

      Com privilégios dos poderosos não se mexe.

      Taí o aumento indecente do judiciário, obcessão do STF segundo Renan, confirmando o que esttou dizendo. O primeiro ato do CUnha após o golpe foi AUMENTAR OS PRIVILÉGIOS dos que já tem muito, dando urgência a um aumento nababesco para os senhores juízes. Um tipo de propina “por dentro”, não ilegal mas completamente imoral.

    2. será, Benedito?

      -> “A solução do Governo Temer”

      li em algum lugar que nossos irmãos do norte vão instalar uma base na Amazônia. e como diria o Serra: “nióbio!? o que é isso?”

      .

       

    3. Hahaha. Falam em cortar de 10

      Hahaha. Falam em cortar de 10 a 30% do Bolsa Família, que consome 2,7% do orçamento e sobre a maior despesa individual do governo (juros e amortizações da dívida), nadica de nada.

      Muito boa a escolha de prioridades.

       

  31. “Significa que, por vias

    “Significa que, por vias normais, o atual grupo de poder dificilmente passará pelo chamado teste das urnas em 2018.”

    Não estão nem aí porque sabem que este teste não vai existir.

    Alguém acredita mesmo que os golpistas correrão o risco de serem colocados para fora em menos de dois anos após submeter o país a uma das maiores vergonhas internacionais de que se tem notícia?

    É claro que não farão. Podem não dizer mas a idéia é ficar por lá por tempo indefinido. Para isto é só dar aumentos para o judiciário.

     

  32. A certa integração do pré sal

    A certa integração do pré sal ao patrimônio das empresas americanas pelo governo Temer, e o congresso corrupto que ele tem cativo, já está influindo no preço do barril de petróleo.

    Sem nenhuma inflação, porque os EUA não estão sujeitos a qualquer desgraça praticada pelas próprias instituições públicas, o barril dobrou o preço de janeiro deste ano, que era de U$ 25,00, chegando a custar no dia de hoje U$ 50,00.

    Considerando que nos países sérios não se vende bens de raiz, a menos que se prove obrigado ter sido por qualquer desgraça, Temer não vai precisar provar o que é.

    Desta abolição dos cativos, haverá um grave insconsciente no fato de nos tornarmos pobres cidadãos de um país que era rico.

     

  33. É terrível o que o que o MP e

    É terrível o que o que o MP e o judiciário estão fazendo no Brasil. Uma parte deles, talvez a mais saliente e preponderante. Por todos os novos indícios, compraram e engoliram a historinha furada e irreal da mídia empresarial e da Fiesp/Banca de que era necessário e urgente remover a presidente Dilma do poder. Isso com certeza deve ter sido lá bem atrás. Depois disso, exultaram com o surgimento no Paraná da legalmente desajustada República dos Loucos, com fanáticos que absorveram forte treinamento americano sobre esmagamento de políticos e empresários corruptos. Exultaram e fecharam os olhos a seus métodos que passam longe da legalidade, porque acharam que aquela república seria um instrumento poderoso para o golpe que queriam dar em conjunto com o coronelato moderno e a com a mídia. O Brasil, o avanço desenvolvimentista do país, os interesses do país no exterior, a defesa nacional, o povo, o povo pobre e suas conquistas sociais de inclusão, nada disso passou pela cabeça dessa parte do judiciário. Ficaram brincando de perseguição a alguns políticos e sua agremiação, que trabalhavam para um povinho que não conheceu o seu lugar e que atrevidamente usurpou o poder oficial que pertencia aos coronéis por direito divino inquestionável. Talvez uma ideia de confiança absoluta nos coronéis e na – para eles – santa imprensa livre e também sagrada, os tenha orientado e obliterado qualquer reflexão pessoal mais ampla sobre o que não fosse o trabalho estreito do cotidiano em prol do golpe. O jogo de acionar cordões. Das sombras dos gabinetes, ficam puxando fios de marionetes trapaceiras. Um vazamento aqui, outro ali, desce uma marionete, sobe outra, uma é ameaçada, outra é liberada, um criminoso é absolvido com reservas, outro é afastado com mordomias e promessas de volta, deixa uma marionete ali para trabalhar pelo golpe, impede outra ali para não atrapalhar o golpe. Quando o cenário golpista parecia se acomodar, surgem gravações que poderiam ter salvado a democracia e foram ocultadas para que não fizessem exatamente isso. Agora estas gravações são vazadas. Para quê? Com que fim? O vazamento ainda faz parte da estratégia global do golpe?  Ou foi um ato inesperado? Teria sido feito de propósito para desmoralizar os “autores braçais” do golpe? Desmoralizar os autores braçais? Para quê? Para eles mesmos os cabeças assumirem o poder? Se não, quais serão suas novas marionetes de elite, não-braçais? O Aécio? Está tremendo de medo ou sendo preparado e lavado para assumir o poder? Não tem a menor condição ou tem condição? Uma coisa é certa, eles acham que podem tudo se trabalharem com a mídia. Eles não entendem que a mídia não pode tudo. Então, por que não achariam que seria possível limpar a ficha de um celerado e enfiá-lo na cabeça zonza do eleitorado? A mídia é podre, se reciclou preparando-se para o golpe e se encheu de jagunços escribas que exalam um mau cheiro insuportável. Dos políticos golpistas, nem se fala, estão aí as tais gravações que ajudam a entendê-los. Os coronéis modernos, banqueiros ou empresários, são personalistas, patrimonialistas, têm certeza absoluta de que o país é sua propriedade e estava sendo invadido por um povinho que se diz “brasileiro”, mas que o que merece é porrada para recolher-se a seu lugar miserável… O judiciário, porém, e o MP… Ou por outra, uma parte deles dois, a parte que mais tem projetado a imagem do todo, para estes não há nem poderia haver adjetivos apropriados que os qualifiquem. São eles que dão a ideia sombria de que não há qualquer possibilidade de salvação para o país.

  34. O “governo” Temer já mexeu ou

    O “governo” Temer já mexeu ou anunciou que vai mexer em absolutamente tudo. Nem o pobre do garçom escapou. Só não falam nada sobre juros. E os paneleiros sumiram.

     

  35.    

     

    A CONSTITUIÇÃO  DO GOLPE FOI CONDUZIDA FATALMENTE COMO PLANEJADA PELO MEIO POSSÍVEL

     

    O golpe de Estado foi perpetrado por uma quadrilha, com a cumplicidade dos juízes do STF e a mídia.

     

    1. Michel Temer: Um Estadista ou

      Michel Temer: Um Estadista ou um Oportunista?

      Quarta-feira, 23 de setembro de 2015

       

      Diante de seu comportamento dúbio como  vice Presidente da República, além de presidente nacional do PMDB (o partido que tem o maior número de parlamentares  no Congresso), Michel Temer é  o verdadeiro político brasileiro.  Outro dia já fizeram uma pergunta à ele, se quer ser lembrado na história do país como Estadista ou Oportunista. Nas eleições, como candidato à vice, na chapa de Dilma Rousseff (PT), Temer defendia com unhas e dentes a candidata bem como os seus projetos e a reforma política.  Com a queda da popularidade de Dilma, Temer sentiu que poderia  assumir a presidência, caso acontecesse  o impeachment. Há poucos dias, afirmou que o país necessitava de alguém capaz de reunificá-lo. Só faltou falar que ele era a pessoa indicada.  Depois, desistiu de ser o articulador político da presidente, apesar da insistência de Dilma para que ficasse no cargo. 

       

      Na propaganda do PMDB na TV,  afirmou “que o PMDB será sempre maior e mais importante do que qualquer governo.” Finalmente, na semana passada, numa reunião em São Paulo, afirmou que “será difícil a presidente concluir o mandato se não recuperar a popularidade.” No início dos mandatos de Dilma,  pelo apoio a candidatura, exigiu cargos comissionados, grande soma em dinheiro para a aprovação de projetos, e ministérios  com alta dotação orçamentária. Depois de mamar, sugar a nação e cuspir no prato que comeu, ele e uma boa parte de  seu partido está instigando a queda da presidente, juntamente com a oposição para assumir o poder. Tu és um crápula Temer. Mais uma erva daninha no Brasil. Você, como a maioria dos políticos brasileiros  não sabem  o  significado da palavra  estadista, mas apenas conhecem o lado oportunista, apanágio dos políticos de nosso país.

       

      http://pingoserespingos.blogspot.com.br/2015/09/michel-temer-um-estadista-ou-um.html

  36. Dilma voltará???
    Desde que o interino assumiu o lugar que Dilma conquistou de forma legitima e legal que o país se tornou-se uma nave sem rumo. Tudo está mais tenso e preocupante do que todo o ano de 2015 e esses meses de 2016 quando a parte alta – e mais podre – da sociedade organizava e desenvolvia abertamente o golpe.Desde as semanas em que se dizia “nao vai ter golpe” e outra parte menor colava o”nao vai ter luta” ficou claro qua a sociedade estava sim disposta a lutar, mas nem tanto.Se hoje nao podemos dizer que a sociedade engoliu e digeriu o Temer et caterva, esta mesma sociedade ainda nao decidiu até onde vai para apressar a saida de Temer. As vias do Senado e a do STF são inviáveis. Nessas instituiçoes o jogo já está definido.Nessas duas semanas ocorreram fatos que ilustram o que ainda está por vir caso Temer continue até 2018.Ja se fala em eleiçoes já para Presidente e Congresso. Isso resolveria o que? Pra quem? E o STF continuaria o mesmo…Por que estamos abdicando do direito e dever de derrubar uma quadrilha?Eleiçoes nao seriam também legitimar essa quadrilha lhe dando o direito de concorrer com os incomensuráveis meios que possuem e possibilitando derrotar o projeto das esquerdas?Estamos tendo a possibilidade de escurraçar a camarilha e vamos abrir mão disso?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador