Orçamento corta recursos do Ministério da Economia em 50%

Pasta de Paulo Guedes foi a que mais perdeu recursos, e pode ter atividades paralisadas por falta de dinheiro

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O Ministério da Economia foi a pasta do governo Jair Bolsonaro (PL) que mais perdeu dinheiro com o Orçamento 2022.

O corte de verbas chegou a 52% (equivalente a R$ 2,5 bilhões), e pode afetar asa atividades da pasta já no primeiro semestre, segundo reportagem do jornal Folha de São Paulo.

Uma das pastas que mais perdeu recursos foi a Receita Federal, cuja verba despencou de R$ 2,1 bilhões para R$ 1 bilhão, o que afeta diretamente a capacidade de funcionamento da autarquia.

Além disso, a falta de verba para regulamentar o bônus de eficiência exigido pelos servidores abriu uma onda de protestos que levaram à entrega de diversos cargos e até mesmo à greve.

Integrantes da pasta acreditam que tamanha redução foi uma retaliação do Congresso Nacional a Guedes, com quem as relações são turbulentas há algum tempo.

Por outro lado, pastas de aliados de congressistas ou que venham a favorecer redutos eleitorais dos parlamentares foram as mais favorecidas, seja com cortes marginais ou mesmo aumento de recursos.

Por exemplo: o Ministério da Cidadania, que já aumentou seus gastos por conta do pagamento do Auxílio Brasil, recebeu mais R$ 2 bilhões em despesas discricionárias, enquanto o Ministério do Trabalho e Previdência obteve R$ 1,1 bilhão.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador