“Precisamos considerar a possibilidade de Bolsonaro não terminar o mandato”, diz colunista da Folha

"Se a percepção de que a reforma não virá se consolidar, o dólar dispara, os juros sobem etc., nos lançando num cenário em que a defenestração de Bolsonaro se torna uma variável a considerar. O vice Hamilton Mourão está há meses se contendo, posando de razoável e confiável", escreveu Hélio Schwartsman

Foto: Lula Marques

Jornal GGN – Colunista da Folha, Hélio Schwartsman escreveu na edição desta terça (26) que “precisamos considerar a possibilidade de Jair Bolsonaro não terminar o seu mandato.” Segundo o articulista, “o mito” dá “a nítida impressão de que faz tudo a seu alcance para sabotar a si mesmo.”

No artigo, Schwartsman cita os atropelos e descompassos de Bolsonaro quando o assunto é a reforma da previdência e a articulação com o Congresso.

“o presidente fez mais do que a oposição para detonar a proposta de seu ministro da Economia. Primeiro ele sugeriu que a idade mínima de 62 anos para as mulheres era excessiva, depois, ao conceder uma generosa reestruturação de carreira para os militares, destruiu o discurso de que a reforma cortaria privilégios.”

Para o colunista, “o chamado mercado, que, por alguma razão obscura, julgara que Bolsonaro era confiável para tocar uma agenda liberal, vai se dando conta de que as coisas podem não ser tão simples. Se a percepção de que a reforma não virá se consolidar, o dólar dispara, os juros sobem etc., nos lançando num cenário em que a defenestração de Bolsonaro se torna uma variável a considerar. O vice Hamilton Mourão está há meses se contendo, posando de razoável e confiável”, anotou.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  "Apoiadores de Lula agora precisam apresentar soluções para a crise que criaram", diz PSDB

6 comentários

  1. E quem é a turma do.mercado para decidir quem deve governar o país?

    Enquanto essa desgraça que atende.por mercado for defenestrada o povo brasileiro nunca será livre…….

    A.midia já não é, por.conta da absoluta submissão aos bancos…….as barbaridades que se lê em favor da liquidação da previdência é prova disso……já nos compararam.ao septuagenário Mick Jagger…….esse pessoal não tem um pingo de vergonha na cara…….

    Só querem tirar o coiso para impor o saco de maldades contra o povo……

  2. O fato do Mourão ter acreditado no Bolsonaro é o suficiente para se conhecer sua incompetência, general ou não.

  3. É inevitável a derrocada de Bolsonaro, já que demonstra não ter a mínima capacidade para “reinar” em sua família quem dirá governar um país diverso e em tempos de alta complexidade. O problema é que o bolsonarismo vai ainda perdurar com uma ponta acesa e é a pior delas: a do ódio, principalmente às esquerdas, pobres e direitos humanos. O grave é que esta horda assumiu vida própria nas redes sociais e por longo tempo, se as autoridades não tomarem pulso da situação vão continuar trazendo estragos em reputações de pessoas, fazendo terrorismo e ameaças. Nem queiramos imaginar como se comportarão, após serem frustrados em seu sonho de que aquilo algum dia daria certo.

  4. Nassif: é fato notório que o vice e a República de CruzAlta nunca engoliram o “Capitão” daBala. Suportam-no, como suportaram o SapoBarbudo, no comecinho. Um deles chegava até lamentar a povalha não cheirar a cavalo, animal que ele venerava como a um deus. É certo vão escarra-lo na primeira oportunidade. Agora o que o IndioGeneral não se toca é que aqueles terroristas do sul também não gostam de gentios. Viu a História de CruzAlta? Passaram o cerol nas tribos locais, só pra pegar uns palmos de terra. Imagina pra tomarem um País do que não são capazes. Agora, pensando bem, trocar o bando das Milícias do Tanque pelos VerdeSauvas tem de ser um negócio bem pensado. Porque há o risco de depois se perguntar se é melhor cancer no seio ou no útero.

  5. É preciso acabar com está palhaçada de que o atual mandatário do país não completará seu mandato.
    Ele foi eleito com t7 milhões de votos. A democracia,para existir e amadurecer,precisa ser mantida. Não dá para ficar trocando um golpista por outro.
    O povo, este mesmo que o elegeu, terá de arcar com suas consequências.
    Chega de fazer biquinho de birra.
    Essa gente,que elegeu o atual mandatário do país, tenho certeza,se houvesse nova eleição, votaria em coisa pior.
    Então, pela democracia, que se ature esse baba-ovo do cabelo amarelo do Norte e que,dentro dos limites da democracia,empurremos esse governo para frente e não para o fundo.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome