Em 2019, das pessoas mortas pela polícia brasileira, 80% eram negras

O Anuário foi divulgado no domingo, dia 18, pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Os dados são compilados em boletins de ocorrências de 23 estados.

Jornal GGN – O Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2020 aponta que, em 2019, a cada dez pessoas mortas pela política, oito eram negras. Foram 6.357 vítimas da política no ano passado. Desse contingente, 99% eram homens, 74,4% eram negros, 23,5% entre 15 a 29 anos, 31,2% entre 25 e 29 homens.

O Anuário foi divulgado no domingo, dia 18, pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Os dados são compilados em boletins de ocorrências de 23 estados. Acre, Amapá, Amazonas e Rio Grande do Norte não enviaram os dados.

O Anuário também traz os números para policiais assassinados. Destes, 65% eram pretos ou pardos. O número de policiais civis e militares mortos ficou em 172, 62 deles mortos enquanto trabalhavam.

De acordo com os dados do Anuário, a cada policial morto, 37 pessoas são mortas.

Houve um aumento de 14% na proporção de negros no sistema carcerário em 15 anos. Na outra ponta, diminuiu em 19% a prisão de brancos. No quadro atual, a cada três presos, dois são negros.

O Brasil tem 755.274 pessoas presas, em dados de 2019. Deste contingente, 657,8 mil registros informam cor/raça. Desses informes, 438,7 mil são negros, ou 66,7%, e 32,3% brancos. O total de negros no sistema, em 2005, representava 58,4%.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O vandalismo histórico do mercado no Brasil, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome