fbpx
Início Tags Emissão de moeda

Tag: emissão de moeda

Os 10 Mitos da Economia – Mito 1: emissão de moeda e inflação, por...

O primeiro mito é que a inflação é um fenômeno inteiramente monetário, princípio consolidado em 1970 por Milton Friedman com sua famosa lei: “A inflação é sempre e em toda parte um fenômeno monetário no sentido em que é e só pode ser gerado por um aumento da quantidade de dinheiro mais rápido do que o da produção.”

Até onde devemos ir com os gastos públicos, por Fernando de Aquino

Inicialmente, vale observar que não há como um governo que se endivida em sua própria moeda ficar insolvente.

O Trabalho: Capital Acumulado face à Grande Depressão Deflacionária, por Fernando Nogueira da Costa

Por razão de haver reeleição, os demais poderes da República (Legislativo e Judiciário) têm de controlar e fiscalizar a emissão monetária e o uso populista do dinheiro pelo Poder Executivo.

Pandemia e Deflação no Brasil, por André Roncaglia

O foco deve ser a etapa atual desta crise. O futuro fica pra depois. A pandemia não está superada. O relaxamento prematuro da quarentena nos estados resultará em mais mortes e em uma recuperação mais demorada da economia. Precisamos manter a economia suficientemente aquecida para evitar uma hipotermia.

Crise exige que equívocos sejam superados, diz André Lara Resende

Em artigo, economista que ajudou a formular Plano Real defende investimento produtivo do Estado e financiamento do Tesouro por parte do Banco Central

Banco Central pede produção extra de dinheiro para pagar auxílio emergencial

Solicitação foi feita pela Casa da Moeda; atuais estoques de moeda são considerados baixos pela autoridade monetária para atender a demanda

A importância da soberania monetária, por José Luís Fevereiro

Um estado nacional, emissor da própria moeda, pode custear gastos sem nenhuma restrição de caráter monetário. Esses estados não quebram, esses estados não têm limites monetários ao seu endividamento.

Ping pong: os governos podem emitir moeda sem risco para a economia?

Dois especialistas mostram pontos a favor e contra a Moderna Teoria Monetária

Coronavírus: emissão de moeda cria poder de compra que não existia

Em artigo, grupo de economistas é taxativo: falar da falta de recursos não cabe na pandemia; emissão de moeda traria benefício social

Está na hora de abrir as discussões sobre emissão de moeda, por Luis Nassif

Emitindo moeda, os críticos apontam dois riscos: volta da inflação e fuga dos investimentos externos. Falar em volta da inflação, no nível atual de recessão e desemprego, é bobagem. Vamos centrar a análise no presumível risco de fuga de recursos externos.

O desafio de emitir moeda para salvar empresas e renda das pessoas, com Marco...

Assim, a emissão de moeda não significa excesso de moeda na economia, mas a base para o aumento da produção e emprego, fazendo girar.

Para entender a disputa política em torno da capacidade do governo emitir moeda, por...

Existe uma única circunstância que pode produzir uma fissura neste monopólio pétreo da riqueza acumulada em mãos privadas: que o Estado, por meio de políticas públicas bem concebidas e implementadas, decida criar demanda, seja fazendo obras públicas, seja pagando mais ou contratando mais profissionais da Educação, da Saúde e dos serviços públicos de uma maneira geral.

CEE-Fiocruz entrevista o economista Randall Wray: governos devem emitir moeda e aumentar seus gastos

Em meio à crise sanitária provocada pela pandemia de coronavírus, mesmo os países mais liberais vêm percebendo que é preciso abandonar o controle dos gastos públicos para salvar vidas e socorrer as pessoas

A impressão de moeda não causa inflação (necessariamente), por Paulo Gala

Para economistas de corte mais keynesiano, a moeda tem efeitos reais na economia, ou seja, é capaz de afetar nível de produção, emprego e renda. Para economistas da linha neoclássica a moeda tende a ser neutra, especialmente no longo prazo.

Não tem dinheiro? A saída é emitir dinheiro, por Gilberto Maringoni

Em uma economia com demanda reprimida, mercado interno em encolhimento e à beira de recessão, o risco inflacionário é mínimo.

O economista-deus está morto, por Felipe Calabrez

Há algo essencial na celeuma despertada pelos artigos de André Lara Rezende. Uma ideia básica do neoliberalismo entrou em crise: não estamos condenados a submeter as decisões políticas à lógica gélida dos mercados

Superávit primário e dívida pública, por Paulo Kliass

da Carta MaiorSuperávit primário e dívida públicaA imprensa sempre repercute a ideia de que "não se pode gastar mais do que se recebe no...

Mais comentados

Últimas notícias

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!