Homens trabalham mais? Ministro diz que foi mal interpretado

Jornal GGN – Depois de dizer que homens vão menos ao médico porque “trabalham mais e são os provedores”, o ministro interino da Saúde, Ricardo Barros, pediu desculpas e disse que foi mal interpretado.

“Conhecendo o quanto as mulheres trabalham, eu jamais diria que os homens trabalham mais que as mulheres. Quero deixar claro que eu me referia ao número de homens no mercado de trabalho, que ainda é maior”, disse Barros por meio de nota.

“As mulheres, além de trabalhar fora, têm as tarefas de casa, cuidam da família e ainda arrumam tempo para cuidar da saúde. A campanha que lançamos quer espelhar esse exemplo das mulheres”.

De acordo com a Folha de S. Paulo, auxiliares do presidente interino, Michel Temer, consideraram a declaração “desastrosa”.

A própria filha do ministro, a deputada estadual Maria Victoria Borghetti Barros publicou um vídeo criticando a declaração. “Hoje tive que dar um ‘puxão de orelhas’ no meu pai, que deu a entender que os homens trabalham mais do que as mulheres”. “Pai, logo o senhor, com duas mulheres como nós em casa, a vice-governadora do Estado Paraná, Cida Borghetti, e eu, deputada estadual? Nós trabalhamos tanto quanto o senhor”.

Da Folha de S. Paulo

Ministro da Saúde pede desculpas por dizer que homens trabalham mais

Por Johanna Nublat

O ministro Ricardo Barros (Saúde) se desculpou nesta sexta-feira (12), por meio de nota, “se foi mal interpretado na frase ao informar que os homens trabalham mais”.

O ministro afirmou que os homens procuram menos os serviços de saúde porque “trabalham mais” que as mulheres e “são os provedores” da maioria das famílias. A declaração aconteceu nesta quinta (11) durante lançamento de campanha para estimular os homens a cuidar mais da saúde.

Um dia após a declaração considerada “desastrosa” por auxiliares do presidente interino, Michel Temer, Barros disse que não se referia à extensão da jornada de trabalho, mas ao número de homens no mercado de trabalho.

“Conhecendo o quanto as mulheres trabalham, eu jamais diria que os homens trabalham mais que as mulheres. Quero deixar claro que eu me referia ao número de homens no mercado de trabalho, que ainda é maior”, disse o ministro, segundo nota divulgada pela assessoria da pasta.

“As mulheres, além de trabalhar fora, têm as tarefas de casa, cuidam da família e ainda arrumam tempo para cuidar da saúde. A campanha que lançamos quer espelhar esse exemplo das mulheres”, completou.

A declaração de Barros aumentou a pressão para que Temer mude a chefia da Saúde caso seja confirmado presidente ao fim do processo de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff.

“PUXÃO DE ORELHA DA FILHA”

Barros foi repreendido pela própria filha, a deputada estadual Maria Victoria Borghetti Barros (PP), candidata à Prefeitura de Curitiba (PR), horas após a declaração. Ela publicou um vídeo em uma rede social no qual diz ter dado um ‘puxão de orelha’ no pai.

“Hoje tive que dar um ‘puxão de orelhas’ no meu pai, que deu a entender que os homens trabalham mais do que as mulheres”, escreveu, na descrição do vídeo. “Pai, logo o senhor, com duas mulheres como nós em casa, a vice-governadora do Estado Paraná, Cida Borghetti, e eu, deputada estadual? trabalhamos tanto quanto o senhor”, diz Maria Victoria (assista abaixo).

À noite respondeu à filha, pelas redes sociais, afirmando que havia sido mal interpretado. Ele disse ainda que apenas quis passar a mensagem de que os homens deveriam cuidar da saúde tanto quanto as mulheres. “Se fui mal interpretado, me desculpem.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

7 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Marly

- 2016-08-12 20:07:00

Entendi..

Agora tudo faz sentido!

j2c

- 2016-08-12 18:55:27

É filha dos políticos Ricardo

É filha dos políticos Ricardo Barros e Cida Borghetti, além de neta de Silvio Magalhães Barros e sobrinha de Silvio Barros. Nas eleições de 2014, foi candidata a deputada estadual pela coligação PP/PMN, eleita com 44.870 votos.[1] Junto com Deputado Federal Celso Martinelli (PP) Maria Victoria fez campanha por diversas regiões do Estado.

Em 2015 Votou a favor da PL 252/2015, que altera a previdência dos servidores públicos do Paraná, apoiando a proposta apresentada pelo Governador Beto Richa (PSDB).[2] (Wikipedia)

 

Cida Borghetti, mãe da moçoila, é vice do Beto Richa, e a proposta citada acima permitiu ao governador utilizar os recursos da previdência dos servidores do estado para cobrir deficits. Tal votação foi o estopim do ataque contra os professores pela PM-PR em 29 de abril de 2015, quando os manifestantes tentaram evitar que a votação ocorresse sem amplo debate público  entre professores e PM

Atualmente, Maria Victoria é candidata a prefeita de Curitiba pelo PP.

emerson57

- 2016-08-12 17:41:05

interpretação

"Ricardo Barros, pediu desculpas e disse que foi mal interpretado."

O que foi mal interpretado pela corja de golpistas e de batedores de penico foi a Constituição do Brasil. Permitiu a ascensão de gente tenebrosa como o vice traidor e seu bando de picaretas.

Omar Luz

- 2016-08-12 16:48:52

Febeapá

Todo santo dia lá vem ele com mais uma abobrinha, teria sentido se fosse o ministro golpista da agricultura. Os golpistas se assemelham por sua total incompetência, o "mérito" que  possuem é o da conspiração. Se vivo, Sérgio Porto teria farto material para mais alguns volume do Febeapá. Triste Brasil.

Marly

- 2016-08-12 16:07:48

Holofotes!

Quis apenas aparecer na mídia e dar a mesma oportunidade à filha, que também aparece na mesma mídia,discordando do pai. Será ela também política?  Aliás os ministros do interino estão sempre a procura de holofotes, haja vista "aquele advogado" que parece imitar Alckmim, no modo de articular as palavras. Haja holofotes!

Junior Sertanejo

- 2016-08-12 15:42:53

Esse sujeito habitou do

Esse sujeito habitou do periodo Jurásico.É um dinossauro escarrado e cuspido.Eu nunca pensei que nesse País habitassem tanto cafajeste,como o que conseguiu juntar esse governo do Padrinho.

Ritinha

- 2016-08-12 15:37:27

Não colou. A marca no pescoço

Não colou. A marca no pescoço é chupão e pronto.  E este traste que ainda quer  tirar a importãncia do SUS.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador