TST determina fim da greve de petroleiros, com ameaça de multa de R$ 500 mil

Ministro Yves Gandra obrigou que 90% dos trabalhadores voltem às funções nas cerca de 30 unidades da estatal

Jornal GGN – O ministro Ives Gandra, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), entendeu que a Greve dos Petroleiros é ilegal e obrigou que 90% dos trabalhadores voltem às funções nas cerca de 30 unidades da estatal. A paralisação que teve início neste sábado (01) já reúne mais de 17 mil funcionários.

Em seu despacho, Gandra determinou uma multa de R$ 500 mil por dia aos sindicatos que não retomarem o efetivo. A decisão foi em resposta à diretoria da Petrobras, que entrou com um dissídio coletivo de greve nesta segunda (03) contra os sindicalistas, alegando que a greve era abusiva.

Em entrevista ao GGN na manhã de hoje, a Comissão de Negociação Permanente informou que o objetivo da greve não é prejudicar as atividades da estatal e a produção de petróleo, o que segundo eles afetaria a população brasileira, e sim obter a garantia de acordos coletivos de trabalho que a Petrobras não estabeleceu desde o fechamento da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen) e as milhares demissões previstas.

O grupo ocupa uma das salas da sede da Petrobras, no centro do Rio, e reúne alguns dos porta-vozes da paralisação geral dos petroleiros.

O ministro do TST restringiu a multa aos sindicatos do Norte Fluminense, Bahia, Espírito Santo e da Federação Única dos Petroleiros (FUP). Outros sindicatos de menor porte sofreriam uma sanção de R$ 250 mil caso não cumpram com o fim da greve.

11 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Lâmpada

- 2020-02-05 13:09:51

Esse TFP FDP precisa é sair do armário.

euclides de oliveira pinto neto

- 2020-02-05 09:14:32

E um pilantra, servo escancarado do sistema !!! Já devia ter sido eliminado do tribunal !!! Os demais membros, acovardados, permitem que o TST seja uma parte do sistema intimidador !!! Justiça faz-de-conta !!!

- 2020-02-04 20:08:38

A coisa mais interessante desse golpe sem fim é ver os cornos, fdp, canallhas do direito, essa classe que tem pelo menos uns noventa por cento de gente da elite,mostrarem o quanto odeiam os pobres e principalmente os que os representam. Os outros poderes só tem santos quando comparados com essa gente.

Carlos Elisio

- 2020-02-04 20:00:13

Assistindo Inter x Univ Chile pela Libertadores. A camisa da Univ Chile tem estampada na frente o logo da Petrobras. Como normalmente o patrocinador master tem seu nome na frente da camisa, seria interessante saber como uma empresa taxada por vendilhoes como deficitária a ponto de fechar unidades, demitir funcionários e negar direitos, financia um time de futebol no Chile.

- 2020-02-04 19:57:12

Em 1980, em pleno governo Figueiredo, sem sindicato nem direito de greve os professores mais combativos do Ensino Público Federal entraram em greve, como os professores mais combativos eram geralmente os que tinham a maior carga de trabalho, no meu departamento de quase trinta professores um somente entrou em greve (EU), como a minha carga horária era quase 15% de toda a carga horária de todo o departamento, 15% entrou em greve e os demais pelo menos não atrapalharam. Tem que perder esta coisa de respeitar ministro do TST, em 1944 os operários do norte da Itália entraram em massa em greve, o governo era de Mussolini, ou seja, puro sangue fascista de origem, o que ocorreu, caiu o governo. Se os petroleiros forem frouxos tem mais que privatizar.

Edson J

- 2020-02-04 19:39:25

Opus "Dei". Precisa dizer mais?

José Murilo

- 2020-02-04 18:25:56

Greve é uma rutura com o estabelecido, portanto dane-se os juízes e afins. Grevista que tem valor é aquele que chuta o balde, se tiverem força vão em frente se não abaixem as calças e vão para casa.

Ugo

- 2020-02-04 17:03:26

Figurinha serviçal, um ministreco patético; colocou-se a disposição do temer e bolSOMARO para destruir o trabalho substitui-lo por uma neo escravatura, quer agora que os escravizados aplaudam e obedeçam.

Ugo

- 2020-02-04 17:00:42

Figurinha serviçal, um ministreco patético; colocou-se a disposição do temer e bolSOMARO para destruir o trabalho substitui-lo por uma neo escravatura, quer agora que os escravizados aplaudam e obedeçam.

Edivaldo Dias de Oliveira

- 2020-02-04 16:23:02

Por que esse FDP não multa o diretores da empresa que se recusam a sentar na mesa para negociar? Primeiro ele tinha que obrigar a direção a negociar e apresentar uma proposta aos representantes dos trabalhadores. Ao invés disso parte para cima das suas entidades de classe. Juíz safado.

primante oliveira pereira

- 2020-02-04 16:00:34

O Meritíssimo não determinou fim da greve, pois a reconhece como legal.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador