Bebê morre na Cidade de Deus após operação policial na comunidade

Em nota, RioSaúde diz que o bebê sofreu um trauma na cabeça; No momento em que Benjamin foi encontrado ferido, policiais atiravam nas proximidades

Benjamin morreu dentro de casa, após tiros de policiais, na Cidade de Deus Foto: Facebook / Reprodução

Jornal GGN – Um bebê de 1 mês foi encontrado ferido, nesta quarta-feira (31), por volta das 7h30, no quarto onde dormia na Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. No momento em que a mãe foi pegar a criança, acontecia nas imediações uma operação da Polícia Militar na comunidade.

Ao perceber que o bebê estava sangrando, a família correu para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Cidade de Deus, mas a criança não resistiu.

A família acredita que Benjamin foi atingida por uma bala perdida, mas, segundo informações do Jornal Extra, a RioSaúde, que administra a UPA, divulgou nota dizendo que os médicos apontam que o bebê sofreu um trauma na cabeça. O corpo foi enviado ao Instituto Médico-Legal para determinar a causa da morte.

No horário em que família diz que o bebê sofreu o ferimento, algumas pessoas usaram as redes sociais para falar sobre o som de tiros na comunidade:

“Caraca, acordei com o barulho dos tiros. Meu Deus!!! Que Deus proteja os moradores da CDD (Cidade de Deus)”, escreveu uma usuária do Twitter.

“Eu aqui no trabalho escutou os tiros na cdd como se fosse aqui na rua, ta (sic) louco”, disse outro internauta.

Em nota, a Secretaria de Estado da Polícia Militar disse que não houve entrada de feridos em unidades de saúde da região durante e após o momento em que, segundo a instituição, os policiais atuavam em uma “incursão na comunidade” que resultou no “confronto” com criminosos.

Leia também:  Com “Rouanet da segurança” empresários podem interferir na aplicação de recursos no RS

“A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informa que, no início da manhã desta quarta-feira (31/07), policiais militares do 18ºBPM (Jacarepaguá) atuaram na Cidade de Deus, na Zona Oeste da cidade do Rio. Durante incursão na comunidade, criminosos atiraram contra as equipes e houve confronto. Não houve prisões e apreensões. O batalhão foi informado que não houve entrada de feridos em unidades de saúde da região até o momento”, diz a nota.

“A mãe contou que, quando escutou os tiros, foi tirar ele do quarto para passar para o outro quarto onde é mais seguro. E nisso que ela pegou ele, ele já estava botando sangue pela boca e pelo nariz, estava sujo. Ele não teve uma queda”, disse uma amiga da família ao Jornal Extra.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome