Revista GGN

Assine

Xadrez da próxima prisão de Lula

Peça 1 - a instituição da prisão perpétua 


Sinal 1 - a prisão temporária de Guido Mantega e Antônio Palocci, depois convertida em prisão preventiva. Na prática, o juiz Sérgio Moro instituiu a prisão perpétua no país, com penas que começam a ser cumpridas mesmo antes da condenação.

José Dirceu, com mais de 70 anos, Palocci, com mais de 60, passaram pela prisão provisória, entraram na prisão preventiva e emendarão com a condenação final, com penas de 100 anos em um país em que parricídio e matricídio condenam a 15 anos de prisão.

Sinal 2 - O TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4a região) legitimando o Estado de Exceção na operação Lava Jato. 


Sinal 3 - o desmembramento da Lava Jato, com a aceitação da denúncia de Lula por corrupção e organização criminosa.


Sinal 4 - A aceitação do início do cumprimento da pena após sentença em 2a instância.

Tudo isso leva à Peça 2 do nosso xadrez.


Peça 2 - a prisão de Lula

Por todos esses indícios, paira sobre Lula a ameaça de prisão imediata.

Até algum tempo atrás julgava-se que o clamor popular seria tão intenso que ninguém ousaria testar.

No momento, o que mais a aliança midia-Lava Jato-Temer pretende são agitações populares, que possam justificar o aprofundamento do regime de exceção, desviando o foco dos fracassos políticos da junta golpista.


Haverá dois caminhos para Lula.


Um deles será buscar o asilo político em alguma embaixada e, fora do país, ter liberdade de ação para denunciar o regime de exceção instaurado.


O segundo caminho seria aceitar a prisão e transformar-se na reedição de Mandela. Pesa contra essa possibilidade a própria idade de Lula. Até que a democracia seja restabelecida, provavelmente não voltaria a ver a luz do dia.
Com as reações internas débeis à escalada do estado policial, o único obstáculo  às arbitrariedades serão as reações internacionais.


Peça 3 - os trânsfugas do lulismo


Uma das questões mais intrigantes desse jogo politico  tem sido a ira que Lula passou a despertar em personagens que são criaturas óbvias do lulismo, mesmo jamais tendo militância partidária.


É o caso do Procurador Geral da República Rodrigo Janot.

Antes da chegada de Lula, pertencia ao grupo dos Tuiuiús, de procuradores escanteados no Ministério Público Federal na era Geraldo Brindeiro. Reuniam-se toda sexta-feira em torno de uma mesa, com bons vinhos, tendo uma estátua de tuiuiú no meio, para lamentar a sorte.

Faziam parte Cláudio Fontelles, Antonio Fernando de Souza e Roberto Gurgel, futuros PGRs, mais Wagner Gonçalves, e o próprio Janot e o anfitrião Carlos Frederico Santos.
 Nenhum deles jamais teria ascendido ao poder se não fosse o lulismo.
 Sem espaço no MPF, outros grandes procuradores, como Eugënio Aragão e Joaquim Barbosa, recorriam a cursos no exterior.

O mesmo ocorreu com os Ministros Ayres Brito e Carmen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal. Suas indicações geraram críticas no meio jurídico, de quem não os via preparados para o cargo.


Ascendendo na hierarquia do MPF e do STF, pelas mãos do PT, aparentemente essas pessoas julgavam-se  autoridades de segunda classe, posto que da cota de um partido visto pelo establishment como de segunda classe.

Daí a enorme gana de abjurarem essa ligação incômoda, para passar da cozinha para a sala de estar da casa grande, limpando-se do pecado original.

É sintomático que, quando o grampo sobre Lula captou uma frase sua, lamentando a ingratidão de Janot, este tenha se apressado em declarar que devia seu cargo a ele próprio, ao concurso, não ao Lula. Conversa! Sem Lula, jamais teria chegado a PGR.
 Tornou-se PGR não por concurso público, mas por trabalho político junto aos líderes do PT, José Dirceu e José Genoino entre outros.

O mesmo novo-richismo acometeu  Ayres Brito. De juiz humilde do Sergipe tornou-se uma estrela, após presidir a AP 470 com a gana de um inquisidor. Em um encontro de uma seccional da OAB, sua esposa recusou o carro enviado para transporta-los, alegando não estar a altura de um Ministro do STF.


Peça 4 - o subdesenvolvimento institucional 
 

São mais que episódios reveladores de carácteres individuais. Não é norma prudencial tratar as pessoas como se a maioria fosse dotada de firmeza de caráter. Egoísmos, ambições pessoais, desejo de prosperidade são motores muito mais influenciadores de decisões pessoais do que apelos de ordem moral. E salve Fontelles, Aragão, Wagner Gonçalves e outros que não abjuraram mesmo quando o galo cantou pela terceira vez.

Mas quando ocorre a generalização das pequenas e grandes deslealdades, é porque o ambiente externo não mais atua como agente coordenador de decisões. E, decididamente, há um caráter nacional impregnando a política, através da mídia, no qual valores civilizatórios, como a democracia, o voto, os direitos individuais, não são  considerados. Somos decididamente um país atrasado.

Os erros do PT e a despolitização da disputa política ajudaram nessa dissolução das lealdades. Forneceu a muitos beneficiados o álibi para se afastar indignados dessa malta que manchou minha imagem. E toca a pular para o outro barco.

Mas só os erros não justificam. Dia desses conversava com um bravo cientista político que discorda do poder absoluto creditado à mídia. Esse poder decorre dos erros do governo, dizia ele, com toda razão. Mídia, Ministério Público, Judiciário ganham protagonismo quando a política falha. E exercem um papel claramente desestabilizador.

Analise-se o papel do TCU (Tribunal de Contas da União). Ganhou um protagonismo absurdo graças à reação de Dilma Rousseff no caso de Pasadena. O Ministro José Jorge forçava de todas as maneiras os técnicos do TCU a encontrar irregularidades na operação, em vão. De repente, cai no seu colo uma vendeta de Dilma contra o ex-presidente da Petrobras Sérgio Gabrieli, tratando como suspeitos intens convencionais de um acordo de acionistas. Não apenas criminalizou uma operação legítima, como conferiu ao TCU um poder absurdo que acabou se voltando contra ela.

Mesmo assim,  há algo de profundamente errado no modelo, quando exige, para seu funcionamento, governantes com dimensão de estadista. Um modelo que não é à prova de governantes frágeis, tem algo de errado. Tão errado que periodicamente corporações, mídia, grupos de influência testam crises políticas agudas, ao menor sinal de fraqueza do Executivo.

Depois da Constituição de 1988 ter sido estuprada, não se conseguirá sair dessas armadilhas institucionais sem uma nova constituição em um ponto qualquer do futuro. E não haverá como fugir de temas como o do enquadramento do MPF e das corporações públicas e formas de controles da mídia.

Média: 4.6 (83 votos)
201 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

imagem de Marcelo33
Marcelo33

Quem dera eles fossem

Quem dera eles fossem fascistas. Teriam um projeto torto de país, mas teriam. Teriamos mais tempo para resistir. Já a quadrilha atual não. Se esse golpe não for revertido em uns 5 anos, o país estará completamente morto. Os caras demoliram tudo e estão salgando a terra para que nunca mais nada floresça por aqui.

Eles são liberais autoritários latino-americanos. O Liberalismo autoritário latino-americano é a pior forma de governo que existe. Tem uma elite que se locupleta do estado como uma burocracia comunista, é autoritário e violento como um país fascista, e tem a preocupação 0 com o social e com a soberania do liberalismo.

 

Seu voto: Nenhum (31 votos)

E ainda teremos de aturar o

E ainda teremos de aturar o min. Barroso elogiando os avanços " civilizatórios" promovidos pela lava jato usando a prisao do Lula como a demonstração cabal da maturidade de nossa democracia.
Seria a chave de ouro de sua ideologia, depois do "avanço civilizatório" de seu voto pela prisão fast food em nome do cansaço do povo em relacao a mpunidade. O próximo avanço civilizatório será restabelecer a fogueira purificadora dos pecadores e o pelourinho para os negros fujões.

Seu voto: Nenhum (37 votos)

Cada vez que assistimos cada

Cada vez que assistimos cada passo que essa gente dá na ânsia de tentar prender o presidente Lula é que observamos quão grande foi nosso presidente.

A cada ato pequeno,mesquinho,a grandeza de nosso presidente aumenta.Ficará para história sua habilidade de ter navegado no meio dessa gente,golpista e pequena na sua essência,e conseguir fazer o país avançar como nunca na redução das desigualdes e do respeito mundial.

Agora,se essa gente acha que prender o presidente Lula será o auge ,a glória,podem ter certeza de uma coisa: Será o início de sua queda.

O que essa gente vem fazendo tem uma importância histórica inestimável. Ao destruir a democracia estão plantando a semente de um movimento revolucionário.

Todos aqueles que acreditavam em tranformações na sociedade sem rompimento institucional percebem agora que isto não é possível.

Essa gente sequer poderá reclamar de qualquer movimento revolucionário.Eles foram agentes  deste processo.

Viva os golpistas!

Seu voto: Nenhum (6 votos)

Simples assim!

 

 

Seu voto: Nenhum (48 votos)

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de Renato Castro
Renato Castro

Estão procurando o líder no lado errado

 

Lembro que lá atrás alguem disse que não era possível que um empreiteiro fosse corrupto apenas ao tratar com a Petrobras. A organização criminosa  é o governo de plantão ou o cartel de empresas? Quem perpetuou a corrupção ao longo dos governos desde a ditadura até os tempos atuais?  E qual é o órgão de Estado que audita todas essas licitações ao longo de todos os Governos? O TCU não deveria ser repensado tendo em vista que não cumpre o seu papel? Esse é o ponto mais grave e que deveria ser mexido para prevenir a corrupção. Empreiteiros e governos passam mas o TCU fica. O MPF abriu algum inquérito para investigar o TCU?

 

 Estão procurando o líder no lado errado. A Lava Jato já identificou o líder do Cartel. Ele já está em prisão domiciliar e autorizado pela justiça a trabalhar em sua própria empresa.   O correto ė investigar a fundo a Petrobras ou  investigar a fundo o Cartel? Porque se abandou essa linha de investigacao ? Investigando o Cartel que atua em todo o país , o resultado seria mais profícuo e imparcial . Assim não se jogaria na lama a Petrobras, apenas uma das vítimas.

Seu voto: Nenhum

muito bem lembrado

A bandidagem está organizada nos carteis de empresas. Perpassa todos os governos. Pode roubar mais nos governos petistas somente porque estes fizeram seu dever de aumentar o investimento público em infraestrutura estratégica.

E outra grande cretinice ocorre por parte dos advogados. Instruem seus clientes bandidos empresários a alegar que são chantageados pelos políticos para obter dinheiro. Se não tivessem uma indústria de controle de licitações tão bem azeitada os políticos tratariam de buscar financiamento em outro lugar.

Seu voto: Nenhum

WRamos

Os "juristas" foram deixados soltos demais

Lula e Dilma foram amadores ao extremo no trato de Polícia Federal, Ministério Público Federal, STF e STJ. Colhem os frutos das sementes ruins que resolveram germinar na seara jurídica. A montagem que Nassif escolheu para ilustrar o texto é pedagógica ao extremo!

Seu voto: Nenhum (2 votos)

"o mundo é um saco de merda se rasgando. não posso salvá-lo."

 

Lula está lidando com

Lula está lidando com instituições fora da lei pq manietadas pelo mercado sanguinario o mesmo q venceu na Libia....Iraque...e está tentando vencerva Siria....tendo escroques como Renan...Temer...Fhc...Serra...Temer...Cunha....Bolsonaro....Caiado et caterva não foram necessario para vencer essa guerra q ja durava alguns anos e estava deixando cansado o rebanho bovino ou seja o povo que, para ficar e feliz, votou nos seus amos....segue comentario no zap zap sobre o ciclo:

[7/10 23:51] Edilson Alves Fitterman: O Janot disse que não deve aos governos petistas o seu cargo. Que fez concurso. Nassif o desmentiu. Que ele deve sim porque pra ser nomeado Procurador Geral não se faz concurso. Faz lobby. Que ele Janot andou adulando José Dirceu e Genoino tentando ganhar a parada. Ele é sim um grande traidor e ingrato.
[8/10 00:08] SPIN - José Carlos Lima: Pilantrao
[8/10 00:16] SPIN - José Carlos Lima: So a esquerda ganhar no voto q a direita saca da cartola o discurso do mar de lama....e clama por republicanismo q passa longe quando ela direita eh eleita....Janot reza na cartilha da Globo....e como apontou nassif a Lava Jato como caricatura da maos limpas de Berlusconi pouparia os aliados da Globo....dai a opcao das organizacoes criminosas nao investigarem tucanos

Seu voto: Nenhum

 

...spin

 

 

Articulador

Lula preso não serve para nada. Cá, de minha muito humilde posição - que certametne não será considerada - acredito que melhor seria ele solto, no exílio, articulando uma das frentes de oposição. Escolha difícil a dele. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Henrique Finco

"não haverá como fugir de

"não haverá como fugir de temas como o do enquadramento do MPF e das corporações públicas e formas de controles da mídia."

O enquadramento do MPF existe, PT, Lula e Dilma que não quiseram se valer dele. Poderia muito bem ter colocado como PGR alguém que lhe servisse como Geraldo Brindeiro serviu a FHC... O enquadramento do MPF já está no sistema - vejamos quem Michel Temer colocará como PGR: claro que não será ninguém de lista corporativa emanada do órgão, mas sim alguém que não lhe tumultue a gestão.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

"o mundo é um saco de merda se rasgando. não posso salvá-lo."

 

imagem de jose adailton v ribeiro
jose adailton v ribeiro

O poder

A esquerda sempre será considerada de segunda classe.A esquerda representa o poder político do Estado e a direita o poder econômico capitalista, eis a explicação.As falhas morais, entre outras,  destes oponentes ideológicos trará como consequência o esgarçamento do tecido social. A mídia tradicional não deixará pedra sobre pedra. E tome previsões apocalípticas!

Seu voto: Nenhum
imagem de Fabio !
Fabio !

?

" o único obstáculo  às arbitrariedades serão as reações internacionais "

que não vieram até hoje - em protesto contra o golpe - e nunca virão , mesmo que ocorra a prisão de Lula . 

E de onde viriam essas pressões ? Qual liderança internacional , chefe de nação ou presidente de entidade protestou até agora , mesmo tendo sido todas as arbitrariedades cometidas até agora plenamente expostas ? 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Tambelli, João. De onde menos

Tambelli, João. De onde menos se espera, de uma forma inesperada. A forma que nossa sociedade está estruturada é muito frágil. Nos últimos 13 anos tivemos uma realidade que não condiz com a nossa sociedade. De castas, altamente concentrada, mal distribuída, mal educada, egoista. Fomos sustentados por um governo com boa vontade, bons planos, ajudados pelas comodities. Acabaram!!! O que vem agora é a barbárie, instinto de um povo sem nenhuma noção de nação e cidadania. Infelizmente somos isso aí que estamos vendo.  Não esqueca que temos Pcc, milícias, tráficos de todo tipo.

O que virá de uma forma avassaladora e arrastará a todos não necessariamente é o que gostaríamos que fosse. Nem por quem gostaríamos que fosse. Por isso não quero estar aqui, nem minha família.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Danilo Pro

Minha homenagem a um grande

Minha homenagem a um grande bresileiro

Presidente, vai embora do país. Suas qualidades humanitárias o qualificam para trabalhar em qualquer agência ou instituição de combate a fome, a desigualdade e a miséria no mundo. O Brasil de hoje não esta a altura do senhor. Acredite presidente: a hora que o senhor for preso haverá comemoração no Brasil inteiro.

E como o senhor gosta de contar histórias vou te contar algumas histórias. Começo com a que se passou comigo na semana passada. Eu tenho uma micro empresa de peças de vassoura. Estava esperando para carregar uma carga de plástico reclicado em Jaú e o motorista que chegou e também tinha que esperar, puxou conversa:

- As coisas estão ruim, não?

- Estão e vão ficar piores porque o governo que está aí vai reduzir salários e consequentemente reduzir o consumo, respondi. Fora o descaso com que esta sendo tratado a questão do desemprego.

- O Lula acabou com o Brasil, ele retrucou

- Não, eu disse. O Lula projetou o Brasil, aumentou os salários consequentemente expandindo o consumo e permitindo que empresas como a minha crescessem.

- Como? O Lula é um ladrão, ele respondeu. E você nem tente defender o Lula perto da polícia porque vai presa porque é corrupta como ele. E quer saber, eu vou sair daqui porque não converso com pessoas do seu tipo.

Agora vou relatar as outras conversas que tive sobre o senhor. Essas fora do país. No ano passado eu estive na Argentina e no saguão de um hotel em El Calafate entrei em conversa com um grupo de argentinos de classe média. Todos, presidente, todos eles manifestaram admiração pelo excepcional presidente que o senhor foi e que segundo eles, colocou o Brasil em condição muito superior a Argentina e como um dos grandes países do mundo.

Outros episódios ocorreram em março passado quando eu estava na Itália e o senhor foi preso. Diversas pessoas com quem eu cruzei me perguntaram o que estava acontecendo no Brasil. Eles não foram envenenados pela mídia brasileira e não conseguiam entender como se prendia, a troco de nada, um líder como o senhor. Isso aconteceu com três estrangeiros: um catalão na estação de Pompéia, uma dona de casa residente numa aldeiazinha chamada Casaleto Spartano, que fica no meio dos Apeninos, onde eu estive visitando conhecidos. O outro episódio eu não participei, só assisti num café de Siena. Acredite que eu vi um italiano perguntando o que estava acontecendo com um líder como o senhor enquanto um brasileiro que o chamava de bandido.

O Darcy Ribeiro dizia, presidente Lula, que suas derrotas na vida; onde se incluiam a salvação dos indios brasileiros, a escolarização das crianças, a reforma agrária, o socialismo em liberdade, a universidade necessária; eram suas vitórias. "Horrivel, dizia Darcy, seria ter ficado ao lado dos que me venceram nessas batalhas".

Momentaneamente o senhor está sendo vencido, mas a guerra o senhor já ganhou. A guerra da história, a guerra dos que não cometem o pecado moderno da indiferença com a fome, a doença e exploração humana, como recentemente se referiu o Papa Francisco. E é por isso, presidente, que o senhor tem que trabalhar também para outros povos que o reconhecem como o ser humano excepcional que o senhor é.

Uma boa parte dos brasileiros agem atualmente como no mito grego de Prometeu. No mito, Prometeu rouba a luz de Zeus para entregar aos homens e esse o acorrenta e o condena a ter o fígado bicado por uma águia todos os dias. Prometeu era um gigante e via lá em baixo o povo festejando, indiferente ao seu sofrimento. Mas aquilo não durou para sempre. O herói Hércules veio e o libertou.

Não se deixe acorrentar pelos que o perseguem agora, presidente. Talvez o senhor seja mais útil ao Brasil lá fora do que neste país que, momentaneamente, foi tomado por homens públicos que tem a altura dos humanos visto lá do alto pelo herói Prometeu.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Vera Lucia Venturini

imagem de MateusDomingues
MateusDomingues

Até poucas semanas atrás, eu

Até poucas semanas atrás, eu jurava que uma eventual prisão de Lula jamais teria lugar. Hoje isso parece inevitável. Eu também, até o fatídico dia 17 de abril último, considerava impossível uma destituição da presidenta Dilma Rousseff e o mesmo se efetivou. A contestação da reeleição da presidenta Dilma por Aécio Neves e pelo PSDB e a eleição de Eduardo Cunha como presidente da Câmara dos Deputados, tudo isso significou que os limites do razoável já não existiam mais. Ademais, há o perigosíssimo antecedente de injustiças perpetradas no julgamento da AP470, um prenúncio de que a garantia de direitos civis não era um bem absoluto no Brasil.

Eu julgava impossível uma eventual prisão de Lula por dois motivos:

1) A celebridade internacional de Lula. Trata-se do sindicalista melhor sucedido da história. Respeitado nas esquerdas do mundo inteiro, do Partido Comunista chinês a Nelson Mandela, de Fidel Castro ao Partido Trabalhista britânico, como um caso de sucesso em um país difícil e complicado como é o Brasil; Lula também é admirado e respeitado no mundo como símbolo do combate à fome e à miseria. Até dois anos atrás Lula era cotado para ser secretário-geral da ONU. Unanimidade internacional, mesmo para a direita, pois Lula se destacou como se destacou dentro da ordem e como guardião da ordem.

2) Lula é um mito no Brasil. Uma eventual prisão de Lula poderia implicar graves manifestações de rua ou mesmo em uma guerra civil.

Quanto ao primeiro ponto: Lula ainda continua sendo respeitado e admirado internacionalmente. Digo isso por experiência própria. No meu mestrado na USP fiz estágio de pesquisa no IFAO (Instituto Francês de Arqueologia Oriental) no Cairo e, agora no doutorado, devo em breve ir a Montréal (Universidade McGill) para fazer outro estágio de pesquisa. Minha experiência internacional é pequena, mas convivi e mantenho amizades com pessoas de elevado nível acadêmico e que obtiveram a melhor formação possível em seus respectivos países; mesmo entre os mais politizados e que posso chamar "de esquerda", os acontecimentos que se sucederam ao último dia 4 de março (principalmente a não efetivação de Lula como chefe da casa civil e ministro de Estado) colocaram um grande ponto de interrogação sobre a trajetória de Lula. Para quem não conhece suficientemente o Brasil, agora há a interrogação. Da mesma maneira, entre os europeus é que o mito Lula foi maior. Entre os mesmos europeus, porém, sempre houve certa desconfiança contra o que eles (a meu ver, de maneira demasiadamente pretensiosa e cheia de clichés colonialistas) classificam como populismos latino-americanos. Lula e o PT foram vistos como algo diferente e mais civilizado que o populismo latino-americano. Agora, grosso modo, consideram tudo a mesma coisa. Então, uma provável prisão de Lula causará consternação e chamará a atenção do mundo. Mas demorará anos para a farsa ser desmascarada internacionalmente. A pergunta que fica na cabeça de meus amigos gringos que não conhecem suficientemente o Brasil é a seguinte: mas o Brasil não é um Estado de direito? Vai demorar alguns anos para demonstrar que, se um dia já foi, já não é mais. Outra pergunta que fica: o PT não ficou 13 anos e meio no governo? É difícil explicar a série de erros estratégicos que o PT cometeu e que mesmo vencendo 4 eleições presidenciais consecutivas, o PT nunca fez parte do establishment. Por isso, no momento atual, uma prisão de Lula não contaria com uma oposição internacional unânime.

É verdade que Lula é um homem muito bem relacionado. Lula fez amizades sinceras com dezenas de líderes globais, talvez centenas, de gente que vai do Bush ou Sarkozy ao Bono Vox. Lula é ainda muito mais valioso para as esquerdas de todas as colorações, ele é uma lenda viva para todos os dirigentes de partidos de esquerda, desde os comunistas até a centro-esquerda socialdemocrata europeia e os ativistas pelos direitos das minorias nos EUA. Ademais, os diferentes países têm bons diplomatas no Brasil. Há ótimos jornalistas e correspondentes internacionais trabalhando no Brasil. Quem acompanha de perto sabe da farsa que está acontecendo. Mas o que se pode fazer, efetivamente? Hoje, infelizmente, não é nem a ideologia nem os valores de cunho ético que guiam as relações entre países. É o mercado, é a economia. O presidente francês e o primeiro-ministro italiano manifestaram sua amizade por Lula e sua total confiança nele. O primeiro-ministro italiano foi mais longe e classificou o que o Brasil está passando de ruptura institucional. Mas o que a Itália e França fizeram? Nada, absolutamente nada. Há muitos negócios envolvidos, e negócios são maiores e mais importantes do que amizade entre líderes internacionais. O presidente do Uruguai é próximo de Lula e Dilma. Frente o golpe, o que ele fez? Nada. E também não podia ser diferente: Argentina e Brasil mudaram de lado e estão sufocando de todas as maneiras o pequeno Uruguai. Ao menos, o Uruguai vem se abstendo nas decisões que toca o Mercosul e Unasul e o presidente uruguaio encarregou Mujica de defender Lula, Dilma e o PT. E a presidenta do Chile, o que faz? Ela faz a distinção: como presidenta do Chile não faz nada ("isso é assunto interno do Brasi") e como mulher, pessoa física, presta solidariedade a Lula, Dilma e PT. Se não tomar cuidado, a presidenta chilena pode ser a próxima vítima de um golpe de Estado frio e branco. E o presidente colombiano? Ele não é nem nunca foi nenhum homem de esquerda, mas rompeu com Uribe e a direita mais reacionária para normalizar as relações com a Venezuela e chegar a um acordo de paz com as FARC. Para essa mudança repentina que ele fez, o Brasil foi fundamental. O presidente colombiano nunca escondeu sua gratidão a Lula e a Dilma. Mas o que ele pode fazer por Lula e pelo Brasil? Nada, ele não consegue nem mesmo aprovar o acordo de paz em seu país.

Lula acertou em apelar para a ONU. No entanto, se um provável ganho de caso acontecer nas Nações Unidas, isso não significará grande coisa no Brasil. Se por algum milagre, Lula não for preso, provavelmente ele não estará vivo em 2018.

Quanto ao segundo ponto, imaginava-se que uma vez que o golpe fosse efetuado, haveria resistência nas ruas. Houve resistência, está acontecendo ainda, é verdade. Mas é completamente insignificante! O que garante que uma prisão de Lula trará forte comoção social? 2016 não é 1954; a internet e a velocidade de comunicações potencializaram a alienação. Há uma enorme apatia e total indiferenças, completamente generalizadas, em todo o Brasil. Nassif matou a charada: mesmo que houvesse resistência e isso trouxesse consigo reações violentas, isso seria uma ótima desculpa para trazer os militares e endurecer o regime --- quem sabe até suspender as próximas eleições ou editar uma nova Constituição. Então se Lula for preso, das duas uma: não haverá resistência devido a apatia e a indiferença reinantes, e a falta de resistência será outro argumento para legitimar o golpe e proclamar para Deus e o mundo que o lulismo morreu e que PT e toda a esquerda foram um erro que precisa ser esquecido, em um processo de revisionismo histórico em que se busca tirar da memória nacional os últimos trezes anos (ou mesmo os últimos 28 anos); ou haverá forte oposição de diferentes setores da sociedade, o que certamente trará consigo derramamento de sangue e insegurança, uma ótima desculpa para endurecer o regime e justificar a falência e a dissoluação da Nova República.

Quanto ao ex-presidente Lula, não sei o que seria melhor. Lula tem um caráter heróico, provavelmente prefira ficar para ser preso. A questão é que sua esposa provavelmente também será condenada à prisão perpétua; seus filhos, netos e sobrinhos vão ter que pagar muito dinheiro, somas milionárias e ficarão sem nenhum bem nem nenhuma renda. Outra questão é se Lula teria condições de sair do Brasil e levar consigo toda a sua família, tendo a consciência que, em caso de exílio, provavelmente nunca mais retornará ao Brasil. A questão é, pois, se Lula prefere morrer no Brasil, mas encarcerado (e provavelmente sabendo que sua esposa também estará presa), ou se prefere passar os últimos anos de sua vida livre, mas exilado e sem perspectiva de retorno ao Brasil.

O que vale para Lula também vale para Dilma. E pode valer para todos os ministros do PT, do PCdoB ou de qualquer partido que passaram pelo governo federal e que não aderiram ao golpe, assim como para todos os governadores e ex-governadores de Estado que não aderirem à nova ordem. Se tal tragédia assim continuar, junto com os políticos serão os blogueiros e, finalmente, nós todos.

Afinal, se o domínio de fato vale para Lula, por que não poderia valer para os que o reelegeram em 2006 ou para os que reelegeram Dilma em 2014? Somos todos sócios da mesma organização criminosa.

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Li de Brusque
Li de Brusque

Acho que os comentaristas e o

Acho que os comentaristas e o próprio Nassif tem de parar e colocar a cabeça no lugar.

Sair por aí acusando a tudo e a todos de golpistas, conspiradores, nazistas, facistas, etc não leva a lugar nenhum.

Vejam o STF. Somente 2 ministros não foram indicados por Lula e Dila, e vocês os acusam, sem o menor pudor de serem conspiradores golpistas?

A troco do que?

No início o STF deu mostras que iriam tomar as rédeas do impeachment e dos processos contra o Lula.

Mas logo depois houve uma reviravolta e o STF recuou, inclusive o seu presidente e considerado franco Lulista, Lewandowisk.

O que aconteceu? Foram cooptados pelos conspiradores golpistas, ou tiveram informações privilegiadas dos bastidores indicando que as notícias aterradoras a respeito da corrupção do governo eram verdadeiras?

O que nós sabemos não é nada comparado a que os Ministros do STF sabem.

Agora tem de se decidir no que acreditam:

1- Que o STF foi cooptado pelos golpistas e participam ativamente da conspiração para colocar Lula na cadeia.

2- Viram estarrecidos que há muita coisa, muitas provas, muitas delações e que a culpa do Lula nessa corrupção vai acabar aparecendo?

Vocês partem de uma premissa básica: Lula é inocente e todos são conspiradores golpistas.

Mas e se essa premissa estiver errada? E se o Lula for mesmo culpado?

 

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Arthemisia
Arthemisia

O problema não é Lula ser

O problema não é Lula ser culpado ou não;  o problema é o sistema judicial escolher apenas um partido e sua liderança para condenar. Culpado o PMDB também é é réu confesso, como prova a gravação de Jucá. Quando o sistema judicial faz essa escolha sem ter procuração nossa para isso, significa que tem interesse outros. O PP é o partido com o maior número de investigados e eles estão todos livres votando no Congresso o aumento do judiciário e a venda do nosso patrimônio. A propósito, você sabe o nome de algum deles? Reconheceria algum deles na dispara xinga-li de ladrao e corrupto? Duvido, pois o sistema judicial e a mídia não lhe permitiram fazer isso. Se Lula pode ser desonesto, e pode, qualquer ministro do STF também pode, ou não? Por isso falamos em estado de exceção, porque estão criando regras de aplicação seletiva. Isso está mais escancarado do que a corrupção do PT. 

Seu voto: Nenhum
imagem de Eduardo Outro
Eduardo Outro

Já foi respondido pelo

Já foi respondido pelo Nassif, mas não fiquei  satisfeito. Você leu a peça 3 do xadrez? Lá está a resposta à sua surpresa de os Ministros terem sido nomeados por Lula/Dilma e assim agirem, melhor, trairem. E por ora, só uma pessoa pode ter a certeza de que Lula é inocente, ele próprio. E ele diz que é. E até pouco tempo, quando vivíamos num Estado de Direito, dizia-se que todos são inocentes até prova em contrário. E essa prova em contrário não apareceu, não aparece e talvez nunca apareça. Que nos mostrem e comprovem a propina que ele recebeu, a conta que tem na Suiça, a posse de sua mansão no Guarujá e do iate que aporta no Rio Atibaia, que eu garanto que a totalidade dos comentaristas deste blog apoiará a aplaudira a prisão. Por esse motivo, o não ter conseguido qualquer prova, o Estado de Exceção de hoje, diz que ele é culpado até que prove ser inocente. É isso, arrogância minha, mas respondi melhor do que o Nassif.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Você tem razão. Inocentes são

Você tem razão. Inocentes são todos os políticos do Psdb e o grandioso Michel Temer. O Gilmar até já livrou o Aécio! Já o Anastasia foi inocentado pelo Teori. A  inocencia de todos os políticos da direita esta garantida  pelos guardiões da lei, ministros imparciais do STF. E Lula, de esquerda, inaugurou a corrupção no Brasil.

E você tem a inocência de Marcela Temer. Purinha, purinha.

Seu voto: Nenhum (9 votos)

Vera Lucia Venturini

imagem de Manu Guitars
Manu Guitars

RE

Resposta à pergunta 1-Foram omissos pela simples razão que em quaquer democracia digna desse nome, não se depõem presidente, isso não existe em nenhum pais democratico .

Resposta a pergunta 2-Foram omissos pela simples razão que em quaquer democracia digna desse nome, não se depõem presidente, isso não existe em nenhum pais democratico.

Resposta a pergunta 3-A culpa do Lula ou a não culpa do Lula, no momento para min, nào vem ao caso, o que vem ao caso é: em quaquer democracia digna desse nome, não se depõem presidente, isso não existe em nenhum pais democratico.

Resposta a pergunta 4-A culpa do Lula ou a não culpa do Lula, no momento para min, nào vem ao caso, o que vem ao caso é: em quaquer democracia digna desse nome, não se depõem presidente, isso não existe em nenhum pais democratico.

Resposta a pergunta 5-A culpa do Lula ou a não culpa do Lula, no momento para min, nào vem ao caso, o que vem ao caso é: em quaquer democracia digna desse nome, não se depõem presidente, isso não existe em nenhum pais democratico.

Resposta a pergunta 8345- em quaquer democracia digna desse nome, não se depõem presidente, isso não existe em nenhum pais democratico.

Talvez repetindo bastante, acabe apredendo que em quaquer democracia digna desse nome, não se depõem presidente, isso não existe em nenhum pais democratico.(peço mil perdões pelo negrito)

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Prezada, duas coisas: 1. Se é

Prezada, duas coisas:

1. Se é culpado ou não, não se sabe. Se aparecer, que seja julgado e condenado. O que não é possível é a sequencia infindável de inquéritos abertos sem ter apontado até agora uma prova concreta. 

2. O efeito-mídia provocando o efeito manada é o fator que intimidou os MInistros, que são humanos e têm medo de campanhas difamatórias.

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de Li de Brusque
Li de Brusque

2 pesos e duas medidas

2 pesos e duas medidas Nassif.

No governo FHC ele era o responsável por tudo, nenhuma prova se faz necessária, inclusive ser proprietário daquele apartamento em Paris.

No governo Lula ele nunca sabe de nada e nunca é responsável por nada.

E sobre os Ministros, todos agora são medrosos e pusilânimes sem caráter? 

Ministro do Supremo com meda da opinião pública?

Inventa outra.

Um ou dois pode até ser, mas os 9 indicados por Lula e Dilma? Tenha Santa paciência.

Até o Jô Soares já abandonou o barco do Eu não sabia.

 

Seu voto: Nenhum (7 votos)
imagem de Cristiane N. Vieira
Cristiane N. Vieira

Qual democracia?

1 - Pra variar, xadrez quase perfeito.
Folheei ontem e pretendo ler com calma o texto “Qual democracia?”, de Norberto Bobbio. Impressionante como ele aponta, à primeira vista, elementos presentes na nossa crise atual e talvez possa nos indicar caminhos de reflexão, independente de concordância com seus pressupostos ou das diferenças temporais entre a escrita do texto e nossa banguela civilizatória e mesmo da diversidade histórica entre Brasil e Itália, cujas relações pela colonização e influência no movimento operário e no pensamento de esquerda, em especial no eixo sul-sudeste, líder da desestabilização antidemocrática atual, por outro lado, nos aproximam. Além delas, talvez o fascismo originalmente ítalo que nos revisita periodicamente justifique a ressonância.
Um ponto crucial pra ele é a qualidade moral* da sociedade e de seus representantes políticos visto que considera o modelo democrático paradoxal e delicado pra depender apenas ou excessivamente de questões institucionais - burocráticas, jurídicas e legislativas; como se a vitalidade social fosse o “freio e contrapeso” elegível pra orientar os melhores caminhos da democracia e garantir sua realização satisfatória.

Repito aqui o que já disse em outras oportunidades sobre a responsabilidade social pelo baixíssimo nível das casas e instituições políticas nas últimas décadas: o fazer político - sindical, partidário e principalmente cívico, do cidadão na sua lida social e mesmo familiar e pessoal - não informou ou se refletiu legitimamente na disputa político-eleitoral nesse período, salvo exceções que confirmam a regra, talvez vítima da difamação, parcialmente válida, do que se entende por Política, do esgotamento de caminhos e descarte prematuro de possibilidades, do cansaço de alguns (ou muitos), da mudança geracional que deixou um vácuo na militância, agora rediviva, e da burocratização generalizada que esterilizou iniciativas e pulverizou setores mais atuantes em momento de aprendizado do exercício do poder pelas esquerdas, que ainda não sabem como organizar suas divergências de modo criativo, producente e não autofágico, agora que estão todas na oposição ao desgoverno, e quando em situações contrárias, esqueceram suas origens comuns. Pessoas técnica e moralmente aptas se distanciaram da política institucional e mesmo da burocracia estatal, ou de seus postos chave, deixando espaço e poder aos “profissionais do interesse próprio, corporativo e comercial” (por que Eugênio Aragão, renunciando a si mesmo e preterindo colegas como a procuradora Ela, e outros viabilizaram Janot? Ingenuidade? Triunfo de qual política? Aqui não faço condenação pois sei por experiência que as pessoas são surpreendentemente traiçoeiras e que proximidade ideológica, principalmente quando dissimulada, ou afetiva pela convivência, obnubilam juízos e decisões, quanto melhores as intenções, que ultimamente têm superlotado o inferno…). A ideia de que política é pra raposas e pra profissionais da lábia - muitas críticas que se fazem à presidenta eleita pelo voto popular, Dilma Rousseff, que exageram sua suposta inabilidade política ou falta de oratória de palanque sugerem uma visão da Política como espaço para “espertos” negociantes e “oradores com canto de sereia” e não pra pluralidade de representação da sociedade e de seus anseios, sendo a coerência e a honestidade quase atestado de insensatez no meio do galinheiro deixado às piores raposas.
A política é retrato da sociedade, esta platitude em seu aspecto negativo nos revela que é a sociedade mundial que está doente (quem diria, até na Bélgica houve manifestação contra cortes de direitos! E o vilão de lá é xará do nosso…**), e a pandemia conservadora grotesca apoiada pelas próprias vítimas, também em alguns outros países, é risco sanitário fatal à saúde pública social porque os mecanismos de defesa estão seriamente comprometidos por uma imprensa e meios de comunicação e entretenimento que anestesiam o raciocínio, manipulam ou inibem mobilizações (os resultados eleitorais são a prova inconteste de seu poder), convencem por hipnotismo que inimigos do povo são seus aliados e vice-versa, corroem a sensibilidade e contaminam a formação de convicção.
A esta altura será possível que o veneno vire antídoto e as vacinas estejam a caminho? Recentemente apenas as ocupações estudantis contra “reformas” e corte de direitos parecem receber credibilidade da sociedade a ponto de surtirem efeitos, ainda que localizados. Interesses eleitoreiros serão superados por uma visão mais estratégica e orgânica que recupere não apenas o poder de fato mas o espaço simbólico? Tenho apenas algumas sobras de esperança, retalhos de perguntas e muita necessidade de acreditar que a resistência progressista vai reagir como a imunidade de um corpo severamente atacado que descobre o amor à vida nas condições mais precárias.
Sugiro a leitura do texto do Paulo Moreira Leite, no link

http://www.brasil247.com/pt/blog/paulomoreiraleite/259082/PT-pode-renasc...

Algumas palavras do Bobbio, em copyleft:

“ Se a política não servisse para melhorar a condição humana, seria pura expressão de poder. Não interessaria minimamente nem a mim nem a vocês. O que nos move à vida política, não obstante as desilusões, as amarguras, os cansaços cotidianos, é a consciência de que a política não é apenas intriga e espírito de domínio. Não perdemos todas as esperanças de que a política sirva também à justiça, a combater a arrogância do mais rico, a resistir à prepotência do mais forte, a mortificar a libido dominante, e não apenas, como se crê, a excita-la.” (pág. 40)
“ Dirijo-me aos jovens porque são jovens os que me convidaram. A eles digo que não vejo tarefa mais elevada, hoje no mundo, do que a realização, no nosso país e nos países mais atrasados (sic), do ideal democrático. É um ideal que tem atrás de si toda a parte melhor da história do homem (sic) e tem diante de si a possibilidade de realizar aquela direção do desenvolvimento histórico pela qual a nossa história é história de homens e não das “bestas” de que fala Vico. Por isso, concluindo, lhes digo: qual fé? A fé na democracia. Qual democracia? A democracia como ideal de igualdade e tarefa de justiça.” (pág. 41). ( In Qual democracia?, Bobbio, Norberto. Tradução de Marcelo Perine. Edições Loyola, 2010.)

*no melhor sentido, oposto ao falso moralismo de ocasião da hipocrisia pandêmica que arrisca virar mutação genética no século XXI tamanha desmobilização e cooptação do sistema imune social (a consciência mínima sobre justiça entre as próprias vítimas potenciais) pela fábrica de lobotomia chamada “meios de comunicação de massa”.

** “ "Este governo é o mais antissocial destes últimos 30 anos", denunciou o presidente do sindicato FGTB, Rudy de Leeuw, no início da manifestação.”
“Esta organização sindical de tendência socialista, assim como o sindicato de cunho liberal CGSLB, estimam que os dois anos de governo de Michel se resumem em "uma proteção social reduzida, trabalhar mais e mais tempo por menos e de maneira cada vez mais flexível", assim como na "distribuição de presentes às grandes fortunas e às empresas". “ (em “Estado de Minas”, “Milhares de manifestantes na Bélgica contra medidas econômicas do governo, postado em 29/09/2016 09:52”, http://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2016/09/29/interna_intern..., consulta em 07/10/2016).

2 - Comunicação pública de massa, progressista e plural, é uma necessidade vital, essa constatação, confirmada em mais de um post recentemente, precisa de atitudes ou tentativas que aglutinem tanta demanda reprimida.
Nassif, quanto custa a aquisição de uma emissora de tv e outra de rádio, abertas?
Acho que já existe financiamento coletivo latente à espera de uma iniciativa desse porte, que poderia ser um pool de transmissão do conteúdo produzido pelos blogs e sites progressistas, com o apoio luxuoso de jornalistas guerreiros ainda na mídia chapa bege. Um comentarista sugeriu ao Trajano iniciar um blog de esportes, vou além: com a experiência dele na criação da ex emissora, poderia desenhar com você, que além de jornalista tem o tino financeiro-comercial, e com a Tereza Cruvinel, primeira presidenta da moribunda EBC, uma possibilidade de inserção no covil do inimigo. Tem também o Franklin Martins, o PHA, o Mino Carta, todos com alguma experiência em tv aberta em grandes emissoras. “Sonhar não custa nada”, e quando dele depende o futuro de tanta gente, o que estamos esperando? que a Globotomia e a FAlha se convertam? Mãos à obra e contem conosco.

3 - "Lula vale a Luta!" Ciro Gomes, conto que cumpra seu compromisso de resgatar nosso líder-icone do poder popular das garras desses homens de toga das trevas.

SP, 07/10/2016 - 16:25

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de saulogeo
saulogeo

Quem sabe....

O FHC não emprestaria o "apartamento" lá de Paris?

Por falar em FHC, triste é o papel do PSDB na atual cena política nacional. De protagonista, nos "bons tempos", a coadjuvante no golpe e recebendo a cobertura da mídia e do judiciário para que seus ilícitos não sejam devidamente apurados e julgados.

Com a vitória de Dória e Alckmin, caminha para uma guerra fraticida, sem ganhadores, até 2018. A única coisa boa nesta história é a de que, para vencer o embate, será inevitável o fogo amigo e expor as maracutais do adversário. Única forma de saber dos trambiques do partido, porque se depender da imprensa  e do judiciário.......

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)

>>Tragédia brasileira: por que acabar com CEUs do PT<<

>>Rapidinha da tragédia brasileira: por que acabar com CEUs do PT era imperativo, por Romulus<<
 ROMULUS
 SEX, 07/10/2016 - 15:23

*   *   *

(i) Acompanhe-me no Facebook:

Romulus

*

(ii) No Twitter:

@rommulus_

*

(iii) E, claro, aqui no GGN: Blog de Romulus

*

Quando perguntei, uma deputada suíça se definiu em um jantar como "uma esquerdista que sabe fazer conta". Poucas palavras que dizem bastante coisa. Adotei para mim também.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Julio Capote Valente
Julio Capote Valente

O PT precisa se renovar. É

O PT precisa se renovar. É necessário acabar com essa coisa de Lula, Lula e Lula.

Desde a redemocratização, o PSDB teve 5 candidatos à presidência, mas no PT é só Lula e depois, por força das circunstâncias, a Dilma.

Agora falam novamente em Lula 2018.

O partido precisa de gente nova e precisa incentivar novas lideranças. Caso contrário, o PT define e acaba.

Seu voto: Nenhum (12 votos)

5 candidatos do psdb que

5 candidatos do psdb que somados são iguais a unha encravada de Lula. Que é importante a renovação, o é, mas não se trata disso que se cuida o post.

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Julio Capote Valente
Julio Capote Valente

Mario Covas foi um grande

Mario Covas foi um grande político e líder.

Essa idolatração messiânica ao Lula faz um tremendo mal ao Pt e a esquerda. Lula tem qualidades e defeitos como todos nós.

A grande questão é que ele não larga e osso e o PT pode ir pro ralo muito rapidamente porque não se renovou.

Quanto ao assunto do post, acho que esse espaço é bastante democrático pra que as pessoas possam comentar livremente o que pensam a respeito do bem entenderem. Não será você que vai obstar minhas opiniões.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Cláudio Alves
Cláudio Alves

Xadrez da próxima prisão do Lula

Até ontem, este era um país com futuro brilhante, com uma sociedade quase decente. Agora transformou-se numa pocilga fétida. Fico pensando aonde erramos. E você, Lula, trate de escafeder-se antes que o coloquem nas masmorras de Curitiba. Como entender condenações como a de Genoíno? Esse país atual, comandado pelos menininhos criados com a avó e que vestem camisas negras como suas almas não o perdoaram por tentar fazer do Brasil um país mais justo.

 

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de dite
dite

10 medidas contra a corrupção

Boa tarde!

 

 Sempre leio os artigos e comentários dos blogs progressitas sem me manifestar. Lendo essa matéria sobre a instauração da prisão perpétua em nosso país tenho algo a repassar sobre as 10 medidas contra a corrupção que o grupo jurídico de Curitiba tem anunciado e vem fazendo campanha. É sobre um vídeo que vem sendo repassado nas redes sociais (recebi-o via whatts) onde artistas globais "explicam" as 10 medidas para o público, abordando, não as medidas, mas as "vantagens" delas como se fossem as próprias, e muita gente está acreditando. Isso é perigoso e acredito que estão esperando essas medidas serem aprovadas (para isso estão cooptando o apoio popular) para poderem enquadrar Lula, sem precisar de apresentar provas concretas, bastando convicções e indícios.

Infelizmente não estou conseguindo postar o vídeo, mas os artistas vestem uma camiseta branca com os dizeres: "Eu luto pelas 10 medidas", acima dos dizeres 2 mãos abertas mostrando os 10 dedos.

Enquanto essa campanha de apoio às 10 medidas está correndo Brasil afora, todo o turbilhão de acontecimentos, artigos, denúncias, etc, veiculados nas mídias (corporativas e/ou progresistas), irão servir para desviar o foco da quase certa aprovação das injustas medidas.

 

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Contra ataque

Tem esse vídeo muito bom do excelente site Justificando:

https://www.youtube.com/watch?v=QT2cBPp2qmI

 

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de GalileoGalilei
GalileoGalilei

(Sem título)

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Aroeira: STF de Choque

Choque.jpg

Seu voto: Nenhum (3 votos)

o poder do jornalismo

nassif, meus parabéns!

ótimo trabalho, como sempre e cada vez mais.

acho q vc já percebeu a massa q se reune por aqui, cada vez mais e mais em número e crítica.

 

Bravos permanecem ao lado dos justos. Aos canalhas restarão os covardes.

Sigamos atentos e fortes.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Pedro Augusto Pinho
Pedro Augusto Pinho

DESEJO DO ATRASO

DESEJO DO ATRASO

Com a tradução brasileira, em 2011, da versão editada nos Estados Unidos da América (EUA) com o mesmo nome (A Ética da Autenticidade), de The Malaise of Modernity (1992) de Charles Taylor, filósofo canadense, fiz uma releitura desta obra, que reporto neste artigo.
Taylor ficou mais conhecido fora das fronteiras canadenses, onde teve militância política socialdemocrática e conservadora, e angloamericanas pela obra, de 1989, As Fontes do Self.
Na obra ora em questão, Taylor enumera três fatores de desconforto da modernidade: o individualismo, a razão instrumental e a consequência destes para a vida política.
O primeiro – individualismo – decorre da responsabilidade do indivíduo vivendo no regime democrático.
Na escravidão ou na sujeição colonial, as pessoas estavam “fixadas em lugar determinado”, desempenhavam papéis pré definidos, em um estrato imutável onde era “quase impensável se desviar”. Qualquer passo de liberdade era severamente reprimido, quer pela representação do divino quer pelo representante do poder terreno. Diz Taylor: “a liberdade moderna surgiu pelo descrédito de tais ordens”.
E, ao conquistarmos esta liberdade, assumimos o “desconforto” da responsabilidade e, em alguns casos, a ambivalência em sentimentos e comportamentos livres. Este fenômeno psicológico ou sociopsicológico ganha dimensão maior com a ascensão da burguesia (século XVIII) que vai a cada conquista econômica, social, tecnológica se revestindo de novos contornos. Exemplo: ao optar por programas ou projetos que, claramente, são opostos à construção da cidadania, à liberdade do século XXI, escolhendo o chamado “voto conservador”, esta pessoa, na verdade, está fugindo da liberdade, do individualismo responsável. E nesta fuga, evitando autoflagelar-se, apresentará as desculpas da “sociedade permissiva”, da “escola partidária”, do ridículo “que sempre foi assim”, quando não de uma pretensa e inexistente isenção.
O segundo desencanto é denominado “razão instrumental”.
Este mal estar pode ser resumido à aplicação, ampla, geral e irrestrita, de padrões do custo-benefício às ações humanas. O mundo é matéria prima, insumo dos projetos, efêmero bem que será aproveitado pela tecnologia e pela ciência. Daí resulta a deformidade da sacralização do saber formal, o mais mesquinho ato de discriminar o semelhante. E neste aspecto o ensino como aplicado em nossa sociedade e a comunicação de massa executam a permanente doutrinação que faz a todos, opressores e oprimidos, servos da mitologia do saber acadêmico.
As críticas ficam sempre centradas nos comportamentos individuais. Não são questionadas as instituições, os institutos, os poderes, como se houvesse neles em toda circunstância “isenção”. Tudo se passa como estas criações da sociedade pairassem num limbo, sem desejos, sem objetivos, sem favores.
E, por fim, como consequência na vida política do “individualismo” e da “razão instrumental” surge o terceiro desconforto.
Sherlock Holmes diz a Dr. Watson que se busca o criminoso com a resposta à expressão latina: cui bono, ou seja, a quem interessa o crime.
Neste mundo de contradições, onde o corte de investimentos é apresentado como gerador de empregos, deveríamos perguntar: a quem interessa a fraude que cotidianamente vemos, lemos e ouvimos nos veículos de comunicação de massa, em especial a televisão, o de mais ampla e profunda influência? E sabendo que não há o limbo da isenção, o que faz pessoas, que são avaliadas pela correção das decisões, assumirem com desfaçatez sofismas ridículos para justificarem o benefício a um indivíduo ou a um grupo?
Estará a burguesia tão idiotizada que vote contra sua própria liberdade? Pela repressão que, como toda repressão, acaba perseguindo os próprios repressores?
Tenho escrito que o sistema financeiro internacional, a banca, que melhor do que qualquer outro sistema, soube explorar a tecnologia da informação e da comunicação, entranhou as instituições e poderes por todo mundo. Passou a guiar, com verdadeiros e pouco onerosos prepostos, governos nacionais e organizações multinacionais, impondo sua nova forma colonial, com o apoio dos burgueses e mesmo dos desvalidos midiatizados.
O desejo do atraso se demonstra em eleições, referendos incompreensíveis para grande maioria das populações. Lamentavelmente o Brasil não é exceção.
Pedro Augusto Pinho, avô, administrador aposentado

Seu voto: Nenhum (1 voto)

O Lula já avisou que não vai

O Lula já avisou que não vai fugir, pois teme o que esses covardes fariam com seus familiares.

Acredito que seja preso, com uma grande comoção de um lado e alegria de outro. O resultado desse caldo só Deus sabe o que pode acontecer.

A força tarefa sabe, e deve está pesando esse fato. Se der algum merdelê a conta vai para o Moro.

Outra, eles devem apresentar provas bem concretas, caso contrário, confirma a perseguição.

Como justificariam o Cunha solto

 

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Estou de saco cheio por tudo que vem acontecendo no país, e nós democratas, não fazemos nada.

Eu inclusive. Parece que estamos todos anestesiados, que fomos dopados. Mas essa lombra vai passar e vamos acordar.

Eu creio !!!

gAS

imagem de Álvaro Noites
Álvaro Noites

Que momento estarrecedor

Que momento estarrecedor vivemos.

Que momento desesperador, desesperançoso, fatigante.

São absurdos atrás de absurdos que ocorrem em nosso país nos últimos 2 anos, embora a intensidade tenha aumentado muito após Temer tomar de assalto o Palácio do Planalto.

Muitas vezes me parece que temos no nosso país uma produção seriada e em larga escala (ferramentais com diversas cavidades e muitas linhas de produção paralelas) de absurdos e ilegalidades:

- Moro e o judiciário faz o que quer.

- O país sendo pilhado por meio de privatarias

- Os pontos fortes da economia (construção, engenharia, P&G, etc) de joelhos ante à ação de improdutivos MPF/PGR/Globo/PF

- Macartização da sociedade

- Uma onda de insensatez, ignorância e ódio implodindo o páis.

- Gedel fazendo suas perversas miudezas e impune.

- Serra na "diplomacia"

Das duas uma:

1) Ou tais absurdos tornam-se banais, ninguém será mais surpreendido. Logo, não há nenhuma reação e restará apenas a barbárie em cima das ruínas do país.

2) A série de tais absurdos vão levar a algum ponto de ruptura, alguma revolta de grandes proporções.

Em ambos, seremos tragados, como país e sociedade, para a total destruição e barbárie.

Os golpistas sabem disso, por isso aumentarão a repressão para esmagar o lado contrário.

Sem lado contrário, sem conflito.

Assim sendo, como podemos parar isso?

 

 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de MAAR
MAAR

ALERTA SOBRE RISCO DE RETORCESSOS MAIORES

Muito procedentes e bem fundamentadas as críticas contidas neste excelente artigo acerca das absurdas e aviltantes violações de garantias constitucionais, que tem sido multiplicadas e aprofundadas, dia após dia, nesta república espoliada.

À luz dos fatos expostos no artigo, cabe sugerir que futuras explanações da célebre série de inspiração enxadrística trate das questões relativas à citada despolitização da disputa política, bem como às graves conseqüências sociais e humanas dos mecanismos e processos de politização da justiça, de judicialização da política, e da flagrante deturpação de princípios humanísticos, agredidos pela violação das garantias constitucionais -- perpetradas pelo poder judiciário com a conivência dos demais poderes e com o beneplácito da inércia complacente de quase toda a sociedade.

Entretanto, considero meu dever destacar que, em minha humilde opinião, os ajustes certamente necessários, relativos ao enquadramento do MPF e das demais instituições corporativas dentro dos limites indeléveis da efetiva vigência do Estado Democrático de Direito, bem como ao controle constitucional e jurídico da mídia e do funcionamento de todas as instituições em moldes democráticos, pode e deve ser promovido através de legislação infraconstitucional e de eventuais emendas à Constituição, sem que seja admitida nenhuma pretensão de convocar uma nova Constituinte, a fim de que seja evitado o risco concreto de alteração de cláusulas pétreas e de outros retrocessos.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Exílio com asilo é a melhor opção para Lula

Há Golpe, há Estado de Exceção e há Ditadura Judicial, de natureza neofascista, com supressão de liberdades fundamentais. Lula precisa preservar sua integridade e não há nenhuma razão para crer que isso possa ocorrer numa masmorra golpista.

Lula é a voz mais poderosa contra o atraso, a mediocridade e subdesenvolvimento da elite brasileira. É preciso que ele e outras cabeças pensantes tenham liberdade para organizar a Resistência ao Golpe, ainda que a distância.

A esquerda é o último refúgio da Democracia e da República e Lula é a última chance que a elite brasileira tem de se reconciliar o povo, sem derramamento de sangue.

Seu voto: Nenhum (6 votos)
imagem de C.Poivre
C.Poivre

Asilo político

Há muito tempo venho enxergando o asilo político num país civilizado como única saída para o ex-Presidente Lula, nosso maior líder popular e um gigante político e postado esse meu pitaco. Mas Lula diz que só pede asilo em Garanhuns, então me parece que ele descarta essa saída, a melhor a meu ver.

 

PS - Ontem vi um documentário no Netflix que, apesar de não ser por razões políticas, faz lembrar a lava jato pois tem também um promotor preconceituoso e dado a ilações, presunções e pressuposições como os procuradores da lava jato, associado a uma mídia poderosa e manipuladora como a nossa. O documentário (com os personagens reais) chama-se "Amanda Knox" e ocorreu em 2007 na Itália.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Bananal

STF: para o STF não haverá “pacificação” política enquanto o Lula permanecer no cenário eleitoral e competitivo, portanto, eliminando o Lula e Brasil volta a normalidade nem que para isso a Constituição deve ser estuprada. Por Deus, para essa tigrada (exceção Marco Aurélio Mello, alias é único que tem estatura moral) que ocupa o STF, a constituição é meramente uma lista de sugestões. Nada além disso.

Imprensa: Maria Judith Brito, então presidente (ANJ), disse que o verdadeiro partido de oposição ao governo do PT era a grande mídia. Então por que a partir de agora o campo progressista não passa a tratar a grande imprensa brasileira como de fato ela disse que é, em? Partido Político? Então não falamos com partido político. Boicote geral.

Erros: não adianta o campo progressista jogar a culpa só no Partido da Imprensa. Isso por si só não resolve. A Dona Dilma errou e errou feio. E não há como negar que a Dilma não foi uma escolha feliz do Lula. Faltou a ele tino político e sobrou vaidade.

Prisão do Lula: Lula será preso sim, a questão é quando, portanto, até a consumação do fato, segue a humilhação diariamente. Detalhe: humilhação que está sendo aplaudida por pessoas que foram humilhadas pela Ditadura Civil-Militar e por pessoas que foram perseguidas (Não vale citar o José Serra, pois todo mundo sabe que Ele era agente infiltrado da Ditadura Civil-Militar). Diante de tudo isso o Lula deve denunciar a perseguição política e dar nomes aos bois, nada de metáforas. 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Se o Lula for preso ele não

Se o Lula for preso ele não aguenta! Não tem mais idade para isso, ele vai morrer.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Roberto Andrade
Roberto Andrade

Deus te ouça a te atenda  ,.

Deus te ouça a te atenda  ,. .

Seu voto: Nenhum (9 votos)
imagem de Gustavo José Conde
Gustavo José Conde

"Xadrez da próxima prisão de

"Xadrez da próxima prisão de Lula" é pleonasmo.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Gustavo José Conde
Gustavo José Conde

"Xadrez da próxima prisão de

"Xadrez da próxima prisão de Lula" é pleonasmo.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

O caso típico, o PT, vítima do golpe, vira culpado

O caso típico, o PT, vítima do golpe, vira culpado, teria dado causa, democracia demais.

Aos muitos que - simplesmente culpam o PT - em sua completude - pelo fracasso nas eleições - pergunta-se, quais os reflexos ou a importância que toda a falta de democracia, toda a falta de justiça, toda a utilização da máquina jurisdicional, midiática e financeira, tiveram neste processo todo de alijamento do partido do poder.

Sinto muito, mas sem esta análise este é o pensamento conservador e espúrio que culpa a vítima pelo crime contra o qual foi cometido.  

Desta forma, quando analisam grandes eventos sem incluir uma visão do todo - nem mencionam o golpe - chegam ao absurdo de culpar a vítima, pelo uso da saia curta, do horário noturno, do local ermo, pelo estupro ocorrido.

Críticas de um fato - eleições pós golpe -,  inserido num cenário politico midiático e de aparelhamento de estado, não podem ter a pretensão de serem honestas se não abordarem a influência destes fatores (fundamentais) em suas análises.

Este imenso aparato de poder utilizado para alijar o Partido dos Trabalhadores do governo tem existência e estrutura anterior ao primeiro mandato presidencial.

Ele era, e é, o inimigo a ser combatido, é o criminoso que espreita nos lugares escuros e não hesita em se valer de facas, revolveres, força, para conseguir o que deseja tomar, seja dinheiro seja dignidade.

A discussão deveria ser outra. 

Um lamento a democracia - perdida - e a intenção declarada, que seja breve -, seu óbito

Primeiro, escancarar a forma como este poder/força age, quais seus objetivos, quem será a vítima.

Após, demonstrar, sem subterfúgios, todas as consequencias do crime e seus desdobramentos, principalmente sob a conduta do criminoso, que livre, pratica todos as demais vilanias, sem nada nem ninguém que lhe obstrua o caminho, afinal, a culpa é da vítima.

Depois, passado a limpo este ponto, ai sim podemos ver como deveríamos ter feito e como devemos agir para terminar com esta impunidade.

Outras considerações.

Na análise geral destes “novos” tempos, de plano vemos um ponto comum, o de que não houve o necessário empoderamento da sociedade civil, de modo a que esta fosse devidamente esclarecida acerca do papel de cada um na transformação social a ser implementada, e assim pudessem exercer nestes momentos decisivos o necessário contraponto à força bruta do poder econômico e seus aparelhos.

Uma das falhas, se houvesse coerência, é justamente destes, ditos intelectuais, que se portam como se tivessem um viés “de esquerda”,  tipo Aldo Fornazieri e outros, que tecem artigos ao sabor de uma realidade que tem em seu umbigo o centro do Universo, e apenas se dedicam a apontar falhas, que invariavelmente estão nos outros, pois suas concepções não admitem críticas a sua atuação e de seus pares, que nem mesmo conseguem construir escolas de pensamento, pois para isso seria necessário dividir ideias, o que é incompatível com seu pensamento único e mutante.  

Seu academicismo virou meio de vida, e se restringe a pequenos grupos, que professam sempre a crítica a qualquer coisa que possa ser realizada concretamente, eram e são os críticos mais ácidos a governos, nem digo de esquerda, mas por sua expressividade, do PT.

Entretanto, do alto de sua competência intelectual, não conseguem nem criar movimentos ou organizar críticas que envolvam, além do mencionado partido, a influência de todo poder acima mencionado neste processo, poder este que, através do aparato midiático, judicial, econômico,  vicia a democracia e subverte o estado democrático de direito.

Reitere-se, isso por um simples fato, eles vivem desta crítica, dai extraem seu espaço junto a grande mídia, consolidam um confortável lugar na academia como críticos, não ao sistema, mas a forma como o movimento popular deveria se organizar, colaborando assim para sua desconstrução.

Este espaço para o pensamento e discussão, é que não foi aproveitado pelas esquerdas, cujos setores, forjados para a luta política, criaram pequenas estruturas de poder e com isso se perpetuaram na mesmice do pensamento único, não deixando que houvesse a necessária inclusão e oxigenação para que se desenvolvessem formas efetivas de integração e  alternativas  de evolução na criação de uma consciência social de classe e de projeto de estado de bem estar comum.

Lembro também de Thiago de Mello(poema logo abaixo), porque tantas vezes ouvi (e ouço) discursos - de dirigentes antigos - agora críticos - de "não passarão" - em mesas de bar - quando na realidade não tinham mais liderança alguma (apesar de muitos ocuparem cargos diretivos politicos sindicais...) - e sua inércia nestes longos 13 anos cobrou seu preço... seus discursos, por descolados da realidade, não mais tem reflexo nas categorias de trabalhadores - servidores.

E não digam que a culpa é do governo dos trabalhadores, como se não fizessem parte integrante dele - ... porque 13 anos é muito tempo para no mínimo formar um campo crítico e consciente do espaço ideológico e social do qual fazemos parte...

No entanto, formaram-se guetos - grupos de amigos - que não são oxigenados a muito tempo - olha-se para o lado e são os mesmo antigos amigos.

Ora, agrupamentos políticos ... não são grupos estanques de amizades, mas conjuntos que se constroem diariamente e que pela diversidade e inclusão... modificam e se reconstroem como força...

...

O QUE ME ESPANTOU

Não foi a multidão indo para casa

(nós no meio dela, disfarçando),

cabeça baixa, as pernas pesadas,

seguindo a ordem que o inimigo lhe dava.

Eram operários, homens e mulheres.

Eram homens de todas as idades,

subindo silenciosos a Grande Avenida.

Nenhum brado, nenhum braço erguido.

Nem foi a organização perfeita do inimigo,

a pontaria espantosa de seus aviões,

o rigor implacável do seu ódio.

Nem a ingenuidade dos que atenderam

ao turvo e meloso apelo

da monstruosidade humana

repetido pelo rádio.

Pois acreditaram na idiosincrasia,

e de mão beijada se entregaram

ao reino das trevas e do ranger de dentes,

onde até hoje, tirante os que foram mortos,

aprendem todos os escalões do escárneo.

O que me espantou foi o assombro

que de repente, desorbitado,

o chão fugindo, o ar faltando,

eu vi se erguer no olhar, no peito,

nas mãos que não se achavam,

daquele companheiro

marinheiro de tanto mar,

quando ele compreendeu,

depois de tanto acreditar amando,

que as barricadas, os grupos de combate,

os cordões de milhares, a vanguarda de fogo,

não íam chegar, não íam se erguer, não,

e que os planos e projetos de resistência

(escorriam de brasa as suas lágrimas)

eram planos e projetos de palavras.

© THIAGO DE MELLO

Seu voto: Nenhum (1 voto)

>>A CITAÇÃO MA-TA-DO-RA DA C.LISPECTOR P/MIN.BARROSO

Pergunta muito relevante para mim:

 - O meu diploma de graduação na UERJ ainda vale?? To com a leve impressão de que o ensino praticado lá era uma fraude...

*

Esconderijo cívico e álibi funcional: descoberto paradeiro de Barroso e de Janot, por Romulus
 ROMULUS
 QUI, 11/08/2016 - 05:12
 ATUALIZADO EM 11/08/2016 - 05:22

Esconderijo cívico e álibi funcional: descoberto paradeiro de Barroso e de Janot

Por Romulus

Como na série Harry Potter, em que sempre havia algum problema com o Prof. de “Defesa contra Magia Negra” (livre tradução de “Defence Against the Dark Arts”), creio que ao aprendiz de feiticeiro Janot tampouco foi oferecida essa disciplina.

Usou as suas mandingas de primeiro ano contra um pobre cervo (cerva na verdade...). Manco, sozinho e indefeso. Ungido com o banho de sangue do animal que abateu (sem suar), achou que, depois desse rito de passagem, já estava convertido em macho-alfa caçador.

(Sim... “caçar” é hobby para o aprendiz de feiticeiro!)

O (autoproclamado) “macho-alfa caçador” estufou o peito e foi para a fase 2 do seu safari: investiu dessa vez contra as “criaturas da noite”. Lobos, hienas, cobras e lagartos peçonhentos.

Pobre Janot...

Peguem leve: primeira e única charge.
Estilo Paintbrush do velho 386/VGA, não?

Como sempre repete o seu companheiro de esconderijo cívico e álibi funcional, o Min. Luis Roberto Barroso, citando Ortega y Gasset:

"Entre querer ser e pensar que já se é, vai a distância entre o sublime e o ridículo".

Imagino que o papo no esconderijo cívico deve estar bem bacana... devem estar a trocar citações de bolso de colete – como essa aí de cima.

Citações... sempre fazem sucesso na parte do seu trabalho que realmente importa: colóquios e convescotes com gente distinta.

Remorso? Peso na consciência? Angústia pelo Brasil?

Por quê?

"Eles não podem fazer nada, uai!"

(Barroso explica essa impossibilidade muito melhor aqui)

E, ademais, como pontificou o Min. Barroso: “(a) Economia eles (os golpistas) trataram com a maior seriedade. Escolheram os melhores nomes que encontraram”.

(E onde Barroso declarou isso? Em outro colóquio, ora! Trato dessa fala em outro post, de título sugestivo: “Os Abutres, o golpe e o Min. Barroso”)

Ah, bom!

Suspiro aliviado, Ministro.

Bom descanso a ambos.

*   *   *

Eu juro que não tinha lido o que vai abaixo quando escrevi a parte aí de cima...

(horas de diferenças entre ambas as publicações inclusive)

Navego o GGN e de repente, não mais que de repente...

– Sérgio Moro: a caixa de Pandora, mídia e caso Watergate da Lava Jato

[Título alternativo de minha preferência: “Novo colóquio, nova citação, velhos atores, velhos papeis”]

Jornal GGN - (Patricia Faerman) Antes de passar a fala ao juiz da Lava Jato, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, introduziu afirmando que se as instituições do poder estivessem funcionando adequadamente, o Brasil não precisaria de heróis.

*

Oh, contemple-se a verdade revelada!

Pergunta:

“Instituições que não funcionam” inclui também o seu STF, Ministro?

E lá tem herói?

E bandido, tem?

*

Não satisfeito com a revelação precedente, o Min. Barroso continuou:

"Só se precisa de 'heróis' quando as instituições não funcionam e, parafraseando [Bertolt] Brecht, 'triste é o país que precisa de heróis', nós precisamos mesmo é de instituições", completou.

*

Obrigado pela revelação e pela nova citação, Ministro!

Essa última já foi para o caderninho...

Está do ladinho da de Ortega y Gasset.

Quanto à revelação... ainda a estou processando internamente. Confesso – envergonhado – que o significado mais profundo ainda me escapa.

Nova pergunta:

Quando será o próximo colóquio?

Dessa vez quero contribuir:

– Estou com uma citação ma-ta-do-ra da Clarice Lispector para passar!

Mando pelo inbox do Face?

*   *   *

P.S.: Brasília é ainda mais distante do Rio do que a Suíça, creio. Neste caso, aproveito a oportunidade para dar notícias da “sua” UERJ – e do Min. (negador) da Cultura, Marcelo Calero, também.

Fechou para balanço!

':-0

Não houve aulas em todo o primeiro semestre deste ano.

'0_o'

Mas, olhando pelo lado positivo, o Maracanã – ali do ladinho – está uma beleza! Segunda reforma completa em 2 anos!

Primeiro a destruição e reconstrução para a Copa e depois a reforma completa para a Olimpíada.

A propósito... por falar em Olimpíada...

O Sr. viu a fala de Temer na cerimônia de abertura?

Caso a tenha perdido – é beeeeem curtinha! – está no post aí debaixo.

Aproveite e veja também a figuração de luxo da Secretária (negadora) de Direitos Humanos, Flávia Piovesan. Ela mesma: a sua colega de Praça dos Três Poderes, de magistério e de... constitucionalismo!

– Ora! Agora me ocorre: Temer também está no time de vocês, não?

Que time!

Pena não ser esporte olímpico, não é verdade?


Inovação na política:
O aplauso "de reprovação" ao (Grão) Mestre

*   *   *

Posts anteriores:

Entendendo a denúncia dos deputados brasileiros à Comissão de Direitos Humanos da OEA para anular o golpe de Temer e Cunha

*

Fiasco do golpe nas Olimpíadas: sai G20, entra glorioso G12 na abertura!

Na belíssima abertura, sai o G20, grupo das maiores economias do mundo, e entra o G12, “glorioso” grupamento internacional de potências, chefiado pelas poderosas Ilhas Fiji! 

*

Temer: sem nome, sem chamada, sem imagem no telão e vaiado mesmo assim

Veja vídeo da TV suíça que não apenas registrou a vaia, como explicou que: 1) era esperada; 2) o nome de Temer não fora anunciado em momento algum – primeira vez em 120 anos; 3) sua imagem não foi exibida no telão enquanto falava (de forma a evitar que fosse reconhecido no estádio); e que 4) não obstante, tão logo as pessoas reconheceram a voz do homem (“homem”?) sem nome, sem chamada e sem imagem – voz que soou por “apenas alguns segundos”, como nota o narrador – começaram a vaia-lo fortemente.

*   *   *

(i) Acompanhe-me no Facebook:

Maya Vermelha, a Chihuahua socialista

(perfil da minha brava e fiel escudeirinha)

*

(ii) No Twitter:

@rommulus_

*

(iii) E, claro, aqui no GGN: Blog de Romulus

*

Quando perguntei, uma deputada suíça se definiu em um jantar como "uma esquerdista que sabe fazer conta". Poucas palavras que dizem bastante coisa. Adotei para mim também.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

ERREI SIM! MAS MINHA FICHA JÁ TINHA CAÍDO HA 1 TEMPINHO...

Mordacidade atroz contra MPF, PGR e STF: quem me culpa?, por Romulus
 ROMULUS
 SAB, 13/08/2016 - 12:53

Por Romulus

Olha... levei mais de 20 min lendo o artigo do Nassif de hoje: “Xadrez de como o PT ajudou o MPF se tornar partido político”.

Li devagar, com toda a atenção, porque, se não é o melhor (páreo duro!) está certamente no top 3.

É um post enciclopédico.

O assunto analisado foi esgotado.

Simples assim.

Difícil até comentar.

Incapaz, limito-me a ressaltar o trecho em mim mais doído:

>> Desde o início da crise política, sabia-se que não se tratava apenas da disputa entre uma presidente atabalhoada e políticos barras-pesadas, mas de concepções de Estado. Bem antes da votação do impeachment se sabia que o novo governo entraria ungido pela promessa de limitar as despesas públicas, definindo limites nominais para gastos voltados para os interesses difusos, saúde, educação, sem definir limites para os gastos com juros. Para um leigo, parece medida disciplinadora de gastos. Para quem é do ramo, significará o desmonte do SUS e do sistema educacional público <<

 

 

– É justíssima a admoestação aos procuradores.

– Permitiram sim o extermínio do incipiente (-íssimo) Estado do bem-estar social brasileiro pós-88;

E mais:

(e aí sim um acréscimo)

– Permitiram a futura lesa – sem precedentes! – do patrimônio do Estado em jogadas manjadíssimas de gente igualmente manjadíssima... “do ramo”.

“Moralismo”?

hahaha!

– O impacto para o Estado será não apenas financeiro – na verdade para o país – mas, muito mais grave, econômico (são coisas distintas).

O que se permite agora que se faça com a engenharia nacional, com petróleo e gás (Petrobras + toda a cadeia, incluindo naval) e com nuclear – falta ainda Eletrobras, com toda a história das hidroelétricas e, depois, quem sabe mais o quê? – estão amputando o país de uma perna (uma apenas?).

Se não em definitivo, pelo menos pelos próximos 30 anos.

E a perda é irreversível: os demais “corredores” não ficam parados na pista esperando 30 anos enquanto se constrói uma prótese para o membro perdido. Quando voltarmos a andar – muito antes de correr – os outros corredores já sumiram no horizonte.

Ou melhor: já terão ido e depois voltado. Agora para fazer negócios com o "pobre" amputado. “Em seu favor”, é claro. Tão pobre ele 2ficou no seu atraso...

Não lembro o autor original, mas lembro de Nassif citar frase na linha:

– O subdesenvolvimento é trabalho devotado de gerações.

O golpe de 2016 – e tudo o que ele significa – é, sem dúvida, a maior contribuição dos últimos 50 anos para o subdesenvolvimento do Brasil. Em termos econômicos e de projeto de país, por mais que doa dizer isso sendo de esquerda, é infinitamente pior do que o golpe de 64 e os 21 anos de regime militar. Ali havia, ao menos, um projeto de país – por mais que discordássemos da própria concepção deles para país.

E agora?

Há justamente contrário: o desmonte.

E com o beneplácito de gente que se sente segura na transição para a nova ordem.

Gente pequena que – mesquinha – topa ser downgraded a elite (neo) colonial de um país não (mais) emancipado. Como também não emancipado será o maior contingente da população.

E daí?

Não consta que senhores de engenho, seringalistas e barões do café vivessem mal a seu tempo, não é mesmo?

*

Repito:

– É justíssima a admoestação aos procuradores.

Evidentemente estava fora do escopo de análise deste “Xadrez...”, mas não posso me furtar de apontar:

– Toda a admoestação aos procuradores cabe, ipsis litteris, para o Judiciário.

Não esperaria esse discernimento dos juízes de primeira instância. Não deixa dúvida da sua inexistência todo tipo de asneira primária de um Moro/Força Tarefa sobre “entrada no mercado de novos players para, no dia seguinte, substituir uma Odebrecht”.

Mas de quem se esperava discernimento?

– Ora, do STF, evidentemente.

Bem... na verdade esperava-se apenas de 3 ou 4 Ministros.

[E nesse número não há, por óbvio, “estudante e amante do Português” (sic ao quadrado pela própria prova em contrário – que piada!) nem quem não sabe o que significa a expressão “golpe”]

Mas até esses faltaram!

Faltou até gente que voltou da morte e, supunha-se, haveria de ter retornado maior, ciente da efemeridade da própria vida. Isto é, efemeridade da sua vida. ParticularIndividual.

Para que voltar senão para nunca mais perder vista o legado? O propósito?

Juro que não é excesso retórico: sou – de fato – incapaz de compreender.

E – psicologia explica – sendo incapaz de compreender os conceitos-base, sou também incapaz de desenvolver empatia pelo indivíduo que os porta.

Daí, talvez, todos os meus (aí sim...) excessos retóricos passados – com toda a mordacidade que povoa o meu humor cáustico.

Quem me culpa?

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Durante a Idade Média os presos que sofriam as punições mais

Durante a Idade Média os presos que sofriam as punições mais severas eram justamente aqueles que desafiavam o poder do senhor feudal. A punição era o suplício, que consistia em torturar o acusado em praça pública, diante de todos os outros servos. A tortura só cessava quando o torturado confessava o crime e implorava perdão diante do senhor feudal.

Ocorre, no entanto, caso o torturado resistisse e não pedisse perdão o efeito era o oposto do pretendido pelos algozes. Ou seja, a autoridade os senhores feudais era minada e o rebelde se transformava em mártir.  

O que estão fazendo com o Lula é um risco gigantesco para a Casa Grande.

Seu voto: Nenhum (7 votos)

"Na prática, o juiz Sérgio

"Na prática, o juiz Sérgio Moro instituiu a prisão perpétua no país, "

Há vários meses escrevo aqui que´stávamos entrando em uma ditadura muito pior que a de 1964, que já havia vários presos políticos no Brasil e que  mesmo não prevista em lei, também já estava em vigor a prisão perpétua no país.

Vejo agora, que você concorda comigo.

E tem mais, a coisa ficará ainda muito pior do que está. Tenho certeza de que daqui a pouco os perseguidos e presos serão todos vocês, jornalistas ou blogueiros que escrevem em nome da democracia e do estado de direito, denunciando as arbitrariedades praticadas pela república de curitiba em conluio com a mídia(Globo a frente).

Nasci em plena ditadura de 64, mas não sabia porque fui criança em sua maior parte. Depois tomei conhecimento de sua existência através de livros de história e matérias jornalisticas e cheguei a conclusão que aquele golpe atrasou o desenvolvimento do Brasil em pelo menos cinquenta anos.

Quando aplicaram o golpe no Fernando Collor comecei a desconfiar de nossa democracia. Mas, nunca imaginei presenciar o que estão estão fazendo contra o país neste momento. E isto me deixa tremendamente triste. De quantas décadas será o atraso agora? Teremos outra chance de desenvolvimento?

Tenho um filho de 17 anos e começo a crer que não haverá futuro neste país para ele e para outros tantos milhões de jovens da idade dele. Isto é lamentável.

Confesso a você que nunca tive ódio no meu coração contra nada nem ninguém. Mas, este sentimento está brotando em mim com relação a todos os integrantes desta farsa chamada de lava jato(para mim, lava rato). Hoje posso afirmar que os odeio tanto que chego a desejar a morte violenta para todos eles. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de serralheiro 70
serralheiro 70

Prisão perpétua

A meu  ver uma prisão perpétua para averiguação para desafetos,. Moro pode pedir patente, inovadora no mundo

Seu voto: Nenhum
imagem de saulogeo
saulogeo

O PSDB

Uma sugestão para o Nassif elaborar um xadrez para a participação do PSDB, no golpe.

Essa sanha invejosa, vingativa e entreguista já nasceu com o PSDB?

O golpe teria sucesso sem o apoio e manipulação do PSDB?

Até que ponto, terra arrasada interessa ao PSDB?

O PSDB como coadjuvante do DEM.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Nao só Lula: vários cordeiros perfilados p/abate (atualizado):

>>Ode ao verdadeiro Procurador, por Giselle Mathias & Romulus<<
 ROMULUS
 SEX, 07/10/2016 - 08:30
 ATUALIZADO EM 07/10/2016 - 08:51

Ode ao verdadeiro Procurador  desagravo ao Procurador e Professor Rômulo Moreira, perseguido pelos próprios pares apenas por dissidência de ordem política

Por Giselle Mathias & Romulus


Simples busca no Google pelo nome "Rômulo Moreira" mostra seu crime: ousar dizer que o rei está nu. De novo, de novo e de novo...

*

Dizem que a função do Ministério Público é proteger a sociedade. O artigo 1º da Lei Orgânica consagra que sua função é a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis.

Ah, quão belas são as palavras dispostas no papel!

Quando lidas nos dão segurança: sugerem que essa instituição velará incondicionalmente por nosso país, nossa sociedade e nossa democracia.

Mas a realidade nos bate à porta e nos mostra que essas palavras não passam de... palavras. Sim, é certo que encontraram seu caminho até aquele texto legal pelas mãos de homens de ideais. Mas como, do alto de suas melhores intenções, antever a baixeza de indivíduos que usam a instituição para propagar fanatismos religiosos, falta de cultura, ou mesmo deficiência de educação formal em História, Ciência Política, Economia, Sociologia e Filosofia? Isso quando tal deficiência não lhes nega até mesmo a própria lógica mais elementar.

Antes fosse apenas ignorância... mas não: vezes há em que a ela se soma até mesmo um certo déficit cognitivo. Quando não a desonestidade intelectual, desnudada por citações de textos não lidos. Hegel? Engels? Pois a BBC perguntou se havia confusão entre ambos. Recebeu de volta impropérios.

Sim, “apenas” impropérios... sorte teve essa correspondente estrangeira: logrou não sair conduzida coercitivamente para alguma masmorra austral.

Fanatismos... deficiências... déficits... desonestidades...

A instituição sonhada por aqueles homens de ideais, refletida na redação do Art. 1º da Lei Orgânica, parou por aí: permaneceu um sonho. Não viu a luz do dia.

Que fazer? Suspirar em sentida resignação diante da realidade acre?

Não! Ousando emendar a Pandora do mito, depois de soltos todos esses males, abrimos novamente a Caixa para nos agarrarmos à... esperança. No meio do joio havia o trigo, não é verdade? Pois no seio do próprio Ministério Público há também aqueles procuradores que têm sim justiça e ética por lema e não por palavras abstratas.

Trata-se dos verdadeiros procuradores: do latim, pro (em lugar de) curo (cuidar de). Cuidam do Direito, do país e da própria sociedade em seu lugar. Procuradores dessa cepa não silenciam diante da injustiça e da opressão.

- Holofotes? Deixam-nos para as estrelas de telenovelas.
- “Law & Order” e congêneres? Distração fugaz no ócio, quando muito.

Sim, porque valor dão ao seu próprio país. Sua história, tradição e cultura – jurídica e além! Ser mero “importador” e “representante comercial” exclusivo de contrabando jurídico com mal disfarçado sotaque estrangeiro? Não é para esses...

Tampouco encarnam os santarrões, fariseus promotores de certa moral e certos bons costumes, todos de ocasião. Linchamentos? Infâmias? “Convicção sem provas”? Para esses procuradores, isso sim um escândalo.

Tais procuradores, os verdadeiros, devem ser homenageados e valorizados. E mesmo protegidos! São a encarnação funcional da própria esperança em uma sociedade mais humanizada e democrática...

– ... e justa!

Somente esses procuradores poderão tirar da letra morta do papel os princípios basilares do Ministério Público, conforme a disciplina da Constituição de 1988. Tais princípios deveriam já nortear todos os que almejam tão bela carreira ou que dela fazem parte. Isso todos sabemos.

Mas...

Ah, se apenas assim fosse...

Não apenas não é, como se aproxima do oposto: a tais procuradores se tenta eliminar com a contrafação de meios e procedimentos, a priori legais, num contexto de escalada persecutória no país. Persegue-se justamente quem é reto e que, por isso, não se verga.

É desolador constatar que o órgão que deveria precisamente proteger tais procuradores acaba por se alinhar à própria perseguição! Protege não a eles, mas – novo escândalo! – seus antípodas. Aqueles falsos procuradores: santarrões, pregadores de falácias, falsos moralistas e fanáticos de toda sorte.

Nesta triste quadra da História brasileira, nada é tão ruim que não possa piorar. A esse escândalo se somam algumas das nossas conhecidas mazelas político-jurídico-morais: as simulações que a ninguém enganam e que sequer buscam de verdade enganar, a hipocrisia deslavada, o cinismo que corrói e a cara de pau elevada (ou seria rebaixada?) ao paroxismo.

Escárnio? Sim. Mas mal abafado...

Ora, não é necessário: envolve-o uma torpe omertà.

Sim, em tempos de tributos tortos à “Operação Mãos Limpas”, lembremos que omertà diz respeito ao código de “honra” que impõe o silêncio cúmplice diante da infâmia. Mas isso para quem toma parte na farsa. Ou para os fracos que a toleram.

Como nós – em claríssima oposição – acreditamos na verdade, na justiça e na ética, rendemos as mais sinceras homenagens aos verdadeiros procuradores, tão bem representados na pessoa do Procurador de Justiça e Professor Rômulo Moreira. Hipotecamos nosso total apoio à sua luta diária não só por uma sociedade mais justa, mas também por um Ministério Público que exerça sua função constitucional.

Obrigado, Professor Rômulo Moreira por sua luta, por sua força e por ser um dos verdadeiros procuradores deste país!

Obrigado por nos dar esperança quanto a um país mais justo, soberano e democrático.

Obrigado por lutar pelos princípios idealizadores do Ministério Público.

Já por não ter cedido ao carreirismo, à vaidade, ao fanatismo e ao corporativismo, julgamos não haver por que agradecer: como poderia sucumbir  a eles, posto que totalmente alheios ao seu caráter?

Na sua pessoa agradecemos a todos os verdadeiros procuradores do Brasil. Se são maioria ou não é irrelevante: caráter não se mede pelo nível de representatividade dentro de um coletivo, de uma corporação. Caráter e popularidade entre pares não se confundem. Vezes há, inclusive, em que não podem coexistir!

Caráter... ou bem se o tem ou não.

Simples assim.

Aos que o têm, rogamos: não (mais) se calem! Lembrem-se do adágio: quem cala consente!

Adágios?

Que tal “os homens passam, as instituições ficam”?

Já estaria de bom tamanho. Mas, Ah...

(suspiro)

– Antes bastasse apenas a primeira parte, “os homens passam” – sim, passam... para nunca mais... num estalo... – para dar cabo de toda pequenez, mesquinhez e torpeza.

Sonhos? Decerto que sim. Que nos invejem, Professor Rômulo Moreira, todos esses aí que não os conhecem.


Ele em ação.


Eles em ação.

Giselle Mathias & Romulus (xará do Professor)

________________
________________
Ambos advogados sim aguerridos, mas que podem contar com a retaguarda da dupla-nacionalidade, da proteção consular e de familiares no estrangeiro. Seus pensamentos ao concluir - e ter a liberdade de assinar - este e outros artigos tão contundentes quanto estão com todos os outros milhões de irmãos brasileiros que não têm a mesma sorte.

*   *   *

(i) Acompanhe-nos no Facebook:

Romulus

*

(ii) No Twitter:

@rommulus_

*

(iii) E, claro, aqui no GGN: Blog de Romulus

*

Quando perguntei, uma deputada suíça se definiu em um jantar como "uma esquerdista que sabe fazer conta". Poucas palavras que dizem bastante coisa. Adotei para mim também.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Cordeiros "fichados": ja encomendei os colchonetes, Nassif:

E nao pára em Lula e no bravo procurador nao...

Nassif, tem um colchonete aqui na minha casa na Suiça com o seu nome já, tá?

Pessoal chegando para uma "estadia" na minha sala:

Seu voto: Nenhum (7 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.