Após reunião com Bolsonaro, Mandetta avisa que fica

Enquanto não houver regularização de estoques e EPIs e respiradores, e condições de mudar recomendações, continua afirmando que as orientações dos governadores devem ser seguidas.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta; participa de coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, sobre as ações de enfrentamento ao covid-19 no país

Jornal GGN – Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde, participa de coletiva após a reunião no Planalto, com Jair Bolsonaro. O ministro faz elogios ao ministério e ao trabalho realizado até agora. Insiste que o seu trabalho, e o de todos, é técnico, não é político. Diz que é muito difícil um momento como esse, que é muito difícil trabalhar nesse sistema onde não se sabe o que vai ser no próximo dia ou semana. A doença não tem roteiro.

“Não somos donos das verdades, somos donos das dúvidas”, diz Mandetta, e diz que estão dando o melhor nesta crise. “Procuramos ser a voz da ciência”, diz ele. Afirma que abriram o ministério da Saúde para todos os outros ministérios e trabalharam com transparência, sem medo da crítica construtiva, que faz andar para a frente.

A dificuldade é quando, por determinadas situações, as críticas não vêm no sentido de construir e sim para criar dificuldades. E isso tem sido uma constante. Diz que o trabalho hoje não rendeu no ministério por dúvidas sobre sua permanência ou não.

Avisa que vão continuar e enfrentar o inimigo que é de todos, o Covid-19, que tem uma sociedade para proteger, para cuidar. Vai tentar melhorar as condições de trabalho para que possam trabalhar. Diz que a reunião foi muito produtiva, que o governo se reposiciona no sentido de mais união, mais foco, e mais centrados no problema comum.

E termina a coletiva dizendo que vão trabalhar, saber se China vai fornecer equipamentos, se o mercado internacional vai dar condições de segurança. Enquanto não houver regularização de estoques e EPIs e respiradores, e condições de mudar recomendações, continua afirmando que as orientações dos governadores devem ser seguidas.

Leia também:  Risco de estrangulamento cambial?, por Paulo Nogueira Batista Jr.

A sociedade precisa entender que a movimentação social é tudo que o vírus quer, e vai levar o vírus para as camadas mais frágeis e mais numerosas. Vida é vida, não tem nenhuma pessoa que chegue que não será atendida, todos precisam de atendimento e não estamos prontos para escalada de casos nas grandes metrópoles, falta muito ainda.

Diz que favelas são históricas e as pessoas têm o direito de estarem onde querem viver.

Este final de semana foi de muita reflexão. E voltaram com as baterias focadas com a semana de trabalho.

Começaram com mais um solavanco e espera que agora tenham paz para poder conduzir, e conta com a colaboração dos órgãos de imprensa para, com esta equipe, atravessar e trabalhar. Por enquanto o que se tem é saída primitiva é o isolamento, os medicamentos e pesquisas vão avançando, e algumas respostas podem chegar.

Temos dificuldades de testes e logística internacional. O problema não é só o vírus, mas de uma doença que atacou o sistema mundial. O momento é de cautela, proteção, distanciamento social. Isso ainda não é lockdown nem quarentena, é muito mais leve. O que não pode é aglomerar.

E a gente vai seguindo, com casos relativamente controlados, não permitindo que os casos saiam de controle.

Diz que ele e todos os colaboradores entraram juntos e juntos sairão do ministério.

Diz ainda que, depois da reunião, foi levado a uma sala onde dois médicos o esperavam para fazer um protocolo para cloroquina. Negou o protocolo mas disse que todo estudo é bem vindo e com estudo pode-se liberar, primeiro saber se é bom antes de liberar. E vai-se fazer pela ciência, sem perder o foco, com disciplina e planejamento.

Leia também:  Crônica de uma morte acostumbrada, por Gilberto Maringoni

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

8 comentários

  1. Esta história toda a cada dia enfraquece a mitologia do “mito”. Fizeram-no como altivo combatente de um inimigo invisível e quando surgiu, justamente um opositor invisível, ele se mostra menor que o microscópico opositor. A cada dia que passa fica muito mais feio para ele, família e seguidores a exposição pública dos absurdos e sandices. Pior é que trazem prejuízo atual e futuro ao país, com este grupo de diplomatas anti-diplomacia, ministro da educação sem a menor educação, patriotas sem respeito e amor à pátria.
    Tivesse ao invés da tosca e falsa mitologia e sim amor e respeito pelo indivíduo, não o teriam colocado em posição que não seja de sua aptidão e ao teimarem em sustentar o erro de sua votação em 2018, apenas vão complicando a cada dia para o Messias sem missão e pior, para o presente e o futuro da nação.

  2. Me pareceu uma despedida , deve passar o trabalho para o Terra , as compras dos EPI e depois sai.
    Espero estar errado.

    2
    1
  3. Não é possível servir a dois deuses ao mesmo tempo e, a prática política é antiga…

    No caso, temos uma farsa chamada Mandetta, que em seus atos exerce a arte de de ceder e continuar no cargo com maestria

    Talvez, num tempo pretérito se chamasse a tais atitudes de demagogia – o que com certeza se adequaria a situação posta.

    A estas alturas cada vez mais decorativo, mas com discurso altissonante, Mandetta fica no cargo e, ato contínuo, já propõe relaxar o isolamento… sintomático.

    Até hoje, apesar de seus pronunciamentos televisivos, todos de caráter afirmativo de combate a epidemia, o certo é que, ainda não foram disponibilizados testes para confirmar ou não a infecção por Covid-19, os hospitais não tem EPIs para os médicos e técnicos da saúde, não existem respiradores suficientes e há uma enorme sub notificação dos casos suspeitos…

    Então, pergunto, qual o planejamento que existe, se conjuntamente ao isolamento, nada mais é feito.

    No que isso resulta…

    Não foram providenciados respiradores, não foram providenciados EPIS, não foram equipadas UTIs, não há testes, ou seja, não existe planejamento para combater a epidemia, no máximo uma quarentena meia-boca, que talvez estenda um pouco a tragédia… que neste momento é certo que virá.

    Um ministro demagogo em tempos de pandemia – que não diz que sem todas estas medidas conjuntas ao isolamento estamos indo rumo ao precipício – e que não há mais tempo… e um genocida no poder manipulando a realidade, que vê seu projeto destrutivo evoluindo, porque sabe da incapacidade de seus Ministros abrirem mão de poder.

    Um louco que ri da farsa e do morticínio que virá… e um cálculo frio de permanência no poder, mas, a que preço.

  4. Cuidado com esta história do Mandetta se tornando o novo “mito”. porque põe coletinho do SUS para fazer coletiva e receber #hashtag da oposição com comportamento de gado que tanto criticam e ainda com direito a aplausos de funcionários públicos. Pois basta ver o que no último ano ele fez para o SUS, participando massivamente na campanha de destruição promovida pelo governo. Na surdina ele foi dos mais demolidores até por ser defensor dos planos médicos (favor não chamar de plano de saúde, pois isto é outra coisa)
    – estava junto do governo e no cargo na expulsão dos médicos cubanos minando o desmonte do programa +Médicos (olha o caos se anunciando na Amazônia)
    – suspensão de fabricação de medicamentos de distribuição gratuita
    – diminuição no número de farmácias e postos de entrega de medicamentos
    – suspendeu a campanha de auxílio contra o HIV voltada ao público LGBT
    – não deu orientações prévias ao SUS e não pautou a tempo a área econômica
    – defesa dos planos médicos de baixa qualidade pagos para o povo de baixa renda
    – estatização dos custos de cirurgias de alta complexidade para o SUS (e menos despesas aos planos)
    – não preparou o país, tendo acesso ao que já acontecia na China em janeiro (comprando e estoqando suprimentos e equipamentos)
    – se for pesquisar o histórico de propostas e medidas vai ter mais coisa que pesa contra esta imagem de mito e ainda recebendo apoio de oposição só porque bolsonaristas estão contra.

    Mandetta pegou uma situação crítica no meio de um governo lamentável, mesquinho, miúdo e agora até a oposição tem que ficar, bajulando o indivíduo. Mandetta tem a mesma má índole deste governo, não foi escolhido por acaso para ter abaixo de si a ANS (planos médicos) e não houvesse esta crise estria continuando na rota da destruição e do desmantelamento da saúde pública. É muito menos ruim que o Osmar Terra ou outro terraplanista, mas não se deve perder de vista a quem ele represente e a quem quer representar. E pedir para ele tirar este colete do SUS pois ele é contra o SUS.

    Ficar como tolos a assistir novos eventos, que vão disfarçando que Bolsonaro não é um mal que já deveria estar sendo separado, encarcerado por tudo o que fez, faz e com a permissividade e normalização do mal, que ainda fará se liberado estiver.

  5. Eu vi, meninos, eu vi: por uma porta semiaberta no Palácio da Alvorada, vi a rainha louca pelada, sentada na beira da cama, com a caneta flácida na mão, se lamentando: “isso nunca tinha me acontecido antes…”

  6. “Ave VerdeSauvas, morituri te salutant”, Paródia romana.

    Nassif: quem manda no Mandetta? Astro pequeno e sem luz própria, sempre orbitou no escuro mais profundo do universo político e social. Seu lobby, do “MenosMédicos” e outros inexpressivos não lhe forneceria energia e luz suficiente para brilhar como tem feito. Começou apoiando as ações do MessiasDoBras. Depois, mudou radicalmente, Depois amenizou. Tem mudado mais que mulher de moda. Mais parece pau mandado. E como tatu não sobe em árvore, quem mandada, agora, no Mandetta?

  7. João teimoso ou João bobo?
    Quem tem mais de 40 conhece o brinquedo, boneco inflável com base de areia que o mantém sempre de pé.
    Mandeta, golpista obscuro, sucateador do SUS vai ocupando espaço no circo semiótico do governo.
    Não fez porra nenhuma, não conseguiu nenhum insumo, não deslocou médicos para onde são mais necessários, e sabe que toda execução de políticas sanitárias repousa nos ombros de estados e municípios.
    A carência por referências é tanta, que há aqui nesse blog, nos textos de seu editor, uma quase-torcida por ele e por seus patronos, os gorilas de verde oliva.

    Não tem agilidade e capacacidade de apanhar insumos na China?
    Soltem os cães de guerra digitais do governo para latirem contra o Dragão para fingirem que existirá alguma retaliação chinesa que camufle nossa falta e dinheiro e agilidade para trazer o que é necessário.
    Sigam the money e saberão quem está lucrando com essas firulas digitais e leilões de máscaras.
    Orçamento de guerra, curvas achatadas, gráficos, tuites, etc.

    Definitivamente, nunca foi tão fácil tocar a manada.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome