A anarquia dos poderes e a entrega de segredos do Brasil para a CIA, por J. Carlos de Assis

Movimento Brasil Agora

A anarquia dos poderes e a entrega de segredos do Brasil para a CIA

por J. Carlos de Assis
 
Anarquizado institucionalmente, o Brasil virou a casa da mãe Joana sob  ditadura de um Judiciário que se aproveita do caos para prevalecer sobre direitos de cidadania, ignorando solenemente prerrogativas do Executivo e do Legislativo. Estes poderes, por sua vez – o senador Requião chama todos os três de “proderes” – capitularam à anarquia judiciária e tentam a suprema vilania de impedir a votação da Lei do Abuso do Poder, proposta pelo próprio perjurado Renan Calheiros, antes de negociar a aprovação já da PEC da Morte.

Tendo concentrado em si todo o poder do Judiciário – do poder de prender sem provas ao poder de condenar sem o devido processo legal  -, Sérgio Moro é o dono de fato da república da mãe Joana. Em nome do combate à corrupção, tese ressuscitada da velha UDN golpista, o juiz de Curitiba, que iniciou sob aplausos merecidos o processo de limpeza da política brasileira, acabou extrapolando de limites legais para se tornar, na prática, um agente da CIA capaz de entregar provas contra a Petrobrás a potências estrangeiras.

E isso não é o mais grave. O esquema da Lava Jato alcançou, prendeu e pôs na cadeia, com uma sentença de 39 anos o almirante Othon Pinheiro da Silva, o herói do programa nuclear brasileiro. O crime, pelo que se pode deduzir dos escaninhos sombrios do processo, foi que o Almirante prestou um serviço excepcional ao povo brasileiro na medida em que, sob sua direção, e abertamente contra a posição do governo norte-americano, se desenvolveu o programa das centrífugas com tecnologia genuinamente brasileira.

Agora, por dedução, como é comum no campo da espionagem, vou tentar esclarecer como tudo aconteceu. Diante da tenaz resistência norte-americana ao desenvolvimento pelo Brasil de um programa nuclear independente, mesmo que pacífico, o Almirante não tinha outro acesso a equipamentos e projetos nucleares que o mercado negro. Obviamente, o governo americano e sua subsidiária internacional, a Agência Internacional de Energia Atômica, tentam de toda a forma monitorar e controlar esse mercado para seus propósitos.

Como não podia entrar abertamente no mercado nuclear paralelo como um oficial das Forças Armadas brasileiras, Othon foi obrigado a fazer um caixa dois para comprar os equipamentos e projetos. Sua filha, especialista em linguagem nuclear com larga experiência, era a pessoa de confiança que trouxe para ajudar no processo de tradução. Parece – sim, parece porque tudo é obscuro nesse processo, que ela teria recebido 4 milhões de reais ao longo de seis anos para ajudar no programa. Dinheiro alto?, não. Considerada a responsabilidade, algo absolutamente razoável.

Por que então o almirante Othon não contou toda essa história a seus interrogadores? A resposta é simples. Se contasse a seus interrogadores, sendo eles amigos do governo americano, iriam entregar imediatamente à CIA informações que levariam ao rastreamento do único mercado nuclear a que o Brasil tem acesso. Se Moro vai duas vezes por mês aos Estados Unidos para levar aos americanos segredos da Lava Jato, imaginem o que não faria caso levasse os segredos nucleares do Brasil aos insaciáveis “irmãos” do norte!

A respeito do programa nuclear brasileiro, poucos sabem que foi desenvolvido no Brasil um processo de centrífugas para enriquecimento do urânio ainda não dominado pelos países centrais. É um método mais eficiente e mais barato do que o comumente utilizado. Vale bilhões de dólares. Se não fosse o complexo de vira lata, isso seria motivo de grande orgulho para o povo brasileiro. O que está sendo feito com o inspirador e executor desse programa vitorioso, porém, constitui, ao contrário, uma vergonha para o Brasil. O Almirante que fez tudo pela Pátria está preso. Seus carcereiros estão soltos, à espera de uma delação premiada que entregue os segredos brasileiros aos americanos, como feito com a Petrobrás. Será que as Forças Armadas não se mobilizam junto ao Governo para coibir esses atos de alta traição?

 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

34 comentários

  1. Isso tudo aconteceu

    Isso tudo aconteceu porque Dilma e JEC se recusaram a trocar toda a equipe da farsa a jato no momento que ocorreu o primeiro vazamento seletivo.

    Sem contar reconduzir Janot, aquele que nunca andou com processos contra o PSDB, e as indicações por cotas (e não pelo carater) ao STF

    A lição do julgamento do mensalão (“não tenho provas mas a literatura me permite condenar”) não foi aprendida e o povo brasileiro é que vai pagar o pato.

     

  2. Em 2008 o presidente Lula

    Em 2008 o presidente Lula conseguiu a aprovação o Projeto de Defesa da Brasileira, incluido ai o Submarino citado no post. Foi naquele momento que os EUA ficaram de orelha em pé….os EUA trabalham em silêncio e não tem data marcada para o golpe de Estado que sempre vem, agora na versão 4.0…Brasil, triste pais bananeiro com sua elite bizarra, que prefere este pais na condição de colônia a ser pais forte e indepedente

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=gWtBgystVU4%5D

  3. “Será que as Forças Armadas

    “Será que as Forças Armadas não se mobilizam junto ao Governo para coibir esses atos de alta traição?”

     

    Por mais que eu tente, não consigo compreender a posição das Forças Armadas diante dos fatos expostos no post. Qual será o motivo que mantém as Forças Armadas nessa letargia, sem exteriorizar opinião sobre os graves acontecimentos que afetam diretamente a segurança do país? Por que o genial almirante Othon foi deixado ao Deus dará, nas mãos sujas da Lava Jato Moro-Janot & Cia. Ltda.?

    A defesa da Nação brasileira, obrigação primeira das Forças Armadas, está definhando, vítima de pessoas mal intencionadas. Ao que tudo indica, parece haver, inclusive, a colaboração de serviços secretos dos EUA com a Lava Jato Moro-Janot & Cia. Ltda. na espionagem de cidadãos brasileiros. Essa estranha ligação necessita ser explicada com urgência. 

     

    • Eu também tenho  esta dúvida
      Eu também tenho  esta dúvida em relação aos militares, e venho estranhando esta posição omissa principalmente em relação à nossa soberania e ao pré-sal. Não podemos esquecer que os tempos de FHC foram péssimos para as F.A.’s, que perderam seus status de ministros, tiveram seus soldos congelados, verbas  diminuídas (militares eram enviados para almoçar em casa para economizar com comida), planos de reaparelhamento bélico paralizado (inclusive o projeto do submarino nuclear iniciado nos anos 80 e a compra de caças negada) além dos episódios patéticos da tentativa de entrega da base de Alcântara, que eles não engoliram, e daquele “estranho acidente” da explosão naquela base. Nos governos do PT, todos os ítens acima tiveram andamento contrário, à exceção do status ministerial. Foram retomados os planos de carreira, o projeto do submarino nuclear, a compra dos caças (dando preferência à escolha dos militares e à transferência de tecnologia), além do óbvio projeto de nacionalização da maior parte da exploração do pré-sal pela Petrobrás, que acredito ter a concordância dos militares. Tudo muito estranho e incoerente (até onde posso ver)…

  4. Mas a prática é outra
    Nunca é demais recordar que o autor desse inflamado artigo apoiou a candidatura à prefeitura da sofrida São Sebastião do Rio de Janeiro um traidor da sra. Dilma Roussef, o obscurantista senador Marcelo Crivella. Portanto, não adianta, agora (sem trocadilhos), bradar contra atos de traição de quem quer que seja tendo apoiado um traidor. É uma mera ba-zó-fia. Bra-va-ta. Ba-le-la. Vale lembrar que o apoio se deu depois da traição. Portanto, é de uma desfaçatez sem tamanho escrever o que se lê acima. São meras palavras.
    1. O senhor considera o senador Crivella, que votou pelo impedimento da sra. Dilma Rousseff, um traidor?;
    2. Se não o considera um traidor, por que, agora (sem trocadilhos), condena as medidas de um governo resultante da traição de um político que o senhor veio a apoiar após o golpe consumado?;
    3. Se o considera um taidor, por que diabos (sem trocadilho) o apoiou?;
    4. O que pensa o senhor dos pronunciamentos do senador Crivella no evento promovido pelo LIDE?;
    5. Aliás, o senhor ainda apoia o obscurantista senador Marcelo Crivella, ou foi uma mera aliança (Pelo Brasil) eleitoral?;
    6. Como o senhor acha que votará na PEC 241/55 o senador obscurantista Marcelo Crivella, o que o senhor apoiou aqui na sofrida Rio de Janeiro?
    O critério da verdade é a prática e a prática do “agorismo”, até agora, inclui o apoio a um traidor da sra. Dilma Rousseff e da pátria.

    • Prezado Martos,
      Não se iluda.

      Prezado Martos,

      Não se iluda. Esse MBA não passa de um convescote de três ou quatro intelectuais de gabinete que se veem sob o manto da esquerda e que, recentemente, teve a adesão de mais meia dúzia de intelectuais vaidosos e esquerdistas arrependidos para a disputa da prefeitura da sofrida São Sebastião do Rio de Janeiro.

      Isso nada é. É mero bla-bla-bla.

      Este ano apoiaram, pasme, o obscurantista protestante Marcelo Crivella à prefeitura da sofrida São Sebastião do Rio de Janeiro. Depois da traição deste senador da República à sra. Dilma Rousseff. Mesmo sabendo que se tratava de um traidor, apoiaram-no.

      Em 2010, alguns deles assessoraram o mesmo personagem ao governo do sofrido estado do Rio de Janeiro.

      Esses “agoristas” falam uma coisa e praticam o oposto. Portanto, nos devem explicações.

      Não se engane, Martos.

  5. Caro J.Carlos de Assis,a

    Caro J.Carlos de Assis,a resposta p sua pergunta está no UOL de hj ao qual o comandante do exército taxa de malucos

    aqueles q cobram uma ação mais efetiva deles,cita até o artigo 142;…destinam-se a defesa da Pátria,à garantia dos

    poderes constitucionais e,da lei e da ordem,ORA MAS Ñ É JUSTAMENTE ISSO Q SE ESTÁ VIOLANDO,esse senhor

    é Ministro do exército de que País,ele chega ao absurdo de dizer q Temer por ser professor de direito demonstra respeito

    as instituições mais q governos anteriores[pasmem]  entrem lá e confiram essa BIZARRICE!

    OBS;Mais um medíocre ao nível de Carmem Lúcia q se preocupa só consigo mesmos,ele cita até como assunto

    mais espinhoso soldos e previdência [pasmem2] ESTAMOS F… LASCADOS MESMO!!!

  6. E quando você fala estas

    E quando você fala estas coisas sempre aparece um coxinha retardado e imbecil dizendo que o “pobrema” do “Braziu” e a “corrupição”.

    Não. O problema do Brasil é, foi e pelo visto sempre será, a burrice dos brasileiros. Burrice aliada com a mais deslavada filhadaputice das suas “zelites”.

    E tem gente que aplaude de pé esses fdp da Lava Jato. Deviam enfiara a cabeça num monte de estrume.

  7. Vejo muitos comentaristas

    Vejo muitos comentaristas aqui do GGN se perguntarem sobre as forças armadas e porque elas não agem ou quando irão agir. Meus caros, apenas gostaria de lembrá-los de que a doutrina pela qual nossas forças armadas rezam é que não temos inimigos externos, apenas internos e que o inimigo interno é o “comunismo” que pode ser entendido basicamente como qualquer coisa que cheire a esquerda, progressismo ou que favoreça os trabalhadores. Isso é assim desde pelo menos a década de 30 quando houve a intentona, piorou um pouco depois da segunda guerra mundial e alinhamento do Brasil aos EUA e finalmente, depois do golpe de 1964, foram varridas das forças armadas todo e qualquer pensamento ou linha de ação autônoma e nacionalista. Basta ver o perfil dos militares cassados que aliás nunca tiveram a anistia que os civis tiveram. E depois da volta do comando aos civis, ninguém teve coragem de mexer nisso. Todo mundos se treme de medo na hora de tentar mexer em qualquer coisa das forças armadas. No máximo, conseguem cortar um pouco de suas verbas se a imprensa nacional pedir e as forças armadas aceitam bovinamente isso em nome do “ajuste fiscal”.

    Não esperem nada deles. Não vão ser os militares que vão salvar este país de suas elites. Definitivamente, eles vão cegamente se aliar ao que há de pior delas pois a eles só interessa o combate ao “comunismo”, ou o que quer que isso possa significar como um termo guarda-chuva. Daí a inclusive não se manifestarem em relação ao impeachment. Isso explica também o porque do silêncio em relação à prisão do almirante. Um ou outro pode não ter gostado por conta de planos particulares ou de pequenos círculos, mas as forças armadas não se viram ameaçadas em sua missão institucional que é o combate à esquerda nacional ou até mesmo no continente ou vizinhança do Brasil. Por outro lado, assim que um governo de esquerda assumir para tentar fazer mudanças estruturais, coisa que nem Lula ou Dilma ousaram fazer, apenas Jango tentou iniciar, não tenham dúvidas de que eles serão os primeiros a se levantarem de forma conjunta e sem divisões contra para sufocá-los. Não existe nacionalismo nas forças armadas, existe apenas um ufanismo besta para esconder seu anticomunismo visceral. Não á toa, os coxinhas que vão aos protestos se vêem como bem representados pelas forças armadas e pedem a volta dos militares ao poder.

    • vejo….

      A estupidez brasileira estrapola qualquer parâmetro. Uns dizem que militares são subsevientes aos americanos, enquanto o articulista acusa estes mesmos americanos de sabotagem.  Sabotamos a nós mesmos.  Os mesmos que elogiam o Almirante Othon e a defesa intransigente das Forças Armadas perla segurança, soberania e interesses brasileiros são os mesmos que criticavam as mesmas Forças Armadas por subserviência. corrida armamentista e praticas anti democráticas. “Cachorro atrás do rabo”. Uma elite politica-intelectual, esquerdopatas imbecis que não sabem para onde ir. Pobre país, levou novamente mais 30 anos para descobrir que estava sendo guiado por cegos. Esperar o que? 

  8. Isso! Isso! Isso!

    Essa explicação para os recursos financeiros reunidos e administrados pelo Alm. Othon foi a mesma que pensei desde que esse caso foi revelado. Faz todo o sentido, inclusive para explicar o silêncio dele quanto a se defender, revelando esse aspecto paralelo do programa nuclear.

    Fosse este um país que prezasse, de fato, a sua soberania, bastaria uma conversa franca e secreta entre o Alm, os CMT das FFAA e o PGR e tudo estaria resolvido.

    Espero que os militares tenham ao menos a decência de, uma vez baixada a poeira, exigir anistia para o Alm. Othon.

  9. Sugestão Alcântara

    Sugiro investigar o episódio que levou ao fechamento da Base de lançamento de satélites de Alacântara, na Serra do Cachimbo.

    Trata-se do melhor ponto do planeta para VLS ( veículos lançadores de satélites ) e consta que já havia pré contratos com Índia e China para efetuar lançamentos.

    Muito suspeito o acidente, dado o cuidado e empenho dos cientistas brasileiros envolvidos no projeto. Suspeita acirrado pelo encerramento súbito do programa.

     

    • Geografia

          Nesta aula vc. faltou, pois Alcantara situa-se no litoral do Maranhão, bem distante da “Serra do Cachimbo” que fica no Sul do Pará, fronteira com Mato Grosso, e lá não foi nada fechado, continua sendo o Campo de Provas Brigadeiro Velloso, uma Base FAB onde são realizados testes de armas, não apenas pela FAB como tambem pelo EB e MB.

           E é delirio que tanto a India quanto a China tivessem pré-contratos, sequer vago interesse em Alcantara, eles possuem seus próprios lançadores e sitios ideais para lançamentos, o unico contrato existente foi com a Ucrania, no qual enfiamos US$ 225 Milhões e temos no Porto de São Luiz um monte de caixas, e nenhum lançador , aliás a Dilma cancelou este contrato há mais de um ano ( ACS – Alcantara – Cyclone ).

            O acidente já foi explicado milhões de vezes, toda a revisão técnica dele foi feita na Russia, os dados levantados por eles são publicos, quanto a parada do projeto VLS, pergunte aos que fizeram o “porco” acordo com os ucranianos da Cyclone, pois os US$ 225 Milhões poderiam ter sido melhor usados aqui do que pagar por nada.

  10. O caso Othon

    Prezado Assis

    Me permita complementar, pois me parece que a coisa é ainda mais grave. O Brasil domina a tecnologia das centrífugas e teve durante um bom tempo uma carga excessivamente intrigante da Agencia Internacional de Energia Atômica. Insistiam em adentrar nos recintos de nossas centrífugas, para conhecer nossa tecnologia,   com a desculpa de fiscalização. Isto desde que FHC assinou aquele tratado que  praticamente monopoliza esta área para as ditas nações nucleares.  Observem que o controle  do enriquecimento de urânio, pode ser feito apenas controlando a quantidade de entrada e a saída. Foi isto que levou Almirante Othon e vários pesquisadores  a montar o que ele mesmo denominou de Mictório Público Francês.  Veja o artigo de Othon que postei muito tempo atrás aqui no GGN.

    https://jornalggn.com.br/blog/frederico-firmo/as-inspecoes-nucleares-no-brasil-e-o-mictorio-publico-frances

    Não se trata apenas da tecnologia de centrífugas, se trata  principalmente de  frustrar o projeto brasileiro  de  fazer sua própria usina de refinamento. Uma usina de refinamento que supriria não apenas as necessidades brasileiras, mas também de vários outros países. Este enriquecimento do Urânio , é bom que se diga,  visa apenas suprir as necessidades de usinas nucleares,  sem nenhuma conotação bélica. Mas o Brasil, poderia competir de maneira muito forte  com as indústrias do ramo, na Europa e Estados Unidos. Isto seria  ainda mais importante, na medida em que o Brasil tem uma das maiores jazidas de urânio.

    Mas o trabalho de Othon é importante também porque ele estava a frente do projeto do reator para um submarino nuclear. Antes que pensem em alguma coisa bélica, tanto a usina de refinamento  como o submarino nuclear  não são armas nucleares. Nos dois casos se trata de geração de energia.

    Mais interessante ainda é que estas pressões vem de longa data, pois o domínio das centrífugas já faz mais do que uma década. E  sempre houve pressão americana sobre o fato. O mais curioso é que a prisão preventiva de Othon teve como objetivo principal,proibi-lo de continuar o projeto . Retirar um lider de um projeto tecno-científico deste porte, não é mudar o gerente, é obstaculizar o projeto e também   destruir as fontes de  financiamento.

    Portanto vemos que toda esta luta contra a corrupção não tem nada a ver com mãos limpas.

     

     

  11. Não, não precisamos de mais um golpe…

    Não se trata de chamar militares, mas sim, de resgatar  as nossas instituições democráticas. Eu espero, que após aquela trágica  experiência, as forças armadas  sejam apenas uma instituição democrática entre várias outras, agindo dentro dos seus limites constitucionais. Antes de chamar os militares sejamos sim, republicanos no sentido radical do termo.

    Existem claras violações legais nestes acordos. Existem claras ações contrárias ao Brasil e a constituição. Eu me recuso a pensar que precisamos de mais um golpe para nos contrapormos a isto. O que precisamos é resgatar este país da mão de uma quinta coluna dirigida por uma verdadeira quadrilha.

      Mas isto não se faz com um golpe, pois o dito golpe  militar de 64, foi feito com ajuda desta mesma quinta-coluna. ( Isto está documentado pelo próprio agressor,no caso, os documentos do governo americano liberados após uma certo número de anos).

    O fato de Othon ser almirante ou não,  não vem ao caso, pois o importante é seu trabalho como brasileiro.  E lembrem que o que está faltando agora é exatamente democracia. Quando temos um jornalismo monopolista comprometido em enganar, manipular, esconder e defender interesses escusos, estamos com um déficit de democracia, isto me lembra a censura e a repressão das idéias. Se todas estas informações estivessem ao alcance de todos os brasileiros isto poderia ser muito diferente.  E a recordação da censura e da falta de democracia me reafirma que não precisamos de mais um golpe. Precisamos de democracia.

    • Resposta ao Frederico Firmo

      Deus te ouça, meu caro compatriota! Fico entusiasmada quando leio coisas como essa que você escreveu, ao mesmo tempo que fico entristecida quando leio cidadãos – filo-comunistas, que usam de sua competência com a língua pátria para escreverem asneiras. O texto é o exemplo! A ideologia de esquerda, parece, deixa a inteligência de seus adeptos à margem! No mínimo pensam que os leitores também são idiotas, a ponto de crerem em tanta intelectualidade voadora!!! Tadim do militar, “arrumou” um Caixa 2 em defesa dos interesses brasileiros,ao arrepio da lei????????? Ai, coitado!

  12. Ingenuo

       O Almirante Othon foi ingenuo, ao misturar-se com os civis da Eletronuclear, talvez levado pela vaidade caiu em um ninho de cobras criadas, e no meio de uma das maiores licitações internacionais propostas por um estado, na qual concorriam europeus, russos, norteamericanos + japoneses, e dançou – a Westhinghouse irá levar.

       Quanto aos “bilhões de dolares” da suposta inovadora tecnologia de centrifugação brasileira, a segurança dela é tão “boa” quanto a iraniana – muito semelhante a nossa – que um simples virús gerado por computador , por Israel e Estados Unidos, inabilitou por meses, portanto acreditar que uma tecnologia valha bilhões podendo ser anulada desta forma………

        Submarino Nuclear :   Qual o maior problema para construir um SSN efetivo ?

         A grande maioria irá responder que é o reator, o combustivel , algo completamente fora da realidade, é tecnologia dos anos 50, todo mundo conhece o que é um reator, vaso de contenção, casco de pressão, trocadores de calor , até na América do Sul a Argentina tem um projeto pronto para um SSN e um reator possivel de ser instalado ( “pegaram”, sabe-se lá como, parte da tecnologia canadense que seria da “Classe Canadá” ), só faltou para o “Santa Fé” virar “nuke” por falta de dinheiro e descisão politica ( a ultima vez que o vi, estava ainda no CINAR esperando uma solução ).

          Mas tanto o “Santa Fé “, como nosso futuro, talvez um dia, SSN Alvaro Alberto, precisam suplantar o maior desafio tecnológico em um SSN, o som – o barulho – e está dificil, de acordo com simulações dinamicas, os ruidos foram mais elevados que da Classe Rubis ( francesa dos anos 60 ) e dos “Alpha” ( russos dos anos 80 ). 

    • Acho que você não tem nada de ingênuo.

      Aurelio

       Acho que você não tem nada de ingênuo e usa uma terminologia  bastante técnica mas cheia de equívocos, o que me indica que tudo isto faz parte de uma retórica conhecida. No interior dizem que quem desdenha quer comprar. Porém eu acho que você  está usando apenas da retórica  com outros fins. Se a eletronuclear fosse tão desinteressante, assim acho que não estaria na lista do Snowden.

      De fato a tecnologia nuclear é antiga, mas eu diria que ainda existem muitos paises dependentes desta tecnologia antiga. O japão , a França etc… Leia o artigo do Othon.

  13. Não é Anarquia

    Anarquia e anarquização é a descentralização do poder e a ordem social contruída pela sociedade, e não por governantes corruptos (pleonasmo). Se fosse anarquização e se fosse anarquia, seria uma coisa boa. Porém é apenas o mais recente exemplo dos abusos ocasionados pela concentração de poder na mão de déspotas inimpugnáveis.

  14. Sr. Assis: teve um moço aqui

    Sr. Assis: teve um moço aqui à muitos anos que disse “onde está o teu tesouro, aí está o teu coração”. Ora, essa gente mora em Miami, a família e os bens estão em Miami, logo o coração deles é americano e por nessecidade de fuga e auto afirmação, eles são entusiástica e emocionalmente americanos, são mais realistas que o rei. Aqui eles saõ estrangeiros e estão muito deslocados, sentem-se mal e infelizes ou seja no final das contas tudo está justo tudo está perfeito. A vida é assim. Só precisavamos colocar todas as coisas no seu devido lugar, ou melhor, mandá-los escolher.

  15. Mobilização das Forças Armadas?

    Vai ter sim, se o povo se levantar revoltado contra o golpe, ai eles irão pras ruas meter porradas, cassetetes e balas contra os “insurgentes subversívos”  que atentem contra a “ordem estabelecida” “movidos por idéias totalmente contrárias ao bom convício democrático”.

    Em 1964 eles foram o pivô do golpe, em 2016 são o esquadrão armado de reserva caso o troço desande.

    Esses canalhas fardados foram aquinhoados pelo vice vigaristas, estão fora da reforma da previdência que levará ao desespero e à morte milhões de brasileiros, não serão atingidos  também pela PEC da morte; no geral oficiais militares brasileiros são como cachorros da pior espécie que só latem se seus donos mandarem e normalmente contra indigentes, pra mim (com raríssimas exceções como Carlos Lamarca) são uma parte da escória da humanidade, são os centuriões que os patifes sempre usam pra reprimir, torturar e matar descontentes.

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome