Carta dos promotores e promotoras ao ex-presidente Lula

Nosso respeito por reafirmar o fato de que direitos hoje conquistados e absorvidos por ordenamentos jurídicos de todo o mundo somente se tornaram realidade em razão de muita luta, suor, sangue e lágrimas.

Ricardo Stuckert

Respeito, admiração e solidariedade. 

“Ao senhor Luiz Inácio Lula da Silva

Respeito

Escrevemos esta carta para manifestar a você, primeiramente, respeito. Respeito por ter nascido num local simples, vindo de uma família pobre, obrigada a batalhar duro para sobreviver. Respeito por ter se retirado, ainda muito cedo, de sua terra natal, em busca de uma vida melhor. Respeito por representar os milhões de brasileiros que, durante a história, trilharam o mesmo caminho à procura de dignidade.

Respeito por ter tido que escolher o trabalho à custa dos estudos. Por ter sacrificado parte importante da vida para angariar alguns trocados – naquele momento, imprescindíveis. Respeito por ter iniciado, ainda quando adolescente, o exercício da profissão que o acompanharia por quase toda a vida. Respeito por mostrar – para quem quer e consegue enxergar – que a meritocracia, no Brasil, é uma ideia falaciosa (quantos companheiros tiveram o mesmo sucesso que você, não é mesmo?).

Respeito por ter perdido sua primeira esposa e filho de forma trágica. Respeito por sua intensa atividade sindical. Respeito por reafirmar o fato de que direitos hoje conquistados e absorvidos por ordenamentos jurídicos de todo o mundo somente se tornaram realidade em razão de muita luta, suor, sangue e lágrimas. Respeito por mostrar que a luta é parte indissociável da evolução da humanidade.

Admiração

Expressamos também nossa admiração. Admiração por ter atuado no sindicato de um dos maiores polos industriais do Brasil. Admiração por ter sido eleito presidente da agremiação por duas vezes. Por ter participado, durante a ditadura militar, da organização de greves históricas e memoráveis. Por levar a luta a suas últimas consequências – até mesmo à prisão. Admiração por demonstrar que a prisão sempre foi e sempre será instrumento de controle social.

Leia também:  Nós, os primatas (final). III. Somos todos macacos africanos, por Felipe A. P. L. Costa

Admiração por ter sido um dos fundadores daquele que viria a ser o maior partido do Brasil em número de filiados, e que chegaria à presidência da República por quatro vezes consecutivas. Admiração por ter lutado pelo fim do período de exceção e integrado a frente suprapartidária formada com esse objetivo. Admiração por ter sido o deputado federal constituinte mais votado do país, e por ter feito parte do pacto constitucional que rege o Estado e a sociedade brasileira até os dias atuais – apesar dos constantes ataques contra seus princípios basilares.

Admiração por ter se tornado, apesar de todo o preconceito, o primeiro presidente da República vindo da classe operária, reelegendo-se de forma inquestionável. Admiração por ter implantado – e isso é reconhecido internacionalmente – importantes programas de distribuição de renda, de diminuição da desigualdade, de combate à fome e à pobreza (objetivos do milênio), de incentivo à educação, à cultura e ao esporte. Por ter procurado governar para todos. Por ter acreditado na paz e na união como nortes.

Solidariedade

Necessário, por fim, externar nossa solidariedade. Solidariedade por ter sido atingido pelo que entendemos serem equívocos jurídicos. Equívocos jurídicos como sua condução coercitiva ilegal e a divulgação ilegal de conversas particulares suas e de seus familiares (a ilegalidade dessas práticas foi reconhecida pelo STF). Solidariedade por ser um símbolo da injustiça que se pratica contra acusados e condenados negros e pobres do país, presos sem fundamento, em locais degradantes, sem culpa definitivamente reconhecida.

Leia também:  A suposta popularidade inesperada de Jair Bolsonaro e a força de sua agenda moral, por Camilo de Oliveira Aggio

Solidariedade por ter perdido sua segunda esposa em meio à perseguição judicial e midiática levada a efeito contra sua família. Solidariedade por nos demonstrar que não podemos mais contemporizar com o processo penal do espetáculo, em que pessoas são expostas, acusadas, julgadas e condenadas sem o sagrado direito de defesa. Solidariedade por não poder estar com sua família durante o velório do seu irmão Vavá.

Solidariedade por não mais ter seu querido Arthur. Por não ter podido ficar ao seu lado em seus últimos dias de vida. Arthur partiu cedo, mas talvez tenha sido dele a missão de frear o ódio, o rancor, o ressentimento e a violência jogada em nossas faces cada vez que entramos em redes virtuais e até mesmo nas ruas. Seu sorriso marcante há de demonstrar que “a pureza da resposta das crianças” é um caminho que pode ser alcançado. E que não podemos parar de caminhar.

Afrânio Silva Jardim – Procurador de Justiça aposentado;
Plínio Antonio Britto Gentil – Procurador de Justiça;
Jacson Rafael Campomizzi – Procurador de Justiça;
Margaret Matos de Carvalho – Procuradora Regional do Trabalho;
Jacson Luiz Zilio – Promotor de Justiça;
Gustavo Roberto Costa – Promotor de Justiça;
Roberto Tardelli – Procurador de Justiça aposentado;
Romulo de Andrade Moreira – Procurador de Justiça;
Haroldo Caetano da Silva – Promotor de Justiça;
Sueli de Fátima Buzo Riviera – Procuradora de Justiça aposentada;
Inês do Amaral Buschel – Promotora de Justiça aposentada;
Luiz Henrique Manoel da Costa – Promotor de Justiça;
Walter Moraes – Promotor de Justiça;
Andrea Beatriz Rodrigues de Barcelos – Promotora de Justiça;
Lucia Helena Barbosa de Oliveira – Promotora de Justiça;
Wagner Gonçalves – Procurador da República aposentado; ex-Sub-Procurador Geral da República, ex-Procurador Federal dos Direitos do Cidadão, ex-Presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República;
Álvaro Augusto Ribeiro da Costa – Procurador da República aposentado, ex-Sub-Procurador Geral da República, ex-Procurador Federal dos Direitos do Cidadão, ex-Presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, ex-Advogado-Geral da União;
Antonio Alberto Machado – Promotor de justiça aposentado;
Westei Conde y Martin Junior – Promotor de Justiça.
Pedro Oto de Quadros – Promotor de Justiça em Brasília, MPDFT

9 comentários

  1. Todos esses procuradores(as) e promotores(as) de justiça (???) e NINGUÉM da própria classe fez NADA contra a turminha de Curitiba?
    Pode-se ver muito bem que o “autocontrole” dessas “Castas Hereditárias” brasileiras (MPs e Justiça(???)) só serve para livrar a cara dos amigos (“Me ajuda agora que te ajudo depois”).

    SE e QUANDO a democracia voltar ao Brasil, temos que dar um jeito de acabar com esses canalhas.

  2. Importante essa carta. Ao ler os nomes do procuradores com coragem e humanidade para tal ato, me dei conta que muitos dentre eles são de outra geração que essa da Lava Jato. Mais antigos, aqueles que viveram a ditadura militar e portanto com mais maturidade e, claro, outros valores.

  3. Apesar de toda campanha contra Lula e PT, pesquisa recente sobre a influência das fake news nas eleições mostra que se houvesse um mínimo de controle nas ultimas eleições talvez o resultado fosse outro e, quem sabe, nao estaríamos sob este regime fascistoide.
    Tambem interessante o resultado sobre corrupção em relacao aos poderes e tambem quando comparadas as visões da população entre os periodos atual e na época do golpe.

    https://www.jb.com.br/pais/2019/09/1017032-para-4-em-5-brasileiros–fake-news-influenciaram-eleicoes–aponta-pesquisa.html

    1
    3
  4. Com a fala do Carlos Elisio sobre influência das fake news nas eleições, nos lembramos quanto a Justiça Eleitoral é calhorda nesse país. Naqueles dias próximos dos dois turnos, o que mais se falava era justamente na malandragem de empresários pagarem disparos whatsapp para a campanha do verme boçal. O ministro FUX falava e dizia prometendo agir…..a ministra Rosa-presidente não me lembro o que falava, mas não estava muda. E daí o maldito boçal roubou vergonhosamente o resultado eleitoral e os merdas do TSE nada fizeram. Diante de tudo isso pergunto? POR QUE OS GRANDES ARTICULISTAS QUE ESCREVEM NESTE E NOUTROS BLOGS PROGRESSISTAS NÃO INSISTEM CONTINUAMENTE NA CRÍTICA, ATÉ VIOLENTA, SE NECESSÁRIO, CONTRA A PREVARICAÇÃO DO TSE EM NÃO INVESTIGAR E JULGAR SERIAMENTE A ÚLTIMA ELEIÇÃO PARA, SE FOR O CASO,CASSAR A CHAPA BOÇAL/BOSTÃO E DEPUTADOS, SENADORES, GOVERNADOR QUE GANHARAM COM FRAUDE? e PORQUE PARTIDOS POLÍTICOS TAMBÉM NÃO INGRESSAM JUDICIALMENTE QUESTIONANDO O TSE QUE PREVARICA? aguardamos resposta.

  5. Lula é o representante de todos e todas injustiçados e ignorados pela justiça e ministério público brasileiros, simplesmente pela origem humilde, pela falta de diploma em faculdade, pela cor da pele, pela profissão e, sobretudo pela compreensão de uma elite econômica e social que nunca engoliu a vitória de um operário nordestino para presidir o Brasil por duas vezes e, além disso, ajudar na eleição de um “poste”, também duas vezes. Elite suja e egoísta, se prepare para mais uma, dentre outras que virão, vitória do companheiro Lula e/ou outro(a) candidato(a) com o mesmo perfil. LULA LIVRE…

    1
    1
  6. Nunca é tarde para um reconhecimento, só lamento não ter sido um pouquinho mais cedo, o que poderia frear a volúpia da República de Curitiba.

  7. Muitos do que assinam este manifesto estão aposentados,o que denota grande experiência funcional e de vida.
    Como puderam, como o primeiro que assina este manifesto, terem deixado se enganar, ainda que momentaneamente pelo camisa preta do Paraná e seus comparsas concurseira?
    Será que, desde o início, com as conduções coercitivas correndo à vontade e os vazamentos constantes a mídia para que houvesse a espetacularização destas prisões, já não era possível para eles,especialistas na área, vislumbrar o que viria a acontecer?
    De qualquer forma,é melhor tarde do que nunca e esperar que os outros inúmeros procuradores que ainda permanecem em silêncio saiam de seus casulos e defenda a justiça pela qual recebem dignos salários.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome