Golpismo naufragado, por Jandira Feghali

 
Golpismo naufragado, por Jandira Feghali
 
Os últimos dias de 2015 nos reservaram uma importante decisão a celebrarmos. A luta contra o golpe institucional teve uma enorme vitória com a decisão recente do Supremo Tribunal Federal. A ADPF protocolada pelo Partido Comunista do Brasil teve o desfecho que a democracia merece: impediu um rito do impeachment eivado de ilegalidades patrocinadas por quem deveria conduzi-lo com isenção e imparcialidade. Mesmo que as manobras continuem, ao sabor do revanchismo diário e oportunista, do presidente da Câmara e da oposição, nosso país demonstrou que estamos mais fortes e unidos contra qualquer ato antidemocrático.
 
Intensas lutas foram travadas nas ruas e no Parlamento em defesa da democracia. Nossa brava juventude se rebelou contra a pauta imposta por uma Câmara dos Deputados de composição conservadora no debate da proposta de redução da maioridade penal. Se revoltou contra o fechamento de escolas. Um levante juvenil nos inspirou e comprovou o poder da mobilização.
 
Se em 2015 o atraso tomou o poder na Câmara, o ano também foi de unidade das mulheres que soltaram suas vozes nas ruas e nas redes sociais. De mãos dadas e em diversos tipos de coro, filhas, mães e avós tomaram o asfalto para exigir seus direitos. Estiveram perfiladas num dos momentos mais bonitos de nossa História: a Primavera das Mulheres.

 
A resistência não impediu a aprovação de algumas propostas atrasadas e na contramão do caráter cidadão de nossa Constituição Federal. Mas, pela ampliação do debate, gerou conscientização política e celebrou conquistas importantes como o fim do financiamento privado de campanhas eleitorais e o direito de resposta.
 
Ao olhar para trás, vemos um campo onde batalhas legislativas, antes pacíficas e com lugar para o contraditório, deram lugar a ataques covardes, vis e até físicos. Restou a certeza de que é preciso, sim, continuar na luta em favor do Estado Democrático de Direito e da política de alto nível. Aquela que nos engrandece e promove a justa e necessária transformação social.
 
Se atitudes fascistas crescem de forma alarmante em setores da sociedade e dentro do Parlamento, repito: Mais democracia! Nada como uma grande injeção dela em nossa pátria para que o ódio ferrenho e a intolerância cega sejam neutralizados e extirpados de uma vez por todas. Somos plurais em nossa cultura e modo de enxergar o mundo, e nossas diferenças precisam ser respeitadas.
 
Entraremos em 2016 enlaçados à certeza de que é preciso seguir com nosso lado na política, defendendo um projeto político vitorioso nas urnas com seus mais de 54 milhões de votos. Aliás, um projeto constantemente atacado por forças oportunistas e sem autoridade moral e política alguma para tal. Sem credibilidade ou ética, eles marcham numa missão que fracassará fragorosamente.
 
Agradeço a todos que me acompanharam nesta caminhada e aos que incentivaram nosso mandato a prosseguir. As batalhas não foram fáceis, mas ter vocês ao meu lado fez toda a diferença. Vamos juntos!
 
Jandira Feghali é médica, deputada federal (RJ) e líder do PCdoB

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

7 comentários

  1. Mensagem enviada a
    Mensagem enviada a presidência da República via Facebook :

    Cara Presidente

    Reforce sua segurança nos próximos dias. Abaixo reproduzo a conversa amigável que tive durante um almoço de confraternização. Meu interlocutor foi um advogado maçom de Osasco que aderiu ao golpe de estado:

    “O restaurante está vazio por causa da crise no país.”
    “A única crise é a dos derrotados. Vocês perderam a eleição e dormirão com os rabos quentes porque perderam o Impedimento no STF. Além disto, aquele merda do vice também assinou as pedaladas fiscais e vocês querem depor a presidente eleita.”
    “Eu ficarei satisfeito só com a queda dela.”
    “Você e seus amigos filhos da puta querem desqualificar meu voto.”
    “Pena que nenhum atirador tenha abatido Dilma ainda”.
    “Se isto ocorrer muitos vão morrer.”
    “Não vão não.”
    “ISTO É O QUE VEREMOS.”

    A senhora deve levar a sério a ameaça de atiradores, pois é cediço que na maçonaria paulista há bandidos capazes de realizar aquilo que foi dito pelo meu ex-amigo que embarcou no golpe. Talvez já exista um plano e aquele merda tenha deixado vazar algo que escutou no seu clubinho de veados. Se for necessário fornecerei às autoridades o nome e o endereço daquele filho da puta para que ele se explique.

  2. Mas Dilma quer ser impichada

    Acaba de nomear Nelson Barbosa para a Fazenda. Ninguém mais duvida da capacidade de autodestruição da Presidente — eis que agora temos mais uma demonstração.

     

  3. essa mulher é fera

    essa mulher é fera mesmo…

    com uma resistencia impressionante….

    e a fidelidade do pc do b a esse projeto piopular

    ficará marcado na história do país…

    parabéns a todos que resistem às forças obscuras

  4. Prêmio racista do ano vai para o PC do B.

    O prêmio de racista do ano dado pela fundação Survival International foi para o deputado estadual Fernando Furtado do PC do B do Maranhão. Em audiência pública em julho desse ano, o deputado se referiu aos indios como ‘viadinhos’ e disse que indio tem que morrer de fome porque não sabe trabalhar.  Esse é o partido da nobre deputada, um partido que não merece nenhuma credibilidade, que veicula calúnias de racismo contra adversários,  mas que ostenta racistas da pior especie no seu seio. O deputado pediu desculpas em nota, mas não foi expulso do partido que se diz ‘progressita’. E quem acoberta racista, racista é.

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome