O País tem direito à lista e à delação da Odebrecht, por Tereza Cruvinel

do Brasil247

O País tem direito à lista e à delação da Odebrecht

por Tereza Cruvinel

Quando divulgou a conversa ilegalmente grampeada entre Lula e Dilma, o juiz Sergio Moro alegou  “interesse público” no assunto.  Acrescentou que os governados têm o direito de saber o que fazem (inclusive na intimidade) os governantes.  Os mesmos argumentos , e muitos outros, podem ser invocados pela sociedade  para exigir a divulgação da “lista da Odebrecht”, contendo mais de 300 nomes de políticos que receberam “capilés” da empreiteira, logo posta sob sigilo por Moro.  Por que nela há pessoas “com foro” ou porque ela não atende a seuis critérios de seletividade?  Da mesma forma, a sociedade tem direito de exigir do Ministério Público que aceite a proposta da construtora para uma “colaboração definitiva”, afastando a suspeita de que a recusa se relaciona com a amplitude do esquema de financiamento partidário-eleitoral que a Odebrecht planejava desnudar.

O desinteresse de Moro  e dos procuradores pelas revelações da construtora  transpareceu já na noite de terça-feira, conforme registrou este blog. O Jornal Nacional , ao noticiar a Operação Xepa, que fez buscas e apreensões em várias unidades da Odebrecht, destacou trechos da nota pública da empresa,  passando ligeiramente sobre o trecho em que afirma não ter a construtora “responsabilidade dominante” pelos fatos apurados e pela existência de “um sistema ilegítimo e ilegal de financiamento do sistema partidário-eleitoral”.  A seguir, William Bonner informa que “nossos repórteres” ouviram do  Ministério Público que tal acordo não havia sido assinado e que seria analisado segundo as prioridades da Operação Lava Jato.  O desinteresse do Ministério Público confirmou-se nesta quarta-feira logo que começaram a ser divulgados nomes da oposição que figuram na lista da Odebrecht, tais como Aécio Neves, José Serra, Rodrigo Maia e Eduardo Cunha, para ficar só em quatro importantes lanceiros do impeachment.  Moro colocou o material sob sigilo e os procuradores praticamente descartaram a delação da Odebrecht.

Leia também:  "Moro decidiu receber sua parte no golpe em dinheiro", diz Haddad

A sociedade  tem o direito de conhecer este “sistema ilegal e ilegítimo” de financiamento do conjunto de partidos que a representa.  Quando diz que não tem  “responsabilidade dominante”  por sua existência, a Odebrecht diz implicitamente que não o criou sozinha,  que  ele não nasceu agora, nos governos do PT, que ele envolve um conjunto de empresas e partidos, enfim, que este é o sistema político-eleitoral que temos, fomentador da corrupção.   A lista contém informações que remontam aos anos 1980.   Se o objetivo é passar o país a limpo, tal sistema precisa ser conhecido  para ser desmontado e substituído.  Moro, em seu já muito citado artigo sobre a Operação Mãos Limpas da Itália, refere-se  à necessidade de “deslegitimação” do sistema partidário que lá estava fortemente associado à corrupção. Já a Lava Jato parece querer deslegitimar apenas uma parte do sistema partidário,  composta pelo PT e partidos aliados.

A divulgação da lista iluminaria uma parte do porão. Mas a “colaboração definitiva”, expressão cunhada pela Odebrecht para indicar a disposição de seus dirigentes de falar tudo o que sabem, e certamente sobre todos, é fundamental para o completo desvelamento do esquema. Na colaboração eles não apenas citariam nomes mas apontariam mecanismos operacionais ainda não de todo conhecidos.   A parte ainda lúcida da sociedade, que não se deixou cegar pelo ódio, que mesmo não gostando do PT percebe a seletividade do processo, tem o direito de conhecer a lista e as revelações da Odebrecht. Depois do desgaste com as ilegalidades cometidas contra Lula, Dilma e outros políticos grampeados, a Lava Jato faria bem em afastar as evidências de que seu propósito não é uma faxina mas sim uma chacina política.

 

23 comentários

  1. PEC compradas.

    Alguém  conseguiria calcular o prejuízo anual do governo federal pelas “desonerações compradas” na lista da  Odebrechet??Lógico q outras emprenteiras Tb lucraram e muito…seria possível tal calculo??E relacionar com a PEC da morte…queda da arrecadação. 

  2. Se essa lista pega de 1980 a

    Se essa lista pega de 1980 a 2106! Só está faltando a “listinha” de 1980 prá trás.

  3. Se não me engano esse artigo

    Se não me engano esse artigo foi escrito lá pelo começo do ano de 2016. Minha certeza é que não é de agora. Entretanto, sua reapresentação é pertinente dada a divulgação SÓ AGORA, repito SÓ AGORA, mesmo assim através de vazamento da já famosa Lista da Odebrecht.

    Perguntinha besta: se essa lista tivesse recebido, conforme bem alega a articulista, o mesmo tratamento que recebeu por parte do MP e do Juiz Moro das ligações telefônicas PRIVADAS entre Dilma, Lula e familiares desses, TERIA EXISTIDO O IMPEACHMENT DA PRESIDENTE? Haveria condições morais dessa corja que está no governo e da própria imprensa anti-petista de acoitar tal propósito? Da mesma maneira, com que moral os paneleiros e amarelinhos iriam para as ruas pedir o afastamento da agora ex-presidente?

    Fui crítico da mesma, em especial nesse último governo. Mas por uma questão de justiça tenho de reconhecer que ela, dessa embrulhada toda, é a única que se salva moralmente limpa. 

     

  4. Heidelberg

    Parece que teremos de escrever para a Universidade de Hidelberg para que eles peçam a tal lista para o Moro, já que o pessoal de lá se preocupa com a transparência.

  5. “Justissa” de

    “Justissa” de conveniências…

     

    se serve dos direitos do cidadão, do país e das empresa. E ainda queriam um tchuli tambem…..

  6. Porque a PGR quer esconder essas informações do público?

    “É estranho que numa democracia as pessoas reclamem de uma revelação como essa. Desde o início das investigações decidimos que não iríamos esconder nenhuma informação do público”. Sérgio Moro

    Considerando que ocorreram inúmeros  vazamentos sem que a PGR tenha se preocupado em investigá-los, conclui-se que a PGR se insurge não contra o vazamento em si, insurge-se para proteger políticos cujos envolvimentos não deviam vir a conhecimento público.

    Janot não vai conseguir tapar o sol com uma peneira.

  7. Realmente… Percebe-se a

    Realmente… Percebe-se a falcatrua quando um juiz utiliza de dados sigilosas para jogar informações seletivas na mídia afim de atacar determinados políticos… Primeiramente que já é um crime vazar seletivamente informações que estão sendo julgados pela justiça… Causando danos a imagens da pessoa sem antes ser julgada… Segundo… Se fosse jogar estes dados para alguém seria para sociedade e via sistema de comunicação governamental. Se os julgados permitissem o joguete de informações sem antes serem condenados… Pois condenados… creio que está previsto em lei… Em suma… Tem que se respeitar a lei… Se for desrespeitá-la tem de ter o aval do povo. Não se pode utilizar de informações da justiça de forma privada como estão fazendo os juízes e meios de comunicação privado… Isto é tomada do estado… É corrupção, e crime.

  8. Se fosse jogar estes dados

    Se fosse jogar estes dados para alguém teria de ser para toda a sociedade e via sistema de comunicação governamental; também teria de ser de forma total e não parcial, como vem sendo feito atualmente. Eu acho que já se poderia fazer um julgamento por corrupção neste caso… Pois o juiz está desobedencendo a lei e fazendo concluio com grupos privados… Alguma coisa está errada aí. Isto não seria corrupção passiva? A mesma utilizada pelas empreiteiras com políticos? E para piorar diretamente com um representante da justiça, que deveria ser imparcial? A justiça está sendo imparcial e servindo interesses privados? Não seria um crime? Os prêmios poderiam ser considerados corrupção… Ele trocaria as informações privilegiadas por premiações e capas de revistas… Não tem algo haver? Pois se ele fosse utilizar de um meio para vazar informaçoes que ele julga necessárias para o interesse da nação sem infligir nenhuma lei como um representante da mesma… Ele teria de utilizar dos meios imparciais, diretos e governamentais.. E não de meios privados e especificos… Ainda mais por ter recebido prêmios… Isso pode ser interpretado como parcialidade e concluio… Até organização criminosa… Não me entendam mal… Eu quero o continuamento das investigações… Mas as investigações totais, de todos os partidos e políticos! Se m parcialidade para beneficio de alguns… Sem crimes ou desrespeito a lei… E sem concluio ou organizações criminosas com premiações a juizes imparciais e quem está burlando a lei e portanto cometendo crime.

     

  9. All in

    Agora que se produziu uma lista completa dos podres da república, os Odebrecht tem um trunfo poderoso nas mãos:

    O inteiro teor da megadelação que abarca desde Cabral, Pedro Alvares, está “na mão” da direção da Empreiteira.

    A qualquer momento ela poderá vir à público por quem não tem rabo preso com os “não vem ao caso” da vida.

    A empresa vem sendo destruida mundialmente, no fim só sobrarão os donos e uma dívida impagável.

    Perdido por um, perdido por mil. Alegria de … dono é ver o circo pegar fogo.

  10. “CORRUPTOS, MAS ÍNTEGROS”, A SÉRIE

    CADÊ O (PCC)SDB? POR QUE OMITEM QUE ESTÃO TODOS DENUNCIADOS?
    VOCÊ SABE QUE ENTRE OS DENUNCIADOS ESTÃO TODOS OS GOLPISTAS?

    T O D O S ! ! !

    “CORRUPTOS, MAS ÍNTEGROS”: Planilhas Odebrecht apontam R$ 15 milhões para Aécio e 2,5 milhões para Kassab/ ESTÁ PROVADO – DILMA, A HONESTA, FOI AFASTADA PELO GOLPE DOS CORRUPTOS

    https://gustavohorta.wordpress.com/2016/12/11/corruptos-mas-integros-planilhas-odebrecht-apontam-r-15-milhoes-para-aecio-e-25-milhoes-para-kassab-esta-provado-dilma-a-honesta-foi-afastada-pelo-golpe-dos-corruptos/

    “A capa deste sábado do jornal O Globo desmoraliza o golpe de 2016 e todas as forças que o apoiaram – incluindo a própria Globo; a manchete é a prova de que Dilma foi afastada “por uma assembleia de bandidos, presidida por um bandido”, como definiu o escritor português Miguel Sousa Tavares; os personagens que feriram a democracia brasileira para sempre e hoje aparecem delatados por corrupção nem cabem na primeira página do jornal: Temer, Renan, Maia, Padilha, Moreira, Alckmin, Serra; e agora: vão pedir desculpas e devolver o poder a quem o conquistou pelo voto? Ou o Brasil será governador por réus e candidatos a réus?”

     

    PRIMEIRO A GENTE TIRA A DILMA! DEPOIS A GENTE ENFIA O DEDO … E RASGA ATÉ NA NUCA

  11. desconfio que lava jato foi criada já sabendo de tudo isso…

    de todos dessa lista e da podridão de cada um ao tempo

    mas alguém deve ter perguntado: como destruir o PT sem destruir também o PSDB e o PMDB?

    ao que alguém de fora respondeu:

    “revelando para o povo apenas o desagradável e escondendo o insuportável”

    tática muito usada para dividir povo, porque se tivessem começado com o insuportável, hoje nosso povo não estaria dividido, mas sim todos unidos contra esta quadrilha de bandidos e golpitas

    conta-se que foi recomendado, negociado com delatores mais importantes

    • quem respondeu nunca teve…

      mas os anões daqui sim, sempre tiveram, se borram de medo ante um povo unido…………………..

      motivo do povo ter sido educado para………………………….bem…deixa pra lá………………………que se entendam

      porque não sou de outro tempo não………………………………..e quando qualquer manifestação pacífica passar a ser combatida como terrorismo, não venha chorar no meu canto não

    • Segundo o prof Ricupero
      Ricupero, ministto de FHC, costumava dizer “o que é bom a gente mostra, o que é ruim a gente esconde”.

    • Segundo o prof Ricupero
      Ricupero, ministto de FHC, costumava dizer “o que é bom a gente mostra, o que é ruim a gente esconde”.

  12. Eu estou com um prazer masoquista

    Ver o bando que apoiou o golpe ficar falando que é contra tudo isso que está aí. Sofro por mim e pelo país, mas, assistir a este bando se lamentar não tem preço.

  13. Inversão do poder

    Os brasileiros e as brasileiras, desde criança cresceram recebendo da família e da sociedade lições sobre o comportamento moral e cívico que deveriam seguir e praticar. Algumas lições tinham um peso de responsabilidade muito maior que outras, quando se tratava de direitos e deveres, de democracia e estado de direito e de constituição, lei e ordem. Uma dessas grandes verdades e, acredito, unanimidade nacional é, sem dúvida, definição do STF como o guardião decisor supremo e absoluto das leis e do julgamento superior para definir a razão. De vital responsabilidade e importância, essa instituição exige de toda sua equipe de funcionários, desde o mais alto grau ao menor, o pleno exercício da independência, da imparcialidade, do respeito e da total obediência as leis e normas constitucionais. Quanto nos orgulhava reconhecer no STF a existência da segurança, da credibilidade, da isenção plena em avaliações e julgamentos, da ausência de partidarismo, de preconceito, de favorecimento, de perseguição, de medo, de omissão, de comprometimento e de irresponsabilidade. Infelizmente, o tempo passou e novos funcionários chegaram e não alcançaram a virtude plena para exercitar todas essas brilhantes e laureadas avaliações positivas, que foram competentemente conquistadas e que por muito tempo reinou orgulhosamente na mente, no peito e no espírito do nosso povo. Hoje, vejo o STF gravemente avariado por decepcionantes omissões, por falta de isenção, por falta de coragem, por falta de imparcialidade, por falta de respeito ao cargo, a instituição, a população e ao país. Então, eu entendo que: se hoje tribunais de 1ª instância tem a ousadia e a petulância de avançar o sinal de seus limites e de suas competências e, ainda, por mais grave, invadir limites e competências que são de outra esfera de decisão e não suas é porque eles próprios enxergam fragilidade, inconsistência, dúvida, desequilíbrio, receio e, talvez, mais outras fraquezas no que seria o superior supremo. Assim, com apoio marqueteiro e midiático constantemente replanejado e maciçamente propagado pelos meios de comunicação, eu imagino que se sentem como sendo eles próprios os supremos superiores e é por isso que usam e abusam do abuso, dos réus, dos advogados, da opinião pública e do retraído STF.

  14. O listão da Odebrecht está na rede. Não sei se completo…

    Pelo menos quanto à lista, o juiz Moro decretou sigilo, mas ela já tinha sido espalhada pela Internet, então, não há sigilo de fato.

    Um dos sites que divulgou a lista – e ainda a tem disponível – é o Poder360.

    Se estiver com a lista completa (ou as listas, pois são 12 arquivos disponibilizados), vale a pena divulgar.

     

    http://www.poder360.com.br/lava-jato/documentos-da-odebrecht-listam-mais-de-200-politicos-e-valores-recebidos/

  15. Moro não quer passar nada a

    Moro não quer passar nada a limpo. Quer apenas ajudar seu partido a voltar a governar.

    Se essa lista vai até 1980 e o presidente da empresa assim como os executivos estão dispostos a revelar tudo, o que vai acontecer é que não vai sobrar sequer um político do partido dele, tampouco de outros partidos importantes.

    E aí… O Brasil fica ingovernável e os coxinhas vão começar a clamar por uma ditadurazinha militar. E o pior é que ela vem…

  16. Feliz Natal

    Nassuf: penso que a Tereza, quando diz que “a parte ainda lúcida da sociedade, que não se deixou cegar pelo ódio… tem o direito de conhecer”, esta sonhando. A revelação não foi para conhecimento.

    A “Schindler’s List” tupiniquim foi vazada especialmente para salvar a todos dos “pos impeachment” —Executivo, Judiciário (maioria) e Congresso (aqueles 2/3 já nominados e conhecidos). Inclusive a ala conspiratória das Forças Armadas, agora que a tropa foi agraciada com os benefícios e privilégios da aposentadoria. Siga o raciocínio.

    A denúncia “seria pesada” em qualquer sistema decente de Democracia e Justiça. Faria tremer até os alicerceares do Inferno. Mas a jogada é outra.

    Lembra daquela da OAS? Esse é o caminho.

    Com a publicação os sabujos da grande mídia tentam mostrar “imparcialidade”. Os delegados do Intelectual Tardio, que fazem impecáveis suas tarefas. E os Gogoboys, calados agora, mostram a que vieram e estão.

    Entra em cena a PGU (poderia se qualquer delas, que parecem farinha do mesmo saco). Segundo seu titular, “o vazamento será apurado”, quando a desconfiança começa em seus próprios quadros, como parte de uma armação. Então, manda à Corte do Delcídio um escrito qualquer pedindo a desqualificação dessa denúncia. Como ela é a única “lista” a acusar os safados (já fulanizados), restarão apenas as ainda não trazidas à tona, com a pessoa que procuram —o Nove Dedo e seu suposto “bando”. Não haverá provas que corroborem. Mas não precisam. O nome é suficiente. Ao que tudo indica, o meliante Emílio tem o texto na ponta da língua.

    Mas, voltando, a PGU recomendaria à Corte Mor de Suplicação Constitucional a exclusão dessa “infame” denúncia. Bingo.

    Com o metalúrgico-nordestino em cana (dois dias antes do Natal), os festejos de fim-de-ano, o recesso do Judiciário e a farra do boi comendo, pelos corredores do Congresso, chega-se ao Carnaval. Então, o Verdugo encarregado, atendendo aa despacho, manda apagar dos anais essa delação.

    As PECs serão aprovadas. Os dedurados “Justiça”, “Caju”, “MT”, “Angorá”, “Babel”, “Primo”, “Botafogo”, “Boca Mole”, “Moleza”, “Diplomata”, “Feia”, “Kimono”, “Jovem”, “Médico”, “Decrépto”, “Gripado” etc. et tal (que a fila é longa) passam a figuram como heróis da pátria.

    E “Ferrari” terá revogada a cana, com pedido de desculpas…

    Acha que será diferente?

     

    PS: ah! Cunha pediu que para a Noite Santa as taças para a champanhe sejam de cristal da Baviera.

  17. INEPTA, INAPTA OU VÍTIMA DA CEGUEIRA OU DAS CIRCUNSTÂNCIAS?

    INEPTA, INAPTA OU VÍTIMA DA CEGUEIRA OU DAS CIRCUNSTÂNCIAS?

    Quando o Senador Romero Jucá, então recém empossado Ministro do Desenvolvimento do recentíssimo Governo Michel Temer, surpreendido em conversas reservadas com o ex-dirigente da Transpetro Sérgio Machado, que em atitude preventiva gravou mencionados diálogos, mencionava a necessidade de estancar a sangria das investigações de corrupção, tráfico de influência, advocacia administrativa e outros crimes afins, perpetrados por agentes públicos, notadamente Deputados Federais e Senadores de quase todos os Partidos Políticos com assento no Congresso Nacional, detendo as investigações em curso em torno do PT e dos seus parlamentares e filiados, que funcionaria assim com espécie de boi de piranha, a fim de salvar todo o esquema corrupto e corruptor, cujos principais beneficiários seriam exatamente o PMDB, DEM, PSDB e partidos assemelhados, mantendo incólume o establishment político, ele bem que sabia o que poderia e estava por vir com o avanço das investigações da chamada “Lavajato”.

    Agora, com os primeiros vazamentos das delações de diretores, ex-diretores e executivos da construtora baiana, Norberto Odebrecht, empresa que é do ramo e atua no mercado de compra e venda e revenda de Deputados e Senadores, Ministros, Secretários de Estado, governadores e demais espécimes da fauna, que vicejam em torno do Poder desde tempos imemoriais, mas que cresceu vertiginosamente a partir da década de 1970, com as grandes obras dos Governos Militares, está a se confirmar as razões que o temor do grande homem do Governo Michel Temer, daquele que é considerado o grande “resolvedor” da República Brasileira não era sem fundamento.

    Para aqueles que tinham dúvidas ou que foram enganados pela farsa do impeachment, da manipulação da opinião pública com a finalidade de defenestrar a Presidente eleita e assim estancar a sangria, por certo restará um gosto amargo na boca. Para aqueles que empunharam panelas e bandeiras só restará enfiar o rabo entre as pernas ou cabo das panelas em outros buracos mais estreitos e, por certo, mais dolorosos.

    De fato, a Presidenta defenestrada não é e não era nenhuma santa, não se tratava Da Bem-Aventurada Irma Dulce dos Pobres ou de Santa Madre Teresa de Calcutá, muito menos uma da muitas das Santas mártires na perseguição  de Diocleciano, não se trata das Santas Perpétua e Felicidade.

     De igual modo o Partido dos Trabalhadores jamais foi um grêmio de Escolásticos ou de prosélitos puritanos. Porém com o se iniciar das delações dos executivos da Norberto Odebrecht se está a se desnudar que a magnitude do malfeito dessa gente do PT e inclusive da Presidenta defenestrada, Dilma Rousseff, foi exclusivamente na inaptidão no gerenciamento do tráfico de influência, da corrupção, da advocacia administrativa e da gatunagem em geral.

    Está mais do que evidente que a Sr.ª Dilma Dana Rousseff, não era pessoa do ramo, não estava talhada para ser posta à frente de homens tão à frente ou “prafrentex”, de homens versados e viciados nas práticas mais hediondas de desvios, de tráfico de influência e corrupção, de grandíssimos e contumazes larápios.  A Senhora Dilma Dana Rousseff, não sendo uma cínica, sempre foi uma estranha no ninho, aquela que nunca, jamais deveria ter sido.

    Creiamos todos. Dentre todos e os maiores erros que se possa imputar a Sr.ª Dilma Dana Rousseff não se lhe pode imputar, com querem alguns, aquele da condução desastrada da política econômica, ou seja, o de adotar uma política anticíclica e heterodoxa no seu primeiro governo e, surpreendentemente, de modo atabalhoado e abrupto, no início do segundo governo, ter dado uma guinada no sentido contrário, isto é, de uma política econômica ortodoxa, monetarista, trazendo para o seio da nova administração ardorosos defensores do modelo econômico dos “Chicago Boys”, prosélitos da política da restrição de gastos sociais e do controle fiscal, como, por exemplo, o Ex-ministro Joaquim Levy.

    É fato que a perda de apoio popular e da base social do governo da Sr.ª Dilma Dana Rousseff se deveu em parte a essa suposta traição, a essa guinda em direção à ortodoxia na política econômica. Contudo, a sua bancarrota com presidente da República e as razões da sua destituição do cargo, decorreu de fato da sua inaptidão e ineptidão em lidar com as mazelas seculares da República, como o beneficiar-se da corrupção, como a fazer vistas grossas e consentir com a corrupção endêmica que sempre foi a regra na administração pública. Por certo, sendo inepta e inapta não possuía o exigido “estomago de avestruz” dos políticos ladinos.

    A inaptidão da Sr.ª Dilma Dana Rousseff em lidar com o “é dando que se recebe”, com o colocar a coisa pública a serviço dos interesses privados, com o consentir com favorecimento de grupos e grupelhos de ratinhos e de ratazanas, a sua falta de tato ao não abrir grandes sorrisos e fingir receptividade para aduladores e puxas sacos, o seu excesso de zelo e distanciamento próprios do modelo administrativo tecnocrático, estava a colocar em risco todo esquema secular de corrupção e favorecimento entranhado nos aparelhos de estado.

    A presença da Sr.ª Dilma Dana Rousseff à frente do governo, sem as artimanhas dos expertos ou espertos, sem a malemolência dos camaleônicos, sem a astúcia dos picaretas, significava grandíssimos riscos para a incolumidade do establishment político. A sua destratada tentativa de se livrar do câncer político chamado PMDB e impedir a eleição do então candidato Eduardo Cunha à presidência da Câmara dos Deputados, foi a senha para que se selasse o seu fatal destino.

     Todos aqueles que são do jogo sabiam disso, o PMDB e o establishment político são imprescindíveis para jogo do toma – lá dá cá, para as tratativas com aqueles que compram e vendem deputados e senadores que se prestam a se venderem aos interesses do grande empresariado e das multinacionais, para o que se chama de governabilidade. A então Presidente, sendo inapta quis melar o jogo. Por isso foi que a sua cabeça foi posta à prêmio.

    Com o avançar das revelações dos executivos, diretores e ex-diretores da Construtora Baiana, Norberto Odebrecht, restará cada vez mais evidenciado que aquela que foi defenestrada, o foi pelas suas virtudes e não pelos seus supostos erros crassos na condução da política econômica ou pelos equívocos do agressivo marketing eleitoral na eleição geral de 2014, que ela foi mais uma vítima da sordidez do sistema político e em menor grau das circunstâncias da conjuntura nacional e mundial.

    É até possível ela, a escorraçada, aquela que foi deposta por supostas pedaladas, saía chamuscada de todo incêndio ocasionados pela enxurrada de denúncias que está por vir, posto que a sua inaptidão e ineptidão para lidar com as safadezas e canalhices não absolve quem entrar no jogo e não sabe jogar e fazer concessões à gente sórdida e canalha.

    Porém, se não estivermos redondamente enganados, engano não por crença ou por convicção, de toda essa turma que está sendo denunciada e, que por certo vai submergir na lama, que vai do PSDB, passando pelo DEM e chegando até nesgas do PCdoB, não se encontrará aquela que foi defenestrada.

    A grande “Geni” da nação, “aquela que é boa de apanhar e boa de cuspir” como todo o povo brasileiro, alguns conscientemente outros nem tanto, são os grandíssimos enganados e as vítimas de toda essa podridão e sujidades que establishment político vivência e sempre quis e quer a todo custo perpetrar, posto que atabalhoadamente não soube com ele lidar e, parece, que num gesto típico dos loucos, quanto tentou impedir a eleição de Eduardo Cunha à presidência da Câmara dos Deputados e diluir o peso político de gente desse espectro político, o que  tentou na verdade foi tampar o nariz para não sentir toda fedentina.

                                                                                    

  18. O nome óbivo, que todos nós

    O nome óbivo, que todos nós sabemos que está nesta lista sigilosa é o lider da quadrilha tucana FERNANDO HENRIQUE CARDOSO. A lista só tá sigilosa até tirarem ele das delações e, por conseguinte, da lista.

  19. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome