O tuíte do General Villas Boas e a defesa da democracia, por Eugênio Aragão

O tuíte do General Villas Boas e a defesa da democracia

por Eugênio José Guilherme de Aragão

Mais do que o tuíte do Comandante do Exército em si, a publicidade que a Rede Globo lhe deu no Jornal Nacional é que constitui nova criminosa tentativa de exercer pressão sobre o STF, para que atenda ao “clamor da sociedade”, dessa parte envenenada da sociedade que sucumbiu à guerra psicológica midiática destinada a cultivar entre nós o anti-petismo. O objetivo é só um: tirar do páreo o candidato a presidente que não agrada à “famiglia” Marinho, ainda que, segundo todas as pesquisas eleitorais até aqui, seja o com maior popularidade e com maiores chances de vencer.

Dane-se a sociedade, danem-se os eleitores! O sistema Marinho está, em verdade, pouco se lixando por que ela pensa ou por quais suas aspirações. O plano é incutir-lhe por todos os meios, lícitos e ilícitos, sua visão de perniciosidade do candidato que escolheu ser seu inimigo. E ainda faz isso com uso de um serviço público concedido, na cara limpa, como se pertencesse à “famiglia”. Se isso não for corrupção e improbidade, o que será?

O General Villas Boas disse apenas o óbvio, diante do quadro de criminosos ataques da direita fascista aos direitos constitucionais, à democracia. Também nós, os democratas, exigimos a responsabilização criminal daqueles que jogaram o Estado brasileiro na sua mais profunda crise do período republicano, a começar pelos que, feito Judas,  se venderam por dinheiro para derrubar fraudulentamente uma presidenta honesta, eleita por mais de 54 milhões de brasileiras e brasileiros. Também nós rejeitamos a impunidade daqueles que covardemente atacaram a caravana pacífica do Presidente Lula. Exigimos apuração séria da autoria dos tiros deflagrados contra o ônibus da comitiva.

Também nós conclamamos para os valores democráticos e para a preservação da ordem pública. Por onde a caravana passou, a equipe precursora dialogou com as autoridades da segurança pública para evitar tumultos. Quando a multidão que demonstrava pacificamente seu apoio ao Presidente Lula se indignou com os ataques, a organização dos eventos sempre tratou de acalmá-la e de pedir que não respondesse às provocações.

Quem tem insistido em colocar em risco a ordem pública são os que destilam ódio anti-petista, que têm, em redes sociais, instigado à violência, sugerindo, até, ação letal contra Lula e militantes progressistas. Espalham o mesmo veneno que levou à morte trágica do Professor Cancellier e ao brutal assassinato de Marielle Franco. Não têm escrúpulos, porque nada têm a perder: odeiam a democracia, odeiam o direito à livre manifestação, odeiam as garantias fundamentais da Constituição e não têm nenhuma lealdade, nenhuma fidelidade a está. A abolição do Estado democrático de Direito é seu objetivo maior, de preferência num processo sanguinário que cause muita dor e perda de vidas humanas. Para eles, quanto pior, melhor é.

Queremos, os democratas, que as Forças Armadas exerçam seu papel. Nenhum governo na recente história do País mais as prestigiou que os governos do PT. Aprimorou sua formação, ensinando-lhes profissionalismo e respeito a padrões humanitários internacionais; deu-lhes visibilidade na política global, fazendo-as exercer um papel fundamental na pacificação de regiões conflagradas do planeta; reequipou-as para poderem cumprir com sua missão de defesa dos interesses nacionais.

O General Villas Boas é um espécime dessa boa cepa das Forças Armadas, preocupada com o destino do País. E essa preocupação é mais do que compreensível, principalmente num contexto em que ativos estratégicos do Brasil estão sendo alienados por uma bagatela por um governo ilegítimo que não tem compromisso com nosso futuro, mas foi instalado para atender a ganância espúria de potências estrangeiras. Um grito de alerta todos nós, democratas, esperamos e saudamos.

O que democratas não podem fazer é atender às provocações com segundas intenções da “famiglia” Marinho et caterva, que querem indispor as forças progressistas do País com os militares. É importante lembrar que não há substancial diferenças entre nossos sonhos, das Forças Armadas e dos verdadeiros democratas, defensores da Constituição Cidadã, num futuro melhor para nossos filhos, numa nação independente, altiva e reconhecida pelo mundo por sua vocação de trabalho e de respeito à alteridade, à diferença e aos valores da democracia e dos direitos humanos. E juntos vamos derrotar as forças do ódio, da intolerância e do caos.

 

18 comentários

  1. Inteligente

    Comentário inteligente e oportuno!

    A aproximação das FFAA com o povo viveu uma época magnífica nos Governos Lula e Dilma, com obras do PAC, militares ajudando Haiti e etc. Em compensação não há nada pior que a ociosidade, que é caracteristica de aposentado de pijama.

  2. O Villas-Boas e outros

    O Villas-Boas e outros generais faladores reclamam de tudo, menos do ambientalismo, do indigenismo, da perda do pré-sal, do desmonte do programa nuclear brasileiro, da venda de Alcântara, da sabotagem contra o submarino nuclear brasileiro, da espionagem contra Presidentes, da venda do nosso satélite de comunicação, da entrega do nosso projeto de autonomia aeronáutica a Boing, da entrega das nossas reservas minerais e nenhuma palavra sobre a vassalagem de Temer com relação a Trump.

    Não temos militares nacionalistas, mas bonecos fardados estacionados numa era onde existia guerra fria e comunismo. Chega a ser uma ofensa ouvir de milicos que Lula é comunista e ver tantos brasileiros descerebrados que o Brasil nunca será vermelho. Acho que eles acham que o Brasil, após anexação aos EUA, se tornará uma Flórida. kkkkkkk

    Precisamos de uma FFAA nacionalista e livre de irmandades, maçons e outros parasitas do Estado nacional.

     

  3. Aragão é sempre contundente,

    Aragão é sempre contundente, preciso e técnico.

    Da minha parte hoje preferi ser um pouco mais criativo:

     

    Um conto de Páscoa

    FÁBIO DE OLIVEIRA RIBEIRO

     

    TER, 03/04/2018 – 17:44

    ATUALIZADO EM 04/04/2018 – 09:00

     

    Noite de Páscoa, 2018. Entorpecido pelo sono sem conseguir dormir, escuto pancadinhas na cômoda. Quem é? Não, eu não respondi. Apenas imaginei a resposta. Mesmo assim recebi fiquei espantado ao descobrir que algo ou alguém ousava responder.

    – Prepare-se… hoje você receberá a visita de três fantasmas do passado.

    O arrepio passou como se o fantasmagórico visitante  tivesse ido embora. Mas ele ainda estava ali, escondido numa outra dimensão em que eu mesmo não poderia estar.

    Toc, toc, toc… Um cheiro nauseabundo de chulé invadiu meu quarto. A luz está apagada, a noite era um breu. E mesmo assim uma claridade lentamente começa a crescer na parede ao lado da cama. Não na parede, mas entre ela e a consciência que dela qualquer um poderia ter.

    Meus olhos estão fechados? Abertos é que não estão… e mesmo assim vejo a luminosidade medonha crescendo e bruxuleando dentro da minha cavernosa consciência aterrorizada.

    – Hoje sou um fantasma vil, mas antes e depois da revolução de 1964 um grande estadista acreditavam que eu poderia ser… – diz o condenado arrastado por uma corrente feita de medalhas do Exército.

    – Me perdoe cidadão, me perdoe meu irmão… Eu não tinha a intenção de esmagar sua família ou de magoar o bebê inocente que você foi.

    Não, não posso perdoar ninguém. Vá pedir perdão ao seu criador, você não foi criado por mim. Arqueado, o fantasma acorrentado começa a chorar. Ele chora copiosamente, as lágrimas dele queimam como se pudessem derreter meu coração… e mesmo assim não ouso lhe dar quartel. Se ele sofre, fez por merecer… digo para mim mesmo esquecendo que ele também pode ouvir meus pensamentos.

    – Não, meu jovem, eu mereci não… Quando agi, queria apenas salvar o país e você da guerra que singrava o Atlântico rumo ao Brasil.

    – Pois é, querendo me salvar você me condenou a sofrer. A mim parece que você salvou apenas aqueles que já estavam salvos. Vá mendigar simpatia em outra freguesia, cá você apenas colherá as pedras que colocou no meu coração.

    As correntes de medalhas arrastam o fantasma chorão para o purgatório, mas ele ainda tem tempo de sussurrar algo.

    – Mande rezar uma missa por mim. Castelo Branco me chamavam quando andei livre pelo mundo.

    – Sinto muito, mas não sou cristão…

    Assim que o espectro de Castelo Branco desapareceu o cheiro de chulé se desvaneceu. O chulé era dele ou era meu? Toc, toc, toc… Um novo fantasma chegou.

    – Você vai morrer filho da puta, você vai morrer…

    Esse fantasma parecia uma vitrola quebrada tocando um disco riscado. Ele ficava repetindo a mesma frase sempre e sempre. Fazia isso como se pudesse cumprir a ameaça. Ri e lembrei algo que havia concluído décadas antes. A morte é o único privilégio do qual ninguém, nem mesmo um fantasma xarope, pode me privar. Agora é sempre um bom momento para morrer.

    Aterrorizado o fantasma desapareceu. Não sem antes praguejar.

    – Maldito sejas tu, que além de não perdoar Castelo Branco se recusa a temer aquele que foi mais temido que qualquer outro general. Costa e Silva me chamei, todas as medalhas eu perdi e agora nem mesmo um civil de merda eu consigo atormentar. Ai de mim, ai de mim… Se tivessem me acorrentado pelo menos não ficaria zanzando entre as realidades fantásticas sempre a me frustrar.

    Toc, toc, toc… um novo fantasma chegou. Ele chegou mostrando suas ferramentas preferidas: a pimentinha, o arame farpado, o boticão, o alicate e um instrumento cujo nome não aprendi, mas que certamente provocava muita dor.  

    – Vou torturar seus parentes, matar sua família e molestar você até você confessar. Confesse comunista filho, da puta, confesse…

    Confessar? Eu confesso, eu confesso… mijei no comunista que foi meu pai. Nenhum outro crime cometi ou poderia cometer. A pobreza tortura meus parentes há décadas, mas nem por isso eles deixaram de viver bem… bem melhor do que você. Eles sabem que a pobreza não é um defeito moral, mas você não foi capaz de aprender que a violência avilta sempre mais quem a praticou do quem a sofreu.

    O fantasma recua, saca a pistola e a dispara… mas o tiro se desfaz como se fosse fumaça no ar.

    – Desgraçado, você vai morrer, você tem que morrer, vou matar você, vou matar você…

    Na boa mano… se os mortos pudessem matar um homem vivo você mesmo, que matou tanta gente de maneira tão cruel, teria morrido antes de envelhecer. Levanto a mão para saudar aquele que anunciou meus três visitantes e o último deles se encolhe e chora como se meu gesto fosse ameaçador.

    – Não me torture, não me torture… Torturado pela lembrança tenho sido desde que morri. No rio do esquecimento fui proibido de me banhar. Ustra me chamei, mas agora não há brilho algum em meu nome. Ele me persegue toda vez que alguém me levanta a mão.

    O fantasma do torturador amedrontado se escafedeu. Toc, toc, toc… finalmente consegui dormir. A persistência do passado nunca mais será capaz de me aterrorizar. Agora eu mesmo sou capaz de infundir terror nos mortos. E nos vivos também.

     

     

    PS: Esse conto de Páscoa vagamento inspirado no Conto de Natal de Charles Dickens (1812-1870) é uma modesta homenagem irônica ao general cretino que disse que o STF não pode deixar Lula ser candidato a presidente.

     

     

  4. Lamentável.

    Se as FFAA se calaram e toleraram os abusos do justiceiro de araque que lhes impôs constrangimentos com a prisão e mistificação negativa do VA Othon Pinheiro, que afetou sobremaneira nossos programas estratégicos, posso entender esta manifestação do general comandante do exército. Mas deploro imensamente.

  5. O Brasil acabou – Era Lula não passou de um sonho bom

    Esse velho safado deveria sentar no rabo e ficar calado! Todas as modalidades de corrupção foram inventadas na ditadura militar. Além disso, violaram os direitos humanos e todos os direitos de cidadãos. Bando de calhordas! Os corruptos apoiam essa perseguição a Lula. Enquanto desviam a atenção com isso, todos ficam impunes. Só do carnaval para cá, já aliviaram para vários deles.

     

    P.S.: Agora, fiquei sabendo que os documentos que o juiz demotucano Moro não quis entregar para a defesa de Lula foram periciados e estavam adulterados. A quem interessa toda essa farsa? À máfia demotucana e aos amigos de Moro, como Álvaro Dias?

  6. ESCÁRNIO !!!

    “…Asseguro à Nação que o Exército Brasileiro julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio a impunidade…”

    O que o chefe da FMM (força miliciana dos marinhos) precisa responder, é porque não houve punições exemplares, mas sim, condecorações e promoções das seguintes figuras :

    Famoso diretor do centro de tortura em São Paulo (Doi-Codi)

    Um dos responsáveis pelo atentado terrorista no Riocentro em 1981

    Famosíssimo sequestrador e torturador de opositores na Guerrilha do Araguaia

    Um dos sequestradores, torturadores e esquartejadores da Casa da Morte de Petrópolis

    [video:https://youtu.be/jPpF4He4ZZY%5D

     

     

     

  7. É impressionante…Depois da

    É impressionante…

    Mesmo depois da descoberta do uso de dados do facebook para atuar na campanha do Trump, no Brexit, as redes sociais são invadidas sempre em véspera de alguma coisa que vá contra a segurança dos golpistas!

    Recebi dezenas de mensagens sem compartilhar destes grupos – é incrível que isso não ocorra quando patrimônio publico é praticamente doado a empresas estrangeiras!

    Ou seja, é tácito que está se gastando grana para isso!

    Tempo é dinheiro!

    Quem lucraria com a prisão do LULA?

    Os golpistas apenas seriam um deles!

    E esse dinheiro é gasto ou investimento?

    É dinheiro privado ou será reembolsado com dinheiro público, com lucro em negócios com o estado?

    General não vê isso?

    Não leva em consideração isso?

  8. Em vez de coleira, o Villas Boas deveria estar com focinheira

    Em vez da coleira, os Magnatas exploradores e opressores da classe trabalhadora deviam ter colocado era uma focinheira no General Villas Boas. Quando ele tivesse que se alimentar das migalhas do banquete desses Magnatas, a focinheira seria removida momentaneamente. Mas, com focinheira, o General não ameaçaria os ameaçadores dos privilégios dos Magnatas, arreganhando seus dentes.

    Porque o General não se indignou contra a impunidade do Michel Temer e do Aécio Neves, por exemplo?

    Quanta seletividade!

  9. A encenação do ator dramático

    A encenação do ator dramático William Bonner ao dramatizar o tuite do general….os irmãos Marinho fazem das tripas coração para que o Moro leve o Lula preso à sede do DOI-CODI sic PROJAC….como fica o final do filme da Globo, o A Lei é Para Todos (menos para tucanos), caso o script traçado pela CIA seja alterado por força da CF….

    https://www.facebook.com/jornalistaslivres/videos/723286164461930/?hc_ref=ARSXtbkSvHu9vr3_hjvMUjL1uOZ2g3P5ay35GIFSiML1vP9i2e7ypVsDnB3yVmC9tIU

  10. O Marcola também tá preocupado com os destinos do País

    O General Villas Boas está preocupado com os destinos da Nação?

    O Marcola, o Joesley Batista, o Aécio Neves, o Temer, o Yunes, o Eduardo Cunha, o Dallagbosta, entre outros, também estão.

    O Chaplin vivia preocupado com o destino da Humanidade. Ele escreveu:

     

    “Todos nós desejamos ajudar uns aos outros. Os seres humanos são assim. Desejamos viver para a felicidade do próximo – não para o seu infortúnio. Por que havemos de odiar e desprezar uns aos outros? Neste mundo há espaço para todos. A terra, que é boa e rica, pode prover a todas as nossas necessidades.

    O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos. A cobiça envenenou a alma dos homens… levantou no mundo as muralhas do ódio… e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e os morticínios. Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.

    A aviação e o rádio aproximaram-nos muito mais. A própria natureza dessas coisas é um apelo eloquente à bondade do homem… um apelo à fraternidade universal… à união de todos nós. Neste mesmo instante a minha voz chega a milhares de pessoas pelo mundo afora… milhões de desesperados, homens, mulheres, criancinhas… vítimas de um sistema que tortura seres humanos e encarcera inocentes. Aos que me podem ouvir eu digo: “Não desespereis! A desgraça que tem caído sobre nós não é mais do que o produto da cobiça em agonia… da amargura de homens que temem o avanço do progresso humano. Os homens que odeiam desaparecerão, os ditadores sucumbem e o poder que do povo arrebataram há de retornar ao povo. E assim, enquanto morrem homens, a liberdade nunca perecerá.

    Soldados! Não vos entregueis a esses brutais… que vos desprezam… que vos escravizam… que arregimentam as vossas vidas… que ditam os vossos atos, as vossas idéias e os vossos sentimentos! Que vos fazem marchar no mesmo passo, que vos submetem a uma alimentação regrada, que vos tratam como gado humano e que vos utilizam como bucha de canhão! Não sois máquina! Homens é que sois! E com o amor da humanidade em vossas almas! Não odieis! Só odeiam os que não se fazem amar… os que não se fazem amar e os inumanos!

    Soldados! Não batalheis pela escravidão! Lutai pela liberdade! No décimo sétimo capítulo de São Lucas está escrito que o Reino de Deus está dentro do homem – não de um só homem ou grupo de homens, mas dos homens todos! Está em vós! Vós, o povo, tendes o poder – o poder de criar máquinas. O poder de criar felicidade! Vós, o povo, tendes o poder de tornar esta vida livre e bela… de fazê-la uma aventura maravilhosa. Portanto – em nome da democracia – usemos desse poder, unamo-nos todos nós. Lutemos por um mundo novo… um mundo bom que a todos assegure o ensejo de trabalho, que dê futuro à mocidade e segurança à velhice.

    É pela promessa de tais coisas que desalmados têm subido ao poder. Mas, só mistificam! Não cumprem o que prometem. Jamais o cumprirão! Os ditadores liberam-se, porém escravizam o povo. Lutemos agora para libertar o mundo, abater as fronteiras nacionais, dar fim à ganância, ao ódio e à prepotência. Lutemos por um mundo de razão, um mundo em que a ciência e o progresso conduzam à ventura de todos nós. Soldados, em nome da democracia, unamo-nos!

    Hannah, estás me ouvindo? Onde te encontrares, levanta os olhos! Vês, Hannah? O sol vai rompendo as nuvens que se dispersam! Estamos saindo da treva para a luz! Vamos entrando num mundo novo – um mundo melhor, em que os homens estarão acima da cobiça, do ódio e da brutalidade. Ergue os olhos, Hannah! A alma do homem ganhou asas e afinal começa a voar. Voa para o arco-íris, para a luz da esperança. Ergue os olhos, Hannah! Ergue os olhos!.”

     

  11. Exatamente, a Globo manipula

    Exatamente, a Globo manipula as sombras coletivas porque lhe interessa um estouro da boiada. Não precisamos cair na armadilha de manipulação do imaginário. Se mantivermos o debate no plano da intelectualidade e da racionalidade lançamos luzes à consciência coletiva e fortalecemos as instituições. Temos a nosso favor os maiores nomes da sociologia e a unanimidade da ciencia politica que defende a democracia. Podemos lembrar o que Bourdieu disse sobre a televisão: https://www.youtube.com/watch?v=F2WXVTdfAOk

     

  12. Exatamente, a Globo manipula

    Exatamente, a Globo manipula as sombras coletivas porque lhe interessa um estouro da boiada. Não precisamos cair na armadilha de manipulação do imaginário. Se mantivermos o debate no plano da intelectualidade e da racionalidade lançamos luzes à consciência coletiva e fortalecemos as instituições. Temos a nosso favor os maiores nomes da sociologia e a unanimidade da ciencia politica que defende a democracia. Podemos lembrar o que Bourdieu disse sobre a televisão: https://www.youtube.com/watch?v=F2WXVTdfAOk

     

  13. Como advogado creio que há

    Como advogado creio que há algo mais que pode ser feito nesse caso. Sempre há um Tribunal a que se possa recorrer.

    Replying to 

    I present to you now the case of . This general threatened the Brazilian nation with a coup d’etat, which obviously will cause thousands of deaths, mutilations and endless tortures, to compel  to allow the illegal imprisonment of Lula.

    Replying to   and 2 others

    Instead of waiting for mass crimes to be committed in Brazil, the ICC should begin to take “precautionary measures” in cases such as what is being now presented to the Court.

     

  14. Os meios de comunicação não estão interessados em informar

    Os meios de comunicação, com a Rede Globo à frente, não estão interessados em informar a população, mas em manipular a população.

    Vamos jogar bosta no ventidlador da globo antes que sua concessão seja cassada e os Marinhos e seus lambe-botas sejam presos.

  15. Faltou coragem

    Inacreditável!

    O comandante do Exército já disse que o Exército é o mesmo de 1964 , não puniu o gen. Mourão pelas suas declarações em palestra e ainda o elogiou, foi a um programa em rede nacional dizer que o Exército pode intervir sim, segundo sua anacrônica e peculiar interpretação da Constituição e agora lança mais um de seus twittes, às vésperas do julgamento do Habeas Corpus do Presidente Lula, falando em impunidade. O que mais será preciso fazer para que os campos progressistas percebam de que lado dessa história está o Exército e o seu comandante? Até o Jucá, nas gravações com Sérgio Machado, já tinha dito que tinha falado com os “generais, comandantes militares” sobre o tal “acordão”. Alguém do governo Dilma, do PT ou das forças progressistas cobrou os militares sobre a veracidade de tais declarações? Quem foram estes generais e comandantes?

    Frases como a do autor – “Queremos, os democratas, que as Forças Armadas exerçam seu papel” – só podem ser uma piada, uma vez que não foi feito absolutamente nada para que nossas FA mudassem sua forma de pensar – que permanece presa às ideologias da Guerra Fria. É preciso coragem para por o dedo neste vespeiro: nossas FA devem passar por uma transformação para que se aproximem, de fato, dos princípios democráticos.

    Villas Bôas tem razão em uma coisa: o Exército é o mesmo de 1964.

    E agora?

  16. COM A ABERTURA DOS MERCADOS,

    COM A ABERTURA DOS MERCADOS, ATÉ GOLPE DE ESTADO, TEM CONCORRÊNCIA ENTRE TOGADOS E FARDADOS

    Ao general Villas Boas coube colocar o jaboti na forquilha do pé de pau mais alto do mangue. Logo, seus comandados estrelados e de alto coturno, acorreram solidários, para também afundar seus coturnos no lamaçal do puteiro, digo, do manguesal, e dependurar suas capivaras, jabotis e, valentia reprimida. Por absoluta falta do que fazer, prontificam-se os nosos valentes generais estrelados, em ocupar seus ociosos e entediados soldados, em uma nova frente de heróica guerra contra civis desarmados. Os togados que dominavam o mercado golpista, defrontam-se agora, com tarimbados profissionais do ramo.

    Compreendo, como estão saudosos os valentes guerreiros das forças armadas brasileiras, ora, envoltos em seus pijamas e fraudas geriátricas. Vez por outra, dormitando suas lembranças das heroicas batalhas empreendidas em passado recente, enfrentando os poderosos e bem armados comunistas de 64. Os comedores de criancinhas ao molho pardo.

    Sempre eles. Os grandes inimigos da nossa democracia de merda, aquela que cuida dos mais habilitados e merecedores da sociedade.  Lembram saudosos, de quando da invasão do Brasil na guerra de primeiro de abril de 1964. Guerra, onde nossos pracinhas comandados por corajosos e hábeis torturadores, como deu mostra o Brilhante Ustra, dentre outros herois, capitães, coroneis e generais, que pondo em risco a própria vida,  salvaram o Brasil das garras dos comunistas (na época) à soldo do ouro de Cuba e de Moscou.

    Ao cabo, os vitoriosos implantaram a Revolução Redentora de Primeiro de Abril. Aquela desgraça de regime que perdurou por duas décadas e, deixou sequelas que, volta e meia, retornam suas aleivosias a nos atormentar com ameaças e danações sem fim…

    Orlando

  17. Para o calabouço

    Querem levar o Lula para o calabouço a qualquer custo. Não interessam mais a verdade, a justiça ou qualquer outro conceito que nortei uma sociedade para um equilíbrio de suas instituições. Não há nada de novo nestes discursos “dos homens de bem” que só fizeram mal ao Brasil. Os resultados de anos de ditaduras se prolongam até hoje. A pergunta é quanto tempo eles aguentam segurar na porrada um povo com duzentos milhões de habitantes? O mundo embora não pareça, mudou muito. As respostas para ações equivocadas chegam muito mais rápidas do que trinta, quarenta anos atrás, vide o golpe que estamos vivendo. Pensaram que seria muito mais fácil embromar a população. Não foi. As consequências já chegaram e o abismo surge a frente, tão rápido que não é possível saber onde isto vai terminar.

    Levar Lula para prisão e matá-lo lá dentro, parece uma questão de honra para este general e sua gente privilegiada. As políticas de inclusão dos governos de esquerda nas duas últimas décadas deram voz as periferias. Possibilitaram uma nova vertente para as minorias, criaram Marielles, MSTs, construíram uma nova possibilidade para o Brasil dos desesperançados e desesperados. E isto para esta gente é uma afronta inaceitável. Por isto o levarão preso. Para enterrar de vez o Brasil dos brasileiros. É assim que eles pensam. O Brasil, para os privilegidados, não pertence ao seu povo, mas aos interesses aos quais esta gente está comprometida. Tomara fossem embora para Miami, ou para os quintos dos infernos, e nos deixassem em paz, só assim a nossa nação poderia se libertar desta escravidão eterna.

  18. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome