PT já pensa em como controlar Dilma 2, por Raymundo Costa

do Valor

PT já pensa em como controlar Dilma 2, por Raymundo Costa

O PT passou a considerar a hipótese de vencer a eleição presidencial no primeiro turno, em reunião realizada pela coordenação da campanha da presidente Dilma Rousseff, após o debate da Rede Record. “Não é provável, mas também não é impossível”, dizem os integrantes do comitê eleitoral da reeleição, tendo por base uma série de números positivos mostrados pelas últimas pesquisas.

Essa hipótese será maior, na avaliação da campanha da presidente da República, se a candidata Marina Silva (PSB) repetir no debate da TV Globo, marcado para o dia 2, quinta-feira, o mesmo desempenho que teve no debate da Record, na noite do último domingo. Marina estava na defensiva. Aparentemente sentiu o impacto da queda nas pesquisas e perdeu um pouco do ímpeto que exibiu em outras ocasiões.

Dilma, ao contrário, incorporou o papel da “gerentona”, investiu contra os adversários e deixou claro que eles podiam atacar, que ela estava preparada para rebater qualquer acusação. Aécio foi bem, segundo avaliação dos petistas, mas nada a ponto de mudar o curso de uma eleição que caminha para um segundo turno entre Dilma Rousseff e Marina Silva, se não se concretizar a possibilidade remota de o PT não ganhar no domingo mesmo.

Lula ajuda a eleger mas também quer a ajudar a governar

“Resta saber se vamos bater na trave ou vamos para o segundo turno”, diz o coordenador da campanha de Dilma em São Paulo, Luiz Marinho, ex-ministro do Trabalho no governo Lula, atual prefeito de São Bernardo do Campo. O PT “bateu na trave” em 2006, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficou a milímetros da vitória em primeiro turno, assim como Dilma em 2010 – nas duas eleições o PT perdeu votos devido a escândalos denunciados na reta final da campanha.

O PT justifica seu atual momento otimista com base em informações quantitativas e qualitativas, após um período de depressão que durou de meados de agosto até o início de setembro. Até o “Volta Lula” chegou a ser lembrado, quando Marina disparou dez pontos de vantagem sobre Dilma, numa simulação do Datafolha de segundo turno. Mas Lula era um dos poucos a dizer que a eleição não estava perdida e que a reação era possível.

Leia também:  O sindicalismo velho de guerra ainda é a parte mais combativa da sociedade

Os sinais “qualitativos” que a campanha de Dilma passou a recolher nos últimos dias indicam, por exemplo, que já há duas semanas cresce a parcela da população brasileira que acha que a presidente conseguirá a reeleição (já foi de 51%, agora está em 61%), mesmo entre aqueles que não votam nela. Os eleitores de Dilma também são os mais fidelizados. A pesquisa MDA/CNT divulgada ontem revela que 85,9% dos eleitores de Dilma disseram que a presidente é sua opção definitiva. O percentual de Marina e Aécio é bem menor.

O ministro Miguel Rossetto, que se licenciou do cargo para se dedicar aos últimos 30 dias da campanha da presidente Dilma, também chama a atenção para outro aspecto, o fato de a candidatura da presidente chegar a esta altura da disputa em curva ascendente e com possibilidade de se manter assim até o próximo domingo, como sugerem os dados qualitativos. “Nós estamos entrando em crescimento na reta final da campanha. É o melhor momento de nossa campanha e é um momento de crescimento eleitoral, enquanto os nossos adversários estão em queda”.

Com todos esses indicadores favoráveis, a campanha espera ainda ganhar a maior parte dos votos dos eleitores que consideram regular o desempenho do governo Dilma Rousseff, algo estimado em 35% do total. O movimento de “desconstrução” de Marina deve continuar, enquanto Lula dobrou suas atividades em São Paulo, o maior bastião da resistência ao petismo.

Segundo a coordenação da campanha, Dilma cresceu nas pesquisas porque se afirmou como uma líder capaz de governar o país, nos próximos quatro anos, com uma “estabilidade positiva”. Tanto no que diz respeito à economia, como em relação às relações com o Congresso e às mudanças que o país exige e aparecem refletidas nas pesquisas, ainda agora quando a presidente retoma o favoritismo na disputa presidencial.

Leia também:  A refundação do Brasil no corredor do Carrefour, por Fábio de Oliveira Ribeiro

A última semana de campanha demonstra uma notável capacidade de adaptação do comando estratégico da campanha Dilma à nova situação criada com a morte do ex-candidato do PSB, Eduardo Campos, ocorrida em acidente aéreo no dia 13 de agosto. A campanha do PT se adaptou mais rapidamente à nova conjuntura e foi ágil ao trocar o que havia preparado para disputar a eleição com Aécio Neves por uma outra estratégia tendo como alvo a ex-senadora Marina. No momento, tem material tanto para disputar com Marina como com Aécio, na hipótese improvável de o candidato do PSDB passar para o segundo turno das eleições.

O PT já fala e age como vitorioso. É voz corrente na campanha da reeleição da presidente da República que o ex-presidente Lula pretende ter uma participação mais ativa nos rumos do segundo governo Dilma. Os petistas falam em inverter a equação do primeiro mandato, mais ou menos definidos nos seguintes termos: “A campanha é nossa, o governo é dela”. Ou seja, o PT é bom para a campanha e para levantar a candidata, em seus momentos de dificuldade, mas não serviria para governar. Forte ressentimento. Mas é algo que segundo os petistas deve ser feito com muito cuidado, para não estressar e levar Dilma a se fechar em relação a empresários, congressistas e às críticas sobre a condução da política econômica, muitas delas surgidas no arraial do próprio Lula da Silva. E a impressão no PT é que Dilma sai de 2014 mais devedora que em 2010, quando era só um poste.

Leia também:  Juízes racistas. Muito além de um negro assassinado no Carrefour, por Armando Coelho Neto

O apoio do PSDB a Marina, no segundo turno, não é ponto pacífico. A candidata do PSB demora muito a fazer um aceno para Geraldo Alckmin, que deve vencer em São Paulo em aliança com o PSB, quando o próprio vice de sua chapa, Beto Albuquerque, já gravou para os programas de Alckmin e de José Serra para o Senado. Os tucanos também acham que Marina mantém um forte ranço petista.

Raymundo Costa é repórter especial de Política, em Brasília. Escreve às terças-feiras

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

24 comentários

  1. Os petistas falam em inverter

    Os petistas falam em inverter a equação do primeiro mandato, mais ou menos definidos nos seguintes termos: “A campanha é nossa, o governo é dela”. Ou seja, o PT é bom para a campanha e para levantar a candidata, em seus momentos de dificuldade, mas não serviria para governar. Forte ressentimento.

     

    Festival de babaquices da imprensa nesses dias que antecedem as Elicoes parece ser infinito. Controlar Dilma 2. Vah pra Casa do C*, vcs estao com medo da reguilacao economica, esculacharam a mulher por 4 anos e agora que despertaram a fera vao peidar? Cambada de otario mesmo.

  2. O Valor é um jornal das

    O Valor é um jornal das organizações globo. Uma pitadinha de intriga para quem costuma ir além das medidas, né nada demais, num é messsssmo?

  3. a mesma lenga-lenga,….

     

    O PIG continua a tentar azedar as relações entre o PT, Lula & Dilma. Continua a tentar passar para a população informações sobre uma luta interna e fatricida pelo poder, que absolutamente não existe.

     

    Existem várias correntes de pensamento dentro do PT e dos partidos aliados, mas tudo é decidido de forma democrática e em consenso. Alguns sempre ficarão ressentidos, mas a maioria sempre prevaleceu. Aqueles que não se adaptaram fundaram novos partidos baseados em suas convicções.  E a vida segue,…

     

     

  4. Coisas que o PT precisa fazer urgentemente

    1) Peitar essa mídia escrota e aprovar a regulação da mídia. Pra ontem, prioridade zero!;

    2) Expulsar os tucanos que tem DAS no governo. Sim, tem muita gente que ódio mortal do PT ocupando DAS 4, 5 e até 6 no Governo. Não dá pra trabalhar com o inimigo na mesa do lado, a gente quer levar o país pra frente e eles ficam usando a caneta do próprio governo pra puxar pra trás;

    3) Acabar com essa magnanimidade que os Tucanos e Marineiros nunca teriam, e nomear um Procurador-Geral da República decente e imparcial, e ministros do STF/STJ alinhados com o governo. Dane-se o que vão falar – aliás, dane-se o que já falam de qualquer jeito!

     

    • É isso mesmo

      Muitos de nós já vem falando isso há um bom tempo e não consigo entender porque a Dilma, o Lula e o PT não enxergam isso. Fico pensando se alguém do PT não enxerga que a imprensa brasileira é PIG desde o Getúlio Vargas e não vai mudar. O PIG não dorme e sempre vai tentar um golpe.

      Acorda Lula.

      Acorda Dilma.

      Acorda PT.

  5. Menas.

    Nem Lula venceu em 1 turno. Havera sim 2 turnos. O PT não aprende nunca. Vive de salto alto. Deviam pensar na estrategia de enfrentamento das “balas de prata” e dessa midia canalha, ao inves de ficarem delirando …

    • O PT não está de salto alto

      Quem despencou do salto alto foram os adversários. Primeiro Aécio e depois Marina.

      O PT não está, não esteve e não estará de salto alto nunca.

      Está sim mobilizado para fazer a belísssima campanha eleitoral que vem fazendo, prestando contas das suas inúmeroas realizações a favor do povo brasileiro e apresentando projetos e propostas para o futuro.

      Nenhuma campanha foi mais programática, mais profissional, mais correta e mais alinhada com o povo que a campanha petista e esse pique posititvo vai continuar.

      Se acreditamos em alguma coisa, é na capacidade de dicernimento do povo brasileiro. Por isso o PT apresenta o que foi feito e o que pretende fazer e é essa campanha positiva que está recebendo a adesão dos eleitores que tomam sua posição com racionalidade.

      Os adversários é que tentam passar uma imagem falsa da campanha petista porque na falta de realizações projetos só lhes resta atacar o PT e fazer campanha negativista.

  6. Intrigante

    Logo após a vitória de Dilma no segundo turno de 2010 a escrotíssima mídia passou a tentar jogar a Dilma contra o PT e vice-versa.

    Quebraram a cara como vão quebrar a cara desta vez. É um recurso desesperado de pós-derrota.

    O que chma a atenção é eles terem feito esse movimento agora, dias antes do primeiro turno.

    Será que estão sabendo de algo que não sabemos? Será que a possibilidade de vitória no primeiro turno é menos improvável que imaginamos?

    Acho que vamos para o segundo turno, passando raspando pela vitória no primeiro turno e que não tem incentivo melhor do que vencer no primeiro turno com grande folga e em curva ascendente. Mesmo o segundo turno sendo outra eleição, uma bela vitória no primeiro turno é extremamente estimulante para a militância e reforça ainda mais a confiança de que o eleitor brasileiro quer mais um mandato de Dilma Roussef.

    Porém não deixa de ser intrigante o fato da mídia adiantar dess forma a estratégia definida para depois da vitória de Dilma.

  7. Um afago na “gerentona” Dilma

    Um afago na “gerentona” Dilma Roussef… tipo, “olha Dilma, nós do PIG, estamos contigo, sempre estivemos, o PT é que é teu inimigo”.

    Parece que a intenção de Dilma de levar adiante a discussão sobre a regulamentação da mídia está mexendo com os brios dessa moçada pra lá de bem intencionada.

    A TPM do PIG nessa semana vai nos mostrar coisas inimagináveis, o cenário mais provável, diria eu com uns 65% de chances de acontecer, a reeleição de Dilma Vana Roussef Linhares e com a participação, mais uma vez para o desespero dessa gente, de Lula como um de seus principais puxadores de votos, gestará textos fantasiosos como esse e outras tantas baboseiras a que já nos acostumamos desde 2010… quando o “apedeuta” passou a batuta para a “guerrilheira sanguinária” agora identificada como futura e muito provável “vítima do centralismo bolchevique do PT”.

    A última afirmação do artigo é antes de tudo hilária..

    “Os tucanos também acham que Marina mantém um forte ranço petista.”

    Parece um recado cifrado para os eleitores ainda “sonháticos socialistas” de Marina: “olhem, ela está se aliando a uma parte do que há de mais nefasto no Brasil atualmente, o PSDB e a Opus Dei, mas continua a nossa seringueira petista de sempre”.

  8. Se o movimento inercial de

    Se o movimento inercial de crescimento da DILMA como aponta todas as pesquisas apontaram, se repetir esta semana, a vitória é certa no primeiro turno.

    Percentual de votos válidos segungo VOX POPULI

     

    DILMA
    MARINA
    AECIO
    OUTROS

     

    48,2%
    27,8%
    21,9%
    2,1%

    Estamos quase lá. Falta pouco. Vamos arregaçar as mangas e brigar por votos que podem ser

    revertidos.

     

  9. “PT já pensa em como

    PT já pensa em como controlar Dilma 2, por Raymundo Costa

    sim, tò sabendo…

    o núcleo duro de engolir do PT mais o zé lula de saia justa já estão fazendo imersão teatral pré-sal abissal nos clássicos shakespeare…

    primeiro estão mergulhados náufragos no mar de lama na encenação crítica da “comédia dos erros” adaptada para política econômica dilma/mantega; para política externa sem fronteiras sem eira nem beira; para política de justiça social á procura de um ministro; para a roda de choro com nassif e seus batutas…

    depois estarão à procura do eixo suplicy – em retiro seis estrelas com spa, patrocinado pela petrobras o petróleo é nosso – estudando e fazendo dinâmica teatral a fundo perdido da farsa “a megera domada”…

     

  10. Controlar a Dilma ? Já começa

    Controlar a Dilma ? Já começa a tentativa de intriga para o segundo mandato. Matéria de jornal da oposição é sempre assim. Quando percebem a derrota nas urnas vão para as fofocas, as intrigas. Mas pelo menos algo de positivo dessa matéria tiramos. A vitória de Dilma, na possibilidade em primeiro turno.

  11. descendo do Jequitibá Rosa

    para os claudicantes , sái da minha hibernação semestral para assegurar-lhes: Dilma ganha no primeiro turno!!! sugiro que saiam daqui e vão para as ruas sentir o clima..a palavra de ordem do povão é: Time que tá ganahndo não se mexe..dia 6/10 descerei novamente para comemorar junto com vcs..

    OMMMMMMMMMMMMMMMMMMM

  12. Reporcagem

    Reportagem com intuito de criar rusgas, estabelecer o perigoso já ganhou, passar para o leitor a idéia de que a Campanha de Dilma está de salto alto…Para mim é o jornalismo de humor, adoro essas reportagens em que o jornalista parece que presencia todas as conversas, reunião e pensamentos, é de morrer de rir

  13. Quantos?

    Eu sei, eu sei que o médico não precisa estar doente para falar (e tratar) a doença…

    Mas eu me pergunto, quando leio tanta tolice:

    Quantos votos teve Raymundo Costa? Quantos votos teria?

    Afinal, o que ele entende de política, de governo, e de PT?

    Quem é raimundo, senão uma rima para Drumond, e que como ele disse, não seria solução?

    E o Seu Nassif ainda publica uma asneira destas, deve ser apenas para expor o pobre a execração pública…

  14. Como é que faz para fazer uma

    Como é que faz para fazer uma organização política de milhares de membros pensar? Qual é o “médium” que se usa para receber o pensamento do PT?

  15. duvido que o pt esteja

    duvido que o pt esteja menosprezando o segundo turno.

    mesmo porque  o ponto crucail da campanha

    é dar força pra militancia nesa linha de chegada.

    esse clima de já ganhou talvez

    seja um desejo do repórter

    para que a militancia pare de militar.

    só porque ele quer.

  16. Agora Dilma não é poste!

    O que a imprensa está entendendo que a Dilma não é poste, como insistiam em falar na sua primeira eleição. Ela tem vida própria e não precisa fazer tipo para estar ao lado do povo, a expontaniedade e segurança de Dilma está carregando e sendo carregada pela maioria da população.

    Me desculpe os que pertencem aos quadros políticos brasileiros, mas Dilma se firmou independente desses quadros do PT, que ficaram meio escondidos antes e no início da eleição, no RGS vi um candidato colocar em destaque o título, LIDER DO GOVERNO DILMA, mas estes foram poucos.

    O que apareceu de novo foi a militância de base do PT, horrorizados e cansados pelas mentiras que passaram por quatro anos o pessoal se indignou e colocou o bloco na rua, talvez não com os bandeiraços que eram caracteristicas das eleições passadas, mas através de atos difusos que estão calando a oposição.

    Realmente, alguém vai ter que segurar Dilma, pois ela sentiu que com o apoio é o povo brasileiro, ninguém a segura, ou melhor, ninguém nos segura.

  17. Essa é a opinião do Valor.

    Não tem já ganhou. Penso que o segundo turno é certo. Eu vou levar minha mãezinha de 80 anos para votar na Dilma. Ela nunca votou no PT, mas desta vez diz que é Dilma. Estou pedindo votos para estranhos e parentes. Vamos até o fim com a Dilma. 

  18. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome