Preconceito: ricos culpam nova classe média por “desconforto

Aeroportos cheios são um reflexo direto do crescimento econômico do país e da ascensão social recorde de brasileiros a classe média.  Mais ricos responsabilizam classe C por piora dos serviços: a afirmação do preconceito de classe e da cegueira voluntária a nova realidade que os cercam
 



Matéria publicada no portal iG dava conta que, segundo pesquisa do Data Popular, consumidores das classes AB, logo os estratos mais ricos da sociedade brasileira, estão indignados com a piora em alguns serviços por causa da ascensão social de dezenas de milhões de brasileiros durante o governo Lula e Dilma.

Os brasileiros do topo da pirâmide social não direcionam suas insatisfações às empresas, devido ao investimento insatisfatório para suprir aumento da demanda em aeroportos, shoppings, hospitais particulares etc. Para estes quem incomoda são aqueles que fizeram crescer a nova classe média ou classe C.

No final de 2010, um comentarista da RBS destilou todo seu ódio [clique aqui]e preconceito contra pessoas que segundo ele, provocam engarrafamentos nas estradas porque tem acesso ao crédito para comprar um carro e ainda novo. Nas palavras dele: “qualquer miserável tem um carro”.

 
E a culpa maior de quem?
Lula!

“Então, é isso, estultícia, falta de respeito, frustração, casais que não se toleram, popularização do automóvel – resultado deste governo espúrio que popularizou, pelo crédito fácil, o carro para quem nunca tinha lido um livro. É isso.”

 
São estas pessoas que fomentam o atraso, o preconceito de classe e a preservação de seu pequeno mundo de maravilhas importadas, ambiente egoísta e indiferente a realidade dos demais, somente para mantê-los a salvo do desagradável contato direto com os do andar de baixo.
 
Na política isto se reproduz e é possível identificar vários de seus porta vozes e defensores de seus ideais de segregação.
 
Possivelmente em seu município há um candidato ou partido que patrocine tais pensamentos retrógrados e individualistas…
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Os mais ricos aumentaram suas fortunas durante a pandemia no mundo

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome