As duas mil vítimas diárias da pobreza, por Antonio Uchoa Neto

“Me pergunto: será que bancos e corporações estão preocupados com isso? Ou comemorando esse corte antecipado de custos e aumento do lucro?”

Agência Brasil

Comentário no post 36 milhões de brasileiros não possuem acesso à água potável, uma catástrofe humana e ambiental

Por Antonio Uchoa Neto

Duas mil crianças morrem diariamente no mundo…

Duas mil almas a menos para, num futuro próximo, alimentar, empregar, explorar a força de trabalho. Por dia.

Duas mil almas a menos para receber auxílios emergenciais, cuidados de saúde e educação, moradia. Por dia.

Duas mil almas a menos para consumir água. E alimentos. E renda básica, tal como sonha o Suplicy. Por dia.

Isso, multiplicado por um ano… que maravilha. Fora os adolescentes, os jovens, os adultos que morrem diariamente, no mundo, não por diarreia, mas de susto, bala, ou vício, dentre as outras desgraças de que a pobreza é pródiga.

Balas perdidas e drogas diversas, inclusive, que os fabricantes de armas e traficantes (principalmente os que residem em endereços de luxo) também precisam enriquecer mais e manter o padrão de vida. Santa guerra, santa pandemia.

Eu me pergunto: será que eles (eles = binômio Bancos/Grandes corporações) estão preocupados com isso? Ou estão comemorando esse corte antecipado de custos e aumento da taxa de lucro?

Jornal GGN produzirá documentário sobre esquemas da ultradireita mundial e ameaça eleitoral. Saiba aqui como apoiar

Não é uma situação ideal para neutralizar a queda tendencial desta última?

Não era isso que, disfarçadamente, humanitariamente, preconizava São Henry Kissinger, lá pelos idos dos anos 1970?

Parabéns, a política de ‘depopulation’ está sendo um sucesso total!

Ucranianos, taiwaneses, iemenitas, há tanta commodities nesse mundo, para usar, abusar, vender, explorar! E crianças, jovens, negros, outros com a pele nem tão escura assim, mas incômodos do mesmo jeito! Vamos defendê-los, levar a vocês a liberdade e a democracia!

Bom, é claro que alguns de vocês (alguns? Muitos? Bastantes? O suficiente? excedentes? ) vão ter que se sacrificar; mas é em nome da Liberdade, da Paz, da Democracia. Do lucro? Quem foi o comunista esquerdopata que disse isso? Prende!! Arrebenta!!

Um sucesso completo, amigos. À razão de duas mil almas desgraçadas a menos, no mundo, é só uma questão de cálculo, e, em breve, estaremos vivendo num paraíso de prosperidade, sem pobreza. Sem pobres, na verdade. É só uma questão de produzir mais balas, mais drogas. Guerras nunca vão faltar. Caprichemos um pouco mais, Morte, Fome, Peste, Guerra. Em breve o mundo será um paraíso!

Sei que não é muito agradável (e producente) ler essas bobagens. Mas não consigo evitar. Queria escrever coisas alegres e otimistas, para fazer o Google olhar com bons olhos sites como o do Nassif. Mas não consigo.

Sinto muito.

O texto não representa necessariamente a opinião do Jornal GGN. Concorda ou tem ponto de vista diferente? Mande seu artigo para [email protected]

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador