Crivella enfrenta pedidos de impeachment por improbidade

Reprodução TV Senado

Jornal GGN – Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, foi alvo de dois pedidos de impeachment ontem, dia 9, na Câmara Municipal. O primeiro do vereador Átila Nunes (MDB) e o outrodo deputado estadual Marcelo Freixo (PSol) com o diretório municipal de seu partido.

Os dois pedidos citam improbidade administrativa de Crivella, que utilizou o Palácio da Cidade como local para reunião com lideraças evangélicas, no dia 4 de julho, com promessas de vantagens. O mesmo motivo foi usado para um pedido de investigação pelo Ministério Público (MP) feito por vereadores de oposição.

Para que sejam apreciados os pedidos, a Câmara precisa interromper o recesso, que vai até o dia 31. Vereadores se reuniram ontem e colhem assinaturas para pedir ao presidente da Casa, vereador Jorge Felippe (MDB), que reabra os trabalhos. São necessárias 17 assinaturas.

“Hoje dei entrada com pedido de impeachment do prefeito Crivella, pela utilização da máquina da prefeitura para privilegiar seus segmentos mais próximos. E o que é pior, usando critérios religiosos. Promessas inclusive para furar filas de cirurgias. Por esses motivos, pedi que ele seja processado por improbidade administrativa e crime de responsabilidade”, declarou o vereador Atila Nunes, em vídeo divulgado em sua conta no Facebook.

O caso começa quando Crivella, no Palácio da Cidade, faz uma reunião fora da agenda oficial com 250 pessoas. Na reunião ele afirmou que pode resolver problemas dos fiéis. Disse que contratou 15 mil cirurgias de catatarata para serem realizadas até o final do ano e anunciou também facilidades para cirurgias de varizes e vasectomia. Para que os fiéis chegassem mais rápido ao procedimento bastaria acionar dois de seus assessores para resolver.

Leia também:  TSE tem 5 ações que poderiam cassar Bolsonaro e gerar novas eleições

Crivella também se dispôs a resolver problemas com pagamentos de IPTU atrasados de igrejas evangélicas. “Nós temos de aproveitar que Deus nos deu a oportunidade de estar na prefeitura para fazer esses processos andarem”, declarou ele aos fiéis amigos. 

A reunião foi gravada por dois repórteres do jornal O Globo, que participaram do encontro sem se identificar.

No caso do MInistério Público, um grupo de vereadores pediu que abra investigação contra Crivella, por uso indevido do Palácio da Cidade. Os parlamentares pediram ao procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem, que o prefeito seja investigado por improbidade administrativa por ter promovido uma reunião fechada com membros de igrejas evangélicas do Rio.

“Encaminharemos a representação para as estruturas internas correspondentes para que adotem as devidas providências, principalmente no que diz respeito à violação da laicidade, pois o estado é laico e todos os cidadãos devem ser tratados em igualdade de condições. Também será apurada a possível prática de algum crime”, afirmou Eduardo Gussem após a reunião com os vereadores.

O procurador-geral afirmou, na ocasião, que o MP não faz qualquer distinção entre religiões, mas o que não pode acontecer é a administração pública privilegiar um grupo em detrimento de outros.

A prefeitura, por seu turno, afirmou por meio de nota que a reunião entre Crivella e evangélicos teve por objetivo prestar contas e divulgar serviços, e que não há irregularidade na ação do prefeito em indicar uma assessora para orientar a população.

A prefeitura não se manifestou sobre os pedidos de impeachment.

Com informações da Agência Brasil

 

Leia também:  Guedes defende economia para evitar impeachment de Bolsonaro

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

10 comentários

    • Tem evangélicos achando que Crivella é o diabo disfarçado

      Crivella pode estar popular entre as cúpulas das igrejas evangélicas e pastores que particiam de seu governo, mas entre o povão, mesmo evangélico, não está popular.

      Já há a percepção de que ele governa para quem tem dinheiro e com as oligarquias políticas evangelicas ou não. A classe média evangélica e os pobres estão decepcionados. Ele subiu muito o IPTU em plena crise (que afeta a classe média, mesmo a baixa) e mesmo assim não há melhora visível no serviços públicos da prefeitura de saúde, educação, moradia e emprego. Para piorar, furar fila na saúde pega muito mal para quem é usuário do SUS, mesmo que seja evangélico, passa a ver Crivella como pastor do diabo.

      • Tava sumido, Neotupi
         

        Olha só, o crente mesmo, não vai achar o Crivella o pastor do diabo, mas a mídia faz verdadeiros milagres com a cabeça do crente

        Se ela quiser, descontroi todas as igrejas evangélicas em menos de 5 anos.

        Ela sumiu com a Renascer, que era a terceira potência.

        Esses irmãos estão todos por um fio.

        São só  uma poderosa e útil massa plástica sem noção.

  1. Palhaçada

    Gosto do Freixo e não tenho nenhuma simpatia pelo Crivella, mas, estamos simplesmente brincando com o instituto do impeachment.

    Não podemos banalizar e cair nessa palhaçada com aparência de ser democrática.

    Ainda, como levantou muito bem o Alfeu, a Globo está por trás, sempre em apoio da esquerda caricata e carnavalesca do PSol, que tem sido o que mais motivou esta separação do povo brasileiro evangélico das fileiras da esquerda nacionalista e de justiça social, como se a esquerda apenas estiver pensando “naquilo”….

    Cuidado, pois esta cruzada tende a dividir ainda mais as forças populares, criando antagonismo gratuito e fortalecendo a candidatura do Bolsonaro.

    • Deixa o circo pegar fogo

      Só assim a platéia levanta o traseiro.

      O Crivella senador votou pelo impeachment da Dilma sem crime. Pois que prove do mesmo veneno, com Globo e tudo. E que a Globo também venha a provar seu veneno depois, com Crivella, Centrão, PMDB e tudo cassando a concessão no Congresso em retaliação.

      No Brasil de hoje do que adianta defender o que seria o certo? Nada, pois enquanto defendemos princípios, os que mandam às favas nadam de braçada, destruindo o pouco que foi construído como nação.

      Melhor que o circo pegue fogo de uma vez, exigindo nova Constituinte, em novas bases que venha a ser levada a sério.

  2. Evangelismo e cizânia

    Quem nasce crente já nasce salvo, assim pensam os crentes, que ensinam a seus filhos que eles não são do mundo e que os demais viventes jazem no maligno e no pecado.

    É ele contra o mundo

    Quem não nasce crente mas “levanta a mão pra Jesus”e se converte,  é salvo do mundo e do pecado e passa a congregar com os fiéis.

    Com a mente do crente não tem acordo: ou é de deus ou é do mundo.

    O crente trata o não crente como incrédulo, ímpio ou, o ex-crente como desviado, sendo a caça preferida dos bem crentes.

    Assim, por mais que se possa prezar um crente (neo-evangélico), por mais fofo que ele seja, é de se ter em mente que ele pensa assim por padrão, sem exceções .

    Você sé estará em comunhão com ele se for crente também.

    Quem tiver um amigo, parente, conhecido, interessado, crente, se esse lhe sorri, se mostra amistoso e cheio de urbanidade, por mais desinteressado que pareça, ele tem por missão capturar a sua alma, “converte-lo ao evangelho”. Essa é a sua missão.

    Crivella nasceu nesse meio, pensa assim, e embora seja uma pessoa com boas intenções, não tem a noção do seu semelhante não crente como seu igual. Esse semelhante será sempre um alvo tanto quanto o crente será sempre “o povo escolhido e preferencial” para receber a misericódia divina e os favores do governo do justo ( o crente )

    Crivella,  sobrinho e procurador do “Pedir Mais Cedo ” foi convencido desde o berço de que o Brasil deverá ser a pátria do evangelho, recebendo, ainda que de má vontade, grande parte desse desígnio.

    Se ele sobreviverá, aí já é outro capítulo.

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome