Doria coloca Ginásio do Ibirapuera, teatros e museus em plano de privatizações

doria_gari_2_1.jpeg

Jornal GGN – A gestão do prefeito João Doria (PSDB) apresentou, para vereadores aliados, uma lista com 55 projetos que poderão ser concedidos, vendidos ou alvos de parcerias público-privadas (PPP) na cidade de São Paulo. Entre os serviços e ativos, estão o Ginásio do Ibirapuera, os serviços de recapeamento de rua, de guincho, compartilhamento de bicicleta, e também teatros e museus.

A lista também inclui o complexo desportivo do Pacaembu, na zona oeste da capital, e o autódromo de Interlagos, que Doria vem afirmando que pretende privatizar desde antes de sua campanha para prefeito.

O prefeito tem como prioridades onze projetos, entre eles a gestão do bilhete único, terminais de ônibus, mercados e parques municipais, além do Pacaembu, Interlagos e do Anhembi. Assim como o Pacaembu, o Ginásio do Ibirapuera deverá ser concedido para a iniciativa privada, que pode explorar comercialmente o complexo e deverá arcar com a manutenção do espaço.

Outros serviços da lista, como manutenção de abrigos de ônibus, relógios de rua, coleta de lixo, já estão sob concessão de entes privados. De acordo com Wilson Poit, secretário de Desestatização, o dinheiro arrecadado com o plano é “carimbado” e só será utilizado em áreas como saúde, educação, segurança, moradia e mobilidade.

A estimativa é que o programa levante uma receita entre R$ 5 bilhões e R$ 10 bilhões. O valor é menor do que os R$ 7 bilhões projetados inicialmente apenas para Interlagos e Anhembi.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, a prefeitura crê que 25 dos 55 projetos não precisam ser aprovados pelos vereadores. No entanto, metade dos parlamentares da base aliado não compareceu à reunião de apresentação do plano, incluindo vereadores do próprio partido do prefeito.

Muita pressa e pouca transparência

Em debate promovido ontem (28) pela Folha de S. Paulo, especialistas afirmaram que o projeto de concessões de Doria está sendo conduzido com uma pressa que não condiz com a realidade e com pouca transparência.

“Enquanto com Haddad as parcerias com a iniciativa privada eram meios, com Doria parecem ser fins”, afirmou Sandro Cabral, professor de administração do Insper. “O tempo midiático conflita com o tempo técnico de maturação dos projetos. O prefeito vai ter que gerenciar os dois sob pena de perder credibilidade com os atores privados”, afirmou.

Professor de ciência política da USP, Eduardo Marques afirmou que colocar o programa de privatizações como principal mote da gestão “só faria sentido se a cidade estivesse em situação calamitosa financeiramente”.

Também foi discutido a questão das doações por parte de empresas para a gestão municipal. Cabral comentou o tempo de publicidade cedido pela Ultrafarma para a Prefeitura de São Paulo em um jogo da seleção brasileira. “Na minha terra, isso é propaganda eleitoral disfarçada”, afirmou.

Abaixo, confira a lista dos 55 projetos e equipamentos do programa de desestatização:

Serviços Municipais

1. Gestão de resíduos sólidos, coleta e centrais de reciclagem

2. Serviço de varrição e limpeza urbana (PPP)

3. Cemitérios

4. Crematórios

5. Serviços funerários

6. Sistema de compartilhamento de carros elétricos

7. Acesso à internet por meio de um sistema de Wi-Fi em espaços públicos

8. Serviço de transporte escolar

9. Serviço de transporte para pessoas com deficiência

10. Equipamentos e serviços culturais

11. Sistema municipal de transporte hidroviário

12. Sistema municipal de compartilhamento de bicicletas

13. Serviço de iluminação pública

14. Pátio e serviço municipal de guincho

15. Equipamentos e serviços de educação infantil

16. Serviços hospitalares e de atendimento da rede de saúde

17. Mercados Municipais

18. Parques, praças e planetários municipais

19. Sistema de Estacionamento Pago Rotativo (nova Zona Azul)

Gestão Municipal

20. Arquivo público municipal de São Paulo

21. Sedes administrativas das prefeituras regionais

22. Bilhetagem do sistema de transporte municipal

23. Exploração de edifício público para conectividade (ERB)

Projetos Urbanísticos

24. Projeto Nova Luz

25. Habitação de interesse social

26. Requalificação do Vale do Anhangabaú

Ativos Municipais

27. Terrenos com cessão de uso

28. Autódromo José Carlos Pace e demais áreas

29. Complexo Desportivo Pacaembu

30. Áreas e equipamentos do Complexo Desportivo Canindé

31. Imóveis de herança vacante

32. Complexo Anhembi

33. Hospitais Municipais

34. Imóveis passíveis de IPTU progressivo e desapropriação

35. Prédios públicos

36. Imóveis na região central

37. Terrenos na Rua Sumidouro

38. Gleba Santa Etelvina III-B

39.Constâncio Vaz Guimarães (Ginásio do Ibirapuera)

Infraestrutura Urbana

40. Enterramento da fiação

41. Sistema de drenagem urbana 42. Manutenção e requalificação de vias

43. Manutenção e requalificação de passarelas, pontes e viadutos

44. Terminais de ônibus

45. Infraestrutura cicloviária

46. Requalificação e manutenção de passeios públicos e calçadas

47. Corredores de ônibus

48. Garagens públicas municipais

49. Gestão e revitalização da rede semafórica

50. Exploração de baixos de viadutos

51. Abrigos de ônibus

52. Relógios em espaços públicos

53. Totens em espaços públicos

54. Bancos, lixeiras e outros mobiliários urbanos

55. Sinalização viária

Assine

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora