Guedes e Campos Neto são convidados pelo Congresso para explicar paraísos fiscais

O senador Randolfe Rodrigues, da CFTC, estranhou que a Comissão de Ética Pública da Presidência da República não tenha identificado irregularidades pelas contas em paraísos fiscais de Guedes e Campos Neto.

13/03/2019. Crédito: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil.

Jornal GGN – O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, foram convidados pelo Senado para esclarecerem sobre empresas mantidas em paraísos fiscais, conforme denunciado pelo Consórcio Nacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ). As comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e de Fiscalização e Controle (CTFC) foram as primeiras a convocarem as autoridades econômicas. A data marcada é 19 de outubro, mesmo dia da leitura do relatório final da CPI da Covid.

Na Câmara dos Deputados, a Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público também aprovou a convocação de Guedes sobre as movimentações financeiras no exterior. Diferente de convite, a convocação torna a presença obrigatória, e precisa ainda de definição de data. O não comparecimento pode se tornar um crime de responsabilidade.

O senador Randolfe Rodrigues, da CFTC, estranhou que a Comissão de Ética Pública da Presidência da República não tenha identificado irregularidades pelas contas em paraísos fiscais de Guedes e Campos Neto. Para ele, manter tais empresas em paraísos fiscais não é ético e nem moral, e mostra um grave conflito de interesses.

Alessandro Vieira, do Cidadania, e Jean Paul Prates, do PT, foram os autores da convocação na CAE. Para Vieira, esta constatação de offshores é um desrespeito das principais autoridades de economia do país.

Com informações do Correio Braziliense.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome