Ao contrário do que dizem bolsonaristas, OMS não defendeu volta à normalidade

"OMS defende retomada: 'As pessoas precisam trabalhar'", diz uma mensagem nas redes sociais por aliados do presidente, que está fora de contexto

Foto: Reprodução/Redes

Jornal GGN – “OMS defende retomada: ‘As pessoas precisam trabalhar'”, diz uma mensagem que está circulando nas redes sociais, por disseminação de apoiadores de Jair Bolsonaro, com a foto do diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom. A mensagem é falsa e foi um recorte de uma declaração em coletiva de imprensa da Organização Mundial da Saúde.

Nesta segunda (27), o diretor-executivo do Programa de Emergências em Saúde da OMS, Michael Ryan, e não Adhanom, defendeu que o começo da reabertura econômica poderia ser feita em países que conseguiram “suprimir a infecção a um nível muito baixo” e durante “três ou quatro meses”.

“Se nós trabalharmos muito em um determinado país, conseguirmos suprimir a infecção a um nível muito baixo e conseguirmos isso por três ou quatro meses de trabalho duro, qual é o risco, agora, de abrir as fronteiras e aumentar a mobilidade e como gerenciamos esse risco?”, havia indagado.

E, ainda, destacou que “não há solução única” para todos. “É muito difícil ter uma política global, que sirva para todos, porque a natureza do risco e a natureza do impacto são determinadas pelo contexto local e pelas situações nacionais ou subnacionais.”

Mas apontou, mais de uma vez, para os riscos que devem ser levados em consideração por estes países, em sua opinião, para a transição de reabertura: “Como você faz progresso para abrir as economias nacional e internacional? Como você faz isso de uma maneira que tenha menos risco? Como você faz isso de uma forma que se possa voltar atrás se você precisar desacelerar ou reverter?”.

Leia também:  Rússia afirma estar à frente dos rivais na corrida pela vacina contra Covid

Reportagem do Uol questionou, também, a OMS, se a posição do diretor do Programa de Emergências em Saúde é defendida, como um todo, pela organização. “A OMS reafirmou que não há defesa da ampla reabertura econômica, mas de planejamentos específicos para cada país ou região.”

Conforme mostrou a matéria, as distorções das declarações da OMS já foram feitas, também, pelo próprio presidente Jair Bolsonaro, e não somente por seus apoiadores. Foi o caso da interpretação equivocada de declaração da OMS, afirmando que a disseminação do Covid-19 por pessoas assintomáticas é “muito rara”. A OMS havia divulgado que “parecia haver” uma baixa transmissão, ainda sem estudos avançados e comprovados, entre pessoas assintomáticas.

Leia a íntegra da coletiva de imprensa da OMS referida, abaixo:

covid-19-virtual-press-conference---27-july

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. Não são apenas os bolsonaristas, individualmente, que estão “defendendo a volta à normalidade”. Há uma campanha publicitária oficial, do (Des)Governo Federal, conclamando a “volta à normalidade”. Tem sido veiculada, na rádio Jornal do Brasil FM, no Rio, uma propaganda em que supostos agricultores, comerciantes e industriais manifestam satisfação pela tal volta. É uma propaganda oficial, paga com dinheiro do público que será morto se acreditar na tal volta e abandonar o isolamento social. É como se se estivesse pagando para morrer. Isso está acontecendo agorinha, enquanto digito estas linhas.

  2. O interessante é que tanto a famiglia quanto a maior parte de seus seguidores nunca foram chegados a trabalhar, formam um bando de “come e dorme”, mas sao cinicos à ponto de “mandar o povo trabalhar”
    Por exemplo, no caso mais visivel, a famiglia: alguem consegue apontar um, só um, projeto ao longo de suas vidas politicas (no caso do bozo somem o tempinho de exército).
    O povo nao parou de trabalhar, é que nao tem emprego porra!
    Desde 2014, com ajuda do congresso (nao esqueçam o canalha do aecio) e da “larva-jato”, o brasil parou. Veio o golpe,.a coisa piorou, a farsa conduzida pela larva-jato tomou ares de “salvação nacional”, moro, japones da federal, dd, pseudos bispos e pastores evangelicos se transformaram em “heróis” no conceito de uma mídia criminosa, quando, na realidade,.amaciavam o hambúrguer para americano fritar.
    Como sempre escrevo por aqui, economica, social e psicologicamente já chegamos muito doentes em 2019, o virus apenas fez o que faz; nos jogou na UTI.
    E o desgoverno, insensível à mais de 90mil óbitos e ao extermínio de minorias, continua passando a boiada.
    https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/07/30/cmn-eleva-valor-minimo-de-transacoes-em-reais-no-exterior-que-devem-ser-informadas-ao-bc.ghtml

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome